Ir para conteúdo

pgstein

Membros
  • Total de itens

    19
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que pgstein postou

  1. Arequipa é uma bela cidade...com jeito de cidade grande, 700 mil habitantes... Fiz um tour free que sai da Plaza de Armas, construções belíssimas e baita cultura, vale a pena dois dias por lá, boa viagem
  2. Obrigadão Juliane...acho q vou começar montar o roteiro hj...já animou geral...vou pegar ótimas dicas suas... Gosto muito quando a pessoa coloca valores... Ajuda pacas. Abçs
  3. Juliane... relato top !!! vlw por compartilhar conosco, tá completão com dicas e preço isso ajuda muito. Me animou a ir em Abril pra Colômbia... Irei com minha esposa e minha Mãe, q já tem 8.0, e o preço dos táxis vai ser ótimo pra gente... Vc acha que ela vai aproveitar bem esse destino?? Ela tá inteirona, só não gosta de andar, rs . Abraços
  4. Oi Kely, legal que tenha gostado e obrigado. Tenho certeza que ficará encantada com o Peru, o país é lindo e o povo super simpático e disposto a ajudar, desejo uma ótima viagem pra você, aproveite muito. Se precisar, dá um alô , será um prazer ajudar. Forte Abraço
  5. Oi Filipelyrio... Legal que tenha gostado e obrigado.é muito bom poder dividir um pouco das nossas experiencias e assim colaborar no que é possível com outras pessoas que estão planejando suas viagens. Abraços
  6. Oi Isabelle !!! Não tem o que agradecer, é um prazer a gente compartilhar nossas experiências e assim colaborar com o planejamento de outras pessoas, como você, contei com a colaboração de muita gente, o Mochileiros é top. Que legal que tenham gostado da viagem, nós também adoramos a viagem, o povo e os lugares...ainda volto ao Peru. Em setembro to indo pro Uruguai e Argentina ( Buenos Aires ) , dessa vez vou de moto e sozinho...já tô na ansiedade e no planejamento. Costumo dizer que viajar é o melhor plano de saúde que podemos pagar, e sabemos que viagem não tem gasto...é um investimento. Quando você postar seu relato, me dá um alô por aqui...blz ?? Forte abraço e desejo muitas viagens pra você.
  7. Oi Vanessa..! Não tenho certeza, mas creio que seja as 10 da manhã . Fico te devendo a informação do fim de semana, mas na Plaza de Armas tem um Centro de informações turísticas, no lado contrario a Igreja, lá que me informaram sobre o tour... chegando, já dá uma passada lá, e aproveita e pergunta o horário da visita no mirante da Igreja, eu não consegui subir pois fecha no fim de semana, me disseram que lá tem um belo visual do Sr. Misti. Aproveite muito sua viagem, o Peru é lindo...!! voltarei, é certo.
  8. Oi apimentel75...legal que gostou, compartilhar nossas viagens é um prazer e com certeza a gente dividindo nossas informações, fazemos que outras pessoas possam somar dicas e planejar uma viagem melhor. Forte Abraço
  9. Oi Liza...!! Legal que tenha gostado do relato...e aqui vamos nós sempre buscando a riqueza das viagens. Forte Abraço
  10. Oi Isabelle, legal que vc tenha gostado do relato. Só pra ir ao Canyon de Colca são os 2 dias...sai de manhã, dorme em Chivay, dia seguinte Colca e chega no final da tarde em Arequipa...se tem mais um dia dá pra conhecer um pouco de Arequipa, que aliás é bem bacana. Vi em alguns relatos que Puno no bate e volta é meio furada...seria muito corrido mesmo, e perguntando a um amigo que foi em Puno e no Colca qual ele indicava ...foi taxativo : Colca ! então fui na dele, e adoramos o passeio ao Canyon... é lindo e a viagem muito bacana. Mas pelos dias que vc vai estar lá...dá pra aproveitar bem...chega na quinta, conhece a cidade na sexta e compra o Tour ao Canyon, vai no sábado e volta no domingo a tarde...e ainda tem segunda o dia todo pra aproveitar...boa viagem !!! qualquer coisa é só dar um alô.
