Ir para conteúdo

olavogasp

Membros
  • Total de itens

    9
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. A discussão é exatamente se o seguro é obrigatório ou não. Se ele não for, não vejo problema em dizer que ele não é obrigatório, pois ele não é rs. Acho que o viajantes devem estar muito bem informados e têm o direito de tomar suas próprias decisões. Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é Sim, entendo que cada país Schengen pode ter seus requisitos de entrada, desde que respeitem os requisitos em comum de todo o Espaço Schengen, como disse o Adriano. Que seria impedir a entrada de pessoas na "lista negra" (compartilhada inclusive por UK e Irlanda), de pessoas que apresentem ameaça, ou que não provem que vão ficar menos de 90 dias como turista (Portugal e Espanha exigem um mínimo de $ por dia, por exemplo). Mas, será que um país pode usar os requisitos de um outro para o qual vc esteja indo? Pergunta interessante. Na verdade o oficial da imigração é soberano em decidir quem entra. Ele pode impedir a entrada de alguém por achá-lo feio . Então é uma pergunta difícil de ser respondida, imagino. Só se houver relatos, e mesmo assim serão sempre meio suspeitos... E falando em relatos, acho que todos concordam que, não cobrar na imigração não significa que não seja obrigatório. É comum a imigração não pedir coisas que sejam. Também não recomendo viajar sem seguro. Eu sou italiano, já viajei sem e precisei, fui tratado como um turista normal sem seguro...
  2. Não é partindo de São Paulo não, é partindo de Belém. 2 voos por semana. Vou em fevereiro
  3. Olá pessoal! Procurei aqui no fórum e não achei este assunto específico. Como o assunto diz, queria discutir a real necessidade de um seguro saúde para se entrar nos países Schengen da Europa. Antes de mais nada, preciso fazer umas considerações: 1) Não duvido ou questiono o quão importante seja um seguro saúde no exterior, não recomendo que se viaje sem. Eu já viajei sem e precisei Já disse qual a intenção deste tópico. 2) Gostaria de argumentos embasados! Só afirmar algo não ajudará na discussão. O que mais leio internet a fora é gente dizendo que o seguro é obrigatório mas ninguém conseguiu provar. Uma notícia falsa passada de geração em geração e compartilhada e replicadas por todos a sua volta não se torna verdadeira por isso. Ok? 3) Que o embasamento seja de fonte oficial. Vamos usar o método científico aqui. Um blog de viagens pode ser muito interessante e passar muitas dicas, mas de longe é oficial. Aliás, nem citar nosso próprio Ministério das Relações Exteriores podemos. Não é da competência do governo brasileiro falar em nome de outros países. Aliás, é muito comum encontrar informações erradas em um consulado sobre o país onde ele se encontra. Ex: consulados da Itália e Portugal adoram dizer que perderemos nossa cidadania brasileira se nos naturalizarmos italianos ou portugueses, o que é totalmente falso! E falando nisso, uma vez me mostraram o site do Consulado do Brasil em Roterdã, dizendo que o seguro é obrigatório (http://roterda.itamaraty.gov.br/pt-br/alerta_aos_viajantes.xml). O mais engraçado é que a informação mais importante e concreta que achei sobre o assunto é exatamente do Consulado dos Países Baixos (neste caso, em São Paulo): http://saopaulo.nlconsulado.org/servicos/visto-passaporte-e-outros-servicos-consulares/viajar-para-os-paises-baixos/estrangeiros-que-nao-precisam-de-visto.html é aconselhável: contratar um seguro de viagem internacional, válido para Europa durante o período que permanecerá no território Schengen, com uma cobertura mínima no valor de €30.000,00 para despesas médico-hospitalares. Apesar de não ser obrigatória para a entrada nos Países Baixos, alguns outros países do território Schengen exigem este seguro Ou seja, não podemos confiar no que um país diz de outro. Além disso, o seguro saúde não é obrigatório em todos os países Schengen, isso é até dito em alguns tópicos aqui do fórum. Alguém sabe onde é obrigatório e onde diz que é? Um dos países que mais me interessam é a Itália. Quando