Ir para conteúdo

LF Brasilia

Colaboradores
  • Total de itens

    727
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    7

Tudo que LF Brasilia postou

  1. @JonhSnow , a primeira coisa é pensar no que você mais quer visitar lá. Tem algum país/cidade cuja cultura, história, gastronomia, etc lhe interesse mais? Sugiro você pensar nessas questões e ver os relatos. Você vai encontrar histórias de gente que fez viagens flash (no máximo 3 dias em cada cidade) e gente que fez roteiros bem slow travel, visitando 3 cidades em 15-20 dias. Uma vez definido seus alvos, veja nos relatos quanto tempo você precisaria (em média) para cobri-los. Junho não é altíssimo verão como julho e agosto, mas já tem um bom movimento de turistas nos lugares. De
  2. @icarowolf , o @Rafael_Salvador respondeu o principal: "Não é permitido o exercício de atividades laborais, remuneradas ou não, para pessoas à turismo na Europa." Os próprios músicos europeus estão sujeitos a regulamentação. - Na Alemanha é necessário pegar uma autorização: https://www.thomann.de/blog/de/auf-der-strasse-was-muss-ich-beachten-vorschriften-regeln-und-co/ - Na Espanha existem lugares predefinidos e lugares proibidos: https://elpais.com/ccaa/2017/06/11/madrid/1497204536_417294.html - Dicas de uma musicista viajante (em francês): https://www.histoiresdetongs.c
  3. @thiagogimeneslopes , o que poderia ser problemático (a frequência dos meios de transporte em alguns trechos) você já pesquisou. Por exemplo, o voo direto do dia 10 - que você já viu ser só 2x/semana. Então é encaixar sua agenda de forma a poder pegar esses meios de transporte nesses dias. Vi na primeira página do tópico que você pretende ir "na primavera ou outono". Você já pesquisou se o cronograma de voos/barcos/trens é o mesmo em ambas as estações? Principalmente no caso da Grécia, que recebe muito turismo de praia.
  4. Visitei Morro Branco há muito tempo e não cheguei a fazer esse passeio das 3 praias. Fiz a pé (caminhada na beira da praia, não as dunas) sem explorar uma área muito grande. O que me lembro - e acho importante chamar sua atenção para isso - foi que a maré encheu muito rápido. Fique de olho, converse com os locais e escolha bem os horários. Caso contrário, você pode ter dificuldades para fazer na volta o caminho que fez na ida.
  5. @reinaldov , só reforçando a questão dos deslocamentos internos: uma pessoa da minha família esteve no Japão e visitou bem menos cidades do que gostaria, justamente porque esses custos são muito altos. Salvo engano, ele ficou uns 7 ou 8 dias. O foco da viagem na verdade era a China, e daí ele esticou para o Japão. Sugiro que você dê uma olhada nos relatos. Um é muito diferente do outro, porque cada viajante foi com um enfoque diferente: templos, vida urbana moderna, cultura otaku... É diferente de outras viagens mais "clássicas" feitas por brasileiros em que muitas vezes a pes
  6. @Júlio Czar , em que cidade você está? Para termos uma ideia da sua possibilidade de testar em lojas físicas, mesmo que no final você opte por comprar pela internet. O máximo que costumo "ver" aqui pelo fórum são as de 70 litros. Lembre-se de que mochilas cargueiras têm um peso próprio considerável.
  7. @Viviane Mônica , já peguei voos de madrugada e já fui buscar gente no aeroporto nesse horário. Pernoitar mesmo nunca precisei. O @234234 tem razão: melhor passar algumas horas num hotel mais em conta. Porém, isso depende dos horários dos seus voos. Perto do aeroporto (pode-se ir a pé) tem um Ibis Style, mas a diária sai em torno de R$300. Os hotéis mais em conta ficam no Núcleo Bandeirante e você teria que ir de carro até lá. Mas ainda assim, dependendo de quanto tempo você passe em conexão, compensa sim. Nos últimos anos o aeroporto passou por ampliações, só que essas se dera
