Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

LuanaDFragoso

Membros
  • Total de itens

    13
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

3 Neutra

Sobre LuanaDFragoso

  • Data de Nascimento 05-12-1993

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Estou programando uma viagem para Tailândia em novembro e aproveitando, queria muito conhecer Angkor Wat no Camboja. Já vi alguns relatos de como ir de ônibus, gostaria de saber se tem ônibus direto, como que é essa viagem, etc. Obrigada
  2. Olá. Muito bom o post. Estou planejando uma viagem em novembro para tailandia e camboja. Em qual pousada vocês ficaram hospedados em Siem Reap? E como chegar em Angkor Wat? Grata!
  3. @filiperocha obrigada. Que bom que pude lhe ajudar. Essa questão de valer a pena é bem individual rs depende do que você gosta muito e do que vale a pena pra você. Eu adoro esse contato com a natureza, e pra mim (e tbm pra minha mãe, que viajou cmg), valeu super a pena a dureza da viagem (fomos de ônibus, 1700km) para nadar com os lobos marinhos. Estar em um contato direto com esses animais, no habitats deles, é uma experiência incrível. O que ficou faltando pra mim foi ver as baleias, se tivesse dado certo teria sido perfeito. Eu gostaria de ter viajado por toda a Patagônia, para, além do contato com os animais, conhecer a paisagem gelada da Patagônia. Mas o dinheiro era curto, e escolhi o contato com os animais. 5 dias em Madryn é ótimo. Até em 4 daria pra conhecer tudo. Com 5 da pra fazer com folga. Fiquei hospedada pelo Airbnb, pesquisando achei o app melhor custo/benefício
  4. @Ana Carla de Sousa Não sei. Fui para Puerto Madryn saindo de Buenos Aires. Mas você pode buscar por ônibus no site https://www.plataforma10.com.ar
  5. @FlavioToc Não conseguimos ver. Até o final de novembro você ainda consegue vê-las, porém em maré alta. Como não fomos para Puerto Piramides no horário da maré alta, não conseguimos ver. Por conta dessa experiência recomendo: ou ir até o início de novembro (onde elas podem ser vistas da praia El Doradillos que fica bem pertinho de Puerto Madryn) ou reservar um dia a mais para tomar conhecimento, no Ecocentro - informações turísticas -, dos melhores horários para vê-las 😘
  6. BUENOS AIRES Melhor lugar para ficar/se hospedar: no centro; nas imediações da Av Corrientes, Av Sarmiento. Ali ficam os principais pontos turísticos (casa rosada, obelisco, puerto madero, rua florida) além de muitos teatros e apresentações de tango. dá pra conhecer a maior parte dos pontos turísticos a pé (até mesmo a feirinha de san telmo). Ah! Uma coisa legal é que em Buenos Aires tem vários pontos de wifii (que funcionam bem), no metrô e nas ruas do centro. Buenos Aires é um destino muito conhecido e visitado, por isso já tem bastante informações na internet. Já quanto a Puerto Madryn, a "patagônia dos bichos", encontrei mais dificuldade em conseguir certas informações. PUERTO MADRYN Existem três opções para ir de Buenos Aires até Puerto Madryn - avião: é a opção mais rápida e também mais cara. você deve pegar um voo até bahia blanca, e de lá, um ônibus ou trem até puerto madryn, ou alugar um carro. - trem: é a opção mais barata, porém demanda mais tempo, não de viagem, mas do seguinte: o trem vai até bahia blanca, e de lá você deve pegar um ônibus até puerto madryn, ou alugar um carro. acontece que o trem não sai todos os dias (um dia está saindo de bahia blanca até buenos aires, no outro de bue até bahia), então dependendo do dia que você quiser ir e voltar, o horário do trem pode não coincidir com o do ônibus, e então você teria que pernoitar em bahia blanca. - ônibus: é um pouco mais caro que trem, são 18h de viagem no total (com paradas), tem no mínimo 3 horários de saída por dia. foi a opção que escolhi. os valores das passagens, ida e volta, por pessoa, deu em torno de AR$3.950,00 (pesos argentinos). uma DICA é: escolha os horários da