Ir para conteúdo

Carlos Joao Marques

Membros
  • Total de itens

    32
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre Carlos Joao Marques

  1. VERSALHES – AMSTERDAM Chegou finalmente a hora de partir rumo a países que ficam mais ao norte da Europa. A visita a Holanda era muito desejada nesta viagem e criamos muita expectativa para este trecho, afinal atravessamos a França, Bélgica e finalmente Países baixos. Vamos primeiro aos números: Distancia: São 522 Km considerando quase 90% em autoestradas maravilhosas e superseguras. São pouco mais de 5:30 minutos, Combustível (diesel) 38,00 e de portagem, os incríveis 16,30 que valem por cada Km percorrido. Acordamos cedo e tomamos café no hotel de Versalhes, carregamos o carro e partimos pelas autoestradas, o caminho passa por lugares que valeriam uma parada caso tivéssemos tempo e nossos objetivos não fossem outros destinos, a primeira é Lilie ao norte, próximo da fronteira com a Bélgica e do canal da mancha que liga a França A Inglaterra, outra parada interessante, seria GENT na Bélgica, cidade universitária com canais e muita fama de baladas nas altas madrugadas, mais uma cidade que seria muito interessante seria Antuérpia que dispensa comentários pois é a segunda cidade mais interessante da Bélgica depois de Bruxelas, a última cidade que considero interessante neste trecho da estrada seria UTRECHT que fica já na Holanda há pouco mais de 50 Km de Amsterdam, outra cidade universitária, muito parecida com a capital e com uma característica muito interessante, uma impressão de que há mais agito próximo dos canais. Antes das 13:00 estávamos no Íbis hotel do aeroporto de Schiphol, hotel que escolhemos para pousar duas noites, aproveitamos para almoçar neste maravilhoso hotel. Nossa escolha foi estratégia, pois acreditamos que deveríamos ter conforto, preço justo e apenas a preocupação de fazer o trajeto Schiphol Estação Centrum. O hotel Íbis é gigantesco, mas suas acomodações são confortáveis para famílias, seu atendimento é rápido e eficiente, seu transporte para o Aeroporto e rápido e gratuito e funciona até as 24:00 Os hotéis do centro são mais caros caros e provavelmente mais antigos o que impede muitas vezes obter o conforto que desejamos em viagens familiares.. Chegamos, almoçamos e partimos para o Centro da cidade para não perder nada já que tínhamos pouco mais de dois dias em meio. Estação Central é uma das atrações a serem conhecidas, a região da Red Light que fica muito próximo sendo possível ir a pé, foi outra escolha deste dia, e vejam que não é apenas para ver vitrines o passeio de barco pelos canais também Caminhamos pelas vielas e ruas que beiram os canais desta belíssima cidade. Seguimos até o ponto mais visitado da cidade onde fica as inscrições do I AM AMSTERDAM uma praça que fica na frente do museu RIJKSMUSEUM Tiramos dezenas de fotos em todas as letras deste cartão postal. Terminamos na praça DAM a mais famosa e eclética da cidade. Já noite e com um sentimento de grande prazer, retornamos até a estação Central e partimos para o aeroporto onde ficava nosso hotel. Enfim estávamos na Holanda depois de duas semanas na Europa.
  2. BIARRITZ - VERSALHES Este dia na viagem era considerado o mais cansativo e com a maior distância a ser percorrida. Era preciso voltar ao centro da Europa para iniciar outra fase da nossa viagem. Não queríamos fazer da viagem um transtorno, por isso acordamos as 7:30 da manhã, sem muita pressa, fomos buscar em uma mercearia um café da manhã conforme desejávamos, muito queijo francês, baguetes e muito mais, levamos para o hotel e nos deliciamos com um petit dejéuner, barato e delicioso. Depois de fechar a conta, iniciamos um mini tour pela cidade passando pelos lugares que não tínhamos visitado no dia anterior. Primeiro fomos na virgem e fizemos o caminho até a santa passando pela ponte e admirando os corajosos nadadores que as 9:00 da manhã se aventuraram em entrar no mar. Pensando bem, considerando que as aguas estavam com temperaturas de 14 graus e o frio da cidade nesta hora estava em torno de 8 graus havia apenas um choque térmico ao sair da agua. Queríamos entrar no museu do mar, mas ficaria muito tarde para percorrer o trajeto até Versalhes. Percorremos pelo menos 5 km de praias aproveitando que estavam vazias. Já eram 11 horas e decidimos que estava na hora de realmente partir para estrada, mas antes teríamos que passar na DECATHON para comprar o pé de pato do Matheus e do seu amigo Rafael. Foi uma grande diversão aproveitar a visita nesta loja para comparar os preços com o Brasil. O preço do pé de pato era pelo menos 4 vezes mais barato. Compramos e seguimos para a estrada. Vamos aos dados de consumo: Distância de 771 Km, aproximadamente 9 horas (considerando que paramos para almoçar) caso fosse direto teríamos algo como 7 horas. Gasto com portagem 67,10 Euros e diesel 55,00 Euros. Sair da cidade era muito rápido, algo como 5 km e já estávamos na pista, o primeiro nome que aparece é BORDEAUX como meta para ser atingida e local para almoço, algo como 200 Km. Nossos filhos assim como a Cris já estavam dormindo. Aqui já fica uma vontade enorme de parar nesta linda região e aproveitar todos os vinhos, mas imagina que dirigindo eu não podia nem beber. Dica: Se sua visita tem como objetivo conhecer esta região de Biarritz não deixe de visitar Bayone, San Sebastian, Bilbao, Pamplona e um pouco mais a leste Lourdes, onde se inicia o caminho de Santiago, tudo em um raio de 150 Km de distância. Percorremos os 200 Km em menos de 2 horas e paramos para almoçar próximo das 13:30, o restaurante tinha uma bela vista para Ponte PIERRE e o Quartier Saint Michel, em pensar que tínhamos uma dezena de vinícolas que poderiam ser visitadas e estavam logo ali pertinho. Tudo bem vamos fazer novamente esta região um dia. Tínhamos muito chão pela frente e partimos novamente pelas estradas rumo aos arredores da cidade luz. Pensávamos que em pouco mais de 4 horas conseguiríamos, mas esta estrada é muito movimentada com muitos caminhões e levamos mais de 5 horas chegando em Versalhes próximo das 19:30. Reconheço que em nova viagem, trechos com esta distância não estarão em nosso planejamento. Nosso hotel em Versalhes era muito bem localizado, mas não tinha estacionamento e tivemos que deixar nosso carro na rua, o que nos preocupava, apesar de estar na Europa. O nome do hotel é interessante, “A I´Hôtel Des Roys” e ficava na Av. de Paris 14, região central em frente ao museu, construção do século XVIII. O custo desta noite foi caro, algo como 174 euros. Sabíamos que não era possível a visita ao castelo, mas estar próximo e ver sua fachada já foi suficiente. O que sobrou para nós neste dia cansativo? Procurar um excelente restaurante e beber um bom vinho para curtir a cidade. Fomos em busca deste local e não foi difícil, a cidade tem uma região só de restaurantes no quadrilátero entre as ruas Rue Du Marechal Foch e Rue de lá Paroisse. Se perca e escolha a melhor opção, pois existem várias. Dica: As indicações de recepcionistas pode ser uma boa se a mesma não tiver um interesse na opção que está sendo oferecida. Versalhes é uma cidade a ser explorada, porém a maioria das pessoas apenas enxerga o local através dos passeios pelo castelo, o que impede de fazer um tour mais detalhado. Terminamos de jantar já passava das 22:00 e fomos caminhando de volta para o hotel. A noite estava linda e fria, mas estávamos ansiosos para dar continuidade na tour !!!
