Ir para conteúdo

Bárbara Fachinelli

Membros
  • Total de itens

    191
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que Bárbara Fachinelli postou

  1. Adendo ao tópico anterior: faltou o Maracanããã!! Pode isso, Arnaldo? Estava fechado para as Olimpíadas Como se locomover Dado o meu receio inicial do Rio, andei apenas de táxi e Uber. A qualidade do serviço (e preço!) do Uber é incomparável com a do táxi. Pegamos a maioria das vezes o Uber. Se não estiver sozinho, acho que já vale utilizar esses serviços, sai muito em conta. Também havia baixado o app do Metrô do Rio (MetrôFácil), mas não cheguei a utilizar. Tem uma proposta bem funcional. Onde comer Confeitaria Colombo - Centro: tradicional confeitaria, fomos tomar o café da manhã lá. Os pratos são muito bem servidos e o ambiente, sem palavras! Prepare-se: você vai querer comer tudo o que tem na vitrine. Recomendo! Um misto quente e suco: R$ 34,00 Restaurante Graça da Vila - Catete: restaurante por quilo com muita variedade de pratos e todos bem preparados. Ou seja, bbb (bom, bonito e barato) . Ótima pedida caso tenha visitado o Museu da República, pois fica a poucos passos de distância. Refeição e bebida: 27,00 Posto 6 - Copacabana: Tomamos café da manhã antes de visitar o Forte de Copacabana. Ambiente agradável, bastante movimentado (era domingo). Dá para passar um tempinho lá. Açaí com granola: 15,00 Boteco Belmonte - Ipanema: bem animado, ambiente agradável. Fomos assistir à final da Champions, portanto estava lotado! Alguns chopps: 32,00 Restaurante Gula Gula - Leblon: muito boa a comida e com um preço não tão abusivo se comparado com os outros restaurantes do Leblon. Refeição e bebida: R$ 53,00 Talho Capixaba - Leblon: bom para tomar um café, com preços não tão abusivos também. Lanches muito bem preparados e as pastinhas são boas para experimentar. Um sanduíche: 20,00 Resumo da ópera: o relato foi curto, pois a passagem pelo Rio foi curta também, hehe. A cidade me agradou e voltarei certamente! Violência e falta de segurança tem em qualquer lugar, então minha dica final é não deixar de visitar o Rio de Janeiro pelo que temos visto nos meios de comunicação vá com a mente aberta e tome os cuidados básicos. De resto, aproveite!! ATUALIZAÇÃO – 06/05/2017 Tive a oportunidade de passar mais alguns dias no Rio e aproveito para complementar as dicas daqui Agora tenho uma indicação ótima de hospedagem: Injoy Hostel. O maior diferencial dele foi a oferta de transfer aos aeroportos e rodoviária por um preço não muito abusivo. Localizado no bairro Botafogo em uma rua sem saída, com guarita e segurança, o que torna o local muito seguro. Fica a menos de duas quadras de uma estação de metrô e de uma rua com diversas opções de bares e restaurantes! À noite fica agitado por lá e não tive problemas de andar nas ruas. Estávamos eu e uma amiga e não nos sentimos inseguras! Como tive apenas um dia livre na cidade e o tempo estava nublado optei por visitar mais alguns pontos turísticos ao invés de ir para a praia (continuação dos pontos turísticos imperdíveis para quem gosta de história, rs). O que fazer - Biblioteca Nacional - visita guiada gratuita às 10h e achei muito interessante! A estrutura do prédio é maravilhosa e sem a visita não se entende o valor que a biblioteca tem para o nosso país. Se não quiser fazer a visita guiada, uma entrada no saguão já vale a pena. - Theatro Municipal - visita guiada em diversos horários a um custo de R$20,00. Sensacional, sem palavras! Achei que foi o passeio que mais valeu a pena! O Theatro é maravilhoso e ainda pegamos um ensaio de ópera. Recomendo. - Centro Cultural do STF - não tem muita coisa para ver, especialmente se você não for da área do direito. Era onde os ministros do STF julgavam os processos antes de mudarem para Brasília. Também foi