  8. @Silnei , não sabia. É uma boa. Caso contrário, as tags ficam muito livres e perdem o sentido. Foi aqui: https://www.mochileiros.com/topic/78625-nota-de-euro-danificada-e-agora/ Não sei se já existe alguma tag adequada para esses casos ("dinheiro", "casa de câmbio", "cédulas", "euro", etc)
  9. @Silnei, houve alguma mudança na inserção de tags pelos criadores de tópicos? Tenho perfil de colaboradora, mas a opção de adicionar tags não aparece num tópico que criei há alguns dias...
  10. Destacando uma notícia recente sobre a Ryanair: http://www.melhoresdestinos.com.br/bagagem-mao-ryanair-nova-politica.html A partir de 1º de novembro todos os passageiros que não comprarem o passe de embarque prioritário não poderão embarcar com suas malas de mão (carry on), somente um item pessoal pequeno, como bolsa, mochila ou sacola de compras (limitado a 35 cm x 20 cm x 20 cm), que caibam embaixo do assento da poltrona.
  11. Meu irmão voltou de viagem e foi a uma casa de câmbio no aeroporto trocar os euros que sobraram. A funcionária esfregou a nota para ver se era falsa e o resultado está na foto. Ela fez tudo muito rápido e uma possibilidade é que tenha trocado a nota por esta. O fato é que ficou a palavra dele contra a dela e ela não aceitou trocar essa cédula. Acredito que nas casas de câmbio do Brasil eu teria o mesmo problema. E na zona do euro, tem alguma possibilidade de passá-la para a frente? Uma nota assim seria aceita no comércio? As que vejo estão sempre em ótimas condições, mesmo as de valor
  12. Quando eu tinha perfil no Face, lembro que vi um post de uma policial federal reclamando de viajantes mal educados que ficavam bravos quando ela tirava a capinha do passaporte. E eu já tinha lido reclamações de viajantes sobre a atitude das autoridades em retirar as tais capinhas. Perguntei pra ela e a resposta foi que eles precisam conferir alguns elementos de segurança e a capinha atrapalha. Mas bem, isso foi antes do passaporte com chip. E hoje em dia alguns aeroportos já têm um sistema em que o próprio viajante, ao sair do Brasil, faz a leitura do passaporte no scanner. Só alertando c
  13. @Thales Henrique Teles : o pessoal com mais experiência vai poder ajudar. Mas, pelo que vi nos relatos, realmente é comum haver bloqueio de estradas e atraso nos ônibus. Você está programando sair em 14/12 à noite para Uyuni e chegar lá às 6 da manhã do dia 15. Agora imagine que você chegue com 3 ou 4 horas de atraso: vai conseguir fazer o tour? Eu diminuiria o número de cidades em troca de mais segurança. O pior que pode acontecer é você ficar uns dias com tempo "sobrando". Tenha um plano B nas cidades que for visitar (aquele passeio urbano que é legal, mas não imperdível). Assim você te
  14. @Mari.Higa , a partir de que cidade no Brasil você vai viajar? Isso é importante para definir os destinos "baratos"...
  15. ^^ Caramba, é mesmo! Nem tinha reparado que o "dia 1" é o dia da chegada! [Geralmente eu penso em "dia zero" para a chegada e diminuo mentalmente a duração da viagem]. Concordo totalmente com o @234234 . Uma boa noite de sono antes de pegar a estrada é fundamental.
  16. @mateusmartins : num mundo ideal em que sempre houvesse vaga nas pousadas/hotéis sem necessidade de reservar, seria perfeito se vocês pudessem simplesmente visitar as cidades e decidir na hora. Gostou muito do lugar? Acha que tem muita coisa pra fazer nele? Ou: "todo mundo meio cansado, vamos curtir uma tarde de preguiça?" É só ficar mais um dia. Porém, mesmo vocês não indo em alta temporada, melhor não arriscar e ter umas reservas na manga. Ainda mais indo de carro, que vão precisar de local com estacionamento. Realmente esse dia 13 ficou puxado. 287 + 181 km no mesmo dia, ainda mais c
  17. @mateusmartins, algumas sugestões de bate-volta perto de Budapeste: - Gödöllő: tem um palácio onde a imperatriz Sissi passava umas temporadas; - Szentendre: é uma cidade pequena, bonitinha e com vários ateliês, galerias de arte e coisas do tipo. Mais longe, temos: - Esztergom: às margens do Danúbio na fronteira com a Eslováquia. A construção mais famosa é a basílica. A partir de Budapeste gasta-se 1 hora de carro. - Lago Balaton: tem 80km de extensão e é conhecido como o "mar" dos húngaros. Tem várias cidades em volta que você pode visitar, como Veszprém e Keszthely.
