Ir para conteúdo

Felipe Henrique de Melo

Membros
  • Total de itens

    9
  • Registro em

  • Última visita

Posts postados por Felipe Henrique de Melo

  1. Saudações viajantes! Estou indo a Ilha do Sol esse mês e gostaria de saber se alguém tem notícias se a Ilha está liberada para o tour. Fiquei sabendo que os povos tinham se estranhado e por conta disso os passeio estava suspenso. Alguma notícia?

     

  2. Saudações viajantes! Estou indo a Ilha do Sol esse mês e gostaria de saber se alguém tem notícias se a Ilha está liberada para o tour. Fiquei sabendo que os povos tinham se estranhado e por conta disso os passeio estava suspenso. Alguma notícia?

     

  3. 1 hora atrás, Pacnnunes disse:

     

     


    Fala Felipe! Pretendo ir também em setembro, Mas passarei alguns poucos dias no pantanal, e depois vou até Sta. Cruz de la Sierra via trem. Quem sabe nos esbarramos por la! Abraço!

     

     

    Pois é "pac", minha vontade era essa tambem, ir de trem para Santa Cruz (o famoso trem da morte). Minha posição geográfica não ajuda, minha viagem ia ficar muito mais cara. Vamos nos falando por aqui, quem sabe a gente não se tromba. Abs!

  4. Fala galera mochileira... Esse relato ficou muito bom, parabéns. Como comigo não podia ser diferente estou anexando um arquivo como possível roteiro de aproximadamente 13 dias na Bolívia, incluindo Uyuni e La Paz (justifico a quantidade de dias pelo falto que iremos ora de avião, ora de ônibus), mas a ideia é que todos possam me ajudar com dicas, sugestões porque quero evitar o minimo de perrengues durante a trip. Forte abraço a todos, paz!

    CRONOGRAMA DE VIAGEM - EMAIL.docx

  5. Em 16/06/2015 em 23:14, rodrigovix disse:

    Mochilao_Bolivia-Chile-Peru_Rodrigo-Alcure.jpg.741e387d178ddd322198652d1343aa71.jpg

     

    Índice do Relato:

    [Pag. 1] Capítulo 1: Preparativos para a viagem

    [Pag. 1] Capítulo 2: Santa Cruz de la Sierra, Sucre e... o mal da altitude.

    [Pag. 3] Capítulo 3: Enfim Uyuni! Três dias inesquecíveis.

    [Pag. 4] Capítulo 4: Vulcões, desertos e as Lagunas Altiplânicas.

    [Pag. 6] Capítulo 5: ¡Adiós, Uyuni! A beleza dos Geisers e o sofrimento dos -10ºC.

    [Pag. 7] Capítulo 6: Os encantos de San Pedro de Atacama.

    [Pag. 8] Capítulo 7: As Piedras Rojas, as Lagunas Altiplanicas e o Salar de Atacama.

    [Pag. 8] Capítulo 8: O Salar de Tara e o adeus a Atacama.

    [Pag. 10] Capítulo 9: De Arica para Tacna: cruzando a fronteira com o Peru.

    [Pag. 11] Capítulo 10: Ô Maria esta suruba me excita... Arequipa! Arequipa! Arequipa!

    [Pag. 12] Capítulo 11: De um luxuoso ceviche à muvuca do Mercado San Camilo.

    [Pag. 13] Capítulo 12: Dois dias de calotes, perrengues e superação pelo magnífico Cañon del Colca. [1ª Parte]

    [Pag. 14] Capítulo 12: Dois dias de calotes, perrengues e superação pelo magnífico Cañon del Colca. [2ª Parte]

    [Pag. 15] Capítulo 13: Oásis são reais! Um dia de muita diversão pelas dunas de Huacachina.

    [Pag. 15] Capítulo 14: As Islas Ballestas e a Reserva Nacional de Paracas: um passeio pelo Oceano Pacífico.

    [Pag. 16] Capítulo 15: Cusco, a cidade histórica.

    [Pag. 17] Capítulo 16: O Vale Sagrado dos Incas.

    [Pag. 20] Capítulo 17: O lindo – e traumatizante – caminho até Aguas Calientes.