  11. Oi Lilian...obrigado e desculpa a demora pra responder, eu levei um pouco de cada, e em Cusco é super tranquilo trocar os dois, naquela cotação que falei no relato e se vc não tiver dólares sobrando, rs...melhor ir de real, pois mesmo o sol estando mais valorizado que o real, os preços lá são super em conta. E por aqui mesmo aprendi uma coisa...quanto mais cambio...mais se perde, imagina comprar dólares aqui no preço q tá e trocar lá numa cotação menor, vc perderá 2 vzs. Na Av. del Sol tem vários pontos de trocas, dentro de lojinhas, levei a caneta de verificar notas falsas, mas o cambista carimbava as notas que eu trocava com ele, um carimbo minúsculo...mas se eu tivesse algum problema era só voltar lá. Qualquer coisa , tô por aqui, um abraço e boa viagem !
  12. Olá Carlos, No Canyon durante o passeio estava tranquilo, fazia muito sol e apesar do vento, não fazia muito frio. Na noite anterior, que ficamos em Chivay, estava frio pacas !!! e pra ajudar choveu. A segunda pele é uma boa mesmo...usei mais em Cusco do que na região de Arequipa e Canyon del Colca. Mas já tá fazendo 1 mês que fui, creio que agora já esteja bem mais frio por lá, mas, uma blusa corta vento não pode faltar na mochila. Qualquer coisa é só dar um alô...tô por aqui
  13. OI Fabio...tava esquecendo, quando comprei minhas passagens nos trechos:São Paulo- Cusco, Cusco - Arequipa e Arequipa São Paulo ficaram no mesmo preço que São Paulo - Cusco ida e volta...de repente é bom dar uma olhada, vai que..Abçs
  14. Oi fabio, cheguei a encontrar pessoas que por falta de tempo vão de Cusco direto pra Machu Picchu, não acho legal, o Vale Sagrado faz parte de toda essa historia, e é muito legal ir entrando no clima viajando pelo Vale. Saí de Cusco e fiz tour até Ollantaytambo, achei bem bacana, peguei o trem ali, saí mais barato do que se comprar direto de Cusco, é mais perto. Dormir em Aguas Calientes também foi essencial, pois assim se consegue ir bem cedo pra Machu Picchu e nesse horário tá mais tranquilo lá, a maioria do pessoal chega a partir das 10:00 no trem que vem direto de Cusco. Então , vc precisaria de 2 dias pelo menos, Vc faria parte do Vale ( Pisac e Ollantaytambo ) e chegaria bem cedo em Machu Picchu. Mas Cusco e região(Vale Sagrado, Machu Picchu e outras ruinas ) é muito legal, merece uns 4 dias por alí, sou suspeito, gostei pacas de Cusco, rs. Qualquer dúvida...fique a vontade pra perguntar, tô por aqui...Abçs
  15. Quando comecei a planejar minha viagem ao Peru foi tudo muito confuso ãã2::'> , muitas informações e eu demorei a entender toda a trajetória que se faz de Cusco até chegar no destino final, Machu Picchu. E também estava na duvida entre o Canyon del Colca e Puno, como meu segundo destino, pois queria aproveitar bem o tempo que tinha disponível e não queria fazer passeios com a correria de um tour turístico, decidi pelo Canyon del Colca, então vamos lá... ROTEIRO DA VIAGEM AO PERU ( 15 a 26/04 2015) 15/04- viagem pra Cusco- saída as 06:10 hs -chegada em Cusco as 16:00 hs ( Hostel Mama Simona ) 16/ 04- Cusco - passeio centro - comprar boleto turístico - mercado – San Blas 17/04- Cusco - passeios: Tambomachay – Pukapukara e terminando em Sacshavaman 18/04- viagem para Valle Sagrado - Pisac – Ollantaytambo viagem pra Aguas Calientes - trem as 18:30 hs – chegada a 21:00 em Águas Calientes ( Pirwa Hostels ) 19/04- Machu Picchu-Huayna Picchu- voltamos as 18 hs no trem até Ollantaytambo ( hostel Mamá Simona Ollantaytambo ) 20/04- Ollantaytambo – Salineras de Maras e Moray – Chinchero - viagem pra Cusco 21/04- Cusco - Pikillacta-compras- San Blas 22/04- vôo para Arequipa as 16:30 hs ( Hostel La Casa de Sillar Arequipa ) 23/04- Arequipa - city tour free – mirante de Uaynauhara 24/04- Arequipa – partindo pra Canyon do Colca ( Hostel em Chivay – incluso no passeio ) 25/04- Canyon del Colca. 