Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

maicon.amarante

Membros
  • Total de itens

    32
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Minas , São Paulo, Bahia, Tocantins, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Peru,, Bolívia, Chile
  • Próximo Destino
    Equador, Colômbia, Venezuela.
  • Meus Relatos de viagem
    Conheça Pirenópolis Goiás - Cachoeiras dos Dragões : http://migre.me/rcDD1

    Mochilão Bolívia / Peru - Custos, horários, perrengues e uma viagem incrível (Setembro 2015) - http://migre.me/rAXhh
  • Meu Blog

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Quando fui só tinha no horário da noite mesmo, o primeiro era 18hs se não me engano. Uma pessoa me disse que tem van, tipo pirata, mas não cheguei a pesquisar na ída.
  2. Quando fui só tinha no horário da noite mesmo, o primeiro era 18hs se não me engano. Uma pessoa me disse que tem van, tipo pirata, mas não cheguei a pesquisar na ída.
  3. Quero me desculpar por não ter finalizado totalmente o post aqui, mas estava viajando, meu notebook queimou, só agora que parei uma semana em casa e consegui recuperar todos os arquivos que tinha armazenado. Desculpa tbm quem pediu informações e não consegui responder a tempo =/ Depois que esse relato apareceu nos melhores de 2015 do site, muita gente entrou em contato pedindo pra terminar, vou ver se consigo resumir bem dessa parte pós Machu Picchu, que na verdade só fui fazendo o caminho inverso e aproveitando algumas coisas nas cidades. Como faz algum tempo que parei =/ espero não deixar repetitivo daqui. Vou postando as fotos aos poucos. Sonhando em Machu Picchu Acordei no outro dia às 4:30h pra sair 5hs, ia subir pra Machu Picchu pelas escadas, queria chegar lá em cima 7hs pra poder curtir mais tempo sem aquela imensidão de gente. Assim que saí do hostel já tinha algumas pessoas indo pra trilha, tudo escuro e pouco movimento. Assim que você começa a subir os primeiros degraus já percebe que vai ser cansativo, mas eu não estava com muita pressa pra subir correndo e ia parando, descansava e continuava a subida. Vale levar água, pelo menos uns 2litros, pra beber na subida e lá dentro da cidade, alguns lanchinhos também. Assim que entra em Machu Picchu, tem direito de sair mais três vezes, os banheiros, restaurante e lanchonete são todos lá fora. Cheguei por volta das 7:30 na entrada da cidade, fiz algumas fotos, descansei e passei pela catraca, ENFIM, na cidade de pedra. Impossível descrever a emoção de estar alí, desde a chegada em Águas Calientes até o acesso e a primeira vista de Machu Picchu, é algo único. Assim que vai entrando, não dá tempo de muita coisa e bah, Machu Picchu já aparece alí inteira pra você. Conheci todos os setores, só faltou subir na Montanha e ir na Ponte Inka, subi até perto da entrada mas desisti. Fiquei até 15:30h em Machu Picchu, rodando, observando os detalhes e recebendo aquela energia que só o lugar consegue oferecer, é surreal. Em um momento que fui pra sair, não consegui, sentei numa pedra no meio da cidade e fiquei lá observando tudo e pensando como teria sido construído, custo a acreditar no trabalho escravo, prefiro achar que foi com a ajuda do ET’s,hahahaha. Por mais fotos que a gente veja, vídeos, filmes, etc. quando chega lá é outra coisa totalmente surreal. Só conhecendo... Pra voltar foi tranquilo, desci a escada correndo em uns 30 minutos. Agora fica a dica, é melhor subir de van, mesmo sendo caro. Queria economizar, subir a pé seria mais emocionante, só que cansa e muito. É melhor pagar a ída na van e voltar a pé. Voltando para Copacabana No outro dia cedo fui fazer o percurso de volta a Hidroelétrica, saí meio com medo de chegar lá e não ter ninguém pra levar até Santa Maria, tinha visto em algum site que era melhor ir a tarde, pq é a hora que o pessoal prefere voltar, mas arrisquei. Saí de Aguas Calientes umas 8:30 e fui andando pra Hidro, durante a trilha quase toda não tinha muitas pessoas, só alguns locais. Deu pra fazer algumas fotos e curtir mais haha. Cheguei na Hidro umas 11:20h, já tinha uma van e outro carro esperando aparecer alguém pra ir até Santa Maria. Quando chegueinão tinha mais ninguém, mas logo apareceu um casal, depois de alguns minutos outro casal, em menos de 1h já deu pra lotar o carro e ir, 6 pessoas dentro do carro, eu sentei na frente e fui tranquilo, quem tava atrás que sofreu. Pra completar, no caminho o motorista pegou mais 3 locais e colocou no porta malas kkkkkkkkkkkk, eu já sabia que o pessoal lá fazia isso, só não tinha visto ainda, daqueles carros bem lata velha mesmo com 9 pessoas hahaahaha. Tive sorte de chegar em Santa Maria cedo, como já tinha guardado os horário dos ônibus de volta pra Cusco, peguei um em menos de 1h também. Lá vamos nó de novo naquele mesmo percurso de subir e descer montanhas, dessa vez com chuva. Cheguei em Cusco a noite, no terminal de Santiago. Fui a pé pro centro e procurar algum lugar pra comprar uns soles, achei câmbio a 1,75. Peguei um táxi e fui pro terminal de buses pra seguir a Puno. Achei um bus às 22hs pela empresa Transporte Internacional Litoral (NÃO RECOMENDO). Eu ia pegar o primeiro que fosse sair, então fui nessa e já comprei, mas a cruz delsur tinha um outro bem próximo desse horário. Essa empresa fdp, não para dentro do terminal de Puno, ela vai pra um terminal de vans, daquele pessoal