Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Rita Branco

Membros
  • Total de itens

    13
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre Rita Branco

  • Data de Nascimento 06-08-1987

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Ásia: China - Shanghai, Pequim

    Europa: Portugal, Espanha, França, Itália, Bélgica, Luxemburgo, Inglaterra, Alemanha, Hungria

    Africa: Tunisia, Marrocos, Senegal

    América do sul: Argentina, Brasil, Chile, Colombia
  • Próximo Destino
    Mochilão pelo Peru, Chile e Bolívia
  • Ocupação
    Graphic Designer
  1. Rita Branco

    10 dias pelo Senegal

    Localizado na Península de Cabo Verde, na extremidade Ocidental de África, situa-se o Senegal. Este país faz fron- teira com a Mauritânia, o Mali, a Guiné, a Guiné-Bissau e a Gâmbia. O rio Senegal, a norte dá nome ao país. O clima varia entre árido e tropical dependendo da re- gião. Prevalecendo duas estações por ano: a estação seca e a estação das chuvas. Vários impérios coloniais europeus passaram por este território: portugueses, holandeses, ingleses e franceses, até a França elevar gradualmente o seu poder e assumir o Senegal como sua colónia, durante várias décadas. O francês é a língua o cial do país, mas há diversas línguas nacionais de origem étnica. Continuar lendo no link: https://postcardsfrom.info/portfolio/senegal/
  2. Rita Branco

    Patagonia em 7 dias

    Patagónia Argentina + Torres del Paine em 7 dias. A viagem começou em Ushuaia, a capital da Província Tierra del Fuego, no sul da Argentina é conhecida pelo slogan de “cidade mais austral do mundo” ou “a cidade do fim do mundo“. Esta charmosa cidade é conhecida pela boa culinária, povo receptivo e uma excelente estrutura de apoio ao turismo. Continuar lendo no link: https://postcardsfrom.info/portfolio/patagonia/
  3. Rita Branco

    10 dias pela Colombia

    A viagem começou por Cartagena das Índias: a cidade ainda conserva a sua arquitetura colonial e as suas fortificações. Nos dias de sol as ruas vibram com as cores alegres das fachadas e a brisa do mar chega para refrescar. Continuar lendo no link: https://postcardsfrom.info/portfolio/colombia/
  4. A norte de Vilar Formoso estende-se um planalto até Barca de Alva, passando por Almeida e Castelo Rodrigo. Do outro lado da fronteira, fica Lumbrales, San Felice, Ciudad Rodrigo e Aldea del Obispo. Juntos formam um conjunto de núcleos urbanos com grande importância histórica devido à sua localização na zona fronteiriça. Continuar lendo no link: https://postcardsfrom.info/portfolio/da-beira-alta-ao-alto-douro/
  5. Rita Branco

    Roteiro pela Irlanda

    A Irlanda é um país que lhe oferece roteiros históricos e culturais, paisagens incríveis e muita diversão. Dublin, Galway, Cliffs of Moher e Kylemore Abbey são alguns dos cartões postais mais conhecidos do país. Os irlandeses são receptivos, fascinantes, bem dispostos, com um excelente sentido de humor e apaixonados por uma boa conversa. São mestres em contar histórias, lendas, piadas… por isso, seja sentado num autocarro durante um tour ou num balcão de um pub, a diversão é garantida. Continuar lendo no link: https://postcardsfrom.info/portfolio/irlanda/
  6. Rita Branco

    Mochilão: Peru, Bolivia e Chile (1 mês)

    Um mês, de mochila às costas, a percorrer o Peru, a Bolívia e o Chile. "Localizado na américa do sul, o Peru oferece uma grande diversidade cultural e inúmeras riquezas naturais. Prepare-se para respirar o ar puro dos andes, disfrutar de um pôr-do-sol no meio do oásis, visitar a alegre capital de Lima, caminhar pela pérola branca de arequipa, subir até ao mítico Lago Titicaca, ouvir fantásticas histórias sobre os incas na cidade de Cuzco, contemplar a harmonia entre o homem e a natureza nas ruínas de Machu Picchu, e para os mais aventureiros admirar 5 mil anos de história do alto do Huayna Picchu...." Continuar lendo no link: https://postcardsfrom.info/portfolio/mochilao-pelo-peru-bolivia-e-chile/
  7. Rita Branco

