Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

felipe.araujo

Colaboradores
  • Total de itens

    56
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

3 Neutra

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Argentina , Uruguai, Peru, Paraguai, Chile , PE, BA , CE , ES , RJ , GO , BSB , SP , PR..
  • Próximo Destino
    Mochilão na Europa, México, Cuba, Jalapão e Fernando de Noronha...
  • Meus Relatos de viagem
    Peru : Cusco e Machu Picchu
    https://www.mochileiros.com/topic/39631-peru-lima-escala-cusco-machu-picchu-e-puno-com-planilha-de-custo/

    Buenos Aires , Montevidéo , Colonia e Punta del Leste
    https://www.mochileiros.com/topic/53428-buenos-aires-col%C3%B4nia-montevid%C3%A9o-e-punta-del-leste-agosto2016/

    Bahia:Chapada Diamantina
    https://www.mochileiros.com/topic/66582-chapada-diamantina-7-dias-por-toda-chapada/
  • Ocupação
    Eng. Civil
  • Meu Blog

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Olá mochileiros! Segue relato da minha viagem de sete dias pela Chapada Diamantina : Capão , Lençóis , Andaraí , Igatu , Mucugê e Ibicoara. Mas Felipe, vi que tem vários lugares que as pessoas vão que você não foi, pq? Na minha opinião, estes são os melhores pontos para conhecer a Chapada, para quem não conhece nada ainda acrescentaria apenas o Morro do Pai Inácio, não recomendaria por exemplo Gruta da Lapa Doce e Poço Encantado, mas vai do que você pretende com a viagem. Dia 01 - Chegando ao Capão Para quem vem de carro de Salvador a melhor opção é pegar a BR-324 até Feira de Santana, de lá segue-se pela BA-052 até a Cidade de Ipirá. Chegando em Ipirá pega-se a BA-233 em direção a Itaberaba, pegando-se então a BA-242 até a Chapada. Para chegar no Capão é preciso passar pela cidade de Palmeiras e então pegar uma estradinha de chão, a estrada é tranquila para chegar. (estrada Palmeiras x Capão) (rua principal do capão) Dica: No trajeto para Palmeiras , você passa por duas atrações que são o Rio Mucugezinho/Poço do Diabo e Morro do pai Inácio. Caso saiam bem cedinho dá tempo conhecer já uma dessas atrações. Como já conhecia, passei direto para o Capão, deixei as coisas no hotel (fiquei hospedado no Savi Hotel, recomendo) e parti para almoçar e fazer alguma trilha. Tudo no capão é muito simples e tranquilo, esqueça celular (lá não funciona), televisão dificilmente se vê, e se jogue no clima da cidade. O clima de esoterismo, paz e tranquilidade ainda está presente na comunidade e a cada dia gente do mundo todo vem para o capão em busca de de autoconhecimento. Após o almoço fui conhecer as Cachoeiras da Angélica e Purificação, a trilha leva em torno de uma hora de caminhada, é uma trilha de esforço moderado. O acesso se dá através do povoado do Bomba (do dentro da Vila até lá é um pouco distante,cerca de 8 km, muita gente vai a pé, mas se tiver de carro recomendo ir até lá). Ao final da trilha, pra recuperar as energias, não deixe de provar o tradicional Pastel de Jaca (iguaria do Capão) com caldo de cana. A noite no capão, há inúmeras opções pra comer e tomar uma gelada. Quase todos se localizam ao redor da pracinha principal, lá vai ter aluns barzinhos que rola som ao vivo e muita opção de comida. No primeiro dia conheci a famosa Pizzaria Capão Grande, não deixe de ir, só há duas opções de pizza: a doce e a salgada. Mas não se engane , será uma das melhores pizzas que você já comeu. Depois fui tomar um chop e uns licores num PUB chamado A Taverna , o chopp é de uma cervejaria dos proprios donos chamada Cavalo do Cão, há também uns licores maravilhosos e musica de primeira qualidade. Dia 02 : Cachoeira da Fumaça Dia de acordar cedo, afinal a cachoeira da fumaça é um destino super procurado e não compensa (pelo menos em épocas de grande movimento) deixar para subir tarde pois inúmeros grupos chegam e acaba não dando para curtir o passeio, etão chegue logo cedo. Não é obrigatório pagar nenhuma taxa, apenas deixar o nome na lista avisando que subiu, caso queira pode contratar lá mesmo algum guia e subir, caso não conheça o caminho recomendo muito ir com um guia. São duas horas de caminhada, uma hora de subida que recomendo subir devagar pois cansa e outra hora de caminhada na parte plana, que não é cansativa. Como não tem vegetação, abuse do filtro solar e leve água e algum lanche. O ponto onde todos vão não cachoeira não é o melhor para vê-la, há um caminho que você fica de frente para ela (por isso recomendo o Guia). São 400 metros de queda , com o vento forte, a água quase não chega ao solo, pois é empurrada de volta, criando essa cortina de fumaça que dá nome a cachoeira, do alto se tem visão do enorme vale formado, uma vista deslumbrante. Na volta , almocei num restaurante chamado Pico do Açaí, comida boa e super barata e o importante: tem Wi-Fi de qualidade, rs. Dica: é possível ainda, dependendo do horário que volte e da sua disposição ir para o Riachinho, pegar o por do sol. A noite, fui para um barzinho ao redor da praça chamado 400iVinte, gostei bastante. Antes , como bom viciado em pizza que sou comi uma pizza que abriu ali de frente a praça (ao lado do Taverna) , custa apenas 3 reais a fatia, e estava maravilhosa. Outra indicação para comer é o Cachorro-Quente vegano, não torça o nariz, simplesmente experimente, é maravilhoso. Chama-se Guepa's Dog, baratinho, vá lá! Dia 03: Pratinha , Poço Azul e Lençóis Acordei cedo, tomei café e saí em direção a Iraquaara. São 36 quilometros de Palmeiras até a Gruta da Pratinha. Como fica numa propriedade particular, tudo acaba sendo pago. Logo na entrada, o visitante paga a taxa de 30 reais isso dá direito a aproveitar o dia na fazenda, mas caso queira fazer a flutuação na gruta ( que para mim é um dos pontos fortes da viagem) é cobrado o valor de 40 reais, isso inclui o equipamento e o guia. Concordo que sai um pouco caro, mas não deixe de fazer, não tem como descrever o mergulho na pratinha, dura em torno de 30 minutos e é super tranquilo até para quem não sabe nadar. Após o mergulho, você pode atravessar para a outra margem e tomar banho a vontade, há estrutura de barzinhos pra tomar uma gelada e refrescar. Há também , logo próximo a entrada um restaurante