Ir para conteúdo

felipemazza

Membros
  • Total de itens

    56
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Dulce, Fizemos Balos num carro comum, não há nenhuma necessidade de 4x4 (a não ser que chova muito). Não me lembro exatamente quanto tempo demora entre uma praia e outra, mas vc vai perder um tempo. Só para sair de Balos, vc vai ter que subir um morro (a pé) e mais 7km de carro numa estrada de chão. Conforme eu recomendei acima, as 2 praias valem o dia inteiro. Pode confiar em mim, realmente valem. Balos é a praia mais bonita que eu conheci na minha vida, além de ser muito agradável para ficar à toa. Elafonissi não é só uma praia, tem a principal e outras acessórias. Caso vc não tenha tempo, saia bem cedo do hotel para fazer as 2 praias com um pouco mais de tranquilidade. Creta é muito longe, mas vale a pena cada segundo investido! Se puder, conheça a ilha de Milos tb. Pesquise as fotos e vc verá q vale a pena.
  2. Oi Cris, Primeiramente, parabéns pelo relato! Sobre esses valores que vc postou, são valores gastos por vc ou por vc e quem te acompanhava? ex: almoço, janta... Obrigado!
  3. felipemazza

    Nobres

    santiagoleia, Tudo bem? Como vc fez com a questão do camping em Bom Jardim? Estou querendo acampar tb, mas não encontro informações a respeito. Como vc fez com os guias? Contratou algum guia ou empresa para todos os passeios ou fez de forma independente? Obrigado.
  4. Parabéns pela viagem e pelo relato Giacome. Estou programando de ir a Nobres/Bom Jardim, no carnaval deste ano. Estou querendo fazer tudo por conta própria, com meu próprio snorkel. Não tenho colete, mas acho que dá pra se virar sem um. Penso que o colete apenas facilita a flutuação, não sendo obrigatório. A minha pergunta é se eu posso fazer todos os passeios de forma independente ou sou obrigado a contratar uma empresa? Estarei de carro e não gosto do esquema de empresa, prefiro fazer meu horário e não ficar dependendo de ninguém. O que vc acha? É possível? E a questão da sinalização nos locais? Dá pra se virar sozinho pedindo informação aos moradores? Valeu!
  5. Alex, Eu não compraria a passagem hj pq a situação política no Egito está muito instável. Ontem mesmo era para o Mursi ter sido julgado mas rolou alguns estresses na cidade do Cairo, perto do local do julgamento, e este foi adiado. Provavelmente vai estar mais tranquilo em meados do próximo ano. Eu preferiria ficar 2 dias no Cairo, inclusive para não correr muito risco de pegar algum confronto pelas ruas, e 3 em Dahab. No Cairo eu contratei um guia que ficou comigo e minha esposa o tempo todo. Apesar de não ser muito barato se vc for sozinho (U$ 70/dia), vale a pena, pois o cara arruma um carro com ar condicionado, motorista e ele fala português fluentemente. Me passa teu e-mail que te envio meu roteiro com todas as dicas.
  6. Cara, Eu acho que 5 dias para o Cairo é muito. Eu fiz em 2 dias e vi as principais atrações. Acho que 3 deve ser o ideal e suficiente. Na verdade se eu fosse vc, ficaria 2 dias em Cairo + 2 em Dahab. Lugar incrível para fazer mergulho, mesmo para iniciante. Eu dedicaria mais alguns dias para o Egito, mas não compraria passagem hj.
  7. 1. Não sei. 2. Acho que não, mas, principalmente o perfume, pode passar tranquilamente como se fosse sempre seu. Por via das dúvidas, faça uma única NF do perfume. 3. Vc pode alegar que já era seu antes de viajar para o Paraguai. Daí os fiscais acreditarem são outros quinhentos. 4. Não sei. 5. Voltei de Foz (avião) nesta 6a-feira. Estava preocupado pq tb tinha passado da cota, inclusive comprei um notebook tb, mas foi tranquilo passar pelo controle da Receita em Foz. Toda a sua bagagem é passada pelo raio x. No meu caso, fui e voltei por Foz. Fiz as compras no Paraguai de forma independente. Peguei o ônibus de linha pra ir e voltei de mototáxi. Muito tranquilo, mas estava somente com uma mochila. Vi alguns poucos carros sendo parados.