    Roteiros sobre vários destinos

    Alo Galera! Já venho participando deste fórum há algum tempo e agora decidi criar um blog com as minhas fotos, roteiros e experiências. Vários destinos na América do Sul, África e em breve Ásia e Europa. O mais recente foi um mochilão pelo Peru, Bolivia e Chile em Janeiro de 2016. Sigam aqui: www.postcardsfrom.info Espero que seja útil nas vossas próximas viagens!
  8. Olá! Reservei pelo booking. O yakush ficou 92 dolares, 4 diárias. O Perito Morenos hostel paguei por um quarto triplo (éramos 3) com banheiro privado 168 dolares por 3 noites. Olá Rita, Lembra os valores que pagou em cada hostel?
  9. Olá Juliana, paguei 188 dolares mais a entrada no Parque que em todas as agências é paga à parte. A entrada custa 18.ooo pesos bolivianos. Reservei com umas 3 semanas de antecedência... Pelos orçamentos que fiz esta agência era um pouco mais cara, mas compensa pelo ónibus 4x4 que permite economizar um total de 3h de viagem porque conseguem ir por um atalho. Pela minha experiência aconselho a agência.
  10. Olá! Nós fizemos o passeio pela southroad, é uma agência um pouco mais cara mas tem a vantagem de ter um ónibus 4x4, que permite irem por um atalho até à fronteira e por isso a viagem até ao Parque dura 1h e pouco a menos que a das restantes agências, no total economizamos 3h de viagem. Para quem quer conhecer bem o parque aconselho a ficar por la pelo menos mais 1 dia. Para quem não tem tempo, acho que mesmo assim vale a pena o passeio, eu não me arrependo. A maior parte do tempo passa-se no ónibus. Ele faz algumas paragens... a primeira ainda em território argentino para observar o lago sarmiento (acho) e ver os lamas na beira da estrada, a segunda é a paragem na hora do almoço num dos locais mais famosos com vista para as torres. Depois paramos em mais 2 miradores para tirar fotos e por ultimo fizemos uma pequena trilha até uma cascata.
  11. Olá Michele! Eu só fui um dia a Torres del Paine. Não dormi lá. Fiz o passeio a partir de El Calafate. Mas vale a pena ficar por lá! aproveita!
  12. Trajeto: Rio de Janeiro – Buenos Aires Buenos Aires – Ushuaia (4 dias) Ushuaia – El Calafate (2 dias) El Calafate – Buenos Aires Buenos Aires – Rio de Janeiro Dica: Para quem não tem ou não quer ir carregado, tanto em Ushuaia como em El Calafate há várias lojas para alugar roupa de frio, botas de trekking etc... E os preços são aceitáveis. Ushuaia – 4 dias Ficamos no Hostel Yakush, na Calle Piedrabuena. Não é o melhor hostel onde já fiquei, mas é aceitável. O Melhor: a localização, fica uma rua acima da rua principal, pode-se ir a pé para todo o lado. O dono é muito simpático e ajudou a escolher os passeios e as agências. O espaço comunitário é bom. O pior: O local está um pouco velho e a limpeza não é das melhores. 1º Dia: Chegamos de manhã. Tínhamos pedido ao Hostel um remi para fazer o translado. Pagamos 320 pesos. Aproveitamos a tarde para ir ao Glaciar Martial. Para ir até ao Glaciar não é necessário contratar nenhuma agência, pode-se ir de táxi ou remi. O Remi é uma espécie de táxi na argentina com valor fechado. Ao contrário do táxi que funciona com taxímetro. Em Ushuaia aconselharam-nos a usar o táxi para distâncias curtas e o remi para distâncias longas. Para chegar ao Glaciar Martial é fácil pedir um remi, mas para descer é mais complicado porque não há nenhum ponto de táxi lá em cima, por isso o melhor é deixar a volta já combinada. Foi o que fizemos, umas 3 ou 4 horas é o suficiente... Há ainda uma Casa de Chá, muito fofa, mas um pouco cara. Tem 2 ou 3 pratos para almoçar e uma grande variedade de chás. De noite jantamos no Almacen Ramos Generales que fica na Avenida Maipú, perto do Casino. Super aconselho! O local tem um ar antigo e tradicional, cheio de objetos antigos e interessantes. Pode-se simplesmente fazer um lanche ou comer. Tem sopas, tábuas de queijo e alguns pratos. Aproveitei para experimentar uma das 2 cervejas da patagônia, a Cape Horn e a Beagle. 