Ir para conteúdo

f0soare

Membros
  • Total de itens

    140
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

66 Excelente

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. @casal100 , esse é um assunto complicado... não sei se tem relação com ausência dos pais na criação...Meu ciclo de amigos , assim como eu, fomos criados com pai e mãe trabalhando... eu lembro que voltava da escola de manhã, corria para fazer as "tarefas" de casa a tarde para poder ir para a rua ficar com os amigos... e se não fizesse as "tarefas" antes de sair, o chinelo "cantava" no meu lombo a noite... rs... Quando fiz 18 e voltei do alistamento, a primeira coisa que minha mãe fez foi arrumar um emprego com uma amiga dela para mim de operador de caixa em um Supermercado... Era tudo muito mais difícil do que é hoje, com certeza... mas nem por isso crescemos traumatizados, descontentes com a vida... Um diferencial que vejo é que sempre nos foi dito que sem trabalho não tem recompensa... desde a escola... Hoje, me afastei um pouco dos meus amigos de infância pois mudei de estado... mas as noticias que tenho é que todos estão bem (uns em situações melhores que outros), mas com suas famílias formadas, todos trabalhadores, sem "rancor" com a vida... Chega a ser engraçado que hoje, quando um jovem, sem experiência alguma, me procura em busca de emprego e ofereço uma vaga de operador de caixa, a grande maioria recusa e os que aceitam, não conseguem terminar a experiência sob a alegação de que não tem "paciência" para lidar com clientes e a rotina é "pesada"... Infelizmente é isso... em um cenário corporativo onde ainda temos mais "índios" que "caciques", resta torcerem para isto se inverter e temos mais "caciques" do que "índios". Cara, artesanato é um mercado que movimenta muita grana em todo o mundo... Não sei onde vc está hoje, mas só no Brasil são mais de 50 bilhões por ano!!! Claro que fatores econômicos influenciam diretamente no consumo das pessoas e te dizendo uma opinião pessoal, comprar artesanato seria a primeira coisa que eu cortaria do orçamento em um momento de dificuldade. Mas é um mercado onde muitas famílias se sustentam com ele. Se você não está conseguindo ter sucesso com isto, é por que tem algo errado com a sua forma de fabricar/negociar... você precisa identificar o motivo... pode ser o preço, você pode estar apostando em itens não atrativos a cultura local ou até mesmo as pessoas não gostarem da qualidade do artesanato que vc faz. Você mais do que ninguém precisa entender o que seu público quer... e não fazer o seu público queira o que você julga que é bom... Lembre-se que "quem balança o rabo é o cachorro e não o contrário"... Entendendo isso, você mesmo vai saber como resolver a dificuldade de fazer grana em seu mochilão... Boa sorte na sua empreitada...
  2. Eu particularmente gosto mais de ficar com o carro alugado... Te dá maior flexibilidade no roteiro... as mudanças de cidade se tornam "parte da viagem", já que vc consegue parar quando quiser e achar interessante... Já coloque o custo do estacionamento no seu orçamento... se vc gosta de dirigir como eu, sua viagem será muito mais proveitosa...
  3. Muitos posts aqui podem parecer ser "crueis" com o autor, mas são apenas avisos ou dicas para haver um mínimo de planejamento ao se lançar no mundo... Aos que me procuram para falar sobre o assunto, que querem mudar de vida pois se sentem vazios, infelizes e querem se lançar no mundo, recomendo ir morar em Foz do Iguaçu... assim eles atravessam a fronteira, "resolvem" sua angustia e depois volta para casa e ganha um fôlego para mais alguns meses... rs.. Brincadeiras a parte, esse tipo de comportamento tem se tornado cada vez mais comum, seja pelo fator globalização (tornando tudo mais acessível) ou pela falta de paciência com as coisas (Percebo isso principalmente nas gerações Y e Z). Essas duas ultimas gerações possuem um maior número de indivíduos que não tem paciência com nada... não aceitam rotina e nem trabalhos "braçais"... tomam decisão por impulso.. Se casam e se separam com a mesma recorrência que o lançamento do Iphone... Trocam de emprego (quando trabalham) pois se sentem "estressados" com seu chefe que "cobra demais"... A única coisa que eles se esquecem e que os mais antigos aprenderam "na marra", é que isso só funciona se tiver alguém para "bancar". Tendo alguém pagando os "boletos", podemos nos dar ao luxo de ficar vivendo deste tipo de escolha, sem se planejar para o futuro... Muitos daqui não estarão vivos para ver, mas do jeito que está se desenhando a previdência, quando esta geração tiver na idade de se aposentar, haverá muita dificuldade para eles se manterem sem ajuda de seus antecedentes.... Eu recomendo é "Tentar fazer dinheiro aqui". Se vc consegue ganhar dinheiro com alguma coisa aqui, pode ganhar lá fora também. Agora, se aqui a pessoa não consegue ganhar dinheiro, imagina fora com outros costumes, idioma, legislacão ,etc.. fica tudo mais difícil...
  4. Boa... se joga meu camarada, que vai dar certo!!! Grande abraço..
  5. Conheço bem a região... Passei boa parte da minha infância em Saquarema, que fica ali próximo... Minha sugestão é alugar um carro qnd estiver saindo do RJ... Assim vocês terão mobilidade e conforto nos deslocamentos... Com carro, vale se hospedar em qualquer uma das cidades, na que for mais em conta, já que acaba ficando tudo "perto"....