  8. Oi Gustavo, Estou pra Foz no próximo mês e quero fazer umas compras no Paraguai. No seu caso foi sossegado passar pela aduana, mas se vc tivesse sido parado? O imposto tem q pagar na hora ou eles fazem uma guia? Além dos 50% do valor q ultrapassar $300, pago alguma multa por não ter declarado os bens? Essas pessoas q têm as mercadorias apreendidas são pq não tinham o dinheiro pra pagar o imposto/multa? Estou querendo alugar um carro em Foz. É melhor ir pro Paraguai de carro alugado ou excursão? Obrigado. Felipe
  9. ISTAMBUL 04/06/13: Após outra noite muito mal dormida, amanhecemos em Istambul. Pelo menos uma coisa boa a empresa Nevshevir Seyahat tinha, que era um transfer gratuito da rodoviária para o bairro de Sultanahmet. Um outro casal de brasileiros nos ajudou para avisar onde tínhamos que descer. Começamos a busca por hotéis. Os mais baratos estavam com a capacidade esgotada ou não tinham para todas as 4 noites que estaríamos na cidade. Fomos abordados por uma pessoa na rua e acabamos ficando no hotel que ele nos indicou. Depois de tomar um café da manhã e dormir um pouco, aproveitamos o resto da tarde para conhecer o museu de Hagia Sofia e a Mesquita Azul. Os dois impressionam bastante. Compramos um cartão que servia para entrada em vários museus e custou 72 TL. Valeu a pena, também pela economia, quanto pelo tempo evitado em filas. Hagia Sofia: entrada: 25 TL, até às 18h Mesquita Azul: entrada gratuita, o horário depende das rezas Dicas do dia: 1) reserve o hotel antecipadamente para Istambul. 2) comprar o cartão dos museus, que vende em qualquer entrada dos museus. O cartão é válido por 72 horas. 3) o site www.muze.gov.tr vai lhe dar informações precisas sobre os museus em toda Turquia! 05/06/13: Começamos o dia pelo Museu do Mosaico. Não é impressionante, mas é bacana e estava no pacote dos museus por 72 TL. A idéia era fazermos o Palácio Topkapi, Harém e Museu Arqueológico nesse mesmo dia. Subestimanos o tempo a ser dedicado ao palácio e harém, pensávamos que ficaríamos no máximo 2 horas lá dentro, mas ficamos 4! Sendo assim, deixamos o museu arqueológico para o dia seguinte. O palácio é realmente fascinante, não imaginei que um dia veria tantas peças valiosas num único lugar. É ouro, prata, rubi, esmeralda, cristal, etc. Fiquei viajando na vida rica do Sultão. Depois do palácio, fomos conhecer o Grand Bazaar (fica aberto até às 19h). Andamos muito e pechinchamos bastante. Chegamos a ver a mesma peça variando o preço em quase 100% de uma loja para outra. Museu do mosaico: entrada: 8 TL, até às 16h (acho) Palácio Topkapi: entrada: 25 TL, até às 18h Harém do Palácio Topkapi: entrada: 15 TL, até 18h Dicas do dia: 1) reserve um tempo considerável para a visita ao palácio. 2) o palácio fecha todas as 3ª-feiras, então visitá-lo nas 2ª e 4ª-feiras pode não ser um bom negócio. Fomos numa 4ª e estava muito cheio. Enfim, talvez esteja cheio todos os dias e com algumas filas lá dentro. 3) visitar o harém não é essencial, mas já que vai no palácio, acho que o harém também deve ser incluído na visita. 4) pechinchar muito no Bazar. Os vendedores chegam a ser FDP de vez em quando, oferecendo preços absurdos. 5) caso queira comprar mais de uma coisa, tente concentrar tudo numa única loja. Vai facilitar a negociação. 6) na negociação, o preço pode cair em mais de 50%. Mas pesquise antes, para não oferecer um preço muito abaixo do mercado. 06/06/13: Começamos a caminhada pelo Museu Arqueológico, que na verdade são 3 museus dentro do mesmo espaço. Vale muitíssimo a visita! Ver a tumba de Alexandre, O Grande, já pagou o preço para mim. Mas é muito além disso. É visita obrigatória para quem vai à Istambul. Assim como no palácio, subestimamos o tempo de visita ao museu. Ficamos cerca de 2,5h entre os 3 museus. Depois do almoço, fomos no museu da imprensa (não vale) e procuramos algum lugar onde poderíamos assistir a uma cerimônia do sufismo. Procuramos muito, mas não achamos. Há a opção de fazer por agências de turismo, ao custo de 40 TL. Pegamos um trem para o Palácio Dolmabahçe. Para nossa infelicidade, ele estava fechado. Fomos caminhando em direção à Praça Taksim. Não pudemos apreciar a praça pois ela estava tomada pela população. Haviam centenas de barracas de camping e muitas pessoas na praça. Tratava-se de uma mobilização contra a construção de shopping no lugar da praça. Havia barricadas em todas as ruas que cercavam a grande praça. Teve uma rua que tinha cerca de 5 barricadas desde seu início até a praça. A intenção era conter a chegada da polícia. Quando fomos, já tinha ocorrido o estresse com a polícia, mas o entorno da praça parecia um “campo de guerra”. Na praça, que realmente era bem grande, pudemos ver inúmeras manifestações. Desde danças culturais até palanque com pessoas falando ao povo. Apesar de não ter podido apreciar a beleza da praça, fiquei feliz por ter vivenciado um pouco esse momento histórico de Istambul. Essa manifestação foi notícia internacional. Ficamos mais ou menos 1 hora na praça vendo tudo e apreciando a força do povo que se uniu contra os interesses burgueses. Enfim, fomos descendo pela rua Istiklal até a Galata Tower. Essa rua entra no roteiro turístico, mas achei bem sem graça. Tem um bocado de lojas e é uma rua só para pedestres. Na torre pudemos ver toda a cidade de Istambul. A Istambul “velha”, a “nova” e a parte asiática. Apesar de caro, acho interessante a visita. Museu Arqueológico: entrada: 10 TL, até às 16h Palácio Dolmabahçe: entrada: 40 TL (Castelo e Harém), até às 16h. Fecha às 2ª e 5ª-feiras. Galata Tower: entrada: 13 TL, até 20:30h. Dicas do dia: 1) atentar para os horários e dias de funcionamento dos lugares turísticos. 