construído em 1905 junto com o Theatro Municipal e a Biblioteca. Entrada franca. Adendo: Botafogo Praia Shopping - parei para almoçar lá já que tinha que voltar ao hostel e pegar o transfer para o Galeão. No último andar do shopping há um terraço com uma vista maravilhosa para a cidade. Se estiver por perto, é um local legal para ficar um tempinho e tirar umas fotos. Onde comer Balada Mix – Botafogo: restaurante muito conhecido na cidade, há em vários lugares. Preço bem razoável para o Rio (mesmo valor do que tem aqui em Curitiba) e comida bem servida e saborosa. Tem uma proposta saudável, mas há também opções menos saudáveis hihi. Hambúrguer com batata e suco: R$ 47,00 Boteco Colarinho- Botafogo: fica na rua com diversas opções de bares, um ao lado do outro. Gostei da atmosfera e bem agitado. Diversos televisores para passar jogos de futebol. Chopp 600ml e água: R$22,00
  2. Olá mochileiros! Vim compartilhar algumas dicas sobre o Rio de Janeiro, que visitei no ferido de Corpus Christi (27 a 31/05). Diferentemente dos outros relatos, vou colocar apenas as principais dicas de locomoção, alimentação e passeios, sem detalhar a atividade de cada dia. Quanto à hospedagem, fico devendo a indicação dessa vez, já que fiquei na casa de um amigo, no bairro Leblon. Quaisquer dúvidas, só perguntar! Demorei um tempo a visitar o Rio por conta da enxurrada de notícias sobre a violência na cidade, especialmente envolvendo turistas. Mesmo sabendo que há exagero pela mídia, confesso que estava bem receosa. Só indo para ver que não é bem assim, mas cuidado (redobrado) nunca é demais. Na parte do centro/arcos da Lapa eu não me senti segura e não consegui chegar à escadaria Selarón, pois haviam uns meninos que não paravam de olhar para mim no estilo “vou te assaltar moça”. Tirando isso, o Rio é lindo! Pessoalmente, não achei tããão imperdível como me falaram, mas é inegável a sua beleza e merece uma visita pelo menos uma vez na vida. O que fazer Fiz o pacote turistão básico: - Museu da República - imperdível para quem gosta de história! Adoro visitar palácios e o do Catete não deixou em nada a desejar. Fiquei tão entretida que esqueci de fotografar o seu interior. Foi o passeio que mais gostei de fazer! Entrada grátis aos domingos. - Lagoa Rodrigo de Freitas - bonita para dar uma caminhada e praticar exercícios. - Passeada pela orla, de Copacabana ao Leblon - Achei a praia de Copacabana mais bonita, movimentada e agradável. No Leblon as pessoas que alugam cadeiras chegaram a ser um pouco inconvenientes de tanto insistir no aluguel. Leve uma canga e relaxe! - Pão de Açúcar - imperdível! A vista da cidade lá de cima é maravilhosa! Decidimos comprar o ingresso na hora por conta do tempo. A fila demorou um pouco, mas nada muito absurdo. É possível comprar antecipadamente pela internet. R$ 76,00 - Cristo Redentor - sente-se do lado direito do trem na ida para ter a melhor vista durante o trajeto. Pegamos um dia meio nublado e não vimos o Rio de cima hahaha pelo menos não estava encoberta a cabeça do Cristo! Eu achei dispensável, minha irmã adorou. Nessa época dizem que é legal tentar pegar o pôr do sol de lá de cima. R$ 68,00. - Jardim Botânico - achei bem dispensável, apesar de bonito. Recomendo só se tiver uma agenda folgada na cidade. R$ 10,00 - Parque Lage - bom para dar uma descansada, tomar um café em seu interior. Achei a arquitetura bem bonita! Melhor ainda: entrada grátis. - Forte de Copacabana - outro lugar que gostei bastante! Se não tiver pressa em ficar na fila, uma boa pedida é tomar café nas confeitarias de seu interior. Dá para passar uma manhã por lá. R$ 6,00 Vindo de São Conrado, algo que me deixou boquiaberta foi ver a favela da Rocinha. Você vê na tv e parece ser grande.. imagina que moram milhares de pessoas lá, então deve ser grande.. mas, meu amigo, é um mega paredão! Mesmo assim, não tive vontade de fazer o favela tour (sim, existe isso também). O que ficou para a próxima visita: Real Gabinete Português de Leitura e Biblioteca Nacional, Igreja da Candelária, Paço Imperial e CCBB, Ilha Fiscal, bate-volta para Petrópolis e escadaria Selarón (sou brasileira, não desisto nunca! haha). Se der coragem, pular de asa delta da Pedra da Gávea, e conhecer algumas praias para os lados da Barra da Tijuca. ~apenas~ isso
