Ir para conteúdo

Fabricio Souza

Membros
  • Total de itens

    13
  • Registro em

  • Última visita

Respostas postados por Fabricio Souza


  1. 53 minutos atrás, D FABIANO disse:

    Parabéns pelo tour, só conheço a capital,tem um erro no texto aonde diz que o metro custa 3 pesos,na verdade, custa 5.

    Pena não ter feito o walking tour pelo Centro,paga quanto quer,em geral 20 pesos e conhece muito.Não há necessidade de pagar guia,pois tem esse tour no centro e um outro, do próprio Museu,no Antropologia e também na Catedral,não sei no templo Mayor.

    Boa dica Fabiano. Se tiver mais detalhes de onde e como procurar este tour, passe aqui para ajudar a todos..

    Abraços


  2. Fala galera..

    Estou aqui para relatar a minha viagem a 10 cidades mexicanas (Cidade do Mexico, Oaxaca, San Cristobal de Las Casas, Palenque, Merida, Chichen Itza, Valladolid, Tulum, Playa Del Carmen e Cancun).

    Fui somente eu e minha esposa, embarcamos dia 26/05/2018 e retornamos dia 16/06/2018.

    Em anexo coloquei uma planilha de custos e planejamento onde temos detalhes de tudo relatado, inclusive com endereços e valores de hospedagens.

    Embarcamos dia 26/05 de Guarulhos com destino a Cidade do Mexico pela companhia aérea AeroMexico. Cheguei a pesquisar por outras empresas, mas essa era a que tinha voos mais baratos. O voo não teve escalas e a duração total foi de 8 horas. Ótima agencia e os voos ocorreram sem problemas. Tinhamos inclusive bebida alcoolica inclusa e tv onde pude acompanhar a final da Champions League (Liverpool x Real Madrid). A volta doi de Cancun para Guarulhos e teve uma escala na Cidade do Mexico de 5 horas e a duração total do voo foi de 14 horas (incluindo as 5 horas de escala). O valor da passagem foi de R$2200,00 por pessoa.

    OBSERVAÇÕES

    [*] É necessário o comprovante da anvisa de vacina de febre amarela (verificaram isso no embarque e desembarque);

    [*] É necessário um passaporte com no mínimo mais 6 meses de validade na data de embarque (também verificaram isso no embarque);

    [*] Levar blusa de lycra para utilizar nas aguas frias de alguns lugares (principalmente nos cenotes);

    [*] Todos os dados de hostel estão na planilha em anexo.

    [*] Para o transporte enter as cidades utilizamos a empresa ADO (www.ado.com.mx). Empresa muito boa, com onibus bons e que sempre cumpriu com os horarios. No site em linhas e horarios disponiveis para poder programar toda viagem.

    [*] Embaixada mexicana no Brasil +55 (61) 3204-5200 - http://embamex.sre.gob.mx/brasil

    [*] Embaixada brasileira no Mexico: Calle Lope de Armendariz, 130 – Colonia Lomas Virreyes – Delegacion Miguel Hidalgo - DF

    [*] Levar adaptador de tomadas. Mexico todo utiliza voltagem de 110V;

    [*] Moeda Peso Mexicano (R$1,00 = M$4,80 U$1,00 = M$17,30 em 2018)

    [*] Não acredite em vendedores de beira de estrada. Compre sua entrada na bilheteria principal

    [*] Itens que não podem faltar: Caneta, Caderneta de anotações, lanterna;

    [*] No México, zócalo é a praça principal da cidade, onde estão próximos os palácios de governo e as catedrais

    [*] Na Cidade do Mexico, pode-se trocar dolares por pesos mexicanos no segundo andar do aeroporto;

    [*] Pegamos dias agradaveis durante toda a viagem. Apenas em Cancun pegamos dois dias de chuva continua. Nos demais lugares tivemos chuvas esporadicas que não atrapalharam em nada nossa viagem. Durante  dia tivemos uma média de 30 graus e a noite cerca de 20 graus.

    CIDADE DO MÉXICO

    Dicas da cidade

    [*] Utilizamos o metro bus para transporte do aeroporto ao Zocalo (onde estava o hostel). Foi super tranquilo por 30 pesos por pessoa. Basta se informar no aeroporto onde comprar um cartão magnetico (barato) ja com o valor necessário carregado (60 pesos para duas pessoas).

    [*] Comprar passagens de ônibus da empresa ADO no Walmart Portal Centro, frente ao caixa 15. Estação San Antonio Abad. Todos os dias das 11:00 as 14:30 e 15:30 as 20:00. Pode comprar para toda a viagem, ou apenas o trecho de interesse. Nós optamos por comprar todos os trechos de uma vez já que não pensavamos em mudar o itinerario.

    [*] Os ônibus chamados de Metrobús ligam o aeroporto ao centro da Cidade do México em apenas 30 min. Esse parece ser um meio mais confortável que o metrô, principalmente para quem tem mala. Entre os destinos na região central onde o Metrobús chega, estão o Paseo La Reforma, Bellas Artes e Museo de la Ciudad. Os ônibus saem do portão 7 (Terminal 1) e do portão 2 (Terminal 2). Consulte mais informações no site do aeroporto. É necessário comprar a passagem na máquina de auto-atendimento. O cartão custa 10 pesos e a passagem 30 pesos por pessoa. O cartão pode ser usado por mais de um ser humano e pode ser recarregado para viagens posteriores, a cobertura do metrobus pode ser consultada aqui: http://www.metrobus.cdmx.gob.mx/

    [*] Zócalo (praça principal): Construída sobre as ruínas de Tenochtitlán, é a praça central. Também chamada de Plaza de la Constituición, a área concentra importantes pontos históricos, religiosos e culturais da cidade. É onde fica o Palácio Nacional, Templo Mayor e a Catedral Metropolitana. No Zócalo pode se encontrar inúmeros “guias” que oferecem passeios para vários cantos dos arredores do México. Acho interessante a contratação deste serviço pois não são nada caros e te fazem perder pouco tempo, além deles servirem como guias, te passando explicações sobre o povo, a cultura e o local visitado.

    Hospedagem

    Ficamos hospedados no hostel Mundo Joven Catedral e fizemos reservas pelo site Booking.com. Tudo com sucesso e sem problemas. Quarto privado para duas pessoas com banheiro privado. Hostel humilde, com quarto pequeno porem limpo e organizado. Localização perfeita, melhor impossivel. Atendentes prestativos que nos auxiliaram muito.

    Dia a dia

    Primeiro dia (26/05), chegamos a Cidade do Mexico no fim de tarde e fomos direto para o hostel utilizando o Metro Bus que nos deixou muito próximo ao Zocalo, onde fica o hostel. Fizemos check in e saimos para visitar a Torre Latino Americano. Construída em 1956, eleva-se a mais de 180 metros e tem 44 andares, oferece uma magnífica vista panorâmica da Cidade do México e apresenta, restaurantes, bares, um deck de observação com telescópios, etc. Fica aberto diariamente das 9h às 22h e fica bem próxima a praça Zocalo. No 42º andar, há um mirador onde se pode ver a gigante Cidade do México em 360 graus. Você tem acesso ao mirador quantas vezes quiser ao dia. Quando voce compra a entrada recebe uma pulseirinha que vale por todo o dia. Nós entramos no por do sol e depois retornamos ja a noite para ver a paisagem noturna. Custo de 110 pesos por pessoa.

    Neste mesmo dia visitamos tambem a Catedral Metropolitana que fica junto ao Zocalo. Possui uma fachada barroca e, por dentro, há cinco altares e 16 capelas laterais. A igreja é a seda da arquidiocese mexicana e traduz em sua arquitetura e obras de seu interior toda uma história de conquista e dominação. O único problema é que o edifício está afundando em algumas partes, já que foi construído sobre o lago Texcoco. Entrada gratuita.

    Por fim, jantamos e ficamos passeando pelos arredores do Hostel, onde temos diversos edificios antigos, sempre com muita segurança e tranquilidade.

