Ir para conteúdo

gessic4

Membros
  • Total de itens

    10
  • Registro em

  • Última visita

Últimos Visitantes

787 visualizações

Conquistas de gessic4

Novo Membro

Novo Membro (1/14)

6

Reputação

  1. @LCNSSantos Que bom que gostou! A playlist adicionei muitas músicas que ouvi durante a viagem Vale muito a pena conhecer e se você chegar em Manaus domingo, pode deixar para comprar a passagem do barco na segunda, sai toda quarta mesmo Caso tenha resolvido ir, me conta sua experiência depois! Abraço!
  2. Olá! Me chamo Géssica, tenho 26 anos e quando pequena meu maior sonho era viajar pelo Brasil inteiro, mas aí a gente vai crescendo, ganhando independência financeira e quando temos aquele dinheirinho pra viajar, logo pensamos nos destinos mais distantes - de Egito à Japão - a gente considera TUDO, menos o Brasil. Talvez porque ficamos com aquela sensação de que o Brasil é logo ali, e então vamos deixando nosso país pra lá. Eu nunca saí da América do Sul e quando estava pensando em voar para outros continentes, eis que resolvi ir visitar minha avó - que não via há anos - no Rio Grande Do Norte, aproveitei e estiquei para Paraíba e Ceará também. Foi nessa viagem (janeiro de 2016) que eu MORRI de vergonha conversando com vários gringos, porque eles conheciam o Brasil de cabo à rabo e eu ouvia aquelas histórias como se fosse algo muito distante de mim, sendo que eles estavam me ensinando sobre a minha própria casa! Daí acordei pra vida e percebi que o sonho de sair do Brasil, era mais dos outros do que meu, era mais pelas fotos maravilhosas que eu vejo na internet, do que por minha realização pessoal. Viajar para a Europa e os diabo a 4 deve ser da hora, mas imagina que loco poder contar/ensinar vivências do seu país para os estrangeiros? Vivências essas que te conectam sua sua ancestralidade e garanto: não há livro, vídeo ou foto que te ensine Brasil não é logo ali, nosso quintal é grande até umazora! Depois que eu fizer pelo menos mais uns 3 mochilões de 1 mês por aqui, vou poder dizer que conheço o básico desse grandão maravilhoso! Dito isso, juro que vou tentar ser breve, até porque nem tenho memória para descrever detalhadamente hehe Não sei se essa viagem foi muito cara ou muito barata, vou descobrir agora escrevendo o relato, mas creio que fui no level medium, nem hippie e nem turista CVC, to em algum lugar no caminho entre esses dois opostos. OBS.: COLOQUEI VIDEOS AO LONGO DA POSTAGEM, MAS NÃO FICOU ENCORPORADO, PODEM ABRIR O LINK QUE NÃO É VÍRUS HAHA. São vídeos com imagens dos locais. E no final da postagem esta incorporada a minha trilha sonora, aperta o play e só alegria 😍😄 ROTEIRO 01 a 06/08 - Travessia de navio entre Manaus e Belém 06 a 09/08 - Belém 10 a 15/08 - São Luís/Barreirinhas 15 a 18/08 - Jericoacoara 18 a 22/08 - Fortaleza/Canindé/Canoa Quebrada 22 a 26/08 - Salvador 26 a 30/08 - Recife/Tamandaré/Olinda PASSAGENS Comprei aquelas passagens por trecho pela Gol, eu nem sabia que existia isso, tava fuçando vendo preço de passagem (como sempre) e me deparei com essa opção no site e quase caí para trás de tão barato que ficou. Com uns 3 meses de antecedência, fiz a reserva das passagens e os trechos comprados foram: 01/08 São Paulo à Manaus 09/08 Belém à São Luís 22/08 Fortaleza à Salvador 30/08 Recife à São Paulo Desci para Salvador e subi para Recife porque a passagem de Fortaleza para Recife saia muito mais cara, então fui para Salvador primeiro. 🤙 Ia colocar preço por trecho, mas como perdi voo, fiz alteração e outras mil e uma trapalhadas com as passagens, ficou levemente complicado. O total pago com taxas de embarque inclusas e excluindo minhas vacilações, foi R$ 1.312,00! Vamos combinar que esse valor muitas vezes é ida e volta de São Paulo para alguma cidade do nordeste, ou seja, brilhei muito! 😜 CONEXÕES DE NAVIO/ ÔNIBUS Antes dos valores, quero dizer que durante a viagem descobri um detalhe sobre as compras de passagem de ônibus: eles incluem seguro de vida sem perguntar se você quer ou não, então sempre fale que você não quer o seguro incluso, já economiza uns reais na compra. Manaus à Belém - Navio, rede com ar condicionado - R$ 354,00 São Luís à Barreirinhas - Transfer - R$ 60,00. Barreirinhas à Jericoacoara - Carro privado/fretado - R$ 300,00 Jericoacoara à Fortaleza - Ônibus - R$ 63,85 Salvador à Recife - Ônibus - R$ 155,00 Recife à Tamandaré - Transfer R$ 80,00 BAGAGEM Alguns dos trechos de avião a tarifa era Light, ou seja, não tinha direito a bagagem despachada. Pra mim tudo bem porque eu sempre levo só a de mão pra não precisar despachar mesmo. Desta vez não foi diferente, levei apenas uma mochila com 7kg, então ainda teria mais 3kg se quisesse comprar algo Como só fui para lugares quentes, as roupas eram pequenas e os tecidos leves, levei tanta coisa que nem usei tudo, e as roupa que quis repetir só precisei passar uma água pra tirar a areia. Sempre levo uma canga grande ao invés de lençol e uma toalha pequena de rosto ao invés de uma de banho, já dá uma compactada legal! 15 blusas// 7 shorts/saia // 3 vestidos // 1 legging termica (em caso de frio) // 1 camisa de flanela // 1 toalha // 1 canga // 1 cardigan // 2 chinelos // câmera LSDR // kit higiene com roda parafernalha que temos direito e com mais de 100ml, que é o que dizem ser permitido na mala de mão// 1 livro // 3 óculos escuros. Meus documentos, cartões, dinheiro, gopro e celular levei numa pochete que não desgrudava nem pra dormir, inclusive fazia de travesseiro 😜 TRAJETO POR DIA. Manaus Dia 1- Embarque navio destino a Belém. Cheguei em Manaus por volta da meia noite e meia e me hospedei no Hostel Semear que fica no centro próximo ao porto - que seria meu destino no dia seguinte - a diária saiu R$ 25,00 (beliche, quarto compartilhado), o hostel é bem simples, mas é ok. Passei apenas a noite em Manaus, pois quando planejei a viagem seria as férias do meu trabalho e tinha 30 dias contados para todos os destinos, no fim saí do emprego e ficou assim mesmo porque já tinha comprado passagem, mas com certeza não é uma cidade pra se passar apenas 1 dia. Comprei a passagem da travessia Manaus-Belém pela agência Amazon Star por R$ 354,00 rede com ar condicionado, pela reação do atendente que recebeu minha passagem na hora do embarque, esse preço está pra lá de superfaturado! Antes de viajar conversei com uma menina que conheci aqui no fórum e ela disse que na semana consegue até por R$ 80,00. Como eu não achei muitas informações sobre preços e lotação do navio por internet, preferi comprar à distância e com bastante antecedência, mas se você vai passar mais de um dia em Manaus, com certeza pode deixar pra comprar quando estiver na cidade, desde que procure um local de confiança para comprar, pois na frente do porto fica cheio de ambulantes vendendo até a vovózinha. Acordei cedo e fui para o centro comprar rede, paguei apenas R$ 20,00 em uma rede simples, numa loja chamada Casa das Redes, esse preço dobra se deixar para comprar no porto. As cordas para amarrar comprei no porto mesmo, R$ 5,00 o par. Na hora de pagar a rede, vi que todo o meu dinheiro não estava na carteira, entrei em desespero, pois antes de sair do hostel havia contado o mesmo e deixado em cima da cama enquanto arrumava as minhas coisas. Deixei minha mochila na loja