Ir para conteúdo

lucianeck

Colaboradores
  • Total de itens

    24
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra

Sobre lucianeck

  • Data de Nascimento 12-04-1987

Bio

  • Ocupação
    Estudante

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Por que apesar de ter lido aqui no mochileiros que o lugar era mal cuidado eu ainda imaginava ele como um oasis, mas na verdade ele está muito próximo à cidade (em 5 min de taxi você já está na área urbana de Ica). Isso faz com que ele seja um balneário, com musica alta, sujeira e preços altos. Eu achei a vista do deserto (olhando a partir do oasis para o lado oposto de Ica) realmente surpreendente! É uma vista linda no por do sol! Mas não tem nem como pensar em caminhar nas proximidades de tantos jipes e caminhonetes que trafegam por ali levando os turistas... essa falta de paz no lugar incomodou muito a gente, fora que um motorista babaca jogou o jipe pro nosso lado enquanto estavamos sentados vendo o por do sol por "brincadeira" e isso acabou com o nosso dia. Mas talvez se você gostar de baladas e desses passeios de jipe você possa ter uma impressão positiva do lugar...
  2. Oi Jéssica, acho que todas tem a lista =( Vou deixar pra você o link do fb de um guia e do hostel, você pode perguntar se eles não organizam uma saida nos dias que você estiver lá: https://www.facebook.com/maximo.campostiliria?fref=ts https://www.facebook.com/akilpo.hostalenhuaraz?fref=ts Boa viagem!!
  3. Oi Juliana, no total gastamos 2 mil cada um (fora a passagem). Nós fechamos todos os passeios no hostel, exceto a escalada na neve no Sao Mateo. Nós fomos em outras agencias, mas era sempre mais caro ou mais turistico, por isso acabamos fazendo tudo com o pessoal do hostel. Esse passeio até a metade da 69 não é comum, nas outras agencias vão tentar empurrar o passeio só das lagoas Llanganuco, mas os relatos que li no trip advisor não me agradaram.. Boa viagem pra vocês!!
  4. Oi Adriano! De Huaraz a Caraz tem vans que saem de hora em hora, é facil ir de uma cidade a outra. Eu não lembro exatamente o preço da van, mas era algo em torno de 20 soles. O taxi chega no começo da laguna, vc desce do carro já vendo a água. Vou deixar pra você o contato do guia que nos levou até o Pastoruri pois esses dias ele estava anunciando no facebook uma saida para a Parón: https://www.facebook.com/maximo.campostiliria?fref=ts Boa viagem!
  5. Sim, o tour da 69 para uns 10 min só pra tirar foto da Llanganuco (que fica no caminho da 69). E o tour da Llhanganuco convencional, que não fizemos, passa em várias cidades pela manhã e chega na Llanganuco no começo da tarde e fica uns 30 min lá. Nós queríamos ficar mais tempo lá por que o lugar é incrível, então fizemos esse esquema que eu contei no relato. No total caminhamos 7 km, sempre descendo, acho que valeu muito a pena!
  6. lucianeck