2) torça para a praça Taksim não virar um Shopping Center e visite-a. 07/06/13: Começamos o dia procurando o lugar do sufismo (Whirling Dervishes). Encontramos-o na estação de trem que fica ao lado da estação Sirkeci. Achava que custaria umas 15 TL, mas o preço era o mesmo cobrado pelas agências de turismo (40 TL). Achamos muito caro para ficar assistindo uns caras girando o corpo por 1 hora. Pegamos o trem urbano e descemos na estação Kabatas, rumo ao Palácio Dolmabahçe (cerca de 5 min andando desde a estação). Há a opção de pagar apenas a entrada do palácio (30 TL) e/ou apenas o harém do palácio (20 TL). Se fizer os dois, paga-se 40 TL. Infelizmente esse palácio não está incluído naquela promoção de 72 TL. A entrada no palácio é feita somente com guia (já incluso no preço) e com um grupo (no meu tinha umas 50 pessoas). Acho justo esse controle porque o palácio está muito conservado, os sofás, camas, móveis, quadros, etc. estão no mesmo lugar de muitos anos atrás. Se fosse cada um por si, aquilo viraria uma bagunça e muitos cristais se quebrariam. O mais impressionante foi um lustre todo de cristal com 4,5 ton e mais de 10.000 peças de cristais, segundo a guia. O esquema no harém é o mesmo do palácio. Ambos valem a pena as visitas e o esforço de perder mais de 1 hora nas duas filas. No total, ficamos mais ou menos 3 horas lá dentro. Tem uma outra construção que você também pode entrar e está incluída no bilhete. Não tem guia, mas é bem pequeno. Resolvemos voltar caminhando do palácio até Sultanahmet. A idéia era ver um pouco mais da cidade e parar em algum lugar para almoçar pois a fome era negra. Na volta, paramos por alguns minutos no Parque Gülhane, que fica ao lado da entrada do Palácio Topkapi. Lá, descobrimos que a entrada para o Museu para a História da Ciência e Tecnologia ficava dentro do Parque. Este museu estava incluído na promoção de 72 TL. Já passava das 18h e certamente estaria fechado, além do que já tínhamos estourado o prazo de utilização do cartão, que era de 72 horas. Enfim, ficou para a próxima. Whirling Dervishes: estação de trem Orient Express; 40 TL (35 TL – estudante; 30 TL – criança); 2ª e 6ª-feira, às 19:30h Dicas do dia: 1) ir bem cedo ao palácio para evitar tantas filas. No palácio propriamente dito, ficamos 45 min na fila para entrar e apenas 45 min lá dentro. Como a visita é guiada você deve seguir esse cronograma. 2) o Museu da Ciência e Tecnologia fica dentro do Parque Gülhane. 08/06/13: O dia foi apenas para retornar para casa, mas acho interessante destacar a facilidade de se deslocar de trem em Istambul. Os trens começam a rodar a partir de 6h e funcionam até meia noite. Tem que fazer baldeação, pagando nova passagem, na estação Zeytinburnu. Demoramos cerca de 50 min para fazer todo o trajeto, mas era 6h da manhã e sábado. Talvez demore um pouco mais na hora do rush. O táxi custaria 40 TL e um transfer EUR 5.
  10. GÖREME 02/06/13: Depois de uma noite muito mal dormida no ônibus da empresa Süha, chegamos em Goreme. Fomos para o Yasin’s Place Cave Hotel com o outro casal que conhecemos na noite anterior e conseguimos 2 quartos. Tomamos café, alugamos um carro e fizemos o Red Tour por conta própria. Acho que só faltou um guia para explicar um pouco sobre as igrejas na pedra, do mais, foi muito melhor irmos sozinhos. Dicas do dia: 1) não viagem pela empresa Süha. A cadeira reclina pouco e a poltrona não é muito macia. 2) pegue a programação do Red Tour e Green Tour no site de alguma empresa que o ofereça. 3) tente fazer o tour por conta própria. Com quatro pessoas compensa alugar um carro. Um amigo já alugou uma scooter em Goreme sem ter licença moto. Pode ser uma opção econômica também. 03/06/13: Fizemos o nosso “Green Tour” nesse dia. Como eu tinha o roteiro de uma empresa, fomos copiando. Começamos pela cidade subterrânea de Derinkuyu. Contratamos um guia na hora. A negociação começou com 60 TL e fizemos os quatro por 40 TL. O guia era muito ruim, repetia as mesmas coisas toda a hora, tinha um inglês fraco e corria muito. Mas foi bom para termos uma boa noção do local. Estava ansioso para fazer esse passeio desde o Brasil e realmente foi muito bom. No fim do caminho, pagamos o guia, mas permanecemos dentro da cidade subterrânea. Ficamos explorando, entrando em inúmeras salas, agachados, em pé e nos divertindo bastante. Ficamos um pouco mais de 1,5h lá em baixo. De lá, partimos para o Ihlara Valley, onde fizemos uma caminhada e almoçamos na beira do rio (Belisirma). Neste vale, tem várias igrejas construídas nas montanhas. Vale a pena o passeio. Fomos parando ao longo do caminho e encontramos a vila de Yaprakhisar, com um belo visual, e o Monastério Selime, que é um monastério tipo caverna, assim como as igrejas. Para terminar o passeio, já no retorno para Goreme, tivemos que frear o carro no estrada. O motivo era que uma tartaruga estava atravessando-a. Lógico que paramos e registramos esse momento. O tempo era curto, pois o nosso ônibus para Istambul era às 19h. Na verdade, o ônibus era Denizli e nos venderam como se fosse direto para Istambul. Em Denizli tivemos que trocar de ônibus. Dicas do dia: 1) leve uma lanterna para a cidade subterrânea. 2) se não quiser pagar para entrar no vale, um pouco antes de entrar na cidade Ihlara tem um caminho. Vai ser na primeira vista do vale, a sua direita, ainda na estrada. 3) não confie no que os turcos vão te dizer para vender algo. Venderam-nos as passagens de ônibus Goreme-Istambul como se fosse direto e tivemos que trocar de ônibus. Além disso, disseram que tinham wifi no ônibus, mas não tinha.
