Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

ericaarodriigues

Membros
  • Total de itens

    18
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre ericaarodriigues

  • Data de Nascimento 05-03-1988

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Bariloche/ Argentina
    Posadas/ Argentina
    Garopaba/ SC
    Curitiba/ PR
    Foz do Iguaçu/PR
    Rio de Janeiro/ RJ
    Ilha do Mel/ PR
  • Próximo Destino
    Maceió e Recife com Maragogi, Carneiros e Porto de Galinhas
  • Meus Relatos de viagem
    http://www.mochileiros.com/post1192895.html#p1192895
    http://www.mochileiros.com/ilha-do-mel-t123451.html

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. ericaarodriigues

    Reservas pelo Booking. Alguém ja teve problemas com pagamentos?

    Agradeço muuito pela atenção de vocês! Na fatura diz apenas "hoteis alagoas"isso não me ajudou muito, mas fico mais tranquila em saber que já utilizaram o serviço sem maiores transtornos, como é a primeira vez que uso o booking fiquei receosa Vou aguardar mais e creio que receberei contato de quem debitou informando sobre a fatura
  2. Bom dia!! Estou programando uma viagem para Alagoas/ Pernambuco e fiz algumas reservas em pousadas/ hotéis e hostels em algumas cidades neste trecho. Fiz a maioria das reservas com cartão de crédito, e, uma das pousadas debitou o valor da diária, como a maioria das diárias é no mesmo valor, apesar de serem estabelecimentos diferentes, não estou conseguindo identificar qual pousada fez o débito. Já mandei e-mail a todas elas e algumas não me respondem Gostaria de saber qual debitou para ter controle e não vir a ser cobrada duas vezes. alguém já teve problemas com reservas pelo booking?? Vi também que um hotel possui cancelamento gratuito e mesmo assim o valor já foi debitado, foi muito bom utilizar o booking para localizar bons preços, mas agora veio meu desapontamento Desde já agradeço
  3. ericaarodriigues

    Praias de Tamandaré e de Carneiros

    Ola Claudia! Queria saber de qual ponto vc partiu pegando este ônibus até Ipojuca por R$2,20. Estou indo à Tamandaré e ainda com um pouco de dificuldade em encontrar deslocamento que não seja locação de veículo ou buggy. Obrigada!!
  4. ericaarodriigues