de redes e voltei correndo para o hostel, vasculhamos tudo, vimos câmera, mas nada do meu dinheirinho, fui embora triste, busquei minha mochila e fui para o porto, só maaais tarde foi que senti um incomodo nas teta (kkk) e quando fui dar aquela coçadinha básica, lá estava um bolo de dinheiro eeehehe QUEM NUNCA NÉ MENINAS?!?! O embarque era às 9h mas o navio só sairia ao meio dia, então garanti meu lugar da rede e aproveitei para ir aos principais pontos da cidade, Teatro, MUSA, Mercado Municipal etc, fica tudo pertinho. Voltei para o navio e o mesmo saiu do porto com 15min de antecedência e já estava bem mais lotado de redes. A impressão que tive é que eles vendem passagem sem ligar pra lotação (cerca de 800 pessoas), pois não ficou uma brecha sequer sem rede, muuuuito apertado e no meu caso, fui enganada ao pagar mais caro pela passagem de rede com ar condicionado, pois no navio Amazon Star, pelo menos dessa vez que fui, não tinha outra área de rede a não ser com ar condicionado @[email protected] A parte de baixo do navio estava com carga, pode ser que ali, em outras viagens, comporte rede também. Dia 2: Chegamos a Santarém por volta das 17h. Conheci algumas pessoas e fizemos amizade com as cozinheiras do barco, então conseguimos deixar nossas malas guardadas no camarote de uma delas e decidimos ir passar a noite em Alter do Chão, já que o navio só parte ao meio dia do dia seguinte. Da para chegar com ônibus de linha em Alter, pagando apenas R$ 3,00 a passagem. O trajeto demora em torno de 40 min, então quando chegamos lá já estava escuro e não conseguimos conhecer muita coisa e o único lugar com algum movimento era a pracinha principal. Comemos e fomos procurar um lugar baratinho para passar a noite, achamos um camping/redário chamado Jambu que conseguimos por R$ 40,00 uma barraca para 3 pessoas e uma rede, estávamos em 4, sucesso, R$ 10 pilas para cada! Acordamos cedinho e fomos para a praia, onde canoa cobra R$ 5,00 e lancha cobra R$ 10 para travessia até a ilha do amor, é bem pertinho da praia e a partir de setembro já dá para atravessar a pé, pois o nível da água baixa bastante, mas em agosto já começa a alta temporada. Para quem quer fazer a travessia de Manaus a Belém vale muito a pena comprar passagem de Manaus até Santarém e passar uns dias por ali e só depois seguir para Belém. Alter do Chão é realmente incrível e vale muito uns dias a mais. É um lugar bem rústico, do jeito que eu gosto, me arrependi muito não poder ficar mais! -Sobre os dias no barco. Não muda muita coisa a rotina dentro do barco, a riqueza desta viagem está justamente em ver os dias passarem, vendo a imensidão do Rio Amazonas e conhecendo muitas pessoas, é uma experiência única! Passando pelos portos das cidades, sempre tem ambulantes vendendo comida e foi deles que comprei todas as refeições. No barco o prato feito custa R$ 15,00 e o buffet (sem muitas opções além do que servem no prato feito) R$ 20,00, já com os ambulantes a marmita vem bem servida e custa R$ 8,00, em todos os lugares servem praticamente a mesma marmita, então é repetitivo. O gosto é bem caseiro e temperada sempre com Jambu, no começo estranhei um pouco, mas depois amei! Os banheiros não são 100% limpos, longe disso, mas se não tem tu, vai tu mesmo, dá pra encarar. Quer dizer, eu só encarei para o número 1, para o número 2, fiquei os 4 dias sem comer muito, pois sabia que se misturasse muita coisa, uma hora ia ter que sair hahaha então sim galera, fiquei 5 dias sem fazer o número 2, informação demais? Talvez, mas temos que falar das partes desconfortáveis também hahaha Não achei as tomadas tão concorridas assim, e dispensei comprar extensão (as tomadas ficam no alto), sempre tem alguém que te empreste ou você pode amarrar uma sacolinha no teto e colocar o celular dentro enquanto carrega. Apesar de parecer confiável deixar o celular carregando e se afastar do local, não faça isso, na minha viagem sumiram 4 celulares e eu só fiquei sabendo disso depois que já tinha largado meu celular carregando lá várias vezes...tive sorte. Nos portos é aconselhado que fique sempre perto das bagagens e rede porque o movimento é grande, além do que se você não fica na rede, quando voltar vai ter mais 10 redes ao seu redor e olha que já é bem apertadinho, mas sempre cabe mais uma! Não senti necessidade de repelente porque nos meus dias de viagem ventou muito - sem chance de algum pernilongo ficar ali - e o navio fica bem afastado das margens também. Durante à noite e de manhã faz bastante frio por conta do vento, leve um lençol ou uma rede grande o suficiente pra fazer um casulo, eu passei um pouco de frio apenas com minha canga. A parte mais emocionante da travessia é o último dia, quando as margens do rio finamente estreitam e podemos ver as comunidades ribeirinhas, aí é o dia inteiro de canoas e lanchas vindo até o navio para comercializar camarão, açaí, etc. Crianças, que não passam de 12 anos (as mais velhas), vêm até o barco de canoa para buscar doações. PQP na primeira “abordagem” de crianças, surgiram umas 30 canoas onde as crianças se aproximavam gritando e balançando os bracinhos - numa espécie de coreografia - para chamar nossa atenção, é uma cena SURREAL! As pessoas do navio lançam sacos plásticos contendo de material escolar à alimentos... MALUCO, chorei feito gazela descontrolada e como diria a minha mãe: é de arrepiar até os cabelos do cu hahah INDESCRITÍVEL! *** A rede que comprei por R$ 20,00 em Manaus, vendi pelo mesmo preço quando chegamos ao porto de Belém 😜 Não queria carregar peso, já que estava só no primeiro trajeto das minhas férias e sai oferecendo a rede dentro do navio mesmo e consegui vender, sagacidade pra viver, né mores?! VÍDEO: IMAGENS - AMAZONAS Belém Dia 1. Chegamos por volta das 6h da manhã, peguei um ônibus de linha (R$ 3,10) em frente ao porto - rumo a São Brás, onde me hospedei no Manga Hostel - e indico muuuito, ambiente confortável e super limpo, depois de 5 dias no navio, era tudo que eu precisava. Paguei R$ 135 em 3 diárias (cama em quarto misto). Nesse dia dormi a tarde toda, almocei acho que lasanha industrializada hihi e à noite fui para uma aparelhagem chamada Crocodilo porque sou rolezeira e também porque foi indicada como a aparelhagem do momento. A festa foi no Mauí e a entrada custou R$ 20, por ser domingo e eu ter chego tarde (mais ou menos 21hrs), estava relativamente vazio, me disseram que domingo lota mais cedo e que até as 18h a entrada é free, mas valeu a experiência! O som é tão alto que senti meu cérebro descolar da cuca, juro 😜 Normalmente em Belém tem festa de quinta à segunda! Dia 2 Honestamente, não gosto muito de metrópoles em geral, então vou contar apenas por cima o roteiro. Visitei o Mercado Ver O Peso logo de manhã e de lá segui a pé para o bairro Cidade Velha - que é logo mais a frente - e passeei pelas ruas do mesmo, onde há casinhas antigas etc. Fui andando sem perceber e quando vi já estava perto do Mangal das Garças, que estava fechado por ser segunda feira. Não indico ir a pé, é um calor infernal e cheguei lá morta, é bem perto do Ver O Peso, mas compensa os 3 reais do ônibus haha minha pressão até caiu com o calor! Todos os pontos turísticos estavam fechados, exceto pela Estação das Docas, voltei pra lá de perua