  11. PAMUKKALE 01/06/13: A programação do dia era conhecer Afrodisias pela manhã e as piscinas e Hierápolis a tarde. No fim do dia, viagem noturna tendo Goreme como destino. Como tive dor de barriga durante a noite, achei mais prudente não ir para Afrodisias. A viagem para Afrodisias demora umas 2h. Se os ônibus tivessem banheiro, talvez eu arriscasse. Como já tínhamos ido a inúmeras ruínas durante a viagem, achei melhor dispensar Afrodisias. A viagem para Afrodisias custa 30 TL (ida e volta), saindo às 9h e retornando às 15:30h. Pode ser comprada nas lojas que vendem passagem de ônibus. Acordamos um pouco mais tarde e passamos a tarde toda nas piscinas e ruínas de Hierápolis (cerca de 5h). Fizemos tudo com muita calma. As piscinas são lindas e valem a ida para Pamukkale só para vê-las. É uma beleza única! A entrada para as piscinas (20 TL/p) já incluem a entrada para Hierápolis. Ambos ficam abertos 24h! O museu que fica lá dentro fecha às 18:30h e custa 5 TL a entrada. Na van, no caminho para Denizli, conhecemos um casal (Polonês e Argentina), que acabou por nos acompanhar em Goreme. Dicas do dia: 1) fora da alta temporada, não compre o passeio para Afrodisias no dia anterior. Pode ocorrer algum imprevisto. 2) dependendo da época do ano, você conseguirá ver o por do sol das piscinas de Pamukkale e ainda pegar o ônibus para o próximo destino no mesmo dia. Não vi o por do sol de lá, mas disseram que é fascinante. 3) pode ser um pouco cansativo fazer Afrodisias e Hierápolis no mesmo dia, mas é possível. 4) na negociação do hotel em Pamukkale, já tente acordar de deixar as mochilas fora do quarto e verificar a possibilidade de tomar um banho após o check out. As piscinas irão te deixar com calcário pelo corpo e você fará cerca de 12h de viagem até Goreme.
  12. SELÇUK 30/05/13: Acordamos cedo e partimos para Rodes para pegar o barco para Marmaris. O barco sairia às 9h, mas atrasou 30min. No porto de Marmaris fizemos o câmbio numa loja de relógios (em frente a loja Vogue). A cotação (EUR 1 = TL 2,37) estava boa. O dono da loja disse que só faz o câmbio para os turcos e pediu para que eu não explanasse. Enfim, está explanado... Fomos caminhando com o mochilão até a rodoviária. Dá uns 20 min de caminhada. Disseram que dava para pegar um ônibus no centro até a rodoviária, mas como tínhamos que andar até o centro, esperar o ônibus, etc., achamos melhor caminhar mesmo. Não vimos táxis. Conseguimos comprar a passagem para o próximo horário (Marmaris – Aydin), às 13:30h. Fomos pela empresa Kamilkoç. Ônibus confortável, mas sem banheiro. Em Aydin, do lado da rodoviária, tem umas vans que fazem o trajeto. É relativamente organizado se for comparar com as vans no Rio de Janeiro. Esperamos cerca de 30 min dentro da van até ela sair. Saiu às 17h. Às 18h chegamos em Selçuk. Fomos abordados por um homem que nos vendeu a passagem para Pamukkale (empresa Metro). Uma outra pessoa nos ofereceu o hotel, em princípio neguei dizendo que já tinha fechado com o hotel ANZ Guesthouse. No site do ANZ o quarto estava custando EUR 30. Na verdade não tinha fechado nada, só não queria ninguém nos aborrecendo. Como o cara insistiu um pouco, falou que era TL 60 e nos mostrou algumas fotos, acabei aceitando a oferta. Ficamos no hotel Tuncay Pansion e o recomendamos. No hotel ele nos ofereceu um tour ao custo de TL 100/p. Em princípio achei meio caro, mas fiz algumas contas e achamos que valeria a pena. O tour incluía um guia, carro com ar condicionado, entradas (Casa da Virgem Maria e Éfeso), além de almoço. Depois nos deixaria na rodoviária antes do nosso horário para a viagem até Pamukkale (15:30h). Além disso tudo, tinha o conforto de não ficar rodando atrás de transporte, nem perdendo tempo negociando com taxistas para a Casa da Maria. Dicas do dia: 1) se estiver de mochilão, pode valer a pena pegar um ônibus no Centro de Marmaris até a rodoviária. Se for mala de rodinha, vai caminhando mesmo que é só um retão entre o porto e a rodoviária. 2) jantamos num lugar onde fazem pizzas turcas (bem perto do hotel, do outro lado da rua principal). Pizza feita na hora e com bom preço. 31/05/13: Fizemos o tour comprado no hotel. O tour começou pela Casa da Virgem Maria, Éfeso, desfile de moda de roupas de couro (foi isso mesmo, você leu certo), almoço, visão “panorâmica” do templo de Artemis e passagem em frente à Basílica de São João. O tour ainda continuava num lugar para fazer compras, mas preferimos que o guia nos deixasse na rodoviária. Deixamos nossas malas no guichê da empresa Metro e fomos conhecer por conta própria a Basílica de S.J. Acho que valeu muito mais a pena do irmos para um bazar não comprar nada. Com o tour guiado, saindo às 9h do hotel, deu tempo para fazer tudo isso até às 15h. Ficamos cerca de 30 min na Casa da Virgem Maria e, mais ou menos, 1:30h em Éfeso. Acho que em Éfeso foi corrido, principalmente porque perdemos cerca de 45min