noite, viajando à noite você não perde muito tempo para passeios e economiza na hospedagem. Existem três opções de leito: econômica (comum), semi cama e cama. Entre a semi cama e a cama não vai ter muita diferença na inclinação, mas a cama da empresa El Condor é sem dúvidas mais espaçosa, e isso valeu muito a pena. Outra DICA é: escolha as poltronas da primeira fileira do primeiro andar, além de ter uma vista melhor (igual a do motorista, não só pela janela do lado, mas de toda a frente), você ganha mais espaço. Você pode pesquisar as opções/preços de passagens com antecedência no site das empresas ou no site plataforma10.arg. EMPRESAS DE ÔNIBUS (testadas: CONDOR ESTRELLA e ANDESMAR) Na ida, fui pela empresa El Condor Estrella, e na volta pela empresa Andesmar. Sem sombra de dúvidas a El Condor é melhor, pela limpeza, o trato com os passageiros, os lanchinhos, as condições do ônibus. Valeu a pena pagar um pouco mais. Achei bem legal que depois da primeira parada voltamos ao ônibus e estava tudo limpinho e arrumado, com um novo pacotinho de lanche + água na nossa poltrona (isso na El Condor). Não compre a passagem pela internet, indo até a rodoviária de buenos aires (no bairro retiro) - as agências ficam no primeiro andar da rodoviária - você pode pechinchar os valores, pesquisar nas várias agências e comprar por um valor mais em conta; mas faça isso com uma certa antecedência. Comprei as passagens assim que cheguei em buenos aires, 4 dias antes do dia da viagem para puerto madryn. RODOVIÁRIA DE PUERTO MADRYN Depois de uma longa viagem, cheguei até a rodoviária de Puerto Madryn, onde a gnt tem que passar mala pelo raio-x (igual aeroporto). A rodoviária fica um pouquinho longe da orla (o "centro" da cidade, onde se pode encontrar várias lojas, locais de aluguel de carro, hostels, pontos de passeio, etc); quando cheguei fui andando até lá, com a mala e isso levou uns 20 min. Mas tem um ponto de táxi na rodoviária e não custa muito o valor da corrida (saiu em torno de 10 reais (cotação AR$ 8,6 por R$ 1,00); é uma cidade bem pequena. Obs.: Não tem uma pessoa da empresa que tire a mala do bagageiro do ônibus para você. ou você faz isso sozinho, ou então dá um trocado ("propina") para uma pessoa que - sempre tem - fica lá na rodoviária tirando as malas (é tipo o nosso flanelinha). HOSPEDAGEM Reservei um "ap" no Airbnb, achei mais barato do que até mesmo o hostel. Estávamos em 3 pessoas e o valor da diária saiu por R$ 100,00 (para os três), mas se você for sozinho, um hostel seria mais barato. Os mais baratos são, primeiro, "Che Patagônia" (wpp: +54 9 280 419-1275), que estava por AR$ 1.600,00 a noite e, depois, "Hi Patagonia" (wpp: +54 9 280 439-0422), que estava por AR$ 1.800,00 a noite. ALUGAR CARRO X EXCURSÕES O Hi Patagonia também aluga carros (você vai precisar para conhecer os principais pontos da bacia (locais onde se pode ver pinguins, lobos marinhos, leoes marinhos, baleias, etc); a carteira de motorista do Brasil pode ser usada na Argentina, sem problemas; a diária do carro custou AR$ 700,00 e o litro de gasolina estava AR$ 40,00. Alugar um carro custou menos que pagar por uma excursão (considerando que fomos em 3) - as excursões custam em média AR$ 1.600,00 por pessoa -, porém não é nada cômodo dirigir por tantas horas; de puerto madryn até punta tombo são 171km (sendo 60km de estrada de chão), já na Peninsua Valdes você passa o dia inteiro - dirigindo e parando - para ver os principais pontos. De puerto madryn até a Peninsula são em média 120km (e mais 171km - dentro da peninsula - de estrada de chão). Obs.: Reserve o carro com antecedência e faça questão de um carro alto. Eu não li nada sobre isso e chegando lá me deparei com 171km de estrada de terra branca - escorregadia -, cheia de ondulações (o que aqui no Maranhão a gente chama de "costela de vaca"), ventos muito fortes. Veja bem, as estradas da Argentina são ótimas, lisinhas, sem