    [Pag. 23] Capítulo 18: Machu Picchu, a Cidade Perdida dos Incas... e uma noite no hospital.

    [Pag. 25] Capítulo 19: Até a próxima, Machu Picchu! É hora de seguir para Puno.

    [Pag. 26] Capítulo 20: Puno e o passeio pelas Islas Flotantes de Uros e Isla Taquile.

    [Pag. 30]Capítulo 21: Cruzando a fronteira com a Bolívia rumo a Copacabana.

    [Pag. 31] Capítulo 22: Os encantos da Isla del Sol.

    [Pag. 33] Capítulo 23: O adeus à Isla del Sol. É chegada a hora de conhecer a caótica La Paz.

    [Pag. 34] Capítulo 24: Chacaltaya, Valle de la Luna... e o dia em que fomos furtados.

    [Pag. 38] Capítulo 25: O eletrizante downhill pela Carretera de la Muerte.

    [Pag. 41] Capítulo 26: ¡Hasta la vista, baby! É hora de voltar pra casa.

    [Pag. 41] Capítulo 27: Agradecimentos.

     

    ::hãã2:: Pessoal, criei recentemente um instagram só de viagens. Então se você também ama carimbar seu passaporte, segue lá:

    @queridopassaporte.

    Aproveita pra comentar que veio pelo Mochileiros hehe. ::otemo::

     

    Editado:

    Baixe o PDF com o relato completo:

    relato_rodrigovix_26dias_bolivia_chile_peru_abril2015.pdf

    (Agradecimentos à Fernanda Arruda por ter compilado o relato em pdf pra gente - página 47)

     

     

    Salve, salve, mochileiros deste Brasil varonil!

     

    Cá estou eu prazerosamente cumprindo minha obrigação de compartilhar o relato da viagem que fiz em abril deste ano. Digo “obrigação” mesmo, porque me sinto moralmente obrigado a ajudar o mínimo que seja no planejamento da viagem dos próximos mochileiros, uma vez que 99%, se não 199%, se não 27.569%, se não 6,02x10²³% (aulas de química? alguém lembra? hehedeusmelivrehehe) do meu planejamento se devem aos relatos e informações presentes aqui neste fórum. Por isso, já vou logo deixando o meu MUITO OBRIGADO, CAMBADA!!!

     

    Antes de mais nada, devo informar que este relato será cheio de texto, informações e fotos (muitas fotos). Portanto, praquela galera menos paciente que gosta de ir direto ao assunto, farei, ao final, uma versão resumida com as principais informações, belê?

     

    O ROTEIRO:

     

    O roteiro já é um clássico aqui no mochileiros. A chegada por Santa Cruz de la Sierra, seguindo pra Uyuni, depois Atacama, subindo pro Peru e fechando a volta até La Paz é um bom caminho para irmos nos aclimatando gradativamente. Muitos optam pelo caminho inverso e sofrem muito com a brusca mudança de altitude ao chegar em La Paz.

     

    mapa_roteiro_bolivia_chile_peru.jpg.1842a58fc66de38e4112b07ef866ea59.jpg

     

     

    • 01/04 Vitória x São Paulo x Santa Cruz de la Sierra x Sucre
      02/04 Sucre x Uyuni
      03/04 Salar de Uyuni
      04/04 Salar de Uyuni
      05/04 Salar de Uyuni
      05/04 San Pedro de Atacama
      06/04 San Pedro de Atacama
      07/04 San Pedro de Atacama x Arica
      08/04 Arica x Tacna x Arequipa
      09/04 Arequipa
      10/04 Cañon del Colca
      11/04 Cañon del Colca x Arequipa x Ica
      12/04 Huacachina
      13/04 Islas Ballestas + Paracas
      13/04 Ica x Cusco
      14/04 Cusco
      15/04 Cusco (Vale Sagrado)
      16/04 Cusco x Aguas Calientes
      17/04 Machu Picchu
      18/04 Aguas Calientes x Cusco x Puno
      19/04 Puno (Uros + Taquile)
      20/04 Puno x Copacabana
      21/04 Isla del Sol
      22/04 Isla del Sol x Copacabana x La Paz
      23/04 La Paz (Chacaltaya + Valle de la Luna)
      24/04 La Paz (Downhill)
      25/04 La Paz
      26/04 Santa Cruz de la Sierra x São Paulo