  18. @renata83 , não lembro se era April ou Coris. Acabei fazendo pela Affinity. Mas com certeza April, Coris, etc (aliás, parece que houve uma fusão entre elas) têm planos também para países europeus fora do Espaço Schengen. O que eu quis enfatizar é que, antes de comprar um seguro para uma determinada região, é bom ver exatamente quais países da região estão cobertos.
  19. @castrotrip: caso a seguradora ofereça algum pacote padrão para a Europa, veja exatamente para quais países é a cobertura. Normalmente é para os países da Zona Schengen. Caso você queira visitar algum país europeu fora dessa região, ele não será coberto por esse pacote padrão. Aí você vai precisar de uma apólice mais específica. Edit: Em 2016 fui a uma agência de viagens (pois é, ainda faço isso) para fazer o seguro de uma viagem à Hungria (que está no Espaço Schengen) com possibilidade de ir à Romênia (fora do Espaço Schengen). Perguntei à funcionária se o seguro "Europa" que ela me ofer
  20. É... está complicado. @Eduardo Eid Ambrosio: em outras ocasiões em que o dólar e o euro subiam, eu via nos jornais muita explicação com base nos fatores externos (economia dos EUA, etc). Dessa vez (= na última semana) vejo os analistas explicando essa alta das moedas estrangeiras com base nas eleições aqui no Brasil. Se for isso mesmo, não tem muito o que fazer. As eleições estão aí e o quadro é incerto, com um risco de subir mais ainda. Eu faria isso mesmo de comprar aos pouquinhos. O ruim é para carregar VTM, já que cada carga tem um valor fixo cobrado pelo banco (além do valo
  21. Pessoal, Independentemente de condições de saúde, sempre é bom estar prevenido (toc toc toc). Uma vez uma colega de intercâmbio pisou em falso e teve que engessar o pé. Aliás, comigo também já aconteceu... só que perto de casa. O único perrengue de saúde que passei em viagem foi um dente que quebrou na raiz. O dentista falou que não daria tempo de tratar e que era caso de extração. O jeito foi quebrar o galho com anti-inflamatórios, para os quais não precisei de receita. Voltei ao Brasil e comecei o tratamento. E também existe sempre o risco de alguma comida não cair bem.
  22. @Silnei , outra coisa estranha que apareceu agora: as mensagens automáticas de boas vindas aos recém cadastrados estão aparecendo na forma de tópico. Exemplo: https://www.mochileiros.com/topic/78169-welcome-seruz/ (e várias outras em https://www.mochileiros.com/forum/3-am%C3%A9rica-do-sul/)
  23. Júlio, o pessoal já deu algumas dicas e alertas. Você pode ver mais aqui: https://www.mochileiros.com/forum/416-mochilão-roots/ Sobre os trâmites para atravessar fronteiras: embora na América do Sul existam acordos que simplificam isso, os trâmites e exigências existem, sim. Principalmente neste momento de crise migratória. Para dar um exemplo, o Peru e o Equador passaram a exigir passaporte dos venezuelanos. Antes eles podiam ingressar com a identidade. Na Colômbia as autoridades costumam perguntar sobre trabalho e profissão. De modo geral, se as autoridades migratórias entende
  24. @faanso , os deslocamentos de ônibus são demorados, pois as rodovias passam por área de montanhas e geralmente não fazem o caminho mais curto. Acho que dividir 4 dias entre duas cidades é roubada, pois no fim vocês acabariam não aproveitando direito nenhuma delas. A escolha vai depender dos gostos e preferências que vocês têm ao viajar. Vou dar meu depoimento sobre as duas: - Estive em Cartagena por 5-6 dias para conhecer a cidade amuralhada e as praias mais conhcidas (Playa Blanca e Rosario), nos esquemas de passeio de um dia que são o clássico de lá. Também fui em novembro, qu
×
×
  • Criar Novo...