Ir para conteúdo

nnaomi

Membros de Honra
  • Total de itens

    2.709
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    4

nnaomi venceu a última vez em Junho 29 2019

recebeu vários likes pelo conteúdo postado!

Reputação

41 Excelente

7 Seguidores

Sobre nnaomi

  • Data de Nascimento 13-02-1976

Bio

  • Ocupação
    Pesquisadora (Computacao Cientifica)

Outras informações

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. nnaomi

    Ilha do Mel

    oi gente, postei um relato da Ilha do Mel, completando a série de relatos q começa em Curitiba e passa pelo litoral. **************************************** Nanci Naomi http://nancinaomi.000webhostapp.com/ Trilhas: Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté Relatos: 23 dias no PR - dez/2018 - Parte 1: Natal de Curitiba | Parte 2: Morretes | Parte 3: Guaraqueçaba | Parte 4: Ilha do Superagui | Parte 5: Ilha do Mel 15 dias em SC - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas 3 dias em Monte Verde - dez/2014 21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro 11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo 21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi 21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú 8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est 25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010 Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009 Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009 19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal 10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008 De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008 Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007 Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes 9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul
  2. Relato de viagem: Segunda, 17/12/2018 - amanheceu nublado / ensolarado com muitas nuvens/ ensolarado / chuva forte Ilha do Mel, Vila de Nova Brasília, Pousadinha, Vila do Farol, Praia de Fora, Praia de Brasília, Praia do Istmo, Praia do Farol, Farol das Conchas Descemos perto da Toca do Abutre, na Ilha do Mel, na Vila de Nova Brasília. Andamos até a Pousadinha. Deixamos a mala guardada, pois quarto ainda não estava liberado. Saímos para fazer o reconhecimento da ilha. Seguimos para o lado da Vila do Farol, passando por pousadas, restaurantes, um mercado, uma loja. Passamos pela Igreja de N. Sra. dos Navegantes da Ilha do Mel, uma pequena igreja de madeira branca e azul. Seguimos até a Praia de Fora. Voltamos e seguimos para o trapiche de Nova Brasília, passando por mais pousadas, restaurantes, um mercado. É bem sinalizado, com várias placas pelo caminho. Vimos que a Ilha do Mel é bem turística, com mais opções do que a Ilha do Superagui. A Praia de Brasília tem o trapiche e embarcações, mas as águas são claras e parecem limpas. Tem vegetação à beira-mar e uma das poucas construções pé na areia é o prédio que abriga o CIT. Almoçamos no Restaurante da Pousadinha que achei fraquinho. Com o quarto liberado, desfazemos a bagagem. Saímos e caminhamos à Praia do Istmo. Seguimos até uma tenda, onde ficam os barqueiros dos passeios. Ao lado da tenda, tem um caminho para atravessar entre os 2 lados, do Mar de Dentro e do Mar de Fora. Atravessamos a faixa estreita para o lado do Mar de Fora. Desse lado, seguimos para a direita, para a Praia do Farol, como visual da Ilha das Palmas à frente. Tem uma lagoa com água cor de Coca-cola. No lado direito da praia, tem alguns atalhos para a escadaria do Farol das Conchas. A escadaria de pedra, parece um tipo de paralelepípedo, leva até o farol, onde há vários "mirantes", para os vários lados, cada um com uma vista panorâmica diferente. Descemos toda a escadaria e pegamos a trilha que passa entre o campo de futebol e a lagoa visível entre o mangue. Tem algumas pousadas/casas no início (perto do farol), mas depois é uma trilha pouco movimentada e com poucas construções. Saímos na Toca do Abutre e voltamos pela trilha paralela para a Pousadinha. Fomos jantar no Restaurante Toca do Abutre que achei mediano. À noite, estava escuro para andar pelos caminhos/trilha. Depois da temporada quente na Ilha do Superagui, nossa primeira noite fresca com AC! Até às 22h somente, pois caiu uma chuva forte com trovoada e a energia acabou. Mais uma noite sem AC, sem ventilador e com pernilongo. Mesmo com o quarto de madeira e cercado de árvores, a noite foi difícil. Terça, 18/12/2018 – sol com muitas nuvens / ensolarado / chuva ao final da tarde com trovoada Praia Grande, Praia do Miguel, Praia do Saquinho, Praia de Encantadas, Gruta das Encantadas Iniciamos o dia sem energia que voltou às 9h, o horário padrão para voltar, depois de uma noite inteira sem energia. Saímos por volta das 10h. Pegamos a trilha para a Praia Grande, desembocando no canto esquerdo da praia, perto do Grajagan Surf Resort. Fomos convidados a conhecê-la. Bonita, decorada com mosaicos, tem um jardim, lago com carpas e uma loja de artigos de surf. Seguimos pela praia até o Canto da Vó. Pegamos a trilha para a Praia do Miguel. O início é de areia, depois segue pelas pedras, mas não é difícil. Deserta, tem faixa de areia bem larga, mas a areia molhada e marcada parece indicar que a água quase encosta na vegetação na maré alta. Ao final da praia, a trilha que corta o Morro do Sabão estava bem demarcada e visível. Funcionários encarregados da limpeza roçavam o mato ao redor da trilha. Tem bifurcações à esquerda. A primeira leva a uma pequena praia. A próxima leva ao cruzeiro. Li em um dos guias que teria uma capela ali, mas tem apenas um pequeno oratório rústico de pedra e o cruzeiro. Tem bifurcações para a praia ou para continuar subindo. Descemos do cruzeiro para a Praia do Saquinho. Forma um pequeno lago/córrego de águas cor de Coca-cola que deságua na praia. Seguimos pela areia da Praia de Fora de Encantadas. Depois da areia, tem uma larga faixa verde de vegetação rasteira, cortada por uma trilha que segue paralela à praia. Continuamos até o final da praia e pegamos a trilha nesse canto. Tem um morro e pedras. É sinalizado com placa e uma trilha com passarela de madeira leva à Gruta das Encantadas. É um buraco grande e fresco, bom para descansar (depois da trilha desde Nova Brasília). Voltamos e seguimos para a Praia de Encantadas. Passamos ao lado de 2 morros que tinham trilhas visíveis conduzindo ao alto, mas pareciam meio fechadas e estava muito calor, não subi para verificar. Ao chegar à Vila de Encantada, ficamos sabendo que a energia tinha acabado de novo, por isso alguns restaurantes estavam fechados. Olhamos alguns restaurantes e resolvemos almoçar no Restaurante e Pousada Ilha do Mel que tinha um bufê razoável. No meio do almoço, a energia voltou. Seguimos para a Pousada Cantuá e pegamos a trilha para a Bacia da Sereia que está sinalizada até o mirante. Desci até a costeira e andei pelas pedras para a esquerda, mas não vi a Bacia da Sereia. Pensei que estava coberto pela maré, mas uma pessoa me disse que não fica encoberto, só se a maré estiver muito alta. Ele disse que eu deveria andar um 40 m à esquerda e que era meio chato de passar. Não sei, acho que teria que ter andado mais um pouco. Retornamos, mas antes de voltar à praia, pegamos um atalho para a trilha da Praia de Fora de Encantadas. Já no canto da praia, perto do Morro do Sabão, tem algumas marcações com postes e uma ponte sobre o córrego. O início da subida ao Morro do Sabão é sinalizado com placa. Tem pedras calçando o caminho e todo o mato estava aparado. Vimos uma tempestade se formando e escutamos barulho de trovões. Estava ventando bastante e decidimos apertar o passo. Fizemos o mesmo caminho de volta. Deu tempo de voltar à pousada e ainda demorou um pouco para chover. Trovejou um pouco. A energia caiu, mas depois de alguns segundos já retornou. Saímos para jantar e experimentamos o Restaurante Mar & Sol que foi o primeiro a oferecer uma salada fresca e aprovada. Retornamos sem chuva, mas estava ventando bastante e estava muito escuro, só usando lanterna. Quarta, 19/12/2018 - nublado / ensolarado com muitas nuvens / ensolarado com poucas nuvens Praia da Fortaleza, Fortaleza de N. Sra. dos Prazeres de Paranaguá, Praia do Limoeiro, Praia do Istmo, Praia de Brasília, Praia do Belo, Praia Grande Resolvemos caminhar para o Forte pela praia. Na maré baixa, a faixa de areia da Praia da Fortaleza estava bastante larga e a areia firme, mas a umidade na areia mostrava que a faixa de areia devia praticamente sumir na maré alta. Tinha algumas mutucas incomodando. A infestação desses insetos deve ser brava, pois vimos algumas casas, cujas varandas são completamente fechadas por telas. Tem algumas casas de veraneio pelo caminho, um mercado. O nível d'água parece estar subindo, vimos alguns sacos de areia e muros de contenção tentando proteger algumas construções. Há casas de madeira e algumas pousadas à beira-mar. Desemboca um córrego de água cor de Coca-cola na praia. Pouco depois já vemos a lateral da Fortaleza de N. Sra. dos Prazeres de Paranaguá. No canto, tem uma escada de madeira sinalizada com placas para a entrada no Forte. Entramos por essa escada e saímos na parte superior do Forte, onde tem uma fileira de canhões expostos. Se continuar à frente, pela areia da praia, tem a entrada principal pelo portão do Forte. No Forte, tem algumas construções como o Paiol da Pólvora com painéis expositivos. Ao lado, fica a casa da administração com painéis, uma biblioteca, onde ficam um funcionário e um guarda. As mutucas continuavam a incomodar. Havia alguns funcionários encarregados da limpeza cortando a grama. A trilha de 463,5 m que leva ao Mirante, Bateria de Canhões e Morro da Baleia estava fechada por causa da queda de árvores. No canto tem uma fonte d'água e o Quartel da Tropa. Tem placas informativas. O Forte está inteiro e de pé, não está em ruínas, mas está judiado com umidade e mofo. Fomos à praia e esperamos um pouco até liberar a trilha. Adiante, a praia tem algumas casas, pousada, restaurante. Parece que com a chegada do sol, as mutucas sumiram. Subimos a trilha que, no início, é calçada com pedras que estavam lisas. Depois é trilha mesmo, mas é demarcada, limpa e aberta. É curta, mas um pouco íngreme. Tem a Bateria de Canhões, mais conhecido como labirinto dos canhões e um mirante que oferece visual da praia abaixo, da Ilha das Peças e do Forte à esquerda. Parece mesmo um labirinto com paredes de pedras, mas, infelizmente, os canhões estão vandalizados, pichados/riscados. Descemos e aproveitamos para fotografar o Forte com sol. Saímos com a maré alta e a água batendo nas pedras. Na frente de umas casas, tinha um caminho por cima do muro de contenção e a água já estava batendo no muro. Depois