Ir para conteúdo

Vinicius Bandeira

Membros
  • Total de itens

    5
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

2 Neutra

1 Seguidor

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Opa, Wesley! Tudo bem? Cara... essas fotos foram feitas com uma Lumix modelo LX100. A câmera é bem legal, mas dá um creditozinho pro fotógrafo também né?
  2. Na falta de uma palavra mais apropriada para descrever o Monte Fuji, vou com essa mesmo: ele é FODA. Antes de ir para Fuji, foi o momento de validarmos o nosso JR Pass ainda em Yokohama. A empresa JR tem escritórios em todo o Japão e para validar basta levar Passaporte e o bilhete que você comprou. Lá você assina uma papelada, eles te dão os bilhetes (não perca de jeito nenhum) com as datas em que seu JR estará válido e blz. Nesse link vc vê onde ficam os escritórios. http://www.japanrailpass.net/en/exchange.html Em Fuji ficamos no K’s House Mt. Fuji. Hostel com bastante mochileiros. Amplo, limpo e um ótimo custo benefício. https://goo.gl/gkP3hc Existem várias regiões onde se pode ficar para ver o Monte Fuji. Algumas inclusive com acesso até a montanha (É bom pesquisar com antecedência sobre os meses que é possível escalar o Fuji, se não me engano você pode fazer isso apenas no verão e na primavera, então é bom ficar ligado) Ficamos numa cidade chamada Kawaguchiko. E o caminho até lá foi longo. Foram 4 trens diferentes. E 6 horas para percorrer os pouco mais de 130km. A medida que você vai se afastando das grandes cidades, o número de trens vai diminuindo. No google maps, o horário dos trens batiam exatamente com o anunciado na plataforma. Mas se você quiser uma outra fonte de informação, pode buscar no http://www.hyperdia.com/en/ Chegamos em Kawaguchiko e a cidade estava um gelo. 23 graus abaixo da temperatura de Yokohama. Além disso muita neblina e vento frio. Chegamos na cidade e ainda estava claro. Olhamos para um lado, para o outro e nada do Monte Fuji. Conversando com um turista que estava na cidade há 2 dias, descobrimos que essa temperatura persistia há algum tempo. E com a neblina é impossível ver o Monte Fuji. O jeito foi explorar a cidadezinha e torcer para que no próximo dia o sol aparecesse. Corte seco. Amanhece. Corro pra janela. 7h da manhã. Nada. Tentei ver o Monte Fuji mas não consegui ver nem o telhado do vizinho. Voltei para cama. E duas horas depois era como se um milagre tivesse acontecido. O dia abriu. O céu ficou azul. E corremos para finalmente ver o Monte Fuji. Em Kawaguchiko você pode ir até o Kachi Kachi Yama Ropeway. Dá para ir andando do Hostel. Lá você sobe num bondinho e tem uma BAITA visão do vulcão. É de tirar o fôlego de tão lindo. O Hostel tem parceria com uma série de hotéis da região. E você pode ir até um deles e conhecer os Onsens. Poucas coisas são tão tradicionais como os banhos em águas termais. E se você é daqueles que adora experimentar as culturas dos lugares que visita, então vai adorar. Os banhos são separados por gênero. Homens pra um lado, mulheres para o outro. Chegando lá, vc tira toda roupa. Antes de entrar na água, toma uma ducha para se limpar e só aí vc pode entrar nas piscinas. No começo cê até fica meio inibido, mas depois vai se acostumando e relaxando bastante. Como disse, esses banhos você acha em quase todo Japão, então independente da região que você vá, procure um desses e aproveite. Bom, no dia seguinte partimos para próxima cidade: Takayama.
  3. Iih gente, deu ruim nas fotos acima. depois tento arrumar. Yokohama Yokohama fica do ladinho de Tóquio, um pouco mais de 100km e vale muita a visita por dois motivos importantes: o primeiro é a comida e o segundo também. Fomos de metrô, dependendo de que local de Tóquio você esteja, o google maps vai te indicar um percurso ou trem diferentes. Mas relaxa, todo caminho dá na venda e você vai chegar fácil, fácil. Ficamos 3 dias na cidade e escolhemos o HOTEL MYSTAYS Yokohama como moradia. A região é boa, próximo a metrô, ônibus e etc. Mas o hotel não era tão legal. Apesar de hoje ser proíbido furmar em todas as dependências do hotel, num passado bem recente a prática era permitida. O que deixou quartos e corredores com aquele cheirinho de cinzeiro. Existem 2 Hoteis chamados Mystays em Yokohama. E a minha sugestão é que se você for decidir entre os dois, escolha o Kannai. 1 - por que ele é novinho em folha. 