Ir para conteúdo

Cris e Fran

Membros
  • Total de itens

    46
  • Registro em

  • Última visita

Conquistas de Cris e Fran

Novo Membro

Novo Membro (1/14)

0

Reputação

  1. 20/01/15 Levantamos cedo e a temperatura estava em média 7 graus, dia nublado, sem chuva. O roteiro do dia foi conhecer a igreja Sagrada Família e o aquário de Barcelona. Caminhamos pela cidade e percorremos um total de 24 km. Observamos que a arquitetura típica está presente em todas as partes, nas praças, nos prédios, parques e monumentos. A Sagrada Família é incrível, não entramos na igreja. Incrível a riqueza de detalhes da igreja, em cada cantinho têm vários detalhes. Várias foram as técnicas utilizadas na construção da Sagrada Família. Legal poder ver que há pessoas e máquinas ainda trabalhando nessa obra incrível e inacabada de Gaudi. Depois de ficar extasiados com a Sagrada Família, fomos rumo ao L’aquarium. Durante o percurso observamos o quanto é limpo e organizado o centro de Barcelona e bairros próximos. Chegando à praia a temperatura estava em 12 graus. Havia pessoas correndo e pedalando nas ciclovias. Cheirinho de mar e sol no rosto nos fez lembrar de nossa casa (Florianópolis). Em todos os lugares que visitamos tomamos sorvete, claro que aqui não foi diferente. Chegamos ao aquário, 17 euros por pessoa no site. Fiquei um pouco ansiosa, tenho fobia de lugar fechado e água. Mas foi substituída pela curiosidade de olhar aqueles aquários tão lindos e coloridos. A diversidade de peixes, polvos, arraias, tubarões, é incrível. As cores e tranquilidade que existe vai além de apenas ver os peixes. Um peixe que atraiu muito a nossa atenção foi o peixe Lua, vale a pena pesquisar sobre esse peixe. Ficamos mais ou menos 2 horas e meia. Tiramos fotos e vídeos durante todo tempo. Na volta para o hotel passamos pela cidade velha. Em um segundo você está em meio a ruas largas e modernas, com carros. Em outro você está em meio a prédios antigos, escuros, ruas estreitas, iluminação rústica. Havia até um presépio vivo com carneiros, bodes, galinhas, só não tinha criança, mas a bicharada estava solta. Se eu gostei de Barcelona? Amei e quero voltar para ficar mais alguns dias.
  2. 19/01/15 Acordamos e tomamos aquele café da manhã com a melhor granola que já comi. Oba! Hoje é dia de comprar. Pela manhã fomos ao El Côrte Inglês. 5 andares de pura alegria, cosméticos e roupas de marca. Almoçamos na galeria mesmo, pizza e refri. Caminhamos 12 km de loja em loja, comprei shampoo, condicionador, maquiagem, algumas peças de roupas. O Cris simplesmente enlouqueceu na seção da Calvin Klein, eu não tive muita sorte com as roupas, principalmente na Zara. O dia estava chuvoso e frio, perfeito para ficar dentro das lojas. Falando sobre a cidade. No dia anterior tinha sol e havia muitas pessoas caminhando. As ruas e calçadas são largas, limpas, sem poluição visual, nem sonora. Observei que existem estacionamentos subterrâneos, assim as ruas estão sempre em movimento. O prédios são praticamente da mesma altura, não ultrapassam de 5 ou 6 andares. As pessoas são muito elegantes, bem arrumadas, passeiam a pé, de bicicleta e patinete. Mesmo com dia chuvoso as ruas e lojas estão movimentadas. Encontramos uma Famec sem querer, os jovens tomam conta das prateleiras de livros e jogos, haviam drones a venda. É possível ver a influência de Gaudi em muitas arquiteturas, detalhes em sacadas e no trabalho em mosaico. As cores fogem do convencional, proporcionando destaque nos detalhes. Nosso dia se resumiu em comprinhas necessárias e desnecessárias....kkkk, a loja Sephora é muito barata para comprar makes. O El Côrte Inglês é ótimo para cosméticos e roupas. Voltamos para o B&B e nos entregamos ao aconchego do quarto quentinho e limpinho.