clandestina, que custou R$ 2,50. Fiquei um tempo por lá e voltei pra almoçar no hostel. *** Eu não sou a turista gastronômica, pulo essa parte, morro de medo de me dar algum revertério no estômago e eu estragar a viagem. Além do que, não curto peixe de água doce, que é o forte da região. Tacacá não consegui me imaginar tomando aquilo quente num calor de 40 infernos. Açaí eu provei, mas prefiro o jeito fake que comemos em SP mesmo. Então, esse relato, basicamente, não tem dica nenhuma de onde comer. *** Depois do almoço peguei ônibus até a Praça Princesa Isabel, de onde saem os barcos para a Ilha do Cumbu. Perguntei o preço antes para uma moradora e ela informou que era R$ 5,00. Porém o intuído de quem atravessa pra ilha é ir em algum restaurante, eu achei que poderiam me largar lá e eu turistar por mim mesma, mas eu teria que ter um restaurante destino ou pagar para o barco me levar pra conhecer tudo. Eles cobram um absurdo pra isso e para a simples travessia, pelo que percebi eles também me cobrariam muito mais do que o normal, só pela cara de turista, então sempre se informem antes dos preços trabalhados nos locais, isso em todo lugar. Como eu já tinha almoçado e achei que não veria nada muito além do que já tinha visto ao longo do Rio Amazonas, não visitei a ilha. Dia 3 Acordei tarde e passei praticamente o dia todo no Mangal das Garças. Não quis ir pra Ilha do Marajó, porque só tinha 3 dias em Belém e pra lá, é bom você ficar pelo menos um dia. O bate-volta fica apertado, pois só tem Catamarã saindo as 7h e a única volta é as 14h30, estava R$ 48 e a travessia e demora 2h, eu já estava feliz com meus 5 dias num barco, passei sem remorso haha Como eu disse, não me animo muito pra ponto turístico de cidade grande, mas o Mangal das Garças é realmente lindo e você pode ver uns animaizinhos soltos, achei topper. A entrada no parque é gratuita, só paga para entrar nas atrações, R$ 5 cada atração (borboletario, viveiro, elevador etc) ... Em todos os lugares, TODOS, todo mundo me falava que era perigoso, não podia pegar no celular um segundo se quer que já vinha alguém me avisar pra guardar, já estava até dando raiva hahha Não me senti insegura em nenhum dos lugares, com excessão da Pça Princesa Isabel. Maaaas, se TODOS avisam, deve ser verdade, né? Eles dizem que a mulekada pega os celulares no pulo, eles devem brotar do chão, porque fiquei encucada com isso de me alertarem todo minuto. ... Apesar de não aparecer no Maps os itinerários dos ônibus para eu saber qual pegar (como em Manaus), achei fácil me locomover, todo mundo sabia dar informação e pelo que entendi os ônibus vão e vem com o mesmo nome, então só entrar, mesmo que ele for dar a volta inteira na cidade, uma hora chega no lugar que você quer. Bônus, dia 4. Meu vôo saía às 6h rumo a São Luís, mas meu despertador não tocou e perdi o bendito. >.< Não tinha vôo para os próximos 2 dias, então fui direto para a rodoviária e comprei passagem por R$ 162 para as 19h do mesmo dia. Fui pela Boa Esperança, ônibus ótimo! Tive que ligar na Gol para que não cancelassem o restante dos meus trechos, pois quando você compra nesse esquema de passagens por trecho, se você não comparece a um vôo, eles cancelam os outros automaticamente. Aproveitei o resto do dia para visitar a Casa das Onze Janelas e o Forte do Presépio (R$ 4 a entrada em cada) 🙂 ... Eu comprei passagem de avião de Belém para São Luís porque peguei no esquema de comprar trechos, então saiu super barato, mas não vale a pena ir de avião porque não existe vôo direto e as conexões em Brasília são sempre super curtas, tem aquela dor de cabeça e vai durar no mínimo 6h essa brincadeira. De ônibus a viagem dura 12h, mas você vai de boinha, sem se preocupar com conexão. São Luís Dia 1 Cheguei por volta das 7h30 em São Luís e peguei ônibus de linha até o hostel (em São Luís também não tem itinerários das linhas disponível no Google Maps), já dá pra perceber a diferença de estrutura da cidade comparando com Manaus e Belém, a frota de ônibus é beeem melhor e rola até um ar condicionado. 😜 Se não me engano a passagem custou R$ 2,50. Chegando ao hostel, passei um susto tremendo porque primeiro que era em um bairro periférico - até aí estranhei, mas ok - porém, chegando na Hospedagem São Francisco, só tinha homem na recepção e ao invés de me receberem e me entregarem a chave ali no balcão mesmo (como o comum em qualquer lugar), pediram pra eu entrar numa salinha e me fecharam lá com um senhor. Pra uma mulher viajando sozinha, isso já é mais que motivo pra entrar em desespero e o senhor não me explicou porque eu tinha que ficar ali fechada na salinha com ele e eu estava desesperada já! Eu perguntava porque estava ali e ele me falava pra ficar calma (apesar de aterrorizada, eu estava me demonstrando plena) e quando eu pedi para conhecer o hostel ele falou que "já já eu poderia", MANO DO CÉU, fiquei uns 10 minutos que pareceram uma vida naquela sala, já tinha mandado minha localização pelo whats, pedido socorro etc hahah mas pro meu alívio, não passou de "falta de tato" dos caras, eram apenas sem noção mesmo, MUITO sem noção. Paguei R$ 25 a diária e o quarto era privativo com ar condicionado e frigobar, ambiente limpo. A única coisa que visitei na cidade foi o centro histórico e fiquei admirada em como é bem cuidado e preservado, maravilhoso! Vale muito a pena visitar. Almocei num restaurante bem bonitinho chamado Dom Francisco, na Rua do Giz, comida gostosa e o kilo custava R$ 38. Voltei pra hospedagem e dormi das 19h até as 3h da madruga. 3h30 meu transfer para Barreirinhas foi me buscar, paguei R$ 60 (perdi o contato do cara, mas a faixa de preço trabalhado é essa mesmo). Barreirinhas Dia 1 Chegamos por volta das 8h e não marquei nenhum passeio para este dia. Tinha fechado pela Booking de ficar na pousada Parque dos Lençóis, pagando R$ 200,00 por 4 diárias. A pousada é limpa e confortável, fica afastada do centro então é bom pra quem quer sossego e mais contato com a natureza. De primeira eu adorei, porque gosto de coisas menos badaladas, mas como estava sozinha e sou esquecida, toda vez que precisasse ir ao centrinho teria que andar aproximadamente 2km ou pagar 5 reais em moto táxi e para andar à noite também não é legal porque não é muito iluminado. Por mais que a cidade não seja perigosa, melhor não contar com a sorte. ... Fiquei pelo centrinho tentando achar grupo para fazer o trekking de 3 dias para a travessia dos Lençóis, mas não consegui, desisti da ideia porque sozinha o custo é bem maior. Aproveitei e já procurei outro hostel, achei um que já tinha visto na Booking também e por coincidência, passei em frente e adorei porque fica na rua principal da cidade, a Beira Rio. Almocei no restaurante Barlavento que fica na Beira Rio e paguei R$ 48 num prato para 1 pessoa, mas é bem servido, come dois tranquilamente e é bem gostoso. À noite fui para o festival de Jazz e Blues que aconteceria durante todo o final de semana e tive a sorte de assistir ao show da Alma Thomas. ❤️ Não lembro de ter jantado 😜 Dia 2 Dormi na pousada Parque dos Lençóis e na manhã seguinte falei com o dono que não ficaria lá e pedi a devolução do dinheiro, ele não ia querer devolver dizendo que ia ter que pagar multa para a Booking 😒. Eu disse que se ele cobrasse a