     

     

    Quanto ao valor no título (1.600 dólares), ele se refere a PASSAGENS AÉREAS + TRANSPORTE + ALIMENTAÇÃO + HOSPEDAGENS + PASSEIOS durante esses 26 dias. Só não inclui aqui os gastos prévios que tive com vestuário, bota impermeável, mochilas, câmera e equipamentos fotográficos, passaporte, etc., porque isso varia muito de pessoa pra pessoa. E como o custo em reais depende muito do preço do dólar à época, decidi manter em dólar.

     

    De toda forma, a quem interessar possa, ficam aqui algumas coisas que comprei:

     

    - Bota Timberland Flume Mid Waterproof

    http://www.centauro.com.br/bota-timberland-masculina-flume-mid-waterproof-777831.html

     

    Pra quem quer investir numa bota impermeável, é uma ótima opção, além de ser esteticamente bonita. Pisei em diversas poças d'água, peguei chuva, e os pés continuaram secos. Ela é até confortável, mas isso não costuma ser a principal característica de botas de trekking, então não espere o conforto de um tênis. Foi o único sapato que usei durante toda a viagem (além do par de chinelos, claro).

     

    - Blusa e calça segunda pele (1ª camada), fleece (2ª camada) e casaco corta-vento-e-chuva (3ª camada), money belt, saco de dormir (lençol), mochila, capa para mochila, meias, toalha de secagem rápida e mais uma porrada de coisas eu comprei na Decathlon. É o lugar mais completo e barato para se comprar essas coisas. Deixei uma grana boa por lá. Dá uma olhada no site e, se tiver uma loja perto de você, melhor ainda, dê uma passada lá.

    http://www.decathlon.com.br/

     

    - Câmera Nikon D5300 kit de lente 18-55mm VR II

    http://www.nikon.com.br/Nikon-Products/Product/dslr-cameras/1522/D5300.html

     

    - Lente Wide Angle Sigma 10-20mm f4-5.6

    https://www.detonashop.com.br/lente-grande-angular-sigma-10-20mm-f-4-5-6-ex-dc-hsm-para-nikon.html

     

    - Tripé, filtro polarizador, disparador remoto, etc. eu comprei pelo Mercado Livre.

     

    SOBRE AS MOCHILAS...

     

    Usei uma Forclaz 50L Quechua...

    http://www.decathlon.com.br/montanha-aventura/mochilas-38170/mochila-trecking/mochila-forclaz-50-litros-quechua_167478

     

    E uma Targus Spruce EcoSmart de mochila de ataque.

    http://targus.com/us/15_6-spruce-ecosmart-backpack-tbb013us

     

    Essa da Targus eu já tinha há bastante tempo. É uma mochila mais voltada para notebook, mas como eu não queria gastar com uma mochila de ataque, optei por essa mesmo. Foi nela que carreguei meus equipamentos fotográficos durante todo o tempo.

     

    Obs.: É MUITO importante uma mochila de ataque (mochila de menor tamanho) nesse tipo de viagem. Isso evita carregar peso desnecessário em diversos momentos. Não deixe de levar uma.

     

    Quanto à mochila de 50L, muitos me questionaram se não era pequena demais pra 26 dias. Minha resposta é: depende. Se você não quiser lavar muita roupa, tem que levar uma maior. Agora, se você busca praticidade, 50L bastam. Levei roupa pra uma semana, mais ou menos, e usava o serviço das lavanderias sempre que necessário. É barato e você acha fácil em qualquer lugar por onde passa.