    831122839_CidadedoMexico(2).thumb.jpg.24d1f133f9ddb0a2eb25228b96db24f7.jpg

    Cidade do México vista da Torre

    Segundo dia (27/06), resolvemos seguir o conselho de um atendento do hostel e fomos ao Zocalo logo cedo (por volta das 08:30) em busca de um guia para realizarmos um passeio completo. Conseguimos um guia por 700 pesos (não incluida as nossas entradas a nenhum lugar, incluida apenas a entrada do guia que é isento) que ficou conosco até umas 17:00. Com ele fomos primeiro ao Templo Mayor, onde na segunda metade do séc. XX, durante os trabalhos de construção de uma linha de metrô que cruzava o centro da Cidade do México, foi encontrado um dos maiores sítios arqueológicos da cidade. Esse templo para os astecas era um local para orações, sacrifícios humanos e rituais e faz parte da antiga cidade deTenochtitlán, que foi a capital do Império Asteca até a chegada dos colonizadores espanhóis. Sabe-se que Tenochtitlán era uma cidade próspera, com palácios e templos de grande riqueza. Não obstante, com a chegada dos espanhóis, todos os templos e edificações astecas foram destruídos, a fim de construir novas igrejas e palácios ao gosto dos conquistadores. Um fato curioso é que essas novas construções foram erguidas com as mesmas pedras resultantes da destruição das edificações astecas. Embora tenha sido bastante danificado, o Templo Mayor de Tenochtitlán ainda conserva as camadas mais antigas da pirâmide e desde 1987, as ruínas se tornaram um museu que também é possível visitar (Museo del Templo Mayor), com oito salas que mostram objetos encontradas durante as escavações arqueológicas usados em sacrifícios, figuras e estátuas, tal como a estátua da deusa Coyolxauhqui, além de muitos tesouros, tais como esculturas maias, jóias de ouro ou máscaras de jade e turquesa. O melhor é visitar por ordem, já que há uma seqüência cronológica. Fica aberto de terça a domingo das 9h às 17h ao custo de 70 pesos por pessoa.

    437160613_CidadedoMexico.thumb.jpg.6a168d8d3b7e099b42c3b99f7e43afe2.jpg

    Zocalo da CIdade do Mexico

    DSC01323.thumb.JPG.f4db76da5de49116ad095be22ae41aec.JPG

    Templo Mayor

    Depois disso passamos novamente pela Catedral, dessa vez com as devidas explicações do guia e depois partimos para o Palacio Nacional, que já foi morada dos vice-reis coloniais e sede da Presidência da República, abriga murais de Diego Rivera que contam a história do México.

    DSC01333.thumb.JPG.5f1b43d978a22863979e2fbdf676ec9c.JPG

    Palacio Nacional

    IMG_20180527_153618446_TOP.thumb.jpg.57c5af2d7809654edb9585f5890b9cb2.jpg

    Palacio Nacional

    Na sequencia fomos ao Palácio de Bellas Artes que além de ser bonito por fora, funciona também como museu de arte por dentro. Entrada gratuita.

    DSC01195.thumb.jpg.6579578c134da660c9d25058388a93b2.jpg

    Palacio Bellas Artes

    Depois pegamos o metro (3 pesos por pessoa) e fomos visitar o Castelo de Chaputelpec, que fica dentro do Bosque Chaputelpec e foi construído em 1785 pelos vice-reis espanhóis. Do castelo você poderá contemplar uma vista magnífica da cidade e para entrar tivemos um custo de 70 pesos por pessoa.

    DSC01382.thumb.JPG.de65fc7a712b4bf05abc112df7e690c9.JPG

    Castelo Chaputelpec

    Tambem no bosque visitamos o Museu Nacional de Antropologia e Museu de História Natural onde começamos a peregrinação para conhecer as relíquias do México. É preciso estar descansado para percorrer as inúmeras salas que contam, por meio de seu acervo arqueológico, não só a história das civilizações pré-hispânicas, como também dos povos pelo mundo. Considerado o maior museu da América Latina e um dos mais visitados do planeta, o museu possui quatro edifícios, que cercam um pátio central. Nas primeiras salas, uma verdadeira aula de antropologia leva o espectador a uma interessante viagem ao tempo em que os mamutes conviviam com os nossos ancestrais. Os demais salões são divididos por regiões do México, o que é ótimo, já que se pode escolher aleatoriamente o que mais lhe interessar, sem seguir necessariamente uma ordem cronológica. Contudo, não deixe de passar pela sala asteca, onde vamos encontrar a famosa Pedra do Sol, também conhecida como Calendário Asteca. Neste museu o guia valeu muito mais a pena pois nos deu varias explicações sobre a história da civilização mexicana e que conhecemos depois em zonas arqueológicas por todo o México. Neste dia o museu estava com entrada gratuita.

    IMG_20180527_162209666_HDR.thumb.jpg.219fd4d47ffbd46da2669089eacd09d5.jpg

    Museu Nacional

    IMG_20180527_162545339.thumb.jpg.ab687faf52ff3e1b8f4d8ef6a654ecf8.jpg

    Museu Nacional

    Passamos o resto da tarde passeando pelo Bosque Chaputelpec sem o guia.

    Terceiro dia (28/05), fizemos o checkout no hostel e deixamos nossas mala em uma sala do proprio hostel e contratamos um passeio (450 pesos por pessoa com entradas inclusas) para realizar a visita a Basilica de Guadalupe e a Zona Arqueologica de Teotihuacan. Fomos visitar primeiro a Basílica de Guadalupe: Uma das mais importantes do país, a igreja original foi construída no século 16, mas sua estrutura com o tempo ficou seriamente danificada. O prédio atual foi erguido entre 1974 e 1976 e abriga a imagem original da Virgem Maria que apareceu no manto do índio Juan Diego, para quem a Virgem de Guadalupe, segundo a história, apareceu em 1531. Não é à toa que milhares de fiéis visitam a Basílica, que nem é tão imponente por fora, mas por dentro impressiona.

    DSC01418.thumb.JPG.34711e87bd83db84593816eb365cfed7.JPG

    Basilica de Guadalupe

    Depois o tour partiu para a Zona Arqueologica de Teotihuacan. O impressionante sítio arqueológico recebe milhares de turistas o ano todo. A 48 km a nordeste da Cidade do México, as ruínas e pirâmides formam um esboço do que foi a primeira metrópole do hemisfério ocidental. Teotihuacan significa "lugar onde os homens se tornam deuses". Não se sabe muito sobre o processo de construção da cidade, nem sobre o seu fim. Mas arqueólogos e historiadores trabalham muito pela restauração e conservação das pirâmides e dos edifícios cerimoniais. No extremo sul, você encontra o Templo de Quetzalcóatl, decorado com grandes serpentes, já que foi construído em homenagem à Serpente Emplumada, deusa da guerra, da água, da alvorada e da agricultura. No outro extremo, há a Pirâmide da Lua, um mausoléu real, com cem degraus altos e estreitos. É cansativo, mas vale a pena subir e contemplar a paisagem. Do lado oposto da calçada, o visitante tem a chance de conhecer a terceira maior pirâmide do mundo, a Pirâmide do Sol, com 65 metros de altura e 244 degraus (não tão altos como as da Pirâmide da Lua, o que facilita a subida). Aos domingos não é permitida a entrada de estrangeiros no sítio arqueológico.

    DSC01491.thumb.JPG.944a25c2720743d85905717d60f8542d.JPG

    Teotihuacan

    Ao retornar ao Zocalo, fomos a Feira de artesanato La Ciudadela onde você encontra artesanato e aqueles souvenirs tradicionais de viagem.  Há muita coisa bacana e por preços bastante acessíveis- mesmo assim lembre-se de pechinchar, você conseguirá bons descontos. A Ciudadeula fica próxima da estação de metrô Juárez.

    Após as compras, retornamos ao Zocalo, comemos algo e retornamos ao hostel, onde tomamos um banho no banheiro comunitario e nos preparamos para tomar o onibus ao nosso proximo destino: Oaxaca. Pegamos um taxi e partimos para a rodoviaria onde nosso onibus partiria as 23:59.

    OAXACA

    Dicas da cidade

    [*] Dois dias inteiros ficou na medida. Um dia para ir ao Monte Albán e conhecer o centro de Oaxaca e outro para fazer a famosa tour Árbol del Tule+Mitla+Hierve el Água.

    Hospedagem

    Ficamos hospedados no hostel Casa ed Don Pablo e fizemos reservas pelo site Booking.com. Tudo com sucesso e sem problemas. Fica uns 30 minutos da rodovíária, bem perto do Zócalo e também dá pra ir pra muito lugares andando, como casas de câmbio, mercados, bancos. A estrutura deles é simples e limpo, mas tem tudo. Ficamos em um quarto duplo com banheiro privativo.

    Dia a dia

    Primeiro dia (29/05), chegamos a Oaxaca por volta de 06:30 ao hostel, onde fizemos check in, fechamos um tour para quatro locais: fabrica de tapetes, fabrica de Mezcal, Arbore de Tule, Zona Arqueologica de Mitla e Hierve Dágua por 250 pesos por pessoa (tirando as entradas a alguns desses lugares que citarei o valor). Tomamos um café e descansamos até o horario de saida do passeio por volta das 09:00.

    O tour visitou primeiro a fabrica de tapetes e fabrica de Mezcal, onde conhecemos a fabricação artesanal de tapetes tradicional da região e tambem a fabricação artesanal da bebida alcoolica chamada Mexcal (uma delicia, na minha opinião melhor que a Tequila).

    Depois disso, fomos conhecer a Arbore de Tule, que é considerada uma das maiores e mais antigas arvores do mundo. Entrada por 10 pesos por pessoa.