26/ 04-Arequipa - vôo para Lima as 18:05 h e para São Paulo as 21:55 h Comprei as passagens com bastante antecedência, assim como as entradas para Machu Piccu e Huayna Picchu e tambem para o trem que nos levou até lá, isso me deu tranquilidade para escolher os percursos e hostels. Depois foi só conter a ansiedade e preparar as mochilas que eu e minha esposa Gisele arrumamos aos poucos e esperar o grande dia. Saímos de Guarulhos as 6:00 hs e depois de uma escala em Lima de 4 horas, chegamos em Cusco por volta das 16:00. No trajeto, já começamos a visualizar as cordilheiras e a expectativa da chegada já nos deixou eufóricos. No aeroporto de Cusco, o táxi nos aguardava, já havia combinado com o hostel e assim nos dirigimos ao Mama Simona Hostel, preço da corrida S/. 15,00. De início deu pra perceber o quanto é confuso o trânsito em Cusco, muitos táxis, ruas estreitas e pouco respeito as regras de trânsito. Antes da chegada ao hostel passamos pela região do Mercado San Pedro e começamos a ver de perto a verdadeira cultura cusquenha, venda de mercadorias no chão, inclusive aves e carnes, e muita gente circulando e comprando . Chegamos cansados, na noite anterior não dormimos, tomamos um banho, chá de coca, minha esposa deitou e dormiu, eu saí pra jantar e trazer algo pra ela comer. Quando comecei a andar pelas ruas da cidade já me encantei com as construções que unem pedras do tempo Inca com a arquitetura espanhola. Logo cheguei na Plaza de Armas, tudo me pareceu muito mais grandioso do que eu tinha visto em fotos e vídeos...é linda !!! E o clima festivo encantava, pois haviam grupos de danças que ensaiavam ao redor da mesma, fato esse que aconteceu em todas as noites que lá estivemos, estava um clima de festa, logo na primeira noite no Peru . No segundo dia na cidade, tínhamos o roteiro livre e saímos para conhecer o centro histórico, comprar os boletos turísticos, S/. 130,00 cada e passear sem nada programado, para aos poucos, nos aclimatarmos com a altitude e conhecer o povo cusquenho de perto e após passearmos pela Plaza de Armas, fazer câmbio, que no final de Abril de 2015 estava US$ 1,00 = S/.3,12 e R$ 1,00 = S/. 0,94, fomos ao Mercado San Pedro. Estou acostumado a frequentar o mercado da minha cidade e conheço alguns em cidades brasileiras, mas o que encontramos ali foi algo de surreal, as carnes vendidas de maneira bem diferente, em cima de balcões e penduradas, os miúdos e outras partes não muito comercializadas por aqui, cabeças , fuços e outros cortes no balcão sem nenhuma refrigeração ou embalagens e por incrível que pareça não haviam moscas sentadas nas peças , quando procurei a resposta pra isso, me disseram que pela altitude as moscas não sobrevivem por lá, creio que seja mesmo, pois quem já fez um churrasco em casa, sabe como aparecem moscas do nada e insistem em nos acompanhar na festa. Ao redor do mercado é muito movimentado, acha-se de tudo, desde um engraxate, até uma costureira pra consertos rápidos, vendas de tecidos e muita comida de rua. Sentamos por ali algumas vezes enquanto estávamos em Cusco, sempre puxava papo com o pessoal dali e o retorno era ótimo, povo simpático e sorridente, conversávamos sobre qualquer coisa e rendia boas dicas para compras e outras coisas que procurávamos. Outra dica bem legal é que não encontramos preços melhores que do Mercado e região para o monte de lembrancinhas que compramos no Peru, tanto dentro como nas imediações do mercado, encontra-se de tudo, camisetas, toucas, luvas, tecidos e artesanatos. :'> Em algumas galerias rústicas que saem das ruas laterais do Mercado e são frequentadas por gente da terra, o preço de tecidos e outras coisas é muito melhor que nos centros de artesanato, chore sempre na hora de pagar , é uma prática comum lá, sempre funciona, essa regra é pra quase tudo, táxis, passeios e compras. Sempre com o objetivo de fazer os passeios por conta própria, pedíamos informações no hostel e assim programávamos nossos passeios. Saímos pela manhã e fomos até o Museu do sítio de Qoricancha, passeio incluso no boleto turístico e que vale muito a pena ser visitado, é localizado na Avenida del Sol, bem perto e existem muitas peças interessantes de se conhecer, inclusive múmias. Depois da visita ao Museu, descemos até um ponto de vans e coletivos, uns 20 minutos de caminhada, só descida e pegamos uma van com destino a Pisac, preço S/. 