que faz lotação e tals, eu tinha perguntando se entrava no terminal pra atendente e ela disse que sim. Resumindo, cheguei em Puno quase 5hs da madrugada, o motorista não foi nesse terminal de vans, parou duas quadras abaixo e só me disse pra subir a rua que o terminal já estava alí. Aí vc pensa, de madrugada, sem conhecer quase nada, naquele frio congelante que faz em Puno, quem já passou por lá sabe. Mas o chato veio depois que eu cheguei no Terminal e vi que não era o terminal de buses de Puno, e sim de lotação, caaaaaaaara que raiva. Pedia informação e ninguém sabia, eu perguntando como fazia pra chegar no terminal e o pessoal dizendo que não tinha terminal, era só aquele. Eu tava com tanta raiva que nem tava sentindo mais frio, e esse terminal nem era coberto. Eu sei que saí do terminal, e não lembro se fui andando e pedi informação depois, mas segui uns 20 minutos a pé até encontreio terminal de buses, nunca fui tão feliz quando entrei naquele lugar quentinho hahaha. Quem for, grava essa empresa aí pra evitar, e sempre pergunta se o bus vai pro Terminal de Puno mesmo ou pra esse com vans que nem lembro o nome. Gastos até aqui: Hidro a Santa Maria: 15 soles Santa Maria a Cusco: 15 soles Cusco a Puno: 25 soles Puno a Copacabana: 15 soles Taxa: 2 soles Copacabana - Lago Titicaca - Isla del Sol Consegui um bus na Tour Peru (Empresa maravilhosa) às 7hs, cheguei em Copacabana 12:30 e já comprei as passagens no barco pra Isladel Sol, são várias empresas, o preço é o mesmo e vão sair quase tudo no mesmo horário. Depois da fronteira tem que voltar pro horário da Bolívia (?), não sei o que fiz que acho que atrasei o relógio em 2hs, só sei que quase perdi o barco pra Isla del Sol. Fui rodar e ia almoçar achando que ainda faltava mais de 1h pro barco sair, quando vi um relógio em uma agência e em menos de 30 minutos já tava partindo, corri pro local e ainda atrasou, ufa! É lindo ir navegando pelo Lago, maaaas, chega a cansar, 1:30h no barco. Chegando na Isla paga 5 bolivianos pra entrar. Algumas fotos: Se for seguir pro outro lado é meio cansativo, muitas subidas. Vale a pena passar pelo menos uma noite por lá. É único o momento e muito boa a sensação. Quando fui retornar peguei o barco a tarde e cheguei em Copas quase 18hs, ia seguir pra La Paz e a maioria das empresas só tinha horário pra La Paz às 18:30, esse é o último horário em todas as agências, pq pra atravessar no lago Titicaca parece que fecha e o ônibus não passa mais. Cheguei em La Paz 22hs e como não tinha reservado nada, saí da rodoviária e olhei alguns ao redor, mas todos caros. Fui olhar na minha lista algum hostel e achei o PirwaHostel, pesquisei no mapa e vi que fica bem próximo da rodoviária, na avenida principal, só era descer a rua. Saí procurando e dei sorte de conseguir vaga. Esse hostel não tem quarto privado, todos são compartilhados. Fica num casarão, bem perto do centro de La Paz tbm, atendimento ótimo, nada a reclamar. Gastos: Barco para a Isla: 30BS (Ida e Volta) Copacabana a La Paz : 25BS Hostel: 55BS Tour por La Paz – Mercado de las Brujas, Teleférico e Tiwanaku Achei La Paz uma cidade bem legal, apesar do trânsito infernal, é uma cidade bonita, com construções antigas, limpa e várias opções de lazer e turismo. A minha programação na cidade era: Vale de laluna + Chalcaltaya, Mercado de LasBrujas, Tiwanaku e teleférico, esses eram meu foco do que fazer por lá, queria conhecer o Museu de Arte, a Plaza Murillo e o Convento de San Francisco, acabei cortando muita coisa por preguiça. Tem muita agência no Terminal de Buses de La Paz que faz o passeio para o Vale de La Luna e o Chalcaltaya, tinha pesquisado em uma e custava 90 bolivianos. Quando cheguei no hostel achei um mapa com algumas atrações e vi que dava pra ir pro teleférico a pé, a estação fica uns 15min do hostel, perto do terminal de buses tbm. Olhando isso, resolvi ir pra lá, pegar o teleférico e ir pra Tiwanaku primeiro de depois fazer o Chalcaltaya. Peguei o teleférico e desci no cemitério da entre rios, é alí que sai a van pra Tiwanaku. Assim que desce é só ir contornando a rua que fica atrás da entrada principal, já saí na praça onde tem uma agência que leva pra Tiwanaku, pelo que pesquisei essa era a única. Tinha pesquisado em alguns relatos por aqui e vi que a entrada em Tiwanaku era 30BS, como eu já tava voltando pro Brasil e La Paz seria minha última parada assim pra curtir mais, fui gastando os bolivianos. Peguei a van e fui, chegando lá o ingresso custava 80 bolivianos, AAAAAAAAH. Nem meia estudantil existe, estrangeiro paga 80bs enquanto local pagava acho que 10bs, um roubo. O ingresso dá acesso a Pirâmide de Akapana, Templo de Putuni,Templo de Kalasasaya, aquela área subterrânea onde tem os crânios, Puertadel sol, Templo e kantatallita, e os dois museus, cerâmico e lítico. Tem uma outra área, Pumapunku, que fica uns 5km de lá, algo assim. Mas, pra ir nessa área só se o guia levar. Assim que vai entrando, tem essa pedra que achei bem interessante. Funcionava como um espécie de megafone, você vai na parte de trás dela e fala baixo, o som do outro lado sai extremamente alto hahaaha, tem outra dessa próximo da Puerta del Sol que era servida para anunciar os ''sacrificios''. Como a gente foi num grupo de 9 pessoas na van, resolvemos contratar um guia, saiu 15 bolivianos pra cada, hô guia caro se fosse pagar