Ir para conteúdo

carlos.alberto1

Membros
  • Total de itens

    99
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

16 Boa

Sobre carlos.alberto1

  • Data de Nascimento 01-12-1987

Outras informações

Últimos Visitantes

1.004 visualizações
  1. Bom dia Fui sim o ano passado mas acabei indo de avião pois tinha poucos dias disponíveis, mas já tinha viajado uma outra vez de carro por esse mesmo trajeto, saindo pelo Acre e voltando pelo norte da Argentina e cruzando o Paraguai até Foz do Iguaçu. Essa foi uma rota muito boa e que eu gostei bastante. Tirando alguns trechos aqui dentro do Brasil com asfalto ruim o restante das estradas são muito bem cuidadas. Quando fui em 2015 tinha um trecho na Bolívia no meio do deserto que ainda estava sendo asfaltado, mas era um cascalho bem batido e dava para andar tranquilo, ruim mesmo
  2. Para mim a Western Union não tem que ser a opção principal na hora de planejar o lado financeiro da viagem, mas é uma das melhores, se não a melhor, opção na hora de uma emergência.
  3. Eu acho que não tem como fazer isso de forma automática, tipo um agendamento, mas basta vc entrar no internet banking e fazer a remessa.
  4. Vdd, eu disse taxas do banco mas realmente tem outros tributos no meio. E sobre andar com dinheiro foi isso que eu fiz nas minhas outras viagens pela América do sul depois desta. Sacava cerca 80% do dinheiro que ia usar e em cada cidade ou país e que ia passando eu fazia câmbio. Ai nos hoteis quando ia sair do quarto eu separa o dinheiro em umas 5 partes e escondia entre minha coisas.
  5. Caraca, que pagação de sapo mais sem noção. O cara pede um dica e o outro vem com textão cheio de sermão.
  6. Tem sim, mas são instituições diferentes e independentes do Itaú BR. Eu consegui sacar dinheiro direto de minha conta corrente no Itaú no Chile, mas as taxas são um absurdo e tmb é possível fazer em qualquer ATM.
  7. Na minha primeira viagem internacional se não fosse a Western Union teria sido um desastre. Fui planejando de usar o cartão do meu banco para fazer saques direto da minha conta corrente, fiz todas as contas e liberações que precisava no banco. Porém logo nos primeiros dias de viagem descobri que a taxa para saque era bem maior do que as que estavam no site do banco e que existia um limite mensal para saque no exterior que não era possível alterar (e eu já tinha atingido esse limite com 4 dias de viagem). A salvação foi mandar esse dinheiro da minha conta via Western Union para pegar
  8. Por Assis Brasil realmente é bem tranquilo, mas tem que evitar os meses de muita chuva (nov, dez, jan, fev). Quando fui era em março e poucas semanas antes haviam acontecido enchentes que estava impossível transitar nas estradas. Sobre a balsa no rio madeira é super tranquila, e tinha uma ponte sendo construída, e pelas notícias já está quase pronta.
  9. Engraçado que já fui duas vezes no Salar de carro próprio e nunca tinha ouvido falar de qualquer restrição para travessia em carros particulares, nem mesmo algum tipo de controle. Até por que seria meio impossível controlar os acessos ao salar. Nas duas vezes que eu entrei no Salar foi em uma parte que ele fica bem ao lado da estrada, isso uns 2 km antes de Uyuni. Vc sai da estrada e já entra nele. Na primeira vez apenas entrei e tirei umas fotos e na segunda atravessei ele.
  10. Eu nunca tinha ouvido falar de algo assim mas parece que não é tão raro, veja abaixo o post que encontrei. Boa sorte ai na sua volta.
  11. É possível sim, até bem tranquilo. Fiz esse trajeto em 2015, no mês de maio. Sai de Goiânia e a saída do Brasil foi pelo Acre, ai fui para Machu Picchu, Cusco, Titicaca, Salar de Uyuni, Costa do Pacífico no Chile, San Pedro do Atacama, Salta na Argentina e Foz do Iguaçu e de volta para Goiânia. Isso em 24 dias de Celta 1.0 Não tenho certeza mas acho que julho vai estar mais frio. Se tiver alguma dúvida sobre o trajeto ou outra coisa que eu puder ajudar pode ficar a vontade para perguntar. Aqui tem um relato que fiz na época: https://www.mochileiros.com/topic/
  12. Eu conversei com um conhecido meu do RJ que passou recentemente por essa rota de Corumbá e acabei desistindo dela. Não foi pelo relato dele que desisti, foi por dois outros motivos. O primeiro motivo é que esse colega meu contou que nesse caminho por Corumbá tem vários pontos muito perigosos e sujeitos a acidentes e interdições de até vários dias, e passando pelo Acre não tem tantos riscos (eu e ela já fizemos essa rota do Acre). Ele mesmo não teve problemas, mas teve um trecho que havia uma fila gigantesca de carros, quase 10 km, e ele só não ficou várias horas parado por estar de m
  13. Estou planejando uma viagem para março do ano que vem até Cusco, ou talvez Lima, e gostaria do relato de alguém que passou recentemente pela rota que leva de Corumbá/MS até o Peru. Li muitos relatos aqui no site sobre as condições da estrada, mas nenhum com menos de 1 ano. Eu já viajei de carro outras vezes para o Peru, Bolívia, Chile, Argentina, Paraguai e Uruguai, mas nunca passei por esse caminho, sempre passei pelo Acre, na saída de Assis Brasil. Esse caminho por Corumbá é geograficamente mais curto, mas por alguns receios nunca optei por ele. Se alguém tiver dica sobre
×
×
  • Criar Novo...