2º Dia: Queríamos muito fazer o passeio até à pinguinera para ver os pinguins, mas não nos aconselharam porque corríamos o risco de não ver muitos e o passeio é bem caro. Eles só regressam por volta de outubro/novembro. Por isso, fizemos o passeio comum do Canal Beagle. Aconselho a fazerem com bom tempo. A vista é magnífica! Adorei o passeio! Fizemos pela Agência Patagonia Adventure & Explorer e pagamos 850 pesos + 20 pesos que se paga ao Porto. As agências encontram-se todas numas casinhas mesmo em frente ao porto. Por isso não é preciso reservar com antecedência basta chegar e ir direto ao porto e ver qual oferece o melhor preço. O nosso passeio durou 4h de barco, pelo caminho passa na Ilha dos Pássaros imperiais, na Ilha dos Lobos (Leões marinhos), no Farol e pára para um breve passeio na ilha Bridges para ver a paisagem, a natureza e uma breve explicação da vivencia de uma tribo. No fim do passeio aproveitamos para tirar a clássica foto junto da placa do fim do mundo que fica ao lado do porto em frente ao Museu do Fim do Mundo. De noite fomos jantar um hambúrguer maravilhoso no Restaurante Tante Sara na Avenida San Martín, a refeição ficou por volta de 207 pesos, com bebida. 3º Dia: Fizemos o passeio de 4x4 pelos Lagos. A agência Antartur apanhou-nos no hostel. Pagamos 1400 pesos por pessoa e no total éramos uns 5 a fazer o passeio. O Passeio incluía os seguintes pontos: Lago Escondido / Lago Fagnano / Almoço (churrasco) numa casa que serve de base à agência. Parece um chalet no meio da neve, comemos muito bem com vinho incluído e uma vista incrível para as montanhas nevadas. Regressamos por volta das 17h. Esse passeio convém marcar com 1 ou 2 dias de antecedência. 4º Dia: De manhã, fomos ao Parque Nacional do Fim do Mundo. Como éramos um grupo de 3 fechamos um remi em vez de contratar uma agência. Saiu mais em conta. Pagamos 400 pesos cada uma por 4h de passeio. Mais 100 pesos para entrar no Parque. Foi o passeio que achamos mais fraco. O Parque é bonito mas não achamos nada de extraordinário. Algumas trilhas ainda estavam fechadas devido ao Inverno. Apesar de já ser primavera ainda apanhamos bastante neve. A vantagem do remi é que pára onde queremos e por quanto tempo queremos. Paramos na estação de trem para ver o trem, o valor que se paga por ele não vale a pena. É muito caro e o percurso é mínimo sem nenhuma paisagem que valha muito a pena... De tarde fomos visitar o Museu do Presídio. A entrada custa 150 pesos. De noite fomos jantar ao Casino. Mesmo para quem não gosta de jogar é um local bonito de visitar. O restaurante não é caro comparado com os restaurantes lá fora e às vezes tem shows. Pagamos 170 pesos cada, com uma garrafa de vinho. Há vários outros passeios para se fazer em Ushuaia mas nada é barato por isso fizemos apenas um passeio por dia. Aconselho a quem tenha um orçamento limitado a ficar apenas 3 dias, é o suficiente. El Calafate – 2 dias 5º Dia: No 5º dia fomos para El Calafate. Chegamos a meio da tarde, por isso, só deu para dar uma voltinha na cidade e ir