Ir para conteúdo

luizh91

Colaboradores
  • Total de itens

    254
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    5

luizh91 venceu a última vez em Julho 22 2019

recebeu vários likes pelo conteúdo postado!

Reputação

195 Excelente

Links para Redes Sociais

Sobre luizh91

  • Data de Nascimento 17-09-1991

Outras informações

Últimos Visitantes

2.440 visualizações
  1. @Rodrigo Guimarães Soares É possível sim, mas são trajetos um pouco longos. Para ir de Ushuaia para El Calafate há duas opções: 1. Um ônibus de Ushuaia até Rio Gallegos, e então pegar outro ônibus até El Calafate. 2. Ir de Ushuaia para Punta Arenas, pegar outro ônibus de Punta Arenas para Puerto Natales e enfim, tomar um ônibus de Puerto Natales para El Calafate. Neste caso, muita gente passa algumas noites em Puerto Natales para conhecer Torres Del Paine. Para El Chalten, o ônibus sai direto de El Calafate e diariamente.
  2. Tenho cerca de 6 graus (!!) de miopia e um pouco de astigmatismo e nunca tive problemas por causa dos óculos em viagens ou trilhas. Nunca usei lentes de contato e apesar de ter o grau estável, durante a minha última consulta não fui autorizado a fazer a cirurgia. Então, eu faço como os colegas acima citaram: levo um par de óculos reserva na mochila, assim se acontecer algum contratempo não passo perrengue rs Mas usar óculos nunca me impediu de fazer aventura nenhuma, não me imagino sem o meu fiel companheiro rs.
  3. @Murilo Pereira Murilo, eu paguei 90 mil pesos para fazer o Valle de La Luna, Valle de La Muerte, Lagunas Antiplanicas + Salar de Atacama + Piedras Rojas (Full day) e Geisers Del Tatio. Somente o Tour Astronômico que fiz por outra agência. Não feche nada no Brasil, deixe para fechar os passeios pessoalmente lá. Fazendo vários passeios na mesma agência e pagando a vista tem um bom desconto. (Isso serve para todas, o que não faltam são agências na calle caracoles em San Pedro). O preço de pagar antecipado no Brasil sempre vai sair mais caro do que ao vivo.
  4. @Murilo Pereira Murilo, não é exatamente a resposta para sua pergunta que vou dar, mas fiz todos os meus passeios com a 123 Andes durante minha estadia no Atacama e recomendo. Foram bem pontuais, café da manhã bem servido, carros próprios, quando teve almoço também foi bom, os guias super atenciosos e prestativos, e achei o preço bem justo pelo serviço prestado. Nada no Atacama é muito barato, mas preferi pagar um valor intermediário para não passar nenhum perrengue com passeios... Enfim, caso não tenha feedback sobre a Flamingo e se o seu orçamento não estiver muito apertado, recomendo a 123 Andes.
  5. @Max-Xuel Fico feliz que tenha gostado, obrigado! Realmente o Mamatierra é excelente, hostel com estrutura de hotel, recomendo para qualquer um que for ao Atacama. O Chile é um país incrível, ainda pretendo voltar para explorar a região sul do país.
  6. @MMarttins parabéns pelo relato! Vou para o Peru em junho. Você gostou dos serviços da agência com a qual fez os passeios?
  7. Olá pessoal! No último feriadão da República, aproveitei a folga para passar alguns dias muito agradáveis na região do Parque Nacional de Itatiaia/Serra da Mantiqueira no estado do RJ. É uma regão bem preservada, com atrativos para todos os gostos e muita, mas muita natureza! Eu não vou fazer um relato dia a dia da viagem, mas sim postar dicas sobre as vilas e as minhas impressões sobre os locais. Se tiverem alguma duvida adicional, é só perguntar. Bom, a região é composta por três vilas: 1. Visconde de Mauá 2. Maringá 3. Maromba Visconde de Mauá é a maior delas e também a mais bem estruturada, em que há mercados um pouco maiores, hospitais, hotéis bem equipados. Eu não cheguei a passear por lá, apenas passei. Maringá é um polo gastronômico e boêmio, com diversos restaurantes muito bons e barzinhos que oferecem os mais diversos tipos de bebidas. Maringá é dividida por uma ponte em duas: Maringá/MG e Maringá/RJ (os loucos por geografia piram!). As duas são bem distintas e isso é notável ao caminhar por lá. O lado de Minas é mais voltado para o artesanato e um pouco menos turístico, enquanto o lado do Rio é mais badalado e lotado de bares e restaurantes. É válido visitar os dois lados para perceber essa diferença. Maromba é a mais alta, distante e rústica entre as vilas. É um lugar pacato, pequeno, com alguns comércios e maior proximidade das cachoeiras. Eu escolhi ficar em Maromba por dois motivos: fácil acesso as cachoeiras por caminhada e total contato com a natureza. Se você deseja fácil acessibilidade aos principais atrativos naturais, eu recomendo fortemente se hospedar em Maromba. Mas