self-service, então a dica é : almoce nele e desça para o outro lado para tomar banho. Por volta das 12:30 as 14:00, é o horário em que os rais de sol refletem na Gruta Azul, esse é o horário indicado para visitar. (gruta da pratinha, onde inicia o mergulho) (banho na outra margem) Após a visita a Gruta Azul (neste não é possível mergulhar) foi hora de ir para Lençóis, há uma estrada de chão bem cuidada (os produtores da região que cuidam para escoar seus produtos) até a BA-242, de lá é só seguir para Lençóis. Chegando em Lançóis , hora de fechar os passeios, recomendo muito o guia Estevão Machado, super educado, adora tirar foto dos clientes além de fazer o possível para enturmar todos (IG :@estevaomachado) A noite, parada oficial na pizza que considero a melhor de todas: Pizzaria do Marcos, conhecida como Pizza da Gente, é uma casinha amarela ao lado do bar do reggae. E depois a parada 02 para uma cervejinha no Lampião. (pizzaria Pizza da Gente) (isca de Salmão do O Lampião) Dia 04: Lençóis Como já conhecia algumas atrações, tirei o dia para ficar em Lençóis mesmo, descansar durante a manhã , mas caso não conheça ainda pode-se encaixar o Morro do Pai Inácio , Poço do Diabo ou Cachoeira do Mosquito. A tarde curti o Rio Serrano, fica apenas alguns minutos do centro de Lençóis super fácil de chegar, ótimo para tomar banho tem vários poços espalhados pelo leito do rio. Dica: Pode-se fazer no mesmo passeio o Serrano , Salões de Areia, Poço Halley , Cachoeirinha e Cachoeira da Primavera Dia 04: Cachoeira do Sossego e Ribeirão do Meio Dia de acordar cedo para encarar a trilha para a cachoeira do sossego, são 16km de caminhada, seis horas no total e o que posso dizer: compensa! Na chapada, acabamos aprendendo que o destino não é o importante, são seis horas apreciando o caminho. Pelo fato de ter chovido muito, a trilha ficou bastante complicada, pois boa parte dela é feita caminhando sobre o leito do rio, vários grupos desistiram mas meu grupo conseguiu concluir. No retorno, os guias sempre param no Ribeirão do Meio O que posso dizer: É cansativa? Com certeza, mas compensa! ( a chegada no Sossego) (Ribeirão do meio, tobogã natural) Dia 05: Poço Azul, Andaraí , Igatu e Mucugê Dia de acordar cedo e cair na na estrada, são 98 km de Lençóis até o Poço Encantado, mas considerando que já estava indo para Mucugê, estaria então no caminho. Praticamente não ha trilha para se fazer, apenas descer algumas escada, pois estaciona o carro muito próximo. É preciso pagar uma taxa de R$ 30,00 na portaria, isso dá direito a flutuação, são de 20 a 30 minutos, a água é cristalina, uma experiência incrível. Após a flutuação, parti rumo a cidade Andaraí, almocei e fui conhecer a cidadezinha de Igatu. No tempo áureo da mineração, Igatu (antiga Xique Xique do Igatu) era uma das maiores cidades, com cerca de dez mil habitantes e foi grande produtora de diamante e carbonato. Hoje apenas algumas famílias vivem lá, dando um ar de cidade fantasma. (estrada que liga Andaraí a Igatu, parte dela foi construída por garimpeiros para pagar promessas) Ao lado da Igrejinha existe um cemitério bizantino, logo mais descendo a rua tem um lugar maravilhoso para tomar um café/sorvete que se chama Galeria Arte e Memória, mantido pelo artista Marcos Zacaríades, não deixem de conhecer. Saí da galeria e fui conhecer uma mina abandonada, lá o Seu Gerson nos recebeu e mostrou o que entre os anos de 1700 até 1930 foi um garimpo clandestino mantido pelos coronéis, que usavam escravos e até mesmo escravizavam colonos europeus que eram enganados com falsas promessas de emprego. Foi uma experiencia boa, pois estava na chapada diamantina, queria conhecer um pouco a historia do garimpo, o passeio inclui a entrada na antiga gruta. Dica: Para quem quer pernoitar em Igatu, recomendo a pousada flor de Açucena. Para encerrar, a pedida é o por do sol na toca do Morcego (fica na cabeceira da ponte sobre o rio Paraguassu, o que você passa indo de Andaraí para Igatu)é possivel ter acesso até o leito do rio também. Enfim , hora de ir rumo a Mucugê ( fiquei hospedado no Hotel Mucugê, recomendo).E mais uma vez o que jantei? Pizza! Mas falando sério, lá sai uma pizza maravilhosa na Pizzaria da Garagem. (alguns pertences dos garimperos ainda guardados) (todo material foi retirado no garimpo, estima-se que cerca de 600 escravos trabalhavam retirando diamante e carbonato) Dia 06 : Cachoeira do Buracão Para mim, sem sombra de dúvidas a melhor coisa que fiz na viagem, é a mais imponente de todas 85 metros de queda, um cânion para ter acesso, a trilha é uma trilha leve (uma hora de caminhada), várias cachoeiras no cmainho e sinceramente depois de visitar o Buracão, todas as outras cachoeiras perdem a graça. Para a visita, é obrigatório Guia. Em geral vão cobrar na faixa de 120 a 150 para duas pessoas. Recomendo o Guia Clayton, ele mora próximo você pode encontrá-lo lá ou pedir para ele encontrar com você na cidade de ibicoara. O caminho até o Buracão é por estrada de chão, são 30km da cidade de Ibicoara até lá (cuidado que há uma bifurcação com placa "Cachoeiras", vá na outra direção. Na entrada, paga-se uma taxa de R$ 6,00 por pessoa na portaria. Lá não vende nada, então leve água, os guias oferecem também lanche (20 reais a mais) , e o Clayton se quiser prepara um almoço em casa. Como fui bastante cedo, voltei a tempo de almoçar em Mucugê, no restaurante da Dona Nena, comida caseira maravilhosa, para mim, a melhor opção de almoço em Mucugê. (acesso se dá pelo cânion, mas pode-se também ir por cima) Dia 07: Hora de voltar pra casa! Hora de acordar cedo , lutar contra a vontade de ficar e cair na estrada. Foi cansativo? Foi , as trilhas cansam bastante, a estrada cansa também, mas sem dúvidas é um dos lugares mais lindos que se pode conhecer, as fotos enganam bastante , lá é muito, mas muito melhor do que se pode imaginar. Galera, qualquer dúvida, pode entrar em contato, mandar mensagem, sempre um prazer colaborar para o mochileiros..
  2. Daiana, fui de passagem econômica, achei super tranquilo, de Guarulhos a Lima, foram 5 horas de viagem. Não houve cobrança dessa taxa do aeroporto não (pelo menos não recordo, rs) .
  3. felipe.araujo

