Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Márcio Alencar

Membros
  • Total de itens

    18
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Show Marcio, linda viagem! Essa ficha você teria em pdf para disponibilizar para o pessoal? Depois do seu relato estou até me animando a ir de carro próprio até os Geisers. abs Geisers é muito tranquilo para ir de carro, nas lagunas o caminho estava pior.
  2. Ola Marcio, Obrigado pela dica. Mais uma pergunta: vc trocou todo seu Real na Argentina ou guardou um pouco para trocar no Chile? Não precisa se desculpar, a vida segue e temos prioridades. Um abraço. Guardei para trocar no Chile, a cotação não estava muito boa, mas era igual ao praticado em Santiago, saquei dinheiro direto no caixa eletrônico também, tudo no Chile é caro!
  3. 07/08 San Pedro de Atacama – O dia começou bem cedo as 04:00 (tudo muito escuro) para o passeio mais esperado por mim, Geyser Del Tatio. As agencias costumam dizer que somente é possível chegar ao local com carro 4x4 o que é uma grande mentira, o caminho é fácil e a estrada em bom estado de conservação, não houve nenhum problema. Fomos em 2 carros com um casal brasileiros que conhecemos em San Pedro. O lugar é incrível e frio, pegamos -10 recomendo levar uma térmica com café e algo para comer, ficamos muito tempo admirando o espetáculo das aguas, uma experiência que jamais vou esquecer, quem vai por agencia logo vai embora e como fomos por conta tivemos muito mais tempo para admirar tudo no parque. Para nossa grande surpresa no caminho de volta (agora com a luz do dia) vimos muitos animais e paisagens de tirar o folego, parávamos a todo momento para fotografar e admirar, mais a frente paramos no povoado de Machuca para comer empanada (pastel) e espetinho de lhama e tirar algumas fotos. O dia ainda nao tinha acabado e resolvemos ir ate o Valle do Arco Iris distante 1 hora de Machuca, passeio bacana, mas nao é imperdível. 08/08 San Pedro de Atacama – Salta AR – Como de costume acordamos cedo para atravessar a Cordilheira pelo Paso Jama, decidimos voltar pelo mesmo lugar pois o caminho é todo asfaltado e seguro. Para entrar e sair de San Pedro temos que passar por um cancela na entrada da cidade, para nossa surpresa essa cancela fecha a noite e so abre as 08:00 e chegamos na saída as 07:30 e tivemos que espear na fila 30 minutos para a abertura, mas como nem tudo sao flores o guarda responsável pela abertura perdeu a chave e ficamos uma hora esperando ate que um outro trouxesse uma outra chave, uma fila enorme de carros e caminhões a galera que ia para o Salar de Tara estava indignada. Depois que abriram a cancela fomos em direção a fronteira com a Argentina, muito frio e paisagens que jamais esquecerei, bem no alto da Cordilheira paramos para ver um lago congelado e andamos sobre ele, uma sensação indescritível. Chegamos na aduana entre Chile x Argentina, o procedimento foi tranquilo, mas na hora de passar a cancela e entrar na Argentina a policia estava realizando uma revista minuciosa nos carros, tiravam tudo e colocavam no chão e tínhamos que abrir todas as malas, foi uma experiência desagradável pq nao eram nada educados, logo apos a revista fomos liberados, um pessoal de Blumenau que estava na nossa frente teve uma luneta apreendida. Continuamos nosso caminho em direção a Salta, paramos em Purmamarca para almocar e seguimos viagem e chegamos em Salta ao anoitecer, e tive uma depressão por estar novamente numa cidade grande com trânsito pesado e toda correria, senti uma saudade enorme do deserto. 09/08 Salta – Domingão para aproveitar a cidade, mas o tempo era de chuva e mesmo assim me animei pq queria muito visitar os museus da cidade, principalmente o Museu da Alta Montanha para ver as múmias das crianças Incas, para meu desespero todos os museus e passeios na Argentina estavam fechados por causa das eleições no país, resumindo não tínhamos nada pra fazer na cidade além de andar pelas ruas, nem uma cervejinha (lei seca). Então percorremos todo o centro e feiras de rua, no dia seguinte era hora de atraversamos o Chaco novamente. 