passamos na frente de mais casas e pegamos a trilha para variar. Tem placas avisando que você está caminhando na divisa com a Estação Ecológica. Chegamos a uma vila com algumas casas, escola, igreja, pousadas, lanchonete. Tem saída para a Praia do Limoeiro e fomos até a praia, mas voltamos, pois com a maré alta íamos molhar os calçados. Tem uma pousada e restaurante bem de frente à praia. Dá para seguir pela praia, pois não tem pedras, só areia, com água rasinha. Só voltamos por causa dos tênis. Pegamos a trilha que margeia o Mar de Fora. Um pouco à frente, rumamos em direção à Praia do Limoeiro de novo e vimos que dava para seguir pela areia da praia, que tinha um filete de areia sem água. Logo chegamos à parte mais estreita da Praia do Istmo. Seguimos até o trapiche da Praia de Brasília. Resolvemos almoçar no Restaurante da Pousada Treze Luas e gostamos da comida com exceção de parte da salada - a beterraba não estava fresca. À tarde, fizemos a trilha para a Praia do Belo e, logo no início, uma placa avisa que você está em uma área de Parque Estadual. Tem várias placas de sinalização durante o percurso. A praia é pequena, com faixa de areia estreita e parece um funil, cercada de pedras dos 2 lados. Oferece visual do trapiche e da Praia do Limoeiro. Voltamos saindo pelo Canto da Vó, na Praia Grande. Seguimos pela areia da praia até o Grajagan, onde pegamos a trilha para a Vila de Nova Brasília. No jantar, resolvemos repetir o Restaurante Mar & Sol que estava muito bom. Sem chuva à noite, com energia elétrica, sem nenhuma queda. Quinta, 20/12/2018 - nublado / ensolarado com algumas nuvens Praia de Brasília, Praia de Fora Fica a dica: se for se hospedar na Ilha do Superaqui também, aproveite para fazer os passeios de barco a partir de lá, onde os preços são melhores. Os roteiros que partem da Ilha do Mel são mais inflacionados Vi alguns panfletos de passeio de barco, mas ao checar o valor, achei muito caro. Fui ao trapiche e me informaram que poderia tentar arrumar mais pessoas para dividir, mas mesmo assim achei muito explorado, considerando a distância a ser percorrida. Na Ilha do Superagui pagamos bem menos e andamos muito mais. Desistimos e resolvemos curtir uma praia próxima. A Praia de Brasília estava diferente com a maré baixa e o mar recuado. Fomos para a Praia de Fora que também estava com faixa de areia bem larga, mas úmida, evidenciando que na maré alta praticamente toda a faixa é encoberta. Venta bastante na praia, mas não tem nenhuma sombra. Tem aluguel de cadeiras e guarda-sol. No canto esquerdo da praia, tem umas pedras e algumas pocinhas d'água. Andamos até uma espécie de praça em frente à Estalagem Ancoradouro. Tem 2 bancos sob a sombra de várias amendoeiras gigantes. Venta bastante e é bem fresco. Almoçamos no Bar e Restaurante Barranco, comida saborosa e fresca (consegui comer salada de novo!). Funcionários da estação de água estavam rolando um tanque/reservatório gigantesco de água (40 mil litros) da praia à estação. Os tanques foram trazidos de barco e descarregados na praia. São 2 tanques a serem instalados na estação para o aumento da capacidade. A estação está em obras. A ideia é não faltar água no verão. Costuma faltar na alta temporada, nos picos de consumo. Em Encantadas existe outra estação de água. À noite, resolvemos experimentar a pizza da Pizzaria das Conchas e gostamos. Fomos à Praia do Farol para ver a Lua. Meio encoberto, mas visual bacana. Dava para ver algumas luzes na Praia da Fortaleza e à frente (talvez Peças ou Superagui), o resto tudo na escuridão. Sexta, 21/12/2018 – nublado / ensolarado / chuva à tarde Trapiche de Nova Brasília, Terminal de Embarque de Pontal do Sul, Estação Rodoferroviária de Curitiba, Hotel Nacional Inn Torres Curitiba, Shopping Estação, Paraná Turismo, Feira do Champagnat Choveu bastante à noite, trovejou um pouco, mas energia não caiu. Amanheceu nublado, mas já estava limpando. Saímos a pé para o Trapiche de Nova Brasília e pegamos o barco das 9h para Pontal do Sul. Tinha poucos passageiros e levou cerca de 40 min. Balançou um pouco, apesar de ser um barco de madeira grande (para 80 passageiros). Tem um molhe de pedras e a água parece suja, embora não tenha muito mangue na área. No Terminal de Embarque de Pontal do Sul, perguntamos do ônibus para Curitiba e realmente passa por ali, mas só pega passageiro com passagem comprada. Então tivemos que pegar um táxi para o Terminal Rodoviário de Pontal do Sul. Conseguimos passagem para o próximo horário às 10h45, eram os últimos lugares. Disseram que, na alta temporada, a estrada entre a capital e o litoral fica congestionada. Além de Pontal do sul, existem terminais em outros balneários, não é centralizado. O ônibus para em pontos no meio do caminho e nos terminais de Ipanema e Praia do Leste. Há trechos de serra com mata, onde manacás estavam floridos. Continua no relato de Curitiba... **************************************** Nanci Naomi http://nancinaomi.000webhostapp.com/ Trilhas: Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté Relatos: 23 dias no PR - dez/2018 - Parte 1: Natal de Curitiba | Parte 2: Morretes | Parte 3: Guaraqueçaba | Parte 4: Ilha do Superagui | Parte 5: Ilha do Mel 15 dias em SC - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas 3 dias em Monte Verde - dez/2014 21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro 11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo 21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi 21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú 8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est 25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010 Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009 Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009 19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal 10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008 De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008 Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007 Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes 9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul
  3. Roteiros sugeridos: O Litoral pode ser associado a outras regiões turísticas como as Rotas do Pinhão com acesso via aeroporto de São José dos Pinhais. O tempo requerido vai muito da intenção de fazer um roteiro ou mais profundo ou superficial e também de quantas cidades pretende abranger. Para quem está hospedado na Ilha do Mel: Roteiro 1: caminhada de Brasília a Encantadas. É possível voltar de barco. Se ir e voltar pela trilha, faça 2 caminhos diferentes, vá passando pela Praia do Belo e volte passando pela Praia de Fora - dia todo Roteiro 2: caminhada de Brasília a Fortaleza. É possível ir pela praia ou pela trilha; vá por um e volte pelo outro. Fui pela Praia do Istmo (Mar de Fora) e Praia da Fortaleza; voltei pela trilha e cruzei para a Praia do Limoeiro (Mar de Dentro) - meio período a dia todo - duração depende do quanto quiser caminhar, parar para banho, almoçar em Fortaleza, etc. Roteiro 3: Farol das Conchas, Praia do Farol e Praia de Fora - até meio período. Pode ser realizado no dia de chegada ou de partida. Outra opção é encaixar com o Roteiro 2 ou Roteiro 4 Roteiro 4: passeio de barco - duração depende do roteiro combinado e das paradas para banho e almoço **************************************** Nanci Naomi http://nancinaomi.000webhostapp.com/ Trilhas: Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté Relatos: 23 dias no PR - dez/2018 - Parte 1: Natal de Curitiba | Parte 2: Morretes | Parte 3: Guaraqueçaba | Parte 4: Ilha do Superagui | Parte 5: Ilha do Mel 15 dias em SC - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas 3 dias em Monte Verde - dez/2014 21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro 11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo 21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi 21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú 8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est 25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010 Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009 Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009 19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal 10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008 De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008 Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007 Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes 9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul
  4. Dicas gerais: Recomenda-se tomar a vacina da Febre Amarela com no mínimo 10 dias de antecedência da viagem A Ilha do Mel é bem turística com boa infraestrutura, mas achei o turismo mais explorado com hospedagem, alimentação e passeios de barco mais caros do que na Ilha do Superagui e Guaraqueçaba, por exemplo O saneamento básico da ilha é deficiente. Tem água encanada, proveniente de água de poço que é tratada em 2 estações na Vila do Farol e na Vila de Encantadas. Tem coleta de lixo que é transportado de barco a Pontal do Paraná. Não tem rede de esgoto, mas tem um projeto de estação de tratamento de esgoto para 2020 Fui na semana anterior ao Natal e estava muito calor e muito sol, com chuvas apenas ao final da tarde/noite. Estava movimentada, mas não cheia. O clima estava perfeito para pegar uma praia, mas achei muito quente para fazer as trilhas, também tinha bastantes pernilongos e algumas mutucas, principalmente em Fortaleza. Na primeira noite, depois de uma chuva forte, a energia elétrica acabou e só voltou no dia seguinte. Foi cruel dormir sem AC, com calor e com pernilongos. Se acha que na região sul, o verão é mais fresco, engana-se, pois é bem quente. Nas noites seguintes, choveu também e teve pequenas quedas de energia, mas voltou rápido. Com a falta de energia e o calor, tivemos problemas com suco, fruta e saladas estragadas. Tive a impressão que reaproveitaram alimentos e/ou preparam com antecedência e/ou armazenaram de maneira incorreta. Particularmente, eu voltaria lá em outra época, com temperaturas mais amenas, ainda que as águas possam estar geladas e inviabilizem o banho de mar Vimos algumas mutucas, mas o pior já tinha passado, disseram que em novembro a região estava infestada. Eu, que nasci e cresci na roça, já conhecia a praga, mas fazia bastante tempo que não via esse cruzamento de mosca com vampiro. Lembra essas moscas comuns que aparecem na cozinha, preta e com asas transparentes, só que chupam sangue e picam doído. Quem nunca viu e tiver curiosidade de conhecer, é só ir para essa região em novembro quando as ilhas ficam infestadas. Repelente tem pouca eficácia, o que funciona bem é andar de calça comprida e camiseta de mangas