digo que o seguro saúde não é obrigatório lá, às vezes me pedem para provar. Ora, eu acho que quem tem que provar algo é quem afirma algo, não é mesmo? Se a Itália não exige que se entre no país dançando cancan, ela dificilmente vai publicar isso em algum lugar O que posso mostrar é o site oficial do governo italiano sobre a necessidade de visto: http://vistoperitalia.esteri.it/home.aspx Ele não diz nada sobre seguro saúde quando se coloca que somos brasileiros. O site da Polizia di Stato (a Polícia Federal italiana, que controla a entrada de estrangeiros) também não diz nada sobre o seguro saúde: http://www.poliziadistato.it/articolo/view/220/ Estes sites deixam claro que a pessoa deve ficar até 90 dias como turista, e isso inclui mostrar passagem, hospedagem, dinheiro, etc. No caso da Itália e Portugal, ainda temos a questão do CDAM. Brasil tem acordo com esses países. Um acordo previdenciário no qual os contribuintes do INSS no Brasil têm direito ao atendimento médico nesses países. O próprio site do CDAM diz que ele não é um seguro saúde: não é equivalente a um seguro viagem http://sna.saude.gov.br/cdam/ Ele diz "seguro viagem", o que é mais abrangente que um seguro saúde. O CDAM realmente não é. Um seguro particular é bem completo, te permite usar a rede particular de atendimento médico e depois ser reembolsado (ou usar direto nos centros conveniados, isso seria "assistência saúde"). O CDAM é atendimento médico na rede pública e só. Muitos dizem por aí que ele não substitui o seguro saúde exigido por outros países para ingresso neles. Realmente outros países não têm que aceitar um acordo bilateral do Brasil com Portugal e Itália, não faz sentido. Então, se você estiver indo a Portugal ou Itália com CDAM no bolso e fizer conexão num país Schengen que exija o seguro, eles podem não aceitar o CDAM. Mas se for voo direto, não vejo porque não aceitariam se exigissem o seguro. Portugal ainda não tenho certeza, mas Itália não exige, neh? Bem, outra questão é que o seguro saúde é exigido para o Visto Schengen. Bem, nós brasileiros somos isentos do Visto Schengen, logo eu entendo que não faz sentido nos submetermos ao requisitos de um visto do qual não precisamos... Mas aqui é uma questão interessante. Foi longo. É um assunto complexo, mas muito importante e interessante. Que acham? Queria ler outras opiniões e informações. É assim que se constrói conhecimento!
  4. A primeira vez que li a resposta do Adriano, achei muito confusa e subjetiva. E eu gosto de informações concretas e objetivas rs. Nunca duvidei dele, só estranhei. Mas hoje, quase 1 ano depois, após pesquisar muito, venho aqui para dizer que entendo e concordo. A imigração é uma ciência humana e não exata. Mesmo que tenhamos todos os requisitos, podemos ser impedidos de entrar. Mesmo que não tenhamos todos, eles podem permitir a entrada. Há outros tópicos aqui que dizem isso, a imigração é soberana para decidir quem entra e quem não entra. Por isso o importante é ter motivos para entrar na Europa. Se estamos indo passear, temos que ter condições de mostrar isso, com hospedagem (ou carta convite), dinheiro e, principalmente, passagem. Discordo que a passagem tenha que ser para o Brasil, e concordo que pra Londres é suspeito. A menos que vc prove que tenha algum curso ou trabalho lá, ou então uma passagem de lá pra bem longe. Eu posso, por exemplo, estar me mudando pra Austrália e, como tenho conexão na Europa, vou aproveitar e passear lá. Minha passagem é pra Austrália, bem longe, bem convincente imagino
  5. Olá pessoal, espero que alguém possa me esclarecer. Ao entrar na Europa (Schengen), temos que ter a passagem de volta para dentro de 90 dias, certo? Mas não necessariamente para o país de onde viemos e sim para qualquer país fora do Espaço Schengen, eh assim mesmo? Pode-se então entrar no Espaço Schengen vindo do Brasil com uma passagem de bus Paris --> Londres?
  6. Pessoal, e onde vcs vão ficar?! Têm dicas de hospedagem? To procurando especialmente albergue. Valeu!
  7. Acabei de ver voos da AZUL por R$85,90
×
×
  • Criar Novo...