multa seria de 50 reais, então ele teria que me devolver ainda 100 reais, ele "concordou" e desconversou enquanto eu tomava café da manhã, eu ia para o centro procurar fechar passeio para a parte da manhã e então ele me ofereceu fechar pela agência parceira deles. Eu deixei bem claro para ele que a agência teria que aceitar débito porque fui pra Barreirinhas sem sacar dinheiro (NÃO COMETAM ESSA BURRICE!) e que usaria os 100 reais que ele me devolveria para me alimentar durante o passeio. Quando o carro da agência chegou para me buscar e fui pegar o dinheiro com ele, ele disse que estava sem dinheiro e que me devolveria na volta e me assegurou que onde eu ia aceitava débito para poder comer, me deu apenas 15 reais para alguma urgência. -corta para o passeio- A agência foi a São Paulo e o dono da pousada me passou o preço de 80 reais, mas se fechar direto com a agência custa 70 reais. O passeio foi o que vai em Vassouras, Caburé e Farol Preguiças, recomendadíssimo! Saímos às 8h30 e fomos de voadora para Vassouras, seguindo pelo Rio Preguiças a vista é linda mas a lancha balança que só a porra, quem tem problemas de enjoo, vai enjoar 😜 Em Vassouras é onde conseguimos ter contato com macaco prego (*vomitando arco-íris*) e tem o que chamam de pequenos lençóis, onde tem algumas dunas e lagoas. De lá seguimos para o Farol Preguiças onde tem uma vila com artesanato local e tem até cachaça de Marijuana, custa 90 pilas mas se souber negociar leva por 45, descontão né? A cachaça é boa, provei porque uma menina que foi na mesma voadora que eu comprou e já matamos a garrafa eeeehehehe A última parada é na praia de Caburé, onde almoçamos. Um menino que estava no meu grupo também, conseguiu desconto de 20% no total da conta para 9 pessoas, pedimos 3 pratos que deu pra todos comerem de boa e deu 26 reais pra cada. Essa parada eu quase não aproveitei porque não estava com dinheiro e estava sem sinal para débito, tive que ficar esperando pra ver se conseguia pagar, no fim pedi o Wi-Fi do restaurante e fiz transferência bancária para o gerente @[email protected] Voltamos para Barreirinhas e quando fui pagar o passeio na agência eles me informaram que estava combinado de pagar na pousada, (onde não aceita débito) OU SEJA, dos 100 reais que o cara da pousada, 80 era do passeio e 15 reais ele tinha me dado antes de sair pro passeio, sendo que eu deixei bem claro que estava sem dinheiro e iria pagar na agência porque aceitava débito. Na hora não quis reclamar, mas me arrependo, to com ódio daquele cara hahahaha bom, ele me devia 5 reais ainda e adivinhem?!?! ELE NÃO TINHA NEM 5 REAIS PRA ME DEVOLVER O M-E-U DINHEIRO, sai de lá às pressas porque o transfer da agência estava me esperando pra me dar carona pro centro e tão P da vida que nem fiz questão dos 5 reais. Me hospedei no Hostel da Júlia que fica bem na Avenida Beira Rio, uma maravilinha. ❤ A noite encontrei com a mesma galera que conheci no passeio e jantamos pizza no Barlavento, deu R$ 23 reais para cada (8 pessoas). Após jantarmos, ficamos no festival de Jazz, quem fechou a noite foi a incrível Annika Chambers, PQP QUE MULHER! Dia 3 Acordei cedo e fui até a agência São Paulo para ver outros passeios, fechei o para a Lagoa Azul, que sairia às 14hrs, por R$ 70,00. Não fiz nada na parte da manhã e não faço a menor idéia de onde almocei este dia haha O caminho até a Lagoa Azul demora uns 50 minutos e é modo hard o tempo todo da trilha, fui no banco do canto e levei algumas galhadas na cara, mas nada grave, só não seguir meu exemplo de ir "moscando". Os guias da agência São Paulo são ótimos e sempre escolhem os lugares menos habitados de turista para pararmos, é bem cansativo este passeio pois descemos e subimos dunas o tempo todo, passamos por 3 lagoas, uma é diferente da outra, não dá pra enjoar ❤️ Ficamos até o pôr-do-sol e na volta enfrentamos uma fila enorme para conseguir atravessar a balsa, se eu tivesse lembrado que era tão perto do centro, teria deixado o carro pra trás e ido a pé. Tive a sorte de fazer esse passeio com umas coroas cearenses e, rapaz, fui GARGALHANDO do início ao fim do passeio, cada saculejo da 4x4 era uma piada, amei e adorei! Minha intenção era ficar na Beira Rio mesmo para curtir o último dia do festival, mas acabei indo com o grupo das cearenses para um restaurante mais chiquezinho e afastado do centro, o Babaê, o espaço é maravilhoso, comi um hambúrguer e minha conta deu (incluindo umas cervejas) uns R$ 60. Lá tem um pier com acesso para o Rio Preguiças e durante o dia o pessoal nada por lá, o espaço possui uma pousada também, bem legal. A parte ruim de ter ido pro restaurante mais afastado é que não encontrei meus amiguinhos do primeiro passeio que era uma galera MARAVILHOSA, como a gente se encontrava direto sem marcar nada, marcamos de nos encontrar esse dia, mas acabamos não nos vendo mais e eu não peguei contato de ninguém e no dia seguinte eles iam embora cedinho D; MIGOS DE SÃO LUÍS PARA SEMPRE EM MEU CORAÇÃO ❤️ Dia 4 Depois do passeio do dia anterior eu tava era morta, maaaas fechei com a mesma agência o passeio para descer de bóia o Rio Cardosa na parte da manhã e para a Lagoa Bonita na parte da tarde, os dois por R$ 130,00. O passeio do Rio Cardosa é bem de boa, pra relaxar mesmo, indico que seja feito depois de todas as visitas aos grandes lençóis, que aí fica jóia demais. Voltando de Cardosa, só deu tempo de me arrumar rapidão e comer um lanche no Subway, logo depois o 4x4 para a Lagoa Bonita chegou. O caminho até a Lagoa Bonita é no mesmo esquema que para a Lagoa Azul, só que demora de 30 a 40 minutos. Chegando lá, de cara você encara a subida de uma duna que meu amor, é para pagar todos os pecados! A dica é ir pisando onde já pisaram antes, assim você vai subindo como se fosse escada ao invés de um pisão pra cima e sete deslizamentos para baixo.Comparo a experiência como tentar subir uma escada rolante que está descendo hahaha Quando passa os minutos de terror da subida, "JESUS CHRIST" foi a expressão em unisono da turma, que define maravilhosamente o alívio de ter subido tudo e a surpresa com a vista. ESPETACULAR, esse é o passeio em Barreirinhas onde se tem uma visão mais panorâmica dos Lençóis e consegue ter noção da dimensão daquele bicho, coisa mais linda da vida! De novo nosso guia nos levou até uma lagoa sem turistagem, estava apenas nosso grupo e mais umas 4 pessoas aleatórias, do jeito que nóis ama 😎😍 Voltando do passeio tivemos a sorte do nosso carro já ir na próxima balsa, ótimo porque já estava quase chorando pedindo colo de mamãe de tanto cansaço, pra terem uma idéia, consegui DORMIR na trilha de volta, com todo o balanço e saculejo. Jantei no Hot Dog Do Jânio, um lugar bem simples que vende dogão (obviamente) e massas. Pedi um espaguete com uma ruma de ingredientes para 1 pessoa e juro, dava pra comer umas 3 pessoas de tanta coisa e não paguei mais que R$30. Dia 5 Eu escolhi encerrar os Lençóis por aqui e não ir em Atins ou Santo Amaro, apesar de ter certeza que fazem muito mais meu estilo do que Barreirinhas, fica para a próxima. A areia dos Lencóis é fina até umazora, ela se entranha nos lugares mais improváveis de seu ser, acho que pro resto da vida acharei areia de lá em mim 😜 Aqui aproveito para falar do Hostel da Júlia, o local