  3. 18/01/15 Despedimos-nos bem cedo de Roma. Nosso próximo destino é Barcelona. Acordei, na verdade não acordei...kkk, estávamos com o horário contado para pegar o metrô rumo ao aeroporto. Calçada com as botas de salto por que não cabiam na mochila. Nessa altura a mochila já estava pesando pelo menos 4 quilos a mais. A estação de trem ficava a mais ou menos 1,5 km do hotel. Essa foi a pior caminhada que eu fiz, a mochila estava muito pesada e eu estava lenta e sonolenta. O Cris me dava uns toques para ir mais rápido. Ele pensou que não iria dar tempo de chegar ao aeroporto no horário previsto. Compramos os tickets do metrô, em menos um minuto o metrô saiu, chegamos a tempo. Em 25 minutos estávamos no aeroporto Fiumicino, desembarcamos dentro do aeroporto. A viagem entre Roma e Barcelona durou 2 horas. Dormi feito criança, essas 2 horas pareceram 10 minutos. Desembarcamos as 11:00 no aeroporto El Prat. Tínhamos que fazer hora, nossa entrada no hotel era as 14:00 horas. Tomamos café da manhã, pegamos um metrô, descemos no ponto errado e tivemos que caminhar 2 km até o hotel. Como nos perdemos, acabamos passando sem querer por 2 casas famosas da arquitetura de Gaudi. Chegamos exaustos no B&B. Preenchemos os papéis das estadias e esperamos uns 30 minutos. Guardamos as mochilas, tomamos um banho e saímos para comer. Havia uma hamburgueria no mesmo prédio. Foi o melhor hambúrguer que comemos na europa. O estabelecimento todo no estilo retrô Rock Roll. Fomos até um mercadinho e compramos o de sempre: água, frutas e bolachas. Voltamos ao hotel e descansamos para estarmos mais dispostos no dia seguinte.
  4. 17/01/15 Fomos ao Vaticano de metrô, pagamos 1 euro por pessoa. Antes de entrar no Vaticano almoçamos em um lugar simples e com comida típica italiana, bem feita e gostosa. Antes de sair do restaurante resolvemos ir ao banheiro que ficava no andar de baixo. Então escutamos os atendentes falando alto, procurando a gente, eles acharam que nós tínhamos dado os canos neles. Quando aparecemos eles ficaram sem jeito, com sorriso amarelo e até pediram desculpas. Chegando ao Vaticano, tinha uma fila enorme para entrar na Basílica, desistimos dela, era de graça. Então rumamos para o museu do Vaticano, 16 euros por pessoa, de segunda a sábado das 9:00 as 16:00 no inverno europeu, sem fila. Encantador a diversidade de esculturas de Deuses. Há várias salas com Deuses Romanos, Gregos, Egípcios, peças lindas, banheiras enormes, tudo lindo, móveis com mosaico, tetos decorados. A igreja do Vaticano é muito bonita e com pinturas do teto ao chão. Incrível a riqueza dos detalhes, das obras. O passeio durou 3 horas. Podia bater de foto de tudo, menos na Capela Sístina que é realmente linda. Como prometido rezei pelas pessoas queridas, o ambiente tem uma energia boa.