buracos, sem muitas curvas, mas os pontos turísticos Punta Tombo (onde se pode ver os pinguins de magalhães) e Peninsula Valdes são reservas, não possuem estradas asfaltadas dentro dessas reservas, então grande parte do trajeto vai ser de estrada de chão. Não existem ônibus/vans públicos ou mesmo privados - exceto os de excursões - que façam o trajeto de puerto madryn até punta lomo/punta tombo ou peninsula valdes, nem mesmo dentro da peninsua valdes. Bicicletas: existe também essa opção. alguns pontos em puerto madryn alugam bicicletas e você pode fazer esse trajeto nelas. é muito cansativo e vai te demandar muito mais tempo, mas saem por um preço melhor que alugar um carro. INFORMAÇÕES TURÍSTICAS Uma das primeiras coisas que você deve fazer ao chegar em puerto madryn é ir até o ECOCENTRO - centro turístico de informações - lá você pode obter informações sobre quais animais você pode observar naquela determina época do ano, os melhores horários para vê-los e, principalmente: o horário da maré. Isso é muito importante se você pretende ver as baleias da própria praia - até o final de outubro é possível vê-las da praia de Doradillos, quando a maré está cheia elas chegam bem perto da beira da praia e você pode olhá-las sem precisar fazer o passeio de barco -. Além do mais, a praia de Doradillos fica a poucos km de puerto madryn. Considerando isso, você deve fazer as contas de quantos dias ficar em puerto madryn sempre colocando um dia a mais, para se informar e garantir que esteja na cidade no horário da maré cheia (a maré enche 2x por dia, as vezes isso vai acontecer só uma vez durante a manhã e a outra apenas a noite, momento em que você não vai conseguir ver as baleias). Eu cometi esse erro: baixei um app que informa os horários da maré e me senti garantida. Chegando lá, vi que o aplicativo estava totalmente errado, e o horário da maré cheia era outro completamente diferente, o que bagunçou todo o cronograma e no final das contas não consegui avistar baleias. Obs.: passei 3 dias em puerto madryn, mas recomendo pelo menos 4 dias. Vou colocar aqui as fotos dos mapas turísticos de Puerto Madryn, Puerto Piramides e Peninsula Valdés. PASSEIOS Eu fui até Punta Tombo de carro - 171km ao todo, sendo 60km de estrada de chão - onde está localizada a maior colônica de pinguins de megalhães da América do Sul. Eu baixei no Google Maps o trajeto de puerto madryn até punta tombo - pra quem não sabe, o app oferece essa opção de você baixar um local para ver offline - e também me orientei pelo mapa turístico. Foi tranquilo encontrar o local. O que pode causar uma dúvida é o caminho que você deve pegar à esquerda - saindo da estrada asfaltada -, mas tem uma placa (com um pinguim enorme) à direita apontando para o caminho que você deve pegar, então é só ficar atento que não tem erro. Lá tem uma estrutura com banheiros, pátio, restaurante/lanchonete - com preços bem salgados (um hambúrguer bem simplinho custa R$ 40,00!!). Você deixa seu carro/bicicleta nesse local e segue caminhando por uma "trilha" que tem de 800m a 1km de puros pinguins haha Nossa! São muitos pinguins. Tem deles "cantando" para acasalar, tem deles pondo ovos, chocando ovos, pinguins saindo dos ovos, dormindo, tem deles caminhando por entre as pessoas. Essa trilha segue até perto da praia e, chegando perto do mar a paisagem fica realmente incrível. Além dos pinguins, você pode ver outros animais também, como vicunhas, pássaros aquáticos, etc. Obs.: é uma área de preservação, por mais que os pinguins se aproximem, não toquem neles. aquele é o ambiente deles, a casa deles, é bem inconveniente que você fique os tocando. A entrada para Punta Tombo custou AR$ 300,00 por pessoa. (não aceitam meia de estrangeiros). Existe outro local em que é possível ver uma colônia de pinguins de magalhães, se chama Stancia San Lorenzo e fica na Peninsula Vldes, próximo à Punta Norte. Eu não cheguei a ir a esse local, mas