longas, preferencialmente de cor clara. Porém isso não impedirá que as criaturas te incomodem, elas costumam ficar voando e zumbindo em volta da cabeça. Esses insetos têm hábitos diurnos Tem um CIT no trapiche de Nova Brasília. O mapa oficial é bem simples. Peguei um mapa bem mais detalhado na pousada, confeccionado por iniciativa de um conjunto de empreendedores da ilha. Passei no CIT em frente à rodoviária de Paranaguá que tem bastante material sobre a cidade, mas pouco material sobre a ilha Não há agências bancárias, nem caixas eletrônicos. Porém, a maioria dos estabelecimentos aceita cartão Leve seus remédios de uso contínuo e básicos, pois não tem farmácia na ilha. Há um posto de saúde básico em Nova Brasília e parece que tem outro em Encantadas Uma lanterna é bem útil, pois não há ruas na ilha, apenas caminhos/trilhas em meio à mata que não têm iluminação. É bem escuro, pois só tem a iluminação das pousadas/restaurantes e há trechos sem construções e sem luz. É bem legal andar pelas trilhas à noite, no meio da mata. À primeira vista pode causar estranheza, mas me disseram que é bem tranquilo Se chover muito, mas muito mesmo, pode alagar os caminhos/trilhas e também aumenta a quantidade de pernilongos As pousadas e restaurantes ficam no meio da mata e, com as chuvas fortes, ventos e trovões, dá medo de cair raio e/ou árvore. Disseram que tem para-raios e é difícil cair raios na vila Tem alguns mercadinhos tanto em Nova Brasília quanto em Encantadas, mas as opções são reduzidas e os preços são de ilha, ou seja, mais caro do que no continente Com a lotação do verão, acontecia de faltar água, mas estão aumentando a capacidade do reservatório da estação de tratamento de água para acabar com esse problema No verão, é maior a possibilidade de faltar energia elétrica, devido às fortes chuvas no final da tarde/noite e talvez também por conta de sobrecarga na rede elétrica gerada pelo alto fluxo de turistas. Chove forte, venta, cai raios e a energia acaba, voltando geralmente apenas no dia seguinte. Estabelecimentos não costumam ter geradores. A energia vem do continente (Pontal do Paraná) por meio de cabos submarinos até a Ilha do Mel e depois é distribuída para as outras ilhas próximas. Ainda há vilas sem energia elétrica Celular da Claro continuava sem funcionar. Só funcionou na Praia de Encantadas, provavelmente por estar mais perto do continente **************************************** Nanci Naomi http://nancinaomi.000webhostapp.com/ Trilhas: Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté Relatos: 23 dias no PR - dez/2018 - Parte 1: Natal de Curitiba | Parte 2: Morretes | Parte 3: Guaraqueçaba | Parte 4: Ilha do Superagui | Parte 5: Ilha do Mel 15 dias em SC - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas 3 dias em Monte Verde - dez/2014 21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro 11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo 21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi 21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú 8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est 25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010 Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009 Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009 19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal 10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008 De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008 Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007 Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes 9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul
  5. Dicas: Contatos úteis: Prefeitura de Paranaguá, R. Júlia da Costa 322, Centro Histórico, 3420-2713, seg-sex das 8-11h e 13-18h Secretaria de Cultura e Turismo de Paranaguá, Av. Arthur de Abreu, 44, Centro, 3422-6290, [email protected], [email protected] Informações Turísticas: PIT Terminal Rodoviário de Paranaguá, 3425-4542, diar das 9-18h. Quiosque em frente ao terminal. Em funcionamento, é possível pegar mapas, folders e informações PIT Fundação Municipal de Turismo “Dr. Joaquim Tramujas”, R. Padre Albino, 45, Paranaguá, 3420-2940 / fax 3420-2823, [email protected], www.fumtur.com.br Não conferido PIT do Paraná Turismo (Estação Náutica), R. Gal. Carneiro, 258, Paranaguá, 3425-4542. Desativado/prédio fechado PIT do Terminal de Embarque de Brasília, diar das 8-20h Informações Turísticas - Associação dos Moradores da Praia de Encantadas - AME, 3426-9074, diar das 8-20h Barqueiros para os passeios: Passeio dos Golfinhos, Isael 99921-8160 Fontes: Prefeitura de Paranaguá Secultur | Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Paranaguá Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina ILHA DO MEL PRESERVE Mapas (links externos): Guia de Paranaguá com mapa Paranaguá Ilha dos Valadares Ilha do Mel Trilhas na Ilha do Mel Lista de hospedagens e restaurantes em Encantadas **************************************** Nanci Naomi http://nancinaomi.000webhostapp.com/ Trilhas: Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté Relatos: 23 dias no PR - dez/2018 - Parte 1: Natal de Curitiba | Parte 2: Morretes | Parte 3: Guaraqueçaba | Parte 4: Ilha do Superagui | Parte 5: Ilha do Mel 15 dias em SC - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas 3 dias em Monte Verde - dez/2014 21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro 11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo 21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi 21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú 8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est 25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010 Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009 Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009 19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal 10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008 De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008 Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007 Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes 9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul
  6. Onde comer: Na Ilha do Mel: Pizzaria das Conchas, Trilha do Meio, s/n, Vila do Farol, 3426-8024 / 99251-6882, pizzariadasconchas.com.br Espaço rústico, mas agradável, mesas em uma varanda, onde ventila bastante. Guardanapos de papel embrulhados individualmente. Estava fechado no começo da semana, abriu na quarta e agora segue direto diariamente na alta temporada. Pedimos meia palmito e meia de milho, boa, grande, parecia um pouco maior que a convencional de 8 pedaços, massa fina, queijo bom esticando. O palmito não estava igual ao de Guaraqueçaba, mas estava bom. Considero a relação custo/benefício boa Mar & Sol, Vila do Farol, 3426-8021, das 11-22h. Ambiente agradável, mesas em um varandão, com ventiladores. Funcionários simpáticos. Guardanapos de papel embrulhados individualmente. Pedimos um prato leve (proteína + salada) para quem não quer carboidrato e um prato executivo (completo com proteína, arroz, feijão, fritas, farofa e salada) muito bem servido e até dá para dividir 1 prato executivo se comer pouco. Salada fresca (o primeiro da ilha que eu pude comer a salada) e comida bem preparada. Outro dia dividimos (1 casal) um prato comercial para 1 pessoa e deu na medida certa, pois embora as porções não sejam tão grandes, são vários itens. Considero a relação custo/benefício boa Bar e Restaurante Barranco, Praia de Fora. Não é exatamente pé na areia, mas é praticamente de frente à Praia de Fora. Ambiente simples, mas agradável, mesas e cadeiras de madeira sob uma varanda. Tem algumas mesas sob um quiosque de palha no deque de madeira, mais perto do mar, mas estava ventando muito lá e achamos melhor mudar de lugar. Oferecem serviço de praia, montam mesa na areia, mas não tem guarda-sol (tem aluguel na praia). Pedimos um prato light (proteína + salada) para quem não quer carboidrato e um prato executivo (completo com proteína, arroz, feijão, fritas e salada). Tamanho mediano, bom. A comida estava boa, saborosa e a salada fresca, preparada na hora. Considero a relação custo/benefício boa Restaurante e Pousada Ilha do Mel, Praia de Encantadas. De frente à praia, ambiente bem simples, varandão coberto de palha com mesas e cadeiras de plástico. Operava no sistema de bufê livre e à la carte. No bufê, tinha um pote queimando alguma coisa para espantar moscas. Saladas em local fechado, pratos quentes (arroz, feijão, farofa, camarão, peixe frito, bife à milanesa, pirão, arroz com mexilhão, espaguete, etc.). Serviram o refrigerante com pedras de gelo. Já tinha dado mais de 12h sem energia elétrica (tinha acabado na noite anterior). O garçom disse que não tinha gerador, mas deixavam sempre os freezers no máximo, por isso as bebidas estavam geladas e ainda tinha gelo. Considero a relação custo/benefício razoável Restaurante da Pousada Treze Luas, Vila do Farol. Ambiente agradável, mesas em um varandão, sob uma cobertura com armação de bambus gigantes. Guardanapos de papel embrulhados individualmente. Pedimos um arroz de siri e um prato surf com peixe. Bem servido e a comida estava boa, mas pecou pela beterraba velha, que parecia ter sido ralada com muita antecedência, estava opaca, esbranquiçada com aparência de velha, cheiro e gosto meio passado, não estava azeda, mas definitivamente não tinha aparência de fresca como restante da salada. Considero a relação custo/benefício razoável Restaurante da Pousadinha, Caminho do Farol. Atende não hóspedes também. Aberto para almoço e jantar e funciona na área do café da manhã da pousada. Pedimos um prato individual mais simples que veio em tamanho mediano e a salada de cenoura e beterraba raladas estava azeda (parece que tinha faltado energia elétrica nas 2 noites anteriores e a pousada não tem gerador; tivemos problemas com outros restaurantes também). Achei fraquinho, é um PF que vem tudo junto no mesmo prato. Considero a relação custo/benefício razoável Toca do Abutre, Nova Brasília, 3426-8007, diar das 11h30-22h. Ambiente agradável, mesas na área externa debaixo de quiosques de palha e mesas na área interna envidraçada. Tem um deque de madeira com vista do mar ao longe. Com bastante vento à noite. Tem wifi, mas não estava funcionando. Pedimos 2 pratos, um de bife de carne, outro de filé de frango. Veio tudo separado, bem servido, estava bom, mas a cenoura ralada veio azeda (parece que tinha faltado energia elétrica nas 2 noites anteriores e tivemos problemas com outros restaurantes também). Considero a relação custo/benefício razoável Outras opções: Lumo, Pousada Lua Cheia, Encantadas, 3426-9010. Era a minha primeira escolha, mas estava fechado por causa da falta de energia. Dei