  3. Oi Pedro! Legal um tópico desses por aqui. Parabéns pelo vídeo, bem legal! me diga uma coisa, é tranquila a compra de ingressos para os jogos mais disputados, como os do River ou Boca? Ou da Libertadores? Dá para comprar pela internet ou tem que ser lá com alguns dias de antecedência? Na Europa a dificuldade que encontrei para os times maiores é que disponibilizam a compra primeiro para os sócios (que, muitas vezes, ultrapassa a quantidade do próprio estádio )
  4. Oi Paula! Aqui no site tem bastante informação sobre essas cidades. Você verá que não é um bicho de sete cabeças montar um roteiro por conta própria e sai bem mais em conta do que fazer por agência Não fui para a Hungria e Croácia, mas Praga e Viena são tranquilas para locomoção. Dá para fazer de ônibus ou trem, depende da sua preferência e quanto deseja pagar. Quanto aos dias, 3 para Praga está bom e 2 para Viena, se apertar um pouco o passo, dá tranquilo também.
  5. Não me recordo, mas nunca passava dos 10 euros, quando convertia as coroas. Depende do prato que vc for pedir, é claro.
  6. As casas que troquei foram Exchange (Kaprova, n 14, ao lado da praça da cidade velha) e Change Souvenirs (ao lado do Old Prague Hotel), que não cobravam comissão. Gastei em torno de 50 euros por dia com tudo, inclusive o hostel (que era quase 13 euros a diária), e fui no começo deste ano. Para comer recomendo Grosseto Marina Ristorante, Bagueterie Boulevard (café da manhã), John Lennon Pub e Restaurant. Quase todos os restaurantes têm opções além de porco, pratos individuais e são bem servidos. A variedade é muito grande, dá para escolher conforme o bolso, o gosto etc.
  7. Oi Amanda! Acho vc está com um tempo muito pequeno para conhecer Berlim, Munique, outras cidades no caminho e se deslocar hehe. Berlim e Munique são cidades grandes que necessitam de, pelo menos, 3 dias cada.. Veja o que vc realmente quer conhecer nas cidades, que terá uma ideia de quanto tempo ficar nelas. Minhas sugestões são: optar por uma das duas (caso inclua Frankfurt), fazer o trajeto de carro/trem e conhecer alguma(s) cidade(s) no meio; comprar a passagem chegando por Berlim e voltando por Munique (tirando Frankfurt) e visitar algumas no caminho; fazer só essas três principais e, no máximo, um ou dois bate-volta/cidade no caminho. Frankfurt, pessoalmente, achei bem sem graça. Às vezes vc paga um pouco a mais na passagem, mas ganha em termos de tempo visitando algo que te agrada.
  8. Fico feliz que eles estão te ajudando, Mighedino! Se tiver alguma dúvida, não hesite em perguntar
  9. Berlim: The Circus Hostel, recomendo bastante! Amsterdã: fiquei na rede Stayokay, porém vi referências melhores quanto ao que fica próximo do Vondelpark. O do Stadsdoelen achei desorganizado e os banheiros (maioria mistos) pouco limpos. Os mais famosos são Flying Pig e St. Christophers Inn. Há várias sugestões no site do booking.com e hostelworld.com
  10. De carro até é viável ir de Munique a Hallstatt para um bate-volta, mas coloque na ponta do lápis se o custo de alugar um carro para um dia valerá a pena. Além disso, como o Mario falou, vc vai rodar 400-500km aprox. no total. Tem bate-voltas menos cansativos e tão interessantes quanto para vc fazer partindo de Munique, como Füssen (castelo Neuschwanstein), Garmisch-Partenkirchen, Salzburg, Innsbruck...
