Ir para conteúdo

ramonrpramos

Membros
  • Total de itens

    15
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

2 Neutra

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. @felipenedo Passar o dia no frio e ter abrigo é relativamente tranquilo, acampar que é complicado e exige cuidados e preparativos maiores. Se vai ficar apenas uma noite no parque vá para o Campamento Torres, lá é o ponto de partida para Mirador Base de las Torres. Se tiver bastante disposição para uma boa caminhada podia fazer uma parte do W que é bem interessante: Dia 1 Chegada no Campamento Torres > Mirador las Torres > Campamento Italiano Campamento torres até o Mirador las Torres 3hrs; Las Torres até o italiano nesse trajeto se faz em no máximo 5 hrs e a trilha fecha as 14hrs Dia 2 Acordar cedo e subir o Vale do Francês até o mirador Britânico > Ir direto para o Paine Grande e pegar a balsa para voltar. Se quiser fazer mais tranquilo ainda pode dormir no Paine Grande ou voltar para os Campamento Torres. De toda a maneira recomendo você investigar como está acessibilidade no inverno, existem regras especiais para essa época do ano. Site do parque http://www.parquetorresdelpaine.cl/es Regulamento para inverno http://www.parquetorresdelpaine.cl/upload/files/2018.1 REGLAMENTO ACTIVIDADES DE SENDERISMO EN ÉPOCA INVERNAL(1).pdf
  2. ramonrpramos