    DSC01512.thumb.JPG.c199839e2efc2dd34f5618213e2443d2.JPG

    Arbore de Tule

    Na sequencia fomos a Zona Arqueologica de Mitla que depois de Monte Alban foi o principal centro cerimonial da área. Seu nome significa "lugar dos mortos" e em seu tempo era habitada por Mixteca e Zapotecas, embora em momentos diferentes. Esta mistura de culturas resultou em um conjunto arquitetônico interessante que se destaca por sua beleza. Custo de entrada de 70 pesos por pessoa.

    DSC01521.thumb.JPG.40a2b2a393b779a27163b685981110b4.JPG

    Zona Arqueológica de Mitla

    Por fim, o tour finalizou com uma visita a Hierve d’ Água que é um local de cascatas petrificadas famosos que se formaram milhares de anos pelo escoamento de água de alta em minerais. Na área há também restos de um sistema de irrigação construído pelo Zapoteca atrás era 2.500 anos de idade. Não só isso, o lugar é agora um spa natural onde se pode desfrutar de águas termais com piscinas e piscinas naturais onde se pode admirar estas cascatas petrificadas maravilhosas. Entrada gratuita.

    DSC01557.thumb.JPG.5d5307de61ade762f744cab23a05d670.JPG

    Hierve Dágua

    O tour retornou ao hostel por volta das 19:00, com nós extremamente cansados e assim tomamos um banho, saimos para jantar algo rapido e logo caimos na cama.

    Segundo dia (30/05), realizamos nosso checkout e deixamos nossas malas guardadas no hostel e partimos para um passeio a Zona Arqueologica de Monte Alban. Este é o ponto alto da visita à Oaxaca. O Monte Albán (Monte Branco), uma das mais impressionantes capitais das antigas civilizações mexicanas, foi utilizado pelo povo Zapoteca devido à sua posição estratégica. Foi lá também que encontraram vestígios desta civilização datando desde 200 A.C até 950 D.C, quando, por alguma razão, a cidade foi abandonada. Para chegar no Monte Albán, é preciso pegar o ônibus turístico na rua Mina, 518 em frente ao Hotel Rivera del Angel. O ônibus turístico te leva até a entrada do Monte Albán e volta aproximadamente 3h depois da chegada. Na chegada, acertamos um tour guiado pelo valor de 260 pesos por pessoa alem de ter pago mais 70 pesos por pessoa de entrada, o que nos valeu muito a pena. Dica: Leve um chapéu e passe protetor solar, pois não há quase sombra alguma no local.

    IMG_20180530_123229845.thumb.jpg.f870ba14d0d38f3e68d68e6dc3971b38.jpg

    Zona Arqueológica de Monte Alban

    Retornamos ao hostel por volta das 17:00, comemos algo no Burger King mesmo, tomamos um banho e ficamos no aguardo do nosso onibus que partiria as 21:00 para San Cristobal de Las Casas.

    SAN CRISTOBAL DE LAS CASAS

    Dicas da cidade

    Nenhuma

    Hospedagem

    Ficamos hospedados no hostel Rossco Backpackers e fizemos reservas pelo site Booking.com. Tudo com sucesso e sem problemas. Ficamos apenas uma noite, com otimo atendimento. Hostel bem simples, não tão limpo e com estilo bem alternativo. Ficamos em um quarto privado com banheiro privativo.

    Dia a dia

    Primeiro dia (31/05), chegamos a San Cristobal por volta das 08:30 devido a um protesto de professores nas estradas e já não tinha mais tours disponiveis. Como não tinhamos alternativa por ficarmos somente um dia na cidade, tivemos de gastar o dobro do valor por um tour privado ao Canion del Sumidero: 700 pesos por duas pessoas. Logo partimos ao Canion, porém, como já tinhamos passado das 10:00, não tinha quase pessoas mais interessadas em fazer o tour no Canion e demorou muito tempo até formar o numero minimo de pessoas para que o barco saisse. Porém, ao sair valeu muito a pena. O canion localiza-se a cerca de 80km de San Cristobal de las Casas e são 15 km ou 2h de passeio em lancha rápida por entre o Canion com seus 1000 m de paredes de pedra e durante este percurso é possível observar jacarés, aves diversas, camaleões e macacos. É incrível se ver tão minúsculo diante daquele colosso natural!

    DSC01630.thumb.JPG.7d99618b5aa23abfa79ebf609b6a6ba4.JPG

    Canion Del Sumidero

    De volta do passeio, comemos algo rapido e logo fomos ao hostel para dormir e descansar pois logo cedo pegariamos um tour rumo a Palenque que contratamos no proprio hostel.

    PALENQUE

    Dicas da cidade

    [*] Depois de ler varios relatos sobre Palenque, decidimos somente passar o dia nesta cidade e então fizemos o seguinte: contratamos um tour em San Cristobal para visitar Agua Azul, Misol-Ha e a Zona Arqueologica de Palenque pelo valor de 360 pesos por pessoa. Ao terminar o tour, ficariamos na cidade de Palenque e para isso procuramos um hostel que pudessemos apenas tomar um banho e aguardar o horario do nosso onibus para Merida.

    Hospedagem

    Após o tour, fomos ao hostel Cañada International afim de tomarmos um banho e aguardar o horario do nosso onibus para Merida. Foram extremamente atenciosos e nos cobraram 50 pesos por pessoa para esse serviço.

    Dia a dia

    Primeiro dia (01/06), saimos bem cedo de San Cristobal rumo a Palenque com o tour guiado. Levamos todas nossas malas e deixamos ela dentro da van, sem problemas. Nossa primeira parada foi no Parque Agua Azul e na sequencia a Cascata Misol-Ha. Lugares lindos com águas esverdeadas, cascatas e cachoeiras onde se pode entrar na agua.

    DSC01663.thumb.JPG.25d8d5173d4135e2805cbeeecca72707.JPG

    Parque Agua Azul

    Depois disso fomos a Zona Arqueologica de Palenque que é uma jóia da arqueologia no México,. É o mais importante conjunto de ruínas maias da América Central. Hoje é consenso entre os arqueólogos que Palenque foi culturalmente mais importante do que Tikal (na Guatemala), pela quantidade de expressões arquitetônicas, artísticas e religiosas encontradas ali desde que foi “redescoberta” por exploradores espanhóis que chegaram a Chiapas no século 16. O Templo das Inscrições, a imensa pirâmide que domina a praça central de Palenque, também conta o dia-a-dia de quem governava os maias da cidadela. Sua importância não para aí. O edifício é um dos mais estudados do mundo maia, não apenas por ter uma função crucial – servir de monumento funerário para o rei Pacal – mas também por ter as inscrições mais detalhadas e importantes já encontradas por quem pesquisa o mundo maia. Há, ainda, painéis esculturais dentro da tumba de Pacal. Há até bem pouco tempo era possível subir a escadaria que leva à entrada mais alta da pirâmide. Agora, está proibido. Primeiro, porque a respiração humana aumenta ainda mais a umidade na tumba, o que pode acelerar a degradação das inscrições. Segundo, porque muitas pessoas já se acidentaram nos degraus estreitos da íngreme subida. As ruínas de Palenque são sem duvida, uma das melhores e mais interessantes para se visitar, a área da zona arqueológica é bem grande, os monumentos estão em bom estado de conservação, você pode entrar em alguns monumentos, caminhar por tuneis, corredores e visitar algumas habitações. Pegamos um guia que nos cobrou 100 pesos por pessoa e foi muito valido.

    DSC01715.thumb.JPG.028ddc9ab89ae04d8c720e6519d30449.JPG

    Zona Arqueológica de Palenque

    No fim do tour a van nos deixou no centro da cidade, bem proximo do hostel que iamos tomar banho. Fizemos isso e depois partimos a rodoviaria, onde iriamos tomar nosso onibus para Merida as 20:45.

    MERIDA

    Dicas da cidade

    [*] Nosso cronograma foi de passar o dia em Merida e no fim da tarde tomar um onibus rumo a cidade de Valladolid, que fica a cerca de uma hora da Zona Arqueologica de Chichen Itiza. Ou seja, não ficamos hospedados em Merida.

    Hospedagem

    Não teve

    Dia a dia

    Primeiro dia (02/06), chegamos a Merida por volta das 05:00 e ficamos na rodoviaria aguardando nosso onibus rumo a Zona Arqueologica Chichen Itza. Partimos com todas as malas as 06:30. Chegamos a Chichen Itza por volta das 08:30 (o onibus para no estacionamento do sitio arqueológico) e logo fomos em busca de um locker para guardar nossas malas, o que conseguimos sem muito esforço. Feito isso, fechamos um guia junto a um grupo de turistas no valor de 150 pesos por pessoa (total de 900 pesos) e demos entrada na maravilha de Zona Arqueológica de Chichen Itza que é uma cidade arqueológica maia do período pré-colombiano. É considerado um dos principais sítios arqueológicos da Península de Iucatã (México). O Templo de Kukulcán é um dos principais destaques de Chichén Itzá. Localiza-se no estado atual de Iucatã (México) e foi construída pelos maias por dos anos de 440 a 450. Representa os avançados conhecimentos urbanos, arquitetônicos e tecnológicos que esta civilização possuía. Esta cidade tinha várias funções para o povo maia: religiosa, política e econômica. A cidade é composta por várias construções como, por exemplo, pirâmide de Kukulcan, Campo de Jogos dos Prisioneiros, Templo de Chac Mool, Praça das Mil Colunas e muitas ruínas. A pirâmide de Kukulcan é o monumento mais conhecido deste complexo histórico-cultural. Chichén Itzá é considerada como Patrimônio Mundial da Unesco (Patrimônio da Humanidade) e em 2007, foi eleita como uma das Sete Novas Maravilhas do Mundo sendo um dos pontos turísticos mais visitados do México. É o lugar mais barato pra comprar lembrancinhas.