é novo e o dono se divide entre cuidar do hostel e de uma agência de turismo, então os dias que fiquei lá eu era a única hóspede e ele NUNCA estava lá, só sabia que ele passou por lá porque de manhã o café estava posto, e só. Ele deixava a chave da recepção comigo e ia pra agência resolver b.o. Paguei o preço de uma cama em quarto compartilhado para usufruir de uma casa só pra mim hahah O Hostel é simples mas bem organizado e com ótima localização e apesar do dono ser fantasminha, é gente boa pra caramba. Meu destino seguinte era Jericoacoara, não estava em meus planos então não pesquisei como seria a locomoção até lá, mas em Barreirinhas me informei com diversas fontes e com todas cheguei a uma conclusão: que lugar uó de se chegar! De Barreirinhas eu teria que pegar uma kombi até Paulinho Neves (saída diária às 7h em frente ao Banco do Brasil), de Paulinho Neves um ônibus até Parnaíba, de Parnaíba provavelmente não teria ônibus para o mesmo dia e teria que pagar diária em algum lugar lá, de Parnaíba pegar outro bus até Camocim e de lá uma 4x4 até Jeri, Jesus Amado, quem me conhece sabe que a chance deu fazer muita merda nesse trajeto é de 100%, passo. O valor dessa treta toda não seria tão abaixo de R$ 300, que é o valor que os carros particulares cobram, colocando na balança, não vale a pena a pequena economia, a não ser que você esteja com o dinheiro contadinho. Esbarrei com o carro do Luis Gonzaga na rua e foi só fechamento 😎 Zaga me buscou no hostel às 10h e eu já tinha escrito um bilhete pro dono da pousada com meu número de telefone para que ele me passasse o número da conta pra eu poder pagar a estadia, quando eu estava fechando a porta ele chegou e consegui pagar antes de ir embora 😂 ô bicho véi doido! O Zaga fez o trajeto rapidinho, em 5 horas e meia, isso porque uma ponte no caminho estava em manutenção e pra minha sorte (e ele ficou puto) tivemos que dar a volta por uma estrada de terra alternativa, onde passamos por alguns povoados do sertão piauiense, eu vi de sertão a perder de vista à escolas que se resumiam a uma sala de aula menor que meu quarto, e estava tendo aula ❤️ Eu super recomendo o Sr. Luis Gonzaga que faz esse trajeto há mais de 20 anos, a única coisa que ele quis dar de espertinho foi que assim que entrei no carro ele disse que me levaria até Jijoca e de lá eu poderia pegar o "táxi" até Jericoacoara por R$ 20: "-OXI tô pagando 300 reais e ainda vou ter que pagar mais 20?!?! Não senhor, vc vai me levar até Jericoacoara. -Ah tudo bem, levo sem problemas, é que tem gente que não se importa" Tudo resolvido, mas às vezes é chato carregar essa cara de trouxa, sabe? 😜 Contato Luis Gonzaga - (85) 9 9981 5168 // (85) 9 8802 0428 IMAGENS NORDESTE Jericoacoara Dia 1 Cheguei por volta das 16hrs em Jeri e fiquei no Trip Bar Hostel, um lugar bem simples, muito diferente de todo restante da Vila, que é carérrima! Paguei R$ 150,00 por 3 diárias e o dono do hostel é ótimo, e ao longo da minha estadia me deu várias dicas para fugir do “turismo CVC” haha. Fora o café da manhã que é TOPISSIMO. Só cheguei e já fui para a praia, achando que ia dar de cara com águas esmeraldas e redes que fazem um cenário paradisíaco, coitada de mim, tamanha decepção quando vi a Praia de Jericoacoara, cheia de merda de cavalo e turista farofeiro, nada contra, até tenho amigos farofeiros heheh Subi a Duna do Pôr do Sol e não via a hora que o sol fosse embora logo, porque a duna estava uma bagunça de tanta gente e ventando pra porra, a areia vinha de todos os lados e mal dava pra olhar para o sol, uó hahaha Já deu bem pra perceber que a minha primeira impressão do lugar não foi das melhores, né? Jantei num restaurante chamado Bistrogonoff que fica no Beco do Forró, o paro para 1 pessoa, também serve 2. Paguei R$ 68 num prato diliça demais! Obs: Em Jeri eu comecei a “abrir a mão” e gastar mais, apesar da Vila ser muito cara, você acha opções baratíssimas tranquilamente, tem PF de 10 pilas. Dia 2 Fechei passeio com a Scooby Tur para o lado leste de Jeri por R$ 50,00, onde inclui Pedra furada, Árvore da Preguiça, Lagoa do Paraíso e Lagoa Azul. Nosso guia sugeriu que não fossemos à Pedra Furada (porque é só uma pedra) e assim poderíamos aproveitar mais as lagoas, aceitamos a sugestão e partimos turistagem. A primeira parada é na Árvore da Preguiça onde os mais empolgados fazem aquela filona pra tirar foto com uma árvore deitada, desculpa se pareço chata, mas essas atrações “pega turista” não me impressionam 😜 Seguimos para a Lagoa do Paraíso, mais uma vez, o guia nos sugeriu de apenas passar pelo Alquimista (o ponto de apoio mais badalado da Lagoa) para tirar foto, porque tem uma bela estrutura, mas de lá irmos para outro restaurante que é mais barato e dá acesso a mesmíssima lagoa, linda e maravilhosa. Eu achei sensacional esse guia, pois ele teve o discernimento de preferir apoiar um negócio local, mesmo que se ficássemos no Alquimista a comissão dele seria maior, porque lá é absurdo de caro. O Alquimista foi criado por um gringão, Francês se não me engano, e o cara tomou conta de lá praticamente, porque fez uma estrutura bonitona e pá, então todo mundo só quer ir para lá. O cara desmatou uma área enorme da região porque queria fazer um resort com uma piscina de não sei quantos metros, daquelas de efeito infinito de frente para a Lagoa que por si só já basta e basta pra caralho né?! A boa notícia é que ele foi barrado e pagou uma multa milionária por conta do desmatamento. Se não me engano o ponto de apoio que ficamos foi a barraca Boa Esperança, isso é o que lembro, posso estar viajando hahah E paguei R$ 72 num prato enorme também. Tudo é caro em Jericoacoara, mas tudo é muito gostoso também, vale a pena, ainda mais se você não come que nem formiga, porque no meu caso foi desperdício atrás de desperdício ;S Voltamos para a Vila por volta das 16h30 e a “Caminhada Ecológica” que vai para a pedra furada todos os dias já estava rolando, segui o fluxo e no meio do caminho passamos pela Praia Malhada, linda e vazia, então desisti de ir pra pedra furada e fiquei caminhando por ali mesmo, dá até pra ficar peladão de tão vazia e foi isso que fiz! hahaha O dono do hostel já tinha me dado essa dica para ver o pôr-do-sol, então subi o que eles chamam de serrote, que é uma “montanha” com grama curtinha, que fica ali mesmo na Praia Malha e dali vi um pôr-do-sol bem mais agradável, sozinha, longe de barulho, só eu me conectando com meu eu interior *GRATIDÃO* \sarcasm Dia 3 Fechei com a mesma agência para o lado Oeste, por R$ 60,00, dez reais mais caro porque tem balsa para atravessar, inclui Praia de Mangue Seco, Dunas, Esquibunda, Velha e Nova Tatajuba e Passeio para ver Cavalo Marinho. Esse lado é bem mais legal que o leste, apesar da Lagoa do Paraíso ser a mais bela dentre as belas, tem mais paisagens lindas e tal. Ai num sei que, fomos nos lugar tudo e tal, da hora mesmo. Exceto o do cavalo marinho que agora eu passaria, a gente vê os bichinhos numa garrafa de água e não mergulhando em seu habitat natural ou coisa assim, então nada de extraordinário, além do que o guia disse que aquela região tinha vários e vários cavalos marinhos, mas quanto mais eles pegam, mais some, porque apesar de serem devolvido, dificilmente eles conseguem se prender de volta