    Dúvidas de primeiro mochilão para o Peru

    http://www.mochileiros.com/peru-lima-escala-cusco-machu-picchu-e-puno-com-planilha-de-custo-t119612.html Tem falando algumas coisas, principalmente a questão de custo que vai variar bastante a depender do que voce vá fazer lá. Cartões são aceitos em quase todos os lugares, há como sacar dinheiro com seu cartão lá também (o meu era visa ) , sempre lembra de habilitar o uso no exterior antes de sair do brasil. MP comprei lá mesmo, dá uma lida no relato qualquer duvida é só perguntar la no tópico que vou respondendo!
  4. felipe.araujo

    Fernando de Noronha, para mãos de vaca...rsrs!!!!

    estarei indo antes, atualizo o que puder pra vocês. Olá, Felipe, vc estará indo em que datas? Eu irei de 15 a 19/04 e estou procurando companhias. Estarei indo no início de maio, quem for estar por lá avisa!
  5. felipe.araujo

    Morro de São Paulo

    Maria, não me recordo de já ter visto esta opção ... Acho que não é tão demorado assim de ônibus, mas caso o trasnfer saia em um preço acessível, ótimo. Mas dá uma ligada nas agencias lá da rodoviária de Itacaré, eles devem saber o tempo que é de ônibus até Valença.
  6. felipe.araujo

    Mochilao Bolívia Chile e Peru

    Wellington, voce vai achar muita dicas no tópico, relatos de viagem: viagem-por-2-ou-mais-paises-da-america-do-sul-relatos-de-viagem-f739.html Segue um relato no modelo que você quer: mochilao-bolivia-chile-peru-25-dias-sozinha-com-960-dolares-passagens-t142121.html
  7. felipe.araujo

    Informações sobre CHUVA NO PERU

    O máximo que pode acontecer é fecharem a linha para MP. Mas mesmo assim há muita coisa para se ver,. http://oglobo.globo.com/boa-viagem/circuito-turistico-do-sul-no-peru-nao-foi-afetado-pelas-chuvas-funciona-normalmente-21093282 Pensamento positivo! vai dar tudo certo em sua viagem.
  8. felipe.araujo

    Morro de São Paulo

    Maria, esta é a opção que existe, rs. Não é tão demorado assim, as linhas que saem de Itacaré e vão até valença são a Viação Aguia Branca e a Santana, de carro não chega nem a três horas de viagem, de onibus deve ser um pouco mais.
  9. felipe.araujo

    Morro de São Paulo

    Itacaré e trancoso ficam distantes. Moro em Ilhéus, e sempre que posso estou em Itacaré, recomendo muito! Minha dica para seu roteiro é: Itacaré, Barra Grande ( e taipú de fora) e Morro de São Paulo. Chegando por Ilhéus. Caso chegue por salvador dá para ir a morro direto via barco. A não ser que voce tenha tempo , ai sim dá para encaixar trancoso.
  10. felipe.araujo

    INTERCÂMBIO CIDADE DO CABO EM AGOSTO

    Oi Gabriela, tenho uma grande amiga que está em cape town , posso passar suas dúvidas para ela, ou por vocês duas em contato pra que ela possa ir te ajudando, ela também está la fazendo intercambio, deve voltar em julho. (só de ver as fotos já estou apaixonado pelo lugar, certamente você vai gostar)
  11. felipe.araujo

    Termos de Aceitação & Compromisso dos Colaboradores

    Como não aceitar com esse forum que tanto amo! Sim aceito!!!
  12. felipe.araujo

    Fernando de Noronha, para mãos de vaca...rsrs!!!!