individual. Mas esse preço era só na área 1, pra ir em Pumapunku ele cobrava mais 20bs de cada. Ele ficava insistindo tanto lá dentro, toda hora citando, “Despues, Pumapunku”, que me deu um enjoo, resolvi não ir, achei caro tbm, queria ganhar em cima dos gringos haha. Com o guia faz toda diferença, ele explicou tudo lá dentro, então indico contratar, pra conhecer melhor e aprender mais, eu ia fazer sozinho, mas compensou bastante. Segundo ele, aquele espaço lá atrás nessa foto aí embaixo, era o aeroporto que os extraterrestres usavam para ajudar por lá e pra fazer uma escala e seguir pra construção de Machu Picchu, kkkk. Acho que a gente ficou 1:30h andando por Tiwanaku, assim que saímos de lá fomos pro Museu, são dois lá, Litico e Cerâmico. Tem um monolito enorme dentro do museu que não pode ser fotografado, é o maior de todos e vale a pena conferir, vou postar aí entre as fotos. Depois do museu, todo mundo seguiu pra Pumapunku, enquanto isso fiquei por lá. Resolvi almoçar e pensei que o pessoal fosse demorar mais, meia hora depois que saí do restaurante, encontrei o guia e cadê o pessoal da van??? Sumiram! Os fdp foram embora e me deixaram lá. Dizendo ele que eles ficaram buzinando e procurando, mas cara, eu estava num restaurante ao lado do Museu e não vi nada de buzina e de ninguém passando, estava olhando toda hora, aposto que chegaram e subiram e foram pra La Paz. Por sorte, ele me informou onde passava van pra La Paz e fiquei lá esperando pra ir com os locais. A van não vai pro centro, passa perto de El Alto, dava pra descer , andar um pouco a pé, pegar o teleférico e voltar pro hostel, quase que me perco em La Paz kkk. O lado bom é que paguei 5bs a menos na volta e ainda tive sorte de pegar a feira de El Alto, deu pra comprar umas bolachas kkk. Depois que paguei esse valor por Tiwanaku, desisti de ir pro Chalcaltaya, se eu soubesse que era esse preço não teria ído pra lá. Valeu? Sim, pelo conhecimento, maaas, não era aquilo que eu esperava, as construções tão bem sem gracinha, muita coisa ainda em escavação, a única parte legal é a dos crânios e a Puerta del Sol, só. Assim que cheguei fui andar pelo centro de La Paz, conhecer o famoso Mercado de las Brujas e passar pelo Convento. Pra completar o meu azar do dia, fui no Hard Rock Café e estava fechado. Fiquei dois dias em La Paz, tô aqui agora doido pra voltar lá só pra ir no Chalcaltaya e curtir um pouco mais da noite na cidade, que saudade! Gastos: Teleférico:3BS Van a Tiwanaku: 15BS Ingresso Tiwanaku: 80BS Guia: 140BS, divido 15BS/cada. Almuerzo em Tiwanaku: 25BS Van Tiwanaku a La Paz: 10BS O retorno – La Paz, Cochabamba, Santa Cruz, Brasil Depois de despedir de La Paz, pesquisado os preços das passagens vi que não compensava ir de La Paz a Santa Cruz direto, 240BS a passagem . Resolvi seguir pra Cochabamba e de lá pra Santa Cruz, economia de mais de 100BS e ainda ia conhecer mais uma cidade da Bolívia,mesmo que por pouco tempo. De La Paz a Cochabamba são umas 6hs de viagem, comprei a passagem na empresa San Francisco, 40BS, era pra sair 9hs mas atrasou, mais de 1hora de atraso, mas a empresa era boa, compensou. Cheguei em Cochabamba às 5hs da madrugada, só ia ter bus pra Santa Cruz meio-dia, como não tinha pesquisado nada pra fazer em Cochabamba, resolvi sair e andar pelas ruas da cidade, ainda deu pra conhecer a praça principal que é bem bonitinha. A parte ruim de não ir direto é ter que ficar essas horas esperando, mas acho que vale uma parada em Cochabamba, depois que cheguei no Brasil, vi que lá perto de muita coisa pra curtir. Cheguei em Santa Cruz ainda no comecinho da madrugada, o jeito era esperar até 7hs quando o terminal abre pra poder ver os horários para Puerto Quijarro. Depois de alguns minutos no terminal, apareceu um cara que faz transporte pra lá, oferecendo pra Quijarro por 130BS, como eu sabia que de bus lá do terminal era em torno de 80BS, disse que tava muito caro, 90bs eu pagava. Me que ia dar uma volta pra procurar mais gente e depois voltava pra me falar. Nisso foi quase 1h de espera até que ele encontrou mais gente pra poder ir, fechou esses 90bs. Tudo tranquilo na viagem, até que chega em Roboré e eles iam trocar de van, quem fosse seguir pra Quijarro ia em outra pq aquela era só até alí. Quando eu fui descer, o motorista vem me dizer que precisava pagar o restante, HAAHAHA. Eu: “Cara, como assim? Eu paguei pro seu amiguinho que ficou em Sta cruz a passagem até Quijarro, não paguei até aqui”, ele ficou lá sussurrando e não sei oq, puto de raiva, eu só falei, ‘’não vou descer aqui e não vou pagar mais nada’’, kkkkk. Segui e cheguei emQuijarro vivo. Fui trocar os últimos bolivianos por reais e despedir da aventura na Bolívia. Gastos: La Paz a Cochabamba: 40Bs Cochabamba a Sta Cruz: 60BS Santa Cruz a Quijarro: 90Bs Apesar dos perrengues, a viagem foi uma das melhores da vida, o Salar é até hoje o lugar mais incrível que conheci. A Bolívia é linda, as pessoas de lá são mais lindas ainda. Da mesma forma com o Peru, fantástico. Muito conhecimento adquirido nesse mochilão, nunca me senti tão bem e tão livre como nessa trip, valeu todo o sacrifício e investimento. Que venham novas aventuras!
  4. maicon.amarante

    relato São Desidério - Bahia

    Olá Ed Sabe me dizer o valor de algum guia por lá? Estou querendo ir agora no final do mês mas não consigo muita informações. Valeu!