09/09 Salta – San Ignacio – Com o dia ainda escuro e com chuva fraca saímos de Salta para atravessar o Chaco, novamente fiquei preocupado com a policia caminera e novamente nao fomos molestados com pedido de proprina, mas em uma abordagem o policial nos liberou e logo em seguida seu amigo gritou “sao brasileiros” nao sei exatamente o que ele quis dizer com isso, só sei que acelerei e nem olhei pelo retrovisor. Um pouco mais a frente paramos o carro no acostamento e veio o primeiro imprevisto, o acostamento que nao tem asfalto e sim terra estava com uma camada de lama, o carro atolou no meio do nada, com calma conseguimos tirar o carro, mas fiquei coberto de lama dos pés ate a cabeça, a chuva nao parava e chegamos em San Ignacio (perto do Brasil) a noite, foi fácil e rápido encontrar um Hostel (o pior da viagem, ainda bem que era por 1 noite) ainda bem que eu tinha levado um lençol e uma fronha para uma emergência, o cheiro da roupa de cama nao era muito bom. 10/08 San Ignacio – Chapecó - Pela manhã visitamos as ruinas jesuítas de San Ignacio que é bem interessante e depois seguimos viagem ate a fronteira com o Brasil, gastamos todos os pesos que sobraram com bebidas e em seguida passamos tranquilamente pela aduana, e chegamos a noite em Chapeco e no dia seguinte fomos para Timbo onde chegamos as 17:00hrs do dia 11/08. A viagem foi incrível e inesquecível, ate hoje dois meses depois me lembro com alegria de tudo o que visitei, conheci e experimentei, uma experiência para a vida toda, esta foi a minha segunda viagem de carro pela américa do sul e ja estou planejando a próxima, nesses dias de viagems fomos parados 11 vezes pela policia na Argentina e nenhuma propina paga, acho que tivemos sorte! Levei uma ficha do consulado onde o policial deveria preencher exatamente o tipo de infração o condutor teria cometido, não precisar usar, mas dizem que esse documento inibe os corruptos. Obrigado por acompanhar e ate a próxima!!!!
  4. Boa noite! Troquei com os cambistas que ficam logo apos a aduana, estou sem tempo de postar, muito trabalho e estudos. No final de semana eu termino o relato, desculpa pela demora. Abraco
  5. Então, nao anotei todos os gastos, não sou tao organizado, mas gastamos uns 5 mil em dois, o que pesou foi o preço do combustível.
  6. A estrada nao é muito boa, mas da pra ir tranquilamente. Acho que são no máximo uns 3 km de estrada ruim. Não vale a pena ir por agencia, muito caro e algumas controlam o tempo de visitação.
  7. 05/08 San Pedro de Atacama Como o dia anterior tinha sido cansativo acordamos um pouco mais tarde e fomos ao centro de San Pedro (caminhada de 15 minutos) para tomar café, trocar dinheiro, pegar mapas no centro de informações ao turista e conhecer. A cidade tem um custo alto, 1l de leite custa R$ 5,88 gasolina R$ 4,70 e por ai vai. Todos os passeios em San Pedro da pra fazer de carro, mesmo que os guias digam que tem que ser com 4X4 não tive problema em nenhum lugar, só no Salar de Tara que é complicado pq não tem sinalização então não recomendo. Perto do meio dia fomos para Socaire conhecer as Lagunas Altiplânicas e na volta passar em Toconao, Valle de Jere, Laguna Chaxa, Laguna Cejar e Laguna Ojo de Salar, mas infelizmente não deu pela primeira vez sentimos a altitude, muita dor e pressão na cabeça, vomito e muito mal estar. Conseguimos visitar as Lagunas Miscanti e Miñiques que tem um visual fora do comum, só estando lá pra sentir o clima de toda aquela paisagem, até agora lembro de todo aquele visual. Retornamos para o Hostal pq estava complicado aguentar o mal estar. 06/08 San Pedro de Atacama Acordamos melhor, neste dia fomos conhecer o Pucará de Quitor ruínas dos antigos atacameños e uma trilha que vai ate o alto da montanha, foi uma caminhada e tanto. Dicas para aguentar o clima seco do deserto, muita agua, hidrante (mesmo se vc nao usa no Brasil), protetor labial fator 15 ou mais (nunca manteiga de cacau), protetor solar e levar sempre algo pra comer nos passeios. Almoço foi num restaurante vegetariano com uma comida muito boa, e logo em seguida Museu Arqueológico Padre Gustavo Le Paige passeio bem recomendado, nesta tarde ainda fomos para Aldeia Tulor e Valle de la Luna, o Valle é um passeio imperdível com direito a ver o por do sol de cima das dunas.
  8. é facil identificar notas falsas, e os cambistas não sabiam que a minha viagem era para longe, troquei como se fosse comprar coisas na fronteira mesmo.
  9. Boa tarde! Fui com um C3 Picasso, a viagem foi bem tranquila, um 4x4 é bem legal. Cuidado com a policia do Paraguai na estrada!
  10. Consegui essa cotação em Bernardo de Irigoyen AR, fronteira com Dionisio Cerqueira - SC. Abraco
×