vendo um desfile de moda de peças de couro e passando na loja ver as peças. Era tudo muito caro (caríssimo), mas eram peças bonitas. A parte engraçada do desfile foi que chamaram 2 pessoas da platéia (uma era eu, hehehe) para desfilar também. Colocaram umas peças de couro na gente e fomos desfilando na passarela. Mas na verdade, numa outra ocasião, acho até que seria interessante ver esse desfile, mas o foco do passeio era outro. Tirar nosso precioso tempo de Éfeso para isso não valeu muito a pena. Depois do almoço fomos ver o templo de Artemis. Outra falha da empresa, a nossa visão era ruim. Estávamos de carro e demoraríamos 5 min mais para ter uma visão melhor. Mas não espere muito do templo de Artemis, só tem uma coluna em pé. Feito isso, era cerca de 14h, fomos de forma independente para a Basílica de São João. Todos os 3 lugares turísticos foram muito interessantes e acho que devem ser passagem obrigatória para quem visita Selçuk. Não sou religioso, tampouco acredito na virgindade de Maria, mas mesmo assim recomendo a visita à Casa da Virgem Maria. Senti uma paz muito grande lá. Como “não pagamos” as entradas, não sei ao certo quanto custavam, mas acho que era TL 25 o Éfeso e TL 15 a Maria. A Basílica custa TL 8 e fica aberta até 18:30h. Acho que mais informações podem ser obtidas através do e-mail [email protected] Fomos para Pamukkale pela empresa Metro. Não gostamos do ônibus (micro ônibus). As poltronas são pequenas, o espaço entre elas é mínimo e o ar condicionado funcionou muito mal. Pelo menos oferecem refrigerante, água e biscoito no caminho. O ônibus foi para Denizli, só aí percebemos que na verdade compramos a passagem para Denizli e não para Pamukkale. Na rodoviária de Denizli o motorista desenrolou uma van para Pamukkale. Obs.: não tem braço entre as poltronas dos ônibus na Turquia e nem banheiro. Dicas do dia: 1) se você se programar para ficar um dia inteiro em Selçuk, acho que indo de forma independente você pode curtir Éfeso mais tempo. Poderá conhecer as Terraces Houses, que fica dentro de Éfeso, mas tem que pagar mais TL 15 (acho). Há a opção de contratar um áudio guide ao custo de TL 15. Então tudo que o guia nos explicou poderia ser obtido com esse áudio guide, com muito mais calma. 2) se não tiver muito tempo em Selçuk, assim como nós, vá com o tour mesmo. 3) não gostamos do ônibus da empresa Metro, procure outra opção. Pela minha pesquisa antes da viagem, tem a empresa Pamukkale que também faz esse trajeto direto. Olhando de fora, os ônibus pareciam ser bons. Há, também, a empresa Kamilkoç. 4) saindo da van que vem de Denzili, algumas pessoas vão lhe abordar oferecendo passagem para outros destinos e hotéis. Não aceite de primeira. Pesquise.
  13. Mochileiros, Fiz uma viagem de 39 dias entre Egito, Grécia e Turquia. Para não bagunçar muito, estou dividindo em 3 tópicos, um para cada país. Já fiz o relato sobre o Egito (egito-maio-2013-t85526.html#p870379) e Grécia (grecia-maio-2013-t85603.html#p870386), que foram os primeiros países da viagem. Agora vou escrever sobre a Turquia. Segue abaixo meu roteiro completo, citando os dias e cidades/países que conhecemos (eu e minha namorada). Antes de tudo, gostaria de dizer que a viagem foi sensacional e recomendamos para todos! 30-abr RJ 1-mai Londres 2-mai Cairo 3-mai Cairo 4-mai Aswan 5-mai Aswan 6-mai Luxor 7-mai Luxor 8-mai Luxor 9-mai S. El Sheikh 10-mai Dahab 11-mai Dahab 12-mai Dahab 13-mai S. El Sheikh - Atenas (via Alexandria) 14-mai Atenas 15-mai Atenas 16-mai Creta 17-mai Creta 18-mai Creta 19-mai Creta/Heraklio 20-mai Milos 21-mai Milos 22-mai Milos 23-mai Milos 24-mai Milos 25-mai viagem de navio entre Milos e Rodes 26-mai Rodes 27-mai Rodes 28-mai Rodes 29-mai Rodes 30-mai Rodes - Marmaris - Aydin - Selçuk 31-mai Selçuk - Denizli - Pamukkale 1-jun Pamukkale - Denizli - Goreme 2-jun Goreme 3-jun Goreme 4-jun Istambul 5-jun Istambul 6-jun Istambul 7-jun Istambul 8-jun Istambul - Londres - RJ GET.xls HOSPEDAGEM NA TURQUIA: Selçuk: Tuncay Pension (http://www.tuncaypension.com.tr) O responsável pelo hotel nos abordou na rodoviária. De primeira eu neguei, mas quando ele falou o preço e me mostrou algumas fotos, achamos que valia a pena conhecer. Sem contar que ele nos levou de carro, mesmo sendo bem perto da rodoviária (400m). O preço no site era EUR 40, mas ficamos por TL 60. Acho que só nós estávamos hospedados no hotel. Prós: perto da rodoviária; a basílica de São João fica atrás do hotel; vista excelente para o castelo; perto do Templo de Artemis; bom café da manhã; oferecem tour Contras: a cortina do nosso quarto não o escurecia Pamukkale: Kale Hotel (http://www.otelkale.com) - NÃO RECOMENDO Pamukkale é bem pequena e tem uma oferta razoável de hotéis. Todos os hotéis são perto da entrada para as piscinas, não se preocupe com o quesito distância. O mais longe talvez fique a uns 600m. Deve ter alguns mais afastados também. Prós: fica muito perto da entrada; tem um mercadinho ao lado; do quarto dava para ver as piscinas Contras: a cortina não escurece o quarto; tem um pub em frente que faz barulho até altas horas (pode ser “prós” também, depende do ponto de vista); o chuveiro do meu quarto espalhou água para todos os lados do banheiro (não tem box ou cortina); o café da manhã é fraco; a manteiga do café da manhã estava estragada; o wifi é ruim Goreme: Yasin’s Place (http://www.backpackerscavehotel.com/en/index.html) Hotel estilo caverna. Não é muito confortável, mas é uma oportunidade de ficar num hotel neste estilo. Reservar com antecedência, só tinham 2 quartos disponíveis quando chegamos no hotel. Chegamos de manhã e desenrolamos o check in antecipado e café da manhã de graça. Prós: hotel estilo caverna, nosso quarto era dentro da pedra; bom café da manhã; perto da rodoviária Contras: banheiro compartilhado; faz frio no quarto caverna e tem pouca ventilação Istambul: Sultan Ahmet King Palace (http://www.sultanahmetkingpalace.net) Conhecemos o hotel através de uma pessoa que nos abordou na praça. Suíte com ar condicionado e televisão. Acho que o valor do quarto é bem superior ao que pagamos, mas o fato de ficar 4 noites facilitou na negociação. Tem que pedir para arrumar o quarto, caso deseja. Prós: relativamente perto dos principais pontos turísticos; bom café da manhã; oferecem transfer para o aeroporto (EUR 6); rua silenciosa Contras: wifi deixa a desejar; é perto dos pontos turísticos, mas tem uma subida um pouco chata
  14. RODES 26/05/13: Chegamos em Rodes às 2:30h da madrugada e sem hotel reservado. Mostramos o nosso mapa impresso do Google Maps para o taxista e apontamos para a praça perto do hotel. Além de nos levar para a praça, ele ligou para a Sra. Eleni, dona do hotel. Ela veio nos buscar na praça, já que a rua do hotel é tão estreita que não entra carro. Por muita coincidência, enquanto estávamos esperando na praça, veio um outro casal perguntando onde era o hotel Eleni. Como chegamos muito tarde, avançamos um pouco na cama. Primeiramente, fomos comprar os bilhetes do navio para Marmaris (Turquia) e dar uma pesquisada no preço do aluguel de carros. Para nossa surpresa, o único dia que não teria a viagem Rodes-Marmaris seria o dia de nosso interesse. Sendo assim, compramos para o dia seguinte (29/05). Resolvidas essas questões, fomos passear pela cidade. A 1ª impressão foi muito boa, a cidade medieval é muito interessante e diferente de tudo que já vimos. Enquanto passeávamos, procurávamos a entrada para o Palácio. Fizemos tudo com muita calma, tanto que quando encontramos a entrada do Palácio ele já estava fechado (rs). O problema é que era domingo e na 2ª-feira não abre. Dicas do dia: 1) se o tempo for curto, foque conhecer o Palácio de imediato. O horário de funcionamento é de 8h às 15h, podendo entrar até 14:40h. 2) assim como o Palácio, o Museu Arqueológico não abre às 2ª-feiras. O horário de funcionamento é o mesmo. 3) deixe para comprar a passagem para Marmaris por último, mas não muito tarde. 4) tem duas empresas de aluguel de veículos em frente ao porto onde se compram as passagens para Marmaris. 5) o porto de chegada do navio vindo de Milos foi na cidade nova, já o porto de saída para Marmaris fica na cidade antiga. 6) do hotel Eleni até o porto para Marmaris são uns 10 min de caminhada (ou menos). 7) a Sra. Eleni não respondeu meu e-mail sobre a reserva do quarto. É melhor ligar para garantir. 8 ) há alguns restaurantes que expõem araras vermelhas, araras canindés, papagaios, etc. para atrair o turista. A minha dica é para não ir nesses restaurantes nem tirar fotos com os coitados dos animais. 27/05/13: Como era 2ª-feira e as principais atrações da cidade de Rodes estariam fechadas, resolvemos alugar um carro para rodar a ilha. Queríamos conhecer, também, a acrópole de Lindos, mas estava fechada na 2ª-feira. Fizemos o trajeto Rodes – Apolakkia – Gennadi – Rodes. Gastamos cerca de EUR 25 de gasolina. Antes de sair da cidade de Rodes, aproveitamos para conhecer o Stadion e o Templo de Apolo, que ficam no alto de uma montanha. Até dá pra ir caminhando, mas é cansativo. Não precisa pagar entrada e pode ir em qualquer horário. Durante a volta pela ilha paramos para conhecer 3 castelos (não tem entrada e nem horário para entrar). Os castelos na verdade estão bem destruídos e só restam algumas paredes, mas mesmo assim é muito legal. A Acrópole de Lindos avistamos de longe. Dormimos em Faliraki, que fica 15 min, de carro, antes de Rodes. Os hotéis em Faliraki são bem mais baratos. Fiquei surpreso com a quantidade de casas de strip tease em Faliraki, devia ter umas 4 na rua principal. Dicas do dia: 1) definitivamente evite estar na ilha de Rodes numa 2ª-feira. Todas as principais atrações estão fechadas. 2) se alugar um carro para rodar a ilha, aproveite para conhecer o Stadion e o Templo de Apolo, na cidade de Rodes (ficam lado a lado). 