2 - por que ele fica perto da região Minato Mirai (aconselho ficar o mais perto que puder dessa região. Lá você tem vários museus, parques e atrações) Em Yokohama tem um parque muito interessante e se você tiver algumas horas eu indico muito a visita. Se chama Sankeien Garden, fica um pouco afastado das principais atrações da cidade, mas você tem ônibus que podem te deixar lá perto (no dia decidimos ir andando e foi uma baita caminhada. o legal foi que passamos por uma grande região residencial e deu para vê bem as casas e o estilo de vida de boa parte dos japoneses de Yokohama) Em Yokohaama, dois museus reverenciam o prato mais comido no Japão, o Lámen. Primeiro fomos ao Cup Noodles Museum. Fica na região do Minato Mirai. Um lindo prédio conta a história da marca Nissin e do cara que inventou o miojo: Momofuku Ando. Uma salva de palmas de 3 minutos pra esse cara!!!!! Bom, outro lugar legal é o Museu do Lámem. Eles criaram um ambiente que lembra o Japão da década de 50. Antes da modernização e tals. Tem várias lojas de Lámem e um monte de quinquilharia para comprar. Ah, um lugar que vc não pode deixar de ir é Chinatown. Se não me engano, é uma das maiores concentrações de chineses (fora da china, obviamente) do mundo. Se não é a maior tá entre as maiores. Muito restaurantes, lojas, cacarecos e etc. Tente chegar um pouco cedo. Acabei deixando para o fim do dia e peguei muitas lojas fechadas.
  4. Adiei um tempo minha contribuição aqui no forum mas é aquela coisa: antes tarde do que nunca. Ao todo foram 28 dias de viagem. 24 no Japão, 2 dias em Dubai e 2 dias em trânsito. Roteiro São Paulo ⇒ Dubai (Conexão) Dubai ⇒ Tóquio Tóquio ⇒ Yokohama Yokohama ⇒ Fuji Fuji ⇒ Takayama Takayama ⇒ Kyoto Kyoto ⇒ Osaka Osaka ⇒ HIroshima Hiroshima ⇒ Tóquio Toquio ⇒ Dubai (stop over) Dubai ⇒ São Paulo Viajamos pela Emirates. Uma baita de uma Cia Aérea. Compramos as passagens numa promoção que eles lançaram em abril. Saiu uns 2.5k pra cada. Com taxas e tudo. Ou seja, um negoção.. Japão Internet Não dá pra cair na bobagem de ficar sem internet num país onde você não entende um “i” da lingua. Então um pocket wifi é um investimento obrigatório pra vc viver o Japão na sua plenitude. A internet é uma bala, ele é bem pequeninho e conecta até 10 aparelhos. Contratei a Japan-Wireless. Pedi para que eles enviassem o wifi para o meu hotel em Tóquio e devolvi enviando pelos correios no aeroporto de Narita no último dia de Japão. Dá pra resolver tudo em inglês. O site e o email vão aí embaixo. https://medium.com/japan-wireless [email protected] Grana “Show me the money.” É amigo mochileiro, amiga mochileira. No Japão, fazendo muito esforço, vc até usa cartão. Mas o negócio lá é dinheiro. grana. bufunfa. Então é trocar os realitos aqui no Brasil por yen e seguir viagem. Fui com toda grana numa doleira. Me cagando de medo, não tanto de ser roubado, mas de perder. Ia ser difícil pedir esmola em japonês. Comida Se você não se faz de rogado diante de um prato de comida, você é como eu. E você vai amar MUITO o Japão. No geral, muitos restaurantes tem cardápio em inglês. Mas na boa, é muito mais divertido pedir um troço que você não faz ideia do que seja. Na maioria das vezes eu olho o que a mesa do lado está comendo, se for com a cara do prato, peço a mesma coisa. Mas relaxa. Se vc é desses que não gosta de se aventurar pela mundo da gastronomia. O Japão também tem todas as grandes redes de fast food e restaurantes do mundo. Então vai tranquilo que vc não vai passar fome. Preços Em geral as coisas são bem mais caras. Comida, transporte e hospedagem vão sangrar bastante o seu orçamento. Mas nada como jantar um Cup Noodles um dia ou outro pra ajudar a equilibrar as finanças. Alguns preços: Garrafinha de Água - até ¥150 / R$4 Lata de cerveja - até ¥300 / R$7 Big Mac - até ¥400 / R$11 Bom Almoço - ¥1000 / R$30 Atrações - até ¥500/ R$15 Obviamente essa cotação varia. E os preços tão chutados para cima. Claro que da para encontrar esses itens por um preço mais barato. A dica é fazer sempre pequenas compras em supermercados. São sempre muito mais baratos que as konbinis e os restaurantes. Temperatura Fomos em outubro. Outono. Folhas vermelhas. Clima ótimo. Como rodamos muito pelo país, pegamos temperaturas variadas. Máxima de 30 e mínima de 9 graus. Lendo em alguns foruns, foi totalmente desaconselhado ir no verão. O calor é simplesmente insuportável. Pegamos alguns dias de muita chuva, mas nada demais. Japoneses Já falei que eles são educados? Já. Mas não custa repetir. Se vc perguntar qlq coisa a um japonês, ele vai fazer de tudo pra te atender. Mesmo não entendendo nada do que você diz. Em geral, eles trabalham MUITO. E não é