    Maragogi

    Ola!! Saberia me dizer se há ônibus de Maragogi para Tamandaré? Se houver qual Companhia. Também me interessei muito pelo mergulho com cilindro, vi em vários relatos pessoal indicando mas sem contato de agencia ou instrutor, alguma indicação também? Grata
  5. Olá Quase um ano depois da viagem aqui estou eu para relatar minha experiência na cidade maravilhosa Pra quem está planejando o destino recomendo demaais! É muita informação, se eu me esquecer de algo queiram me perdoar Gostaria de começar com algumas dicas simples: #1 Desista de conhecer tudo: O Rio tem infinitas atrações e a não ser que você vá passar meses por lá é preciso eleger os locais que mais te atraem pesquisando antes. #2 Quanto à segurança muitas pessoas me alertaram sobre os perigos de furtos e assaltos, recebi dicas básicas mas valiosas de alguns amigos que já visitaram antes de mim e de moradores que conheci na viagem então lá vai: - Ao caminhar pelas ruas não marque bobeira com celular na mão ou nos bolsos, caminhar desatentamente não rola! Esteja sempre atento ao que esta acontecendo ao seu redor. Durante nossa estadia por lá não vi o tal do arrastão, mas moradores confirmam que é real e acontece quando você menos espera. - Se for andar de Ônibus (e nas ruas acho que também vale a dica) não saia parecendo um pinheiro de natal, com um gucci na cabeça, michel kors no pulso, aparador de aliança de brilhantes no dedo, olhando desatentamente para o seu Iphone 6 Plus enfim, o Rio é um lugar de gente simples e simpática, é esse tipo de acessório que chama a atenção dos espertinhos, seja leve e curta os momentos sem frescura, nas ruas vemos pessoas com os mais diversos estilos mas muito a vontade. - Na zona sul a realidade é bem diferente da região central e Lapa (foram os locais que conheci) infelizmente nestes últimos há muita mendicância, porém, ser mendigo não implica ser bandido, nas praças e passeios é comum encontrar moradores de rua e eles sequer lhe direcionarem o olhar, é uma cidade de contrastes, mas não precisa achar que todo mundo vai te assaltar/ estuprar como dizem os noticiários, se puder doar algum alimento a gratidão será visível. As ruas cheiram muito mal na região da Lapa e do centro, isso porque nota-se que pessoas urinam e até defecam nas ruas nessa região olhe bem aonde você pisa - Na zona sul não vi mendigos ou pedintes, apenas alguns pivetes com atitudes muito suspeitas próximo à pontos de ônibus e locais de grande trafego, entretanto, em cada esquina havia uma viatura policial, a segurança pública nessa região é de primeira, nas demais regiões já não era tão comum ver policiais ou guardar municipais. - Não saia levando consigo nada mais que o necessário, principalmente as mulheres costumam carregar carteira com todos os documentos, não faça isso, apenas um documento com foto + cartão de banco e algum dinheiro bastam, também nem preciso dizer pra não carregar muito dinheiro consigo né... acho que isso vale pra qualquer lugar. #3 Não ande com pressa, a impressão que tive é de que o carioca é um povo muito tranquilo e bem humorado, ao caminhar pelas ruas de grandes movimentos não espere que as pessoas estejam apressadas e que haverão poucas filas, a caixa do mercado por exemplo, não vai te atender rapidamente, relaxa # Pergunte! Pensa num povo gentil e prestativo! Eles explicam tudinho Viajamos eu e meu marido apenas e ficamos sete dias (ahhh que arrependimento de não ficado ao menos uns dez dias) Da viagem (ida e volta) >> Compramos as passagens com um mês de antecedência pela Azul totalizando R$960,00 ida e volta, foi a Cia com o melhor preço para o trecho, o voo tinha três conexões, SIM! Eu e meu marido somos Sr. e Sra. Conexão sempre escolhemos os vôos com o maior número de paradas para poder esticar as pernas, fazer um lanche, ir ao banheiro, etc. Em nossa cidade não tem aeroporto, por isso saímos de Cascavel, onde deixamos o carro na casa de amigos e partimos bem cedo rumo ao Rio. Da hospedagem: >>Nessa viagem resolvemos alugar uma kitnet, pensando em estar mais a vontade, preparar lanches rápidos para economizar na alimentação, etc. O contato encontrei no “alugue temporada” https://www.aluguetemporada.com.br/imovel/p555764540?utm_campaign=HABR_OWN_INQ_HASC_replied_PPS&utm_content=propthumb_image_o_lprop&utm_term=20150919&utm_source=SYS&utm_medium=email