  5. 16/01/15 Nesse dia começamos falando do fim do dia. Caminhamos 27 km por Roma, nosso mapa era escasso e fomos seguindo a intuição. Caminhamos em círculo em uma quadra imensa. Nos demos conta disso quando escutamos um grupo que estava jogando futebol, mas já havíamos passado por eles. Na hora que escutei o apito do juiz caí na gargalhada. O Cris riu um pouco, mas ficou com cara de puto que só ele faz e acho engraçado pra caramba. Ainda no fim deste dia pedimos informação para poder voltar ao hotel e o rapaz nos indicou a praça da pirâmide e passando pela praça... o detalhe é que passamos por essa praça faz mais de uma hora. Mais alguns minutos de gargalhada. Refizemos o nosso trajeto e já fazia umas 3 horas que estávamos caminhando e a vontade de fazer xixi bateu loucamente. O Cris ficou de guarda e abaixei as calças e fiz xixi embaixo de uma árvore na frente de um parque. O Cris fez logo em seguida, não ví se tinha câmera, provavelmente tinha, mas o que interessa é que esvaziamos a bexiga embaixo de uma árvore de Roma. Tá! Agora é que começo o dia. Fomos direto para o Coliseu, entramos e ficamos surpreendidos com as câmaras que ficam embaixo do que seria o palco de lutas. O palco praticamente não existe, incrível as ruínas internas e externas do Coliseu. Passamos por várias praças, sempre com artistas de rua enobrecendo os parques e praças. Sempre tem um instrumento musical, um violino, violoncelo, violão, gaita e por aí vai. Durante as praças escutamos uma batida mais eletrônica e fomos conferir. Um artista tocava com materiais recicláveis e pedaços de lixos como lata, latão... ele fazia uma música bem legal. Fomos em um barzinho que vimos no programa lugar incomum( da Didi no multishow), lá serviam bebidinhas com licores, conhaques e batidas, tudo em um copinho de chocolate. Outro diferencial desse bar era que os nomes das bebidas eram atos sexuais...hahahaha Tomamos 2 doses cada um, uma delícia, o teor alcoólico é baixo e nem aconteceu nada. No almoço fomos em uma pizzaria indicada pelo mesmo programa, mas não tivemos sucesso com as escolhas e não gostamos. Chegamos ao hotel quebrados, esfomeados e doidos para tomar aquele banho e cair na cama.
  6. 15/01/15 Devolvemos o carro na Europcar, 175 dólares, na época foi 472 reais por 7 dias, percorremos 2300 km, gastamos 460 reais em gasolina(benzina) e R$184,00 em pedágios, mais R$ 37,00 em parquímetros. Pra variar foi um caos pra chegar ao prédio da entrega do carro, Roma não é fácil de dirigir, trânsito confuso. Ficamos com aquela sensação de liberdade... Voltamos a pé para o hotel, almoçamos pelos arredores e rumo aos pontos turísticos de Roma. No centro de Roma existe um muro que cerca todo o centro. Muro alto, cheio de detalhes, arcos pra passagem. Andando pelo caminho turístico, passamos por praças e igrejas lindas. O material usado na maioria das arquiteturas e esculturas é o mármore branco. Chegamos até o Coliseu, mas não entramos, não é permitido entrar com mochilas. Tiramos fotos do imponente Coliseu e rumos em direção a uma praça incrível, Piazza Venezia. Há 2 guardas que não se mexem, estão com fuzis. Uma tocha de fogo fica acesa sempre, várias bandeiras e roupas militares da época de guerra. Estátuas enormes de soldados e guardas estão no teto do museu e em lugares estratégicos. As estátuas são enormes mesmo, algumas de ouro e outras de metal escuro. Caminhamos até a Piazza de Navona com seu lindo chafariz de água transparente, mas o que mais chamou a atenção nessa fonte foi um pombo morto boiando. Uma coisa que o Cris me diz sempre: Você têm problemas... hahahaha ãã2::'> Vários obeliscos pela cidade. O Pantheon e suas incríveis esculturas feitas de mármore e ouro, riquíssima em detalhes da arquitetura romana – entrada livre. Fomos até a Fontana de Trevi e infelizmente estava em reforma, não vimos nada, apenas uma foto da gigante fonte. Valeu muito o passeio, caminhamos 20 km. Total – 20 km