  5. Como chegar em Machu Picchu pela Hidroelétrica Esse foi um dos tópicos que mais pesquisei quando estava planejando o meu mochilão, e foi o que mais sofri por falta de informações bem detalhadas sobre como chegar em Águas Calientes pela hidro. Peguei algumas dicas em vários sites e fui juntando tudo pra tentar entender bem como é, nenhum falava tão detalhado. Bom, vou tentar explicar aqui e espero que quem vier em busca de informações consiga entender rs. Pra fazer esse percurso ~de ônibus~ vc vai ter que sair beeeeeem cedo de Cusco e só vai conseguir chegar em Águas Calientes no fim da tarde. É um dia inteiro viajando por montanhas e mais montanhas, abismos e mais abismos, hahaha, mas no final compensa cada segundo. Pra quem quiser evitar o ônibus, tem van que sai de Cusco e vai direto pra Hidro, mas como eu não sabia dessa opção nem cheguei a pesquisar, quando estava indo pro Terminal que vi um pessoal oferecendo, achei que fosse ser muito caro pq eu tava sozinho e não me interessei. Mantive contato com algumas pessoas que foram esse mês e pagaram 70 soles nessa van. A estrada de Cusco a Santa Maria é asfaltada e bem tranquila, a única coisa chata são as curvas, muitas curvas subindo montanha acima. Gasta mais ou menos 5hs de Cusco até Santa Maria. De Santa Maria para a Hidroeletrica são mais ou menos 1:30 numa estrada bem punk, sem asfalto, na beira do abismo e com mais curvas hahaha. Saindo de Cusco... Acordei 6hs, chamei um táxi e fui pro Terminal, lá só possui duas empresas que faz essa linha de Cusco a Santa Maria, Ampay e a Ben Hur, um sai às 7:45 e o outro às 8h, depois disso só vai ter ônibus 13h e outros mais no fim da tarde, caso vc queira chegar a noite na Hidro pra fazer a trilha pode pegar esses mais tarde, não recomendado kkk. O ônibus sai do Terminal Quilabamba, caso o taxista não souber, diz que é o terminal Santiago, de onde saem ônibus para Santa Maria e Quillabamba, o meu ficou meio perdido mas me deixou no lugar certo rs. Chegando no Terminal, que é bem pequeno, compre logo a passagem para Santa Maria. Cheguei lá cedão e tive que aguardar mais de 1h, comprei na Ben Hur com saída 8hs, peguei a poltrona 45, devia ser a última pq ninguém merece aquela poltrona bem no meio do corredor, quase não vi nada durante a viagem, perdi a adrenalina dos abismos kkkk. A viagem demora umas 5h, o ônibus é apertado mas tranquilo, se tiver um fone é só ligar o som e curtir , depois de Ollantaytambo é que vai ficando punk com a estrada cheia de curvas huahuahua. Fique bem atento depois que tiver completando umas 4:30h de viagem, pq quando chega em Santa Maria o ônibus não para em terminal nenhum, ele para no meio da pista, as pessoas descem e ele segue seu destino. Cheguei lá por volta de 15hs mais ou menos. Não vai ter ninguém avisando que vc chegou em Sta Maria. Pra não passar do ponto, tenta falar com alguém que conheça pra te avisar quando chegar. O ônibus parou em Santa Maria e eu tinha cochilado, umas meninas entraram vendendo pão e eu acordei, quase que passo do lugar e sei lá onde ia parar kkkk. Depois que descer em Sta Maria, se tiver sorte de ter muitos mochileiros fazendo o mesmo caminho e indo pra hidro, é só achar os motoristas da van e seguir, foi o que aconteceu comigo, não fiquei nem 5 minutos e apareceu um cara oferecendo. Alguns vão pra Santa Tereza e outros até a Hidro, não arriscaria ir pra Sta Tereza e tentar pegar de lá, é melhor ir direto dalí. Eu já estava enjoado de ver montanha de Cusco até Santa Maria, não aguentava mais subir/descer, curvas, sobe, AAAAAH. Acho que a gente chega a uns 5 mil metros de altitude pq quando o ônibus parou em algum boteco lá por cima, tava um frio congelante, muita neblina, ventos, quase chovendo, depois quando vai descendo e chega em alguma cidade tá aquele calor de novo. Tava reclamando de boca cheia, depois de Santa Maria é que a estrada punk vira estrada SUPER punk, são mais 1h30 de estradas na beira do abismo, e pra piorar, sem asfalto e só passa um carro por vez. Eu pensei que fosse morrer antes de conhecer Machu Picchu, sério mesmo . O fdm do motorista estava a 60km/h naquela estrada, parava na beira do abismo fazendo graça, meu coração quase saiu pela bunda kkkkk. É muito louco pq se vem um carro e a pessoa não buzina dando um sinal de vida, vai bater alí e algum dos dois ou os dois vão dançar caindo buraco abaixo . Mas enfim, não morri hahahaha. Nessa segunda foto aí embaixo dá pra ver bem como é a estrada depois de Santa Maria, pelo menos parte dela kkkk. Depois de enfrentar tudo isso e quase morrer ~do coração~, finalmente cheguei na hidroelétrica. Depois dalí é tranquilo, só seguir os trilhos do trem e fazer uma caminhada de mais ou menos 1:30/2hs, eu gastei 3hs, tava com muito peso, parava demais, cansei e fui chegar depois das 18h em Águas Calientes. Quando o carro parar na Hidro vc vai ver os trilhos, como nessa foto aí em cima, mas tente pegar informação com alguém pra não seguir errado. Claro que vai ter muita gente indo, provavelmente, mas muita gente segue o trilho por baixo e depois volta, o certo é seguir até um restaurante que tem lá e já subir pra parte de cima dos trilhos, é bem sinalizado. Minha dica pra quem for é tentar caminhar por esse lado aí onde tem pouca brita com o caminho mais livre, cansa menos. Também preste muita atenção quando tiver andando, melhor não ir ouvindo música pra escutar o trem chegando e sair dos trilhos. O rio te acompanha praticamente a viagem inteira, se tiver muito forte vai atrapalhar ouvir o trem. Quando tiver chegando nesse lugar dessa foto aí embaixo, preste bastante atenção. Essa é a estação Puente Ruinas, tem uma galpão verde dos dois lados, bem aí do lado tem uma escada que vc desce e sai na ponte que vai pra Machu Picchu, e tbm na estrada pra chegar em Águas Calientes. Eu não sabia, aliás, sabia disso, mas não prestei muita atenção nesse detalhe, esqueci na hora e passei direto. Vai sair em Águas Calientes? Vai, mas não é recomendado seguir por cima, tem até uma placa depois informando que é proibido, pq vai ter que passar por por dentro de 2 túneis. COMO NÃO CURTIR ESSA TRILHA DA HIDRO COM ESSA PAISAGEM TE ACOMPANHANDO??? CHEGOU! Chegando em Águas Calientes um cara me entregou um cartão do hostel, guardei e fui procurar algum lugar pra trocar dinheiro e morrendo de medo da Casa de Cultura não tá aberta, não tinha comprado o bilhete pra Machu Picchu ainda e se não conseguisse ia me ferrar, ter que ficar mais dias por lá, o que não seria ruim rs. Achei câmbio por 0.60, AAAAAAi meu bolso (((, troquei suficiente pro hostel e pra volta. Eu pensei que na Casa de Cultura dava pra comprar o ingresso pra Machu Picchu no cartão, me ferrei, só aceita à vista. CAAAARA, tava pobre de novo pq era a única coisa que eu queria passar no cartão, mesmo sabendo que seria beeem caro depois kkk. Águas Calientes é bem pequena, no cartão que o cara me deu tinha um pequeno mapa indicando onde ficava o hostel, só por ele eu consegui andar pela cidade e achei, bem próxima da praça de armas, três ruas acima. Valeu super a pena. Bom, barato, com água caliente e wifi. Tomei um banho e fui procurar algum lugar pra comer, andei, andei e saí no melhor lugar da cidade, bem próximo do Campo de Futebol, vários restaurantes com comidas locais e bem mais em conta que na rua principal. Não fiz muita coisa na cidade, dormi cedo, quase meia noite kkkk, pra acordar 4:30h, ia subir até Machu Picchu à pé e precisava acordar cedo pra tentar chegar lá até 7hs. Morto de ansiedade pra realização de mais um sonho. Gastos: Táxi - 7soles Bus de Cusco a Santa Maria - 15 a 20 soles Van de Sta Maria para a Hidro - 15 soles Hostel Dalila - 20 soles Cena - 10 soles