uma olhada no cardápio e o preço dos pratos mais simples e executivos estava bem razoável Toca da Ilha, Encantadas, 3426-9038. Simples, opera no esquema de bufê livre no almoço. Não almoçamos lá, mas dei uma olhada no bufê e achei parecido com o do Restaurante e Pousada Ilha do Mel Paraíso, Encantadas, 99985-1540. Estava fechado, parece que é bufê Fim da Trilha, Encantadas, 3426-9017 / 99818-4995, diar das 12-16h e das 20-23h Shams, Encantadas, 3426-8056 Dicas e comentários sobre alimentação: A maioria das pousadas da ilha também opera como restaurante e atende não hóspedes também Em Nova Brasília/Farol, os restaurantes são geralmente à la carte; em Encantadas tem opções com bufê livre no almoço. Achei os preços meio salgados. Os pratos são meio caros, mas tem opções mais em conta como PFs e executivos Tivemos problemas com alguns itens no café da manhã da pousada (suco e fruta estragada) e nas refeições dos restaurantes (salada crua azeda). Veja que isso foi um problema comum na ilha, tivemos o mesmo problema em vários restaurantes, principalmente com salada crua que quase sempre vinha azeda, estragada mesmo. Suponho que seja causado pela falta de energia, que é comum no verão devido às fortes chuvas no final da tarde/noite; chove forte, venta, cai raios e a energia acaba, voltando geralmente apenas no dia seguinte. Na primeira noite, ficamos sem energia elétrica e parece que nas 2 noite anteriores faltou energia também. Perguntei em alguns restaurantes e pousadas, mas nenhum tinha gerador. Veja que faltar energia não é um problema dos estabelecimentos e as altas temperaturas contribuíram para piorar a situação, mas poderiam ter gerador. Nos 3 dias seguintes, não faltou energia e não tivemos problema **************************************** Nanci Naomi http://nancinaomi.000webhostapp.com/ Trilhas: Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté Relatos: 23 dias no PR - dez/2018 - Parte 1: Natal de Curitiba | Parte 2: Morretes | Parte 3: Guaraqueçaba | Parte 4: Ilha do Superagui | Parte 5: Ilha do Mel 15 dias em SC - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas 3 dias em Monte Verde - dez/2014 21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro 11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo 21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi 21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú 8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est 25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010 Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009 Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009 19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal 10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008 De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008 Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007 Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes 9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul
  7. Onde ficar: Pousadinha, Caminho do Farol, a 300 m do trapiche de Nova Brasília, 3426-8026 / 9140, [email protected], http://pousadinha.com.br/ É simples, mas agradável. É bem localizada, próxima ao trapiche de Nova Brasília. Não tem área de lazer. Embora o valor da diária seja meio alto, achei a relação custo/benefício boa, considerando o custo da ilha que é mais elevado e que fica inflacionado no verão. Tem wifi; boa limpeza da área comum e do quarto; boa roupa de cama de algodão estampada e de banho felpuda e boa, mas colorida, trocada a cada 2 dias. Tem várias opções de acomodações; optei por ficar no Apartamento Standard com ar condicionado. Ficamos no quarto Praia Grande que era de madeira e o banheiro de alvenaria normal. Tinha outro apartamento conjugado, mas parecia quase um chalé individual com varanda privativa com varal de chão e rede, bem agradável. Ficava atrás do restaurante e dava para escutar um pouquinho do barulho da cozinha, mas não chegava a incomodar e como estava nos fundos, não tinha passagem de outros hóspedes e ficava mais isolado e sossegado. Quarto de tamanho razoável e bem equipado com cama de casal com colchão de espuma, frigobar, AC split, ventilador de parede, TV de tela plana de tamanho mediano com canais por assinatura, armário. Banheiro com box blindex, chuveiro eletrônico. Café da manhã básico, mas bom, apenas com uma ressalva (veja em “Pontos negativos”). No geral, gostei da pousada e voltaria a me hospedar, mas fora do verão, em um período de temperaturas mais amenas devido a uma série de fatores ocasionados pelo clima do verão e também pela lotação de visitantes. Pontos negativos: acho que falta um gerador na pousada para atender pelo menos os refrigeradores da cozinha - com isso eu daria nota máxima à pousada. No primeiro café da manhã, achei o suco passado e no segundo dia melão azedo (estragado). No almoço do primeiro dia, a salada crua estava azeda. Veja que isso foi um problema comum na ilha, não aconteceu só na pousada, tivemos o mesmo problema em vários restaurantes, principalmente com salada crua que quase sempre vinha azeda, estragada mesmo. Suponho que seja causado pela falta de energia, que é comum no verão devido às fortes chuvas no final da tarde/noite; chove forte, venta, caem raios e a energia acaba, voltando geralmente apenas no dia seguinte. Na primeira noite, ficamos sem energia elétrica e parece que nos 2 noites anteriores faltou energia também. Nos dias seguintes, não faltou energia e nos próximos cafés estava tudo ok Outras opções: Pousada Pôr do Sol - Bar e Restaurante, Nova Brasília, a 800 m do trapiche, 3426-8009 / 99792-7222 Tim / 99614-4109 Tim, [email protected], http://www.pousadapordosol.com.br/ Pousada Villa Verde, Caminho do Farol, a 600 m do trapiche, 3426-9100 / 99199-3377 / 99255-8007, [email protected], [email protected], http://www.villaverde.eco.br/ Trilha do Farol, Caminho do Farol, a 400 m do trapiche, 3426-8153 / 8101 / 9194-0198 / 99630-7981 Tim, [email protected], http://www.pousadatrilhadofarol.com.br/ Pousada Favo de Mel, Caminho do Farol, a 350 m do trapiche, 3426-9168 Oi fixo / 99991-5909, [email protected], http://www.favodemelpousada.com.br/ Dicas e comentários sobre hospedagem: Em dezembro, achei os valores das hospedagens elevados A infraestrutura turística está concentrada em Nova Brasília/Farol e Encantadas. O que mais gostei de Nova Brasília/Farol é a localização central na ilha, é mais conveniente para fazer um bate e volta tanto para Encantadas como para Fortaleza. Entretanto, Encantadas parece ter mais opções de hospedagem e alimentação e tem aquele jeito simpático de vilarejo de praia com a concentração de restaurantes, pousadas, mercadinhos e casas à beira-mar. Em Nova Brasília/Farol, não existe uma praia principal com a infraestrutura turística, as pousadas e restaurantes estão mais dispersos pelo caminho entre o trapiche de Nova Brasília até o Farol. Aliás, nas praias geralmente não há construções à beira-mar, elas ficam mais para dentro Em Nova Brasília optei por ficar mais próximo ao trapiche pensando na facilidade da chegada e na saída, pois não é fácil carregar bagagem pelas trilhas, mas há carregadores com carrinhos de mão para fazer esse transporte Fortaleza tem poucas opções de hospedagem e, particularmente, acho que fica muito isolado. Passando pela praia tive a impressão que está com um ar meio de abandonado por causa do nível do mar que está subindo e destruindo parte de algumas propriedades É comum as pousadas terem vários tipos de acomodação, com AC ou com ventilador e com banheiro privativo ou compartilhado. Também tem várias opções de camping **************************************** Nanci Naomi http://nancinaomi.000webhostapp.com/ Trilhas: Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté Relatos: 23 dias no PR - dez/2018 - Parte 1: Natal de Curitiba | Parte 2: Morretes | Parte 3: Guaraqueçaba | Parte 4: Ilha do Superagui | Parte 5: Ilha do Mel 15 dias em SC - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas 3 dias em Monte Verde - dez/2014 21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro 11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo 21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi 21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú 8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est 25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010 Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009 Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009 19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal 10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008 De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008 Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007 Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes 9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul
  8. Dicas e comentários sobre passeio: Paranaguá: Não esperava muito de Paranaguá, por isso me surpreendi positivamente. A começar por um CIT em frente ao Terminal Rodoviário com mapas, folders e funcionários atenciosos. O Centro Histórico poderia estar mais bem preservado, mas mesmo assim rendeu um bom city tur. Preferi visitar a cidade no meio da semana, achei que seria melhor com o comércio aberto no Centro. Achava que a cidade seria maior e mais problemática, por causa do porto, mas não passou sensação de insegurança, achei relativamente tranquila. Tem um pouco de lodo/lamaçal do mangue e as águas da baía são escuras, mas transparentes ao mesmo tempo e parece ser mais por conta do mangue, não tem aquela aparência de esgoto que tinha receio de encontrar devido à cidade ser maior e também por conta do porto e do tráfego constante de navios e barcos O passeio de barco pela baía de Paranaguá tem duração aproximada de 1h30min. Tem número mínimo de passageiros para o barco sair, então tem que encaixar em um grupo, o que é mais difícil no meio da semana. O passeio sai do trapiche em frente da Praça de Eventos Mário Roque (antiga Praça de Eventos 29 de Julho) e segue pela baía até as proximidades do Porto Dom Pedro II. Avista-se, pelo caminho, área de manguezal e a Ilha dos Valadares, Cotinga, Cobras e Ilha do Mel. É bem provável que sejam avistados botos durante o trajeto. As dimensões do porto impressionam e é interessante ver os enormes navios estrangeiros desembarcando ou embarcando produtos. Está em obras para ampliação, estão fazendo a fundação para fazer um L. Dizem que o padre não deixou o porto seguir em direção ao Santuário de N. Sra. do Rocio. Antes o mar chegava até o santuário, foi feito aterro e hoje tem manguezal nessa área. Tivemos a felicidade de fazer o passeio com um grupo de universitários da UFPR. Além da ótima companhia, o professor foi um excelente