    DSC01734.thumb.JPG.689cdca56660af6ecfec1f9952e549ad.JPG

    Chichen Itza

    Encerrado nosso passeio pelas ruinas, deixamos nossas malas no locker e tomamos um onibus rumo ao Cenote Ik-Kil (20 pesos por pessoa no estacionamento do parque). Foi nosso primeiro contato com um Cenote e é algo magnifico e inesquecivel. Pagamos 100 pesos de entrada. O cenote tem um formato arredondado com cerca de 60 metros de diâmetro. Sua profundidade chega a 40 metros, por isso não ouse deixar cair nada lá dentro! A água é doce, gelada e tem uns peixinhos pequenos e escuros. Para entrar na água há escadas de madeira auxiliam a entrada e a saída dos visitantes. É possível alugar um colete salva-vidas tambem.

    GOPR0103.thumb.jpg.8a677d97ffcd84175e376f800e496a32.jpg

    Cenote Ik-Kil

    Após umas duas horas de mergulhos, tomamos um onibus de volta a Chichen Itza, onde retiramos nossas malas e ficamos aguardando nosso onibus, que partia as 16:30 rumo a nossa próxima cidade: Valladollid.

    Valladolid

    Dicas da cidade

    Nenhuma

    Hospedagem

    Ficamos hospedados no hostel Tunich Naj e fizemos reservas pelo site Booking.com. Tudo com sucesso e sem problemas. Ficamos apenas uma noite, com otimo atendimento. Hostel bem simples onde ficamos em um quarto com estrutura de madeira (parecido com uma cabana) e tivemos problemas por esse quarto ter muitoossss mosquitos. Como dito, o quarto era de madeira, e tinha muitas frestas que deixavam com que eles entrassem. Ficamos em um quarto privado com banheiro privativo. Otima localização.

    Dia a dia

    Primeiro dia (02/06), chegamos a Valladolid por volta das 17:30, fizemos o chek in no hostel, nos acomodamos e saimos para jantar. Logo retornamos e fomos dormir devido ao cansaço.

    Segundo dia (03/06), fizemos nosso check out e deixamos nossas malas em uma sala no proprio hostel. Alugamos duas bicicletas no proprio hostel e pedimos dicas para chegarmos aos famosos cenotes locais. Partimos de bicicleta e fomos primeiro no cenote Oxman que é sensacional. Agua profunda, bem fria mas linda. Um azul surreal que nos divertimos bastante inclusive saltando utilizando uma corda. A entrada neste cenote nos custou 150 pesos por pessoa, sendo que 50 pesos eram consumiveis.

    IMG_20180603_112207626.thumb.jpg.17e75e13a6858a85c7c1adae0dcaed6d.jpg

    Cenote Oxman

    Depois de duas horas partimos para nossa proxima parada: cenotes Samula e Xkeken. Os dois cenotes ficam no mesmo local e voce paga 125 pesos por pessoa para ter acesso aos dois. O Cenote Samula é lindo, 50m de profundidade, e ficamos ali por 3 horas, aproximadamente, nadando, tirando fotos do local, selfies e admirando aquele lugar único. Já o cenote Xkeken é subterrâneo, tem estalactites e raízes de arvores que descem até a água. Tem bastante gente e lá você pode pegar bóias e coletes gratuitamente, mas é de bom tom pagar a propina pro cara que cuida do equipamento. É formidável, com uma belíssima iluminação.

    GOPR0178.thumb.jpg.91b46417f589752be5ea02c7e8546a00.jpg

    Cenote Samula

    Por fim, ja retornando no sentido do hostel, resolvemos parar e visitar mais um cenote chamado Zaci que teve o custo de entrada de 30 pesos por pessoa. Este cenote é aberto porém ja chegamos nele no fim da tarde (por volta das 17:30), então não tinha muito sol. È um cenote muito bonito e tem como atração seus pontos de salto. Vai desde pontos mais baixos (cerca de 1 metro de altura) até os mais altos (cerca de 7 metros de altura). Logicamente nós fomos apenas nos mais baixos, porém foi o suficiente para nos divertirmos muito e valeu muito a pena.

    GOPR0286.thumb.jpg.2f75106ad8f02e7b461e81a361da07f5.jpg

    Cenote Zaci

    Retornamos ao nosso hostel ja no fim da tarde mesmo, tomamos um banho rapido e partimos para a rodoviaria rumo a nossa proxima cidade: Tulum. Depois de tantar Zonas arqueológicas e cenotes era chegada a hora de conhecer o litoral mexicano.

    Obs: até este momento todos os cenotes visitados tinham agua doce.

    Tulum

    Dicas da cidade

    [*] Nesta cidade o transporte de Van é super recomendavel e é super facil de utilizar. Basta procurar a avenida principal (no nosso caso o hostel ficava ao lado) e se informar qual van tomar indicando o seu destino. Pode ser o parque Xel-Ha ou qualquer outra praia. Voce informa o motorista de onde quer ir e eles sempre educados ajudam e informam onde voce deve descer. E o custo sempre baixo (cerca de 4 pesos o trecho). Vale muito a pena.

    [*] Em Tulum decidimos comprar um isopor para levarmos nossas proprias cervejas para as praias, pois o preço nelas não são tão atrativos (como em todo o litoral brasileiro por exemplo). Foi a melhor ideia que tivemos e conseguimos poupar bastante desta forma.

    Hospedagem

    Ficamos hospedados no hostel Posada Malix Pek e fizemos reservas pelo site Booking.com. Tudo com sucesso e sem problemas. Hostel muito bom, que mais parece um hotel. Talvez o melhor que ficamos em toda a viagem. Localização muito boa, quarto limpo e muito confortavel. Perfeito. Ficamos em um quarto privado com banheiro privativo.

    Dia a dia

    Primeiro dia (03/06), depois de cerca de 1 hora e meia de viagem, chegamos a tulum umas 21:30 e procuramos nosso hostel que era bem proximo a rodoviaria. Fizemos o chek in e fomos passear ao redor do hostel e tambem buscar um lugar para jantar. Logo retornamos e dormimos.

    Segundo dia (04/06), neste dia alugamos bicicletas no proprio hostel e partimos para nosso passeio. Fomos primeiro a Zona Arqueológica de Tulum, onde os maias construíram sua fortaleza envolta por grandes muros em um morro com vista para o mar. As ruínas estão hoje entre as mais visitadas do país. O Castelo e o Templo de los Frescos são os destaques das construções. A cidade abrigava altares ancestrais, controlava o comércio marítimo dos maias e foi habitada quando da invasão espanhola. Foi completamente abandonada apenas 80 anos depois, em 1598. Se quiser driblar os turistas, chegue cedo (o parque abre às 8h). Depois disso, terá de disputar espaço para conseguir uma fotografia das ruínas. Duas horas é o suficiente para conhecer o lugar com calma. A entrada teve um custo de 70 pesos por pessoa.

    DSC01795.thumb.JPG.4e28754c1075dfcc4838258a3f0a232a.JPG

    Zona Arqueológica de Tulum

    Depois das ruinas, partimos de bicicleta passear ao redor, conhecendo o comercio e as praias proximas, onde passamos o resto do dia. Curtimos tanto as praias que quando tentamos ir conhecer o Gran Cenote ele já estava fechado (fechas as 17:00). A noite saimos para jantar e fomos no restaurante El Camelo, onde comemos uma marinada espetacular por 400 pesos (servia duas pessoas).

    Obs: se quiserem fazer esses passeios de bicicleta, preparen-se para uma boa pedalada.