  6. Não ficou repetitivo, só tive q voltar por Copacabana e La Paz, que tinha passado antes, mas dá pra fazer outra rota, se for pelo Chile e seguir pro Peru voltando pela Bolívia, tem muita cidade que dá pra curtir
  7. Oi Leticia, tem como sim, não são todas que inclui o ingresso tbm. São várias opções, vi muitas agências numa rua paralela ao Mercado San Pedro lá em Cusco, só não sei como deve funcionar em alta temporada, mas se vc for ficar pelo menos 1 dia em Cusco certeza que consegue tranquilo
  8. Quero riscar Equador e Colômbia da minha lista no ano que vem hahaha, acompanhando pra ir guardando as informações =D
  9. Apaixonado por Cusco Cheguei em Cusco e fui procurar um táxi pra ir pro hostel, vi o preço com um antes e ele cobrou 15 soles, saindo do terminal apareceu alguém pra ir em outro lugar mais longe e ele pediu pra eu ir com um outro cara. Entrando no carro perguntei quanto era e ele cobrou 20 soles, perguntei quanto seria até a pça de armas, 10 soles. O hostel que eu ia ficar era duas quadras acima da pça de armas, mas como eu não tinha olhado no mapa, nem sabia. O cara me roubou, fdp kkk, cobrou mais 10 soles pra andar três ruas, eu poderia ter descido lá e ido a pé kk. A maioria dos taxistas cobram 10 soles da Pça de Armas até o terminal de buses, na volta eu paguei S/7. No InkaClub Hostel a diária estava 45 soles em um quarto pra 12 pessoas, a atendente disse que caso eu quisesse poderia fazer um desconto no quarto com 6 pessoas, por 35 soles, e que estava vazio então se não chegasse ninguém eu ficaria só. Na hora topei. E foi o que aconteceu, não chegou mais ninguém e fiquei em um quarto ~com banheiro dentro~ haha, só pra mim. Deixei as coisas e fui rodar pela cidade. Primeira parada: Museu do Chocolate *-* Houvi boatos de que alí servia o melhor chocolate quente de Cusco, fui logo experimentar. O museu é incrível, bem organizado, tem os funcionários que te guiam, explicando sobre a origem do chocolate, fazendo degustações e conhecendo tudo. Eu gastei o que não devia por lá kkk, tem licor de chocolate, bottons, cerveza artesanal, pasta, e tudo mais de chocolate, não resisti rs Depois que saí do Museu fui andando pelas ruas e conhecendo alguma coisa, até que parei num mercado de artesanato. Nunca vi tanta coisa linda Comprei uma camiseta foda do calendário inca nesse mercado. Achei Cusco legal pq os pontos geralmente são todos próximos e vc pode conhecer tudo a pé, se não tiver preguiça kk. Desci pra Praça de Armas e assim que sentei em frente a Catedral umas pessoas vieram falar comigo, queriam me entrevistar hahahahaha. Cara, nem cheguei e tô dando entrevista assim kkk, mas foi legal, apesar de até agora eu não ter achado o vídeo pra ver minha cara de c* rs. Depois de contar um pouco da minha experiência de viagem e dizer que estava amando aquele país, fui conhecer o Mercado de San Pedro. Não achei tão legal, pensei que as coisas lá fossem mais baratas mas o preço não varia muito. Parei pra almoçar e adorei aquele clima, o contato com as pessoas, foi o melhor mercadão da viagem. Saí de lá e fui procurar a Catedral de São Francisco, que era bem próximo. Sentei lá em frente esperando tempo passar e tentando achar no mapa o Museu Inka, rodei tanto procurando e devo ter passado do lado dele mas não encontrei =((( Parece que fica perto ou na Pça de Armas, olhei a rua, achei o local mas não encontrei o museu tsc tsc. Fiquei a tarde inteira curtindo a cidade. Fui no Santa Catalina Museum, Qoricancha, me perdi naquelas ruas, dei muitas voltas, subi a pé pra Saqsayhuaman, tive a melhor visão da cidade lá de cima e fiquei em frente a Igreja de San Cristobal observando aquela cidade linda, ótimo lugar pra ver o pôr-do-sol tbm. Vou ver se consigo anexar um mapa com alguns locais e coisas pra fazer em Cusco no final desse post. Voltei pro hostel e era quase 19hs, tomei um banho e precisava voltar pra curtir a noite de Cusco haha. Era sábado, então já imaginava como aquilo ia tá agitado, era tudo que eu queria kk Saí e fui logo pro Indigo, um bar foda pra caralho, onde tomei a cerveja mais gelada dessa viagem. Pedi um Pisco Sour, tava doido pra experimentar essa bebida por lá. Depois era vez de experimentar a Cusqueña, gelaaaaada! Que cerveja gostosa, depois desse dia minha grana ficou todas nos botecos da vida comprando a Cusqueña kkkk. Tinha esquecido alguma coisa no hostel e voltei pra pegar, aproveitei pra comer alguma coisa lá do lado e não ficar bêbado de cerveza kkkkkkkk, jantei e fui pra pça de armas. Como quase todo mochileiro diz que ama aquela o Mama Africa, passei logo por lá pra ver como estava. Não gostei muito, acho que esse devia tá rolando alguma festa foda ~que eu não descobri kk~ pq lá estava bem vazio. Fui procurar alguma outra balada e achei um lugar bem cheio, não lembro o nome, mas era duas ruas abaixo da praça. A rua estava cheia, a galera na porta querendo entrar, aí pensei: esse é o lugar hahaha. Depois que saí de lá fui pro Mc Donalds comer alguma coisa, minha salvação. Era altas madrugadas kk e a praça de armas lotada, botecos cheios, galera animada, GENTE é nessa cidade que preciso morar. Quem é Rua Augusta na noite de Cusco? Ninguém! HAHAHAHA Fui voltando pro hostel e ainda parei perto do Indigo, na rua lateral rolando altos rock em algum andar de cima e não consegui achar a entrada pra’quele boteco =SSSSS parei lá um pouco e tem umas três casas de festa perto da outra, uma galera bem interessante e tals kkk Fui dormir pq no outro dia precisava acordar cedo pra seguir pra Águas Calientes, como não ia de trem, a viagem ia ser punk e era melhor não estar morto hahaha. Cusco merece pelo menos uns 3 dias, pra curtir tudo mesmo. Eu não quis fazer o Vale Sagrado, fica pra outra vez. Gostei muito mesmo de Cusco e pretendo morar lá algum dia kkkk. Esse mapa facilitou muito... Vou deixar alguns valores caso alguém se interesse... O City Tour em uma agência que vi (Inti Paradise) custava 20 soles, mas isso só o transporte. Qoricancha, Sacsayhuaman, Q’engo, Puca Pucara e Tambomachay. O transporte pra Pisaq, Ollantaytambo, Chinchero e outras custava 30 soles. Esse mesmo valor tbm p Maras e Moray. O boleto turístico varia, dependendo do que vc vai fazer, qts dias, de 70 a 130 soles. Machu Picchu by Car A quem interessar tbm, nessa mesma agência o by car custa 110 dólares, 2 dias e 1 noite. Inclui transporte até a Hidroelétrica, hostel em Águas Calientes, entrada e guia para Machu Picchu. Gastos: Táxi : 20 soles Hostel: 35 soles Chocolate quente no Choco Museu: 13 soles Cena: 8 soles Almuerzo: 7 soles Mc Donalds: 11 soles Noite: ? Saqsayhuaman: Eu não lembro o valor mas acho que foi 50 ou 60 soles a meia-entrada.