    estarei indo antes, atualizo o que puder pra vocês.
  13. Salve companheiros do Mochileiros.com, faço um relato de viagem com meu roteiro de Férias dos dias 20 a 24 de agosto pela Argentina e Uruguai incluindo Buenos Aires, Colônia del Sacramento, Montevideo e Punta del Leste. Coloquei também algumas dicas que fui pegando pela internet, nos fóruns e diversos sites, espero que possa ajudar no roteiro de vocês, grande abraço! E caso tenham qualquer dúvida podem entrar em contato. 1. Observações pré-viagem: 1.1. A chegada – e como conseguir pesos: Os dois aeroportos contam com agências do Banco de la Nación Argentina (se for perguntar, pergunte por "Banco Nación"). O Banco Nación de Ezeiza funciona 24 horas por dia, 365 dias por ano e fica no saguão fora da área de desembarque (um pouco escondido) as agências dentro da área de desembarque tem uma cotação ruim. O Banco Nación do Aeroparque abre diariamente das 6h à meia-noite. Com a liberação do câmbio, não é mais preciso recorrer ao câmbio paralelo. O Banco Nación oferece cotações bastante razoáveis para os seus reais (confira no site do banco). É possível conseguir taxas ligeiramente melhores nas corretoras de câmbio da calle Sarmiento, no Centro (como Multifinanzas, no nº 448, ou Alpe, no nº 480), mas só funcionam em dias de semana, no horário bancário (11h-16h). Se eu fosse você, já resolvia a parada no aeroporto (mas atenção: as agências do Banco Nación ficam fora da área de desembarque. As casas de câmbio junto às esteiras de bagagem oferecem cotações ruins). Não troque todos os seus reais por pesos de uma vez! Faça o câmbio à medida que houver necessidade. No centro de Buenos Aires, foi bem recomendado o Banco Meridien, que fica na esquina de Calle Florida com Perón e tem ótimas cotações. Há também casas de câmbio na Feira de San Telmo Para fazer o câmbio são necessários o passaporte ou carteira de identidade e documento carimbado pelo setor de imigração argentino. Se você vai viajar para fora de Buenos Aires e quer viajar com dinheiro vivo, leve dólares. A cotação do real piora fora da capital. Já dá para usar cartão de crédito novamente, agora que o câmbio oficial não está artificialmente valorizado. A cotação é boa, mas há a incidência de 6,38% de IOF. Saques em caixa automático poderiam ser uma boa maneira de conseguir pesos para o dia a dia, mas como o limite por saque é baixo, as tarifas de uso do equipamento acabam pesando mais do que deveriam. No momento de ir para Colônia, não esqueçam do passaporte, ou da identidade e do papel que recebeu da imigração (se tiver usado a identidade para entrar no país). Em Montevidéu pode valer a pena pagar restaurantes com cartão de crédito. Pela atual lei de benefícios aos turistas estrangeiros, pagamentos de restaurante com cartão de crédito estrangeiro têm direito a um reembolso de 18,5% do IVA. A lei foi recentemente renovada e tem validade até 21 de abril de 2017. 1.2. Onde Ficar: Argentina: A melhor localização para quem ainda não conhece Buenos Aires varia bastante de acordo com seu roteiro, em muitos sites recomendam o bairro da Recoleta: central (e por isso bem localizado para fazer os passeios), elegante e charmoso, sinceramente não gostei, pois, quase todos os passeios são pelo centro (Casa Rosada, Obelisco, Porto Madero, Feira de San Telo, Calle Flórida). Optei por ficar no centro no Hotel Reino del Plata, localização ótima, acordei e fui andando para Feira de San Telmo, ia andando para Porto Madero, para a Calle Flórida, Galerias Pacífico e não me arrependo. Li muito que o centro não é legal, mas a localização deste hotel é muito boa, também próximo à estação de metrô. Mas caso opte por se hospedar na Recoleta, para se basear onde achar seu hotel na Recoleta leve em consideração a proximidade com o cemitério (o Dazler e Cyan são boas opções e podem servir como referência de localização). Quem vai a Buenos Aires com ênfase em gastronomia e compras descoladas, no entanto, deve considerar ficar em Palermo Soho ou Palermo Hollywood. Tanto que no retorno do Uruguai, me hospedei lá pois já tinha conhecido todo o centro, foi um apart Hotel e que recomendo bastante, Byblos Palermo Soho. Uruguai: Como em outros destinos turísticos, a escolha de um hotel e de uma região onde se hospedar é um tema que precisa ser pensado com carinho. Nem sempre será possível definir "o melhor lugar" para ficar, e esse é o caso de Montevidéu. Ao planejar uma viagem para a cidade é preciso analisar, basicamente, duas áreas de hospedagem, que são os principais polos hoteleiros: o centro e a orla. O centro é uma área cheia de comércio e escritórios, com hotéis mais baratos, além de ser também a casa dos principais pontos turísticos da cidade. É perfeito para quem viaja a trabalho, mas deixa um pouco a desejar durante a noite, já que o comércio fica fechado e as ruas, mais vazias. Optando por uma hospedagem nessa zona, dê preferência a hotéis nas proximidades do Teatro Solís e da Praça Independência. A orla, que tem como principais bairros Punta Carretas e Pocitos, é uma área mais residencial e arrumadinha, com bons bares e restaurantes, ótima para ter fácil acesso ao belo visual da Rambla. Em Punta Carretas, a melhor área para ficar é nos arredores do shopping homônimo, devido à boa estrutura da região. Já em Pocitos, excelente bairro para curtir a noite, há ótimos hotéis próximos da orla e de lojinhas do comércio local. Os pontos turísticos mais famosos não ficam em Punta Carretas ou Pocitos, por isso será inevitável ir ao centro algumas vezes, fato que não merece preocupação, uma vez que as corridas de táxi em Montevidéu são baratas. A orla da capital é charmosa; portanto, uma região que recomendamos muito para ficar! Optei por ficar no Regency Golf, hotel muito bem localizado, a poucos metros do Shopping Punta Carretas, então facilitava bastante para comer alguma coisa rápida, e muito bom para compras devido a cotação do Peso Uruguaio. 