    Huaraz

    Dá sim, a Llanganuco tem uma estrutura básica pra receber os turistas aonde dá pra deixar o carro, na 69 as vans ficam paradas na beira da estrada, não sei o quão seguro seria largar o carro sozinho lá. Mas se vc tem um carro vc não pode deixar de ir ao Vale de Ulta! Não tem nenhum tour que vai pra lá e o vale é lindo, no final dele tem o tunel mais alto do mundo e montanhas muito nevadas, com uma vista linda do Huascarán! Dizem que o cañon del Pato também é muito bonito pra se fazer de carro, mas este último eu não conheço.
  7. Passamos 21 dias no Perú em Janeiro desse ano. Coloquei os preços em Soles, pois a cotação variava muito entre os lugares (a melhor cotação que encontramos foi em Miraflores). Como havíamos comprado dólares antes dessa última alta astronômica o cambio acabou saindo R$1 = S/1. O trajeto foi: Curitiba – Lima (R$ 900,00 pela Tam) Em Lima ficamos no Dragonfly (S/ 30,00 a cama no dormitório misto). O hostel é muito bom e bem localizado, a poucas quadras dele tem muitos bares na calle Berlin. Comemos o melhor ceviche da viagem na “Casa do ceviche” – S/20 com uma Cuzqueña grande – S/10 e chicha morada – S/3. Do hostel fomos a pé pro Huaca Puclanna e voltamos de ônibus por causa do calor, adoramos o lugar: Eu tinha lido aqui e em vários outros blogs o quão caótico e perigoso eram os ônibus de Lima, gente... mentira. Se vc pega ônibus em qualquer lugar do Brasil vai achar normal, inclusive pra ir de Miraflores até os terminais de ônibus dá pra ir tranquilo com o ônibus Metropolitano. Fomos no Enigmatik, um lugar em que você escolhe uma dentre três histórias e joga um “live action” por 1 h http://enigmatikperu.com/ . Lima – Huaraz (S/ 65.00 Moviltours – não recomendamos a Movil, minha mochila chegou inteira molhada em Huaraz...) *Todos os ônibus que pegamos no Peru tinham serviço de bordo, alguns até com wifi, a comida da Movil é muito boa, a da Soyuz é ok e a da Cruz Del Sur é só um sanduichinho.* Huaraz = Akilpo S/15,00 a cama no dormitório misto (https://www.facebook.com/akilpo.hostalenhuaraz?fref=ts) Ahhh Huaraz! Podia escrever um livro sobre Huaraz!! Sem dúvida um dos melhores lugares que eu já estive. Muito disso proporcionado pela família dona do hostel. Fomos com 2 noites reservadas pelo hostelworld e acabamos ficando 12 (DOZE!) noites! O hostel é um prédio e no último andar tem um terraço com uma cozinha e alguns sofás. Eu realmente recomendo Huaraz pelas paisagens, pela honestidade da família dona do Akilpo e pelo preço ^^ Adoramos o Trivio Café, fomos lá várias vezes, comemos Papas a lá huancaína (S/6), Causas limeñas (S/10) e vários bons cafés e cervejas artesanais! Pra comer na hora do almoço recomendo as trutas do Teo´s na calle Simon Bolívar, o Samuels na Av Luzuriaga e o la Mona (que fica na calle Lucar y torres entre a José de La Mar e a Raymondi). E não deixem de comer os Chochos (vendidos por S/1 na Plaza de armas e na Alameda Grau quase em frente a igreja) e os bolinhos de batata recheados de carne acompanhados de salada de cebola picante das Ricas papas de Daniela por S/1 também (esse fica na Luzuriaga do lado da passagem para o parque genebra)! No hostel os meninos também tem uma agencia de viagem, absurdamente barata e boa perto das outras que vimos. Fizemos muitos passeios com eles, lembrando que é preciso também pagar a taxa de entrada do parque nacional, os preços foram: Glaciar Pastoruri – S/ 30 Passeio super tranquilo, o carro chega a 2 km do glaciar e esse trajeto final é feito a pé em 40 min em media (por causa da altitude). Laguna 69 – S/90 - Eu não fui nesse, pois meu joelho estava explodindo... meu namorado foi e gostou. A van passa pelas lagunas llhanganuco, para em um ponto para tirar fotos e depois sobe até o fim do vale. Lá começa a caminhada de 3 h para subir e 3 h para descer. Chavín de Huantar – S/20 – Esse é um passeio sem caminhadas, e não vou negar, nós subestimamos Chavín. Pensamos que era mais uma ruína pré-inca caça turista e não poderíamos estar mais enganados. O lugar é impressionante e fomos com um grupo bom e acabamos ficando amigos do guia, se alguém quiser o contato posso passar! Lagunas LLanganuco – S/20 – Não fomos para lá com o tour tradicional dessa laguna, combinamos com os meninos do hostel que iríamos com o tour da laguna 69 até o momento em que a van para no fim do vale. De lá ao invés de subir com o pessoal da 69 descemos o vale, por uma trilha paralela ao rio. O lugar é