4,00, pedimos para descer em Tambomachay, após conhecermos o sítio, andamos até Pukapukara, que é praticamente ao lado, muito perto, não estávamos com guia e peguei uma caroninha num grupo que visitava o local com guia e deu pra entender um pouco do local, mas uma boa dica, é imprimir antes da viagem , informações destes lugares, pois são pequenos e dá pra fazer sem guia e mesmo assim, entender o que se esta visitando. Saindo de Pukapukara algumas pessoas continuam descendo a estrada e terminam o passeio em Saqsayhuamán, o que não foi o nosso caso, mas dá pra ir tranqüilo, são cerca de 9 km e já vi relatos que muitos o fazem com certa facilidade. Pegamos novamente o coletivo e descemos em Cusco, aproveitamos e fomos a um Centro de Artesanato que fica na Avenida del Sol, bom preço e aproveitamos pra comprar mais algumas lembranças. Pegamos um táxi, S/. 3,00 e já estávamos novamente no centro histórico de Cusco. Fomos almoçar, próximo ao Arco , existem vários restaurantes de bom preço e boa comida, escolhemos um que fica no andar superior de um sobrado , lugar limpo, boa comida e muito barato S/. 7,00 o menu, que foi: sopa de quinua, arroz , fritas e trucha ( peixe) ou pollo ( frango ) a milanesa, 1 copo de suco e um pudim de sobremesa, voltamos a passear pelo centro e conhecer as inúmeras praças e igrejas que estão por ali. A noite saímos, passeamos pelas praças e calçadões, fomos ao bairro San Blass, um lugar interessante, encontramos gente tocando na rua e algumas lojas que vendem pinturas e artesanatos, vimos muitos jovens por ali e barzinhos bem agitados. Realmente a noite em San Blas é muito movimentada, voltamos para o hostel e fomos dormir. Acordamos prontos para partirmos pro Vale Sagrado e já estávamos ansiosos pela proximidade de chegar a Machu Picchu no dia seguinte, deixamos as mochilas maiores guardadas no hostel e fomos com as mochilas pequenas, com apenas o necessário pra duas noites. O tour para o Vale Sagrado, foi fechado no próprio hostel, S/. 62,00 por pessoa com o almoço incluso, e as 8:00 hs partimos. A primeira visita é em Pisac, e como é um tour turístico, é inevitável a parada em um mercado de artesanatos no caminho, nada de diferente do que se vê em Cusco, tudo bem mais caro, então fizemos um breve passeio e comemos o famoso choclo (milho) peruano, que realmente é delicioso, grãos enormes e muito macio. O sítio arqueológico de Pisac é incrível e como estávamos com guia, foi muito bem aproveitado o passeio. Começamos aí a sentir toda a energia do Vale Sagrado e sua rica cultura. Paramos para o almoço, um bom restaurante e como programado foi servido um menu, podia-se comer à vontade e haviam varias opções de comidas peruanas, carne de alpaca, rocoto relleno e muitas outras, a música ao vivo dava o toque final, comemos muito bem e aproveitamos muito. Chegamos a Ollantaytambo após o almoço, a grandiosidade e altura das ruínas nos impressionaram, muitas escadarias para conhecer o lugar, ali já foi um treino para nós, pois no dia seguinte enfrentaríamos o desafio de subir Huayna Picchu. O lugar é realmente lindo e o passeio imperdível, foi meio corrido, pois o tour continuaria até Chinchero, mas para nós foi o destino final, pois as 19:00 pegaríamos o trem para Aguas Calientes. No tour conhecemos uma guria curitibana muito bacana, Gabriela, que nos acompanhou e aguardamos juntos a saída do trem. Embarque tranqüilo, embarcamos num Expedition, que é o mais barato deles e como era noite, não tínhamos visão das paisagens, tinha um serviço de bordo que servia refrigerante, café, mate de coca, água e um bolinho, bom demais. As 21:00hs já estávamos em Aguas Calientes. O lugar é bem pequeno, funciona como base na subida pra Machu Picchu, não circulam carros e tudo é muito perto, fomos direto ao Pirwa Hostel e após um belo banho quente, saímos pra comer uma pizza e como sempre, ao olharmos uma carta na porta de um restaurante , já tivemos uma proposta de desconto, a pizza estava razoável, S/. 