    Tomadas

    A tomada Chilena também tem três pinos, mas o pino central (terra) é alinhado com os demais, ou seja, se o seu eletro não tiver o pino do aterramento (carregador de celular por ex) ele vai encaixar. Atenção somente para os equipamentos de alta amperagem (secador de cabelo ex) que tem os pinos com uma espessura maior.
  3. Mario, Em volta de Santiago tem muita trilha boa para fazer: El morado, Termas La Colina (só chega aqui de carona nessa época), Yerba Loca, Aguas de Ramon... Nem todos tem transporte publico, mas é tranquilo para fazer a aproximação com os micros e depois pegar uma carona, os caminhões das mineradores e o pessoal que trabalha na termoelétrica adoram dar carona para os gringos. A lista é enorme e todos valem muito a pena. O complicado é que você tem só 3 dias... Dá uma olhada na região de San José de Maipo e Farellones. Se prepara para pegar bastante frio, inclusive eu não recomendaria caso você não tenha experiencia com clima da cordilheira. Indo pro sul e não tão distante tem o Radal Siete Tazas e a Reserva Altos de Lircay, são parques muito bonitos e próximos. Nessa época do ano você já deve pegar neve, chuva e frio intenso lá. Consulta no site da CONAF como está a acessibilidade, não tenha receio de ligar e conversar com eles, em geral os guardas são muito gente boa e podem te ajudar bastante. Talvez valha a pena pegar mais 2 ou 3 dias para poder acampar nos atrativos próximos a Santiago que, na minha opinião, são muito sub valorizados. Descer até Talca para ir conhecer o Siete Tazas e curtir bastante Pucon e o Villarrica.
  4. Felipe, eu fiz o W agora em abril e levei tudo. Notei que os equipamentos para aluguel da Vértice e Fantastico Sur são de boa qualidade e apropriados para as baixas temperaturas. Fico te devendo a questão da higienização, como o nível de serviço no parque é bom eu acredito que não deve ter problemas. Independente disso eu recomendo você levar um cobertor de emergência que é muito barato, leve, compacto e vai te manter aquecido em qualquer situação inesperada.
  5. Tive audiência no juizado especial civil em que a Winners propôs acordo enviando uma nova bota. Eu aceitei o acordo pq não queria mais tumulto e realmente estava precisando da bota, chega a ser cômico o descaso da fabricante com o consumidor. Desde o inicio eu só queria a troca da bota, no final precisei ingressar com uma ação para ter o meu direito validado. Pelo menos fiquei com a bota antiga. Recebi uma Salomon Conquest, estou usando para ir e vir do trabalho e as primeiras impressões são de uma bota bastante confortável (tirei da caixa e sai usando). Fiz o teste de impermeabilidade em balde e não entrou agua, mas tem que esperar ela ficar mais surrada para avaliar esse atributo. Pela pesquisa que fiz a Salomon Conquest está custando em média R$ 800, eu não tenho muita experiencia com outras botas, mas tenho a impressão, por maior que seja a qualidade da bota, ela não vale tudo isso.... Fica a dica para quem tiver problemas com a Winners (representante Salomon) não percam tempo tentando usar o bom senso, eles vão se fazer de desentendidos até a ordem judicial bater na porta.
  6. cara nem vale a pena ação coletiva, por ser de baixo custo é mais negócio pedir devolução do dinheiro ou troca do produto no JEC. Pesquisa no Google JEC e o nome da sua cidade que em 1 mês vc resolve o problema. Se tiver algum advogado conhecido pede uma ajuda, mas o processo é bem simples de fazer e vc consegue sozinho de boas.
  7. Oiii, teve algum retorno? Na loja que eu comprei a bota, me disseram que a winners informou dessa nova garantia de 90 dias há umas duas semanas atrás, e não deram nenhuma informação quanto aos clientes que fizeram a compra antes da mudança. A audiência foi ontem. A Winners nem pediu para ver a bota, simplesmente propuseram a troca por um modelo equivalente ou superior. Como não quero me stressar mais aceitei na hira. Eles tem 5 dias úteis para enviar o novo modelo. Para quem não sabe essas ações do JEC (antigo pequenas causas) não precisa de advogado. Vai no JEC com um relato e com quem tu quer intimar eles agendam uma audiência de conciliação e pronto. Se não houver conciliação tem um segundo agendamento para julgamento.
  8. Guilherme eu acho que tu nem acessa mais o forum, mas o teu relato foi um dos mais importante e motivadores que li para fazer essa trilha sem guia e sozinho. Estou escrevendo, mas a cada linha eu começo a "viajar" nas lembranças, tornando o relato bastante demorado e prazeroso de se fazer. Eu queria te agradecer muito e dizer que depois de 6 anos pouca coisa mudou no trajeto. Enquanto meu texto não fica pronto vou deixar a minha contribuição para quem for lendo. Primeiramente NÃO FAÇAM esta trilha sozinhos. Corri um risco calculado porém considerável, eu não recomendo pq a atenção exigida a cada passo potencializa muito a aventura, é uma adrenalina diferente, eu quase não tenho registro fotográfico pq tinha muito medo de relaxar e ficar descuidado. Vou mentir se falar que esse misto de tensão, adrenalina e desafio não era o que eu procurava, mas eu acredito que a maioria das pessoas não vai "curtir" observar cada pedra e cada moita cuidando para não escorregar se perder e ou dar de cara com um cobra. Achei "estressante" e ao mesmo gratificante, um stress diferente do dia a dia e que no final acabei adorando. Confesso que eu tenho desejo de refazer o trajeto, dessa vez, com mais conhecimento do ambiente, curtir um pouco mais a exuberante natureza presente na Chapada. Muito cuidado com o sol, notei que ao longo da minha travessia (setembro), entre 5 e 9 hrs ele está sempre encoberto dando pinta até de chuva. Depois das 9 e até as 14 surge um sol estupidamente quente (ainda mais para um gaúcho) meu maior erro foi encarar a serra do veneno as 11 da manhã. O calor é tão intenso, reforçado pela irradiação das pedras, que a temperatura corporal dispara, tornando cada passo uma árdua tarefa. Não existe preparo físico que resista, o corpo humano não foi feito para trabalhar numa temperatura de 39 graus. A água, que você deve beber constantemente, vai estar "fervendo" contribuindo para a sensação de abafamento. Pode é para parecer meio assustador. Quem quiser saber minha experiencia completa fica de olho no fórum, nas próximas semanas, ou talvez até nesse feriado, eu posto o relato completo e compartilho o que classifico como a experiencia mais incrível que tive na minha vida.
