Ir para conteúdo

Natalia Lima1502432901

Membros
  • Total de itens

    1
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

2 Neutra
  1. SALVADOR + ITAPARICA + MORRO DE SÃO PAULO EM 1 SEMANA CHEGADA: Chegamos a Salvador numa Segunda à noite e ficamos hospedados na POUSADA ESTRELA DO MAR, na Barra. A localização da pousada é ótima, perto de bares, restaurantes, bancos, farmácias, etc. Da pousada até o famoso FAROL DA BARRA eram menos de 3 minutos a pé. Como chegamos bem tarde, a salvação para jantar foi um Bob’s que fica 24h aberto, bem pertinho da pousada. :'> DIA 1: No dia seguinte, acordamos cedo já que estávamos perto do Farol da Barra, tornou-se a primeira parada. Vale a pena entrar no Farol, conhecer o Museu Náutico que fica dentro (R$ 5,00 para entrar) e subir até o topo para tirar algumas fotos. Depois, andamos até a Rua Marques de Caravelas e pegamos um ônibus em direção à RIBEIRA (Lá eles não costumam dizer o número do ônibus, apenas o nome). Fomos até o ponto final (que eles chamam de “fim de linha”). A Ribeira é um bairro bem simples, mas tem uma orla bonitinha. Andando pela orla uns 40 minutos você chega à Igreja do Bonfim. Se não quiser ir até o ponto final, nesse mesmo ônibus você pode descer uns pontos antes e ir direto para a igreja. Essa linha passa por vários bairros da cidade. É interessante, pois acabamos conhecendo. Mas perdemos cerca 1 h nesse percurso. Chegando à Igreja o Bonfim, não deixe de fazer seus pedidos, amarrar as fitinhas na grade e conhecer a Sala De Milagres. Descendo a pracinha onde fica a igreja, pegamos um ônibus para o COMÉRCIO e descemos em frente ao MERCADO MODELO. Almoçamos no restaurante Camafeu de Oxossi. A comida é uma delícia! Pedimos Carne de Sol com pimenta doce branca que é simplesmente bárbara! Após o almoço, vale percorrer os corredores do Mercado e fazer algumas comprinhas (lá vende de tudo: lembrancinhas, pimentas, doces, etc). Atrás do Mercado Modelo existe um terminal de ônibus. Basta pegar qualquer ônibus que vá para a Barra (mas fique atento, tem que ser a linha que passa pelo Farol, pois tem outras que só vão até o Shopping e não fica perto). Já era noite e aproveitamos para dar uma volta pela Orla do Farol. Dia 2: No segundo dia fizemos um TOUR COMPLETO pelo ESTÁDIO ARENA FONTE NOVA. O tour com guia custa R$ 20 (estudante para meia-entrada) e é feito por um guia que também fala Inglês e Espanhol. Esse tour tem que ser agendado com antecedência pelo e-mail: [email protected] No site do Arena é possível encontrar mais informações: http://www.itaipavaarenafontenova.com.br/tour-100/ Para chegar ao Arena, também usamos ônibus que pegamos na parada quase em frente à Pousada (Rua Afonso Celso). Chegando lá, basta se identificar e aproveitar. Conhecemos toda parte externa e interna do Estádio, incluindo vestiários, camarotes, sala de imprensa, gramado, banco dos jogadores reservas e muito mais. É um passeio bem legal! Saindo do Estádio, você vai estar em frente ao DIQUE DO TORORÓ, famoso lago onde se encontram as oito esculturas dos orixás. Vale dar uma parada e tirar algumas fotos. Na avenida, em frente ao Dique, pegamos outro ônibus, novamente em direção ao COMÉRCIO; descemos em frente ao Elevador Lacerda e subimos rumo ao PELOURINHO. A dica aqui é primeiramente se desviar das pessoas que vão te oferecer mil passeios e guias. Dá pra fazer tudo sozinho, de boa. Saindo de Elevador, aproveite a vista lá de cima para tirar algumas fotos e depois vá caminhando para o lado Esquerdo. Logo adiante tem uma praça, onde se encontra a Basílica (para entrar precisa pagar R$ 3). Seguindo em frente à Praça você não pode deixar de ir à Igreja de São Francisco – toda construída em ouro, umas das mais belas que já vi! Ainda nesta praça existem boas opções de restaurantes para o almoço. Terminamos o passeio, descendo a ladeira Gregório de Matos onde é possível ver várias lojinhas, passamos pela Associação Filhos de Gandhy e ao final chegamos à Casa de Jorge Amado (vale a visitação; as quartas-feiras a entrada é grátis). Na volta, como ainda tinha sol, foi possível um banho de mar na Praia do Farol para repor as energias. Ali perto da praia rola uma sorveteria chamada Os Paleteros com aqueles sorvetes mexicanos deliciosos. Antes do pôr do sol, vale uma caminhada subindo a orla até o MONTE CRISTO DA BARRA, um monumento alto de onde é possível ter umas das mais belas vistas de Salvador. À noite, demos uma passada no Botequim São Jorge, no Rio Vermelho. Fica, cerca de 15 minutos de táxi a partir do Farol. O Rio Vermelho