lá nas raízes e acabam sendo levados pela correnteza… uó né?! Então deixa os bicho lá me paz. Para descer de jacaré nas Dunas você paga R$ 10 e tem direito a três descidas, tá ótimo porque você nem aguentaria subir a duna mais que 3 vezes mesmo 😜 Paramos para almoçar numa lagoa, longe da farofada de turista, só tinha nosso grupo, a barraca era bem barraca mesmo, não sei nem onde o povo faz comida ali, porque era minúsculo, não sei o nome do lugar, porque não tinha nome escrito. Para o cardápio o cara traz uma bandeja de peixe morto, uns bicho grande mesmo, cardápio ao vivão, quer dizer...nem tão vivão assim @[email protected] Como eu não aguentava mais comer peixe e camarão, pdi só baião de dois com fritas e ainda assim paguei uns R$ 58,00 Dessa vez, preço total injusto porque era arroz, feijão e batata frita,sabor comida amadora, porran! Fui para o bar e restaurante Samba Rock à noite, um bem badaladinho, que tem música ao vivo etc. Dia 4 Estava na dúvida ainda se ficaria mais em Jeri ou iria mais cedo para conseguir passar na casa da minha vó no sertão de RN, a logística era péssima, os dias eram poucos, mas o coração bate forte né? Decidi ir embora rumo à minha casa! O Luís Gonzaga já havia me dado a dica de não comprar passagem de Jericoacoara para Fortaleza e sim de Jijoca, pois comprando direto você paga um valor há mais sendo que vai de 4x4 até Jijoca de qualquer jeito. Então comprei a passagem de Jijoca para Fortaleza por R$ 43 e paguei R$ 20 no “táxi” até Jijoca, nessa brincadeirinha se economiza uns R$ 30. Como Jericoacoara não me cativou, ficou fácil passar outras vivências na Vila. É maravilhoso? É maravilhoso É demais? É demais É tudo isso e um pouco mais? Talvez. Acho que gostaria mais de lá em outra viagem, acompanhada, pra zueira mesmo, achei a Vila uma farofada só, muita gente, muito turismo CVC, ambulante brotando do chão, muuuuito diferente de Barreirinhas, onde não se vê ninguém te empurrando mil coisas, nem no centrinho, muito menos nas Lagoas! Tinha grupo de gringos que passavam a-t-e-r-r-o-r-i-z-a-n-d-o com aquelas caixas de som enormes da JBL, cantando alto, aquele clima maravilhoso de carnaval. À noite a Vila é bastante animada, com várias opções de barzinho e restaurante, todo dia tem uma baladinha diferente, com noite do reggae, forró, samba, dependendo do dia da semana, mas por uma nova lei que havia sido instaurada 1 ou 2 semanas antes deu chegar, as festas e bares só podem ficar abertos até as 2hrs da madruga e a venda de bebida alcoólica é proibido após esse horário, mas claro que sempre tem como burlar isso. É lindo demais, sem dúvidas, mas eu estava levando um ritmo de viagem mais sussa e quando cheguei lá foi aquele choque de realidade que não faz muito meu estilo, sozinha então, piorou. 🙂 SORRY MUNDO. Fortaleza Dia 1 Cheguei final da tarde e fui comprar a passagem para Uiraúna, cidade mais próxima de onde meu avós moram, porque para Luís Gomes não tem ônibus direto. Eu estava certa que estava tudo certo, mas as passagens estavam esgotadas ;( Tinha visto o site de manhã e estava bem vazio o bus, não consegui comprar online porque estava dando erro no site, fiquei bastante #chateada, mas fazê o que, né?! Não dava pra esperar e ir no outro dia porque é longe e eu teria que estar em Fortaleza dia 22, então sem chance. Achei uma hospedagem, pedi uma pizza e boa noite. Dia 2 Fiquei hospedada a um quarteirão da Praia do Futuro, na pousada Piatto Di Glória, paguei R$ 360 em 4 diárias em apartamento privativo com fogão e geladeira. Fui dar uma volta na Praia do Futuro e almocei na famosa barraca Croco Beach, comi no buffet mesmo e minha conta acho que não passou de R$ 50 com bebidas. Depois disso fui até a Rodoviária e comprei passagem para Canindé, no dia seguinte. Jantei o resto da pizza do dia anterior e já eras. Dia 3 Peguei o bus para Canindé umas 08hrs, a viagem dura umas 2hrs. Não tem nada de especial em Canindé, mas quis ir pra lá porque era a cidade sertaneja mais próxima de Fortaleza e foi assim que achei um jeitinho de me sentir um pouco na casa da minha vó, apesar de lá ter 80 mil habitantes e Luís Gomes ter só 8 mil hehe. Acho que em 3 horas eu já tinha rodado e visto os pontos principais da cidade toda! hahaha Consegui ir num engenho de rapadura, fui até a estátua de São Francisco, o padroeiro da cidade, até a Catedral e uns Museus. Canindé é bem conhecida e turística por ser uma cidade onde ocorrem vários eventos religiosos e muitos romeiros passam por lá, é uma espécie de Aparecida Do Norte (Em São Paulo), onde as pessoas vão rezar, pagar promessas etc. Havia comprado a passagem de volta só para o final da tarde, mas consegui antecipar com facilidade. Voltei tão cedo que almocei em Fortaleza, dei uma de metropolitana (que sou) e fui para o Shopping comer no Outback. Acho que não jantei esse dia, vai ver ainda tinha pizza hahahaha Fechei passeio para o dia seguinte com a pousada mesmo. IMAGENS CANINDÉ Dia 4 Eu não queria fechar passeio turistão, queria apenas um transfer que me levasse até Canoa Quebrada. Na pousada o transfer para Canoa custava R$ 55 (não sei o nome da agência), mas não tinha mais vaga, então o cara me vendeu o passeio para conhecer 3 praias em um dia, claro que era cilada, já que Canoa não é tão perto assim, obviamente o tempo ficaria apertado, mas eu aceitei, ele fez o mesmo preço que seria para Canoa. O passeio é tão apertado que eu nem sei qual a segunda praia que eu conheci hahaha só sei que fui para Morro Branco e Canoa Quebrada. Eu não gostei do passeio de cabo à rabo, o carro parou em mil lugares “pega turista” para que a gente comprasse coisa, cheio de gente tirando foto de você sem você querer, depois vem com aquelas lembrancinhas pra te vender, paramos em MIL lugares assim, o que aperta ainda mais o roteiro. Chegando em Morro Branco, nisso eu assumo a minha culpa, a mulher vende o treco tão bem que a gente compra sem nem perceber hahaha Comprei o passeio de buggy por R$ 60,00 e fui ver as 12 cores de areia de lá e num sei que lá. Ao invés disso eu poderia ter ficado na praia do Morro Branco de boinha, veria as areias de todo jeito e curtiria mais, porque no passeio de buggy a gente só passa pela praia, não tem parada para banho, WTF?! Em Canoa Quebrada, acho que teríamos menos de 3 horas lá e o ponto de apoio da agência era num lugar caro e super longe do ponto principal de Canoa, onde ficam as falésias e é próximo da Broadway e eles ainda queriam vender outro passeio de buggy para ir conhecer esses lugares que falei. ACHEI QUE NUNCA SERIA TURISTA CVC, FUI TURISTA CVC 😜 Pois só de raiva fui andando até lá, gastei meu tempo praticamente nisso porque demorei meia hora pra ir e meia hora pra voltar, andando pela praia. Cheguei na Broadway e estava praticamente tudo fechado, era segunda feira acho, mas o Ibiza, hostel e restaurante que me hospedei na última viagem para lá, estava aberto e almocei lá, devo ter gasto uns R$ 50. Uma das coisas que gostaria de fazer em Canoa era o vôo de parapente, pois a última vez que fui, estava com pouco dinheiro e fiquei na vontade, mas chegando lá, os vôos que vi não pareciam tão emocionantes como os da última férias, o vento estava fraco e acabei deixando pra lá. Fiquei um pouco pela região das falésias e já era hora de