  3. Terceiro dia em Roma !! Já tínhamos feito a parte histórica, era chegada a hora de partir para o Vaticano, e não poderíamos começar melhor nesta região, Museu do Vaticano. Acordamos na CASA MASTRO e tomamos nosso café da manhã seguindo para a estação Termini. Tínhamos combinado com Gláucio na estação, mas ele não chegou a tempo combinamos com nossa família para seguir em direção ao museu e fomos buscar o Gláucio no seu apartamento, quando chegamos ele ainda estava dormindo, não foi possível esperar pois a visita tinha sido comprada com hora marcada e não podíamos atrasar. Dica: Comprar atrações antecipadamente tem vantagem financeira, porém se houver qualquer imprevisto, os tickets são perdidos e não há devolução. Procure comprar tickets em horários com folga para que haja tempo de chegar. Chegamos no museu praticamente no horário, as 9:00 da manhã e entramos pela lateral sem filas. Dicas: Comprado nos guichês o custo é de 16,00 Euros, mas para não pegar muita fila entre depois das 12:30, o ideal mesmo é comprar pela internet e aí o preço é de 27,00 Euros furando as longas filas de todos os museus internos com marcação de hora para entrada. Não é possível entrar com trajes tipo bermudas ou mini saias ou blusas sem manga. Abre de segunda a sábado até as 18:00, entretanto consulte o calendário oficial, por exemplo o último domingo do mês a entrada é gratuita, no inverno há dias em que o museu fica aberto até as 23:00 São necessárias pelo menos 4 horas para fazer uma visita descente ao complexo de museus que engloba: Capela Sistina, Museu Pio Clementino Pátio Pinha, Apartamentos Borgia, Museu Chiaramonti, Museu Gregoriano, Sala de Rafael e muitas outras salas importantes. Ao caminhar pelos corredores do museu, perceba sempre o teto que em sua maioria são trabalhados com pinturas. Nas principais obras o número 100 aparece o que significa as 100 maiores e mais importantes obras do museu. Consumimos nossas 3:30 minutos saboreando mais de 500 anos de história da igreja já que o museu foi fundado pelo Papa Julio II em 1506. Saímos do museu e pegamos o metro no sentido para Praça del Popolo usando nosso ROMA PASS. Praça del Popolo O passeio neste local contempla uma caminhada, fotos na Fontana Del Nettuno, uma volta nos SEGWAY para as crianças, uma subida até a Basílica de Santa Maria Del Popolo, Museu Leonardo da Vince, outras “Fontanas” importantes e uma belíssima área verde que fica na parte alta e tem um mirante maravilhoso com vista para a praça. Ficamos curtindo esta área durante pelo menos duas horas. Outra curiosidade deste local é que existem pontes próximas que sobrepõem o Rio Tibre com por exemplo a Ponte Margherita. Partimos para uma caminhada pela Via del Corso até chegar próximo do Panteão e finalizar nosso dia com a sensação de se tornar cada vez mais local de uma cidade histórica cheia de atrações.
  4. Mochilão Europa - Janeiro 2018 (INVERNO)

    Oi Gisa, Pena ter diminuído seu roteiro, mas continua interessante pois terá tempo para conhecer três cidades importantes da Europa. Minha opinião sobre suas dúvidas. Viagem para Amsterdam, use o Thalys ( trem de alta velocidade ) leva 3 horas e 30 minutos em condições normais até janeiro você vai encontrar promoções e pagará quase o mesmo valor que o ônibus. vantagem o ônibus leva quase 14 horas para rodar 500 Km devido a quantidade de paradas. Sobre o gasto em dias de viagem o valor é muito parecido, desde que não caia na armadilha de comer nas estações. sobre as hospedagens, para um custa DEZ para um casal custa QUINZE, não o dobro, em Amsterdam tem uma combinação que fiz ano passado e deu muito certo, fiquei em um hotel próximo do aeroporto e pegava o trem todos os dias para o Centro de Amsterdam. Nesta modalidade você terá conforto, preço mais baixo, porém leva em media 35 minutos todos os dias para chegar no Centro. No Ibis de Shirpool é possível conseguir no período de janeiro por R$ 270,00 o casal, mas tem que considerar também o transporte diário para Centro. Em Paris é mais fácil conseguir preços na faixa de R$ 250,00 por noite no Centro de Paris, entretanto muito cuidado porque a maioria são prédios mais velhos e por vezes com pouca segurança. Para Londres volta a ser interessante ficar nos bairros periféricos ao centro, porém em termos de preços não dá por menos de R$ 300,00 no modelo Casal com Banheiro privativo.