  10. Valeu, Jefferson. Vai ficar meio corrido mesmo mas dá pra curtir, se vc for direto pra La Paz. Acho que rola de fazer o Salar, voltar e aproveitar dois dias em La Paz, pode fazer o Chacaltaya e a Estrada da Morte, um dia e noite em Copacabana e dois ou três dias em Cusco, se vc não for pra Machu Picchu, ou 1 dia em Cusco e reservar dois pra M.P. A grana é suficiente, se economizar bem e na época não for alta temporada.
  11. Acredito que sim, eu ía levar 4mil e um cartão de crédito pra emergências, pelas minhas contas tava dando e o dólar a quase 4R$. Mas economizando bastante, hostel em conta, sem muitos passeios no Atacama pq são beeem caros e fazer Machu Picchu pela Hidro.
  12. De passagem por La Paz... Peru, aí vou eu! Depois de chegar do Salar e de volta a Uyuni, fui comprar a passagem pra La Paz, o bus que achei era às 20hs pela Empresa Cruz Del Norte. Ainda tinha algumas horas e fui dar uma volta numa pequena feira que tinha em uma rua lá em Uyuni, comprei um rocambole de doce de leite e acho que nunca comi um bolo tão gostoso como aquele de Uyuni, hahaha. Fazia muito frio a noite, Uyuni não deve gostar de calor, sempre frio haha. Voltei pra agência e aguardei lá dentro, fugindo do frio. Conheci um coreano por lá que não tinha nenhuma jaqueta, o cara morrendo e as gurias da agência sem entender nada que ele dizia kkk O bus saiu na hora e logo desmaiei no sono, acordei e estava chegando em Oruro, milagre conseguir dormir muito em ônibus, deve ter sido o cansaço do Salar. O vidro do ônibus suava mais que tudo, não queria nem saber qual a temperatura que fazia lá fora, chega de frio rs. Cheguei em La Paz ainda de madrugada, por volta das 4:30h, acordei com o barulho das buzinas. O meu plano inicial era ficar dois dias na cidade, mas resolvi seguir pra Cusco e deixei pra curtir La Paz quando estivesse voltando. De La Paz tem ônibus direto pra Cusco, saídas às 8h e às 14hs, pelo menos numa empresa que olhei, a passagem custava 160B$. Como eu sabia que se fosse pra Puno e depois Cusco eu economizava mais, não quis comprar direto. A economia é de uns 40%. Fica a dica pra quem for fazer esse trajeto e quiser economizar tbm. Comprei a passagem pra Puno com saída às 8:30h, a tarde tem mais horários. Não lembro o nome da empresa. Assim que ônibus sai do terminal de buses de La Paz a gente já bate logo de cara com o trânsito dos infernos. Muitas vans, sem organização e buzinas, muitas buzinas. Acho que nem em São Paulo o trânsito é tão insuportável como lá em La Paz, não aguentava mais. E demora pro ônibus sair da cidade e pegar a rodovia, quase 1h rodando e subindo morro. É interessante os costumes dos motoristas com a buzina. O cara na estrada, quando avistava alguma pessoal ou animal atravessando começava a buzinar numa distância de 1km, sério mesmo. Imagine uma distância do tamanho da largura de um campo de futebol, o motorista começava a buzinar, aquilo me dava uma agonia kkk. Dentro da cidade mesmo já dá pra avistar parte da cordilheira dos Andes bolivianos, aquele contraste. Assim que sai da cidade boa parte da viagem é acompanhando aquela beleza. 3hs de viagem e começa a aparecer uma parte do Lago Titicaca, quase chegando em Copacabana e acompanhando aquela maravilha de fundo. O ônibus para em um povoado e todos descem, é ali que faz a travessia do lago pelas balsas e barcos. Aqui compra um ingresso para o barco, 2B$. Em menos de 10 minutos chega do outro lado e aguarda o bus. Tem um pequeno mercado, algumas pessoas vendendo artesanatos e alimentos. Fique de olho no seu ônibus para não perder. Vai saber se o motorista fez a contagem ou se tá preocupado com isso kkk O Bus chega e seguimos em direção a Copacabana. A estrada é asfaltada e o tempo inteiro por montanhas com o lago Titicaca de fundo. Chegamos em Copas por volta de 12:30, como comprei passagem direto pra Puno, ia fazer uma troca de ônibus e ele sairia às 13h. As empresas em Copacabana são quase todas em duas ruas lá da cidade e não tem como se perder. Dei uma volta, comprei uma água e aguardei. Ia seguir viagem com a Tour Peru até Puno. Essa foi a única empresa que quis implicar com minha cargueira, viajei o tempo inteiro com minha mochila na parte de cima e ninguém nunca tinha reclamado de nada. Eles entregaram um papel pra preencher pra adiantar o processo na fronteira da Bolívia com o Peru, escolheram o assento e avisaram pra colocar as mochilas na parte do bagageiro. Fui lá e perguntei pro cara que estava guardando se podia levar a minha mochila em cima e ele disse que sim, voltei pra entrar e o outro que estava recolhendo a passagens não queria me deixar subir. Depois de reclamar e reclamar, e ele dizer que não seria responsável pela mochila na parte de cima, me deixou entrar. Depois que chegou na fronteira que fui entender essa preocupação deles. Quando chega lá todo mundo sai e o motorista estaciona o ônibus e fica lá em algum lugar esperando, nem sempre por perto e a porta do carro aberta. Se caso acontecer de alguém quiser dar uma de espertinho e pegar as coisas que ficaram lá, ninguém percebe rs. Eu tinha deixado tudo lá pra passar na fronteira e quando percebi isso, putz, quem mandou não ouvir os caras da agência? Kkkkkkk Assim que chega na fronteira, passa pelo lado boliviano e segue a pé até o lado peruano. É só seguir e passar pelo arco haha. A polícia boliviana é bem simpática e mais tranquila, já do lado peruano não posso dizer o mesmo, o cara tudo de cara fechada e não respondia nem um ‘boa tarde’ Enfim, Peru. Seguimos e a