Com Sr. Gerson Tinoco Fones: (48) 8824-4939 (Claro) (48) 9985-5292 (TIM) WHATSAPP (48) 9131-6910 (Vivo) gersontinoco (Skype) Ele foi muito atencioso, nos deu dicas de passeios, compras, restaurantes e mercado. Na verdade a princípio ficamos com bastante receio de depositar o calção para reserva, isso porque nas minhas pesquisas encontrei muitos relatos de golpe em aluguel de imóveis para temporada, por isso fui muito transparente com o locatário e combinei que iria até o local para ver, e apenas depois de conferir a veracidade do anúncio pagaria o referido valor, porém, combinamos que após conferir faria depósito do valor total (diárias + taxas). Ele concordou e assim ocorreu. A localização é perfeita para quem quer algo próximo do aeroporto, o local fica há umas seis quadras do Santos Dumont, bem perto dos Arcos da Lapa,optei por esse local também pensando em poupar no taxi/ transfer para o aeroporto, também fica ha uns dez minutos do Saara e de vários pontos turísticos da região central/ Lapa, como escadaria Selaron, Museus, etc O local não era aquela brastemp, mas não estávamos a fim de perder tempo procurando outro lugar, uma kitinet bastante pequena com dois cômodos, sendo um banheiro minúsculo e um quarto de uns 20m² onde havia ar condicionado, uma cama casal, mesa, sofá, TV, geladeira, microondas, fogão e armários. A limpeza estava ok, porém a qualidade do mobiliário deixava um pouco a desejar, fogão e cama bastante usados e os utensílios de cozinha aparentavam estar mal lavados e muito gastos, de fato não é um local para quem busca conforto e luxo, mas a segurança e a localização valeram à pena, como não tínhamos a intenção de cozinhar nem passar muito tempo no quarto, tudo bem. No anuncio há fotos que retratam bem a real condição do imóvel, bem como os preços, ele foi irredutível em negociar valores Dia 01: >> Chegando ao Rio, no Santos Dumont que, diga-se de passagem, tem umas das vistas mais lindas que já vi, foi muito fácil encontrar vans e taxis a disposição, no entanto atravessando a rua já haviam alguns restaurantes, e, como chegamos no horário do almoço já nos atiramos no primeiro Buffet que vimos. Nosso local de hospedagem era há poucas quadras do aeroporto então seguimos a pé mesmo. Organizamos a bagagem e saímos para nosso primeiro passeio. Fomos conhecer o Saara. Saara: Quem conhece o comercio no Paraguai já tem uma boa referencia de como funciona, por lá os preços são demais de camaradas e o pessoal bastante amistoso, tem de tudo!! Nós não levamos quase nada na bagagem pois a intenção era fazer muuuitas compras, nossa primeira aquisição foi uma mochila, as horas passaram rápido enquanto enchíamos a tal mochila de bugigangas chapéus, lenços, biquínis, saída de praia, sacola de praia, peças simples de malha, chinelos, compramos até alguns eletrônicos. Eu não sou do tipo “lembrancinha/ souvenir”, mas pra quem aprecia lá tem muitas opções. Aqui está uma #dica para economizar na bagagem, se você pretende fazer compras durante a viagem, invista uns minutos pesquisando o que há de bacana no comercio local, e, não leve o que você já sabe que vai acabar comprando hehe. É importante citar que vi muita porcaria à venda também, produtos falsificados, itens de péssima qualidade, mesmo assim vale à pena conhecer a feira porque tem muita coisa boa também que na zona sul custa mais caro. À noite fomos jantar no restaurante “Cantinho do Velho” pertinho do local de hospedagem, o cansaço não deixou esticar muito a noite, mas o restaurante era tudo de bom! Pagodezinho ao vivo e uma comida pra lá de boa, pagamos R$60,00 num filé parmegiana gigante com acompanhamentos. Na região da Lapa barzinho e comida é o que não falta, a gente ficava até em dúvida de qual lugar entrar, tudo parecia muito animado e atrativo. Dia 02: >> Dia chuvoso por isso acabamos acordando tarde, após um café bem caro numa panificadora estranha (depois explico), fomos nos aventurar andando de ônibus, consegui todas as informações necessárias neste site: http://www.rioonibus.com/ mas acho que perguntando não é nada mal também, eu tremia na minha primeira viagem de ônibus mas valeu a pena, a passagem estava R$3,80 e há linhas pra todo canto, já de taxi o gasto seria infinitamente maior já que tudo é longe... Minha opinião é de que não há nenhuma grande sacada ao escolher local de hospedagem