  5. Dia de passear pela História de Roma !!! Na verdade este era o segundo dia de visitas na bela Roma, escolhemos fazer o mais tradicional possível, caminhada iniciando pelo Coliseu que ficava em frente ao Apto que alugamos para o amigo Gláucio e por aí fomos seguindo até o dia acabar, o sol cair e a noite chegar. Para chegar ao Apto do Gláucio, saímos da Casa Mastro, por volta das 8:30, sentido estação Manzoni descendo na estação Termini e pegando a linha que seguia para o Coliseu. Dica: Basicamente o metrô de Roma tem três linhas: A linha A que liga Batistini a Anagnina e tem estações em grande parte das atrações de Roma, a Linha B que liga Laurentina a Rebibbia e passa pelo Coliseu e a linha C, mais nova, que liga Montecompatria até Clodio Manzini. Cuidado com os ladrões que puxam bolsas e carteiras, pois eles são constantes e normalmente andam em bandos dentro dos vagões. Nos dias de inverno o sol nasce mais tarde, entretanto o ideal e começar cedo as caminhadas, por isso ficar em um local no centro, no caso de Roma, é ideal. Quando conseguimos juntar o grupo todo ( 12 pessoas ) fomos tomar café em frente ao Coliseu embaixo do Apto que alugamos. Nosso primeiro café em Roma foi no SQUISIT COOK PASTICCERIA RISTO BAR um lugar muito bonito e limpo, agradável e com uma vista magnifica do coliseu. As 9:30 da manhã, entramos no Coliseu e ficamos por lá pelo menos 2 horas entre as ruínas e a sensação de milhares de anos sendo contados em dezenas de milhares de pedras. Seguimos para o Foro Romano o Palatino, Arco Constantino, Arco de Tito, Templo de Vênus, Basílica de Santa Francesca, Museu Capitolino Basílica de Santa Maria in ara Coeli e finalmente o Monumento a Vitor Emanuelle II, tudo isso em pouco mais de 1 Km. Dica: Se você tem tempo invista pelo menos um dia neste quilometro, pois vale cada centímetro e a quantidade de história é imensa. O monumento a Victor Emanuelle II, Primeiro Rei da Itália, foi concebido por Giuseppe Sacconi no século 19, levou 25 anos para ser inaugurado e 50 anos para ser concluído, com mármores brancos, duas estatuas da deusa Vitoria em quadrigas com o Rei ao centro em uma estátua Equestre transformam a atração em uma maravilha de Roma. Em frente a este lindo monumento temos uma Piazza Venezia e a Piazza de São Marco. É foi neste local que escolhemos para almoçar todos juntos em um restaurante que ficava em frente ao monumento e na piazza. Depois de almoçar seguimos pelo Via del Corso até chegar a Fontana de Trevi para uma visita obrigatória neste que considero a atração mais fantástica de Roma. Muitas fotos, e uma tarde noite deliciosa. Dica: A Via del Corso é uma linda rua para passeio que começa na piazza de Venezia (perto do monumento Vitor Emanuelle) e segue até a Praça del Popolo (praça do povo) com transito de carros e muitas lojas de grife é um trajeto necessário para melhor conhecimento desta região de Roma. Já noite, depois de uma passada por uma Gelateria em frente a Fontana de Trevi e provar um sorvete italiano, fomos caminhando até o Panteão e finalizamos nosso primeiro dia neste local. Dica: O Panteão é um monumento que foi dedicado a um conjunto de Deuses e foi construído a mais de 2000 anos atrás. Vale uma visita e um estudo mais aprofundado desta atração. Do Panteão fomos de ônibus para a estação Termini e depois cada um seguiu para suas habitações Dica: Tínhamos o ROMA PASS o que nos proporcionava usar qualquer meio de transporte em Roma durante 72 Horas. Pegar um ônibus em Roma não é difícil e a estação Termini é ponto de quase todas as linhas de Ônibus. Neste caso seguimos a pé até a via Tritone e pegamos a linha N12 que leva pouco mais de 15 minutos. Um dia de história com muitas sensações e fotos para contar.
  6. Mochilão Europa - Janeiro 2018 (INVERNO)

    Olá Gisele, gostaria de colaborar com você nesta sua viagem e se permitir algumas dicas legais: Ao meu ver 5 dias são suficientes para apenas Paris, sem nenhum bate e volta, por exemplo em Versalhes que praticamente você consome um dia, ou mesmo na Disney que serve de paraíso para todas as idades, no meu caso inclui um bate e volta a Reims terras das melhores champanhes do planeta. Não resta a menor duvida que a viagem mais prazerosa para fazer e Paris a Londres seria de trem rápido, mas não neste momento , talvez no retorno de outras visitas. Acho interessante depois de Paris seguir para Bruxelas e curtir esta bela cidade da Europa, depois continuar no trem para Amsterdam que são suficientes três dias, com a dica de ficar quem sabe em uma hospedagem tipo Barco, veja a diferença de preço, por vezes encontra se belas promoções. de Amsterdam seria interessante seguir para Berlim e depois para Praga que não são necessários 5 dias, apenas 3 você já visita tudo de interessante, porém aqui é que o Frio deve falar mais alto já que as temperaturas neste período costumam a estar em torno de 5 graus negativos para pior. Um bom conjunto de primeira pele, segunda pele e terceira pele são suficientes para manter seu corpo aquecido, será seu melhor investimento na viagem. sugiro que passe pelo Outlet de Paris para uma reforçada no seu guarda roupa de frio. De Praga você pode voltar para a Alemanha e visitar Munique e retornar para Paris. em Paris, ai agende sua viagem para londrês no esquema bate fica três ou quatro dias e volta. viagem para uma pessoa é trem com planejamento fica show. Algumas cidades que poderiam interessar se estivesse aberta a novas visitas. de Amsterdam um bate e volta a Colonia seria interessante e rápido, em Munique você esta relativamente próxima de Zurique na suíça que você não incluiu e seria show . Outra cidade muito interessante neste período é Salzburgo, porém também é frio com força. boa sorte e se precisar de alguma dica a mais olhe meus posts de viagem para Europa.