     

    Aqui vai uma relação completa do que levei nessa viagem:

     

    • 7 camisetas
      1 camisa manga longa segunda pele (1ª camada)
      1 calça segunda pele (1ª camada)
      1 casaco fleece (2ª camada)
      1 casaco impermeável (3ª camada)
      1 calça-bermuda
      3 bermudas
      8 cuecas
      6 pares de meias grossas cano alto
      1 toca
      1 par de luvas
      1 toalha microfibra (secagem rápida)
      1 saco-lençol de dormir
      1 money belt (doleira)
      1 relógio
      1 sabonete
      1 shampoo médio
      1 protetor solar grande
      1 protetor labial
      1 repelente
      2 cadeados
      1 escova de dentes
      1 creme dental
      1 barbeador elétrico
      1 desodorante aerossol
      1 perfume
      1 cortador de unhas
      1 canivete suíço
      1 kit remédios (enjoo, dormir, dores e gripe)
      1 bepantol creme
      1 par de óculos de sol
      1 pacote de lenços umedecidos
      1 celular
      1 carregador
      1 par de fones de ouvido
      1 máquina fotográfica
      1 lente 18-55mm
      1 lente 10-20mm
      2 cartões de memória 32GB
      1 tripé grande
      1 mini-tripé
      1 kit limpeza para câmera
      1 caneta
      1 bloco de anotações
      1 capa de chuva para a mochila
      1 pasta plástica para documentos
      1 carteira com Identidade e Cartão de Crédito Internacional

     

     

    conteudo_mochilao_50L.JPG.5ec7c7faa361829029be1b35e860af38.JPG

     

    NA PASTA DE DOCUMENTOS:

     

    • Cartões de embarque
      Ingresso de Machu Picchu + Huaynapicchu
      Cartão internacional de vacina (ANVISA)
      Certificado do Seguro Viagem
      Nota fiscal dos equipamentos fotográficos
      Todos, eu disse TODOS os papeis que você receber durante a viagem

     

     

    É importante levarmos uma pasta para documentos. Levei uma dessas de plástico maleável, que permite dobrar ao meio e guardar facilmente na mochila. É ali que você vai carregar muita coisa importante, como:

     

    - Cartões de embarque: Guarde-os sempre, mesmo quando já tiver realizado o voo. Nunca se sabe.

     

    - Ingresso para Machu Picchu: Compramos pelo site oficial, e não por agências. Tentamos com o meu cartão e não consegui, mesmo com a liberação da VISA para compras internacionais. Tentamos com o cartão da minha cunhada, e deu certo. A dúvida então seria quanto à exigência de que o titular do cartão seja um dos que ingressarão no parque. Levamos cópia do cartão e da identidade dela, com medo de sermos barrado na entrada. Quando chegamos lá, nem olharam pra nossa cara direito. Olharam o ingresso, carimbaram a entrada e pronto.

     

    - Cartão Internacional de Vacina: A vacina contra febre-amarela, por lei, é obrigatória para ingressar na Bolívia. Se você já tomou essa vacina nos últimos 10 anos, basta ir direto a um posto da ANVISA retirar o seu Certificado Internacional. No meu caso, precisei tomar de novo, porque já não tinha mais a minha carteirinha. Fui a um posto de saúde e me vacinaram na hora. Verifique antes os dias e horários de vacinação do seu posto, pois eles costumam destinar um período específico da semana pra certos tipos de vacina. Depois de vacinado, fui à ANVISA (já tendo feito previamente o cadastro no site deles, que eles pedem mais pra adiantar o atendimento) e lá emitiram o Cartão Internacional de Vacina. Aí você me pergunta, em algum momento pela Bolívia as autoridades nos cobraram este Cartão? A resposta é NÃO, como você pode ler em todos os relatos aqui do fórum. Massss, lei é lei, e você não quer dar sorte ao azar numa viagem dessas, certo? Pois é.

     

    - Certificado do Seguro Viagem: Faça um Seguro Viagem. Não chore miséria e nem cogite não fazer numa viagem desse tipo. Eu fiz e foi o que me salvou, pois precisei acioná-lo. É um valor relativamente pequeno (menos de R$200) perto da segurança que é contar com o amparo médico em terras estranhas. Há relatos de pessoas que gastaram fortunas com hospitais por não terem feito o Seguro, portanto não dê essa bobeira. Eu fiz pela Mondial Travel, apenas porque foi o que mais li nas indicações aqui no fórum. Faça sua pesquisa e escolha a empresa que achar melhor, mas não deixe de se assegurar.