1.3. Onde comer: Buenos Aires: já cheguei em Buenos Aires com várias indicações de restaurantes e cafés, todas encontradas nos sites Viaje na Viagem e Guia Óleo, um excelente guia de restaurantes que fornece endereços, fotos e avaliações dos locais. No bairro da Recoleta, recomendo o Lola Restaurante, o Café La Biela, o Sottovoce, o Rodi Bar, o Restó e o Nectarine. Na região de Palermo, o ótimo Lelé de Troya, além do Cluny, o Olsen e o Bar Uriarte. Em Belgrano, bairro próximo a Palermo, recomendo o Sucre. Para um happy hour, foram recomendados o Gran Bar Danzón. Para deliciosas empanadas, o El Sanjuanino. Para um café histórico, o Café Tortoni. Mesmo que esteja fazendo um frio polar, não vá embora sem provar um sorvete de dulce de leche do Freddo, que tem várias lojas espalhadas por Buenos Aires. E por último, mas não menos importante, experimente os famosos alfajores, o Havana apesar de ser o mais famoso não é o melhor, recomendo o Cachafaz e o Recoleta ( este tem um preço ótimo). Minha recomendação em Buenos Aires é a Pizza do San Paolo, o hambúrguer do The Buerguer Joint (local bastante descolado e super lotado de argentinos). Gostei bastante do La Choza, principalmente porque ficava próximo ao local em que estava em Palermo. Na verdade, a cidade tem uma infinidade de bons restaurantes e variedade e gastronomia, então vale sempre uma consulta ao TRIP ADIVISOR. No Uruguai: Meu restaurante favorito em Montevideo foi o La Pulperia, típica parilla, restaurante muito frequentado pelos próprios uruguaios e com um preço acessível. Jantei uma noite no Da Pentella, que me agradou bastante. 1.4. Compras: Os locais de compra mais recomendados são a famosa Calle Florida (para roupas de couro, artigos eletrônicos e as tradicionais lembrançinhas), o bairro de Palermo (roupas de grifes internacionais e outlets de marcas famosas, mas os preços não compensam tanto) e os tradicionais shopping centers (recomendo o Patio Bullrich e o Alto Palermo Shopping). Há varias lojas de instrumentos musicais na Calle Talcahuano. Já no Uruguai a situação para comprar é melhor, acabei comprando algumas roupas lá devido a boa cotação do dólar e aos descontos que eles dão para quem compra no cartão. 1.5. Eletricidade: Na Argentina a eletricidade utilizada é de 220 volts. As tomadas são diferentes das existentes no Brasil, a maioria posui dois orifícios achatados e dispostos diagonalmente. É necessário utilizar um adaptador, que pode ser encontrado no free-shop ou em sites de comércio eletrônico. 1.6. Cortes de carne: Argentina possui uma das melhores carnes do mundo, todo turista que vai para Buenos Aires, já chega ao país com a premissa de conhecer as diversas Parrillas (churrascarias) espalhadas pela cidade portenã, porém o principal problema enfrentando é entender os nomes dos diferentes tipos de corte da carne bovina, essa tabelinha ajuda a entender: Os argentinos gostam da carne sangrando, ou seja, você pode se assustar ao ver uma carne vermelha e quase crua mesmo tendo pedido ao ponto. Então, lembre-se, se deseja uma carne bem malpassada, peça jugosa. Se quer ao ponto, porém ainda um pouco vermelha, peça al punto. Agora se quer a carne mais ao estilo brasileiro, no caso deles bem passada, peça cocida. • Dia 01 (20/08/2016) - Sábado - Saída do Rio as 17:30 h com chegada em Buenos Aires as 20:30 - Como já estava super cansado acabei comendo pelo aeroporto mesmo, cheguei no hotel e dormir cedo pois queria aproveitar a feirinha de San Telmo no domingo. • Dia 02 (21/08/2016) - Domingo Manhã: Por volta das 9h fui direto para o Caminito, parando rapidinho para conhecer o Estádio la Bombonera. Nesse horário o local estava tranquilo e com poucos turistas, mas mesmo assim é importante ficar atento com bolsas e câmeras. Por volta das 10h, 10h30 começarão a chegar as excursões, então é hora de pegar um táxi para a Feira de San Telmo. A Feira de San Telmo foi uma das atrações que mais gostei em toda viagem, lá você encontra de tudo, a dica é pegar um taxi até a praça principal onde acontece a Feirinha (próximo ao café Dorrego e Satrbucks) e ir andando sendido casa rosada, a feira acaba quase já chegando na Plaza de Mayo, então você já estará bem próximo a Porto Madero ou Casa Rosada. Almoço: Li muitas recomendações sobre ir Faena e comer no El Mercado, achei muito caro, muito caro mesmo e acebei achando ali próximo, no cais um restaurante chamado La Dorita (acebei voltando lá algumas vezes), comida muito boa e o preço ótimo. Tarde: Passeio pelo Puerto Madero para ver o fim de tarde, o clima é super legal, muitos moradores locais passeando, fazendo caminhada, crianças brincando. - Feira de San Telmo -- e se já tiver ido, há pitoresca Feria de Mataderos, na periferia, que reúne os "gauchos" argentinos. -Outra feirinha muito interessante, essa eu fui e gostei acontece em Palermo (plazoleta Julio Cortazar) - Outra opção para domingo é o passeio ao Tigre -- que pode envolver a ida pelo Tren de la Costa, um passeio de barco pelo Delta do Tigre ou uma visitinha ao Parque de la Costa. - Atenção: Visita guiada a Casa Rosada, só acontece aos domingos. - Show de Tango • Dia 03 (22/08/2016) – Segunda - Manhã: Na segunda pela manhã o roteiro foi a visita aos Bosques de Palermo, iniciei pelo Jardim Japonês, um parque típico do Japão com lagos, cachoeiras, espécies e um pouco da arquitetura japonesa. Após o Jardim Japonês, logo ao lado encontra-se o Rosedal (Paseo del Rosedal), você vai caminhando rapidinho de um ao outro. (Infelizmente não conheci muita coisa pois não estava em funcionamento na segunda). -Tarde: De lá fui conhecer as Outlets de Palermo, e sinceramente não recomendo a ninguém, os preços não compensam. Então vamos a próxima parada: Recoleta. Peguei um taxi para o Recoleta Mall (Shopping), almocei rapidinho e o shopping fica em frente ao cemitério, então fui conhecer, sinceramente com tantas coisas boas para se fazer em Buenos aires, não entendo como um dos roteiros mais clássicos seja conhecer um cemitério, é muito bonito, mas