  7. RETURN IN FIRST DAY - Madrid – Biarritz A virada do ano foi maravilhosa, mas era chegada hora de iniciar nosso retorno para outros ares e muitas emoções. Acordamos cedo e preparamos nossa mala para uma viagem de aproximadamente 500 Km até o outro lado da Espanha, na belíssima Biarritz que fica logo após a fronteira já na França Pegamos o carro no estacionamento e partimos pelas belas estradas da Espanha, sentido países bascos pela E5 ou A1, passando por pitorescas paisagens Vamos para os dados de estatística: Distancia: 503 Km tempo estimado 5:30 minutos Gastos com pedágio 29,45 Euros – 37,00 Euros de diesel. Nosso café foi na estrada em uma estação de gasolina, o que me parece bem legal, quando encontramos um restaurante completo. Dica: Preste atenção nas bandeiras dos postos de gasolina e se puder faça uma pesquisa das lojas que existem no percurso. Uma boa escolha pode fazer você economizar muito ou gastar o que você economizou. Em média você percorre 5 a 10 Km para encontrar outra estação, mas preste atenção nas placas que aparecem mostrando a distância da próxima “Gasolineira”. As melhores são: Cepsa, Repsol, Galp, Shell. Para sair da cidade de Madrid você passa por até três grandes vias, uma chamada de M30, outra chamada M40 e por último a M50 e como se a cidade fosse circunda por três grandes avenidas circulares. Para cada destino tem uma grande Autopista que começa pela letra A, no caso para os países Bascos o sentido é da A1. A estrada que liga Madrid aos países Bascos passa por cidades que mereciam uma paradinha se houvesse tempo, Vitoria, Capital da Região, Santander, Bilbao, San Sebastian, todas as cidades que ficam próximas do golfo de biscaia. Estávamos tão próximos da região de La Rioja (capital Logrono) que sentimos muita pena não poder parar em se deliciar do vinho da região na própria região. Depois destas cidades espanholas um outro ponto icônico é ultrapassar a fronteira da Espanha com a Franca através da cidade de Iron. Nosso objetivo não era este, afinal queríamos mesmo chegar a belíssima e paradisíaca cidade de Biarritz, enfim chegamos na cidade por volta das 14:00 e fomos direto para o hotel que reservamos com Milhas do Smiles (35.500) . Grand Tonic Hotel Biarritz 58 Av. Edouard VII Biarritz France Tranquilo e muito bem localizado o hotel ficava a 5 minutos a pé da praia em um dos melhores points da cidade. Dica: Os melhores hotéis são de frente para a Praia e muito luxuosos, porém os preços são altos, principalmente na alta temporada (verão). A Av. Edouard VII fica muito próximo da praia com várias opções de hotel e os preços são bem mais em conta. Malas postas partimos para encontrar um bom restaurante pois estávamos morrendo de fome. Pegamos algumas dicas, tentamos em um restaurante na rua da praia mas estava fechando e fomos parar no “BRASSERIE GARDERES” um excelente restaurante onde pudemos apreciar uma deliciosa comida, já que estávamos morrendo de fome rss. Restaurante vale a pena ser visitado. Depois de almoçar e sair quase 4:00 do restaurante fomos passear pela praia conhecendo um pouco da cidade que é belíssima. De carro você pode fazer um caminho umas três vezes até a ponta da cidade que você passa a ser local. Fiz questão de passar por todos os pontos turísticos que seriam visitados no dia seguinte. Dicas de visita: Hotel du Palais: Um grande hotel construído a partir da vontade de uma imperatriz, esposa de Napoleão III que se apaixonou pela linda região de praia e decidiu construir uma “casa” opss como na época uma casa era sempre sinônimo de Castelo, está linda construção foi erguida. Depois de muitas mudanças virou um hotel e hoje encanta quem chega no centro do balneário, para nós que não podemos ficar neste lindo lugar, vale uma passagem pelos salões e com sorte pedir para conhecer as acomodações. Casino Municipal: outro ponto imperdível e construído na mesma época do castelo. Fica de frente para o mar de Biarritz é possível tomar um bom café na sacada e curtir uma sortezinha se desejar. Rocha da virgem: um lugar construído pelos pescadores que, reza a lenda, foi avistado por um grupo que em um mar de tormentas, percebeu este porto seguro, salvando suas vidas. Uma ponte, cujo nome é em homenagem a Eiffel o mesmo que criou a torre, detalhe, a mesma ponte foi construída a pedido de Napoleão III liga o continente a rocha. Um lugar exuberante que permite uma vista lindíssima da cidade. Museu del Mar Aquarium !!! Em frente a rocha da virgem um interessante museu aquário, imperdível. Mercado Halles: O mercado Central (popular) que vende as coisas do local, principalmente frutos do mar, peixes, crustáceos, queijos e frutas. Eu como gosto muito de visitar locais como este não perdi minha oportunidade. Farol: Outro lugar que não pode deixar de ser visitado. A noite caiu e tivemos que retornar para o hotel, já que o frio também veio forte. Foi uma pena que este dia a maioria das atrações estavam fechadas pois era o primeiro dia do ano. Cansados fomos dormir por volta das 22:30.
