Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

vanessa.miranda

Colaboradores
  • Total de itens

    115
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    4

vanessa.miranda venceu a última vez em Abril 21

recebeu vários likes pelo conteúdo postado!

Reputação

59 Excelente

2 Seguidores

Sobre vanessa.miranda

  • Data de Nascimento 14-04-1988

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Nevados Huascarán e Chopicalqui; e trekking Maparaju - Cordillera Blanca (ago/2017)
    Aconcágua (cume em dez/2016)
    Nevado Pisco (set/2016)
    Cordilleira Blanca - Huaraz, Peru (santa cruz trek/laguna 69/Pisco, solo) 2016
    Atacama, Salar de Uyuni; Machupicchu; Arequipa; Colca Canyon trek em Cabanaconde (2015)
    Salkantay Trek (2015)
    Brasil: Travessia Petro-Tere (Serra dos Órgãos); Travessia Lapinha-Tabuleiro (Serra do Intendente); Tabuleiro parte alta e parte baixa; Ibitipoca; travessia Serra de São José (Tiradentes); Chapada dos Veadeiros; Pico da Bandeira, Pico do Calçado e Pico do Cristal (Caparaó); Travessia Vale do Pati (Chapada Diamantina); Travessia da Serra Fina.
  • Meus Relatos de viagem
    http://www.mochileiros.com/aconcagua-dez-2016-relato-t145561.html
  • Ocupação
    Economista
  • Meu Blog
  • Localização
    Belo Horizonte, Belo Horizonte, Minas Gerais, 31515290, Brasil

Últimos Visitantes

530 visualizações
  1. vanessa.miranda

    ACONCÁGUA DEZ/2016 - RELATO

    @GERALDOGFILHO , obrigada! Pode fazer quantas outras perguntas quiser! 1. porque vc escolheu o mês de dezembro para a acensão? Pq não em janeiro, na alta temporada? Foi por uma conjunção de fatores....primeiro pq eu coloquei na cabeça que iria em dezembro kkk (pensei que estaria mais bonito, com mais neve, mais limpo, com menos gente, mais com cara de montanha selvagem, e realmente tudo isso foi verdade); segundo porque a permissão era bem mais barata na baixa/média temporada; terceiro porque foi quando deu pra conciliar as férias.. 2. em relação a sua preparação física, você teria feito diferente se pudesse voltar atrás, teria se preparado melhor? Eu consegui recuperar meu joelho e a minha tendinite de aquiles a ponto de não sentir nadica de nada no aconcágua, e considerei isso uma baita vitória pessoal. Mas por causa desses mesmos problemas, treinei consideravelmente pouco. Mas não achei que fez falta... Talvez se eu tivesse mais preparo cardiorrespiratório tivesse tido mais facilidade com a falta de oxigênio... mas não posso afirmar. De qualquer forma, cardio deve ser o foco do preparo... A musculação vem pra prevenir lesões que podem surgir com o treino de cardio (corrida por exemplo). Os músculos fortes não acho que servem pra mta coisa em altitude (há controvérsias). Acho que ajudam no comecinho, mas depois a altitude acaba com eles...e quanto mais músculo mais consumo de oxigênio. Eu errei bastante no treino foi depois de voltar... voltei com o frostnip nos dedos do pé e a recomendação era corrida pra ativar a circulação e ajudar a "ressuscitar" o tecido... Só que a altitude tinha comido todos os meus músculos, e eu comecei a correr sem fortalecer a musculatura primeiro... Aí aconteceu o óbvio, sobrecarreguei a articulação do joelho e ganhei uma síndrome que tá me enchendo o saco. Só percebi o tamanho do problema quando comecei a correr mais pra preparar pra cordillera blanca, que fui em julho/agosto. Como eu não pretendia cancelar essa viagem, detonei meus joelhos, e to lidando com o problema até hoje. Enfim, músculo e altitude é um dilema que eu não sei como resolver... 3. Na sua opinião, valeu a pena adquirir alguns equipamentos ou hoje você teria alugado tudo? (eu moro no norte do Estado de Mato Grosso, onde o clima nunca fica frio e o montanhismo não será um hobby frequente para mim) Se realmente não será um hobby frequente pra vc, vale a pena alugar tudo, ou se achar barato pra comprar pode comprar e vender depois. No meu caso, arrependo é de não ter adquirido ainda mais coisas, ou de melhor qualidade, porque o que não comprei pro aconcágua acabei comprando depois, ou ainda estou comprando. E algumas coisas já estou substituindo por melhores opções. Mas pra mim é um hobby permanente rss. Arrependo principalmente de não ter investido em uma mochila cargueira boa na época. Fui com a minha quechua forclaz 60 (aquela laranja da decatlhon), sem suporte correto pro peso que precisa carregar lá e sem espaço suficiente, tinha que ficar pendurando um monte de coisa de fora e isso castiga. Uma boa mochila pode fazer uma baita diferença poupando energia.
  2. vanessa.miranda