no RJ, porque o perto deles, ao menos pra mim é longe, então o jeito é relaxar e curtir o caminho. Em alguns horários é possível pegar ônibus bem vazios, já em outros quase não da pra entrar fuja dos horários clássicos de pico. Bem, quanto ao café, chegamos a conclusão de que a alimentação é mesmo algo caro no Rio, talvez a minha realidade é que seja de uma cidade com baixo custo de vida, mas pra mim 20,00 por pessoa pra um café da manhã é caríssimo! No fim do dia reservamos um tempinho para ir ao mercado e então poder tomar café nos demais dias em casa mesmo Sabe aqueles botecos que se encontra alguns idosos jogando cartas, salgados fritos amanhecidos e cuja higiene não parece ser das melhores? Nesse lugar também vai ser caro :'> na dúvida, procure um lugar mais legalzinho mesmo que o "assalto" é inevitável hahah >>Seguindo sem mais enrolação desembarcamos no shopping Leblon, eu estava a procura de uma mochila térmica para facilitar nossa alimentação, almoçamos por ali e enquanto isso o tempo mudou, o sol apareceu então seguimos a pé até a praia Gente que vida difícil deve ser morar ali no Leblon! Acho que me acostumaria fácil! Ao contrário da nossa região de hospedagem por ali não tem mal cheiro heheh Ficamos na praia até o anoitecer e ainda fomos embora com gostinho de quero mais! A noite como disse antes fomos ao mercado e devido ao cansaço jantamos em casa mesmo, um banquete de lasanha sadia Dia 03: >> Dia de grandes expectativas, acordamos cedo e fomos pegar o ônibus para o Cristo, a intenção era ir também ao Pão de Açucar, no entanto acabamos desistindo (depois explico) A linha de ônibus que vai para o Cristo é muito característica, haviam apenas turistas e todos com as mesmas dúvidas, onde desembarcar, onde comer, etc, nesse momento nos sentimos os clássicos #turistas Bem perto da entrada para o Cristo tem algumas opções de restaurantes com bons preços, ha um mercadinho também e algumas lojas de artesanato e lembranças. Me informei sobre a compra dos bilhetes pela internet antes: https://cristoredentoroficial.com.br/ingressos É possível subir o morro do corcovado até o Cristo com o trem do corcovado (recomendo) ou com vans, as vans ficam do lado de fora da bilheteria, não cheguei a perguntar mas os demais turistas disseram que o preço é o mesmo, a unica diferença é que ela sobe mais rapidamente e sem contemplação, o trem demora um pouco mas a vista é belíssima, principalmente se você se sentar do lado direito #ficaadica Chegando no Cristo confesso que fiquei um pouco decepcionada, a vista é incrível, o Cristo é lindo, e só! Não consegui fotos muito legais porque havia muita gente! Muita gente meeesmo!! Sabe a classica foto com os braços abertos? É você e mais cem pessoas com os braços abertos tentando um close hihih ficamos uns 15 minutos ali e já descemos. Pegamos o ônibus novamente desta vez rumo a copacabana, que, dispensa comentários! É realmente tudo o que dizem... De novo ficamos até o anoitecer, voltamos para "casa" e saímos enfim para conhecer os barzinhos da Lapa, é impossível escolher um! Da vontade de entrar em todos heheh, fomos no Carioca da gema Dia 04: >> Dia de voar de Asa Delta Mais uma vez acordamos cedo e partimos pro ponte de ônibus, dessa vez rumo a São Conrado, o dia estava um pouco nublado, ficamos bem apreensivos mas o instrutor de voo explicou que a condição para voar é o vento e não o sol Consegui o contato de alguns instrutores de vôo através do site Clube São Conrado de Voo Livre: http://www.cscvl.com.br/ Eles oferecem vôos de asa delta e parapente, a associação não indica um instrutor, eles trabalham de maneira independente por isso a pesquisa de preço é bem chatinha, é preciso pegar o contato de todos eles e ir perguntando o preço e as condições. Alguns incluem as fotos e o vídeo, outros cobram a parte e é isso que vai dar diferença no final. Bem, após muitas ligações e mensagens o instrutor que mais me agradou foi o Gabriel Fly Contato: (021) 99589-6594 Acho que foi a melhor coisa que fiz no Rio durante essa deliciosa semana, no entanto ainda não foi neste dia que conseguimos voar. Fizemos nosso cadastro junto à associação e uma rápida instrução, depois ficamos por ali aguardando as condições ideais de vento, o que era promissor de acordo com o pessoal do controle, subimos até a rampa de decolagem, o instrutor nos levou no