  8. FIRST DAY IN ROME Alugamos nosso apartamento no modelo que era para ser aplicado em toda esta viagem, considerando dois casais, entretanto com a entrada do Gláucio Irmão do Gustavo foi necessário fazer algumas modificações. A CASA MASTRO era uma hospedagem par oito pessoas com três quartos muito confortáveis, uma cozinha completa um sofá cama na sala e uma decoração bem moderna. Francesco, o proprietário, era gentil e muito atento a cada detalhe, deixou tudo pronto para nossa estada, a princípio este local deveria ser para a família do Gustavo meu amigo, mas depois acabamos mudando os planos e o Gláucio ficou na outra propriedade. Tinha WiFi gratuito, estacionamento para o Carro (grande) e o prédio era rustico. Um detalhe que as condições da CASA MASTRO era de pagamento antecipado de 20% do valor da hospedagem, isso no primeiro momento pode assustar, mas eu posso garantir que vale a pena. A localização da CASA MASTRO era maravilhosa, 700 metros da estação Manzoni, 1,5 Km da Termini e pouco mais de 20 minutos do coliseu e em um raio de 3,0 Km era possível visitar qualquer uma das atrações de Roma (exceto Vaticano). Como não estava nos planos chegar nesta Quinta feira ( 17-12-2015) tão cedo, começamos por fazer uma identificação na área da habitação. Algumas ruas são vias importantes para o fluxo de carros na cidade, Via Manzoni, Via Statilia, Via Emanuele Feliberto, Via Labicana Partimos aproximadamente as 14:00 Horário local para almoçar, verdade que seguimos para o lado errado da rua e por isso tivemos mais dificuldade de achar um restaurante. Fomos comer em uma Pizzaria cujas fatias recheadas quadradas eram deliciosas iguarias que davam água na boca de qualquer cidadão. Depois comemos alguns doces na esquina da Manzoni com Via Emanuelle Felisberto. Voltamos ao Hotel para buscar o Gustavo e mais uma rodada de Pizza. Aproveitamos que estávamos próximo da estação Manzoni, seguimos de metrô até a estação Termini (compramos bilhetes avulsos pelo valor de 1,50 Euros ) e compramos os ROMA PASS que na verdade estava planejado para ser adquirido somente no dia seguinte. O ROMA PASS é a melhor forma de utilizar o transporte em Roma, por apenas 38,50 (72 horas) você entra em sai em qualquer transporte (exceto Aeroporto) e ainda tem duas entradas de graça nas atrações. Ele passa a valer a partir da primeira utilização. Fizemos um City Tour pela estação, por sinal muito bonita, e voltamos para o hotel de metrô adquirindo mais uma vez passes individuais. A estação Termini fica em um local central e caminhar por esta região é um dos passeios obrigatórios de Roma. Voltamos a sair pelas 20:00 seguindo em direção a casa onde estava o Gláucio que fica em frente ao COLOSSEO e seguimos para o EATALY (Praça da República) para Jantar. Saímos do restaurante por volta das 23:10 Pegamos a linha vermelha para Termini deixando o Gláucio na sua hospedagem e pegamos o último metrô da estação Termini em direção a Manzoni onde estamos hospedados. Cumprimos nosso primeiro dia de tour pela magnifica Roma. Sem Decepções !!
  9. MADRID 2º dia !! Último dia do Ano !!! Nosso segundo dia em Madrid começou cedo, como não tínhamos café da manhã no hotel, por nossa Escolha, optamos por acordar bem cedo e tomar café na rua. Dica: • O Custo do café da manhã nos hotéis é alto, entre 11 e 30 Euros, por isso vale a pena reservar hotéis partindo do princípio de que não usará este serviço, chegando ao preço exclusivo da hospedagem. • Nos sites para pesquisa de hospedagens você vai encontrar oportunidades que oferecem o café da manhã incluso como vantagem para a habitação verifique, entretanto, que tipo de café da manhã está sendo oferecido. • O Mac Donalds na Espanha oferece um café da manhã bem interessante com preços baixos (entre 3,50 até 6 euros). • Na região da estação de ATOCHA onde ficamos existem inúmeros cafés que servem croissants, bolos e outros quitutes locais por preços mais atrativos. As 9:00 da manhã já estávamos caminhando pelas imensas ruas de Madrid ( Passeo do prado ) com temperatura de -3º graus seguindo em direção do Museu do Prado. Dicas: • Se sua viagem é no período de inverno proteja-se, é horrível caminhar pelas ruas e sentir a incomoda sensação de frio. • No museu do Prado as filas são imensas, portanto compre com antecedência seu ingresso pela internet. • Existem entradas exclusivas para quem comprou com antecedência. • O preço é de 15 euros por pessoa, para quem não está com o orçamento folgado pode entrar depois das 17:00 e ficar até as 19:30, nunca esqueça de conferir antes se realmente está promoção continua válida. • Menores de 18 anos não pagam, estudantes com carteira internacional até 25 anos também são isentos. • Uma super dica vale para quem comprou pela internet, mas tem integrantes do grupo com isenção (menores ou estudantes) , antes de entrar precisa pegar o ingresso de gratuidade. • O horário de funcionamento é de 10:00 as 20:00 exceto no período de 24 a 31 de dezembro que fecha as 14:00. • A visita pelos imensos corredores demora no mínimo 3 horas para conhecer as principais telas, compre o guia para não se perder. • Minha sugestão é antes via internet fazer uma pesquisa para conhecer o museu melhor e quando chegar, seguir diretamente para os pontos de interesse. • São 17.000 obras de arte, o que não pode deixar de ver na minha opinião: Sala dos retratos da família Real ( Goya ), ver os quadros de Velásquez ( aproximadamente 50 ), obras de Goya algo em torno de 152 peças, obras do El Greco, exposições temporárias são sempre interessantes • Outros museus próximos Tyssen-bornemisza e Reina Sofia Fizemos nosso tour pelo museu do Prado em pouco mais de 3 horas e conseguimos ver todas as nossas prioridades da visita. Dali partimos de metrô para o majestoso, imponente e grandioso estádio do Real Madrid o tão esperado Santiago Bernabeu, Eu e o Matheus entramos para fazer o tour inteiro, passando por todos os setores do estádio e curtindo cada detalhe deste templo de várias vitorias do Real Madrid. É uma experiência para quem gosta de futebol imprescindível. Dica: • Não comprei o ingresso de forma antecipada e não tive problema para entrar. • Neste dia 31 de dezembro ele funcionou normalmente. • O preço é de 24 euros para adultos e 18 euros para quem tem menos de 14 anos Já passava das 15:00 quando pegamos o metrô sentido Puerta del Sol onde nesta noite iriamos passar a virada do ano. Toda região da Puerta del Sol estava quase fechada devido aos festejos de Réveillon, mas pudemos fazer várias incursões em atrações. Por volta das 19:00 retornamos para o hotel de metrô para nos arrumar para a grande noite. Grande vantagem de ficar próximo do metrô para locomoção fácil em Madrid. Saímos para a praça por volta das 22:30 e seguimos novamente de metrô. As vias para chegar ao local onde tinha a arvore de natal mais próximo do relógio que badalava 12 vezes estavam lotadas e uma multidão se aglomerava nesta região. • Eu não tive nenhum problema com gatunos em Madrid, mas fui avisado que eles existem e nestes dias de grande quantidade de pessoas eles agem com tranquilidade, por isso não leve bolsas ou passaportes. • Nós levamos uma garrafa de champanhe Veuve Clicquot (comprada em Andorra por 18,50 Euros) um quilo de uvas para tradição da virada e muita disposição para uma noite fria mas deliciosa. • Não espere muito destas ocasiões na Europa, não existem as grandes festas como Copacabana ou Av. Paulista, os europeus são frios e comedidos. • Se você é adepto a festas depois da virada consulte os sites da cidade para saber onde a noite terá continuidade, geralmente são discotecas, casas de shows, restaurantes com música dançante. • Nesta virada quando voltamos para o hotel na esquina tinha uma grande festa com uma fila imensa de pessoas aguardando para entrar. Parecia muito animada. Ficamos na região até a 1:00 da manhã e depois voltamos para o hotel. Nosso último dia do ano de 2016 foi maravilhoso em família visitando lugares excepcionais. Preparar para continuar a viagem !!!!