    Terceiro dia (05/06), reservamos para ir no conhecido e recomendado parque Xel-Ha. Fomos de van, que é super aconselhavel. Primeiramente ficamos na duvida devido ao valor (85 dolares a entrada por pessoa), mas quando chegamos já vimos que valia a pena. Lugar espetacular, lindo e com uma estrutura sensacional. Comida e bebida inclusa (inclusive cerveja) e que aproveitamos muito bem. Imagine um parque aquático integrado com um cenário natural rico e preservado, de águas naturais, cristalinas e repletas de peixes. Essa é a realidade do Xel-Há. O ingresso já lhe dá acesso a snorkel, máscara, pé de pato e armários sem taxas adicionais. Tem aividade para todos os gostos: saltar de alturas medianas (3 metros como da Pedra da Coragem), testar o equilíbrio sobre o rio nas cordas do Trepachanga, se divertir na tirolesa e toboagua. Entre as atividades mais relaxantes estão o mergulho com snorkel, a flutuação no rio sobre boias, as redes de frente ao lago dos golfinhos e as espreguiçadeiras para assistir ao pôr do sol. O parque também reserva atividades pagas à parte, a exemplo do nado com golfinhos, snuba (combinação de snorkel com mergulho autônomo – scuba), passeio na zip bike (tipo de bicicletas suspensas) e algumas outras. No site voce pode ter uma ideia melhor de tudo isso (http://www.xelha.com).

    GOPR0344.thumb.jpg.90d941b0a7dd4a0efbe094844ef8729f.jpg

    Parque Xel-Ha

    Quarto dia (06/06), neste dia iniciamos indo ao Cenote Dos Ojos. Uma das nossas melhores atividade s da viagem. Lugar incrivel, onde existe dois cenotes (por isso “Dos Ojos”) e optamos por um passeio onde fizemos uma flutuação utilizando snorkel entrando pelo Ojo um e saindo pelo Ojo dois. É tipo uma gruta com estalactites e um poço bem fundo, água cristalina. Vc vai flutuando e passando pelas rochas, encantado com essa obra prima de Deus! Lindo demais e valeu muito a pena. Não deixe de ir. Tivemos um custo de 600 pesos por pessoa. Obs: tudo isso acompanhado pelo guia. A agua é muito fria e eles sugerem e emprestam roupas de borracha (inclusa no valor).

    GOPR0391.thumb.jpg.8a8c2deedb0ccb78a9b8dfccc79d022b.jpg

    Cenote Dos Ojos

    GOPR0484.thumb.jpg.85a6555ed729947bd2f1019963881f39.jpg

    Cenote Dos Ojos

    Depois deste passeio maravilhoso, tomamos a van e fomos a praia Akumal. Uma linda praia e muito boa para passar o dia “sem preocupação”. Ficamos até o final do dia quando retornamos ao nosso hostel. A praia é reservada e tem um custo de entrada de 100 pesos por pessoa.

    DSC01820.thumb.JPG.ae0e5c2da22a54085a196ebd42c267eb.JPG

    Praia Akumal

    A noite fomos jantar no restaurante chamado La Nave, onde comemos um macarrão com frutos do mar delicioso (150 pesos por pessoa).

    Quinto dia (07/06), fizemos nosso check out e guardamos a mala no proprio hostes. Depois disso partimos para a visita ao Casa Cenote, onde pudemos entender de uma vez por todas o que é um cenote e recomendamos. Esse é um cenote de agua salgada, pois esta a beira mar. Contratamos um gui no local que nos levou a um tour de flutuação por todo caminho do cenote. Valeu muito a pena, pois o lugar e lindo, com um cenario deslumbrante e sua agua verde perfeita. Não deixe de ir. Só não me recordo do valor, mas foi algo em torno de 300 pesos para duas pessoas.

    GOPR0588.thumb.jpg.a56224251cb832c89b1af490e40adea5.jpg

    Casa Cenote

    Após isso, resolvemos passar nossa ultima tarde de novo em Akumal, pois gostamos muito e assim fizemos.

    Retornamos ao hostel no final da tarde, onde pegamos nossas malas e fomos a rodoviaria pois nosso onibus a Playa Del Carmen partiria as 19:00.

    Playa Del Carmen

    Dicas da cidade

    [*] Na 5º Avenida há um sem número de lojas de souvenires. Porém antes de tudo, se possível, dê uma olhada no Walmart, e no Hipermercado Mega, que fica próximo. Em ambos há uma seção de lembrancinhas, além da seção de bebidas. Os preços são imbatíveis e melhores até que o Free Shop do Aeroporto.

    Hospedagem

    Ficamos hospedados no hostel Che e fizemos reservas pelo site Booking.com. Tudo com sucesso e sem problemas. Hostel muito bom e com muita animação. Possui um bar no terraço com atrações musicais e onde eles preparam um jantar diferente a cada dia: rodadas de pizza, empanadas, churrasco, etc. Todos eles a um preço acessivel. Pessoas de fora do hostel vem ao terraço para curtir devido a toda animação que existe. Para quem gosta de sossego, esse não é um lugar indicado. O barulho e o som rola até umas 02:00 da madrugada e realmente incomoda a quem quer dormir. Por outro lado, que gosta de curtição, aproveite que é o lugar indicado.

    Dia a dia

    Primeiro dia (07/06), chegamos por volta de 20:00, após uma hora de viagem de onibus. Fomos a pé para nosso hostel que era proximo e fizemos o check in. Tomamos um banho e logo saimos para jantar. Vou ser sincero e dizer que daqui por diante não cheguei a anotar os locais e datas exatos do que fizemos durante todo o dia, mas sobre os restaurantes tem as minhas indicações na planilha. Voltando ao relato, jantamos, passeamos um pouco pela cidade e logo voltamos ao hostel, onde tomamos umas cervejas e logo fomos dormir.

    Segundo dia (08/06), alugamos uma bicicleta e fomos passar o dia na Playa Mamitas que é uma das mais conhecidas de Playa del Carmen. Cheia de hotéis à beira-mar e clubes de praia. É um lugar muito legal e ponto de encontro de tudo que é tipo de gente.  A água em Mamitas não é tão bonita como nas demais praias, mas a badalação está toda lá, a praia é muito bem movimentada, metade são mexicanos e a outra metade gringos dos USA e de outros cantos do mundo. Novamente estavamos com nosso fiel escudeiro: isopor com bebidas pois o valor é bem alto para consumo na praia. Os hoteis/resorts a beira mar montam estruturas de guarda sois com serviçoes de garçom e caixas de som na praia. Porém para utiliza-los voce deve desenbolsar um belo valor, além do que as bebidas são muito caras. Fora dos hoteis, tem locais que alugam guarda sois e cadeiras a um valor bem mais acessivel e nós optamos por eles.

    IMG_20180608_131608904_TOP.thumb.jpg.da03873c0fb98b896cc0bd5344c21c12.jpg

    Playa Mamitas

    Após curtir o dia inteiro na praia, saimos para passear e fazer compras na quinta avenida, que é realmente impressionante: lojas de todas as marcas e tipos de coisas com valores bem abaixo que no Brasil, porém, pelo que dizem, mais alto que no EUA.

    Nesta noite tambem jantamos e aproveitamos um pouco a curtição dentro de nosso hostel e foi muito legal.

    Terceiro dia (09/06), neste dia resolvemos realizar um grande sonho nosso que era mergulhar na famosa barreira de corais mexicana. Para isso, haviamos entrado em contato ainda do Brasil com a agencia Blue Magic Scuba, que fica na ilha de Cozumel. Nós não temos certificação e tinhamos uma unica experiencia de mergulho feito em Porto de Galinhas que não foi muito prazeirosa para nós. Porém eles foram perfeitos, com um atendimento fantastico e um cuidado que fez com nosso sonho se realizasse da melhor forma possivel e sem dificuldades alguma. Haviamos combinado um horario com eles logo cedo, então acordamos e fomos logo ao ferry boat deles para tomar o barco até a ilha de Cozumel. Não me lembro do valor, porém lembro que compramos a passagem no dia anterior, com hora demarcada e foi muito tranquilo. Chegamos a Cozumel e fomos direto a agencia de mergulho onde fomos atendido de forme excepcional. Nos explicaram que eles tem dois tipos de mergulho: um mais simples e raso (cerca de 7 metros de profundidade) e outro onde, além deste primeiro mergulho, iria tambem até a barreira de corais com cerca de 13 metros de profundidade. Explicamos nossa dificuldade e medo, e o atendente nos deixou muito a vontade a ponto de combinarmos sair para realizar o primeiro mergulho e caso tenhamos ficado bem, topariamos ou não realizar o segundo. Ficaria a nosso criterio e pagariamos de acordo com o que escolhessemos. Fomos com nosso guia que foi fantastico e realizamos a primeira “entrada” através da praia e fomos nos acostumando com o equipamento e indo cada vez mais fundo, sempre de forma muito tranquila e sem problemas. Logo estavamos acostumados e, sem perceber, atingimos os 7 metros. Naquele mar que mais parecia uma piscina, o tempo voa e quando vimos já havia encerrado a primeira “entrada” sendo que haviamos ficado cerca de uma hora no mar. Nosso guia nos avaliou super bem e nossa insegurança ja tinha se tornado animação para realizar a segunda “entrada” que seria na barreira e assim partimos. Fomos de barco até o local indicado e entramos. Novamente tudo correu muito bem e conseguimos realizar nosso sonho: a barreira é maravilhosa, onde pudemos ver todo tipo de especie marinha. Sem palavras. Não podem deixar de ir, embora o valor seja um pouco caro é uma lembrança eterna. O custo desse mergulho foi em torno de 120 dolares por pessoa. Depois de mais uma hora de mergulho, nosso passeio encerrou (contra nossa vontade..rs).