segue a foto do folder. O valor da entrada é superior à de Punta Tombo e é também um local menor que Punta Tombo. Outro passeio que fiz foi o snorkeling com lobos marinhos. É uma experiência incrível, super recomendo, os lobos marinhos parecem cachorrinhos, são muito fofos e brincalhões. O passeio é feito às 7:30a.m. e vai depender da maré e das condições do tempo para seguir. São cerca de 20min de lancha até Punta Lomo, onde ficam os lobos marinhos. Fiz com a Abramar Buceo, que ofereceu os melhores preços. Você pode entrar em contato com eles por e-mail, eles respondem rapidinho: [email protected], se preferir, seguem os números: 0280-4475696 /0280-154593800 (não tem wpp). Todas as agências que entrei em contato ofereceram esse mesmo passeio pelo valor de AR$2.800,00. Os valores da Abramar Buceo foram os seguintes: AR$ 2.800,00 no cartão; AR$ 2.500,00 em dinheiro e, se você reservar o passeio antes do dia 30 de agosto e for pagar em dinheiro, o valor fica AR$ 2.350,00. Eles também oferecem o mergulho, porém, só para quem tiver certificado. Três pessoas do Abramar Buceo nos acompanharam no passeio, e um deles fala português. Como cheguei no dia 19 de novembro, a temporada das baleias na praia El Doradillo já havia passado duas semanas - elas ficam até o final de outubro, no máx até o início de novembro -, então fui até Peninsula Valdés, para Puerto Piramides, na tentativa de ver baleias (como já disse, errei o horário da maré alta por conta do aplicativo que baixei). De lá também saem barcos que te levam para ver as baleias em alto mar. Essas são algumas das agências e os respectivos e-mails (algumas saem de puerto madryn): Hydrosport: [email protected] ; Pekesosa turismo de aventura [email protected] ; punta ballenas [email protected] ; bottazzt avistaje [email protected] ; whales argentina [email protected] ; yellow submarine (você pode entrar em contato pelo site da agência; essa também oferece um passeio para avistar baleias de um jeito diferente, não em um barco, mas em um submarino). Todas as agências oferecem o passeio de avistajem de ballenas pelo mesmo valor de AR$ 1.750,00. Na Peninsula Valdes existem diversos mirantes para olhar os animais em seus habitats; em cada ponto do mapa se pode notar um animal ou até três animais juntos, diferentes, que se pode observar em cada mirante. Segui até Punta Cantor, parando em dois mirantes que haviam no caminho, onde se podia olhar, no primeiro, pinguins e no segundo, orcas. Já em Punta Cantor se podia olhar elefantes marinhos e orcas (com a maré alta). Na entrada da Peninsula Valdés (parece uma parada pra pedágio, mas não é rs), que custou AR$ 330,00 por pessoa, você recebe recomendações sobre o local e direção segura dentro da peninsula. Logo em seguida existe um ponto de informações turísticas - você pode encontrar um também em Puerto Piramides -, onde eles te entregam um mapa que indica em que pontos específicos da peninsula você poderá encontrar determinados animais, os períodos do ano que esses animais aparecem e também os horários da maré alta. ONDE COMER EM PUERTO MADRYN Outra informação que tive dificuldade de encontrar na hora de planejar minha viagem pra Puerto Madryn foi onde comer. Você encontra bastante locais onde comer frutos do mar, e os restaurantes Nautico Bristo Bar e El Barco Cantina oferecem pratos excelentes. Mas o prato super falado de Puerto Madryn é o cordeiro patagônico, assim como a sobremesa "torta galesa". E quase não encontrei um bom lugar para prová-los. Porém, aqui estão eles: Para provar uma torta galesa excelente, procure pela confeitaria "Dragon Rojo" ($$$$); já para experimentar um bom cordeiro patagônico procure pelo restaurante Chona ($$ - $$$) ou pelo restaurante La Estella Parrilla ($$ - $$$). TROCAR REAL POR PESOS Só tem um banco em Puerto Madryn que troca reais por pesos argentinos (os outros trocam apenas euro e dólar), que é o Banco del Chubut.
