Ir para conteúdo

almoino

Membros
  • Total de itens

    16
  • Registro em

  • Última visita

Posts postados por almoino

  1. Recomendo que ao invés de gastar dinheiro pra ir à Fernando de Noronha, é preferivel ir para a Patagonia Argentina.....sai quase o mesmo preço...ou menos ainda..e deixa Fernando de Noronha no chinelo.

     

    Tive a oportunidade de conhecer também a Patagônia Argentina porém não diria que é melhor ou pior que Noronha. São lugares maravilhosos, porém absolutamente distintos. Concordo que são destinos igualmente caros (talvez a patagônia seja relativamente mais barata devido a atual cotação do Peso Argentino frente ao Real) mas não é possível fazer nenhuma outra comparação além disso.

  2. Acabo de voltar de uma viagem de uma semana em Fernando de Noronha. Não irei comentar nada sobre a beleza de sua natureza pois lá é sim um dos locais mais belos do Brasil, senão do mundo.

     

    Mas falando do lado ruim tenho que concordar com os colegas acima que dizem que Noronha irá sofrer muito com o aumento do turismo, se isso já não estiver em curso.

     

    Pelo que percebi os moradores estão alugando suas casinhas para investidores transformarem estas moradias em pousadas. E como há muitos impedimentos para se criar uma nova pousada estes empreendimentos funcionariam na clandestinidade.

     

    Casamentos arranjados com noronhenses e outras maracutaias também parecem ser algo muito corriqueiro lá a fim de que pessoas de fora possam entrar em Noronha e assim abrir algum negócio lucrativo. Não tenho nada contra estrangeiros abrirem negócios no Brasil mas ouvi dizer que alguns já estão explorando o ramo de bares e restaurantes (inclusive o famoso bar do Cachorro), sabe-se lá como, e houve até um que teve sérios problemas com a Polícia Ambiental (ou outro órgão fiscalizador) por construir em área proibida.

     

    Mas o que mais me deixou intrigado foi em relação ao saneamento básico. Como já foi dito aqui a água para consumo vem de um processo de dessalinização (que é muitíssimo custoso) e também de alguns açudes que captam chuva. Pude observar que a água é um item muito escasso na ilha pois segundo as pessoas com quem conversei o abastecimento só ocorre 2 vezes por semana e as pousadas e restaurantes são obrigados a terem enormes reservatórios para evitarem a falta. Mas como presenciei mesmo assim acontece de algum restaurante não ter água para lavarem a louça e nem para dar descarga no banheiro ou se lavar as mãos. E será que o sistema de tratamento de esgoto consegue suprir essa alta demanda que ocorre inevitavelmente nas férias? Por falar nisso a Vila dos Remédios nos dois últimos dias que fiquei lá estava com um cheiro fortíssimo de esgoto. Tem ainda a questão do lixo que evidentemente é um problema muito sério.

     

    Triste isso mas é essa a impressão que tive. E com o aumento do turismo esse problema só tende a piorar ainda mais até mesmo porque os noronhenses ou parte deles parecem estar mais preocupados com $$$ do que com a preservação do meio ambiente.

     

    Em Noronha não há outra solução a não ser restringirem ainda mais o acesso de turistas para que seja assim evitado um colapso na infraestrutura e a degradação do meio ambiente, até mesmo porque a ilha é relativamente pequena. Vi em algum lugar que esse número hoje seria de 500 pessoas por dia (alguém poderia me dizer se este dado está correto?). Muitos órgãos federais e estaduais estão presentes na ilha como as polícias Federal e Estadual, ICMBIO, Agência Estadual de Meio Ambiente de Pernambuco (alvo de irregularidades conforme matéria em http://oglobo.globo.com/viagem/mat/2010/10/13/ministerio-publico-que-mais-rigor-com-rotas-de-cruzeiros-para-fernando-de-noronha-922779579.asp ), um administrador indicado pelo governador de PE, exército, etc... Me parece um tanto quanto confusa e desnecessária essa presença toda do Estado.