     

    - Notas fiscais de equipamentos eletrônicos: É uma forma de comprovar que você os comprou no Brasil ou em outro local cujos impostos já foram devidamente pagos. Eu não quis arriscar e levei as notas dos equipamentos fotográficos que estava carregando. Se você estiver levando notebook, máquinas de maior valor e afins, não custa nada levar as notas, caso ainda as tenha. Não ocupa espaço e te dá mais tranquilidade. Mas eu precisei usar? Não. Nem mesmo na declaração aduaneira eu precisei registrar, porque era considerado “uso turístico”. Então é quase uma questão opcional, vai de cada um.

     

    - Todos os papeis que você receber: Guarde TODOS. Muitos deles você irá precisar quando estiver retornando ou saindo daquele país, e perde-los é uma dor de cabeça que você quer evitar. Nós já aproveitamos a pastinha pra ir guardando tudo, de documentos de imigração até recibo carimbado de passeio. Sem falar que é a melhor forma de você se recordar dos lugares que visitou, os nomes, a ordem das coisas que viu, etc.

     

    NO MONEY BELT:

     

    • Dólares
      Reais
      Passaporte
      Chave reserva do cadeado

     

     

    O uso do money belt (uma espécie de cinto onde se guarda documentos e dinheiro e que se usa por baixo da roupa) é altamente recomendável. Deixar essas coisas na mochila pode ser muito arriscado, porque o principal problema do turismo são os altos índices de furto. Mantenha seu dinheiro e o seu passaporte com você o tempo todo, e só tire para tomar banho. Durante o único e pequeno momento em que nos afastamos do nosso money belt na viagem, deu merda. Então não se arrisquem.

     

    Ah, outra dica é não deixar o cartão de crédito junto com o dinheiro e o passaporte. Por segurança, é melhor que ele esteja em um local separado. Se você for furtado ou perder seu money belt, terá o cartão para emergência. No nosso caso, deixávamos o dinheiro e o passaporte no money belt e o cartão de crédito guardado na mochila. O mesmo vale para as chaves do cadeado. Mantenha a chave reserva guardada em um local separado.

     

    PREPARATIVOS PARA A VIAGEM:

     

    Bom, a preparação pra essa viagem começou lá em agosto de 2014, mais ou menos. Quando digo “preparação” leia-se “- Bora viajar pela América do Sul ano que vem? - Bora! - Então fechou!”. De lá pra cá, muita pesquisa, muito rabisco, muita mudança de planos e muito obstáculo. Isso é normal, não se assustem. Se querem atingir o grande objetivo de viajar pelo mundo, estejam preparados para enfrentar de tudo um pouco.

     

    As únicas coisas que compramos com antecedência foram as passagens aéreas BRA x BOL, o aéreo Santa Cruz x Sucre, o Seguro Viagem e os ingressos para Machu Picchu + Huaynapicchu, pois, se você deseja subir este último, é necessário comprar com meses de antecedência (a subida ao Huaynapicchu é limitada a dois grupos de 200 turistas por dia). Pegamos uma promoção da GOL e pagamos R$ 574,77 no trecho ida e volta SP/Guarulhos (GRU) x (VVI) Santa Cruz de la Sierra/Viru-Viru (fiquem atentos aos grandes feirões de promoção que costumam acontecer a cada dois meses em média). O trecho VVI x SRE/Sucre optamos por fazer de avião, e pagamos US$ 55. Já o Seguro Viagem, pagamos R$ 140 para cobertura Mochilão / 26 dias / Bolívia, Chile e Peru.

     

    Tudo ia dando certo, dinheirinho na poupança todo mês, 13º dando aquele help, planejamento seguindo nos conformes. Masssss a calmaria antecede a tempestade, meus jovens. E foi só chegar nos últimos dois meses antes da viagem que o Universo começou a dizer “Tá achando que vai ser fácil assim, cara pálida? Negativo”.

     

    Pra começar, o dólar, que já não parava de subir, decidiu entrar num foguete e decolar rumo à estratosfera. E como só compraríamos os dólares na véspera da viagem... nos F*DEMOS bonito. Só em março foi um aumento de R$ 0,35 (trinta e cinco f*cking centavos). E isso só nos deixou com duas opções: injetar mais dinheiro pra compensar a subida ou economizar ainda mais pra compensar a queda. Acabamos optando por um pouco de cada.