funcionária da empresa Tour Peru ofereceu um passeio as Islas Flotantes por 20 soles, o barco sairia às 16hs e com retorno às 19:30h. Chegamos em Puno às 16:30, mas no horário local era 15:30h, menos 1h. Como eu não sabia que horas teria bus pra Cusco e pensei que fosse ser logo, não quis fechar o passeio com a agência, que arrependimento, tsc. Quando fui olhar horário de ônibus pra Cusco, todos eram depois das 21hs. Fiquei aguardando esse tempo todo, daria pra ter ido as islas e aproveitado mais a cidade. Fui almoçar lá ao redor do terminal e voltei, não fiz nada de útil e esperando até 21:30h. Troquei 220R$ no terminal de Puno, cotação melhor que achei foi de 1R$ = 0,80. Paguei 30 soles na passagem pra Cusco pela empresa Titicaca Bolívia, na cruz Del Sur estava 55 soles, as outras era nessa mesma média, não mais que S/50. O bus era até confortável, a estrada pra Cusco é tranquila e segundo a empresa o ônibus chegaria às 5hs. Se tudo desse certo eu chegaria em Cusco e seguiria pra Águas Calientes, a ansiedade de chegar logo em Machu Picchu era tanta que nem queria saber de fazer mais paradas, deixando pra curtir tudo quando estivesse voltando de lá. Algumas horas de viagem e desmaiei de novo, estava morto mesmo que nem vi nada durante a viagem, acordei era quase 3h com os motoristas dando pancadas lá embaixo nos pneus do ônibus. Pensei que não fosse nada demais e voltei a dormir. O tempo passa e nada desse ônibus sair do lugar, QUEBROU! Era o primeiro bus da viagem inteira que tinha quebrado e não me importei muito, apesar dos perrengues uma hora eu chegaria em Cusco kkkk.O foda é que estava perto da cidade, mais umas 2hs e a gente chegava, mas o caras ficaram essas duas horas tentando arrumar o carro, ninguém desceu e só ouvia as pancadas lá embaixo. Era mais de 5hs quando o ônibus finalmente resolveu sair do lugar. Cheguei em Cusco 7hs. A viagem que seria de mais ou menos 8hs, fechou as 10hs de sofrimento rs. Gastos: Passagem La Paz – Puno : 50B$ Café em La Paz: 8B$ (café com leche + bolo) Taxa de uso em La Paz: 2B$ Bano: 0.50 Passagem Puno – Cusco = 30 soles Almoço: 7 soles Gastei uns 10 soles com internet/wifi
  13. Salar Dia 3 - Cansativo e algumas paisagens magníficas O terceiro e último dia no Salar começa beeeeem cedo. Lembra que no dia anterior antes das 21hs todo mundo já tinha ido dormir? Pois é, no outro dia às 5hs da madruga já tem gente caindo na estrada novamente, algumas saem bem antes disso pra ver o nascer do sol por trás das montanhas. Coloquei o cel. Pra despertar às 4:30h, mas a preguiça era tanta que ninguém do meu quarto tinha acordado ainda, e como não vi nenhum movimento lá fora, resolvi descansar mais um pouco, às 5h pulei da cama rs. O nosso querido motorista tinha dito que a essa hora estaria servido o café e às 5:30h a gente ia sair, mas ele atrasou tbm e às 5h foi bater no quarto pra acordar todo mundo. Saímos atrasados às 5:50h em direção aos Geisers. Fomos avisados no dia anterior pra colocar bastante roupa de frio, luvas, cachecol e tudo mais pq esse dia estaria muito frio e no local do Geisers ía tá congelando. Quando foi pra colocar as coisas em cima do carro já começa o sofrimento de tentar ficar lá fora com aquele frio todo, fazia -10ºC , e pra completar, alguém colocou roupas no arame e não sei o que aconteceu que enrolou os fios e não saía de jeito nenhum, tô lá aguardando quando vejo 5 pessoas grudadas no varal tentando desatar o nó das roupas kkk, foi engraçado, a gente morrendo de frio, atrasados e o negócio não soltava, foi bem uns 8 minutos alí no sofrimento. Esse dia é cansativo pq quase não tem nada pra ver, não faz muitas paradas, a gente passa mais tempo viajando e tudo termina às 11hs =/ Do meu grupo, só a Elana e eu que voltaria pra Uyuni, o restante seguiria para o Chile. É engraçado que vc passa tão pouco tempo com as pessoas e começa a curtir aquilo tudo, os momentos, as conversas, que na hora de ter que deixa-los e seguir é um pouco ruim. Pelo menos no meu caso, que viajei sozinho, as companhias eram sempre bem vindas. Chegamos nos Geisers por volta das 6:30h, acho que o tempo pra gente ficar ali era de 15 minutos, mas ninguém conseguiu ficar nem 10m fora do carro hahaha. Faz muiiiito frio, cara. Mas é incrível. Esses dois primeiros das fotos são artificiais, passamos por eles mas não descemos, é só pra turista mesmo, sabe? Kkkkk, a gente queria os de verdade. Mas é bem foda, só não tente entrar dentro assim dos verdadeiros geisers pq não pode ser uma boa ideia kkkk Eu já disse que nesse lugar faz muito frio? AAAAAAARRGH! Eu não sei se é todo dia assim, só sei que pra fazer uma foto foi foda, foi descer o zíper da jaqueta e bate logo esse caralho aí que to morrendo kkk Imaginei como deve ser legal os que tem lá no Deserto do Atacama, os Geisers Del Tatio, era um dos meus passeios que não rolou mas no meu próximo com certeza pretendo ver esses do Chile. Fotos... Só pra lembrar, não editei nenhuma das fotos, até pq não precisa. A beleza natural é muito mais legal rs. Pena que não posso compartilhar todas fotos que fiz pelo Salar pra poder mostrar de alguma forma como esse lugar é mágico. Seguimos em direção as águas termais, a estrada com sal parecia neve, é lindo! O local onde tem a piscina é sensacional, muito bonito mesmo. A temperatura da água é de 40º, não ventava muito por lá mas fazia um pouco de frio, quem for pro salar não deixe de entrar na água. Fiquei com preguiça de tirar toda a roupa, bota e tudo mais, depois colocar tudo de novo, e a gente só tinha 