    Com todo o respeito ao povo pernambucano (que por sinal admiro muito) creio que a politicagem que fizeram na Constituinte de 88 para que Noronha se transformasse em território de PE não tenha sido o melhor para o Brasil. Para mim o Governo Federal e só ele deveria ser o administrador da ilha. Sei que muitos turistas e noronhenses não estão nem aí para o que acontece nos bastidores da ilha mas eu acho que esse paraíso deve ser tratado como um patrimônio de toda a humanidade, que é muito frágil, e que se não preservarmos adequadamente nossos filhos e netos poderão encontrar lá algo muito diferente do que vemos hoje.

     

    Mudando agora de assunto vou falar sobre mergulho autônomo. Sou credenciado mas devido ao fato de estar vários anos sem praticar fiz o Scuba Review (R$ 330 em cash por 2 descidas), recomendado pela Noronha Divers, que me pareceu ser uma boa idéia pois assim poderia ficar mais a vontade na hora de lidar com o equipamento e tal. O instrutor Kuka (ou Cuca?), super atencioso e gente boa por sinal, fez uma espécie de mini-curso comigo durante o trajeto de barco e assim pudemos retomar os procedimentos quanto a montagem e uso do equipamento, bem como dicas sobre flutuabilidade, etc. Durante o mergulho praticamos alguns exercícios também. Até aí maravilha pois esse review foi muito bom para mim haja vista que no próximo verão pretendo fazer outros mergulhos. A visibilidade naquele dia não era 100%, mas mesmo assim estava muito boa. Porém fiquei decepcionado com o que vimos lá (Ressureta e Canal da Rata) se comparado com os mergulhos livres que fiz anteriormente na ilha. Não vi nada de diferente do que encontrei nas praias da Conceição, do Porto e Sueste (os melhor lugares para Snorkel na minha opinião), sem contar que a quantidade de peixes foi até maior nestes pontos. O que vi de diferente foi apenas um pequeno polvo entocado. Talvez haja outros pontos de mergulho autônomo para pessoas de nível avançado onde seja possível a apreciação de espécies diferentes ou de maior porte, bem como corais. Mas mesmo assim se tivesse mais tempo em Noronha com certeza não iria praticar outros mergulhos scuba pois os livres me deixaram com um nível de satisfação extremamente elevado.

  3. Bem, acabei de voltar da Patagonia argentina. Devo postar mais tarde um relato bem completo com informações atualizadas sobre os passeios, preços, etc de todos os lugares que visitei.

    Na recepção da agência Hielo y Aventura (única que pode fazer esses passeios) fui informado o seguinte: a duração dos passeios é praticamente a mesma, dura todo o dia, apenas o do Big Ice sai mais ou menos 1 hora antes do centro de Calafate. Na volta pude observar que os ônibus saem no mesmo horário de Perito Moreno, por volta de 17:00 hs.

    O passeio começa com a viagem até o Parque Nacional de onde podemos ficar uns 90 minutos nas passarelas admirando o paredão do perito Moreno (para quem faz o Mini) ou apenas 30 min. pra quem faz o Big. Aí o passeio é dirigido até um portinho de onde saem as embarcações para o local onde são feitas as caminhadas sobre o gelo. O tempo de caminhada sobre o gelo é de 1:30 no Mini e mais ou menos 4 horas no Big.

    Optei por fazer o Mini justamente por ser o que nos deixava mais tempo nas passarelas e por dar também um tempinho para comermos algo. E não me arrependi. É muito legal mesmo andar por todo o trajeto das passarelas com tranquilidade e tal. E depois na caminhada sobre o gelo não senti que faltou algo mais pra vermos: tivemos a oportunidade de observar algumas lagoas (se bem que pequenas, é verdade porém azuis e lindíssimas) e algumas fendas onde os guias ficaram mais atentos com os visitantes.

    Acho que tudo depende das condições naturais da geleira. De repente quem faz o Big não tem a sorte de ver essas coisas num determinado dia.

    Mesmo fazendo o Mini senti que foi um dia bem cansativo.