  7. Sim. Só aceitam até 26 anos, mas com a carteirinha ISIC (internacional). Depois de 26, com ou sem a carteira, vai ser cobrado o valor inteiro.
  8. os valores citados foram sempre referentes a uma pessoa (com exceção da hospedagem). Sobre César do Grupo Peru: cel: 984-345403 tel: 084 284696 fica na praça das armas, nº 265
  9. Olá Alan, sobre o câmbio no Peru, o melhor local é realmente Cusco, na praça das armas. Lá (na praça) existem várias casas de câmbio e você pode comparar o preço entre elas e negociar. Eu considero melhor trocar reais por soles (em vez de dólares); pelas minhas contas sai mais barato fazer apenas essa única conversão do que duas (reais para dolares e dólares para soles), mas isso vai depender também das condições que a casa de câmbio vai ofertar (principalmente na hora de trocar os reais por dólares). Considere fazer um cartão para viagens (Visa Travel ou Neon), isento de taxas (só paga uma taxa fixa se vc for efetuar saque ou transferência); apesar de incidir IOF, vc estará comprando com a moeda comercial, diferente da moeda turística (que é a vendida em casas de câmbio), sendo que a moeda comercial é mais barata.
  10. Dividi o relato dessa viagem em 4 momentos (cusco, machu picchu, rainbow mountain e Lima), uma viagem de sete dias. É pouquíssimo tempo, foi bem apertado, alguns dias dormindo pouquíssimo meeesmo. Acontece que só tínhamos realmente uma semana, não tinha mesmo como prolongar, porém, não recomendo passar menos do que 12 dias. Se você resolver passar mais tempo, pode conhecer mais coisas legais e inclusive economizar em algumas coisas, como vou explicar mais pra frente. - Cusco - Já tínhamos reservado a hospedagem no Hotel Hantuquilhas, que fica a duas quadras da praça das armas (praça principal). Os hotéis que ficam nas ruas da praça são bem caros, então, pelo menos para mim, valeu a pena andar um pouquinho. A diária custou R$ 89,00 (mas pagamos em dólares) para duas pessoas, ele é bem bonzinho, arrumado e o atendimento é excelente! fica em frente a um supermercado e uma pizzaria muito boa e barata (pizza de S./20 até de S./10). Na mesma rua, mais em cima, tem um hostel Loki, onde rola uma baladinha muito bacana a noite! Cerveja a um preço razoável (considerando os bares/restaurantes da praça das armas, qe têm preços bem salgadinhos), um ótimo hambúrguer com batatas fritas (e outros tipos de lanche), mesa de bilhar, música ao vivo, mesmo pra quem não é hospede a entrada é free. Chegamos em Cusco pela madrugada, então não rolava arriscar no transporte. combinamos com o pessoal do hotel pra eles mandarem um taxi pro aeroporto, é caro, mas saiu mais barato do que pegar aqueles que ficam lá. foi S./25,00 É importante ter cuidado com os taxis, pra que eles não fiquem dando voltas com você e cobrem mais por isso (ouvimos relatos de que isso acontece na cidade). SEGURANÇA Cusco é uma cidade bem tranquila, tem polícia turística rodando o tempo inteiro. E vc pode ficar na tranquilidade que lá ninguém mexe com você. CÂMBIO O melhor local para trocar sua moeda por soles (S./) é na praça das armas; fizemos isso em uma casa de câmbio, lá na praça das armas, que fica de canto, com letreiro amarelo bem chamativo. Mas o grande lance é você comparar o preço entre elas e negociar. Em Cusco, você pode penchinchar absolutamente tudo. Várias pessoas chegam oferecendo por um ótimo câmbio, mas preferimos não arriscar e trocar em uma casa de câmbio, para evitar problemas. Você pode levar seu dinheiro em reais e trocar quando chegar, sem problemas (fiz isso com a metade da grana que levei). Se trocar aqui no Brasil mesmo, sairá muito caro. Você pode também colocar seu dinheiro