opressoramente lindo! O vale é indescritível! O rio desemboca nas lagunas llhanganuco, então percorremos as duas lagunas pela estrada e chegamos no centro de visitantes. Dalí começa 1 h de descida no meio dos queñoales pela trilha Maria Josefa que desce o vale. A trilha acaba na estrada, então combinamos com o motorista da van um ponto de encontro na estrada no fim da tarde. Laguna Parón – S/40 - Esse passeio não é habitual e foi uma das razoes de termos ficado tantos dias em Huaraz, o hostel abriu uma lista de interessados e o passeio só saiu quando havia 12 pessoas. Também havia a possibilidade de termos ido a Caraz de van, subido até Pueblo Parón com outra van e de lá subido a pé 18 km até a lagoa, mas eu estava com o joelho estourado. Também tínhamos a opção de em Caraz pegarmos um taxi por aproximadamente S/120 a ida e volta até a lagoa com 1h de espera. Mas não tínhamos esse dinheiro e queríamos ficar mais tempo lá em cima e olha... Valeu muito a pena!! Além destes fizemos mais um “passeio” com outra agência, a Montrek. Fomos lá com um casal que tínhamos conhecido no pastoruri, pois eles queriam fazer um tour até algum lugar com neve e nós também. Acabamos escolhendo ir para a montanha San Mateo, foram S/ 120 por pessoa que incluíam a ida e volta, o guia e equipamentos de escalada em gelo/neve. Essa montanha é uma escola pra quem nunca pisou na neve e escalou no gelo. Saímos as 5 da manhã de Huaraz, entramos no vale de Ulta e fomos até o início do túnel que atravessa o fim do vale. Lá começamos a subir a montanha, não tem trilha nessa parte, a montanha desmoronou e dá pra subir por muitos caminhos. A subida é muito íngreme no começo e depois fica mais tranquila. Chegamos no começo da neve e como nenhum de nós tinha usado grampons e piolets antes, o guia ensinou, mostrou técnicas de segurança e começamos a subir todos encordados as 11h. Eu senti muito, muito, muito medo! Era uma parede ora de neve fofa, ora de gelo muito duro. Meus braços e minha panturrilha bombaram em menos de 5 min de escalada! Quando todo mundo já estava na parede (éramos em 5 com o guia) começou a nevar e cair granizo, o guia fez então a gente andar na horizontal na parede até chegarmos em um lugar um pouco plano pra ele cavar um buraco e armar nossa segurança. Ali tiramos algumas fotos e só, o tempo estava piorando e estávamos congelados já. Descemos desescalando a parede e chegando nas pedras aonde estavam as mochilas. A descida até o carro foi muito tensa, as pedras desmoronadas estavam muito escorregadias! Chegamos de volta a Huaraz as 19h! Huaraz – Lima (S/ 65.00 Moviltours) Lima – Nasca (S/ 73,00 Cruz Del Sur) - A Cruz Del Sur é absurdamente cara e o serviço é igual aos outros.. Em Nasca ficamos no Brabant hostel (S/40,00 o quarto duplo sem banheiro). Nasca parece uma cidade dos filmes de velho oeste, nós fomos direto ao aeroporto e conseguimos um voo sobre as linhas por U$S 60. Chegamos no aeroporto com U$S 50 cada um, pagamos isso na hora e depois eles nos levaram até a cidade para pagarmos o resto. Os voos nas agencias da cidade variavam entre U$S 80 e 90. A única coisa que eles incluíam a mais era o transfer até o aeroporto, que no nosso caso saiu S/5 a ida de taxi e a volta foi de graça. Não deixem de ir no planetário! É muito legal! Foi S/ 20 por pessoa! Nasca – Ica (S/ 12,00 pela Soyuz - serviço vip) - Adoramos a Soyuz, onibus novos, quase sempre vazios e é muito mais barato que todas as outras! Ica – Huacachina = S/5,00 no Motocar com mochilas (S/3,00 sem mochilas e pechinchando), no táxi pediram S/10,00 Em Huacachina ficamos no Casa de Arena (S/ 70,00 o quarto duplo sem banheiro), o hostel está em obras, e o clima é péssimo, ao menos a piscina estava super limpa e é grande =) acabamos mudando pro Casa de Bamboo (S/80,00 o quarto duplo com banheiro), esse hostel é novo e tem um restaurante honesto no piso térreo. Nós detestamos o oásis, o lugar é bonito e a paisagem impressiona, o problema são as pessoas e o clima de fim de festa (quando a festa é ruim). Pros preços peruanos o oásis é uma extorção, é coisa pra gringo ver. Huacachina – Ica = S/6,00 no Motocar com mochilas Ica – Paracas (S/ 8,00 Soyuz - serviço vip - não tá errado, foi barato assim mesmo!) Ficamos no Itchus (S/18,00 a cama no dormitório) O hostel é simples e limpo. Alugamos bicicletas por S/20 e fizemos o circuito turístico no deserto com elas! Foi a melhor coisa que fizemos em Paracas, saímos as 8h e voltamos as 