     

    Ok, alta do dólar devidamente “digerida”, seguíamos com os preparativos finais. Mas aí o Universo deu aquela risada de deboche e disse “Pensam que acabou? Então peraí...”, e resolveu mandar o que parecia ser algo bem simples tipo O FIM DO MUNDO:

     

    fim_do_mundo.jpg.ad015318d29fcd6a43efb1742e23cda5.jpg

     

    Vulcões em erupção no Chile. “-Beleza, acontece.”

    Dilúvio no Atacama. “-Oi??? Dilúvio na p*rra do deserto mais seco do mundo?!”

    Terremoto de 5,8 com alerta de tsunami. “-Véi, na boa...”

    Crise política se agrava no Peru. “-MAIS GRAVE VAI FICAR QUANDO EU CHEGAR AÍ!!!1”

     

    Sacomé, a gente é mochileiro, e mochileiro brasileiro não desiste nunca. Ignoramos todo o caos, a zica e as 14 velas acesas por nossas mães e partimos rumo ao Apocalipse. Afinal, se é pra curtir o fim do mundo, que pelo menos seja de mochila nas costas batendo perna por aí, né não?

     

    PRÓXIMO CAPÍTULO: Partiu Mochilão!!! Santa Cruz de la Sierra, Sucre e... o mal da altitude. ::dãã2::ãã2::'>

     

    CRONOGRAMA DE VIAGEM - EMAIL.docx

  6. Segue em anexo um possível roteiro de viagem ate à Bolívia. Gostaria que quem pudesse ler e me ajudar com dicas, informações, sugestões e até mesmo refazer alguns dos passeios que eu pretendo fazer, fiquem totalmente a vontade. Preciso da ajuda de vocês. Lembrando que os passeios não estão por ordenados sistematicamente, ou seja, quem quiser dar conselhos de ordená-los, da mesma forma, estejam a vontade.

    Um grande abraço e obrigado a todos!:D

    CRONOGRAMA DE VIAGEM - EMAIL.docx

  7. Boa noite galera, tdo bem? Meu nome é Felipe e estou planejando fazer essa viagem a muito tempo. E acreditem ou não essa será minha primeira viagem como mochileiro e não tenho experiência nenhuma. Minha ideia é ir até Machu-Picchu saindo de Ji-Paraná-Ro ( acredito que muitos nunca nem ouviram falar ). Eu quero ir de ônibus até Corumbá-MS. Li que temos que pegar um táxi para chegar até a estação. PRIMEIRA DUVIDA: Li que tenho que chegar antes das 8:00 da manha para pegar o trem e vi também que é muito difícil de comprar a passagem e embarcar no mesmo dia/hora, é verdade? Depois de chegar em Santa Cruz pretendo pegar um ônibus ate La Paz onde li que existe um passeio de DownHill de Coroico ( Estrada da Morte ), alguém pode me indicar uma empresa boa e confiável para contratar? No outro dia ir para Copacana onde quero fazer a visita ao Lago Titicaca, dormir por lá e ir depois para Cuzco. Para chegar até Machu-Picchu eu quero ir pela trila inca, diz que tem uma programação de quatro dias e três noites que muito legal.

    Bom gente como vocês perceberam, meu roteiro não é tão rico em detalhes pelo fato de eu não ter nenhuma experiência, e como esse é intuito do fórum eu gostaria muito da ajuda de quem já fez esse trajeto. Por favor leiam com atenção meu post e vejam o que pode ser incluído nesse roteiro. Se existe, por exemplo, outros atrativos na cidade de La Paz que vale a pena, tanto como passeios do estilo DownHill ou museus, história e etc. E em Copacabana, como é? Tem mais alguma coisa que vale a pena ser incluído? E a trilha inca, alguma sugestão e idéias para levar em consideração?

    Fico aguardando contatos, quanto mais informações, melhor vai ser. Um abraço e até logo.

×
×
  • Criar Novo...