    PATAGÔNIA EM MARÇO DE 2018

    @Guto1 obrigada Por coincidência uma outra pessoa me deu a dica sobre o gás hoje, então compartilho aqui pra quem mais quiser saber: o cartucho tá por volta de 220 pesos em el calafate e 150 pesos em el chalten, então parece melhor deixar pra comprar em el chalten mesmo Torcer pra não dar um azar das lojas estarem fechadas no meio de abril! Sobre o vento, quando não tem um lugar protegido, eu costumo posicionar a cargueira atrás do fogareiro e funciona bem... E sobre a quantidade, sozinha acho que gasto no máximo 1 de 230g em travessias de até uns 6 dias onde não tem que derreter neve pra beber rss, então devo comprar 3 e deixar um quase cheio de brinde pra alguém rs.
  3. vanessa.miranda

    Trekking em Altitude elevada - Dicas?

    Água, água, água. Dormir bem a primeira noite em Huaraz. Evitar comer mta carne e comida gordurosa, pq a digestão consome muito oxigenio. Eu preciso de muito carboidrato, meu metabolismo fica aceleradíssimo. Se sentir dor de cabeça de altitude durante a aclimatação, toma ibuprofeno 600g (é o mais indicado pra altitude) e toma mais água. Se não passar é porque não está aclimatando bem. Coisas com cafeína e coca ajudam nos sintomas mas são diuréticos, então se usar vai ter que tomar mais água ainda. Eu indicaria o seguinte pra aclimatação: usa o primeiro dia pra resolver coisas em huaraz, cambio, comprar comida, etc, e assim vai caminhar sem mto esforço e descansar. No segundo dia faça qualquer trilha ou tour que te leve acima de 4 mil ou 4.500 pra expor à altitude mas que não tenha que carregar mochila pesada e volte pra dormir em Huaraz (Pastoruri ou laguna Churup, por exemplo, mas tem mtas opções). Durma bem e no terceiro dia seria bom dormir mais alto...o acampamento base do Pisco ou a laguna 69 são boas opções pra passar uma noite pra aclimatar, ambos a 4600, e depois dormir novamente em Huaraz, e aí provavelmente já vai estar aclimatada pra sua trilha. A huayhuash tá na minha lista faz tempo mas ainda não fiz. talvez eu vá em julho deste ano, sozinha, sem empresa...pena que vc vai em maio rs. Já fui pra huaraz duas vezes, se precisar de alguma info pode perguntar que ajudo se souber
  4. vanessa.miranda

    El Chaltén

    Olá Rodrigo! to indo explorar el chaltén mês que vem e tenho a mesma dúvida que vc tinha... Como foi lá em relação a acampar fora dos campings oficiais, deu certo ou não rolou? E pegou clima ruim em abril? Obrigada!!
  5. vanessa.miranda

    PATAGÔNIA EM MARÇO DE 2018

    Oi Guto, então vale mais a pena comprar gas em Chalten que em Calafate? Sabe me dizer mais ou menos o preço? e se tem risco de chegar lá e não achar.... Obrigada! (to indo em abril
  6. vanessa.miranda

    El Chaltén

    Oi @robson.gomes-jpa ! vc lembra o nome ou a localização desses dois hosteis de 150 pesos? obrigada!
  7. vanessa.miranda