  10. VALENCIA – MADRID. Nossa trip continuava, foi necessário depois do almoço em Valencia partir para Madrid. A estrada neste trajeto era agradável e para constar em nossa contabilidade. Valencia – Madrid – 357 Km – a maior parte em Auto estrada ( 344 Km) Combustível: 27,00 Euros e 4 horas de viagem. Queríamos chegar no Hotel antes do anoitecer, considerando que as 17:00 já era noite. Nosso hotel ficava em frente a estação Atocha e o local era bastante difícil para parar (ficamos sabendo disto quando chegamos). Hotel Mediodia - Plaza del Emperador Carlos V, 8, Centro de Madri, 28012 Madri, Espanha Um imponente hotel super bem localizado, que só tinha um inconveniente suportável, o estacionamento ficava em outro local e tínhamos que parar na frente do hotel para descarregar as malas e seguir para ele através de um mapa complicado. Mais uma vez nosso querido GPS nos salvou. Nosso quarto ficava logo no primeiro andar (baseado em quase todas as reservas que fiz solicitando andar baixo). Hotel altamente recomendável. Logo deixamos nossas malas no quarto e partimos para nossa primeira aventura em terras madrilenas. Logo ao sair e praticamente ao lado do hotel tinha um restaurante sensacional que se chamava El Brilhante, seu atendimento era pitoresco e muito engraçado, garçons mais velhos gritavam os pedidos para o pessoal da cozinha. A saída do Sanduíche de anéis de lula era o mais tradicional, todos pediam pelo menos um destes, depois vários tipos de tapas e bebidas completavam o cardápio. Foi uma experiência inusitada e muito agradável. Poderíamos ir andando para a região da Gran Via pela Cale de Atocha, ou mesmo pela Paseo del Prado, onde passaríamos por várias atrações que no horário que saímos já estariam fechados, optamos por escolher ir de metrô. A entrada do Metrô era mesmo na frente do hotel e logo nos aventuramos para chegar na estação próxima da Gran Via. Dica: Novamente foi fundamental ter estudado todos os trajetos do metrô, baixar no celular off as rotas e a linhas para ter certeza que não se perderiam. Compramos ingressos em cartelas de 10 para ficar mais barato. http://www.planometromadrid.org/en-index.php Saímos pela linha 1 da estação atocha até a estação Sol que é um entroncamento entre outras linhas, dali partimos para estação CALAO que fica na Gran Via com uma Loja de departamentos do El Corte Inglês. Contemplar Madrid na véspera do último dia do ano fim de noite é mesmo espetacular, tudo muito iluminado, grandioso e cheio de história. Nesta noite nos perdemos pelas ruas ao redor da Gran Via. Passamos pelas seguintes atrações: Puerta de Alcalá Fonte Cibeles Gran Via Banco de Espanha. Teatro Rialto Teatro de La Luz Praça de Espanha. Retornamos de Metrô para o Hotel e mais uma vez sem dificuldade alguma. O dia tinha sido cansativo, mas em pensar que nas últimas 12 horas tínhamos feito Barcelona – Valencia e Madrid já valia cada osso dolorido. Vamos que Vamos na TRIP da FAMÍLIA MARQUES
  11. Trocamos SEIS por UMA DUZIA !! Nossa viagem era ibéria – Rio de Janeiro – Madrid – Roma e de repente ficamos com AIR FRANCE – Rio de Janeiro – Paris – Roma chegando 10 horas antes do tempo desejado. No final acho que saímos ganhando, apesar de ter perdido a oportunidade e fazer um giro rápido por Madrid, já que na configuração inicial, tínhamos pelo menos 8 horas aguardando a conexão em Barajas e combinamos fazer uma passagem rápida pela Gran Via e um visita no Santiago Bernabeu. Seguindo viagem pela Air France chegamos em Paris por volta das 7 da manhã hora local e tínhamos pouco tempo para pegar a conexão, algo em torno de 2 horas. Parece tempo suficiente, mas tínhamos que sair de um terminal (2E) que é onde chegam os voos do brasil para o outro terminal 2G onde partem os voos para Itália. Sempre atentos ao fato que tínhamos feito uma mudança e que poderia existir algo de errado no processo. Mas no final mesmo correndo e sem poder parar novamente nos diversos free shoppings do aeroporto CDG chegamos com antecedência na porta de embarque. O voo de pouco mais de 2 horas foi tranquilo e sem nenhuma ocorrência. Chegamos em Roma por volta das 11 horas da manhã quando o horário inicial previsto era de 23:00, ou seja, ganhamos quase 12 horas de avanço. Transporte para o centro de Roma. Fiz diversas pesquisas para saber qual seria a melhor forma de transporte para chegar em nosso apartamento alugado em Roma, e conhecia as alternativas São aproximadamente 31 Km de carro, pode se usar táxi, que custa aproximadamente 48 Euros para quatro pessoas e incluso as malas ( combine o preço para não haver problemas na hora de pagar ) , pode escolher trem ( Leonardo Express ) que custa 14 Euros e leva 30 minutos para chegar na estação principal de Roma ( Termini ), pode seguir de Ônibus com várias opções com custo entre 4 e 6 Euros, quase todos chegando na estação Termini ( ótima opção para quem está com poucas malas e sem filhos ), pode alugar um carro, porém esta seria a pior opção se você vai ficar alguns dias na cidade, já que não há necessidade de usar a viatura para conhecer as atrações turísticas e tem a que nós escolhemos que foi um carro particular com motorista particular pelo custo de 50 Euros ( próximo do Taxi ). Só havia um problema, tinha combinado com o motorista chegar as 23:00 e tinha informado o voo que chegávamos, mas chegamos muito antes e tínhamos que avisar ele, aí encontramos uma alma caridosa que também era motorista particular e que se prontificou a fazer as ligações necessárias para a empresa que tínhamos contratado. Dica: Nunca aceite qualquer favor de quem lhe aborda, pois pode ser uma pessoa mal-intencionada, procure uma autoridade local, funcionário da Cia Aérea ou balcão de informações, eles, com mais segurança, lhe acompanharam até uma opção segura. Fomos indicados a um senhor muito educado que tinha um carro e fazia o trajeto, conhecia o local onde íamos ficar e também ligou para a empresa do seu telefone cancelando nossa reserva. Durante a viagem usamos seus serviços novamente quando mais a frente fomos buscar os carros alugados. Próximo das 12:00 chegamos ao nossa primeira habitação CASA MASTRO !!