carro dele juntamente com o equipamento e equipe de apoio, ficamos ali por cerca de uma hora, porém!!!! O tempo virou do nada, esfriou uma neblina horrível tomou conta de tudo e decidimos voltar no dia seguinte Neste dia cinza nada parecia estar favorável, a não ser mais shopping, desta vez fomos ao Botafogo Praia Shopping, onde encontramos várias lojas muito acessíveis e ótimos preços. Ja jantamos por ali e voltamos pra "casa", a noite não podia faltar um barzinho na Lapa, dessa vez fomos conhecer o Leviano Bar, céus tinha muuita gente! animadíssimo como tudo por alí. Dia 05: >> Dia de fazer o vôo de Asa delta parte 2. Saímos de casa cedo e antes de ir pra São Conrado passamos para conhecer a escadaria Selaron e para ver de perto os arcos da Lapa. Chegando em São Conrado, dessa vez o sol refletia um lindo dia e fomos logo para a rampa, já tínhamos feito todos os procedimentos no dia anterior então foi só vestir a roupa e se jogar! Uma experiência fantástica que recomendo pra todo mundo, ao contrário do que parece não dá medo, com a vista e a sensação que rola não tem como sentir nada além de adrenalina, muita emoção e #goodvibes Chegando ao solo conferimos as fotos e vídeo e aproveitamos um pouco a praia de São Conrado, por alí ritmo bastante diferente das demais praias da Zona Sul, vale a pena conhecer Bem perto da praia tem o shopping Fashion Mall, almoçamos por ali e apanhamos outro ônibus rumo a Ipanema, onde terminamos o dia curtindo o sol e o mar. Dia 06: >> Acho que esse foi o dia mais cheio da nossa semana, acordamos cedo e fomos até a orla da Glória, são uns dez minutos de caminhada, visitamos a Marina da Gloria Gostaria de ter feito um passeio de barco mas infelizmente não daria tempo  Seguimos caminhando pelo calçadão até a Praia do Flamengo, Que vista! Pão de açúcar, Cristo, a praia em si não é das mais atrativas, para banho não me senti a vontade, mas é um lugar bem tranqüilo e bonito. O parque do Flamengo também é bem legal para uma corrida, mas precisávamos seguir, pegamos um ônibus rumo a São Conrado desta vez para fazer a trilha da Pedra Bonita, dica que o Gabriel Fly nos deu. Ali há também a trilha da pedra da Gávea, este leva cerca de duas horas, já a Pedra Bonita cerca de 30 minutos, acabamos escolhendo a segunda para otimizar o tempo, e, sem contar que o pessoal do clube de vôo nos alertou que a vista é a mesma. A trilha é demais! Vale a pena conferir, infelizmente a chuva e o frio mudou um pouco nossos planos em alguns dias, não conseguimos visitar vários lugares que estavam em mente e acabamos nos limitando a shopping, mas este foi o dia que fez valer a pena, muito contato com a natureza, a caminhada é de tirar o fôlego, realmente da uma pernada mas muito prazerosa, chegar no cume é tudo de bom! Depois de descer seguimos para a praia novamente, ultimo dia então precisava aproveitar! Foi a vez de conhecer Copacabana, onde acabamos estendendo até mais tarde, deu um medinho de voltar de ônibus a noite, e, acabamos fazendo uma confusão que acabou sendo interessante. Uma pessoa nos ensinou a pegar o metro, fomos de ônibus até a estação mais próxima, porém chegando lá descobrimos que não havia linha até a Lapa, resolvemos fazer uma caminhada por uma feira que ali havia, e, experimentar os famosos caldos vendidos em barracas de rua, geeente que coisa boa! Caramba o feijão amigo é delicioso!! O preço então, super amigo, apenas R$ 7,00. Seguimos pra “casa” e dessa vez fomos dormir mesmo pois as pernas doíam  Dia 07: >> Ôh dia triste! Dia de ir embora, Acordamos cedo, terminamos de arrumar a mochila e saímos sentido aeroporto, nosso vôo era ao meio dia, então fizemos o caminho a pé de novo pra passar por alguns pontos turísticos que ficavam a caminho do aeroporto. Tem muita coisa pra conhecer na região, tivemos que deixar alguns lugares para traz porque o tempo era curto, deu pra passar no Monumento Nacional aos Mortos na Segunda Guerra Mundial, no shopping Bossa Nova Mall e no Clube de Natação e Regatas Santa Luzia. Espero poder ajudar alguém com meu relato assim como fui ajudada por várias pessoas que aqui registraram suas experiências! Se alguém tiver dicas de fotografia fico muito feliz em receber pois como é possível observar não somos muito bons nisso hehe Gratidão a todos!
  6. Leonardo88, isso é uma "arvore de selfie"?
  7. ericaarodriigues