em um cartão pra viagens (é tipo uma pochete eletrônica, em uma comparação bem tosca mesmo). Tem o Visa Travel e o Neon (fiz uma conta e levei a outra metade da grana nele), Neon é um banco sem agências, que funciona pela net, vc abre sua conta, pede seu cartão, todo pela net e ele vai direto para o seu endereço. É isento daquelas taxas e anuidades, mas você paga uma taxa fixa se for sacar o dinheiro (por isso não fiz nenhum saque kkk). Não tive broncas, foi tranquilo. O bacana de levar no cartão é que em muitos lugares, praticamente todos, aceitam cartão, além de ser mais seguro do que andar com muito dinheiro por aí, sai mais barato do que fazer o câmbio. Isso porque você vai estar comprando com o valor da moeda comercial, e não com o valor da moeda turística (que é mais cara). PASSEIOS Primeiro: se você for estudante, tire sua carteirinha de estudante internacional (ISIC). São muitos os lugares que aceitam a carteirinha e garantem a metade do valor. Segundo: compre um boleto turístico! Compramos o completo, que vale pra praticamente todos os passeios e sai mais barato do que pagar por tudo separadamente. ele é válido por 10 dias e custou S./70 (c/ carteira de estudante). ONDE COMPRAR: no ministério da cultura de Cusco (“municipalidad de Cusco”), fica na Av. do Sol. O assédio é muuuito muuito grande, mas não se renda. pesquise em todos os locais da praça das armas e só depois disso feche os passeios, negociando e pechinchando sempre (o que não inclui machu picchu, que vc deve comprar com o governo, já explico) Regra de ouro pra tudo em Cusco: PECHINCHE! Eles acabam diminuindo o preço consideravelmente. Fechamos todos os passeios com "César" - do "Grupo Peru" (na praça das armas), o city tour foi S./ 15,00 (uma van + guia que leva pro Templo do Sol - Qorikancha -, pra Saqsayhuaman, Tambomachay, Puka Pukara e pra Q'engo), sai às 14:00 e volta às 19:00, e tem também pela manhã. desses passeios, apenas o de Qorikancha não tem no boleto turístico - custou S./ 8 (pra estudante). O passeio pra Maras e Moray (van + guia) foi S./ 25, não inclui almoço . Moray tá inclusa no boleto turístico, apenas as salineras de Maras tem que ser pago a parte, pqe: não pertence ao governo, pertence à comunidade local, então elas cobram pela entrada - S./ 10. a saída é às 9:00 e volta às 14:00. Gnt, Moray é lindo! no final do passeio, vc vai subindo pra encontrar a van e de repente, pan: dá de cara com a imensidão da cordilheira dos andes. lindo! Maras também é um passeio muito maravilhoso pela imensidão do local; nas fotos que a gente vê por aí parece que é menor do que realmente é. E ainda, bem emocionante (para quem tem ou tinha medo de altura como eu). A estrada que leva até maras é muito estreita, só passa um carro de cada vez e se você olhar para baixo, pela janela da van, vai dar de cara com um precipício gigante bem pertinho. O passeio pra Pisac e Ollantaytambo (Vale sagrado) custou S./35 (van + guia + almoço). O almoço foi num restaurante de comida típica, com música ambiente (estilo local). Bem típica mesmo, então, pra falar a verdade não fazia ideia do que era aquilo que eu estava comendo, mas era saboroso, a bebida não estava inclusa. A saída desse passeio é às 9:00 e não retornamos pra Cusco, ficamos em Ollantaytambo, pqe é de lá que sai o trem pra Águas Calientes - Machu Picchu (mas ele retorna por volta das 19:00) É aqui que eu disse que se eu tivesse com mais tempo, poderia ter economizado mais. Como meu tempo era curto, tive que ir de trem pra Águas Calientes - Machu Picchu. O trem é bem caro mesmo e nem tem meia passagem :( O modo de ir mais barato é seguindo pela hidrelétrica, que vc só gasta o solado