  12. Meu roteiro de viagem - AGOSTO/2017

    Cibele, boa noite Se ainda interessar olhei seu roteiro e tive uma ideia, baseado em uma experiencia que tive neste ano com minha família. Se você sair de Barcelona ( sants ) para Paris ( Gare de Lyon ) vai gastar de trem 6 Horas e pouco mais de 100 Euros, De Paris você pode sair para Bruxelas também de trem com um custo de 30 Euros e pouco mais de 1:30 De Bruxelas para Amsterdam você gasta 3 horas e algo como 50 Euros também de trem. De Amsterdam partindo para Zurique voces vão gastar 220 Euros e mais de 8 Horas de viagem ( com duas paradas ) De Zurique Partindo para Viena leva 7 horas e custa em torno de 150 Euros direto. De Viena até Munique são 4 horas e custa por volta de 100 Euros. De Munique até londres uma low Cost EASY JET faz com custo de 300 Reais Espero ter ajudado
  13. Planejamento.... Precisa acontecer.... Começou torto.... Depois endireitou !!!! Nossa passagem foi comprada em junho de 2015 e tivemos tempo para fazer muitas pesquisas e consultas em sites. Alugamos nosso carro em agosto também para não correr risco de ficar sem a viatura ao chegar. Foram seis meses pesquisando; hotéis, estradas, restaurantes, locais de visita, condições climáticas, afinal estava viajando com minha família e levando mais duas famílias em um total de 12 pessoas, dois carros e muita responsabilidade. Alguns destes lugares eu já tinha visitado em viagens anteriores, o que poderia facilitar, mas fiz questão de iniciar o zero todas as pesquisas. Chegou a Hora, vamos lá: Iniciamos nossa viagem no dia 17 de dezembro 2015 chegando no aeroporto com pelo menos 6 horas de antecedência, tranquilamente almoçamos no aeroporto no restaurante do terceiro andar, fomos os primeiros a chegar na fila do Check in que abriria por volta das 17:30, porém as 16:00 já estávamos na porta. Foi exatamente esta atitude que nos salvou e vou contar porque: Próximo das 17:00 apareceu uma funcionária da Ibéria informando que o voo estava atrasado e que o embarque seria apenas as 05:40 da manhã, ou seja, um atraso de 9 horas e a cia enviou um e-mail para os passageiros falando sobre o atraso. Houve um início de confusão e os passageiros começaram a ficar irritados, como éramos os primeiros da fila, pedi para falar com a funcionaria e contei nossa história, tínhamos uma passagem para Roma com escala em Madrid e pedi para ela verificar se não havia possibilidade de nos encaixar em alguma outra Cia para chegar em Roma. A Funcionária da Ibéria pegou nossos passaportes e sumiu por vinte minutos. Ficamos muito apreensivos e achando até que tínhamos sido enganados pela pessoa. A presença de Deus que iluminou aquela senhora foi determinante para que ela voltasse e nos informasse que tínhamos apenas 10 minutos para fazer um Check in na Air France, pegar um voo para Paris e chegar em Roma 8 horas antes. Foi tudo muito rápido, saímos da fila seguimos para o Check in da Air France fizemos os procedimentos de praxe, saímos correndo pelos corredores do embarque sem poder sequer parar no free shopping para fazer nossas compras e fomos quase os últimos a embarcar no avião. De repente, mudamos completamente nosso roteiro. Acha que acabou? Nem pensar .... Segue as loucuras.... É obvio que ao fazer estas mudanças nossas poltronas não seriam aquelas que escolhemos 6 meses antes da viagem. Estávamos próximos, mas em poltronas separadas. A configuração do avião era três poltronas laterais, quatro poltronas no meio e outras três na outra lateral. Eu fiquei sentado em uma poltrona que tinha uma família com um cachorro labrador ( isso mesmo ) que servia de amparo psicológico da sua proprietária, Matheus estava na mesma fileira só que do outro lado, a Cristiane estava duas fileiras a frente e a Mariana três fileiras a frente de nós. Tudo completamente diferente do combinado. Mas para quem tinha passado pelas atribulações anteriores esta parecia mais fácil. Minha poltrona era de corredor e como a pessoa que estava do lado do Matheus também tinha um corredor aceitou trocar até dizendo que adorava cachorro. Já estava junto com o Matheus, aí pedimos para as duas pessoas que estavam ao lado de Cristiane fazerem uma troca, e como a minha cadeira e a do Matheus eram mais espaçosas não foi difícil os passageiros aceitarem a troca. Enfim já estávamos os três juntos, depois conseguimos fazer com que a Mariana viesse para próximo de nós. Antes da partida tínhamos resolvido tudo. Conclusão: Tínhamos feitos tantos planos para este início de viagem e tudo tinha acontecido de forma diferente, perdemos a possibilidade de passear em Madrid, entretanto íamos chegar em Roma 8 horas antes, íamos de ibéria e acabamos seguindo de Air France, estávamos confortavelmente alocados no aeroporto todos juntos e quase fomos todos separados. Na vida devemos acreditar em uma frase bíblica que diz “Em tudo dai graças” Tudo começou muito errado, mas em nenhum momento sentimos medo apreensão ou qualquer outro sentimento de pânico, pelo contrário, nos divertimos muito com toda situação e não deixamos que estes atropelos estragassem nossa viagem. Adrenalina estava em alta e nossa Trip estava só começando...