voltar, 15h30 nosso transfer saia. Nesse dia não jantei também, devo ter comido alguma bolachinha e pronto. No dia seguinte, meu vôo para Salvador, sairia às 10hrs. Salvador Tenho uma amiga que está estudando na UFBA e morando em Salvador, então a Residência Universitária da UFBA foi a minha hospedagem nos dias em que fiquei por lá Bom, aqui não gastei com hospedagem e quase não gastei com comida, porque minha amiga e o namorado dela dividiram o “bandeijão” deles comigo. Bandeijão é tipo comida do Bom Prato, bem gostosa, mas a longo prazo deve matar 😜 hahaha (é o que os universitários dizem, que é veneno) A residência é um casarão histórico, dentre tantos outros do Corredor da Vitória, então pra mim foi um presente poder ficar lá porque AMO construções antigas! Não vou detalhar o que fiz dia a dia porque só fui nos pontos principais da cidade e segui a rotina da minha amiga, usei ônibus mesmo, em Salvador tem os itinerários de ônibus no Maps, então é de boa. A essa altura da viagem eu já havia diminuído bastante o ritmo, então não passeei tanto. Uma das coisas diferentes que tive o prazer de conhecer, foi justamente ficar na residência universitária, onde do quintal temos acesso à Baía de Todos os Santos. Tem um escadão no quintal que dá acesso a praia de Shangri-Lá, essa localização vocês não acham no Google! Haha O Local era muito frequentado por estudantes e artistas durante a Ditadura Militar, foi um palco de resistência e lá como ficava escondida, eles podiam fumar e beber sem que fossem banidos pela polícia. Reza a lenda que quem nomeou a praia como Shangri-Lá foi Caetano Veloso, um dos frequentadores do local :)) Salvador é maravilhoso, “você sente que é diferente”. ❤️ IMAGENS - SALVADOR *** Tive mais um perrengue básico de transporte. Comprei a passagem até Recife pela viação Kaissara e custou R$ 155,00. A saída estava marcada para 19h15 mas como era “ônibus em trânsito” esse horário não era tão exato e pra piorar na passagem não tinha a plataforma exata que o ônibus iria estacionar, podia ser entre as plataformas de 30 à 36. Cheguei na rodoviária às 17 hrs (paguei R$ 20 no Uber até lá), deu 20 hrs e do meu ônibus chegar, até que fui pedir informação e fui surpreendida com a informação que Kaissara é a mesma coisa que Itapemirim e já havia passado dois ônibus da Itapemirim, mas eu estava aguardando um ônibus escrito Kaissara, então quando esses passaram nem fui checar pra onde estavam indo @[email protected] Eu era obrigada a saber que as duas empresas são uma só? Me ajudem aqui a descobrir se sou burra ou se a vida gosta de me trollar, por favor 😜 O guichê da empresa já havia fechado na rodoviária e o fiscal de ônibus já tinha ido embora também. Liguei para o guichê de Feira de Santana pra xingar muito no twitter, desabafar mesmo e tentar resolver minha situação. Só teria ônibus saindo de Salvador no dia seguinte, mas o atendente me disse que conseguiria uma vaga pra mim no ônibus que sairia naquela madrugada de Feira de Santana, às 2hrs. Não consegui que eles me reembolsassem o valor que gastei na passagem até Feira, mas de qualquer forma gastaria quase o mesmo indo e vindo pra rodoviária no dia seguinte, então engoli o sapo e preferi ir pegar o bus em Feira. Paguei R$ 25 na passagem até Feira e cheguei lá por volta das 22h30. O atendente me recepcionou na rodoviária e na verdade o ônibus não passaria por lá, eu teria que ir até a garagem da viação onde um ônibus vindo de SP com destino ao interior da Paraíba, passaria para a troca de motoristas. Para isso o atendente me enfiou num carro comum, sem identificação da empresa com mais dois homens estranhos que me levariam até lá. Eu tinha duas opções, confiar no Bruno (atendente) que parecia mesmo uma pessoa de bem ou voltar pra Salvador. Segurei na mão de Deus e entrei no carro. Bom, tô escrevendo esse relato, sinal que tô vivinha da Silva e não sofri nenhuma violência. Tinha mais algumas pessoas na garagem aguardando outros ônibus e aguardei o meu ansiosamente. Entrei no ônibus e parecia excursão para Aparecida do Norte (SP) de tanto véio que tinha (idosos, para os politicamente super corretos ;P). De manhã fui acordada por um coral de véias cantando hinos evangélicos e pqp que coisa emocionante, pelo menos pra mim foi, pois me teletransportei para o ano de 1997 onde fiz minha primeira viagem para o nordeste. Três dias num ônibus, muita farofa de frango e um rádio a pilha tocando o CD lançado naquele mesmo ano, com hits como “Cada Volta é um Recomeço”. Foram minutos que fizeram minha mente viajar nas lembranças mais lindas de infância e chorei. O problema de chorar foi que as senhorinhas (coisas lindas meu deuso) acharam que eu estava pronta pra “entregar minha vida a Jesus” hahahah O clima do ônibus era exatamente igual ao de 1997, 3 dias num ônibus e as pessoas já são comunidade. Parece que toda cagada que o destino me prega, ele me traz uma pequena recompensa depois, estar nesse ônibus foi a recompensa da vez ❤️ 🎵“Como um sonho, como um rio deságua em mim, eu me entrego como alguém que está no fim. É minha vida. É o vento que varreu a tempestade, é a chuva que molhou minha saudade. É minha vida.”🎵 VIDEO - SENHORAS CANTANDO Recife Dia 1 Sai da casa da minha amiga em Salvador no dia anterior por volta das 16hrs e cheguei em Recife umas 15hrs, faça a contas de quão morta eu estava. Minha hospedagem da vez foi o Hostel Piratas Da Praia, paguei uns R$ 180 em 4 diárias e foi o lugar mais legal que fiquei nesta viagem! O local é super legal e eles realmente prezam pelo relacionamento entre os hóspedes e o clima super ajuda a fazer novas amizades. Fica à um quarteirão da beira mar, perto da Praia de Boa Viagem e Praia do Pina e embaixo do prédio onde fica o hostel tem um Pão de Açúcar Minuto, muito útil já que no hostel não é servido café da manhã. Como estava morta de cansaço, só sai pra comer, supondo que acharia vários restaurantes na beira mar, mas só tinha quiosque, a avenida é tomada por prédios, não tinha um restaurante se quer no raio de 1 km de calçadão. Descobri que o metro quadrado ali ficou muito caro e por isso os restaurantes migraram para avenida de trás do hostel 😜 Comi um lanche no Laça Burguer, paguei R$ 30 num combo. Dia 2 NÃO FIZ ABSOLUTAMENTE NADA ALÉM DE DORMIR. Eu tava era morta, tô falando sério 😜 Mentira, dei uma voltinha-inha-inha pela Praia de Boa Viagem. Não lembro onde comi esse dia, mas tenho certeza que foi bem pertinho do hostel. Gastei uns R$ 80 em alimentação durante este dia. Dia 3 Ainda estava cansada, mas me forcei a fechar transfer para a Praia Dos Carneiros, fui de transfer pq queria o mínimo esforço 😜 não sei quanto custa a passagem de bus até Tamandaré, mas a rodoviária em Recife fica extremamente afastada, no meio do mato, então evitei a fadiga. Paguei R$ 80 no transfer e me certifiquei que era só transporte MESMO e que não cairia novamente num passeio estilo CVC. O ponto de apoio foi a barraca Bora Bora que tem uma ótima estrutura, mas antes de consumir ali fui ver se tinha algo mais em conta pelas redondezas e não tinha nenhuma outra barraca perto, apenas pousadas. Caminhei uns 15 minutos até a famosa igrejinha e por lá fiquei até a hora do almoço. Voltei pra almoçar na Bora Bora mesm e deu R$ 68 com bebida e nada demais. Não