    relato Ilha do Mel

    Olá pessoal! Gostaria de compartilhar a experiência que eu e meu marido tivemos na Ilha do Mel no Reveillon 2015/2016. Moramos em Marechal Cândido Rondon/PR (Fronteira com Paraguai) e a intenção foi fazer um passeio rápido e barato de carro. Sempre ouvimos boas referencias de Ilha e por isso a escolha. Organizamos tudo com antecedência de uma semana pois a intenção era fazer economia, planejamos gastar até R$2.000,00 (duas pessoas). Da viagem (Ida e Volta): Saímos de Marechal umas 11h da manhã e chegamos a Curitiba perto da meia noite. O transito estava bem tranquilo, paisagens lindas e a BR 277 estava em boas condições. É claro que com tantos pedágios não podia ser diferente, hehe, mas fomos bem devagar e apreciando bastante o caminho. Em Curitiba descansamos no Hostel Backpackers, Pagamos R$80,00/ Casal e o atendimento foi excelente, o local é agradável, simples e bastante acolhedor, não é a melhor opção pra quem busca privacidade e luxo, mas encontramos tudo muito limpo e organizado: http://www.backpackerscuritiba.com.br/ Chegando na Ilha: Saímos de Curitiba bem cedo e pegamos duas horas de congestionamento depois do trevo de Paranaguá até chegar em Pontal do Paraná. Em Pontal do Sul nós já havíamos reservado um estacionamento (Estacionamento Digão) que fica a poucos metros do local de embarque para a Ilha, a diária era R$25,00 com cobertura, sendo que fora de temporada o preço é R$15,00. O rapaz parece gente boa e trabalha com sua família. Contato: Rodrigo (41) 9905-3535 - Patrícia (41) 9533-2330. :'> Ele comprou pra nós os bilhetes antecipados para travessia porque disse que pegaríamos uma fila grande se fossemos comprar na hora, assim não precisamos esperar, ao chegarmos já embarcamos e em poucos minutos o barco seguiu. Desembarcamos na praia de encantadas, e, como nosso camping era bem próximo do trapiche nem alugamos o serviço de transporte de bagagem, até porque só levamos uma mochila e uma barraca. Encontramos facilmente e aí começou a decepção. Do Camping: Optamos por camping em vez de pousada primeiro pela economia, é claro, mas também porque todas as pousadas e casas já estavam alugadas, então aí vai nossa dica: Reserve e pesquise tudo com muita antecedência! La não há tantas opções, então quando se aproximam os feriados é difícil encontrar um bom lugar, negociar preço então é impossível, a demanda é grande mesmo. Ha alguns meses eu já estava trocando mensagens com uma ótima pousada (Pousada Praia do Farol) por indicação de amigos, no entanto como decidimos viajar apenas uma semana antes já não havia mais vagas. Ficamos no camping do Sol, e aí gostaria de salientar que na verdade não se trata de um camping, e acho importante que quem decida acampar na ilha tenha em mente esta informação, pois há campings muito bons na Ilha, mas algumas pessoas que têm terrenos lá apenas constroem um banheiro e cobram aluguel das barracas. Infelizmente preciso dizer que o local era péssimo! Quando se fala em área de camping imagino um lugar com estrutura para tal, alí não havia sequer um gramado, o terreno que tinha uns 80m², nem mesmo era plano, a proprietária construiu uma casinha de madeira com dois cômodos e uma pequena área (varanda) onde ela ficava e onde havia uma geladeira e um fogão à disposição, havia um chuveiro e uma pia para centenas de pessoas, as barracas estavam organizadas no estilo coração de mãe, ela simplesmente ia recebendo o aluguel das barracas e dizendo pra pessoa encontrar um cantinho, abrir uma barraca 2x2 foi um desafio, pois, algumas até estavam semi-montadas pois não tinha mesmo onde colocar. Enfim, estrutura Zero! O valor da diária era R$35,00 por pessoa, custo benefício zero, pois não tinha como ficar no camping, apenas deixamos a barraca lá e saímos para caminhar e conhecer outros lugares tendo em vista que o ambiente era horrível! Alias se a polícia resolvesse aparecer ali acho que não sobraria meia dúzia de barracas. Maconha e cocaína rolavam soltas e muita bebida, a palavra “socialmente” não existia no camping, infelizmente o cenário era trágico! O pior é que havia crianças em meio à bebedeira e drogas e a proprietária fingindo não ver nada, pessoas mal encaradas mesmo, me senti numa espécie de camping para indulto de natal Descobrindo a Ilha: Começamos a caminhar depois de arrumar as coisas no camping e para nossa sorte gostamos muito de trilhas e de longas caminhadas, lá é o local ideal. Fomos primeiro até a Gruta das Encantadas, que estava muito cheia, ainda assim deu pra tirar uma foto. :'> Fazia muito calor, por isso a garrafa térmica foi nossa companheira! A água na ilha custa caro, mas encontramos na trilha para a Gruta uma casa onde se vende gelo, assim enchemos nossa térmica e passamos o dia. Pra quem gosta de trilhas também não dá tempo de ir comer nos restaurantes e barzinhos, estes estão localizados apenas nas praias principais e perto dos trapiches, sabendo disso levamos nossas comidas na mochila e não nos preocupamos com isso, nós seguimos uma alimentação mais equilibrada e por isso não foi nenhum sacrifício levar a comida de casa mesmo, comida saudável por lá eu não vi, há alguns mercadinhos mas com bem pouca opção. Fomos para a Praia da Boia que estava bem