    GOPR1015.thumb.jpg.4af5b43554be046bb1a2471e102df99f.jpg

    Mergulho Cozumel

    Ficamos passeando por Cozumel, onde almoçamos e ficamos na praia até o fim da tarde quando tomamos nosso barco de volta a Playa Del Carmen.

    Durante a noite passeamos e jantamos na Quinta Avenida, até que dormimos.

    Quarto dia (10/06), neste dia fomos conhecer o Cenote Azul. A entrada teve um custo de 70 pesos por pessoa. Lugar lindo, com agua cristalina e varios pontos de “piscina” além de uma pedra para saltar. Vale muito a pena.

    GOPR1246.thumb.jpg.48c41599aa93ea2253b1d7666b0b464f.jpg

    Cenote Azul

    Após passar umas 3 horas neste lugar, retomamos a Playa Mamitas e passamos o resto do dia nela. A noite novamente fomos passear e jantar na Quinta Avenida.

    Quinto dia (11/06), realizamos o check out no hostel e deixamos nossa mala na sala reservado por eles e então fomos passar o dia na praia de Puerto Morelos. A praia em si não tem nada demais e não acredito que valha a pena ir. Porém tinha uma empresa que nos levou para um passeio de snorkeling e foi maravilhoso. Fizemos este passeio por cerca de duas horas onde vimos uma vida marinha linda, com corais de todo tipo e cor e peixes tambem (inclusive arraias e barracuda). Valeu muito a pena por esse passeio.

    GOPR1259.thumb.jpg.343a99a18278ef25af62fc61928d8cff.jpg

    Puerto Morelos

    Retornamos ao hostel, tomamos nosso banho e fomos para a rodoviaria pois nosso onibus para Cancun sairia as 20:15.

    Cancun

    Dicas da cidade

    [*] Não demos sorte em Cancun. Passamos tres dias e em dois foi de chuva forte durante todo o dia. Isso nos fez perder várias praias lindas que citam. Então nossa dica é para que verifique a época do ano que menos chove afim de evitar esse tipo de coisa.

    Hospedagem

    Ficamos hospedados no Cancun Suites Hotel Zone e fizemos reservas pelo site Booking.com. Tudo com sucesso e sem problemas. Este hotel nada mais é que um prédio com quitenetes que o proprietario aluga a turistas. Possui um “zelador” que mora em um dos quitenetes e nos ajudou bastante com dicas sobre tudo. O quitenete é perfeito, com cama, tv, frigobar, wi-fi e ar condicionado. A localização dele é excelente, porém é importante combinar com o “zelador” o dia e hora de chegada, pois o endereço é bem dificil de ser achado. Seria bom marcar com ele um ponto de encontro (o predio é cercado de lojas, pode marcar em qualquer uma)

    Dia a dia

    Primeiro dia (11/06), chegamos por volta de 21:00 e depois de algum custo, encontramos nosso predio. Deixamos nossas coisas e fomos passear. Logo percebemos que de México a cidade de Cancun não tem nada. Embora nunca tenha ido aos EUA, a impressão que temos é que Cancun é um paraiso com o entorno criado para férias de americanos. Esqueça procurar algo barato: neste lugar tudo é caro e em dolar. Porém as lojas e estrutura impressionam: hoteis/resorts gigantescos e lindos, shoppings com as melhores lojas que conhecemos, baladas surreais com muita gente e badalação, etc. E as praias paradisiacas. Nesse primeiro dia passeamos bastante e jantamos em qualquer lugar que não me recordo.

    IMG_20180612_193809482.thumb.jpg.05ec22579a340b2e5ffb433bbba4c53a.jpg

    Segundo dia (12/06), fomos conhecer as praias e decidimos ir na Playa Chac Mool que foi o unico lugar que realmente pegamos sol em Cancun. Praia linda, com mar azul cristalino e alguns quiosquer gratuitos que servem de guarda sóis. Ficamos um bom tempo nela e depois partimos para Playa Delfines que é outra praia linda, porém maior que Chac Mool, com mais vendedores e maior faixa de areia. Depois de um tempo na Playa Delfines o tempo ficou nublado e começou a chover, para não parar mais durante nossa estadia. A noite novamente fomos passear e jantar até que retornamos para dormir.

    IMG_20180612_115738306_HDR.thumb.jpg.33cf26233744dac5e9c7b9c10c559a2d.jpg

    Playa Chac Mool

    DSC01849.thumb.JPG.4cfeaa7b94d6951a7bce963954512255.JPG

    Playa Chac Mool

    Terceiro dia (13/06), decidimos ir fazer o passeio para Isla Mujeres. O tempo ainda amanheceu com alguma esperança de melhora, porém ainda durante o barco começou a chover e estragou todo nosso passeio. Não consigo nem dizer se o local é tão maravilhoso assim pois com a chuva torrencial que deu a unica coisa que aproveitamos foi a comida que estava inclusa.

    Retornamos a Cancun e resolvemos ir passar a noite no Coco Bongo. A melhor coisa que fizemos em Cancun junto a Playa Chac Mool. Coco Bongo é mais do que uma balada, é uma serie de shows e apresentações em sequencia de idolos marcantes como Michael Jackson, Queen, Kiss, Beatles. Destaque para dois momentos: a apresentação classico do Mascara simulando a classica cena do filme e uma apresentação em homenagem ao Brasil, com imagens e muito samba brasileiros (o povo fica doido e adora). Pagamos um valor de 70 dolares por pessoa com todas as bebidas inclusas. Vale muito a pena e não deixem de ir.

    IMG_20180612_214718404.thumb.jpg.53842a4d2fec74a5328f3a751aa78559.jpg

    Coco Bongo

    Quarto dia (14/06), neste dia tinhamos programados mais um dia de praia, porém a chuva torrencial não deu tregua e resolvemos ficar de molho em casa assistindo videos e netflix. Saimos apenas para almoçar e dar mais uma volta pelo comercio. A noite passeamos e tomamos alguns drinks pelo centro e retornamos para dormir pois logo cedo tinhamos de partir.

    RETORNO

    Dia (15/06), nossa saga de retorno iniciou com um voo de Cancun para a Cidade do Mexico, onde tivemos uma escala de aproximadamente 7 horas e ficamos no aeroporto mesmo. Depois disso pegamos nosso voo de volta a Guarulhos onde chegamos no dia 16/06 as 06:25 (horario local devido ao fuso).

    Recomendamos a todos este roteiro e qualquer duvida podem me procurar por email.

    Grande abraço.

    Planilha de Planejamento.xlsx Mergulho.pdf

     

     

    • Gostei! 1

  3. 5 minutos atrás, Amanda Parreira disse:

    Olá, Fabrício! Excelente relato! Muito obrigada por compartilhar essas informações. Mas a questão mencionada acima me deixou um pouco preocupada. Até onde eu sabia, a Colômbia não exigia passaporte para a entrada em seu território por fazer parte do Mercosul, bastando a apresentação de um documento de identidade. Eu vou visitar Cartagena e San Andrés agora em março de 2018 e meu vôo tem conexão no Panamá. O Panamá sim exige passaporte, mas com validade de três meses. A minha preocupação é: na data de validade o meu passaporte terá três meses de validade. Você poderia me dar maiores informações sobre essa questão dos seis meses? Mto obrigada!

    bom dia Amanda,

    Sinceramente, foi a informação que recebi na epoca da viagem. E fui cobrado no embarque em SP. O rapaz viu o passaporte e fez as contas para seis meses. O meu faltavam poucos dias para vencer e ele ainda brincou comigo. Pelo que levantei na epoca, o passaporte tem de ter seis meses de validade na data do embarque de ida.

    Acredito que eu possa estar errado ou algo ter mudado, mas acho improvavel. Na duvida, sugiro vc procurar o consulado do Panama e da Colombia aqui no Brasil. Uma ligação a eles vc consegue tirar essas duas duvidas. Obs: irei ao mexico em 05/2018 e la tambem exigem seis meses.

    Depois reporte aqui sua resposta por favor...

    Boa sorte!!


  4. Em 12/7/2017 em 16:50, deborapinheiro7 disse:

    Muito bom o relato!
    os valores no excel , são para 2 pessoas?

    Oi debora,

    Na planilha tem a aba de Voos, onde tem o valor individual e total para duas pessoas. Na aba de hospedagem, os valores são sempre para duas pessoas. Já na aba de Custos, tem o custo individual e total para duas pessoas. Abaixo tem o valor total para duas pessoas:

    Voos R$ 3.325,00
    Hospedagem R$ 2.020,00
    Passeios R$ 1.996,00
    Alimentação R$ 1.730,00
    Total R$ 9.071,00

  5. Boa noite !

     

    Como contrataram o serviço para San Blás ? Lembram o nome da agência ?