14h. No total foram 35 km. Nesse blog tem um relato com o mapa da região: http://sylwiatravel.com/bicycle-trip-in-paracas-national-reserve-great-adventure-in-the-desert/ Em frente ao Itchus hostel, bem na esquina da rua principal tem um restaurante com piscina. Fomos lá umas 3 vezes, o menu da hora do almoço é S/10 com entrada, prato principal e bebida. A diária pra piscina é S/5 por pessoa =D A piscina é super limpa, não consigo entender como aquele lugar não estava lotado de turistas naquele calor insuportável de Paracas!! Fomos também as ilhas Balestras, foi S/30 direto na recepção do hostel. A ilha é muito, muito impressionante! Vale a ida com certeza, mesmo com a muvuca de turistas. Paracas – Lima (Soyuz - serviço vip)= S/ 35,00
  8. Olha, eu acho que não tem jeito mesmo... Fui pra lá ano passado e até lembro de um tutorial na net pra gerar um RUT válido, mas não adiantou nada pois meu cartão também não passou! O jeito foi comprar no dia mesmo! Boa sorte!
  9. Oi Renata! Acabei de voltar de lá! Não contratei ninguém e posso te dizer que foi muito tranquilo toda a viagem! De Rio Branco saem ônibus todos os dias pra Assis Brasil (fronteira com o Peru) as 6:30h da manhã. Você pode também pegar uma lotação (recomendo pois o ônibus para a cada 2 Km pra subis ou descer alguém =P ) De Assis Brasil você pode passar pra Inhapari de taxi e de lá saem vans pra Puerto Maldonado por 30 soles. De Puerto Maldonado pra Cusco tem ônibus de 35, 60 e 70 soles saindo as 10h da manhã ou a partir das 18h! Se você puder conheça as redondezas de Puerto Maldonado, o eco turismo lá é forte e os preços atrativos! Boa viagem!
  10. E ai pessoal, acabei de voltar do Peru e dei uma passada no Ausangate! Comprei um livro chamado "trekking in the central andes" esse: http://www.amazon.com/Lonely-Planet-Trekking-Central-Walking/dp/1740594312 e fiquei muito animada com a descrição do trekking!! O problema é que eu só tinha vontade, faltava tempo (5 ou 6 dias), equipamento e dinheiro pra contratar o trekking em alguma agencia =P Então fizemos um "mini-trekking" de dois dias até a face norte da montanha! Foi MUITO massa, o visual é incrivel! E deve ser ainda mais lindo pra quem faz a volta completa! Pagamos 125 Soles por pessoa na agencia Eco Wayky's (falamos com a Laura). Fomos de Cusco a Tinki de ônibus, lá encontramos o Silverio que mora na metade de caminho entre Tinki e Upis. Subimos até a casa dele (umas 2:40h de caminhada) e dormimos lá. Vale lembrar que é uma casa de um campesino andino, portanto muito humilde! Jantamos com eles (boiando na conversa pois na familia só o Silverio falava espanhol, o resto só falava em Quechua) e no dia seguinte saimos as 6:30h da manhã para ir até a face norte. Nesse dia camelamos muito, já estavamos aclimatados mas foi muito cansativo! Chegamos nas águas termais do primeiro (ou ultimo, dependendo do circuito escolhido) acampamento as 10h e as 11h chegamos na lagoa de degelo da face norte!! Dali demos meia volta, passamos na casa pegar as mochilas e descemos direto pra Tinki aonde pegamos o onibus de volta pra Cusco no final da tarde! Nesse preço estava tudo incluido exceto o aluguel de um saco de dormir que foi 10 dolares pros dois dias. Eu achei esse passeio uma ótima alternativa pra quem não tem 5 dias e quer conhecer o lugar, só não pode ter muita nenhuma frescura em relação ao lugar aonde se dorme ou ao que se come na casa dos nativos. É um choque cultural bem grande mesmo pra quem já foi várias vezes pros andes! O site da agência é esse: http://www.ecowaykis.com/ausangate.htm Se alguém quiser mais informações algumas paginas do livro me manda uma mensagem! tem a descrição completa do trekking pra quem pretende fazer sozinho!
  11. Aline, se o proprio guia não tiver tudo isso ele sabe quem tem, o Marco mesmo foi atras de panelas, fogareiro e tudo mais pra gente (e encontrou quem alugasse muito rápido, afinal de contas me parece que Sta Elena vive de mandar turistas pro Monte roraima!) Se quiser o facebook desse guia me adiciona lá que eu te passo o contato dele! =]
  12. Acho que se chama posada Las 3 naciones, lembro de ter visto o nome mas não sei se é boa... eu recomendo a posada Michele!
  13. Ivan, se vc puder vá a Feira indígena! Eu não me lembro se ela acontece no sábado ou no domingo de manhã. É uma mistura da cultura indígena com o comércio da cidade, muito interessante! Ela fica a + ou - um Km do hotel Michelle, vale a pena!
×
×
  • Criar Novo...