    Preços: Big: 650,00, Mini: 450,00. Entrada no parque: 60,00 (preços em pesos argentinos). É necessário levar lanche para o almoço.

    Esses passeios podem ser comprados na própria Hielo y Aventura, nas várias agências de turismo que ficam na Av. principal de Calafate ou até mesmo no hotel ou pousada onde você estiver hospedado. Tudo é repassado pra Hielo que tem o monopólio. A diferença é que apenas no escritório da Hielo é possível pagar com cartão de crédito. Nos outros lugares, apenas em cash. No hotel que fiquei hospedado me ofereceram um desconto de 10 pesos no passeio, mas preferi pagar com cartão mesmo na Hielo.

    A minha opinião final sobre esse tema é o seguinte: se você tem apenas um dia pra visitar Perito Moreno, faça o Mini pelo tempo que é possível ficar nas passarelas. Agora se você tem mais tempo pode fazer o Big num dia e no outro ficar só nas passarelas.

    Quanto ao serviço do passeio, tudo é muito bem organizado, o ônibus é novo e confortável, os guias são todos bilíngues (inglês e espanhol) e tal. Enfim, nada do que reclamar. Nota 10. Mas tudo isso tem um preço. E além do mais pagar 60 pesos por cada entrada no parque é realmente um absurdo (se por exemplo você for 2 vezes terá de pagar 120 pesos). Apesar do preço acho que esse é o tipo de passeio que fazemos uma única vez na vida e no final das contas podemos perceber que foi um investimento muito bom mesmo.

  4. Finalmente recebi hoje o e-mail da Hielo y aventura e os preços são mesmo o que eu já havia conseguido de uma pousada: 590 pesos do passeio (big ice) + 60 do transfer. Fora a entrada do parque que é 60 pesos. Total da brincadeira 710 pesos ou + ou - 200 dólares.

    Olha tem que valer muito a pena pois 200 doletas é um valor bem alto pra um passeio de um dia.

     

    Se não fizer o passeio nessa oportunidade, quanto vc gastará para caminhar sobre o perito moreno em outra oportunidade ? :? :?

     

    Pois é. Muito provavelmente custará cada vez mais caro. E se eu brasileiro já acho esse passeio caríssimo, imaginem então os argentinos!

    Tomara que até outubro a real se valorize ainda mais frente ao peso.

  5. Finalmente recebi hoje o e-mail da Hielo y aventura e os preços são mesmo o que eu já havia conseguido de uma pousada: 590 pesos do passeio (big ice) + 60 do transfer. Fora a entrada do parque que é 60 pesos. Total da brincadeira 710 pesos ou + ou - 200 dólares.

    Olha tem que valer muito a pena pois 200 doletas é um valor bem alto pra um passeio de um dia.

  6. Acabei de receber um e-mail de uma pousada de lá com uma tabela de preços dos passeios.

    "Tarifa por persona: $AR 590 + $AR 60 de tranfer + $AR 60 Entrada al Parque Nacional.- (A partir del 21 Septiembre 09)"

    Total de 710 pesos! PQP!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Quase 200 dólares ou 400 reais!!!!!!

    Será que essa pousada está cobrando comissão?? Não pode ser tão caro assim...

  7. ...até agora neste tópico não teve uma única alma que precisou mostrar o tal seguro p/ as autoridades migratórias na Europa. O que dá a impressão - mesmo sabendo que é um documento teoricamente obrigatório - é que existem muitas empresas tocando o terror para que os viajantes contratem o tal seguro.

    Pelo repertório dos relatos, a minha opinião é que os viajantes contratem o tal seguro se realmente sentirem a necessidade de ter esse serviço para os imprevistos de uma viagem longe de casa e não apenas por se sentirem obrigados.