     

    Obrigado desde já !

     

    Att,

     

    Karl

     

    Ola Karl,

    Não lembro o nome do serviço, mas foi indicação do hostel. Alias, o proprio hostel tinha convenios com 3 empresas que fazem esse percurso. Acredito que muda muito pouco, inclusive os valores são bem parecidos. Acredito também que todos os hostels possuem esse tipo de parceria com empresas. Pode ficar tranquilo quanto a isso.

     

    Abraços


  6. Olá Fabrício, muito bom seu relato.

    Todas as fotos que vejo sobre a cidade do Panamá ou San Blás sempre o sol está brilhando, nunca vi postagens com dias chuvosos. É sempre assim em qualquer época do ano?

    Pretendo ir com minha esposa em julho do próximo ano. Faz frio em algum mês? Julho é um mês legal?

    Nunca me hospedei em hostel, não sabia que tinha quarto com banheiro privado. Esse que você ficou, você recomendaria para um casal já não tão jovem?

    Grato.

    Humberto.

     

     

    Ola Humberto,

    Eu não peguei nenhum dia chuvoso em san blas ou cidade do panama. Peguei apenas em Bocas del toro, um dia. Porém, tem epocas do ano que me disseram que chove bastante..vale a pena pesquisar mais sobre isso. O mesmo vale sobre a temperatura, não tenho conhecimento sobre outros períodos.

    Sobre os hostels, os quartos são privados, com banheiro privativo. Eu acredito que não teriam problemas com a hospedagem/quarto nesse sentido. O único ponto a se observar é que não tem nenhuma refeição inclusa (vcs teriam que fazer tudo por conta propria.

     

    Boa sorte..

    Abraços


  7. Muito bom o seu relato Fabricio! Eu estou planejando ir em junho, e o seu relato já me tirou várias dúvidas.

     

    Quanto ficou esse passeio a isla Estrella com Deep Surfing incluso?

    Você acha que é de boa encontrar hostel com preços de até USD 15 em quarto compartilhado? Viu isso por alta lá?

    É tranquilo encontrar passagens de Almirante a Bocas del Toro, e vice-versa? Ouvi dizer que tem ônibus diariamente em até três horários...

     

     

    edu, todos hostel que eu passei tem estadia nessa faixa de preço para quartos compartilhados..eu preferi os quartos privados por causa do banheiro já que eu estava com minha namorada..mas todos eles pareceram ser bem limpos e organizados mesmo nos quartos compartilhados..

     

    sobre as passagens aereas, não tenho ideia amigo...cheguei a pesquisar valores, mas como achei caro nem procurei saber os dias e horarios..

    sobre as passagens de onibus, tem diariamente ás 19:00.. nos dois sentidos..e o valor é por volta de U$30,00 por pessoa..

     

    abraços pessoal..qualquer dúvida mandem ai..ou me procurem no facebook..


  8. Fala galera..

    Estou aqui para relatar a minha viagem a 3 cidades do Panama (Cidade do Panama, San Blas e Bocas Del Toro).

    Fui somente eu e minha namorada, embarcamos dia 29/01/2015 e retornamos dia 11/02/2015.

    Em anexo coloquei uma planilha de custos e planejamento.

    Embarcamos dia 29/01 de Guarulhos com destino a Cidade do Panama pela companhia aérea Copa Airlines. Cheguei a pesquisar por outras empresas, mas essa era a que tinha voos mais baratos e também sem escalas. A duração do voo é cerca de 7 horas. Ótima agencia e os voos ocorreram sem problemas (lanches muito bons, sem comparação com a Gol por exemplo). O valor da passagem foi de R$1800,00 por pessoa.

     

    OBSERVAÇÕES

    [*] É necessário o comprovante da anvisa de vacina de febre amarela (verificaram isso na entrada do Panama);

    [*] É necessário um passaporte com no mínimo mais 6 meses de validade na data de embarque (também verificaram isso no embarque);

    [*] Fuso horário de 2 horas normalmente. 3 horas no caso de horário de verão brasileiro;

    [*] Moeda local se chama Balboa, porém raramente é usada. A moeda corrente é o dolar americano. Recebemos apenas algumas moedas de troco em Balboa. A cotação é um dolar= um balboa;

    [*] Todos os dados de hostel esta na planilha em anexo.

     

    CIDADE DO PANAMA

    Chegamos a Cidade do Panama por volta de 10:00 da manhã e nos dirigimos a nosso hostel Villa Vento (taxi, no máx U$30,00) que eu havia reservado por email (dados na planilha em anexo). Hostel muito bom, com ótima localização e funcionários muito prestativos (principalmente Carmelo, Leo e Ezequiel) que nos ajudaram em tudo durante nossa estadia na Cidade do Panama.

    DSC06449.JPG.59b0724177c082b916039e36c33d6ce7.JPG

    Primeiro dia(29/01) alugamos duas bikes no próprio hostel e fomos passear sem destino. Pegamos a ciclovia da praia e fomos no sentido do Mercado de Mariscos, passando por toda a costa. Almoçamos no mercado, onde temos diversas opções de peixes a preços bons (ceviche a U$4,00 e corvina a U$10,00). A costa é muito bonita e vale a pena para ter uma bela ideia do que é a Cidade do Panama. Fomos também a Casco Viejo, que é um centro histórico, com muitas igrejas e praças para conhecer.

    Segundo dia (30/01) fomos conhecer o canal do Panamá logo pela manhã. Impressionante toda a engenharia envolvida e sua complexidade. A duração é de umas 3 horas. Na saída, pegamos um taxi e pagamos cerca de U$40,00 para que ele fizesse um “City Tour” conosco. Ficamos com ele por mais umas 4 horas, conhecendo vários pontos da cidade, incluindo feirinhas de artesanatos e centros históricos.

    Terceiro dia (31/01) fomos a Cerro Ancon, que é cerro mais alto da Capital e de lá é possível ver toda a cidade! Ótimo para tirar umas fotos, e pra quem gosta de caminhadas e bike também é excelente! Muito verde e pássaros. Ficamos umas 2 horas e após isso fomos as compras no shopping Albrook Mall. Esse é um super shopping, imenso onde temos todos os tipos de lojas. Encontramos muitas coisas baratas, mas também muitas coisas que não estavam valendo a pena comprar (principalmente pelo valor do dólar na época que fomos R$2,80). Eu acabei comprando algumas camisetas, bermudas. Para se ter uma idéia, uma camiseta Gap estava por cerca de U$20,00. Eletronicos não estava muito atrativo (uma go pro 4 por cerca de U$400,00 o modelo mais simples).

    DSC06535.JPG.d555e3564957c6a9db5983bbbc57eaf7.JPG

    Neste dia fechamos no próprio hostel a nossa estadia em San Blas (3 dias e duas noites). Agendamos a saída para o dia 02/02 as 06:00.

    Quarto dia (01/02) fomos ao Calzada Amador que é um calçadão bem bacana para caminhar ou pedalar, e tem uma vista bem bonita da cidade do Panamá. Tem várias empresas que alugam bikes no local. Almoçamos novamente no Mercado de Mariscos.

    DSC06515.JPG.170a3d87002b9308c953a53c6677f144.JPG

    As noites na Cidade do Panama fomos quase todas para a Calle Uruguai, que é bem próxima do nosso hostel e tem diversos restaurantes e baladinhas.

     

    TRANSPORTE

    Do aeroporto para o centro: taxi U$30,00. Se for taxi compartilhado, U$10,00

    OBSERVAÇÕES

    [*] Pegar Taxi fora do aeroporto;

    [*] Fechar o passeio para San Blas com antecedência no Hostel;

    [*] Imprimir localização do hostel no Google Maps. Taxistas não conhecem muito;

    [*] A estação rodoviária da Cidade do Panamá fica anexa ao centro comercial Albrook Mall.

     

    SAN BLAS

     

    Saimos do hostel dia 02/02 ás 05:30 da manhã (a pick up foi nos buscar). Deixamos nossa maior parte da bagagem no hostel, e levamos apenas duas mochilas pequenas com suprimentos para os 3 dias.

    DSCN1450.JPG.82b399b1f3a610d8cb29ba24efc1bf14.JPG

    DSCN1444.JPG.acfdfdf2301ad381cf6eaabc0d3f27bf.JPG

    DSCN1435.JPG.2cbed38f5cae1aea910696110e64ba5b.JPG

    DSCN1433.JPG.f85ebd06ad56b6da8cd78d24b7ae9461.JPG

    Nosso primeiro destino foi a Isla Perro, onde chegamos por volta das 09:00. Esta ilha é a mais linda de todas, com um mar impressionante e ainda tem um barco naufragado bem próximo a ilha ótimo para se fazer snorkel. Almoçamos nessa ilha e saímos rumo a Ilha Franklin por volta das 14:00. Ficamos hospedados nela três dias, duas noites. Valor de U$26,00 por pessoa uma cabana privada (uma cama de casal). Esta ilha tem 3 refeições inclusas, banheiro com agua doce (quase doce, na verdade é uma agua salubre). A luz é ligada por volta das 18:00 e fica ligada até as 22:00, onde somente a luz do luar fica disponível. O lugar é perfeito, a praia é linda..paradisiaca. Vale muito a pena ir.