cheia, depois atravessamos caminhando até pegar uma trilha para a Praia do Miguel, pequena e bem tranquila foi onde passamos o resto do dia. Como era noite de réveillon ficamos à beira mar até bem tarde, o que não é comum por lá. Teve queima de fogos na praia das encantadas e logo todos já foram descansar, afinal, por ali a vida noturna não é o forte. Segundo dia: Chuva!! Durante toda a manhã choveu muito então apenas a tarde saímos outra vez, atravessamos o mesmo trajeto do dia anterior e seguimos mais adiante, pegamos uma trilha de pedras a beira mar, e fomos conhecer a Praia do Belo (bem pequenininha), conhecemos outros campings (esses eram campings de verdade haha) e passamos o dia todo descobrindo trilhas e lugares. Quando nos demos conta já estava noite, ainda bem que não deixamos de levar uma lanterna. Só há iluminação nas proximidades dos trapiches. Depois de jantar fomos até o trapiche das Encantadas onde passamos horas conversando ao som de um pagode que tocava no barzinho em frente, ainda bem que nossas longas horas de conversa são para nós bastante agradáveis, pois não tem nada pra fazer a noite na ilha se não comer hahahha Terceiro dia: Acordamos bem cedo e começamos a caminhar, desta vez atravessamos a Praia Grande e fomos conhecer o Farol da Ilha, Ufa!! Que subida! Mas a vista é linda! Uma chuvinha mansa acompanhou nossa caminhada. Os noticiários davam conta de muito congestionamento nas estradas ate Curitiba, como íamos trabalhar na segunda feira resolvemos antecipar a volta para o sábado pra não correr o risco de nos atrasar. Saímos da Ilha ainda pela manhã. Não posso dizer que não fiquei feliz em deixa-la, pois confesso que esperava bem mais deste lugar. Chegamos em Pontal do Sul as 11h, pegamos o carro no estacionamento e seguimos, quer dizer, tentamos seguir viagem de volta, mas o congestionamento realmente estava terrível. Foram 7 horas pra conseguir atravessar de Pontal do Sul ao trevo em Pontal do Paraná e enfim pegar a rodovia sentido à Curitiba. A noite já em Curitiba saímos para jantar e o cansaço não nos permitiu fazer nada além disso, ficamos no mesmo Hostel da ida e seguimos viagem para casa no dia seguinte. Conclusões e Dicas: #1 Não achei que o Reveillon foi boa pedida para conhecer a Ilha, nessa época havia muita gente e consequentemente muito lixo, muitas pessoas ainda não têm a consciência de preservar a Ilha, então acho que seria mais agradável se tivesse ido fora de temporada, pois, teria evitado também o congestionamento na ida e na volta. #2 Não é preciso muita bagagem para passar uns dias por lá, eu que sou uma pessoa vaidosa usei apenas um chinelo havaianas e um tênis, este ultimo só usei porque tinha levado mesmo, nem era necessário. Roupas eu usei um shorts e uma camisa pra ir, na ilha fiquei o tempo todo de biquíni e jogava um vestido ou saída de praia por cima, bem tranquilo. Vi umas pessoas sofrendo pra desafundar suas Ana Belas da areia. #3 Se você assim como eu e meu marido gosta de manter a alimentação equilibrada providencie sua própria comida antes, lá não há muita coisa além de frutos do mar e porções fritas, achei uma boa ter levado nossas marmitas porque assim ficamos a vontade sem ter que voltar para o trapriche na hora das refeições. #4 A ilha é linda! Adorei a viagem e meu relato embora pareça apresentar uma visão negativa gostaria de deixar claro que apenas me decepcionei com o camping que fiquei e com o uso deliberado de drogas na ilha. As pessoas que vivem lá me pareceram muito gentis, porém sugiro a quem tiver interesse no destino que procure hospedagem nas proximidades de Brasília e não das Encantadas, lá o ambiente é mais bonito e mais familiar. #5 Notei que muitas pessoas vão para a ilha e ficam “paradas”, isto é, não andam e não conhecem as belezas que o lugar oferece. A Ilha é pequena e em dois dias da pra conhecer tudo, mas muitos saem de lá sem ter conhecido outros lugares além do da hospedagem. Se você é do tipo de gosta de curtir o hotel e não curte andar acho que não é uma boa escolha ir pra Ilha do Mel, pois, lá o melhor são as paisagens e a natureza. #6 Pesquise tudo antes de chegar, tenha um mapa turístico da ilha, poucos lugares aceitam cartão então programe-se, leve repelente e uma lanterna, a viagem é barata e no final acabamos gastando menos do que o previsto (Apenas 1500,00/ casal) Se alguém tiver interesse em conhecer o lugar e quiser mais algumas dicas ficamos à disposição. Fiz a planilha dos gastos e lá tem tudo detalhado, posso enviar a quem vier se interessar. Abraços!! Erica e Eric https://www.facebook.com/erica.rodrigues.37 https://www.facebook.com/ericfernando.silva
  8. Ola pessoal! Estou fazendo pesquisas e pretendo ter a minha primeira experiencia em hostel em alguns dias no Rio, ainda não fiz a reserva mas estou entre o Lapa Astral Hostel ou Moriah Hostel & Apartaments II. Gostaria de referencias caso alguém já tenha utilizado um dos dois ou algum outro no estilo bbb Minha principal duvida seria quanto à bagagem, se é possível deixar com segurança alguns pertences no hostel, como vou ficar 6 dias não vejo necessidade de levar a mochila completa para os passeios. Alguém com mais experiencia para me dar algumas dicas?
  9. ericaarodriigues

