Ir para conteúdo

Deivison Barreto

Membros
  • Total de itens

    1
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Fala pessoal, tudo bem? Não sou como muitos aqui, experientes em viagens. Digamos que entrei para essa “área” há pouco tempo e ainda fiz poucas viagens, mas de pouco a pouco, se Deus quiser, vou conseguir conhecer muitos lugares desse nosso Brasil e até do mundo! Na verdade, esse é o primeiro relato de viagem que faço. Estava pensando esses dias e percebi que sempre procuro informações na internet, leio relatos e tal, e que sempre encontro informações úteis. Eu sei que é meio idiota dizer isso, mas essas informações só estão na internet porque alguém colocou. Por isso resolvi deixar de lado essa coisa de só ler o que os outros escrevem e decidi escrever algo também. Afinal, talvez esse relato possa ser útil para alguém como tantos outros foram para mim. Agora chega de conversa e vamos ao assunto: a viagem! Essa viagem foi um tanto diferente, pois não foi algo que eu havia planejado. Soa meio estranho dizer que foi uma viagem sem planejamento, mas eu explico. O que aconteceu foi o seguinte: um belo dia, conversando com uma tinha sobre um assunto qualquer que eu não me lembro mais qual era, ela me perguntou se eu queria ir pra Porto Seguro em uma excursão que ela iria. Disse que sim na hora e ela simplesmente não acreditou na minha resposta! Bom, como eu estava falando sério, comecei a pagar a viagem e aí foi aguardar o tempo passar. Confesso que essa viagem foi diferente das outras que fiz, pois como eu falei, eu não havia feito um planejamento. Também li muito pouco sobre o destino antes de ir, e acho que isso pode até ter sido um erro meu, mas certa forma foi bom porque acabei me surpreendendo com algumas coisas que vi lá. Fiz essa viagem para Porto Seguro no feriado de Tiradentes. Saí de Campos/RJ por volta das 22:00, para uma viagem de ônibus com previsão de 14 horas de duração, o que acabou levando bem mais tempo, pois tiveram dois acidentes no meio desse trajeto, que no total, devem ter resultado em um atraso de aproximadamente 4 horas! Enfim, chegamos ao hotel por volta das 16:00 horas do sábado, 18 de abril. O hotel era o Galeão, um hotel simples, mas realmente não ligo para luxo, exceto para o básico: frigobar, TV e ar condicionado. Como o hotel tinha isso, não tenho nada a reclamar! Além disso, o café da manhã era bem variado. O hotel fica muito bem localizado, na Avenida dos Navegantes, no Centro, próximo a supermercados, restaurantes, lojas de roupas e artesanatos e da famosa Passarela do Álcool. Interessante é que é tudo perto um do outro! O dia em que chegamos era livre, e várias pessoas da excursão já haviam ido a Porto Seguro por diversas vezes, diferente de mim que era a primeira. Fui com um desses veteranos até à Passarela do Álcool e deu para ver o quanto ela é grande e movimentada, com várias barracas que vendem de tudo, como produtos de artesanatos e bebidas. Eu não bebo e fiquei meio espantado com a forma que os vendedores te oferecem uma prova do drink mais popular de lá, que por sinal eu não gosto do nome. Mas como o objetivo desse relato é trazer algumas informações, vamos lá: o nome do drink é capeta. A forma que eles te oferecem uma prova chega a ser engraçada, mas me assustou um pouco! Além das barracas, há vários restaurantes com música ao vivo e lojas. E você ainda pode encontrar, por exemplo, o Homem-Aranha vendendo brinquedos! Uma coisa que me chamou a atenção, são as garrafas com imagens de paisagens, feitas com areia colorida no interior delas. Alguns até personalizam a garrafa na hora para você: O primeiro passeio ocorreu somente no dia seguinte, quando fomos para à praia de Pitinga, em Arraial d’Ajuda. Arraial é um distrito de Porto Seguro, e para ir até lá é preciso pegar a balsa. Depois que desembarcamos em Arraial, pegamos uma van que levou o grupo à praia. Esse trecho (balsa + van) ida e volta deu R$16,00. A praia de Pitinga é bonita, porém achamos as coisas lá muito caras e optamos por não comer nada. O pessoal da excursão nos levou para passarmos o dia inteiro lá, o que não gostamos muito, pois acabamos ficando muito tempo em um lugar só. Saímos de lá e fomos até o centro histórico de Arraial d’Ajuda, onde tem uma igreja e várias lojinhas de artesanato, roupas, lanchonetes, etc. Vale a pena a visita. No dia seguinte tivemos mais variedade nas atividades. Fomos até o município de Santa Cruz de Cabrália, mas para uma visita muito rápida. Lá, eles batem uma foto sua, mesmo se você estiver desprevenido (eu que o diga, pois estava passando protetor solar!) e fazem uma tela da foto num azulejo, que te vendem quando você está indo embora por R$10,00. De lá fomos até à Praia de Coroa Vermelha, onde você pode encontrar o Museu do Índio e várias lojas de artesanato dos índios pataxós. Além disso, Coroa Vermelha foi onde foi realizada a primeira missa no Brasil e lá uma cruz enorme com uma placa com essa informação. Essa visita foi também rápida, pois nesse dia tínhamos outras atividades e não poderíamos demorar muito tempo ali. De lá fomos até a praia de Taperapuan, onde estão o Axé Moi (pronuncia-se Axé Moá) e Toa Toa, locais bem estruturados à beira mar, com apresentações, shows, danças, etc. De lá seguimos até o Centro Histórico de Porto Seguro, onde ficam algumas igrejas antigas (a mais antiga do Brasil está lá). Além das igrejas, tem umas casinhas que possuem a faixada seguindo o modelo original e um local de dois andares onde funcionava uma prisão: no andar de cima os réus eram julgados, e se fossem condenados, de lá mesmo eram jogados para o andar de baixo! Além disso, lá fica o Marco do Descobrimento, que possui de um lado, uma cruz que representa a Igreja Católica e do outro, o brasão de Portugal. Você também encontrará lá barracas de artesanatos, cocadas e chocolate artesanal, mas muitas delas estão fechadas no momento da visita. Outra coisa que fiz questão de registrar foi uma placa um tanto curiosa: O Centro Histórico fica na parte mais alta da cidade, de frente para o mar, de modo que os portugueses veriam as embarcações que se aproximassem. Além disso, no meio do mar há uma faixa pode ser vista se a maré estiver baixa. Essa faixa na verdade é uma muralha que foi construída como proteção àquela terra, fazendo com que as embarcações que chegassem precisassem desviar dela. Dessa proteção que veio o nome Porto Seguro. Bom, pessoal, é isso! Espero que tenham gostado do relato! Fiquem com Deus e boas viagens!!!
×
×
  • Criar Novo...