  11. Oi Fernanda! Anotei que gastei 160 euros no total!! Confesso que nem eu sei como gastei apenas isso em cinco dias, pois refiz os cálculos e a média deu acima disso hahaha mas vamos lá: Alimentação: em torno de 15 euros para almoço; 3 a 7 euros para o jantar/lanche, por dia. Água comprava no mercado a garrafa de 1l, que custava menos de 1 euro, e enchia a garrafinha menor para os passeios. Transporte: Berlin WelcomeCard custou 40 euros. Transporte na cidade livre pelos cinco dias, zonas ABC (se for fazer só os principais pontos turísticos, é suficiente o da zona AB). Atrações pagas: DDR Museum (7 euros), Madame Tussauds (21), campo de concentração Sachsenhausen (gratuito, 3 o áudio guia), Palácio Charlottenburg (10), porém tive um pequeno desconto nas entradas com o Berlin WelcomeCard. De resto, foi andar pela cidade mesmo. Tem muitos pontos turísticos gratuitos.
  12. O exemplo que vc usou é, justamente, a exceção! Discordo que a maioria das pessoas pensem "maldade" quando veem uma viajante sozinha. É totalmente compreensível seu receio, mas acho que ele é em relação ao que é novo. Largar o emprego e viajar por algum tempo pode ser o que vc esteja precisando para se conhecer mais, seus limites, habilidades, que a sua própria companhia basta. Pesquise sobre os lugares que gostaria de visitar e vá àqueles que te deixem mais segura. Aqui no fórum tem muitos relatos de mochileiras sozinhas! Inspire-se, pergunte! Por experiência própria, é a melhor coisa que vc pode fazer a si mesma
  13. Oi Rebeca! 1- Depende da sua preferência. Pode levar em espécie ou no VTM. A primeira vez levei 500 euros em espécie e o resto no VTM. Acabei sacando tudo ao longo da viagem, pois alguns lugares não aceitavam cartão ou cobravam uma pequena taxa. Na segunda vez levei tudo em espécie, bem guardados no money belt junto ao meu corpo. Só o tirava para dormir (deixava no locker com cadeado) e tomar banho (levava no banheiro junto com a muda de roupa). Separava na carteira os euros que gastaria no dia com passeios, alimentação, etc. Não vi maiores problemas quanto a isso e a doleira é bem discreta. 2- Tome os cuidados básicos de um hotel. Não deixe suas coisas jogadas, leve cadeado para o locker. Pessoalmente, não vejo problemas ficar em quarto misto, pois os viajantes também estão na mesma intenção que a sua.. Ouça sua intuição hehe vc perceberá quando tiver algo estranho ao seu redor. E será normal te perguntarem de onde vem, pra onde vai, quanto tempo está viajando, com quem está viajando etc. Se não se sentir segura em responder 100% a verdade, fale que está fazendo esse pedaço da trip sozinha e que depois encontrará outros amigos; que está sempre mandando notícias para conhecidos. Eu passei por uma situação em Munique, em que a pessoa começou a perguntar se eu estava sozinha, se tinha namorado, umas perguntas que vc saca que fogem das "normais". Mesmo estando sozinha, falei que estava acompanhada. 3- Se já fizer tudo o que tem programado, sugiro alugar uma bicicleta e passear pela cidade 4- Uma boa pedida de Praga é o pubcrawl, que vc fará com mais pessoas. Achei tranquilo de andar sozinha à noite por lá, mas é bom estar com mais alguém. 5- Sugiro dar uma boa estudada nos transportes. No próprio google maps tem o nome das estações de metrô, que te dão uma noção já de o que fica perto do que, em qual estação é melhor descer. Existem app dos transportes públicos das cidades, que com o Wifi do hostel vc calcula a rota antes de sair, aí ele mostra qual bus/metrô pegar e onde descer. No hostel eles normalmente oferecem um mapa da cidade com os pontos turísticos e são bem solícitos em te explicar como chegar até eles. O maps do seu celular, mesmo sem internet/wifi pode mostrar o mapa da cidade, então vc saberá para qual lado está indo (também não tive problemas de sempre andar com o celular na mão, mas estava atenta ao meu redor). Espero que essas dicas tenham ajudado, que dei com base na minha experiência
  14. Obrigada Sam-RJ! Não fiz mais que a obrigação de compartilhar minha experiência depois de todas as informações que tirei daqui fórum para ir a esses lugares