40 minutos, resolvi só curtir o lugar. Paga 2b$ pra entrar na piscina e incluso o banheiro pra trocar de roupa. Não tem ninguém lá fiscalizando, vc vai numa casinha e compra o ingresso, isso segundo o que nosso guia falou. Do meu grupo só a Elana entrou. Vi o pessoal chegando e alguns brasileiros, escutei uma conversando lá com o grupo dela: ‘’ah, não tem ninguém aqui vendo nada, não vi placa em lugar nenhum que tem que pagar pra entrar, vou só ali trocar de roupa e entro já’’, e foi o que ela e mais alguns fizeram. Na hora pensei: tinha que ser brasileiro mesmo kkk. Ok, não tem ninguém lá, mas cara avisaram pra vc que tinha que pagar, e porra são só 2B$ pra manter o lugar, alguém trabalha pra manter aquilo alí e esse dinheiro vai ser útil, sacanagem. Atrás da piscina tem uma laguna e ela estava toda congelada. GENTE, é muito bonito. Aproveitei pra andar sobre a água congelada e caraaaaaa, que demais hahahaha. Como muita gente fica lá na piscina só curtindo o banho quentinho, acho que quase ninguém percebe que a água é congelada e perde a oportunidade de curtir aquilo. A laguna é um pouco afastada, acho que uns 10 metros, devia ter alguma proteção pra não chegar tão próximo, mas com o tempo acho que sumiu e como quase ninguém vai lá, não se importaram em arrumar. Tinha só duas pessoas andando lá, uma mulher baixa correndo na água congelada e ia tipo bem longe mesmo, como eu sou gigante fiquei pensando que se eu fosse muito longe da lateral ali o gelo poderia quebrar, mas não resisti kkkk, e foi exatamente o que aconteceu HAHAHA. Comecei a andar e resolvi programar a câmera pra fazer uma foto, quando cheguei mais longe, praft, meu pé começou a afundar kkk, nem vi quando pulei de volta pra terra kkkkkkkkkkk. Algumas fotos... Depois de horas dentro do carro, paramos no Deserto de Dali. A paisagem da viagem inteira é linda, mas quando vai se aproximando do Deserto de Dali vai ficando surreal. É muito foda, parece mesmo uma pintura. Queria ter curtido mais, tirado algumas fotos mas nosso guia estava atrasado que só deu 5min e não rolou nem de caminhar um pouco por lá, queria ter curtido mais. É um dos lugares mais incríveis que já vi na vida. Mais algumas fotos ... Seguimos para nossa última parada: Laguna Verde e Vulcão Licancabur. A laguna verde que não estava verde devido ao horário, segundo o guia quando o sol fica mais baixo ela começa a ter uma cor mais esverdeada. Das 11 às 15h, dizem que atinge uma cor esmeralda, deve ser muito lindo mesmo. Com o Licancabur ao fundo a paisagem só se completa. Esse foi o vulcão mais bonito do Salar inteiro. 5.916 metros de altura. Não sei se a visão do Chile deve ser tão foda como é do lado boliviano, mas vale a pena cada segundo ali. A parte chata é ter que dizer adeus aos nossos companheiros da viagem que seguiriam pro Atacama. E eu quase chorando só de pensar que era pra eu tá seguindo também Vários grupos de várias agências se encontram alí e fazem a troca dos carros para voltar a Uyuni. Elana e eu voltamos com o pessoal da Esmeralda Tour, tivemos sorte de pegar um guia legal e mais 3 pessoas super animadas hahaha. Era quase 11hs quando caímos na estrada novamente, seria mais umas 6:30h de viagem até Uyuni, com previsão de chegar na cidade às 17h. Tivemos 3 paradas na volta: a primeira pro almoço em um lugar incrível, a segunda num local cheio de pedras gigantes que não consigo lembrar o nome e a terceira em San Cristóbal, uma cidadezinha interessante. O carro parou e o guia foi preparar o almoço, alí no meio do nada, sem mesas, sem bancos, mas rodeados de montanhas, um pequeno rio do lado com algumas partes congeladas, uma visão sensacional e algumas lhamas passeando. Meu segundo melhor almoço dessa viagem pelo Salar =D Depois do almoço é só estrada, estrada, estrada e mais estrada. Bate aquela preguiça de saber que tá acabando. A gente ainda passa por lugares bem legais, alguns vulcões que o pessoal vai escalar, sobe uma parte de uma montanha de carro e lagunas... O guia não podia ver alguém pegar o cel ou câmera pra fazer uma foto que ela parava haha, esperava descer do carro e fotografar e tals, comentando dos lugares. Depois de muita viagem, a gente para na ‘’Selva de Pedras’’, que eu não consigo lembrar o nome mas acho que é Vale de Rocas. São várias pedras enormes, algumas dá pra escalar e subir até o topo, algo bem arriscado que eu não quis fazer, se cair dalí pode dizer adeus a tudo kkkk Ficamos uns 40 minutos andando e fazendo nada rs Seguimos pra San Cristóbal e a parada era só pra fazer um lanche. A cidade é bem bonita e alí serve de sede para os mineiros e tal, não pesquisei muita coisa, tava morto da viagem. Dei uma volta e esperei no carro pra seguir. Saindo dalí já volta o asfalto e acho que 1:30h depois chegamos em Uyuni, era quase 18hs. O guia deixou a gente em frente o escritório da Word White Travel, a agência que contratamos. Aquela atendente simpática ajudou Elana e eu mostrando os lugares das agências de bus desenhando num mapa e explicando tudo. Me despedi de Elana, agradeci pela paciência e ajuda na viagem inteira hahaha, sem ela a minha comunicação com o restante do grupo não teria sido muito boa rs. Elana seguiu pra Sucre e eu fui atrás do meu bus pra La Paz. E assim acabou os três dias mais fodas da minha vida. O Salar de Uyuni é tudo e muito mais isso que a gente já viu nas fotos, nos relatos, nas pesquisas. Eu pretendo voltar algum dia, espero que logo. E quem não conhece, coloca esse lugar na sua lista e comece a planejar pq vale a pena.
×