28,00, fomos dormir para acordar bem cedo para o grande dia...conheceríamos Machu Picchu !! Acordamos bem cedo, por volta das 5:00 h, manhã fria e garoa fraca, mas nada que nos tirasse a empolgação de chegar ao nosso sonho...várias pessoas já se dirigindo ao ponto da van, que alías é bem cara, U$ 24,00 por pessoa, ida e volta de Machu Picchu e olha que é bem perto, cerca de 20 minutos e já estávamos lá, mas é só subida e pra nós que tínhamos como meta chegar ao topo de Huayna Picchu, realmente não dava. Li alguns relatos, em que se revistavam mochilas, proibindo a entrada de alimentos, não foi o que vi, inclusive, chegamos a sair por 2 vezes e nada disso aconteceu, levamos o básico, muita água, algumas bananas e bolachas. Resolvemos fazer a visita guiada logo cedo, pra depois, as 10:00 hs ficarmos tranquilos pra subir Huayna Picchu. Entramos e já de início percebemos o encanto e a magia de Machu Picchu , é lindo mesmo!!!! Achei tudo muito grandioso, difícil descrever, mistura a emoção de se estar ali, com paisagens que são de tirar o fôlego. Durante a visita com o guia, conhecemos um casal de peruanos, Jorge e Meche, alegres e falantes, rapidamente ficamos próximos e não sabíamos que voltaríamos a nos encontrar, mas essa historia eu conto depois. A visita com guia em Machu Picchu é essencial, cobram S/. 20,00 por pessoa, assim fica mais fácil conhecer melhor a historia dos Incas e seus feitos inacreditáveis. Após o tour, seguimos para o nosso maior desafio, lembrando que a subida da montanha só é permitida para 400 pessoas por dia, divididas em 2 grupos, um grupo que sobe entre 7:00 e 8:00 hs e um grupo que sobe entre 10:00 e 11:00 hs e que as entradas para Huayna Picchu são vendidas juntas com o ingresso para Machu Picchu, e se esgotam rapidamente, no meu caso, comprei com 3 meses de antecedência. Não achamos o percurso da montanha perigoso, mas é bem complicado se falando de esforço físico e fôlego, o tempo de subida fica em torno de 1:20 h, mas cada um tem o seu ritmo e da pra ir parando e admirando a paisagem, enquanto se recebe mensagens de apoio daqueles que já estão descendo. E na força de vontade, chegamos ao topo !! Foi incrível, pois caiu uma chuva leve e um arco Iris apareceu para o nosso momento, que aliás foram de poucos, no topo estavam eu, minha esposa Gisele e duas moças brasileiras, Kelly e Erica, sem contar o Funcionário do Parque, que fica lá até os últimos visitantes descerem, no caso, nós, os Guerreiros de Huayna Picchu. Foi um dia realmente especial, saímos de Machu Picchu as 16:00 hs, retornamos ao Hostel em Aguas Calientes, chovia bastante, nos ajeitamos e fomos pra estação pra pegar o trem das 19:00 para Ollantaytambo. Fizemos nossas ultimas fotos por ali e partimos ...até um dia. Chegamos em Ollantaytambo e fomos pra praça principal jantar, comi massa e a Gi peixe, a sopa de aspargo na entrada estava sensacional, depois pegamos uma moto taxi , S/. 2,00, e fomos pro Hostel Mama Simona Ollantayambo, chegamos exaustos e mesmo assim deu pra admirar a beleza do lugar, ao lado do rio Urubamba, cama ótima, bons edredons e banho maravilhoso...quente !! Dormimos muito bem e acordamos um pouco mais tarde, por volta das 8:30, um bom café foi servido, fizemos algumas fotos e já partimos pra rua, objetivo do dia...conhecer Salineras de Maras e Moray. Como sempre, me informei na recepção um trajeto alternativo, fugindo dos tours e de novo, lá estávamos nós a caminho da parada dos coletivos ao lado do Mercado. A cidade é muito pequena e bonita, a Plaza central muito bem cuidada, pelas ruas é possível ver alguns trechos do Sítio que tínhamos visitado antes, imenso. Ao chegarmos no terminal já fomos abordados por um taxista, que nos ofereceu o tour por S/. 120,00, mas quando estávamos conversando, o casal que conhecemos em Machu Picchu apareceu e fechamos para os 4 por S/. 80,00, o que ficou bem barato e valeu a pena, pois são em lugares diferentes e de acesso complicado com coletivo. Primeiro fomos nas Salineiras, que coisa incrível, água salgada vindo das montanhas, permite que o povo local produza sal de um modo bem artesanal e primitivo, o ingresso custa S/. 