    Azteq himalaya

    @Carlos Eduardo Dum Dum @Thiago Cintra @Danilo.Pereira Olá! comprei a himalaya em 2016 pra usar no aconcágua, e testei antes em alguns lugares aqui no brasil com vento e chuva (pico da bandeira e serra dos órgãos). Achei ela excelente pra vento forte e chuva, estrutura muito resistente, mesmo mal montada. O chão é bastante forte, não rasga/fura fácil mesmo dormindo sobre pedras pontiagudas. O sistema de ventilação é mto bom tbm, e dá pra usar de boa no calor, por ser possível abrir as duas janelas laterais e as duas portas enormes. Vi basicamente dois problemas nela: o tamanho/peso (é um trambolho pra carregar e pesa um pouco mais que o informado, pelo menos 4,9 kg, ou mais); e o fato de não dar pra fechar as janelinhas externas por dentro, o que faz entrar neve na telinha, derreter, e pingar dentro. Fora isso, ela passou no teste no aconcágua, sem perder pras TNF VE 25.
  8. vanessa.miranda

    ACONCÁGUA DEZ/2016 - RELATO

    @mateus.passos-de-souza O gás era desses sim, não lembro se os que levei pro Aconcágua eram na proporção 70/30 ou 75/25, mas já usei das duas proporções em altitude e não notei diferença relevante. Sobre o frio, essa composição é suficientemente boa pra temperatura baixa, não falhou nem quando tava -20º (antes eu tinha lido sobre eles falharem, mas nunca aconteceu comigo...) Não tivemos mto cuidado com manter os cartuchos aquecidos, só mantivemos dentro da barraca, claro. No Huascarán teve um dia que o cartucho grudou no gelo enquanto tava derretendo neve fora da barraca, e tivemos que deixar ele passar a noite fora. No outro dia de manhã funcionou normalmente. Sobre o rendimento ser melhor se o cartucho não estiver gelado, faz sentido, mas não sei dizer. Com certeza quando tá mais frio gasta mais, mas talvez seja só porque a água demora mais a esquentar, o gelo demora mais a derreter.... não sei... Uma dica pra derreter neve mais rápido é jogar um pouco de água já derretida junto. Se estiver sem água, derrete um pouco até esquentar, e vai colocando a neve e esperando derreter, sempre deixando um pouco de água junto, faz mta diferença. Outra dica é evitar desencaixar o fogareiro do cartucho, quando der, porque cada vez que desencaixa vaza um pouco de gás. Se estiver com mais gente, cozinhar/derreter neve em equipe tbm economiza Legal esse artigo que vc mandou!
  9. vanessa.miranda

    ACONCÁGUA DEZ/2016 - RELATO

    @mateus.passos-de-souza, sim, por pessoa, e já considerando uma boa folga por precaução. Não sei dizer ao certo quanto gastei nos acampamentos altos.... Lembro por exemplo que quando derretemos neve juntos pra 3 pessoas no Cólera, suficiente pra beber bastante, cozinhar e levar pro cume, gastamos 1 cartucho cheio e um pouco de outro. Não tenho certeza de qual marca foi o gás, mas acho que era Coleman. Em santiago custou o equivalente a uns 9 ou 10 reais cada cartucho de 230g (isobutano e propano). Em Mendoza custava mais ou menos o dobro.
  10. vanessa.miranda

    ACONCÁGUA DEZ/2016 - RELATO

    @caiorsd considerando "alta montanha" como acima de 5500m, eu até tinha alguma experiencia no Peru, pequena, mas que fez diferença. Além da vivência, conversei com muita gente lá, o que me ajudou a ir construindo o conhecimento que precisava. No mais, pesquisei e li tudo que pude encontrar na internet (relatos, vídeos, livros, pesquisas científicas, filmes etc.) As conversas no outro tópico que abri aqui no mochileiros na época pra buscar companhia também ajudaram bastante a ir amadurecendo os planos, principalmente com as dicas e experiência dos que já tinham tentado o Aconcágua. Sobre a alimentação, sim, nos acampamentos altos fiquei praticamente na base de miojo, purê de batata em pó, biscoito recheado e barrinhas... Pro acampamento base levei enlatados: atum, feijao etc. Também levei um arroz pequeno. Em alguns dias a gente cozinhava em grupo e juntava coisas que cada um tinha levado tbm, ainda no acampamento base. Na madrugada antes de subir pro cume, eu ia comer um miojo maaais uma vez, mas o Andre me deu um liofilizado dele que tava sobrando. Isso foi ótimo. Aprendi e agora sempre levo pelo menos 1 liofilizado pra cada pré-cume. Outra coisa que aprendi que é bom de levar é cuzcuz marroquino. Só levar uma embalagem metalizada vazia (como as dos liofilizados) , colocar o cuzcuz dentro e água quente e nem precisa sujar panela ou pote nenhum.. Fica pronto nuns 5 minutos. Também levei uns chocolates e castanhas, mas acabou rápido.
  11. vanessa.miranda