gente, é um cemitério. Saindo do cemitério da Recoleta fui caminhando (1km) até um outro ponto bastante conhecido Floralis Genérica (aquela flor enorme de metal que certamente vocês veem em toda foto de turista). Uma observação importante: a localização no Google está errada, ela fica logo ao lado da Faculdade de Direito e de frente ao Museu Nacional de Belas Artes (MALBA), que também merece uma visita. Dicas fora do roteiro: Caso esteja com tempo também pode conhecer o Buenos Aires Design (shopping de decoração), (V) Igreja do Pilar e dê uma escapadinha para ver a magnífica livraria El Ateneo, que funciona num antigo teatro na av. Santa Fé, 1860, entre Riobamba e Callao); • Dia 03 (23/08/2016) – Terça Manhã: Como já tinha conhecido tudo que tinha posto no meu roteiro na segunda ( tinha programado a Recoleta para terça mas deu tempo tudo na segunda), tirei a manhã para descansar. Almoço: Mais uma vez fui almoçar no La Dorita, o preço é muito em conta , a localização é excelente, a comida muito boa ( as porções são enormes). Pra chegar é super fácil , logo ao chegar a Porto madero atravessando a ponte Azucena Villaflor, fica a sua direita ( ao lado do Lobo Café). Tarde: A tarde aproveitei para sair andando conhecendo mais coisas, comprar umas coisas na Calle Florida, apesar da Calle Florida ser a mais rua mais conhecida, onde fica a Galeria pacífico, Livraria El Ateneo, há varias outras ruas paralelas e transversais que são bem movimentadas e com muitas lojas. Logo após fui ao obelisco, de lá caminhei até o Teatro Cólon ( ali perto está a Corte Suprema de Justiça um prédio muito bonito). Ao final da tarde fui ao obelisco conhecer, de lá já ao final da tarde fui a Torre Monumental, o pôr do sol lá é muito bonito, muita gente sentada no gramado da Plaza San Martin. Noite: A noite, comi uma pizza maravilhosa na San Paolo Pizzaria ( típica pizzaria napolitana, até os tomates são trazidos de Nápoles) recomendo muito. • Dia 04 (24/08/2018) - Quarta - Colônia - Basicamente há três operadoras (BuqueBus, Colonia Express e Seacat), tive dificuldades de comprar as passagens pela Seacat devido a não aceitaram cartão de crédito estrangeiro, então acabei comprando pela BuqueBus. Câmbio para o dia na estação mesmo – procurar o BIT, que é onde há mapas para explorar a cidade. Há outras atrações por lá, Colônia é lugar para andar, caminhar, explorar cada cantinho. Muita gente aluga carrinhos de golf ou scooters. Acho que deve valer, se você quiser ir para mais longe. Optei por ficar no centrinho histórico mesmo, e só a pé. Exploramos o que puder, primeiro lugar que recomendo ir é subir o Farol. Melhor ir logo cedo, antes que cheguem as excursões e façam fila. Belo visual geral, ainda que o tempo estivesse nublado. Com o passar do dia, o tempo foi abrindo até ficar com céu azul. As principais atrações em Colônia são o (I) Bairro Histórico, (II) a Basílica do Santíssimo Sacramento, (III) o Farol, (IV) alguns pequenos Museus espalhados e a (V) Calle de los Suspiros. Não recomendo muito o centro de artesanato, não achei nada interessante por lá. Almoço: Por volta das 13h30, restaurante La Bohemia - Ida para Montevidéu A ida para Montevidéu é feita pela COT, há muitos horários durante todo o dia, e a compra pode ser feita pela internet. Um bom horário para pegar é por volta das 15:00 horas, pois dá tempo conhecer colônia com calma e retornar tranquilo para rodoviária. Noche de la Nostalgia!!! A noite mais animada do ano no Uruguai, não poderia perder, dia 24 de agosto. Todo o país revive os anos de ouro: na vitrola só sucesso antigo e na balada jovens e não tão jovens dançando felizes, em uma noite especial e de muita diversão, e não estranhe, as festas geralmente começam a partir das 2h da manhã. Há vários bailes que vendem ingressos antecipados, ou pode chegar lá e procurar algum lugar para ir , acabei indo ao Gallagher's Irish Pube paguei cerda de 1000 pesos uruguaios por tudo livre (wisk Black Label, Jack Daniels, variedade de cerveja, compensou muito). • Dia 05 (25/08/2016) – Quinta - City Tour Seguindo as dicas do pessoal do 360meridianos, nenhum lugar é melhor que a Avenida 18 de Júlio para iniciar o tour, a principal da cidade e batizada assim por conta da data de promulgação da 1ª Constituição do Uruguai, que nasceu no dia 18 de Júlio de 1830. Caminhe pela avenida observando o dia a dia dos uruguaios. No meio do caminho você vai encontrar praças e monumentos. Nessa avenida fica ainda a Prefeitura de Montevidéu, um prédio sem nada de especial, não fosse o mirante do terraço. Obs: Para quem vai estar lá aos domingos não deixem de conhecer a feira Tristán Narvaja. A feira ocorre todos os domingos. Para achá-la, basta procurar pelo cruzamento da 18 de Julho com a rua Tristán Narvaja. Para quem gosta de apreciar a arquitetura vale a pena conhecer Palácio Salvo, um prédio marcante da arquitetura uruguaia e que está pertinho da Plaza de la Independencia, que fica numa das pontas da avenida. Já que você está em frente à Plaza de la Independencia, atravesse a rua e vá até lá. Essa praça foi projetada após o crescimento da cidade, por isso está estrategicamente localizada entre a Cidade Velha e o Centro (que é onde fica a Avenida 18 de Julho). No centro da Praça está uma estátua de José Gervasio Artigas, herói nacional. Os restos mortais de Artigas estão num Mausoléu que fica embaixo da Praça (e pode ser acessado por escadas laterais). Ainda na Praça estão a Puerta de la Ciudadela, única parte da muralha que um dia cercou Montevidéu que ainda continua de pé. Ali perto está Palácio Estévez (antiga sede da Presidência do Uruguai) e na Torre Executiva (a sede atual). O Teatro Solís também fica ali pertinho, já na área da Cidade Velha (há visitas guiadas ao local). Atravessou a Porta? Então você está na Cidade Velha. Se for um dia de semana, espere encontrar ruas movimentadas, aquela muvuca típica do centrão de uma capital. Mas aos fins de semana acontece o contrário – as ruas