3) desde que não seja 2ª-feira, comece a rodar a ilha pelo lado contrário ao que fiz. A Acrópole de Lindos fecha às 14:40h e vale a pena conhecer. 4) tem opção de ir de ônibus tanto para Lindos, quanto para Faliraki. Para Lindos, os ônibus saem de 30 em 30 min entre 9h e 11:30h. Antes e depois dessas horas, os horários são mais espaçados. Tem ônibus desde 6:15h até 19:30h. Custam EUR 5, cada viagem. Entre Faliraki e Lindos tem ônibus quase que de hora em hora desde 7:30h até 18h. Custa EUR 4, cada viagem. 5) pra quem viaja sozinho, ficar hospedado em Faliraki pode ser muito mais econômico. Acho que deve ter bastante ônibus Rodos-Faliraki. 28/05/13: Aproveitamos o dia para conhecer o Castelo da cidade de Rodes e o Museu Arqueológico. Acho que são passeios obrigatórios para quem vai à Rodes. Tínhamos bastante tempo, então fizemos tudo com muita calma. Almoçamos na rede de lanchonete Goody’s, que fica na cidade nova, mas perto do Castelo. Lá serve almoço é bem mais barato que os restaurantes. Dica do dia: 1) se a grana estiver curta, almoce no Goody’s. É uma comida enlatada, mas é saborosa e barata. 29/05/13: A nossa viagem para Marmaris estava programada para 10:30h. Chegamos bem antes no porto e para nossa surpresa a viagem tinha sido cancelada. Não sairia mais nenhum barco para Marmaris nesse dia. O atendente alegou condições climáticas, mas o tempo estava excelente. Na verdade, acho que devia ter poucos passageiros e resolveram cancelar a viagem. Bem, tínhamos que aproveitar o dia de alguma forma e tivemos a idéia de conhecer a Acrópole de Lindos. Fizemos algumas contas e percebemos que se alugássemos um carro e dormíssemos em Faliraki, o custo seria o mesmo se ficássemos no hotel de Rodes e fôssemos de ônibus para Lindos. Carro alugado, fomos para Lindos. Acho que conseguimos contornar o problema do cancelamento do barco. Mas perdemos um dia em Istambul. Dicas do dia: 1) tenha um plano B na manga ou pelo menos um grana extra para imprevistos.
  15. MILOS 20/05/13: Chegamos às 7h em Milos, depois de uma noite muito mal dormida no barco. Sendo assim, passamos boa parte do dia dormindo. O que acabou sendo bom também... dormir sem ter hora para acordar também faz bem. No meio da tarde fui procurar pelas bicicletas que o hotel disse que teria para emprestar para gente. Uma bicicleta estava com o pneu furado e a outra não passava marcha. O plano B seria alugar uma scooter, mas não tenho habilitação para moto. Tentei desenrolar com umas 4 lojas e nenhuma liberou. O plano C era fazer algumas coisas de ônibus mesmo, mas vimos que seria bem desconfortável. A próxima opção seria alugar um carro ou um buggy. Com certeza alugaríamos um buggy, que seria mais divertido e bem mais barato. Até vimos o preço do aluguel de bicicleta (EUR 10/bicicleta), mas o preço seria quase o valor do aluguel do buggy. Como já estávamos no meio da tarde, programamos para ir ao Aciente Theatre e Catacumbas. Como não valia a pena alugar nenhum veículo nesse dia, resolvemos ir de ônibus mesmo. A nossa sorte (ou azar) foi que o motorista do ônibus avisou que esses lugares fecham às 14h. Então aproveitamos o resto do dia para descansar mais um pouco. Dicas do dia: 1) a idéia inicial era fazer quase todos os passeios de bicicleta, mas não é tão perto assim. Alugar uma scooter pode ser a melhor opção. É necessário ter habilitação para moto. 2) preços dos aluguéis: bicicleta: E 10; scooter: E 10; buggy: E 25. 21/05/13: Acordamos bem cedo para pesquisar os passeios para Kleftiko e qual loja seria a melhor para alugar o buggy. Os barcos para Kleftiko saem por volta de 10:30h e custam EUR 50/pessoa. O passeio vai para algumas outras praias também, além de oferecer um café da manhã, almoço e sucos. Ainda assim, achamos que ficaria um pouco caro se fôssemos os dois de barco. Como ficamos sabendo de uma trilha para o local, comecei a pesquisar na internet e rapidamente achei informações no Tripadvisor. Alugamos o buggy e fomos para o início da trilha. O dono da loja do buggy disse para não irmos com o buggy para lá porque a estrada não era muito boa e poderia danificar o veículo. Achamos melhor arriscar, fomos bem devagar e deu tudo certo. A estrada realmente é bem ruim (terra e com muitas pedras), mas nada demais se você dirigir calmamente e com prudência. Tem uma marcação (bandeira vermelha) do lado esquerdo da estrada indicando o início da trilha. O início da trilha começa logo após o vilarejo de Xylokeratia, que fica à sua direita. O vilarejo é tão pequeno que parece uma vila fantasma. Fizemos a trilha, andando sem pressa, em 1h (tanto na ida quanto na volta). Atenção redobrada na trilha, seja por conta das teias de aranha no meio do caminho, quanto pelas cobras. Ficamos sabendo que rola uma espécie venenosa nessa região da ilha. Até quis ver alguma, mas nenhuma cruzou nosso caminho. A trilha é muito bem sinalizada. Nos perdemos 1 vez, mas foi fácil encontrar o caminho correto novamente. No fim das contas, gastamos EUR 35 (aluguel do buggy + gasolina) ao invés de EUR 100 (passeio de barco). Ir para Kleftiko é passeio obrigatório para quem vai conhecer Milos. Dicas do dia: 1) ir por conta própria para Kleftiko tem suas vantagens: você faz o seu tempo e fica bem mais em conta; mas também tem suas desvantagens: ter que caminhar debaixo de um sol por 2h, não tem o almoço incluído e você não conhece outras praias. Preferimos ir de buggy e não nos arrependemos em nenhum momento. 