difícil ver gente dormindo no metrô, em banco de praça e até caidão na calçada. Falando em metrô, tinha lido antes de viajar que os vagões costumam ser bem silenciosos. Mas eu nunca imaginaria que seria tanto. Ninguém fala nada. Todos os celulares estão em modo silenciosos. E todos fazem de tudo para não incomodar o a pessoa que está ao lado. Os próprios japoneses consideram as pessoas da região de Osaka os mais extrovertidos. E de fato são. Adoram bater papo e quando sabem que é brasileiro já mandam um Ronaldo, Pele, Neymar e cia. JR Pass Na internet tem um caminhão de informações sobre o JR Pass. Então vale dar uma lida e entender se ele é válido para vc. Como andamos milhares de quilômetros pelo pais. Saiu muito em conta. Compramos os bilhetes que eram válidos por 14 dias. Então enquanto estávamos em Tóquio e Yokohama, não validamos o nosso . Mas assim que fomos para Fuji, validamos num posto que fica dentro da Estação de Yokohama. Várias Cias. operam no metrô do Japão e o JR não vale para todas. Então eventualmente você vai ter que gastar com bilhetes e tickets de metrô. Principalmente dentro das cidade. Ah, e tb não dá para usar em todos os trem bala que operam. Comprei um na Tunibra, agência de turismo que fica na Liberdade http://www.tunibra.com.br/ e o outro nesse site: https://goo.gl/n25nxK [/b]Tóquio No começo assusta um pouco. Olhar praquele tanto de outdoor e letreiro luminoso e não entender puerra nenhuma dá uma aflição. Mas graças ao São Google. Tudo se arruma. Chegamos no aeroporto de Haneda às 3h da manhã. Uma horário de merda. Nas pesquisas, já vimos que taxi seria uma coisa inviável. Sério, é caro pra cacete. Só pra vc sentar o bumbuzinho na poltrona e dizer: konichiwa, você paga ¥700, uns 21 reais. E do aeroporto para o hotel, segundo o google, daria uns 400 reais. Então a única opção viável seria dormir no aeroporto e esperar amanhecer o metrô abrir. Mas então descobrimos o Bus Limousine. Um serviço de ônibus que passa por vários pontos importantes da cidade e que por pura sorte, passaria perto do hostel. https://www.limousinebus.co.jp/en/bus_services/haneda/index Em que região ficar? Ficamos em Asakusa. Por que? Como o transporte público abrange a cidade inteira. Decidimos ficar numa região não muito cara, mas que fosse relativamente próxima de alguns pontos turísticos interessantes. Asakusa é tudo isso. Bairro cheio de comércio. restaurantes, bares. Muita gente na rua o tempo inteiro. Recomendo muito. Ah, ficamos no Bunka Hostel. Um Hostel que também é um bar e restaurante. Novinho, com café da manhã e atendentes que falam inglês. Aqui aproveito pra fazer um comentário sobre isso. No Japão, muita gente fala inglês. Eles estudam na escola e etc. Mas acontece que eles “ajaponezam” o inglês e aí é quase impossível entender o que os caras estão tentando falar. Por sorte, eles são MEGA educados e pacientes. Então repetem mil vezes se preciso. Até você entender ou desistir. A cidade é foda. Tudo funciona. Apesar do corre-corre. Os japoneses são extremamente educados e atenciosos. Sempre que nos perdemos nas estações de metrô, sem que precisássemos pedir, alguém aparecia para ajudar. Ficamos 8 dias. Deu pra conhecer MUITA coisa. Cada bairro em Tóquio tem uma vida própria. E como a cidade é extremamente segura, dá para andar muito por lá. Tem assalto? Óbvio. Mas a gente que é formado na Escola Brasil, sente logo a diferença. Ah, e no Japão vale ir nos pontos turísticos. Eles vão estar sempre repletos de japoneses. Excursões das escolas e etc. Não tem "pega turistas". O japonês vive seu país plenamente. Museus, templos, torres, bares, restaurantes e etc. Sempre vão ter muuuuuitos japas. Ah, uma dica legal para fazer em Tóquio é alugar uma bike o dia inteiro e sair pedalando. Bunka Hostel https://goo.gl/vGr8Mv Algumas atrações que fomos: Akihabara Parque Ueno Senso-ji Temple Hoppy Street Tsukiji Fish Market 3h Palácio Imperial Shimbashi Area Ginza Area Disney World Shinjuku Station (Kabukicho) Shin-Okubo Koreatown Shinjuku Gyoen Meiji Shrine Zauo Restaurant Shinjuku Golden Gai Bar / Omoide Yokocho Harajuko Omotesando Avenue Shibuya Station Shibuya Crossing Hachiko Statue Center Gai / Grandfather's Odaiba (Miraikan Museum, DivertCity Tokyo Plaza) Tokyo Skytree Kabuki Theater Com o tempo vou postando fotos e dicas das outras cidades. Qualquer dúvida é só perguntar Abraço
  5. Olá Thiago, tudo bem? Legal seu registro. Estou saindo do Recife e vou até Brasilia. Qual caminho você indica? abraço.
×
×
  • Criar Novo...