  6. Vamos fazer uma conta simples: Você tem um salário de 4mil reais por mês para utilizar... vamos considerar uma cotação de dolar a R$4,00, teria mil dolares por mes, ou seja, você teria 33 dólares para gastar por dia com seu salário. O que não é ruim para uma pessoa se manter em uma viagem de longa duração. Alem disto, você ainda tem 20mil dólares (80mil reais) iniciais que a principio, só precisaria mexer para os grandes deslocamentos. Sinceramente, para uma pessoa, acredito que você irá conseguir tirar esse sabático sem grandes preocupações pensando no lado financeiro. Só colocaria dois pontos para reflexão: A não ser que você seja totalmente um funcionário totalmente fora da curva ou parente/amigo do dono da empresa onde trabalha, na realidade você estará se demitindo. Com 12% de desempregados no país, vejo como uma possibilidade muito remota alguma empresa aceitar isto, sem repor a vaga . Esse é um ponto de atenção para a viagem. Você precisará estar "online" praticamente em toda viagem, com equipamento funcionando para poder trabalhar. Isto pode te limitar um pouco no roteiro. Fora os dois pontos acima, "se joga"... deixa parte da grana inicial aplicada para render uns trocados que já vai ajudando nos custos da viagem que saírem um pouco do orçamento...
  7. Eu tenho adotado essa prática em viagens curtas. Por mais que tenha taxas, acaba no fim ficando praticamente a mesma coisa, sem ter que ficar levando montantes grandes de grana. É claro que conta o valor da taxa x quantidade do saque, mas a despreocupação acaba valendo a pena. Saio daqui com pouca grana e uso o cartão de crédito e saque qnd necessário. com certeza o bradesco tem a opção do saque internacional, só tem que confirmar a tarifa na sua agência para se programa e habilitar a função
  8. Uma coisa que precisa se perguntar é o que vai acontecer ou o que irão fazer de diferente na vida de vocês que a vida a dois, seja no Uruguai ou na Argentina ou em qualquer lugar do mundo, vai ser melhor lá do que a vida de vocês aqui? Que "rotina" ruim vocês acreditam que tem aqui que não terão lá sem recursos? Não querendo desanimar ninguém aqui, mas o que vejo é muita gente se iludir achando que ao atravessar a fronteira de saída do país vira empreendedor, com expertise em determinado assunto que não entende aqui. Não que não possa aprender ou dar certo, mas é como falaram acima, se é difícil aqui, imagina em um lugar que você não tem conhecimento dos hábitos do consumidor... Se estruture... Se sua meta é vender brigadeiro (ou qualquer outra coisa), busque vender aqui... aperfeiçoe sua receita aqui... junte recursos e experiencia aqui .... depois que você entender que seu bairro ficou "pequeno", que as pessoas vêem valor no seu produto, aí sim é a hora de se arriscar mais... Essa é a minha dica para vocês dois. Um grande abraço e boa sorte em seu caminho!
  9. Olá! Não creio que exista melhor época para reservar. Depende muito... as promoções oscilam bastante... Uma coisa que sempre faço é primeiro definir o roteiro e ver quanto é que custa a estadia que preciso e que posso pagar. Já reservo para garantir o preço do que está dentro da minha realidade e passo a acompanhar semanalmente para ver a oscilação . No período de observação, você já tem a noção do preço médio. Se fico em hotel , já reservo os menores preços que atendam a minha necessidade com cancelamento grátis. Se fico no Airbnb, dou preferência a acomodações que permitam cancelamento com 100% de reembolso. Caso depois apareça alguma outra dentro do que quero, cancelo a anterior e faço nova reserva. Faltando em torno de 1 mês para a viagem, começo a trocar por reservas sem cancelamento se estiverem mais baratas... Fiz isso na minha ultima férias tirada em março/19 e te digo que a diferença entre o que eu gastaria na primeira reserva e o preço final, ficou em quase 2mil reais em 28 dias de estadia... foram poucas que mantive a primeira reserva... Eu particularmente uso o Hoteis.com para reservas em Hoteis (para aproveitar o programa de fidelidade) e o Airbnb para apartamento... Costumo fazer a mesma coisa com aluguel de carro... Estive nessas férias em algumas cidades que você estará... gostei das hospedagens que fiquei em Innsbruck e Berlim... Caso tenha interesse, dá uma olhada lá no meu relato.... abraço. Flavio
  10. Voltei recentemente da Europa, entrei e sai por Frankfurt e fiz o sul da Alemanha, Austria, Rep. Checa, Holanda, Belgica, França e de bonus Luxemburgo, tudo de carro... Se tem um coisa que não me arrependi foi de ficar todo o período com o carro.. facilita bastante para visitar as pequenas e lindas cidades do caminho... mas ficamos 28 dias no total... Não sei se para 11 noites vale tanto a pena assim... Principalmente ficando com foco nas grandes cidades (Munique, Salzburgo e Vienna), onde vc deixará o carro estacionado. Para seu roteiro, faria sem carro e me hospedaria em locais de fácil locomoção. Alugar carro para entrega em outro país geralmente é bem mais caro...
  11. Suécia é um destino que estou considerando também para 2020... mas é como o amigo acima mencionou, não estou com a percepção de que seja mais barato que a zona do euro não.. Pretendo fazer Dinamarca, Suécia e Noruega, tudo de carro... as cotações não estão baratas...
  12. Dois... já ganhei várias diarias com ele... nunca tive problemas...
×
×
  • Criar Novo...