    ACONCÁGUA DEZ/2016 - RELATO

    Oi @caiorsd ! Respondendo suas perguntas: 1) Eu considero que o grau de aventura/desafio muda bastante, mas isso é abstrato. Não levando em conta opiniões pessoais e custos, acho que a maior desvantagem é a falta de flexibilidade. Vc pode perder o cume pq a janela de tempo bom vai ser um dia depois do fim do prazo contratado (aconteceu com vários grupos quando eu estava lá)... Ou pode ter que desistir pq está se sentindo mal e seu grupo está bem e vai continuar subindo, sendo que se vc pudesse fazer seu próprio cronograma bastava descansar/aclimatar mais um dia e continuar depois, por exemplo. 2) Gastei uns 2000 reais e uns 400 dólares, sem incluir equipamento: Voos, ônibus, taxis: R$1480 Gás (comprei em santiago) + comida que levei: uns R$150 - R$170 Comida fora do parque (restaurantes, etc..) uns R$200 Permissão: US$291 Serviço básico de mulas ida e volta dividido para 4 pessoas: US$100 ou US$110 Hostel em mendoza antes e depois (4 noites total) + 1 noite em puente del inca - uns R$150 ou menos. Quanto ao equipamento, eu acabei comprando antes quase tudo o que eu ainda não tinha... Então só tive que alugar botas duplas e mittens. Não lembro certo quanto foi, mas é fácil conseguir orçamento de alugueis, eles mandam por email. Acho que deu uns R$350 - 400 no total.
  12. Olá! Comprei direto lá usando a carteirinha ISIC. Isso foi em outubro/2015. Tbm usei para entrar num museu em Cusco; na trilha nos Canions de Colca em Arequipa; e na travessia de San Pedro do Atacama (Chile) para Uyuni (Bolívia).
  13. vanessa.miranda

    ACONCÁGUA DEZ/2016 - RELATO

    isso, nosso "cume" foi ali nos 6200 mesmo, bem quando chega no "ombro" da crista pro cume. A greta tinha uns 2 metros de largura pra saltar, e uns 40 de profundidade. Um grupo levou escada, mas imagina carregar uma escada até lá! Achei a montanha bem mais técnica do que eu imaginava, tinha uma parede com mais de 70°...subir aquilo carregando escada é só pros mais malucos mesmo. E dava também pra passar rapelando até um ponto mais abaixo e subindo pelo outro lado, mas o gelo tava bem ruim ali, umas partes com rocha quase exposta e tal... Possível, mas arriscado. A gente até pensou em tentar, mas tinha o problema do horário tbm. Chegamos lá às 6hs. Pra atravessar a greta ia gastar pelo menos 1:30 com todas as ancoragens... mais 1h pro cume. Chegando ao cume depois das 8:30 já tá batendo muito sol em todo o caminho da descida, e aí fica perigoso com aquele tanto de seracs e gretas ... No Huascarán meu amigo teve uma dor de barriga cabulosa na noite do ataque ao cume, e aí tivemos que descer... Vou ter que voltar pra chegar nos dois cumes!
  14. vanessa.miranda

    ACONCÁGUA DEZ/2016 - RELATO

    Legal de1000, eu queria ter feito Ischinca também! mas acabou não dando tempo... fiz só o Chopi e tentei o Huascarán, sem cume... Cordillera Blanca é demais!! Fique à vontade para fazer mais perguntas. Abs
×