10,00 por pessoa. Saindo dali fomos direto pra Maras, onde a entrada faz parte do boleto turístico de Cusco, lindo !! Passeamos tranquilos, admirando a grandeza e a beleza do lugar, num certo momento ficamos de frente para uma montanha com o pico nevado, estava sol e o brilho da montanha estava maravilhoso, batia um vento gelado vindo daquela direção, foi uma sensação muito boa, sentir uma força diferente da natureza, um ar condicionado natural. Na volta ficamos num trevo para retornarmos a Cusco, Jorge e Meche continuaram no táxi, pois iam para Urubamba, nos despedimos ali, sem antes marcar um jantar para o dia seguinte em Cusco. Rapidamente passou um coletivo e lá fomos nós. No caminho, conversando com os locais, descobri que passaríamos por Chinchero, já aproveitamos para conhecer as ruínas. Um sítio onde se tem a mistura da arquitetura Inca e a Espanhola, a vista que se tem lá é muito bonita, aproveitamos muito bem o final da tarde e aí sim voltamos pra Cusco, de coletivo S/. 2,00. Acordamos e tomamos café com muita tranquilidade, conversando com o pessoal e escutando muitas historias de suas viagens por ali, saímos com destino a Pikillacta, como de costume, fomos de Van S/. 4,00 até Calca, só que descemos no meio do caminho e pegamos um atalho na estrada que já sai na entrada do Sítio, o lugar é enorme e tem muros altíssimos, é do período pré-inca, estávamos sem guia, e conseguimos as informações básicas com um vendedor de artesanato, compramos umas pecinhas e pronto, nos contou um pouco da historia local. Voltamos na hora do almoço, comemos e aproveitamos para comprar tecidos e alguns peças artesanais. A noite, tínhamos o jantar marcado com Jorge e Meche, nos encontramos e fomos jantar em um restaurante escolhido por eles, comemos lomo saltado e causa limeña, conversamos muito e nos divertimos, trocamos telefones e nos despedimos com a esperança de nos encontrarmos novamente, aqui no Brasil ou quem sabe no Peru, aguardemos. No dia seguinte, já acordamos e deixamos todas as bagagens ajeitadas, as !6:00 h, pegaríamos o vôo para Arequipa, saímos, passeamos, compramos, aproveitando o máximo as ultimas horas em Cusco, almoçamos e voltamos ao hostel para pegar as mochilas e o táxi para o Aeroporto, como eles só chamam empresas credenciadas e o caminho é mais longo pagamos S/. 10,00. A viagem para Arequipa foi tranquila e rápida, cerca de 50 minutos, belas paisagens e picos nevados. No desembarque a mesma coisa, um grande assédio de taxistas, demos uma parada na porta do aeroporto e esperamos, quando fui “negociar “ consegui um desconto de S/. 5,00, paguei S/. 20,00 na corrida até o Hostel Casa del Sillar, que fica no centro da cidade e realmente é bem distante dali. Já pegamos um taxista animado, e fomos conversando sobre a cidade e seus encantos, meu portunhol já enganava bem, ele achou que eu fosse italiano...kkkk , coisas da viagem. Chegamos no hostel e fomos muito bem recebidos por Juan Carlos, o proprietário, o prédio é incrível, todo feito de sillar, uma pedra clara, quase branca, o quarto era enorme, tinha 3 camas de solteiro e 1 de casal, com banheiro por S/. 80,00 a diária. Já saímos à noite e fomos a Plaza de Armas, a cidade já tem ares de cidade grande, nos disseram que tem cerca de 800 mil habitantes, trânsito caótico e predominantemente de táxis, também são baratos, tem que acertar o preço antes, quem pechincha paga menos...padrão peruano. Arequipa é mais quente que Cusco, mais baixa, 2300 de altitude e a cidade é muito bonita no seu centro histórico, igrejas muito belas e com suas fachadas todas trabalhadas com detalhes e desenhos, a noite, iluminadas, ficam lindas. Já pegamos a dica para comer na Rua São Francisco, pois existem vários restaurantes por ali e acabamos comendo num restaurante turco, meio fast food, estava muito bom, o preço bem acessível, gastamos cerca de S/. 30,00 os dois, com refrigerantes. Fomos dormir, o quarto não era muito ventilado, enorme, mas sem janelas, como estava frio foi muito tranqüilo, tinha TV, toalhas e banho quente...bem quente, mas creio que se fosse verão, seria meio complicado. Na manhã, foi servido um bom café da manhã, simples, com ovos mexidos, pão, leite, café e chás, tudo feito por Juan Carlos, que corre durante todo o dia para atender aos hóspedes. O hostel tem um jeito familiar, ali mesmo já fechei o passeio do dia seguinte ao Canyon del Colca, passeio de 2 dias, com hostel em Chivay incluso, S/. 