  7. 14/01/15 Tomamos café na cafeteria que a dona do B&B indicou. Esse café faz parte da diária. Chegando à cafeteria, localizada a umas 2 quadras, sentamos e ganhamos uma xícara de café com leite e um croissant, saborosos, mas pouco. Pegamos o carro e fomos até Napoli, 2:30 de viagem – ida, total de 5:00 horas na autoestrada, rodovia com 3 pistas, 15 euros de pedágio – ida, total 30 euros, velocidade máxima de 130 km/h. Nos perdemos na cidade várias vezes ãã2::'> e pagamos para um senhor nos guiar até o Vesúvio. Depois dos acertos e erros conseguimos chegar. Napoli é uma cidade portuária, bem bagunçada e cheia de lixo pelas ruas, conforme íamos subindo para chegar ao Vesúvio, as casas e ruas foram melhorando de aparência. O vulcão Vesúvio está inativo, há pedras enormes que rodeiam a borda do vulcão e brilham conforme a luz do sol bate nelas. Lá de cima pudemos observar o caminho que a lava fez na montanha até chegar, certeiramente, à cidade de Herculano. Nosso passeio durou 2 horas e tinha fumaça saindo de algumas paredes...( 10 euros por pessoa, das 9:00 as 15:00) Compramos uma pedra linda( 8 euros), por fora é toda preta e por dentro tem cristais pretos refletindo várias cores, linda! Fomos até a famosa cidade de Pompéia. Incrível ver como a cidade se manteve em pé mesmo com toda potência do vulcão. ( 11 euros por pessoa, das 08:30 as 17:00) Caminhamos pela cidade, ansiosos para ver as pessoas em forma de estátuas. Pompéia é linda, vimos seus campos de jogos, os lugares onde moravam, salas de banho, bares e dormitórios. Enfim, conseguimos ver algumas pessoas no estado de estátuas. Tiramos fotos de todos os ângulos possíveis, na verdade é um pouco sinistro de se ver. As escavações continuam e boa parte da cidade ainda está em processo de escavação, passeio incrível, lindo, impressionante o estado de conservação das coisas. Deixamos o carro, conforme dicas no mochileiros, no mercado Carrefour bem perto, grátis. Compramos umas frutas, bolachas, água. Voltamos para o hotel, como sempre relaxamos na enorme banheira rosa e desta vez o cheiro de enxofre diminuiu bastante. E mais um dia se foi...
  8. 13/01/15 Acordamos e tomamos aquele cafezão, pegamos nossas parceiras (mochilas) de viagem e o Fiat 500 e direto a Roma. Comecei dirigindo, mas logo o sono pegou e passei o volante para o Cris. Dormi e quando acordei estávamos em uma estrada de 3 pistas com carros por todos os lados, um caos total. Trocamos o volante, não sou boa em ver mapas (sem GPS no carro), seguimos até o hotel com as coordenadas precisas do Cris. Acho incrível isso nele, admiro muito a organização dele com todo o trajeto da nossa viagem. A cidade de Roma é desorganizada, por incrível que pareça conseguimos vaga do lado do hotel. Chegando ao hotel, esquema B&B, fomos bem recepcionados, quarto amplo, organizado, cores e móveis modernos. O banheiro era fora do quarto, mas era o banheiro com uma banheira grande, decoração e designer bonito. Nesse dia caminhamos um pouco aos arredores do hotel, almoçamos pizza, frango e carne de porco, e, como todos os dias, compramos frutas, água e bolacha. A mimosa(tangerina, bergamota) é chamada de Clementine, as feirinhas de frutas e verduras são bem fresquinhas e coloridas. As frutas são caras na Europa, a banana, maçã, pêra, custam 10,00 reais o quilo, as outras frutas são mais caras ainda, uma manga custa 10,00 reais. Dirigir pelas ruas de Roma é um sacrifício, teste de paciência no volante. Aproveitamos aquela banheira enorme, tomamos um banho demorado e adivinha, a água da banheira e nós ficamos exalando cheiro de enxofre do dia anterior.
×
×
  • Criar Novo...