ficam desertas. O coração da cidade Velha é a Plaza Constitución, onde fica a Catedral Metropolitana, erguida em 1790. Essa praça era a principal da Montevidéu colonial, uma espécie de Plaza Mayor. O nome atual é outra referência à Constituição do Uruguai, que foi promulgada ali, no tal dia 18 de Julho. Deste ponto você tem duas opções: seguir para as Ramblas, que ficam de frente para o mar (ou melhor, para o Rio da Prata, mas é tanta água que podemos chamar de mar mesmo). A opção número dois é fazer o percurso no sentido contrário e descer para o porto de Montevidéu. Corra para o Mercado del Puerto, que tem vários restaurantes com as famosas carnes uruguaias ( quem quiser ler mais: http://www.360meridianos.com/2014/11/o-que-fazer-em-montevideu-uruguai.html#ixzz47TSDEQzO) Tenha em mente que a melhor refeição e passeio que você irá fazer em Montevidéu é conhecer e comer no Mercado Del Puerto, edifício de 1868 é hoje um pólo gastronômico de primeira, no qual a parrilla (fogão onde os pratos são feitos) é o carro chefe. O El Palenque é mais conhecido entre locais e turistas. Você pode sentar numa das mesas ou sentar no balcão e ser totalmente defumado. Seguindo as dicas do pessoal do Blog vambora, faça igual aos uruguaios: vá de petisco + entrada + prato principal. Provoleta! Um pedaço incrível de queijo provolone assado numa chapa de ferro, com ou sem acompanhamentos. Lomo (ou miolo de filé mignon) ao ponto, com papas fritas, esta pode ser sem duvidas a refeição mais perfeita da viagem! Para beber a ótima cerveja local Patrícia e o refresco Paso de los Toros (uma espécie de refrigerante de grapefruit que não existe em outro lugar do mundo), caso sobre espaço tem ainda a Empanadas Carolina , também no mercado. - Alugar o carro, pois como o comércio no Uruguai abre um pouco tarde e sairia para Punta del Leste cedo preferi já dormir com o carro pronto para pegar estrada logo cedo, além de facilitar a visita a vinícola. - A visita a vinícola, sem dúvida seria umas das coisas que se não tivesse feito estaria arrependido, muito lindo o lugar, os vinhos são bons, os acompanhamentos para harmonizar também, quem quiser pode ir mais cedo e almoçar. (http://www.bodegabouza.com/#/bouza-bodega-boutique-visitas-guiadas) Visitas: Segunda a Sexta: 11h, 13:30h e 16h./Sábado, Domingo e Feriados Regionais: 11h e 16h. Valor: $ 490 (Pesos Uruguaios) / U$S 17 (Dólares Americanos) por pessoa. Degustação: Horário: das 10h às 18h. Valor: $ 1000 (Pesos Uruguaios) / U$S 35 (Dólares Americanos) por pessoa, inclui visita guiada. Restaurante: Aberto para almoço todos os dias./ Cozinha Internacional. Menu a la carte. Horário: das 12h às 15.30h. - Noite Jantei no restaurante que sem dúvidas foi o favorito em toda a viagem: La Pulperia, não deixem de conhecer. Para quem ainda estiver animado e quiser esticar a noite a melhor noite de Montevidéu está na orla, entre Pocitos e Buceo. Mas tem um programa noturno na Cidade Velha que é bem recomendado: ir quinta, sexta ou sábado ao Baar Fun Fun (pode fazer reserva online). É que nesses dias, depois do tango, há uma sessão de candombe, a salsa uruguaia. O candombe só rola lá pelas duas da madrugada, então se você quiser ir depois do jantar, tá valendo (o público vai se renovando ao longo da noite e você logo terá mesa livre para sentar). A noite mais animada da cidade está no finzinho de Pocitos, junto ao Montevideo Shopping, já em Buceo. Nas duas quadras da avenida Luis Alberto de Herrera antes do cruzamento com o Boulevard 26 de Marzo há vários boliches, barzinhos para tomar um chopinho, comer uma pizza e azarar. O movimento é mais quente de quinta a sábado. • Dia 06 (26/08/2016) – Sexta - Ida para Punta Del Leste (bate e volta) Punta del Leste atrai a maioria das pessoas por suas praias, cassinos (que são liberados por lá) e badalação. Meu interesse na cidade foi justamente o oposto disso. Fui sem muitas expectativas, talvez pelo fato de não ter ido no verão, época na qual a cidade lota de turistas, mas mesmo assim tem lá seu charme! Há várias opções, como ir de ônibus ou alugar um carro na BudGet, você pode pegar o carro no aeroporto caso venha de avião. A estrada é bem tranquila e o caminho é basicamente uma reta só, o trajeto dura aproximadamente 1h30. Lembrando que a lei seca funciona por lá e não tentem nunca propor “dar um jeitinho”, então se for beber, vá de ônibus. O principal cartão postal, o Monumento ao afogado, ou popularmente conhecido como Los dedos. A escultura é do artista chileno Mario Irarrázabal e fica na primeira parada da Playa Brava (as praias são todas divididas assim, P1, P2, P3…) e mesmo com poucos turistas fio muito difícil conseguir tirar ruma foto. Um pouco mais afastado do centro fica a Puente Leonel Vieira, mais conhecida como ponte ondulada, adorei ir até lá e como uma criança num parquinho passei umas cinco vezes pela ponte, não passei mais pois a polícia estava parada lá,rs. Deixo a dica de um local que não estava no roteiro e achei muito lindo que é a Imágen de Nuestra Señora de la Candelaria, fica na Rambla General Jose Artigas, pouco antes do Monumento ao afogado (los dedos). Almocei no El Viejo Marino, por ser um dos restaurantes mais antigos e tradicionais, mas não recomendo, achei o cardápio super normal, apesar do bom atendimento acho que teriam melhores opções por lá, ainda conheci a pé o centrinho e comércio, comprei umas lembrancinhas . Na volta pra Montevideo, parei no Cassino Conrad Punta del Este, para ‘’perder” um pouquinho de dólares, mas compensou a visita, o cassino é muito lindo, mas a sorte não estava a meu favor no dia. Mas o ponto alto da viagem certamente é no retorno pra Montevideo: Casapueblo, confesso que esse foi uns dos pontos que me fez ir até o Uruguai. Fica localizado em em Punta Ballena, e é sem dúvidas um dos mais incríveis locais dessa viagem inteira. Saindo da rodovia Interbalnearia há uma rua que termina com uma incrível vista panorâmica, pare o carro por ali e siga o