70,00 por pessoa, sendo que o passeio nas águas termais e a entrada do Canyon não estão incluídos, taxas de S/. 10, 00 e S/. 40, 00 por pessoa. Saímos e já fomos direto a Plaza de Armas para o tour free que acontece todos os dias saindo dali, os guias não cobram e só é dado uma gorjeta, a critério de cada pessoa. O tour é muito bom, mas bem corrido e é realizado em cerca de 2:30 h, visita-se vários pontos no centro de Arequipa e os guias são muito atenciosos em todo trajeto, vale muito a pena. Voltamos ao hostel e saímos pra almoçar, Juan Carlos deu uma dica de um restaurante próximo, uma Picanteria muito frequentada por gente dali, chama-se Picanteria El Mundial. Fomos, ao chegarmos já deu pra ver que era o que procurávamos, muitos taxistas e famílias saindo do restaurante mostravam a preferência do pessoal da terra. Fomos muito bem atendidos e por sugestão da garçonete pedimos um prato chamado Americano, são várias comidas peruanas em um só prato, enorme, dividimos o prato e realmente é para 2 pessoas, vem muita comida, tinha desde perna de cordeiro gelada, tipo salada, até carne de alpaca, eu achei muito gostoso, mas a Gi reclamou um pouco da pimenta, o preço é bem bacana S/. 28,00 o prato e tomamos uma Kola Escocesa, refrigerante ariquipenho , gostamos . Saímos e já fomos ao Mirante de Yanauahara, queríamos ver com calma o Vulcão El Misti, taxi até lá S/. 4,00 e não é muito perto, como sempre chorei e paguei mais barato. El Misti é realmente imponente e lindo, estava meio envergonhado, não apareceu muito nesse dia, tempo nublado . O mirante é muito bonito e bem cuidado, ao lado de uma Praça pequena e muito florida, ficamos algum tempo aproveitando a calmaria do lugar, em seguida já pegamos outro taxi para o Mercado , S/. 3,00 e terminamos a tarde no meio da cultura tradicional dos mercados peruanos, que sempre é uma festa e nós gostamos muito dessa muvuca toda. A noite, centro histórico e doces, fomos a uma doceria experimentar os famosos bolos e doces da cidade, local chique , mas não achamos nada de muito especial, comemos em outras depois, bem melhores. Como dica indicamos a Capriccio, é muito boa e preço justo. Acordamos e Juan Carlos já nos esperava com o café, muito gentil, adianta o desayuno para as pessoas que vão sair cedo para o Canyon del Colca. Como combinado, as 8:00 passaram para nos pegar numa Van. A primeira parada é num mercadinho bem ruinzinho, para se comprar folhas de coca e água, afinal vamos chegar aos 4910 metros de altitude durante o percurso. A viagem é bem bonita, rapidamente é possível ver a vegetação como fica escassa e as lhamas e alpacas ao longo da estrada, num certo momento paramos, um menino pastor estava com suas lhamas com orelhas coloridas por brincos na beira da estrada, pudemos fotografa-las com calma. A partir daí é só subida e quando chegamos no ponto mais alto da estrada paramos, ventava muito e realmente se percebe o quanto ficamos ofegantes com uma pequena caminhada para as fotos, estamos a quase 5000 mil metros...incrível !!! Chegamos a Chivay, cerca de 3400 de altitude, apesar do sol a cidade é bem fria , como de praxe, a van parou em um restaurante caro, S/. 28,00 por pessoa, sem bebida, pelos comentários a comida é bem simples, nós não entramos, incentivados por umas moças espanholas que estavam no tour, saímos para comer em outro lugar, comemos um lanche num mercadinho próximo, mas as espanholas foram para a proximidade do Mercado e comeram um menu a S/. 6,00, voltamos e já fomos levados ao hostel. Prédio novo e simples, mas bem limpo e com o básico, quarto com banheiro e banho quente. Depois de meia hora, já passaram para nos levar as águas termais, estava bem frio, mas o banho nas piscinas aquecidas é muito bom, o tempo é curto, ficamos lá por cerca de 1 hora, mas deu pra aproveitar o suficiente, a taxa por pessoa é S/. 15,00, tem que levar toalha, mas se precisar eles alugam lá, gostei. A noite estava muito fria e garoando , a cidade é bem pequena, é uma vila, mas como sempre a Plaza de Armas é muito bem cuidada e bonita, o mercado fica ao lado, pequenino e as barracas do lado de fora funcionam a noite, se vende de tudo, pão, hamburguers, e outras comidas típicas, ao redor tem vários restaurantes, se acha um menu simples no valor de S/. 