  15. Mosaic House principalmente se for sozinha, pois é ótimo para conhecer pessoas!
  16. Só vc saberá se vale o "esforço" de pagar um pouquinho a mais e adequar os horários para ter a experiência de andar de trem. Eu vejo como uma oportunidade, já que não temos no Brasil.
  17. Acho que ambas as opções estão adequadas para a quantidade de dias disponíveis e os deslocamentos entre as cidades não são complicados.
  18. A East Side Gallery te toma umas 2 horas para ver completa e acho um dos pontos mais marcantes de Berlim! Também li ótimas referências sobre o Pergamon Museum.
  19. Complementando o que o Mario falou, monitore a previsão do tempo para ir num dia preferencialmente com céu limpo ao castelo da Cinderela - Neuschwanstein. Concordo que a ida a Hallstatt, dada a quantidade de dias que vcs têm, fica prejudicada... Pontos complementares de Munique: Marienplatz, Viktualienmarkt, cervejaria Hofbräuhaus - HB, Allianz Arena. O Residenz München e o Nymphenburg palace são sensacionais! Para todos é possível utilizar o transporte público (app MVV München). Quanto às compras, sei que tem um outlet perto de Munique. Em Munique tem umas lojas chamadas EuroShop, que são tipo Casa China daqui! Tem que garimpar bastante, mas nelas vc encontra coisas legais. Achei uma caneca linda com os pontos turísticos de Munique e paguei 1 euro nela
  20. Oi Bruno! A Alemanha é enorme e tem muita coisa para visitar! Depende muito do gosto de vcs para poder indicar algo pontual, mas perto de Stuttgart tem a cidade de Heidelberg, que é bem bonita! Um mês é possível visitar bastante coisa. Sugiro ler os relatos aqui do fórum para, então, ir filtrando qual cidade agrada vcs e o que tem para fazer. Outro site que ajuda muito é o antigo 'Alemanha por que não', hoje 'Por que não travels'. De uma maneira geral, sugiro montar um roteiro que tenha uma lógica para deslocamento. Um google maps ajudará bastante! Para transporte, há a cia alemã DB Bahn - http://www.bahn.de/. Há também o sistema de caronas que funciona bem, mas nunca utilizei - http://www.mitfahrgelegenheit.de/ Acho que hoje está integrado à plataforma Blablabla car, não tenho certeza. Quanto à Munique, ela é enorme e maravilhosa!! Tem muita coisa para fazer! Se quiser dar uma olhada nos meus relatos, tem bastante informação sobre a cidade e o próprio país. Rodei por um mês também e não foi suficiente hahaha Salzburg é bonita e em um dia vc a visita, mas o castelo não tem muita coisa de diferente dos outros palácios e castelos que vc pode visitar na própria Alemanha, como o Neuschwanstein (da Cinderela, próximo de Munique). Uma cidade que tem chamado bastante atenção perto de Salzburg (e é linda demais!) é Hallstatt. Dê uma lidinha sobre ela Então, por ora, minha sugestão é de 4 a 7 dias em Munique e 2 dias em Salzburg, para caso faça o bate-volta até Hallstatt. Zurique eu nunca fui, então não posso opinar... Vai dando uma pesquisada boa do que pretendem visitar e quando tiver algo mais concreto será melhor para dar dicas mais pontuais! Espero que essas dicas gerais te ajudem nesse começo
  21. Ótimo relato, Lucas!! O seu, o da Bárbara e do Rodrigo são a base do que estou montando para o fim do ano porém até San Pedro apenas. Acompanhando!