2) complete o combustível do buggy antes de começar a viagem. 3) quanto antes você for, mais tempo ficará sozinho no lugar. Imagino que na alta temporada devem chegar muitos barcos por lá. 4) leve água e comida. 5) vá de tênis. A trilha tem muita pedra, além do risco de cobras. 6) programe-se para não voltar de noite, seja na trilha, seja na estrada. 7) como em parte do caminho para Kleftiko a estrada é de chão, use óculos escuros, por causa da poeira e das pedrinhas nos olhos. 22/05/13: Chegamos na praia de Tsigrado por volta de 12h. É uma praia pequena e com acesso complicado. O carro vai até perto da praia, mas para chegar nela tem que descer um buraco com uma corda e uma escada. É fácil e vale a pena demais o pequeno esforço. O lance é torcer para a praia não estar cheia. Mais de 15 pessoas e a praia já está lotada! No nosso caso, só tinha mais 2 casais. Super light. Depois de Tsigrado, fomos para Firiplaka, que fica bem ao lado. O acesso é super tranqüilo e a praia muito bonita. Passamos o resto da tarde descansando por lá. Obs.: não tem árvores em nenhuma das duas praias e o sol bate de frente a tarde toda. Ou seja, não há sombras. Dicas do dia: 1) leve água e comida. 23/05/13: O tempo amanheceu bem nublado e com muito vento. Então achamos melhor alocar o passeio das Catacumbas e do Teatro Antigo para este dia. O teatro você vê de cima, não dá para chegar muito perto. As catacumbas é um passeio legalzinho (e muito rápido). Acho que vale a pena conhecer estando em Milos. Durante essas visitações o tempo foi melhorando e fomos para a região de Polonia conhecer a praia de Papafragas. Não gostamos muito. É relativamente distante e não acrescentou muito. De lá, partimos para Sarakiniko. Essa é linda e vale a pena ficar bastante tempo. Água bem clara e calma. Fiquei bastante tempo no snorkel. Um detalhe importante é que conseguimos encontrar algumas poucas sombras na praia. Dicas do dia: 1) conhecer as catacumbas e o teatro antigo (ficam lado a lado). 2) se você estiver sem tempo, não vale a pena conhecer Papafragas. 3) leve água e comida. 24/05/13: Esse dia não amanheceu nublado, mas estava ventando muito. Fomos em direção às praias que faltava conhecer e estavam no nosso roteiro. Gostamos bastante das duas (Agia Kiriaki e Paleohori). Daria para gastar o dia inteiro só nessas duas praias, entretanto era tanto vento que os grãos de areia machucavam quando batiam no nosso corpo. Infelizmente tiramos apenas algumas fotos e fomos embora. Tivemos a idéia de irmos para Sarakiniko, que ficava na outra costa e era uma praia fechada. Sendo assim, talvez o vento não incomodasse tanto. Primeiramente, demos uma passada em Mandrakia, que também não acrescentou muito por causa do vento. O tiro foi certeiro em escolher Sarakiniko, lá estava bem mais agradável quanto ao vento. Chegamos da praia, preparamos alguns sanduíches, descansamos e fomos para o porto pegar o navio em direção a Rodes. Dicas do dia: 1) fica como uma dica geral: se o tempo estiver bom, priorize Kleftiko. Não arrisque do tempo não estar favorável no dia seguinte. 2) aproveite a sua cozinha e prepare algo para lanchar no navio. 25/05/13: Passamos o dia no navio, já que a viagem entre Milos e Rodes demorou 24h. Sendo assim, resolvemos comprar a passagem de cabine dupla. Acho que valeu a pena pagar mais caro, a cabine é bem confortável, com duas camas e um banheiro (com chuveiro) privativo. Foi uma surpresa, pois achávamos que a cabine seria minúscula e com uma beliche. Dá para colocar umas 3 pessoas a mais dormindo no chão. Lembro que o nosso navio foi o Prevelis, pela Anek Lines. Dicas do dia: 1) se a grana estiver curta e você não estiver viajando sozinho, pode valer a pena comprar a cabine para uma pessoa (não me recordo se existe essa opção) e a classe econômica para outra. Considerando que o espaço da cabine dupla é grande, acho que o da cabine individual também deva ser. Sendo assim, aquele que estiver na classe econômica pode dormir no chão da cabine. O trânsito pelas áreas do navio é livre, ninguém vai ficar monitorando se você está classe X ou Y. 2) o P.F. no navio custa EUR 7,80 com direito a suquinho. Acho que vale a pena. 3) a internet do navio é paga, mas serve para qualquer viagem pela Anek Lines. Sendo assim, você pode diluir esse preço em quantas viagens de barco vier a fazer.
×
×
  • Criar Novo...