Ir para conteúdo

eberman

Membros
  • Total de itens

    12
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Olá, postei esse texto em outro tópico, mas acho que será útil aqui tb. É sobre cozinhar em locais com energia elétrica disponível. Espero que seja útil. Em viagens longas é possível ter maior independência nos lanches e pequenas refeições no início do dia ou antes de dormir. Uso um item que aprendi vendo outros mochileiros usando (argentinos e uruguaios): o mergulhão, também chamado de "rabo quente" em algumas regiões. Pra quem não conhece é uma resistência elétrica em forma de haste com um pequeno cabo de panela na ponta com um fio e um plug de tomada. É vendido em lojas de materia
  2. Minha dica é uma ajuda pra quem tá com orçamento reduzido. Como não vi nenhuma informação a respeito da alimentação, vai aqui uma colaboração. Pode servir também pro mochileiro que tá fazendo a primeira viagem, desde que não se incomode com improvisos. Em viagens longas é possível ter maior independência nos lanches e pequenas refeições no início do dia ou antes de dormir. Uso um item que aprendi vendo outros mochileiros usando (argentinos e uruguaios): o mergulhão, também chamado de "rabo quente" em algumas regiões. Pra quem não conhece é uma resistência elétrica em forma de haste co
  3. Em Santiago consegui hospedagem por R$ 90,00 por dia por casal em apart hotel na Huerfanos del Sol (via Booking.com). Em Pucon, La Serena e San Pedro de Atacama consegui preços de estadia um pouco mais baratos em hostels. Refeições na rua custavam CH$ 4.500, por pessoa em média. Como me hospedei em apart, fiz compras no mercado pra lanchar a noite e pro café da manhã. Os valores do mercado são similares aos nossos (na conversão das moedas). Dados de maio de 2014. CH$ 250, = R$ 1,00
  4. Bariloche pode não ser a melhor época. Não é temporada de turismo forte por lá. Mendoza não necessita mais que 5 dias pra conhecer bem, porém é uma cidade agradável e menos agitada. Vc tb pode seguir pra Salta e rodar por Jujuy, Tilcara, Humahuaca, Cachi, Cafayate. Seu tempo de viagem se encaixa nesse roteiro. Que é muito bom tb.
  5. Nesse espaço de tempo não dá pra circular muito. Sugiro permanecer numa cidade grande e aproveitar bem. Buenos Aires vai te oferecer opções pra todos os seus dias de viagem.
  6. Uma dica que não impede sua programaçao mas pode ser útil: conhecer primeiro Cusco (se possível o vale sagrado tb, que é imperdivel) e depois ir pra Machu Picchu. Começar por Machu Picchu seria como comer a cereja antes do bolo. Programe-se pra comprar esses tickets com antecedencia, como Ikaro falou. O trem da morte (que de morte não tem nada) não oferece paisagens imperdíveis. A região é plana, com alguns povoados simples e áreas naturais de alagadiços. Não se preocupe com a paisagem nesse trecho da viagem. Mas não esqueça repelente para a viagem de trem. Wilianks está certo: de Uyuni deve
  7. O ideal é planejar roteiros que as travessias rodoviarias sejam noturnas (menos de 12h de viagem). Assim se economiza tempo e dá pra aproveitar um dia de passeio, fechando com partida pra outra cidade. O ponto negativo é perder a paisagem, que em alguns (muitos) trechos vale tanto quanto os atrativos a serem visitados.
  8. Mendoza pra Santiago tb acaba tomando um dia inteiro de viagem. são 7 horas, contando q a aduana será breve. Isso tb joga sua programação um dia pra frente. E por aí vai.
  9. Se é pra ser econômico e melhor aproveitado, sugiro excluir o Chile (que é o mais caro de todos) e focar na Argentina, Bolívia e Peru. Assim será mais fácil aproveitar os lugares, aumentar o tempo de permanência em cidades que merecem e ainda assim fazer uma viagem bem intensa. Travessias de fronteira por terra podem te custar um dia de viagem. A aduana tem horário de funcionamento. Eu já perdi tempo precioso em travessias por causa disso. Outro ponto que vcs devem revisar é o deslocamento x tempo. Em viagens muito longas, o horário de chegada pode custar a programação do dia, considerando que
  10. Uyuni possui escritórios de empresas de onibus que funcionam como uma rodoviária. É só procurar o local de onde partem onibus para Oruro ou La Paz, que é o caminho a ser seguido até Copacabana. Uyuni é um ovo de cidade. Não tem erro.
  11. Dependendo de quanto o dolar poderá subir, vc acabará perdendo na hora do cambio. De maneira geral, na Argentina não fará muita diferença. O peso arg tá desvalorizado e ainda é vantajoso, mesmo com o dolar custando mais caro aqui n o Brasil. Recomendo levar dolares em espécie pra Argentina e fazer cambio na rua. Eu consegui 1 U$ = 11 pesos em maio/2014 (viagem por SAntiago, San Pedro Atacama, Jujuy e Salta). No Chile, essa operação não vale a pena. Acho melhor levar cartão e sacar nos caixas ATM. Se tivesse levado dolares em espécie para o Chile, teria saido no prejuizo.
  12. Já fiquei no Suites Florida e achei muito bom. Recomendo.
×
×
  • Criar Novo...