  9. Cada um tem um bolso, eu por exemplo, qndo comecei estava duro pra caramba (ainda estou rsrsrs) então tive que sacrificar algumas coisas... Obviamente passei uns perrengues por conta disso. Qndo botei o olho na Deuter Air eu me apaixonei por ela, infelizmente ela estava fora da minha realidade financeira, então tive que economizar e parti para uma Nord tb de 70L (Centauro), que me serviu para algumas idas a praia e tal, mas na terceira trilha que fiz tensionando as tiras a costura do fecho principal começou a rasgar. Por sorte qndo relaxei a tensão o rasgo não avançou. Eu tinha noção que pagar 300 R$ numa mochila e botar ela para ralar não ia durar muito e que estava sujeito a este tipo de incidente, certamente se eu fosse fazer a Salkantay teria investido mais na mochila ou alugado uma mais parruda. Enfim, o que quero te dizer é que você precisa saber o que tem na mão, assim você encara os desafios que está pronto para lidar e evita surpresas como o teu exemplo do casal que ficou com os pés molhados pq achou que não dava nada usar kichute numa montanha de 3 mil metros hehehehe.
  10. Alguém guardou o termo de garantia de 2 anos em português? O único que achei está em inglês.
  11. Bom dia pessoal, Informação que peguei com a Lucilene responsável pelo Centro de Distribuição da Winners (detentora da Solomon no Brasil). A partir de ontem começaram a valer as novas regras de garantia para a marca no país. A garantia de 2 anos não existe mais, ela passa a ser de 90 dias. Agora pasmem para o maior absurdo que eu já vi, quem adquiriu o produto antes desta mudança não está mais coberto pela garantia de 2 anos. Se você, assim como eu, comprou teve problema na bota e ficou tranquilo achando que tinha 2 anos de garantia, a resposta vai ser "Desde 05/10/2015 nós só cobrimos 90 dias de garantia". A Winners simplesmente rasgou as leis de proteção ao consumidor, hoje eu estou indo até um JEC procurar meus direitos.
  12. Incrível que tanto tempo depois os mesmo problemas venham se repetindo. Eu estava na Chapada Diamantina qndo o solado da minha Salomon Discovery GTX começou a descolar, tive que envolver em fita Silver Tape para não ficar sem bota numa trilha complicadíssima, imaginem meu desespero. Voltando para casa, acionei a NetShoes (local onde comprei a bota exatamente 1 ano atras) e eles estão se recusando a cumprir a garantia de 2 anos da Salomon, foi alegado que cobrem somente 90 dias. Atualmente quem representa a Salomon na América do Sul é a Winners Sport ( http://winnerssport.com/brasil/index.php) mandei um e-mail solicitando instrução para garantia.
  13. Então cara.. Cada equipamento vai gerar uma resenha gigantes, sugiro vc ir pesquisando no forum mesmo, masa para te dar uma força vou te ajudar com algo! A Decathlon é uma loja que tem uns equipamentos bons e acessíveis, logico que eles não são tops e que para alguns é mais seguro investir em marcas mais especificas. Esse tipo de barraca é para quem vai acampar no quintal. Ela é pesada, volumosa, e desnecessariamente grande. Acho bem dificil você encaixar ela dentro de uma mochila. Eu sugiro vc dar uma olhada nas barracas individuais. Já tenho experiencia com uma Guepardo Everest e posso te relatar alguns pontos a observar em todas: Impermeabilidade - Importantíssimo você ter certeza que não vai entrar água na barraca, é impossível recuperar a energia molhado e com frio, observe a referencia de coluna d'agua entre os modelos para ter noção, na duvida da um google e busca uns reviews. No litoral de Pernambuco com umas 13 horas de chuva a Guepardo não teve infiltração. Ventilação - Vai depender de para onde vc vai e o seu nível de tolerância para calor. Semana passada estive na Chapada Dimantina, como estava sem nenhuma possibilidade de chuva e muito quente, tirei o sobre teto ( lona que faz a barraca ficar impermeavel) e dormi só com o mosqueteiro. Eu sinto bastante calor, acho a Guepardo um pouco quente, mas é melhor você passar um pouco de calor do que frio. Fixação- Basicamente existem as que são auto portante e as que não são. As auto portante não precisa cravar os specs (espetinhos) na areia para a estrutra da barraca ficar firme, já as que não são você precisa sustentar a estrutura com os specs. Se você pretende acampar em cima da pedra vai precisar de uma auto portante. Varetas - Geralmente são de alumínio (mais leves e caras) ou fibra (pesadas e mais baratas), vai ter que colocar na balança ($) e decidir. Eu achava bobagem esse negocio de peso "a não tem diferença ir com 8 ou 12 Kg na mochila", FAZ TODA A DIFERENÇA.
  14. Sou bem inexperiente em acampamentos, mas tenho 1,83 80 Kg e o Nord Invicta fica justo isso somado ao seu revestimento faz com que eu o considere bem quente, em 15º senti um pouco de calor.Duas coisas que não gostei nele: Ocupa muito espaço (talvez comprar umas tiras de compressão) e acho um pouco pesado.
×
×
  • Criar Novo...