  14. Nos últimos cinco anos, proporcionei a minha família viagens deliciosas em vários destinos no Brasil e na América do Sul, era chegada a hora de fazer uma viagem internacional, cogitamos uma passagem novamente pelos EUA, mas minha fascinação pelo velho continente me fez pensar em fazer uma aventura ainda maior. Foi assim que nasceu a TRIP FAMILIA MARQUES RUMO A EUROPA 2015. Começo contando nossa história em um pequeno resumo sobre a TRIP e posteriormente farei todos os relatos sobre cada etapa. Período: 17 de dezembro à 08 de Janeiro de 2016. Começamos nossa TRIP por Roma (com escala em Paris ) depois de um atribulado embarque no Rio de Janeiro que resultou na chegada antecipada a cidade em oito horas, nesta linda megalópole ficamos 3 dias e meio, logo após, partimos para nossa primeira perna da viagem rumo a Veneza (548 Km), não sem antes parar em Maranello e fazer uma visita relâmpago ao museu da Ferrari, por lá ficamos duas noites, partindo em seguida para Milão (273 Km), por lá curtimos dois dias e meio. Depois da Itália era chegada hora de seguir para Suíça e a cidade escolhida ficava mesmo na fronteira do lado francês (Annecy ) percorremos 332 Km passando pelo longo túnel que separa a Itália da França e paramos em Chamonix uma das mais charmosas estações de neve nosso objetivo era Genebra e por lá ficamos um dia e meio. Partimos para Lyon ( 144 Km ) descendo pelas lindas montanhas brancas e lá ficamos mais uma noite curtindo a cidade. Em um domingo lindo e ensolarado de Lyon partimos para Paris (477 Km) chegando no fim da tarde na cidade Luz. Na capital luz ficamos por 7 dias, suficientes para conhecer todas as atrações desta bela cidade. No meio deste período fizemos um pequeno bate volta a Reims (144 Km) para conhecer os prazeres da Champanhe. Após uma deliciosa maratona, fizemos um bate volta até Londres de avião partindo do Charles de Gaulle curtindo um final de semana. Retornando a Paris, partimos direto para Marnee La Valle (32 Km) onde fica a Disney europeia e por lá nos divertimos durante dois dias. Após êxtase total e um sentimento de que poderíamos ficar um pouco mais, iniciamos nosso retorno percorrendo 584 Km até Grenoble para pernoitar e fazer um breve tour nesta linda cidade. Saímos pela manhã em direção a Pisa, já na Itália (556 Km), passando por Gênova para almoçar e fazer um curtíssimo Tour, merecendo mais tempo para uma aventura. Nosso último trecho seria de Pisa até Fiumicino (330 Km) para finalizar nossa TRIP com chave de ouro. Foram mais de 5.000 Km em 22 dias de muita diversão.
  15. BARCELONA - VALENCIA. Chegou a hora de partir e dar continuidade a nossa Trip. Acordamos pela manhã no hotel, tomamos nosso delicioso café da manhã e partimos para nosso próximo destino. Na verdade, nosso próximo destino era Madrid, mas desejamos fazer o caminho via Valencia para uma parada gastronômica e nosso objetivo era comer uma verdadeira Paella Valenciana. Vamos aos dados para anotação.: Barcelona – Valencia – 348 Km - Pedágio – 38,20 e combustível 27,00 Euros. Tempo: 3 horas e 30 minutos A estrada que liga estas duas belas cidades é paralela ao mar do mediterrâneo, porém devido a pressa e ao tempo que não tínhamos foi necessário se manter na autoestrada. Minha Dica: Faça este percurso com tempo e tenha muito prazer em parar em TARRAGONA, CASTELO DE LA PLANA percorrendo muitos trechos de praia. Antes do Meio dia já estávamos dentro da cidade de Valencia em busca de um restaurante tradicional para servir uma deliciosa Paella. Aqui tivemos talvez a única falha de planejamento da viagem, na verdade eu fiz muitas pesquisas e cheguei à conclusão que iria direto para um restaurante na beira da praia que tinha muita fama, seria o ideal para o nosso propósito, lancei no GPS o endereço como com todos os outros destinos e me deixei levar pela máquina, acontece que fui parar no centro da cidade em um local totalmente diferente daquele que gostaria de visitar. Nada de pânico, estacionamos o carro em um parking público e fomos passear pelo centro da cidade, como bons turistas começamos a perguntar onde poderíamos encontrar um restaurante tradicional para comer nossa paella. Não foi difícil e encontramos um bem estilo valenciano mesmo no centro da cidade. Dicas.: • Valencia é um destino que merece pelo menos três dias para conhecer com detalhes todos as atrações. • Bairro de Carmen é imperdível tanto para o dia quanto principalmente para a noite. • A região da FIRA de VALENCIA, onde acontece algumas das mais importantes exposições, é um ótimo local de visita além de uma rede de restaurantes impecável. • Cidade das artes e das ciências, culturalmente falando imperdível. • Aquário da cidade que fica dentro da Cidade das artes • Mercado Central de Valencia, considerado o mais limpo do mundo. • Muitas igrejas entre elas, Catedral de Valencia, Basílica de nossa senhora dos desemparados, Iglesia de Santa Catalina • Museus para ninguém botar defeito; museu das ciências, museu de Belas Artes, museu de La Amoina entre outros • Praças; plazas de la virgem, plaza de city hall, plaza de la Reina, praça dos toiros • Praias maravilhosas; Praia La Malvarossa, Praia de Pinedo ( com área de nudismo ), Praia El Saler. Valencia é uma cidade dinâmica e intensa, que mistura o antigo com o moderno, harmonizando cultura espanhola, influencia árabe e muita fartura de comida. Eu e minha família curtimos muito esta passagem pela cidade !!!
×