ao supermercado. Ficamos no Perito Moreno Hostel. Adorei o Hostel, grande com uma cozinha bem equipada. Banheiro enorme e dentro do quarto. Do Hostel até à rua principal é uma caminhada tranquila de 10 a 15 minutos. El calafate tem praticamente uma rua que interessa e onde fica tudo. Agências de turismo, lojas de artesanato, supermercado... Aconselho aos consumistas a comprar as lembranças, etc em Ushuaia, os preços em Calafate são bem mais altos. Como chegávamos já relativamente tarde, fomos com os passeios já marcados do Rio. A quem tiver tempo e dinheiro aconselho a ficar 3 dias de modo que possa fazer o Perito Moreno, Torres del Paine e El Chalten. Como os passeios são caros e só tínhamos 2 dias, fizemos apenas o Perito Moreno e Torres del Paine. 6º Dia: Tínhamos agendado o Mini-trekking ao Perito Moreno, acho que a única agência que faz este passeio é Hielo y Aventura. O passeio começou às 8h30 e terminou às 18h30. O passeio não inclui almoço, por isso, tem que se levar. Este, para mim, foi o ponto alto da Viagem. O Glaciar é simplesmente uma visão incrível!!! Pagamos 1500 pesos cada, pelo passeio com o translado do hotel. Mais 200 pesos pagos na hora pela entrada no Parque Nacional Los Glaciares. Se alguém preferir alugar carro tem a vantagem de poder ir até ao Parque Nacional Los Glaciares, às passarelas, e a Torres del paine por conta própria. O passeio inclui, passeio de barco, caminhada de 1h30 no Glaciar e visita às passarelas. O único ponto negativo foi que achei o passeio um pouco corrido... mas entendo que é um percurso longo que de outra forma terminaria de noite. Para a caminhada colocam-nos uns grampões nos pés. A caminhada é tranquila, cansa um pouco a subida mas nada demais. Vai um guia na frente a conduzir o grupo, e um na lateral para ajudar quem tiver dificuldade a subir ou a descer algo. O guia vai parando em alguns pontos estratégicos para se poder tirar fotos e no final, ainda no glaciar, servem um whisky e dão um chocolate. Depois fomos até às passarelas. Mesmo para quem esteve no Glaciar, as passarelas valem muito a pena, pois só assim se consegue ter ideia da dimensão delas. 7º Dia: Passeio a Torres del Paine, o dia todo. Saímos às 7h e regressamos 20h30, pela agência South Road. Pagamos um pouco mais caro que as outras agências, mas super valeu a pena. A Agência tem um ônibus 4x4 que permite fazer a viagem por um caminho mais curto e por isso parece que o passeio é menor... as outras agências saem por volta das 6h da manhã. O ônibus é super confortável. O almoço estava incluído. Cuidado porque não se pode entrar no Chile com alimentos como pão, queijo etc... só permitem biscoitos... A entrada do Parque Nacional Torres del Paine, não estava incluída no passeio, e custou 18.000 pesos chilenos. Você pode trocar o dinheiro na fronteira. O Parque é lindo! Super recomendo. Para quem tiver mais dias vale a pena ficar lá. Dentro do Parque há alguns hotéis e hosteis e muitas trilhas. O dia estava nublado, esperamos até à ultima que o tempo abrisse mas não tivemos sorte e das famosas torres só avistamos a base, pois o restante estava encoberto. Mesmo assim o parque é lindo e o contraste da paisagem com a cor da água é incrível. Espero que o relato vos ajude. É uma viagem fantástica! Mas aconselho a juntar dinheiro antes porque ir até lá sem poder fazer os passeios, não vela a pena.
  13. Existem voos do La paz para calama? não encontrei até agora... a viagem de Onibus é perigosa? é tranquilo andar de onibus na bolívia?
×