guia do passeio, dando uma série de explicações e contando histórias em um bate papo muito agradável. Perguntei ao professor se normalmente tem guia no barco. Ele acha que não, das várias vezes que ele fez o passeio não tinha. Provavelmente, alguém do barco, são 2 tripulantes, só aponte um ponto turístico ou outro. No nosso caso, o pessoal do barco ficou calado, apenas apontou as 2 vezes que apareceram golfinhos. Gostei do passeio, achei interessante, mas principalmente por causa do nosso grupo. Sem nenhum “guia”, não sei se o passeio seria tão bom. Acho que falta uma orientação do departamento de turismo da cidade que poderia auxiliar os prestadores desse tipo de serviço a oferecem uma experiência melhor aos turistas O Mercado Municipal Nilton Abel de Lima tem hortifrúti diverso, artigos de mercearia (farinhas, doces, batata/mandioca/banana chips, etc.) e artesanato no piso térreo; uma lanchonete com café expresso e alguns boxes no piso intermediário; restaurantes no piso superior, onde oferece vista do mar e da Ilha de Valadares Para um passeio mais completo na Ilha dos Valadares, é possível contratar um dos passeios do cardápio turístico da Rede Caiçara de Turismo de Base Comunitária. Porém fizemos apenas um passeio básico por conta própria, mas que valeu a pena. Prático e rápido, pode ser feito quando estiver visitando o Centro Histórico de Paranaguá. O aproveitamento do passeio já começa na travessia pela ponte que é bacana, com visual panorâmico do rio e do Centro Histórico. Teoricamente a ponte é para pedestres, ciclistas e motociclistas deveriam passar empurrando as bicicletas e motos, mas muitos não respeitam, por isso tome cuidado ao atravessar. Do outro lado, visitamos a Praça Cyro Abalem que tem um belo monumento e a Paróquia N. Sra. de Navegantes que é bem bonita. Ambos ficam bem perto da passarela, o que é bem conveniente em um passeio a pé O Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade Federal do Paraná está instalado em um prédio muito bonito. Vale descer e ver o pátio interno. A fachada externa é bonita, especialmente do lado da Praça de Eventos. De algumas janelas tem visual da praça e do mar. O acervo é variado e tem exposições temporárias. Disseram que o acervo era meio bagunçado e que faltava um cuidado maior do museu na disposição das peças e informações. Porém, para uma turista leiga a passeio, achei bom. Certamente um professor/pesquisador terá uma visão mais crítica. Não cobra entrada, mas você pode deixar uma contribuição voluntária. Visitas guiadas podem ser agendadas, mas apenas para grupos O Aquário de Paranaguá rende uma visita legal se você não visitou aquários maiores antes. É legal para as crianças que sempre se divertem. Tem um tanque de arraias que você pode tocar com o auxílio de um monitor. A visita é rápida, não tem muita coisa. Os aquários são pequenos. Em cima, tem um mirante para a praça e o mar. A área dos pinguins estava em manutenção. Além dos peixes em si, vimos algumas cobras, jacarés e jabutis, um sapo cururu e uma tarântula Há aldeias indígenas que podem ser visitadas mediante agendamento e onde podem ser adquiridos artesanatos. Pindoty (Ilha da Cotinga, Paranaguá. Contato com o escritório da FUNAI 3425-2004), Tekoa Karaguata Poty (acesso pela Rod. PR-407, Pontal do Paraná. Contato com Irineu 99588-5337 / Florinda 99539-8976) e Tekoa Guaviraty (acesso pela Rod. PR-412, Pontal do Paraná. Contato com Paulo Acosta 99284-9341) **************************************** Nanci Naomi http://nancinaomi.000webhostapp.com/ Trilhas: Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté Relatos: 23 dias no PR - dez/2018 - Parte 1: Natal de Curitiba | Parte 2: Morretes | Parte 3: Guaraqueçaba | Parte 4: Ilha do Superagui | Parte 5: Ilha do Mel 15 dias em SC - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas 3 dias em Monte Verde - dez/2014 21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro 11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo 21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi 21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú 8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est 25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010 Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009 Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009 19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal 10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008 De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008 Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007 Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes 9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul
  9. Dicas e comentários sobre passeio: Ilha do Mel: Em Nova Brasília/Farol, à noite é bem sossegada. Talvez no final de semana, algum restaurante tenha música ao vivo, no meio da semana não tinha. Disseram que costuma rolar um forró ou banda no Canto da Vó. Parece que Encantadas é mais animada com forró e música ao vivo nos restaurantes Achei os passeios de barco caros. Roteiros similares podem ser contratados na Ilha do Superagui de forma mais econômica. Entretanto, para quem gosta de caminhar, fazer trilhas no meio do mato, várias praias muito bonitas podem ser alcançadas sem custo nenhum, só com disposição Não tem estrutura nas praias do Istmo, Farol, Fora, Grande, Belo, Miguel e Fora de Encantadas. Tem restaurantes próximos na Vila de Nova Brasília, Vila do Farol e Vila de Encantadas. Praia do Belo e Miguel ficam mais isoladas, é bom levar água e lanche Para fazer as trilhas entre uma praia e outra, consulte a tábua das marés para se programar de acordo com os horários das marés. No geral, o acesso às praias costuma ser melhor na maré baixa, quando é possível passar de uma praia a outra caminhando pela areia das praias, mas geralmente há alternativas, por exemplo, uma trilha no meio do mata que interliga as praias. No mais, geralmente a maré não será determinante nos passeios, irá apenas estabelecer a largura da faixa de areia das praias. As praias geralmente têm faixa larga de areia firme na maré baixa/média. Só na maré alta que a faixa de areia some ou fica muito fofa em algumas praias A trilha do Farol das Conchas pode se iniciar na Vila do Farol ou na Praia do Farol ou na Praia de Fora, que vai dar acesso a uma longa escadaria de pedras que exige muito cuidado, pois não tem corrimão. No período no qual ficamos na ilha, ficamos sabendo que teve um acidente, uma moça caiu e rolou escada abaixo. A área sofre manutenção, a vegetação estava toda aparada às margens da escada e lá em cima ao redor do farol. No alto, há vários mirantes, cada um com uma vista panorâmica diferente A caminhada de Nova Brasília à Fortaleza pela praia é melhor na maré baixa, quando a faixa de areia estará larga e firme. Não sei se a faixa de areia chega a sumir na maré alta, mas não acho que tenha maiores problemas, pois é só areia, não há pedras, com exceção de alguns entulhos (poucos) na frente de algumas construções que foram destruídas pela força das águas. De qualquer forma, tem outra opção que é uma trilha bastante agradável no meio da mata. A trilha tem muitas bromélias e vai seguindo os postes de fiação elétrica. Por isso as árvores estão bem aparadas no entorno e ao meio dia bate sol em um bom trecho do caminho. A trilha segue por trás das casas e o mar é visível em alguns pontos (dá para ouvir o barulho das ondas). Há algumas saídas para a praia e várias placas no caminho, mas não tem erro. Ao chegar à fortaleza, a água batia nela e entrei pela lateral, onde uma escada de madeira precária dá acesso. Acho que apenas na maré baixa, a entrada principal, na frente, estará sem água. Nada que impeça o acesso, apenas irá molhar os pés A trilha de Nova Brasília a Encantadas é muito bonita, passando por várias praias. Da Vila de Nova Brasília, a trilha segue pela mata até a Vila do Farol, onde tem o acesso para a Praia Grande. Siga pela areia da praia até o canto direito. Entre a Praia Grande e a Praia do Miguel, tem uma trilha sobre as pedras que, na dúvida, é melhor passar na maré baixa, pois não sei se a água chega a bater nessas pedras na maré alta. Cruze a praia até o canto direito. Entre a Praia do Miguel e a Praia de Fora de Encantadas, disseram que na maré baixa, dá para passar por fora, pela areia da praia, contornando a Ponta da Nhá Pina, mas tive a impressão que mesmo na maré mais baixa, não dá para passar pela areia da praia, pois é costeira com muitas pedras e acho que não chega a secar completamente. Independente da maré, o melhor é passar pela trilha subindo o Morro do Sabão que não tem erro e ainda oferece uma bela vista panorâmica do alto. Atravessando toda a praia no canto direito tem a Gruta das Encantadas fica inacessível na maré alta. Tem uma passarela até lá, dará para vê-la, mas não será possível entrar na gruta. Uma trilha cruza a ilha, em direção ao mar de dentro, levando à Praia de Encantadas, onde é possível almoçar e descansar antes de retornar pela mesma trilha ou de barco pela linha regular entre as 2 vilas. Recomendaram não fazer a trilha para o Farol de Encantadas, pois está fechada devido à ausência de trânsito no local **************************************** Nanci Naomi http://nancinaomi.000webhostapp.com/ Trilhas: Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté Relatos: 23 dias no PR - dez/2018 - Parte 1: Natal de Curitiba | Parte 2: Morretes | Parte 3: Guaraqueçaba | Parte 4: Ilha do Superagui | Parte 5: Ilha do Mel 15 dias em SC - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas 3 dias em Monte Verde - dez/2014 21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro 11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo 21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi 21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú 8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est 25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010 Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009 Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009 19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal 10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008 De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008 Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007 Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes 9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul
  10. Onde ir: Em Paranaguá: Centro Histórico/Ponta do Caju: Praça dos Povos Árabes Mercado Municipal Nilton Abel de Lima, R. João Régis, s/n, seg-sáb das 7-18h e dom das 7-12h. Artesanato, hortaliças, frutas, grãos e especiarias; no piso superior, restaurantes de frutos do mar Ilha dos Valadares, acesso por uma ponte (conhecida como “Passarela”) a pedestres, ciclistas e motociclistas, a 400 m do centro; acesso a veículos por uma balsa Aquário de Paranaguá, R. João Régis, s/n, 3425-8063, ter-sex das 10-17h, sáb e dom das 10-18h. São três andares e 26 recintos com mais de 200 animais de diversas espécies, em sua maioria, do litoral paranaense. Conta com auditório, espaço para exposições, loja de suvenires, espaço criança e mirante Praça de Eventos Mário Roque (antiga Praça de Eventos 29 de Julho). Ao longo do rio, abriga o chafariz de ferro fundido, o obelisco, o antigo bebedouro de animais em ferro fundido, o Palco Tutóia, o Farol e a escultura do Caranguejo Rua da Praia, R. Gal. Carneiro. Em paralelo com a margem esquerda do Rio Itiberê, ostenta sobrados coloniais Mercado do Artesanato, R. Gal. Carneiro, s/n, 3423-2155 / 3424-9662, seg-sáb das 9-18h e dom das 9-12h. Antigo mercado de peixes da cidade, atual ponto de venda de artesanato típico Mercado Municipal do Café (séc XIX), R. Gal. Carneiro, 39, seg-sáb das 9-18h e dom das 9-12h, um antigo ponto de degustação do café, atual centro gastronômico que oferece refeições à base de frutos do mar e comida típica do litoral, além dos tradicionais bolinhos de camarão, de banana e pastéis Palácio Mathias Böhn (séc XVIII), R. Gal. Carneiro, 258, 3425-4542, diar das 8-19h. Antiga Agência de Rendas e IAP, Estação Náutica. Fechado Praça Rosa Andrade (Praça do Guincho) Praça Newton Deslandes de Souza, R. XV de Novembro. Possui um Mural Sacro em homenagem a São Francisco de Chagas do artista Emir Roth Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas / Teatro da Ordem (séc XVIII), R. XV de Novembro, 3420-6088 / 3422-5224, diar das 13-19h Cine Teatro, R. XV de Novembro, 3420-6088, seg-sex das 13-19h. Solar típico do século XIX, construído com as pedras de uma antiga fortaleza, atual Teatro Municipal Palácio Visconde de Nácar (1840), R. Visconde de Nácar, 3450-6028 / 3420-6006 / 6012, seg-sex das 13-19h. Foi o mais imponente e luxuoso prédio residencial da Província do Paraná, antiga Prefeitura e Câmara. Em seu interior, nos fundos, existe até hoje vestígio de uma antiga senzala Estação Ferroviária, Av. Arthur de Abreu, 3422-8817 / 3422-3540. Fechada para reforma Instituto de Educação Dr. Caetano Munhoz da Rocha, R. João Eugênio, 894, 3423-1916, seg-sex das 7h30-11h e das 13h30-17h. Clube Literário, R. Faria Sobrinho, 474, 3422-5044 / 3422-5635 Pelourinho, R. XV de Novembro, s/n Casa Cecy, R. XV de Novembro, 499, 3420-2936, seg-sex das 8-11h e 13-18h. Abriga a sede do departamento de cultura da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade Federal do Paraná, R. XV de Novembro, 575, 3721-1200, http://www.proec.ufpr.br/ ter-dom das 8-20h. O museu é composto por 3 espaços: a Sede Histórica em Paranaguá; a Sala Didática em Curitiba; a Reserva Técnica em Curitiba. A Sede Histórica está instalada no Antigo Colégio dos Jesuítas e tem acervo com coleções de arqueologia pré-histórica, cultura popular e etnologia indígena Museu do Instituto Histórico e Geográfico de Paranaguá, R. XV de Novembro, 621, 3423-2892, seg, qua e sex. Acervo com documentos e peças dos séculos XVII e XVIII Casa Eufrida Lobo (1930), R. Dr. Leocádio, 393, 3422-0918, seg-sex das 12-18h. Antiga residência de uma família tradicional, atual Conservatório Municipal de Música Igreja de N. Sra. do Rosário (1578), R. Conselheiro Sinimbu, 3423-2293, diar das 8-18h Casa da Cultura Mons. Celso, Largo Mons. Celso, 23, 3422-0863, seg-sex das 8-11h30 e das 13h30-18h, sáb das 9-18h. Exposições de arte Casa da Música Brasílio Itiberê (séc XVIII), Largo Mons. Celso, 3422-2008 / 3420-2937, seg-sex das 9-18h, sáb das 9-12h. Biblioteca Pública Mário Lobo Casa da Memória “Dacheux” e Restaurante Escola, R. Conselheiro Sinimbu, s/n, 3420-2937, diar das 13-19h. Casa da memória e espaço cultural para exposições Igreja de São Benedito (1600-1650), R. Conselheiro Sinimbu, 3423-2205, diar das 8-18h Fonte Velha, também chamada de Fontinha e Fonte de Cima (séc XVII), Praça Pires Pardinho, R. João Estevão Praça do Japão, R. Calle Antonio Bittencourt Passeio de barco pela baía de Paranaguá Alfândega de Paranaguá, Av. Cel. José Lobo, Dom Pedro II, 3420-4700, seg-sex das 8h30-11h30 e das 13h30-16h30 Porto Dom Pedro II, Av. Ayrton Senna da Silva, 161, Dom Pedro II, 3420-1134 / 1342 / fax 1361, seg-sex das 8h30-12h e 13h30-18h (com agendamento), sáb e dom às 9h30, 10h30, 11h30, 14h30, 15h30 e 16h30, http://www.portosdoparana.pr.gov.br/ Maior porto graneleiro da América Latina Praça da Fé - Praça Thomas Sheehan, R. Prof. Cleto, 298-446. O Marco simbolizado pela pedra em destaque reporta ao local da primeira capela onde a Imagem foi encontrada Santuário de N. Sra. do Rocio (1813), Praça da Fé, Rocio, 3423-2020, seg-sex das 8-12h e das 13-18h, sáb das 8-12h Feira da Lua, Praça Eufrásio Correia (Praça dos Leões), Centro Histórico, ter das 16-23h. Gastronomia, artesanato, apresentações artísticas Feira da Fernando Amaro, Praça Fernando Amaro, Centro Histórico, sex das 7-17h. Produtos agrícolas, gastronomia Feira do Agricultor, Largo Iria Corrêa, Centro Histórico, sáb das 06-12h. Produtos agrícolas, gastronomia Feira do Aeroparque, Av. Bento Munhoz da Rocha Neto, Aeroparque, dom (a cada 15 dias) das 15-21h. Gastronomia, artesanato, produtos Feira Itinerante, bairros de Paranaguá, qui das 16-22h. Gastronomia Cascata da Quintilha, na Colônia da Quintilha, a 8 km da BR 277, com acesso pela PR 508, km 4 (Rodovia Alexandra/Matinhos), 3427-3536 / 9959-1238 / 8836-8883 / 8408-7670 / 8800-6744 / 8424-7606 Sra. Margarete / 8880-2858 / 8825-3139 Sr Daniel], sáb, dom e fer das 9-18h. Da rodovia, inicia-se a estrada de terra em razoável estado de conservação; depois de 4,5 km chega-se à entrada da propriedade identificada por placa do lado direito da estrada; desse ponto, uma caminhada de 500 m leva à cachoeira. Para chegar à cachoeira Alto da Quintilha deve-se seguir pelo caminho que se localiza à direita da entrada da primeira cachoeira por cerca de 1300 m (até o ponto onde uma cerca interrompe a passagem) por uma estrada em piores condições que pode não estar acessível para veículos de passeio; a entrada para a cachoeira está localizada do lado esquerdo. Com 40 m de altura, as cachoeiras estão no curso do rio Brejatuba, em área particular, com cobrança de entrada. A Cachoeira Quintilha (parte baixa) está localizada próximo ao limite do Parque, enquanto a Alto da Quintilha (parte alta) está inserida na UC. Próximo à entrada da primeira cachoeira existe o Restaurante e Pesque-pague Sabor da Quintilha, que abre aos finais de semana. Junto às cachoeiras é possível comprar bebidas, lanches e refeições Floresta Estadual do Palmito, Acesso pela Rodovia PR 407, km 05, 3424-5016, seg-sex das 8-12h e 14-18h. Visita mediante agendamento. Possui museu, trilhas (trilha interpretativa com 1620 m na Floresta Atlântica), cozinha experimental, viveiros de mudas, ancoradouro para barcos, lanchonete e loja de artesanato. Rede Caiçara de Turismo de Base Comunitária, 98454-9866 / 47 98901-9719, [email protected], https://redecaicara.wordpress.com/ http://www.facebook.com/redecaicara O projeto foi criado com o objetivo de promover o turismo sustentável nas ilhas e comunidades costeiras da baía de Paranaguá. Atualmente participam do projeto, Ponta do Ubá (99279-1939 / 98411-4737), São Miguel (99733-2023 / 3186-2035), Piaçaguera (98738-1014 / 98417-1817), Eufrasina (99960-3258) e Ilha dos Valadares (99645-9647 / 99134-1242), cada qual com seu cardápio turístico que são os pacotes e as atividades oferecidas aos visitantes **************************************** Nanci Naomi http://nancinaomi.000webhostapp.com/ Trilhas: Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté Relatos: 23 dias no PR - dez/2018 - Parte 1: Natal de Curitiba | Parte 2: Morretes | Parte 3: Guaraqueçaba | Parte 4: Ilha do Superagui | Parte 5: Ilha do Mel 15 dias em SC - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas 3 dias em Monte Verde - dez/2014 21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro 11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo 21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi 21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú 8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est 25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010 Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009 Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009 19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal 10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008 De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008 Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007 Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes 9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul
  11. Onde ir: Na Ilha do Mel: Praia da Ponta do Hospital, dá para passar só na maré baixa, manguezal Praia da Ponta Oeste, a cerca de 10 km da Vila de Nova Brasília, areia fofa, águas calmas, vegetação nativa, vilarejo de pescadores, sem infraestrutura turística, avista-se navios Praia do Cedro, águas calmas, deserta, vista do continente Praia do Cassual, areia fofa, deserta, abriga uma unidade da Marinha do Brasil, a Rádio Farol. Início do manguezal Praia da Fortaleza, acesso por barco ou de bicicleta ou a pé pela trilha de 4 km/1h da Vila de Nova Brasília. Na maré baixa, acesso por caminhada pela praia que apresenta faixa de areia larga e firme; na maré alta, siga pela Trilha da Figueira por dentro da mata. Com 4 km é a mais extensa da ilha, com areia fofa, águas calmas, vegetação nativa e a Fortaleza de N. Sra. dos Prazeres de Paranaguá. Tem pouca infraestrutura, mas tem casas de veraneio, algumas pousadas e restaurantes. O nível d'água parece estar subindo, vimos alguns muros e sacos de areia para contenção. Apesar disso, há locais com construções comprometidas e destroços na praia Fortaleza de N. Sra. dos Prazeres de Paranaguá ou Fortaleza da Barra ou Fortaleza de Paranaguá (1767-1769), na Praia da Fortaleza, no sopé do Morro da Baleia. No Forte, tem algumas construções como a Casa de Pólvora com painéis expositivos. Ao lado, fica a casa da administração com painéis e uma biblioteca, onde ficam um funcionário e um guarda. Uma trilha curta leva ao labirinto dos canhões e ao mirante que oferece visual da praia abaixo, da Ilha das Peças e do Forte à esquerda. No início, a trilha é calçada com pedras que estavam lisas. Depois é trilha mesmo, mas é demarcada, limpa e aberta Praia do Limoeiro, a 5min de caminhada da Vila de Nova Brasília. Dá para ir andando pela areia da praia, mas na maré alta, acho que a faixa de areia some. Outra opção é a trilha por dentro. Com águas calmas, com vista