do sapato, são 4horas de caminhada. Comprei a passagem no Inca Rail, que é o mais barato, custou $125 (eles também recebem em Soles, o valor varia de acordo com o horário e temporada. esse foi o valor do horário mais barato e em baixa temporada), a loja do Inca Rail fica na praça das armas, perto dos restaurantes. Na volta, ganhamos um upgrade na hora, tomamos pisco ouvindo música ao vivo na primeira classe e pagando pela econômica rsr. BOLETO PARA MACHU PICCHU Vc pode comprar com antecedência, pelo site do governo com (apenas) o cartão visa travel. É, não tem outra forma de pagamento pelo site, isso é terrível. Existem duas montanhas que você pode subir em Machu Picchu (não pode subir as duas, deve escolher uma delas) - a Montanha Machu Picchu e a famosa Huayna Picchu; ou você pode também não querer subir nenhuma montanha e comprar o boleto apenas para as ruínas de Machu Picchu. Se você quiser muito subir a Huayna Picchu, compre antecipadamente! Ela sempre lota, até mesmo em baixa temporada, e tem grandíssimas chances de vc não conseguir mais comprar o boleto pra ela lá em Cusco. Nós compramos o boleto para a montanha Machu Picchu, a mais alta dentre elas, são 3h de caminhada até o topo. Imensa! Na metade dela você já olha as ruínas de Machu picchu bem pequenininha. É uma caminhada difícil, muito cansativa. Em alguns locais têm escadas de pedras (ou os retos dela) e os “degraus” são bem estreitos, em alguns pontos são extremamente estreitos, que até eu (com meu pé 35) tive que subir de lado. A montanha fica a 2.700m de altitude, o que faz vc ficar cansado mais depressa. A vista é magnífica, e você pode aproveitar a montanha de todas as maneiras, a vista, a caminhada, a vegetação, os pássaros. Na volta, fiz um piquenique em um ponto espaçoso, que dava para admirar a paisagem, aproveitando para recarregar as energias. Compramos o boleto em Cusco (lá aceita meia entrada com a carteira de estudante, diferente do site). -----> Eles não vendem mais o boleto no ministério da cultura da av. do sol, agora a venda é em um local próximo à praça do regozijo, na rua do museu histórico regional. O boleto (meia entrada) pra machu picchu + montanha machu picchu custou S./130 Em Águas Calientes ficamos no Hotel Angels, fica a 4 passos da parada do ônibus que sobe a montanha pra Machu Picchu e custou $ 32 (dólares) a diária pra duas pessoas. Como sairíamos bem cedo pra montanha, antes de servirem o café da manhã, pedimos que eles embalassem antes pra gnt levar e comer no caminho. Vc pode subir a montanha andando, ou pode comprar a passagem do ônibus lá mesmo (águas calientes), ou em cusco, no Banco Interbank, na avenida do sol (aceitam carteira de estudante), custa $ 12 (meia). MUSEUS EM CUSCO Além do museu Qorikancha, que visitamos no City Tour, fomos também no Museu Histórico Regional, Museu de Sítio de Qorikancha, Museu Municipal de Arte contemporânea e Museu Inka. Os três primeiros estão no Boleto Turístico. O último, Museu Inka, custou S./ 10 (não aceitam carteira de estudante) O Museu Inka é incrível! grande, com muitos artefatos, todos bem explicados, com vídeos, múmias muito bacana o passeio! Gostei de todos, mas meu preferido foi com crtz o Museu Inka. Rainbow Mountain (montanha colorida) Fechamos esse passeio também com "César" do "Grupo Peru", custou S./ 70 (van + guia + café da manhã + almoço + entrada da montanha). Eles passam no hotel por volta das 4:30 - 5:00 da matina, são 2horas até o local que tomamos café e mais 1hora até o local onde começa o trekking até a montanha colorida. Daí são mais 3 horas de caminhada até o topo, 2 horas só de uma subida muito íngreme a 5.100 metros de altitude. É