fechei o passeio de catamarã porque queria curtir a praia (que é um paraíso), mas vi que o preço era R$ 75 dai eles te levam até piscinas naturais e tal. Perto da barraca tinha uma piscininha e depois do almoço fiquei por ali mesmo. A cocada que vendem na praia é coisa de outro mundo, delícia demais! Quando voltei pro hostel ainda tive pique pra sair com o pessoal do hostel. Fomos à Galeria Joana D’Arc, point da cena alternativa e galera descolada, era noite especial vinil, me senti muito na noite de SP, espaço bem legal, um camarada resolveu pagar a conta quase toda sozinho, então o restante pagou 35 reais, estávamos em 6 e um deles era funcionário do hostel, ou seja, todo mundo faz amizade com todo mundo, MESMO :D. A cerveja é carinha e todo o resto também haha mas nada absurdo e é bem bacana! Dia 4 Acordei cedo e fui até Olinda de Uber, R$ 30 pra ir e mais 30 pra voltar. Dá ora ir com ônibus de linha, acho que custa R$ 15 a passagem. Andei tudo por lá, fantástico! Muita coisa legal pra comprar etc Me senti um pouco em perigo, além dos avisos de cuidado, as ladeiras estavam realmente bem vazias. Na volta fui pra orla pegar o Uber de lá e o bairro ali era mais barra pesada, logo depois de me avisarem isso e botarem medo, parei desesperada para solicitar o carro quando ecoou o grito de “FILHO DA PUTAAAAAAAA”, meu coração parou, os pássaros voaram e um pneu cantou… uma mulher tinha acabado de ser roubada. Dois rapazes roubaram o celular da mão dela, ela estava de carro e foi atrás dos caras, eu olhei para os dois que estavam atrás de mim e eles disseram alguma coisa que não entendi, sai vazada. Fui pra avenida e peguei o Uber de volta ao hostel. Almocei no Laça Burguer de novo, que durante o dia serve almoço também, paguei R$ 35. Meu vôo saiu às 18h30 e o Uber até lá custou R$ 15,00. O aeroporto é bem localizado e você não terá grande esforço para chegar lá, independente do transporte que escolher. Não usei ônibus em Recife e na verdade nem conheci a cidade, então não posso opinar muito. Tava me sentindo uma mochileira mequetrefe já que nunca havia feito uma viagem de tantos dias e no final joguei muito a toalha, fui derrotada pelo cansaço, mas conversando com outros viajantes mais inexperientes eles disseram que é assim mesmo, escolhi acreditar nisso e não me culpar por não ter andado tanto em Salvador e Recife hihi *** ACABOU Mesmo sendo cansativo, se quando eu soubesse que estaria desempregada quando comprei as passagens, estaria pelas bandas do nordeste até agora, lá é meu lugar no mundo, nem preciso conhecê-lo pra saber disso (mas farei esse esforço de viajar para outros países, vai!). NORDESTE ME AQUECE ❤️ Sobre ser uma mulher viajando sozinha, eu senti muito medo em várias situações, as perguntas “onde está seu namorado?”, “você está sozinha?”, e a mais assustadora vindo de Ubers “tem alguém te esperando?”, são constantes ora por falta de noção, ora por maldade, nunca se sabe né?! Eu escolhi não mentir nas respostas como aconselhado na maioria de relatos de viajantes sozinhas e sabem por quê? Porque estou disposta a enfrentar o que for para que nós possamos ter nossa liberdade, porque TEM QUE SER COMUM que mulheres andem sozinhas e que isso não lhe custe sofrer alguma violência. Hoje sempre que ando sozinha seja no local que for, não é apenas o medo que me acompanha, e sim a CERTEZA que uma hora vai chegar minha vez de passar por alguma violência e isso não é ser pessimista, é estatística! Isso tem que mudar e só muda quando exercemos nossa liberdade com toda sinceridade e coragem. Em contraposição, esta foi a viagem em que mais vi mulheres viajando sozinha, de toda faixa etária possível, isso me deixou feliz que só a porra ❤️ Outro ponto que observei é que as pessoas estão extremamente bitoladas em suas carreiras profissionais, claro que isso é importante, mas eu dizendo que estou desempregada, todo mundo que conheci ficava “desesperado” perguntando sobre o que eu iria fazer. Que uó, eu querendo relaxar e as pessoas só interessadas em fazer contatos de trabalho ou por pura e péssima curiosidade, mesmo elas estando de férias! Não sejam assim, sério. Não tem nada de errado em querer saber o que as pessoas fazem, mas isso ser tipo a segunda pergunta que faz quando conhece alguém...WTF?!?! Melhoremos, pelo amor. Há muitas outras coisas a se ter curiosidade pessoal sobre alguém que está conhecendo *** Tive outros gastos que não coloquei no relato por esquecimento ou porque não precisava que eu descrevesse, então vamos à uma tabelona geral da média de gastos: TRANSPORTE (Avião, navio, ônibus, transfer, uber) = R$ 2.623,00 ALIMENTAÇÃO = R$ 1.530,00 HOSPEDAGEM = R$ 1.080,00 PASSEIOS = R$ 528,00 OUTROS (Lembrancinha, roupa, conserto de celular, imprevistos) = R$ 766,00 Então gastei por volta de R$ 6.500, esse valor pode ser maior ou bem menor dependendo do seu estilo de viagem. Eu or exemplo, não escolhi sempre os hostels mais baratos que tinhas, cabacei com alteração de passagem e perca de vôo, quebrei meu celular, usei muito uber, não comi sempre nas opções mais em conta, tudo isso poderia ter reduzido muuuito o custo, tudo questão de planejamento e organização e como eu tinha uns dinheiros, viajei sem muita preocupação em economizar, mas também não ostentando horrores ^.^ Caso tenham dúvida sobre algo que não está no relato podem me enviar inbox. Tem mais fotos no meu insta que é @gessic4 e criei uma playlist com músicas características dos lugares onde passei no Spotify, Gessica Costa - Brasilzão: IMAGENS - RESUMO VIAGEM
  3. Olá! Irei de Santiago até San Pedro de ônibus e na volta gostaria de ficar dois dias na Bahia Inglesa e voltar para Santiago. Porém pesquiso no site da TurBus para "comprar" a passagem e o itinerario aparece como indisponível na data que quero. Irei só em Janeiro de 2015, será por isso ainda não tem passagens disponiveis para venda? Alguém sabe se tem ônibus que sai de San Pedro ou Calama até Caldera ou Copiapó? Obrigadaaa!
  4. Olá! Você chegou a fazer este roteiro? Vou de Santiago para San Pedro de ônibus e na volta queria passar dois dias na Bahia Inglesa. Você sabe me dizer se de San Pedro há ônibus para CAldera ou Copiapó? Pesquiso no site da TurBus para comprar passagem mas esse itinerario aparece como indisponível @[email protected] Obrigada!
  5. Muuito obrigada por responder =DD
  6. Olá! Minha primeira viagem ao exterior será para o Chile, ficarei 15 dias e tenho planos de conhecer principalmente Santiago,Val Paraiso/ Vinã Del Mar, Algaborro, Atacama e Mendonza (Argentina), fiz um roteiro inicial de alguns lugares que quero visitar, porém não queria ir com tuuudo reservado, porque posso gostar mais de um lugar que de outro ou até mesmo querer trocar alguma cidade por outra. Ao Atacama tenho certeza que vou, mas como vou em Janeiro de 2015 gostaria de ver a previsão do tempo quando já estivesse lá pra ai sim marcar a viagem (pois ouvi falar das chuvas em Janeiro), porém como é alta temporada tenho medo de ficar sem passagem (ônibus) ou estadia. Alguém que já foi em Janeiro ao Atacama sabe se é suuuper lotado ou dá pra deixar pra ultima hora? E quanto aos outros lugares? Tenho em mente reservar só meus primeiros 3 dias em Santigo, o que me aconselham? Obrigada, abraços!
×
×
  • Criar Novo...