  22. Gostei do seu roteiro! Os dias estão bem distribuídos. Se vc achar pouco tempo para Munique ao decidir o que pretende visitar, sugiro alocar mais um dia para ela , retirando um dia de Berlim e alterando chegar em Berlim (vindo de Dresden) pela manhã ao invés de noite. De resto, vai curtindo toda a preparação e tenha uma ótima viagem!!
  23. Como Salzburg fica no caminho entre Munique e Viena, faria minha base nela para ir a Hallstatt. Ficará extremamente corrido (senão impossível) conhecer Salzburg e Hallstatt em um dia. Não sei qual é o meio de locomoção que usarão, mas acredito que seja longe e demorado fazer bate-volta de Munique até elas com o transporte público. E como depois vcs necessariamente irão a Viena, é até bom dar uma 'quebrada' nas horas de viagem com esse pit-stop. Além disso, a cia Westbahn também é uma empresa alternativa e excelente para ir de trem partindo de Salzburg, além da mais conhecida ÖBB.
  24. Complementando o que foi falado, veja passagens de avião na opção ‘múltiplos destinos’, ou seja, chegar por uma cidade e voltar ao Brasil por outra. Geralmente não difere muito do preço de chegar e voltar pela mesma cidade e vc economiza em deslocamento já que não terá que voltar à primeira cidade. Acredito que o melhor roteiro seria Paris > Bélgica > Holanda (Amsterdã) > Alemanha ou fazer o caminho inverso. A Alemanha é enorme!! Vc tem que ver o que quer conhecer para, então, decidir quais cidades visitar. Mesma coisa para a Bélgica. 15 dias acredito que será pouco, pois tem que incluir os dias de deslocamento. O deslocamento entre as cidades pode ser feito de trem ou de ônibus. Avião também dá, mas pelas distâncias, faria tranquilamente tudo de trem. E procure comprar direto do site da companhia de trem/ônibus/aérea. Hospedagem também depende de suas preferências. Hostels são as opções mais baratas, porém no quarto coletivo vc terá menos privacidade. O lado bom é poder fazer novas amizades. Procure pelos sites booking.com e hostelworld.com, que têm avaliações reais e mapas com a localização. Quanto ao que fazer, depende muito do gosto de vcs. Sugiro dar uma lida nos relatos daqui do fórum e, então, ir filtrando o que interessa ou não para fazer nesses lugares. Com base nisso, dá para tirar a quantidade de dias ideal para cada cidade. Em alguns relatos também já tem +/- o valor gasto com atrações, deslocamento, hospedagem, que te dará uma noção de quanto custa fazer uma viagem dessas. Calcule sempre em euro e, no fim, converta para o real, já que o real tem variado muito. Espero que essas dicas gerais te ajudem! Quando tiver um roteiro mais concreto poste aqui, assim é possível te dar dicas mais pontuais
  25. Eu também achei espetacular a cidade! Não a tiraria do roteiro. Três dias são suficientes para conhecer os principais pontos e achei uma cidade agradável para andar. Tem muitas partes bonitas, porém elas não são concentradas, como ocorre em Praga por exemplo. Mas nada que um metrô não resolva. Te aconselho dar uma lida nos relatos que incluam Viena no fórum. Daqui tirei muitas informações! No meu relato também tem os pontos que visitei, com destaque à biblioteca nacional. Me apaixonei por ela!! hahaha mas isso é bem pessoal. Só o palácio Belvedere já faz valer a pena ir à cidade. O Hunderwasserhaus é um prédio diferente de qualquer um que eu tenha visto em outras cidades europeias (arquitetos adoram aquilo lá!). Então, são pequenos detalhes que tornam a visita interessante!
×
×
  • Criar Novo...