simpático o portal, já se percebe o estilo do Vilaró. Há uma pequena taxa para entrar, o valor é consumível no restaurante. Após dair da Casapueblo fui até o final da Punta Ballena onde há uma feirinha de artesanatos e de onde se tem uma vista muito bonita. Como estava super cansado da viagem, passei no shopping para comprar algumas coisas , acabei jantando próximo ao hotel mesmo, no Da Pentella. • Dia 07 (27/08/2016) - Sábado Aproveitei o tempo rapidinho que tinha antes de voltar a Buenos Aires e fui ao Shopping Punta Carretas, achei bem melhor para compras que Buenos Aires ( apesar de ser um Shopping muito luxuoso, o câmbio compensava), comprei muita coisa, almocei lá mesmo, peguei as malas no hotel que fica ali pertinho e de lá direto ao Terminal e pegar a balsa para Buenos Aires, o barco que faz a travessia chama-se Franciso, é muito grande e espaçoso, tem um free shop dentro (não consegui olhar quase nada pois a maré estava muito forte e mal dava pra ficar em pé). Uma dica para quem vai desembarcar no terminal de Balsas em Buenos Aires, assim como qualquer outro terminal nas viagens, é fugir dos taxistas que ficam la dentro, sai do terminal fui até a rua e peguei um taxi, só nisso paguei quatro vezes menos. -Já em Buenos Aires, um programa que estava no roteiro e infelizmente não deu tempo fazer mas que deixo de recomendação é Show Fuerza Bruta: http://www.ticketek.com.ar/fuerza-bruta/centro-cultural-recoleta Com uma mistura de sons, luzes, movimento e efeitos especiais, o Fuerza Bruta busca mexer com os sentidos do espectador, que participa ativamente das cenas. A primeira coisa que o espetáculo subverte é o conceito de palco e plateia. Tudo acontece no mesmo lugar e a gente precisa se deslocar pela sala conforme a peça se desenrola. A sensação que a gente tem é de que está imerso em uma realidade alternativa, um pouco mágica e surreal. O espetáculo é apresentado de quarta a domingo no Centro Cultural Recoleta. Os ingressos custam a partir de 160 pesos e é preciso garantir o seu com antecedência mínima de uma semana, pois eles se esgotam sempre. Existem três pontos de venda na cidade, um no Palermo (Av. Santa Fe 4389), no Shopping Abasto ( Primeiro piso, entrada Anchorena – Av. Corrientes 3200) e no Teatro Opera (Av. Corrientes 860). Se você não vai ficar em Buenos Aires tanto tempo, pode comprar o seu pela internet. Como eles não entregam no Brasil, escolha a opção de retirar o ticket em algum dos postos de venda. • Dia 07 (28/08/2016) - Domingo - Como adorei a feirinha de San Telmo, retornei lá mais uma vez, após isso aproveitei para caminhar um pouco pelas ruas do centro. Após fui a feirinha de Palermo. Entre e Plaza Armeia e a Plaza Julio Cortazar há muitos restaurantes, mas deixo a dica do The Burguer Joint, o local é muito descolado, sempre cheio, hambueger muito bom, recomendo, foi um dos lugares que guardarei e irei novamente quando estiver por lá. Cheguei em casa já tarde e super cansado, tinha marcado um show de Tango mas acabei cancelando pois acordaria muito cedo para pegar o voo de volta ao Brasil. • Mais dicas:  Vá a alguma milonga. A milonga mais famosa com certeza é a Glorieta. Outra milonga bem indicada sempre é a Maldita MIlonga, em San Telmo, porque ela tem uma ótima orquestra ao vivo, chama El Afronte, e oferece aulas de tango para quem não sabe NADA. Essa milonga é sempre às segundas e quartas-feiras, a partir das 21h. Nesse horário começa a aula. O show é pelas 23h. A parte boa é que tudo - aula, milonga e show - sai por 25 pesos.  Dá pra ir no mesmo dia no Rosedal (muito bonito) e no Planetário, um do lado do outro, e se quiser ir no museu MALBA ( o Abaporu tá lá). Dá para fazer esse passeio de bus: pega até no zoo e vai a pé pro Rosedal e Planetário, pegar outro bus pro MALBA, e voltar para hotel de bus;  Jardim Japonês e os bosques de palermo é um passeio imperdível;  Compensa pegar o free walking bus – verificar o idioma (ela fez o da Recoleta que é as 10:30), mas tem o do centro também;  http://www.buenosairesfreewalks.com/  Sugestão pro domingo: fazer o tour do centro ( Casa Rosada, Catedral, Obelisco, Cabildo), feirinha de San Telmo (que é só no domingo), ir no Caminito e se não tiver jogo dá pra conhecer o estádio do Boca. A noite passear por Puerto Madero;  Não comprar pacotes de show de tango que oferecem jantar pois não compensa. Senhor Tango é um teatro, Café Tortoni é show de dança;  Em Buenos Aires, tem Palácio Barolo, um prédio histórico baseado na obra “A Divina Comédia”, de Dante Alighieri. Além de ser um prédio inspirado por um livro, o Palácio tem uma vista incrível da cidade, com destaque para o Congresso Nacional, que em frente.  Museu do Bicentenário, que somente fica aberto de quarta a domingo e é de graça bem como o tour guiado pela Casa Rosada. Em seguida um passeio a pé até o Café Tortoni, onde sugiro experimentar o chocolate espesso. A menos que você seja louco por chocolate, peça somente um para cada duas pessoas.  O Café Tortoni. Tem um preço acessível e garante bons momentos de diversão. Mas quem quiser algo mais técnico, sugiro optar por outro local. O Tortoni é ideal para quem quer pagar pouco e ter um bom entretenimento.  Fragata Presidente Sarmiento, e um sorvete no próprio Puerto Madero.
  14. Fechei com a Qorianka Tour, fica proximo ao Plaza de Armas, subindo a ladeira a esquerda proximo ao Mc Donalds. https://www.tripadvisor.com.br/Attraction_Review-g294314-d4026888-Reviews-Qorianka_Tours_Day_Tours-Cusco_Cusco_Region.html Tem também o email deles: [email protected] Quando ao trem das 16:30 sempre dá tempo, pois chega a Ollanta antes, talvez dê até tempo de você conhecer Ollanta e ainda pegar o trem, caso veja que está em cima da hora, corre pra estação. Ps: Não recomendo comprar o trem das 14:30, a fila par apegar o onibus e descer é enorme, e MP fica bem melhor a tarde quando já ta mais vazio, caso você queira fazer as trilhas de Huayna Picchu ou da Montanha quase não dará tempo pra ver MP.
×