se seu interesse for gastronômico, aí é melhor ficar em Maringá. Dito isso, vamos as dicas gerais: Tem hospedagem para todos os gostos. Fiquei em uma kitnet super bem equipada alugada por Airbnb em Maromba e foi excelente. Há diversas pousadas, campings e hotéis também. A minha sugestão em Maromba é se hospedar próximo a praça principal, pois assim fica mais fácil ir aos restaurantes/comércios e as cachoeiras de modo geral. A partir da vila de Maromba, é possível visitar 5 cachoeiras a pé: Véu de Noiva (fica a menos de 5 minutos da vila) Poção do Maromba Cachoeira do Escorrega Cachoeira dos Macacos Cachoeira de Santa Clara Acima: Poção do Maromba Acima: Véu da Noiva Acima: Cachoeira do Escorrega Há mercadinhos em Maromba a bons preços, então caso não queira comer fora, é possível cozinhar por conta própria. É recomendável ir bem cedo para as cachoeiras, principalmente em feriados, para evitar pegar os locais lotados de gente. A Cachoeira do Escorrega é o principal atrativo da região, então ela é realmente a que fica mais lotada, pois isso é importante chegar cedo por lá. Há estacionamentos no local que cobram 15,00 para ficar quanto tempo quiser. Também há restaurantes e barraquinhas que vendem porções por lá. Eu não recomendo a Cachoeira do Escorrega para crianças, pois apesar de parecer divertido, o fluxo de água é constante e o poço é fundo. Só vá se souber nadar. Já o Véu de Noiva é ideal para quem não sabe nadar ou quer apenas contemplar, pois tem um poço bem rasinho e um queda relativamente alta. O Poção do Maromba tem locais tanto raso quanto fundo. Vale ficar atento até onde você consegue ir. Um calçado anti-derrapante é bem interessante, pois sempre há pedras nos acessos às cachoeiras e deslizam que é uma beleza. O acesso a vila do Maromba de ônibus é bem fácil. Os circulares partem da rodoviária de Resende (Graal) e custa R$ 9,45. Mas tem um porém: Há pouquissimos horários por dia, por isso é importante o planejamento. A viagem leva cerca de 1:30hrs. Depois posto os horários dos ônibus. A truta é um prato típico da região e vale experimentar. Peixe bem saboroso. Comi em dois restaurantes em Maromba que recomendo: La Bella Cucina e Point do Maromba. Ambos oferecem bons pratos a preços justos e com atendimento bem legal. Caso vá de ônibus (como eu) e se hospede em Maromba, há moradores locais que fazem o translado entre Maromba e Maringá, só combinar o horário de ida e de volta. A distância entre a praça do Maromba e a Cachoeira do Escorrega é de 3 km e andando leva-se uns 40 minutos. O único problema são as subidas eternas que faz a distância parecer bem maior. Só se hospede em Visconde de Mauá se estiver de carro, pois assim é possível conhecer as outras vilas. Se estiver de ônibus, a melhor opção é Maromba. A cachaçaria Jeca Tatu em Maringá vende bebidas, queijos e doces a bons preços e possui um atendimento excelente. Mesmo no verão ou primavera, leve um agasalho. A vila de Maromba está a cerca de 1400m de altitude e sempre faz um friozinho pela manhã/noite. Acima: Vila de Maromba Acima: Chegando na parte mineira de Maringá Acima: A ponte que divide os dois lados Abaixo: subida para o Escorrega Minhas impressões: Pretendo voltar e ficaria de novo na vila de Maromba. Você acorda e dorme ouvindo o som do rio e o contato com a natureza é realmente revigorante. Se tiverem alguma duvida ou se eu lembrar de mais algo, vou postando aqui.
  8. @Rodrigo P.C. valeu pela dica! Tenho uma Timberland que me atendeu muito bem no Atacama, mas ela não é impermeável, então estou querendo pegar uma que seja para a próxima trip. Vou analisar essa opção da Trek 100
  9. @Rodrigo P.C. Rodrigo, a Trek 100 que você cita seria esta? https://www.decathlon.com.br/bota-masculina-impermeavel-neve-sh100-quechua/p
  10. @beatriz lourenço biia Beatriz, sugiro verificar no anúncio do hotel qual é o modo de pagamento deles, pois alguns permitem que o pagamento seja feito apenas na acomodação, no ato do check-in.
  11. @Narciso Junior eu acho que Brotas é bem caro, principalmente em feriados. Se quiser cachoeira, sugiro a região do Itatiaia/Maromba - RJ, lá tem alguns campings, ou a região de Capitólio em MG. Se quiser praia, o litoral norte tem bastante camping também, em Boiçucanga, Ilhabela, Ubatuba...
  12. Tem a região de São Thomé das Letras em Minas que possui várias cachoeiras, a região de Visconde de Mauá/Maromba no RJ também dá para chegar de ônibus e percorrer as cachoeiras a pé. De que lugar do interior de SP você é? Tem Brotas ou Socorro que também são destinos de aventura, mas aí precisaria de um carro ou carona mesmo.
×
×
  • Criar Novo...