cansativo, mas as paisagens ao longo de todo o caminho é demais! muito lindo. Quem quiser, também, pode fazer a subida a cavalo - ida custa S./50 e ida e volta custa S./ 70 -. O foda desse passeio é que quando você chega ao topo (tava -5c e chovendo granizo) você olha pra trás e a paisagem está com-ple-ta-men-te diferente! e daí na volta você vai babando tudo de novo, pqe a paisagem já é outra! DILEMA: O SOROCHE! Pra quem não sabe, "soroche" é "o mal de altitude". Vc fica com dor de cabeça, náuseas, etc. e pra isso nos hoteis e em praticamente todo lugar tem chá de coca pra tomar (é tipo o cafezinho aqui), vc pode comprar tbm balinhas de coca, comprimidos pra soroche, a folha de coca, etc. Se em cusco vc já sente isso (eu passei muito mal durante o city tour, mas deu pra segurar a onda) na montanha colorida então! por isso, leve alguma coisinha de coca. Se tiver com dificuldade pra respirar, dá um alô pro guia pqe ele carrega um líquido feito de plantas locais que faz melhorar rapidinho. COMIDA : se tiver procurando por uma comidinha boa e barata em Cusco, procure pelos “menus” nas ruas que ligam a praça das armas à praça do regozijo ou, mais barato ainda, na rua sentido mercado municipal. Em Aguas Calientes, na rua da praça das armas em direção ao rio. Esses “menus” custam de S./15 a S./30 e vem entrada, prato principal e sobremesa. Tem também desses “menus” nos restaurantes que ficam na praça das armas em Cusco. A regra de pechinchar tudo vale pra cá também! Lima O aeroporto de Lima na verdade não fica na municipalidade de lima, então é longe pra caracas! Os taxis que ficam no aeroporto são absurdamente caros, mas lá funciona o uber. Tem a opção dos coletivos. Lá também tem tuck tuck pela cidade, mas não vi nenhum no aero. A ida do aero até o centro de Lima é um trânsito muito louco. Já no centro de Lima, vc pode se locomover de ônibus ou tuck tuk mais tranquilamente, o trânsito já dá uma amenizada por lá. As catacumbas Fica bem próximo da praça das armas, na Basílica e Convento de São Francisco, é só seguir direto na rua do palácio do governo e, no final da rua, entrar pra direita. É incrível, mais de 20 mil esqueletos. Quando o local foi encontrado por um arqueólogo, os esqueletos foram separados para serem contabilizados (cabeça pra um lado, tíbia pra outro, etc.) e estão lá assim, separadinhos. Vc tem que andar o tempo inteiro corcunda (ou agachado) e não pode esquecer disso! Fede muito lá dentro, um cheiro desagradável para quem é alérgico. Lá também fica a biblioteca conventual, com 25 mil volumes (do sec. 16 a 20), com obras muito raras (como uma edição da bíblia de 1571), pergaminhos; a primeira obra impressa do Peru; atlas que data da chegada dos espanhóis na américa; o primeiro dicionário de espanhol, publicado pela Real Academia, dentre outras raridades e coisas fascinantes. A entrada vc compra lá mesmo, custa S./ 5 (meia entrada, com carteirinha). Daí vc aguarda formar um grupo e então acompanha o guia que irá explicar tudo dentro da basílica (que ainda está em funcionamento) e das catacumbas. Em resumo, é isso. Qualquer dúvida, tamo aqui
  11. Estou pensando em viajar para Buenos Aires e gostaria de alugar um apartamento por temporada, por sair mais em conta. Vi dois sites conhecidos, o "4rentargentina" e o "bytargentina", que os preços são bastante em conta. alguém já teve alguma experiência com esses sites? É SEGURO?
  12. Estava pensando em sair do aeroporto de POA, e ir de ônibus até os outros destinos. nunca fiz essa viagem e se alguém que já foi puder compartilhar a experiência. os hostels mais em conta, comida, locais que pego os ônibus, etc. eu agradeço
×
×
  • Criar Novo...