7,00, sopa, prato principal, chá ou suco e uma sobremesa, lugar limpo e precinho bem camarada. Fomos dormir, pois no outro dia as 6:30 h sairíamos para o Canyon del Colca. Amanheceu um dia lindo, frio e ensolarado, o café da manhã foi bem básico, já saímos para o nosso destino, bem perto dali, num lugarejo chamado Yanque paramos, a Praça estava cheia, havia um grupo de dança e algumas mulheres com águias e lhamas para as fotografias tradicionais, todas ficam a espera da gorjeta ( propina ) após serem fotografadas, é o trabalho delas, muitos turistas já estavam na praça, estava muito animado e bonito, foi tudo muito rápido, tínhamos que chegar cedo ao Canyon, pois a possibilidade de ver os Condores é maior nesse horário. Partimos, depois de cerca de 1 hora já estávamos na portaria do Parque, pagamos a taxa S/. 40,00 por pessoa e fomos para o Mirante Del Condor. Ao chegarmos já descemos na expectativa de vê-los, rapidamente, cerca de 5 minutos depois eles apareceram, eram cinco, imponentes fizeram um show para os turistas que estavam ali , é uma festa, todo mundo de maquina e celular na mão e um belo sorriso no rosto . Eles param nas encostas do Canyon, demoram a voar novamente, mas isso acaba sendo bom, pois mudamos o foco e passamos a admirar a grandeza do Canyon e sua beleza, andando você pode visualizá-lo em diferentes ângulos e aproveitar ao máximo a beleza do passeio, visita terminada, voltamos a Chivay. Na volta, paramos em outros mirantes, o Canyon Del Colca é realmente maravilhoso, os picos nevados ao fundo completam a beleza daquela pintura da natureza. Em Chivay almoçamos e retornamos a Cusco, chegamos por volta das 16:00 hs, Juan Carlos nos recebeu e gentilmente nos serviu um café, fomos descansar, o dia foi longo. A noite saímos para jantar, fomos num restaurante alemão, servem lanches e outras comidas no prato, bom preço, estava lotado e comemos salsicha com papas, uma boa mostarda e Inka Cola, S/. 30,00 para 2 pratos, boa comida e preço justo, gostamos. Acordamos com a sensação de despedida, íamos pegar o vôo as 18:00 h para Lima e como era domingo tudo parecia meio parado. Deixamos as mochilas prontas e fomos bater perna, mercado, compras e passeio pelo centro, fomos novamente a Picanteria El Mundial e almoçamos um prato típico de Arequipa, camarão da água doce ( enormes) com arroz e batata frita, muito bom e o prato enorme , S/. 28,00 , dá para 2 pessoas, exceto se for peruano, pois eles comem muito e o tempo todo. Voltamos ao Hostel, e no caminho aproveitamos pra comer bolo como sobremesa, estava tudo muito gostoso. Chegamos e terminamos de nos arrumar para a viagem, O funcionário do hostel fez questão de parar um táxi para nós, ordem do chefe Juan Carlos, que queria nos garantir a segurança até o aeroporto, tinha que ser num taxi registrado, que nos cobrou S/. 15,00. Voltamos a Lima e depois pra São Paulo. Chegamos bem, vôo noturno é mais tranqüilo para dar um cochilo. A viagem foi maravilhosa, adoramos o povo peruano e aproveitamos muito a nossa viagem. Machu Picchu realmente é uma atração a parte, incrivelmente bela e inesquecível, mas o Peru como um todo é muito bonito, a cultura deles é totalmente diferente da nossa e fazendo os passeios por nossa conta e evitando o tour tradicional é muito proveitoso, tivemos contato com muita gente, gringos e locais, voltamos muito mais ricos do que fomos, isso é certo.
  16. oi Helena, estive em Cusco em Abril, fiquei hospedado no Mama Simona Hostel, muito bom, fica umas 5 quadras da Plaza de Armas, é perto. O pessoal lá é super atencioso, recomendo. Quanto a ida para Machu Picchu, acho melhor vc comprar antes pelo site oficial, é mais barato e se quiser fazer Huaynapicchu tem que comprar antes, são só 400 pessoas por dia. O Mama Simona tem uma agencia de tour, só fechei com eles o Vale Sagrado, S/. 65,00, com almoço ( muito bom ) , a maioria dos passeios no Peru fiz por conta própria. Qualquer coisa dá um alô...se puder ajudar, tô aqui, abçs
×
×
  • Criar Novo...