    relato COPA DAS CONFEDERAÇÕES: FDS NO RIO COM VOO DE ASA DELTA

    Oi Juliana! Que delicia ler seu relato, suas palavras são carregadas de energia! Eu e meu noivo vamos para o Rio entre os dias 01 e 06/10 e seu relato nos ajudará bastante.
  10. ericaarodriigues

    Canion de Xingó

    Muitíssimo obrigada pelas informações! Me perdoem mas eu tive problemas com minha senha e não estava conseguindo acessar
  11. Ola Amanda! Também vou por lá nesse período, ainda estou pesquisando, se tiver alguma dica por favor mande um alo!
  12. ericaarodriigues

    De Fortaleza a Salvador

    Olá!! Eu e meu noivo pretendemos fazer o mesmo trajeto em Setembro, porém ao contrário (Salvador a Fortaleza). Em qual mês vc parte?? o/
  13. ericaarodriigues

    Canion de Xingó

    Olá Pessoal! Eu e meu noivo estaremos visitando o Nordeste e gostaríamos de conhecer o Cânion de Xingó, Gruta do Talhado, entre outros em Sergipe, mas não localizei na internet rotas de ônibus entre Aracaju e Canindé São Francisco. Gostaria de saber se há pacotes de passeio já incluindo o translado, ou se alguém conhece a região e poderia me ajudar com informações de como chegar até lá e quais as opções de destinos na região. Desde já Muuito obrigada!!
×