  8. quote:Originally posted by carlosbosch

     

    olá! gostaria de saber se com o passaporte do meu avô, certidão de casamento e óbito eu tenho chances de conseguir a cidadania alemã?? pois não encontrei a identidade dele. gostaria de saber quanto tempo mais ou menos eu levaria para conseguir a cidadania alemã. e se com ela eu posso ir para os eua como turista sem precisar de visto. obrigado...


    id="quote">
    id="quote">

     

    Carlosbosh,

     

    Entendo que se vc não tem a identidade de seu avô vc deve providenciar uma Certidão negativa de naturalização brasileira - Inf.

    Ministério da Justiça

    Secretaria Nacional dos Direitos da Cidadania e Justiça

    Serviço de Apoio Administrativo

    Esplanada dos Ministérios, Anexo II, 3° andar, Sala 303

    70064-900 Brasília - DF

    Tel. 0**61/223-3647 ou 218-3470

     

    Quanto ao tempo de espera, no meu caso demorou 8 meses após a entrada na documentação. Aí, com a Certidão de Constatação da Nacionalidade Alemã vc pode requerer o passaporte que irá demorar mais 1 mês aproximadamente;

     

    E é permitido sim a entrada nos EUA sem o visto, desde que atenda a alguns requisitos constantes no site do Departamento de Estado Americano

    http://travel.state.gov/visa/temp/without/without_1990.html

  9. Colegas, irei relatar como foi o meu processo para a obtenção da Certidão de Constatação da Nacionalidade Alemã, o chamado Staatsangehörigkeitsausweis -

    documento necessário para a obtenção do passaporte alemão.

     

    O processo com a documentação foi entregue no Consulado Alemão de São Paulo no mês de maio de 2004 e a certidão ficou pronta em janeiro de 2005.

     

    O primeiríssimo item a ser observado é quanto ao nascimento do requerente. Se for pela descendência do lado materno (avô alemão sendo pai da mãe ou mãe alemã) somente os que nasceram após 01.01.1975 poderão obter a certidão. Quem nasceu por exemplo em 1974 não conseguirá, ao menos que a descendência venha da parte paterna (avô alemão sendo pai do pai ou pai alemão).

     

    No meu caso, meu avô (pai de minha mãe) é alemão e como nasci em 1977, portanto após 1975, estava apto a fazer o requerimento.

     

    A relação dos documentos apresentados foi a seguinte:

     

    Minha certidão de nascimento e da minha mãe,

    Certidão de casamento de meus pais e de meus avós,

    Certidão de óbito de minha mãe e de meu avô,

    Passaporte alemão de meu avô,

    Cédula de identidade de estrangeiro (RE) emitido no Brasil de meu avô,

    Minha Cédula de identidade brasileira (RG) e de minha mãe,

    Demais formulários fornecidos pelo consulado alemão.

     

    Notem que todas as certidões entregues no Consulado devem ser traduzidas para o alemão por um tradutor juramentado (o Consulado fornece uma relação dos tradutores aptos para fazerem este serviço).

     

    No meu caso, o documento mais importante para a obtenção da minha nacionalidade foi o passaporte alemão original de meu avô.

     

    Me lembro que 2 meses após a entrega dos documentos recebi uma carta do governo alemão bem atenciosa e cordial pedindo para eu ter paciência pois haviam muitos processos em andamento e que poderia demorar algum tempo, apesar de não estipularem um prazo. Mas o Consulado de São Paulo já havia dito que o prazo seria de aproximadamente 2 anos.

    Confesso que fiquei surpreso ao receber a Certidão 6 meses depois .

    Não sei se o fato de um primo meu já ter obtido a certidão há alguns poucos anos atrás facilitou o meu processo. Talvez sim, pois imagino que fique guardado um livro ou uma pasta com os registros da mesma família, seja aqui no Consulado de São Paulo ou na Alemanha. Mas todos os processos são enviados para a Alemanha - no Brasil é feito apenas à conferência.

     

    Outro ponto importante é que uma vez obtida a Constatação de Nacionalidade Alemã, as futuras gerações terão esse direito também.

     

    Se alguém aqui estiver na mesma situação que a minha, espero poder ajudá-los caso estejam com dificuldades ou dúvidas.

    Abraço,

     

    André

×
×
  • Criar Novo...