Ir para conteúdo

valdemar.onofre

Membros
  • Total de itens

    3
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Nobres - MT - Perguntas e Respostas

    Olá amigos, Sobre estradas, a que sai da cidade de Nobres e vai até a Vila Bom Jardim onde estão as atrações turísticas é bem ruim segundo relatos dos moradores, são 60 km de estrada de terra que se gasta muito tempo. Compensa muito mais sair de Cuiabá, seguindo pela estrada que dá acesso a cidade de Chapada dos Guimarães, depois do posto policial tem uma rotatória e vc entra á esquerda. A sinalização é quase nula, tem umas placas cobertas pelo mato mas não tem erro. A estrada segue muito boa, cuidado apenas com as pontes que só passam um carro por vez. Quando estive lá, vi que tem uns caras que fazem serviço de pegar passageiro no aeroporto, levar em nobres e fazer todos os passeios e depois te leva de volta. O motorista fica hospedado na cidade e te acompanha em tudo. Não sei de contato nem de valores, vi muitos gringos lá nessa modalidade. Se alguém souber de alguém que faz esse transporte poderia deixar o contato pro pessoal.
  2. Nobres - MT - Perguntas e Respostas

    Boa tarde colegas, Fui a Nobres recentemente, no último dia 14 deste mês, e repasso agora minha contribuição: O lugar é muito bonito mesmo, dando eu destaque para a cachoeira da Serra Azul e o Recanto Ecológico Lagoa Azul, mas todos os outros valem a pena. Segundo o guia que nos acompanhou, a fazenda onde está a cachoeira Serra Azul foi comprada pelo SESC, que está construindo uma megaestrutura, com 200 apartamentos, lago com pedalinhos, pesque-pague.... o que pode ajudar a desenvolver a região, ou atrapalhar a preservação do local pelo excesso de gente. Fui em baixa temporada, e mesmo assim achei os preços bem salgados, mas se tratando de cidade turística, acredito que seja assim mesmo, por exemplo, a cerveja 600 ml é 9 e 10 reais. Ficamos hospedado na Pousada Lagoa Azul, bem na entrada da cidade, com quartos com ar, tv, frigobar, wifi, café da manhã. Para 3 dias e 2 noites com alguns passeios e 2 almoços, pagamos R$ 380,00 por pessoa! Fora de temporada, a noite a opção de jantar re restringe a um ou 2 lugares apenas. A pousada tem um restaurante do lado, mas não abre todo dia. No primeiro dia fomos a lagoa das araras, local excelente para a contemplação de aves e fotos. Dica. levem uma boa câmera para fazer fotos. Segundo dia fomos ao recanto ecológico com flutuação, e depois no balneário estivado, um bar na beira da estrada com um rio cheio de peixes e que pode se tomar banho. Terceiro dia fomos na Cachoeira Serra Azul, saímos de lá e almoçamos novamente no recanto ecológico e viemos embora. Agora vamos as considerações: 1) Quase todos os sites de turismo anunciam "Nobres", e não Vila Bom Jardim, o que faz com que muitos viajem até Nobres, sem carro, e depois descobrem que tem que andar mais 60 km pra fazer os passeios. Tem gente que fica louco de raiva! Acho que eles deveriam avisar que os passeios mais bonitos ficam no distrito de Bom Jardim, porque Nobres tem apenas 1 ou 2 atrativos que não conheci. E o melhor trajeto com certeza é pela estrada da usina do manso, entre Cuiabá e Chapada, a entrada fica próximo a polícia rodoviária estadual, asfalto novo, mas sem nenhum recurso, estrada muito deserta. E próximo de Bom Jardim, a estrada é de mão dupla, mas nas pontes, acredito que faltou dinheiro pra fazer o outro lado das pontes, ou o gato comeu, e isso pode causar acidentes, tem que ficar esperto. Vejam uma imagem das pontes neste link: http://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?noticia=Empresario_morre_apos_colidir_caminhonete_em_ponte_na_estrada_parque_de_Nobres&id=336816 2) Alguns passeios exigem guias, outros você pode ir sozinho, e os vouchers só podem ser retirados nas agências, não permitindo que a gente compre na entrada do passeio, mas segundo eles é porque o voucher inclui seguro, guia .... 3) No dia que fomos, tinha uns 30 jornalistas hospedados na cidade, e como eles saíam muito cedo pra fazer os passeios, o café era servido a partir das 5 da manhã, e quando eu acordei com minha esposa, no café não tinha mais nada, e os funcionários sem nenhuma preocupação de repor a mesa. Perguntei se tinha café preto, e a moça me falou pra olhar se ainda tinha na garrafa. Segundo a funcionária, o dono da pousada esqueceu de avisar que tinha mais um casal, o que fez com que ela retirasse todo o café da mesa. 4) As pousadas não oferecem transporte para os passeios, e a gente vai com nosso carro mesmo, e os passeios variam de 2 km até 25 km o mais distante, e as estradas estavam boas agora, mas acredito que quem tem carro baixo pode sofrer na época de chuvas. Algumas empresas de turismo de Cuiabá levam com carro próprio desde o aeroporto, mas não sei quanto isso custa. 5) No balneário estivado os peixes são bem mansos, tem muitos macacos que comem na mão da gente. Tem umas 6 variedades de peixes fritos, mas chegamos lá 3 horas da tarde, pedimos peixe frito e a atendente falou que tinha mas estava congelado. Eu sei muito bem que peixe congelado na gordura quente frita, mas percebi e outros turistas também tiveram a mesma impressão, de que o pessoal do balneário já está meio cansado, e dependendo da hora eles começam a fazer corpo mole pra atender. 6) Não vi nenhum lugar para camping, mas não posso afirmar que não tenha. Deixo aqui o nome de dois guias que nos acompanharam, que são muito bons, atenciosos e conhecidos em toda a vila, o Sideny, e o outro conheci apenas pelo apelido de bugio. o Sideny falou que quando a gente voltasse era pra procurar ele que poderíamos acampar no quintal da casa dele e a mulher dele iria fazer a comida pra gente, e o custo seria bem acessível. Ele conhece muito bem tudo, tem os contatos e faz todo o acompanhamento dos turistas. Agora achei grande sacanagem com ele o preço que as agências pagam por turista em qualquer época do ano. R$ 5,00 por pessoa. Gente, ele acompanhou eu e minha esposa das 9 da manhã até as 14:00 da tarde na maior atenção e cuidado, ou seja, um dia inteiro pra receber apenas 10 reais. Eu acho que a escravidão já acabou né. No geral, gostei muito do passeio, os atrativos são muito bonitos, bem cuidados, preservados e com limites diários de visitantes. A região começa a se desenvolver agora, mas tem tudo pra crescer, depende dos empresários remunerarem e treinarem os funcionários, pois as pousadas e agências funcionam graças a esse povo que trabalha e reside lá. Visitem, procurem o Sideny, conhecido também como Sidão, e curtam as belezas de Bom Jardim que vale a pena.
×