do continente. Não tem estrutura na praia, mas há nas proximidades. Mais para dentro tem algumas pousadas e restaurantes Praia de Brasília, tem o trapiche de Nova Brasília Praia do Istmo, são 2 praias, uma de cada lado do istmo (conhecido também como Passa-Passa), com areia fofa. Dizem que é raro, mas já aconteceu de encher de água e essa praia sumir, fazendo a Ilha do Mel ficar dividida em 2. Nela fica uma tenda com os barqueiros para os passeios Praia do Farol, a 10min de caminhada da Vila de Nova Brasília. No canto esquerdo, perto da lagoa, tem areia fina e clara, vegetação nativa e bela vista do Farol. Na lagoa, tem uma praia de areia fofa e com mangue em formação. No canto direito (conhecida como Paralelas), está o Farol das Conchas e é boa para surfe. À beira-mar, não há infraestrutura nem construções, mas há pousadas e restaurantes mais para dentro, no caminho entre Nova Brasília e o Farol Farol das Conchas (1872), no Morro das Conchas, a 1,6 km/30min de caminhada do trapiche de Nova Brasília e a 6,4 km/3h da Vila de Encantadas. Suba os 150 degraus para chegar ao topo do morro, de onde se descortina uma bela vista panorâmica Praia de Fora, a 20min de caminhada da Vila de Nova Brasília, enseada entre morros, em forma de ferradura, areia fina, piscinas naturais na maré baixa, vista do Farol das Conchas, boa para surfe e esportes de areia. Não tem construções à beira-mar, mas tem um bar quase na praia que oferece serviço de praia, monta mesa na areia, mas não tem guarda-sol, o qual pode ser alugados diretamente na praia. Vimos cadeiras e guarda-sóis de pousadas próximas, como a Treze Luas e Astral da Ilha, mas não sei dizer se era apenas para os hóspedes da pousada ou se disponibilizariam para clientes apenas do restaurante Ponta do Joaquim Praia Grande, a 25min de caminhada da Vila de Nova Brasília, cercada de morros, tem cerca de 1 km de extensão, faixa de areia larga, areia fofa, pedras nos cantos, sem sombra na praia, boa para surfe. Não tem construções pé na areia. Tem o Grajagan no lado esquerdo e mais algumas pousadas do lado direito, conhecido como Canto da Vó, mas ficam um pouco mais para dentro. Não tem estrutura na praia. Vimos cadeiras e guarda-sóis do Grajagan para seus hóspedes - não sei se o restaurante deles atende não hóspedes também. À noite, tem movimento de turistas que vão ao Canto da Vó para curtir um forró ou banda. A caminhada entre a Praia Grande e a Praia do Miguel, é possível pela praia com a maré média, mas o caminho é pelas pedras molhadas e lisas. Tem uma trilha que atravessa a ilha para a Praia do Belo Praia do Belo, acesso por trilha de Nova Brasília ou do Canto da Vó, na Praia Grande. A trilha que sai de Nova Brasília é limpa, bem demarcada e segue postes de luz em um trecho. Com muitas bromélias e sombreada, mas tem trechos com vegetação aparada dos 2 lados, onde bate sol. Há várias placas pelo caminho. A praia é bem pequena, deserta, sem nenhuma construção, com faixa de areia estreita e parece um funil, cercada de pedras grandes de ambos os lados, com águas calmas. Oferece visual do trapiche de Nova Brasília e da Praia do Limoeiro. Dizem que é bacana para ver o pôr do sol Praia do Bananal, acesso apenas de barco, formada na maré baixa Morro do Meio Praia do Miguel, acesso por trilha da Praia Grande ou da Praia de Fora de Encantadas. De Praia Grande, o início da trilha é de areia, depois segue pelas pedras, mas não é difícil. Da Praia de Fora de Encantadas, tem que subir o Morro do Sabão, mas a trilha estava bem demarcada e visível. Dizem que na maré baixa, dá para passar por fora, pela areia da praia, contornando a Ponta da Nhá Pina, mas é uma costeira com muitas pedras. É deserta, sem nenhuma construção, com faixa de areia bem larga, mas a areia molhada e marcada parece indicar que a água quase encosta na vegetação na maré alta, ondas fortes Morro do Sabão, entre a Praia do Miguel e a Praia de Fora de Encantadas. No topo, com bela vista do Farol das Conchas e da Praia de Fora de Encantadas, é praticado o voo livre Capela de São Francisco, no Morro Nhá Pina, a 151 m acima do nível do mar (costão coberto por bromélias amarelas); oratório ao pé do Cruzeiro com imagens como a de São Francisco de Assis. Não tem capela, apenas um oratório bem pequeno Praia de Encantadas, acesso por barco de Paranaguá ou de Nova Brasília ou por trilha de 4.8 km/1h30min da Vila de Nova Brasília/Farol que é uma caminhada muito bonita, passando por várias praias. É dividida em duas: a de dentro e a de fora. A de dentro (Prainha) tem o trapiche de Encantadas, areia clara, águas calmas, em forma de ferradura, com aquele jeito simpático de vilarejo de praia, concentrando pousadas, restaurantes, mercadinhos e casas à beira-mar. A de fora, a 10min de caminhada da Vila de Encantadas, tem cerca de 1 km de extensão, areia fofa e clara, ondas fortes, vegetação nativa e costão rochoso, no canto direito, onde está a gruta. Deserta, sem construções pé na areia, mas tem a Praça de Alimentação (barracão com boxes e quiosques de lanchonetes e bares) mais para dentro. Entre as 2 praias, tem uma trilha que sai do canto esquerdo (perto do trapiche) da praia de dentro e vai até o canto direito da praia de fora, perto da Gruta de Encantadas. Parece que tem outra trilha que sai do meio de uma praia e vai até o meio da outra Gruta das Encantadas, localizada no canto direito da Praia de Fora de Encantadas. Situa-se na parte meridional da Ilha, em grande paredão rochoso, onde tem o Gorila da Gruta (imagem da cabeça de um gorila esculpida na pedra). Acesso por trilha com passarela de madeira, na maré baixa. A parte interna é pequena e com piso de areia e fica inacessível na maré alta Ponta do Caraguatá Farol das Encantadas Passeio de barco até a Baía dos Golfinhos, para ver os botos, como chamados pelos locais, na baía entre as ilhas do Mel e das Peças, com saídas de Nova Brasília e Encantadas, 2h de barco Volta à ilha, caminhada de 20 km/8h por praias e costões (consultar tabela de maré). Condutor Maninho, 3426-9059 / 99919-3410 **************************************** Nanci Naomi http://nancinaomi.000webhostapp.com/ Trilhas: Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté Relatos: 23 dias no PR - dez/2018 - Parte 1: Natal de Curitiba | Parte 2: Morretes | Parte 3: Guaraqueçaba | Parte 4: Ilha do Superagui | Parte 5: Ilha do Mel 15 dias em SC - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas 3 dias em Monte Verde - dez/2014 21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro 11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo 21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi 21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú 8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est 25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010 Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009 Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009 19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal 10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008 De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008 Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007 Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes 9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul
  12. Quando ir: Para quem gosta de agito e temperaturas altas, quando as águas estarão agradáveis para banho, o verão é perfeito. Entre dezembro e o carnaval, é alta temporada quando, principalmente em feriados e festas/eventos, o movimento e os preços atingem seus picos. O custo da ilha é mais elevado do que no continente e fica inflacionado no verão. Percebe-se que os preços são diretamente proporcionais à temperatura, quanto mais alta a temperatura, mais caros ficam os preços, principalmente das diárias. No verão, eventualmente pode faltar energia elétrica e água, mas estavam aumentando a capacidade do reservatório da estação de tratamento para acabar com o problema de falta de água. Ainda nessa época, são maiores a probabilidade de chuva e a incidência de pernilongos e mutucas (evite novembro e início de dezembro, quando a quantidade de mutucas costuma ser maior). O inverno é mais tranquilo, quando o fluxo de turistas diminui, mas não chega a ficar vazio, pois recebe turistas estrangeiros. Só que pode fazer frio e as águas geralmente estão bem geladas. Teoricamente, a melhor época para ir à ilha seria outono ou primavera, quando a probabilidade de chuva é menor do que no verão, mas as temperaturas não estão tão baixas como no inverno. Eventos na Ilha do Mel: Festa da Tainha da Ilha do Mel: em julho, no trapiche de Nova Brasília, 99217-4627 Festival Brasileiro de Voo Livre: em outubro, no Morro do Sabão, Praia de Encantadas, 98429-1029 Festival Ecocultural e Esportivo da Ilha do Mel: em outubro Eventos em Paranaguá: Exposafra - Feira Interativa para Caminhoneiros: em maio, no Pátio de Triagem de Caminhões, BR 277, km 3, 3049-1779 Festa Nacional da Tainha - Festa do Pescador, Festa da Tainha e Feira Regional da Tainha: em junho/julho, na Praça de Eventos 29 de Julho, R. Gal. Carneiro, s/n, 98414-6834 Aniversário de Paranaguá: em julho, na Praça de Eventos 29 de Julho, R. Gal. Carneiro, s/n, 98414-6834 Congresso de Missões e Evangelismo, na Praça de Eventos 29 de Julho, R. Gal. Carneiro, s/n, 3424-4118 / 9943-7632 Paranaguá Motos - Encontro Internacional de Motociclistas: em agosto, Praça de Eventos 29 de Julho, R. Gal. Carneiro, s/n Festa de N. Sra. do Rocio: em novembro, no Santuário Estadual de N. Sra. do Rocio, Praça Thomas Sheehan, 211, Rocio, 3423-2020, http://www.santuariodorocio.com Festa de São Benedito: em dezembro, na Igreja de São Benedito, R. Cons. Sinimbu, 269, 3423-2205 / 3422-5427 Festa do Caranguejo: em dezembro, na Praça de Eventos 29 de Julho, R. Gal. Carneiro, s/n, qua-sex shows às 20h e 22h, sáb e dom show às 13h, 20h e 22h. Shows variados, MPB, anos 70, country, Pagode, Sertanejo, Reggae, Rock Feriados municipais: 29/07 - aniversário da cidade 07/10 - dia de N. Sra. do Rosário, Padroeira da cidade **************************************** Nanci Naomi http://nancinaomi.000webhostapp.com/ Trilhas: Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté Relatos: 23 dias no PR - dez/2018 - Parte 1: Natal de Curitiba | Parte 2: Morretes | Parte 3: Guaraqueçaba | Parte 4: Ilha do Superagui | Parte 5: Ilha do Mel 15 dias em SC - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas 3 dias em Monte Verde - dez/2014 21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro 11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo 21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi 21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú 8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est 25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010 Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009 Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009 19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal 10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008 De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008 Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007 Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes 9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul
  13. A cidade: A Ilha do Mel pertence ao município de Paranaguá que está localizado na região litorânea do estado e tem área de 826,674 km². Tem 140.469 habitantes (dados IBGE 2010) e faz limite com as cidades de Antonina, Guaraqueçaba, Morretes, Guaratuba, Pontal do Paraná e Matinhos. Possui clima subtropical úmido. Como chegar: Terminal Rodoviário de Paranaguá, R. João Estevão, 403, Centro Histórico, 3420-2925 Viação Graciosa, Paranaguá, 3423-1215 Aeroporto Santos Dumont, Av. Bento Munhoz da Rocha Neto, 1563, Paranaguá, 3420-2983 / 9978-6607 / 9959-4129. Recebe aviões pequenos das 6-18h Abaline - Associação de Barqueiros do litoral norte do Paraná, R. Gal. Carneiro, 366, Centro Histórico, Paranaguá, 3455-2616 / 3425-6325, http://www.abaline.com.br/ Terminal Rodoviário de Pontal do Sul, Av. Beira Mar, s/n, Pontal do Paraná, 3223-0873 Terminal Rodoviário de Ipanema, R. Sebastião Caboto, s/n, Pontal do Paraná, 3223-0873 Terminal Rodoviário de Pontal do Paraná, Rod. PR-407, próximo a Rod. PR-412, Praia do Leste, Pontal do Paraná, 3223-0873 Terminal de Embarque de Pontal do Sul, R. Al. do Café, s/n, Pontal do Paraná, 3455-1144 Cooperativa de Transportadores Náuticos Autônomos da Ilha do Mel – COTRANAUTA, Praia do Farol, Ilha do Mel, 3422-0593 / 3426-8050, [email protected], passeios para observação de golfinhos, diar a partir das 9h do terminal de embarque de Brasília Odara Empresa de Transporte Marítimo, Praia de Encantadas, Ilha do Mel, 3426-9101. Passeios de barco Transporte Paranaguá/Ilha do Mel: Paranaguá/Ilha do Mel: diar às 9h30 e 15h30; passagem de ida e volta 53,00. 2h de travessia Ilha do Mel - Encantadas / Paranaguá: seg-sex às 7h30 e 16h30; sáb e dom às 10h e 16h30 Ilha do Mel - Brasília / Paranaguá: seg-sex às 8h e 17h; sáb e dom às 10h30 e 17h Transporte Pontal do Sul/Ilha do Mel: Pontal do Sul/Ilha do Mel: seg-qui das 8-16h a cada 1h, último as 17h30; sex das 8-18h a cada 1h; sáb das 8-18h a cada 30min; dom das 8-17h a cada 30min; passagem de ida e volta 35,00. 30/40min de travessia Ilha do Mel / Pontal do Sul: seg-sex das 8-17h a cada 1h; sáb e dom das 8-18h a cada 30min Transporte Nova Brasília/Encantadas: Linha regular de barco entre Nova Brasília e Encantadas a cada 1h Dicas e comentários sobre transporte: Para transitar na ilha, só a pé ou de barco. Há linha regular de barco entre Nova Brasília e Encantadas a cada 1h Tem vários pontos de aluguel de bicicleta em Nova Brasília, mas particularmente acho que a bicicleta só é legal para ir à Fortaleza, para outros pontos ou é perto e faz mais sentido ir a pé (Praia do Farol, Praia de Fora, Praia Grande) ou tem trechos com pedras (Praia do Miguel, Praia de Fora de Encantadas), onde terá que carregar a bicicleta. Apenas alguns trechos de trilha tem areia fofa como, por exemplo, entre Nova Brasília e a Praça Felipe Valentim e perto do Grajagan Nos trapiches há carregadores com carrinhos de mão que levam a bagagem por valores tabelados conforme a localização da hospedagem Para chegar à Ilha do Mel, existe barco de linha regular a partir de Paranaguá e Pontal do Sul. Estando em outro local, como Guaraqueçaba ou Ilha do Superagui, terá que contratar um barco privativo ou terá que fazer uma conexão em Paranaguá, mas neste caso é preciso atentar para os horários de barcos disponíveis e provavelmente vai gastar quase o dia todo no traslado. Se decidir contratar um barco privativo, é melhor contratar em Guaraqueçaba ou Ilha do Superagui do que pedir para alguém da Ilha do Mel te buscar, pois achei os preços de barcos na Ilha do Mel mais caros Disseram que o traslado de barco entre Barra do Superagui e a Ilha do Mel pode pegar mar agitado por passar pelo mar de fora, mas deve depender muito das condições climáticas como vento. Quando fizemos esse percurso, foi tranquilo É necessário ter a passagem da Viação Graciosa comprada com antecedência para embarcar fora de um terminal. Por exemplo, para retornar da Ilha do Mel até Curitiba, tem um ponto de ônibus perto do Terminal de Embarque de Pontal do Sul, mas quem não tem a passagem comprada, precisa pegar uma condução até o terminal rodoviário, onde poderá comprar a passagem e embarcar. Além disso, convém comprar a passagem com antecedência, pois dependendo do dia/horário, pode não ter mais vagas. Ou então terá que ir para Paranaguá, tem circular que sai da rodoviária também **************************************** Nanci Naomi http://nancinaomi.000webhostapp.com/ Trilhas: Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté Relatos: 23 dias no PR - dez/2018 - Parte 1: Natal de Curitiba | Parte 2: Morretes | Parte 3: Guaraqueçaba | Parte 4: Ilha do Superagui | Parte 5: Ilha do Mel 15 dias em SC - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas 3 dias em Monte Verde - dez/2014 21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro 11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo 21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi 21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú 8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est 25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010 Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009 Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009 19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal 10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008 De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008 Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007 Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes 9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul
  14. Ilha do Mel DDD (41) Período: 17 a 21/12/2018 Cidades: Ilha do Mel A Ilha do Mel, pertencente ao município de Paranaguá, tem 95% de sua área composta por ecossistemas de restinga e Floresta Atlântica que são protegidas em duas UCs: uma Estação Ecológica e um Parque Estadual. Além das belezas naturais de 35 km de praias e costões rochosos e trilhas pela mata, possui atrativos históricos como o Farol das Conchas e a Fortaleza de N. Sra. dos Prazeres. São quatro vilas principais: Nova Brasília, Farol, Fortaleza e Encantadas que concentram a infraestrutura turística e estão interligadas por trilhas. Não há tráfego de carros e o deslocamento é feito por trilhas ou através de barcos. Confira abaixo as dicas e o relato de viagem. Fiquei hospedada em Nova Brasília, na Ilha do Mel. A ilha é bem turística e existem boas opções de hospedagem e alimentação, mas não há hotéis de grande porte e/ou mais sofisticados devido às características do local. No geral, as opções são simples. Obs.: ATENÇÃO: Não possuo nenhum vínculo com hotel, restaurante, agência, loja e qualquer outro tipo de estabelecimento divulgado nos meus relatos de viagem. Alguns dos pontos turísticos listados, bem como alguns estabelecimentos, não foram visitados por mim e as informações foram obtidas de guias ou funcionários de CITs ou são provenientes de pesquisa. Portanto, recomendo que antes de utilizar qualquer serviço, verifique com a secretaria de turismo da cidade e/ou outras fontes idôneas e confiáveis, como sites oficiais do governo ou órgãos de ensino/pesquisa, se os dados são atualizados e/ou verossímeis. Verifique também as datas dos relatos; algumas informações permanecem válidas com o passar dos anos, porém outras são efêmeras. Esse site não se propõe a ser um guia turístico, trata-se apenas de um relato de viagem e um apanhado de observações, experiências vivenciadas e opiniões de cunho pessoal que não têm a pretensão de ser uma verdade absoluta, pois retratam apenas uma faceta ínfima do diversificado e amplo universo histórico e cultural que um destino de viagem proporciona. Vá, experimente, vivencie e encontre a sua verdade. **************************************** Nanci Naomi http://nancinaomi.000webhostapp.com/ Trilhas: Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté Relatos: 23 dias no PR - dez/2018 - Parte 1: Natal de Curitiba | Parte 2: Morretes | Parte 3: Guaraqueçaba | Parte 4: Ilha do Superagui 15 dias em SC - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas 3 dias em Monte Verde - dez/2014 21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro 11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo 21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi 21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú 8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est 25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010 Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009 Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009 19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal 10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008 De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008 Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007 Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes 9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul
  15. oi pessoal, postei um relato de Superagui e outro de Guaraqueçaba **************************************** Nanci Naomi http://nancinaomi.000webhostapp.com/ Trilhas: Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté Relatos: 23 dias no PR - dez/2018 - Parte 1: Natal de Curitiba | Parte 2: Morretes | Parte 3: Guaraqueçaba | Parte 4: Ilha do Superagui 15 dias em SC - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas 3 dias em Monte Verde - dez/2014 21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro 11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo 21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi 21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú 8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est 25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010 Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009 Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009 19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal 10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008 De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008 Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007 Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes 9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul
×
×
  • Criar Novo...