é um bar boêmio, com muitas opções de bares e boates. Vale a pena a visita, principalmente se você estiver por lá entre sexta e sábado, quando o movimento é maior e as ruas ficam mais agitadas. ITAPARICA Estando em Salvador, vale a pena aproveitar um dia para conhecer a ilha de Itaparica. Para ir, basta pegar uma lancha que sai a cada 30 minutos do Terminal Marítimo que fica em frente ao Mercado Modelo. Para quem estiver na barra, qualquer ônibus que vá para o COMÉRCIO, passa perto do terminal. A viagem é tranquila já que não é mar aberto. Porém, são 40 minutos e, dependendo da maré, o balanço pode enjoar. Então, para os mais sensíveis sugiro tomar um remedinho antes. A lancha vai te deixar em Mar Grande, onde você será abordado por vários guias. Você pode fechar com eles ou combinar com algum taxista para te levar até Itaparica (foi o que fizemos e saiu bem baratinho R$ 20 a corrida). O taxista nos deixou na PRAIA PONTA DE AREIA, umas das principais da Ilha. Lá você aproveita o mar calmo de águas quentes e ainda pode se deliciar com os quitutes das barracas que servem peixes, moquecas e diversos outros petiscos. Combinamos um horário com o mesmo taxista e ele passou lá para nos buscar. A última lancha sai da ilha às 18h. Então, fiquem atentos ao horário. MORRO DE SÃO PAULO Existem duas formas de ir para Morro: marítimo e semi-terreste. Conheço algumas pessoas que não tiveram sorte com o marítimo, pois pegaram dias de mar agitado ou chuva e aí a viagem não foi nada confortável devido ao balanço do barco. Como são 2h de viagem, quem enjoa muito fica mal. Eu sou do tipo de fica enjoada, mas decidi arriscar. Felizmente minhas preces para os orixás deram certo e foi uma viagem beeemm tranquila. Até dormi em alguns trechos. Pegamos o catamarã da BioTur no Terminal Marítimo (que fica em frente ao Mercado Modelo). Eu havia comprado as passagens pelo site da BioTur com alguns dias de antecedência, mas rola de comprar lá na hora também. Ainda no barco, já é possível ter uma pequena visão do paraíso. Sem dúvida, um dos lugares mais lindos que já vi. Ao desembarcar, alguns locais vão te abordar para levar suas malas, o que eu aconselho que você aceite, pois as subidas e descidas na ilha são cansativas. Antes de entrar na ilha, você passa no Guichê para pagar a Taxa de Conservação Ambiental de R$ 15,00. A ilha é pequena e tem uma pracinha principal onde você acessa tudo (praias, mirantes, lojas, restaurantes). Não tem como se perder por lá. Então, para ser objetiva, segue abaixo o que não se pode deixar de fazer: 1 - Passeio em volta da ilha – as pousadas oferecem e algumas agências locais também. Esse passeio é feito de lancha (muita emoção) e dura o dia todo. Você vai conhecer as praias, a famosa ilha de Boipeba e fará o mergulho nas Piscinas Naturais. Esse é o tipo de passeio que tem que fazer. É bom demais. 2 - Mirante do Farol – Assistir o pôr do sol no mirante também é obrigatório. A subida é cansativa, mas vale a pena, pois o visual é deslubrante. 3 - Toca do Morcego – também dá pra assistir o pôr do sol da Toca (um bar que fica no caminho da subida para o Mirante). A entrada é R$ 5 mas o ambiente é gostoso que só vendo! Visual lindo, música legal, bons drinks e comidinhas e gente bonita. Vale a pena ir pelo menos uma vez. À noite, após as 23h rolam as baladas na Toca, que também são bem legais. Tocam muito eletrônico mas o clima é bom (não sei se é pela época que fui que era baixa temporada, talvez perto do Carnaval role mais Axé). Gente bonita, paquera e curtição. Para os solteiros acho que é uma boa pedida... 4 - Tirolesa – Em morro existe uma tirolesa de 70 m. Dá um medinho, pois é bem alto, mas vale a pena. O visual mais a adrenalina no salto são de tirar o fôlego. Custa R$ 40 por pessoa. 5 - Praia da Gamboa – Para chegar à Gamboa é necessário pegar uma trilha por dentro do Portão da Fonte (uns 40 minutos andando). No caminho existem outras praias também, como a Ponta de Cima, que é deserta e bonita. Infelizmente a maré estava alta e não conseguimos chegar à Gamboa, por isso, vale a pena ir quando a maré estiver bem baixa por volta das 14h, 15h... 6 - Restaurantes – Existem ótimas opções, mas os que eu mais gostei foram: Chex Max (Pizzaria), Balanço (Crepes), Marilyn (Comidas regionais). Eu fiquei 4 dias em morro e achei pouco, pois o lugar é tão lindo e tem uma energia tão gostosa que dá vontade pra ficar mais tempo. Consegui fazer todos os principais passeios e conhecer os pontos mais legais, mas fiquei com gostinho de quero-mais.
×
×
  • Criar Novo...