    DSCN1458.JPG.fdbf7cf45076c90f4d42e5e3a29d55f2.JPG

    DSCN1457.JPG.3ff15b6e3790ea6992d4436dff1f826c.JPG

    DSCN1466.JPG.823211207cfa99e317f3db01a3a63b87.JPG

    DSCN1471.JPG.f0a903d7b0c48460d0b9d811e3d6bd8f.JPG

    Segundo dia (03/02) fomos visitar outras ilhas com os índios Kunas, todas lindas e vale muito a pena. Alias, todas as ilhas são comandadas por índios Kunas. A ilha tem alguns produtos para venda, como alguns salgadinhos, cerveja gelada e agua. Mas aconselho a levarem agua e alguns mantimentos para se manter durante sua estadia. Nós levamos salgadinhos para beliscar durante o dia e agua. Compramos dos índios apenas cerveja (U$2,00 cada).

    Terceiro dia (04/02) acordamos e arrumamos nossas coisas, pois partimos de volta a Cidade do Panama após o café da manhã, por volta das 08:00.

    Chegamos no hostel Villa Vento por volta de meio dia. Primeira coisa que fizemos foi ir ao terminal rodoviário comprar a passagem para Bocas Del Toro. Valor da passagem foi de U$28,00 por pessoa (mais U$5,00 de barco para chegar a Isla Colon) e a partida do ônibus é as 19:30. Nos aconselharam a comprar com antecedência para não correr o risco de esgotar. Retornamos ao hostel após comprar a passagem, pegamos nossa bagagem, tomamos um banho e ficamos curtindo o dia por la mesmo, aguardando o horário de partir para Bocas Del Toro.

     

    Valores do transporte para Cidade do Panama - San Blas por pessoa:

    [*] U$55,00 transporte ida e volta de 4x4;

    [*] U$12,00 taxa de visitação;

    [*] U$20,00 barco incluso ida e volta.

     

    OBSERVAÇÕES

    [*] Levar água e comida;

    [*]Levar dinheiro trocado;

    [*]Tomar dramin durante a viagem, estrada bem agitada;

    [*]Levar cordinha para varal, papel higiênico, pregadores;

    [*] Procurar ficar nas barracas de frente para o mar. Melhor sensação;

     

    BOCAS DEL TORO

     

    Partimos da cidade do Panama as 19:30. Onibus tem um ar condicionado muitoooo gelado, é sério, levem agasalhos e calça (único momento em toda viagem que coloquei calça e agasalho). Chegamos ao local chamado Almirante as 06:00 do dia 05/02 e é onde vc pega o barco para a ilha de Boca Des Toro. Bocas é um conjunto de ilhas, onde a ilha principal se chama Isla Colon, onde nos hospedamos no hostel Mar e Iguana. Esta ilha é bem estruturada, tem muitos restaurantes, mercados, baladinhas e é ponto de partida principal para os passeios por outras praias e ilhas. O hostel é bem legal, tem um pessoal bacana que ajudou bastante nós. Pagamos U$30,00 a diária para um quarto privado com banheiro, sem nenhuma refeição inclusa. Ele fica cerca de 10 minutos a pé do centro ou um taxi por cerca de U$1,00 por pessoa.

    No mesmo dia (05/02) fomos fazer um passeio que incluía as Islas de Los Delfines, Cayo Coralles, Zapatilla pelo valor de U$25,00 por pessoa. São praias bonitas, mas o tempo não nos ajudou muito. Choveu em diversos momentos e isso prejudicou até mesmo nosso snorkel. Além disso, aconselho a não fecharem passeios no próprio hostel e sim ir até o centro, onde existem diversas agencias com diversas opções de passeio com valores muitas vezes negociáveis.

    DSCN1559.JPG.d877a18d2580bab4927d8ec32c806017.JPG

    No dia 06/02. Fomos passar o dia na praia Red Frog. No centro, pagamos U$5,00 por pessoa para um barqueiro nos levar e trazer de volta no horário combinado. A praia é linda e para chegar nela vc caminha uns 5 minutos por dentro da mata. Tem restaurantes e tb um bar a beira mar. O sapinho vermelho (red frog) é bem difícil de ser encontrado, mas o barqueiro caminhou conosco por uns 5 minutos e finalmente encontramos um. Vale a pena conhecer esta praia.

    DSCN1610.JPG.cab8e57d43050e74087a3d2ffa3e5d5e.JPG

    DSCN1604.JPG.ccf7d8253446ddf2a7a41080001d7ff9.JPG

    No dia seguinte (07/02) fechamos um passeio para a isla Estrella com Deep Surfing incluso. Galera, essa ilha vale a pena.. tínhamos que tomar cuidado ao caminhar pela beira do mar para não pisar nas estrelas. Fora isso, almoçamos os dois uma Lagosta enorme pelo valor de U$25,00. E para completar, o Deep Surfing, que é um passeio onde vc é puxado por um barco através de uma corda e vc se segura em uma prancha parecida com uma prancha de natação. Vc pode mergulhar com ela ou ir por cima da agua para respirar. Nada complicado e muito gostoso. Uma pena que o mar estava turvo e não deu para nós vermos muita coisa, mas mesmo assim valeu muito a pena.

    DSCN1496.JPG.a32e13fe6f911b14cf348ea9a83a2ff3.JPG

    DSCN1691.JPG.88ac715f7972c0ca6e6db1ddebc4824f.JPG

    DSCN1669.JPG.a2b1c5425753c93e30f8b21cd19fbb1b.JPG

    DSCN1645.JPG.cd6711742886bd4c777eb8533a183c21.JPG

    No dia 08/02, fechamos um passeio com uma agencia de mergulho. Como não tínhamos tempo e nem dinheiro para fazer o curso iniciante, fechamos apenas para acompanhar eles para realizarmos snorkel. Valeu muito a pena. Fomos a dois pontos de mergulho fantásticos e ficamos cerca de uma hora em cada ponto. Vimos diversos peixes, corais e para completar nossa felicidade, vimos uma arraia que parecia posar para nossas fotos..rs.. Pagamos U$15,00 por pessoa e valeu muito a pena.

    DSCN1787.JPG.8046892f2aadff83d210fd8b382cfaf3.JPG

    No ultimo dia (09/02), alugamos duas bikes no próprio hostel e nos dirigimos a Playa Bloffe. Uma estrada a beira mar, com alguns bares pelo caminho. A pedalada durou uma hora e meia até a playa Bloffe. Praia com ondas fortes e por isso muitos surfistas, onde só entramos no mar na parte mais rasa. Ficamos em um restaurante em frente a praia e aproveitamos o dia até cerca das 15:00. Retornamos de taxi (pick up com as bikes em cima) porque havíamos bebido um pouco e acabado de almoçar (não aguentaríamos pedalar mais uma hora e meia de retorno.rs).

    DSCN1836.JPG.f5eb61e9767209d5dce908488a0e1604.JPG

    DSCN1818.JPG.6a44c50ea2a70b01d33a944382682e85.JPG

    Voltamos ao hostel, tomamos um banho e partimos para o Almirante pegar nosso barco e posteriormente nosso ônibus de volta a Cidade do Panama.

     

    Observações:

    [*] Restaurante Coco Bambu é muito bom. Jantamos duas vezes nele, com valores acessíveis, comida e atendimento muito bons;

    [*] Bar Iguana muito bom e animado. Fica a beira mar e possui um píer no fundo do bar onde os mais animados podem pular no mar que mais parece uma piscina natural. Musica animada e bebida barata;

    [*] Existem vários bares e agitação noturna. Cada noite o agito é em um lugar diferente. Basta se informar.

     

    Chegamos a Cidade do Panama por volta de 04:00 e fomos para o Hostel Villa Vento, onde o pessoal gentilmente nos deixou passar o dia lá, até nosso horário do voo (inclusive nos deixaram tomar banho e utilizar a piscina). Ficamos até as 11:00, horário que partimos rumo ao aeroporto, afim de aproveitar e ver se tinha ainda algo interessante para comprar no free shop antes do nosso embarque (consegui um nike shox por U$120,00).

    Embarcamos de volta a SP as 15:45 e chegamos as 01:45 horario do Brasil (07:00 de viagem, 3 horas de fuso devido ao horário de verão).

     

    E assim foi nossa viagem. Espero que possam aproveitar este relato. Nossa viagem foi perfeita.. do jeito que queríamos e graças a outros relatos aqui do mochileiros.

    Um abraço a todos e caso precisem, podem me mandar email que respondo assim que puder.

    Viagem.xls

    DSCN1795.JPG.6348cb5c64fbded1978b757181523d4f.JPG

    • Gostei! 1
×
×
  • Criar Novo...