Ir para conteúdo

Anselmo SP

Membros
  • Total de itens

    33
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que Anselmo SP postou

  1. Oi Gente, Estou indo para São Miguel dos Milagres agora na metade de novembro/17 e por incrível que pareça não consegui descobrir se lá tem Albergue/hostel, se não achar nada, vou optar pelo camping, parece que camping tem. Alguém sabe se tem Albergue em São Miguel dos milagres ? Obrigado
  2. D_Coutinho, Desculpe a demora para responder, Para diluir eu usei o "reducola cascola sem toluol", custa em torno de R$30,00, mas imagino que outros diluentes tb sirvam, parece que esse Toluol é mais tóxico, o que pode ser ruim na hora de usar. Sobre a proporção, o pessoal que iniciou o tópico falou em 1 de selante para 4 ou 5 de solvente. Na teoria parecia muito fácil, mas na prática, pelo menos comigo a coisa se complicou, percebi que o selante não dilui fácil, vc mistura, mexe, sacode, agita e nada de diluir, ai fui acrescentando diluente, coloquei numa garrafa para poder sacudir e no final perdi completamente a noção de proporção. No meu caso foi tudo meio improvisado, inclusive o processo para extrair o monopol da sua embalagem, que teoricamente precisa de algo parecido com uma pistola, para empurrar o fundo do cilindro eu usei um martelo, na verdade o cabo do martelo que coloquei no fundo do monopol e ia empurrando até o monopol sair pelo bico. Eu acho que poderia ter feito uma diluição maior, mas agora já foi, o que eu sugiro é testar com um pouco para vc ir descobrindo qual a consistência ideal, é um processo bem chato de ir testando. A menos que alguem saiba como fazer essa diluição de forma prática. Fiz um teste inicial em um pedaço de nylon, tinha uma faixa impermeabilizada e outra não, montei esse pedaço de Nylon como se fosse uma bolsa e enchi de água, na faixa sem impermeabilizar a água depois de um tempo começou a pingar e dava pra perceber bem a diferença da faixa impermeabilizada que não passava nada de água.
  3. D_Coutinho, Eu tb tenho uma Nepal 2, apesar dela nunca ter entrado água, numa chuva caiu uns pingos dentro e resolvi fazer a impermeabilização com Selante PU. Depois de impermeabilizada ela ficou guardada por meses, estou acampando pouco, mas depois de meses guardada fui acampar, e a 1a boa noticia é que esta intacta, o Nylon sobreviveu ao selante diluído em solvente, ou seja o Nylon esta firme e forte, e o selante não descascou, nem saiu. Infelizmente, rsrsr, não choveu e não pude testar a eficiência da Impermeabilização, pretendo fazer mais algumas viagens agora no verão, torcendo para chover e ver se esta mesmo a prova de água. Antes de passar na barraca eu testei em um outro pedaço pequeno de Nylon e o resultado me pareceu muito bom, portanto acredito que minha barraca dever ser atualmente uma das mais resistentes a água. Se quiser esperar, vai acompanhando por aqui, pois assim que eu pegar uma chuva, vou postar aqui o resultado. Mas se vc for aplicar o PU, use o PU25, existe o PU40, que pelas minhas informações fica mais duro quando seca, eu cometi alguns erros, fiz uma mistura muito densa, acho que poderia ter diluido mais e deixado um pouco mais liquido, cuidado ao aplicar, eu esbarrei e derrubei um tanto do produto em cima da barraca. O produto começa a secar rápido, então tem de estar pronto pra pinceladas rápidas, não dilua tudo de uma vez, pois se começar a secar o que vc esta usando pode fazer uma nova mistura, o cheiro é bem forte, faça em local aberto e ventilado. Eu resolvi passar na parte interna do sobre-teto, pois tive a impressão que a coisa ia ficar um pouco grudenta, e poderia pegar muita sujeira, caso ficasse voltada para o lado de fora, exposta ao tempo, areia, folhas de árvores. vai postando aqui o que vc decidiu fazer e como foi o resultado. Até Anselmo
  4. Rodrigo, Nunca vamos saber quantos anos tinha a bota e nem se ele a usou muito, pois parece que ele se cadastrou no mochileiros só para reclamar da Snake, inclusive vi esse mesmo texto no reclame aqui. Para mim a reclamação dele acabou se revertendo em ponto positivo da Snake, posso estar enganado mas uma bota descolar depois de tantos anos acho que pode acontecer com qualquer marca, e o fato da empresa se recusar a fazer um serviço que ela não poderia dar garantia me parece a atitude mais honesta. Li muito e descobri que todas marcas tem reclamação, então desconsiderei as reclamações absurdas, como essa por exemplo, tem gente que reclama sem ter noção, um outro reclamou que a Snake pediu cópia da nota fiscal para confirmar se ainda estava dentro do prazo de garantia. Analisei os elogios, e acabo de comprar uma Snake Dry Stone II, um modelo mais barato mas que vai servir bem para avaliar a qualidade da Snake.
  5. Estou na dura tarefa de escolher uma boa bota, e claro é bom ver tb as reclamações, e a sua me chamou a atenção, mas por um erro de digitação não fiquei sabendo quantos anos (parecem muitos) de uso tem essa bota, poderia me dizer, pois é legal saber quanto tempo ela durou sem apresentar defeito e em bom estado como você falou. Se me permite uma observação sobre a postura da Snake em recusar fazer o reparo na bota, no meu entender a empresa agiu de forma correta e honesta com vc, se a Snake se compromete a fazer o reparo eles teriam que dar garantia do serviço, e teriam um problema, pois esse negócio de cola tem uma química muito complexa, a Snake não sabe como a cola que vc usou iria reagir com a cola que eles usam, nem se teriam como retirar a cola usada por vc sem causar um dano maior a bota. Pior seria eles prometerem fazer um reparo sem saber se seria possível.
  6. Lenon, faz um favor pra gente e quando voltar posta aqui como vc se virou com o transporte, se tem alguma novidade no horário de ônibus, se tem domingo e feriado ? Obrigado
  7. Jana, Em Setembro/2015 tentei ir de ônibus e ficou tão complicado que acabei desistindo. Não sei onde vc mora, mas isso não importa, a primeira coisa é vc chegar em Apiai, essa parte é fácil. De Apiai para o Petar as 15:00 hs tem um ônibus da Princesa dos Campos, o horário de volta é 7:00 da manhã esse é o ônibus que vai para Iporanga, no site da empresa ele não aparece pois se trata de um ônibus urbano R$ 5,00. Esses horários por si só já são muito ruins, pois saindo as 15:00hs para o Petar o 1o dia fica perdido, e o dia da volta também esta comprometido pois as 7 da manhã vc precisa estar já pronta para pegar o ônibus de volta, então se vc pretende ir no feriado de 26 a 28/05/16, só conte com 2 dias para conhecer a região. Se não bastasse esses horários horríveis tem um outro problema ainda maior, DOMINGO NÃO TEM ÔNIBUS, e feriados é bem possível que não tenha ônibus também. Outra opção seria ir por Iporanga, se vc conseguir chegar em Iporanga antes das 6 da manhã da para pegar o ônibus que vai para Apiai e passa pelo Petar as 7:00hs,pode ser que para vc funcione, mas para mim que moro em São Paulo essa alternativa era pior ainda, não tem ônibus de São Paulo para Iporanga, só para Eldorado e de Eldorado para Iporanga o horário dos ônibus não batiam com esse que sai de Iporanga, mas lembre-se que DOMINGO NÃO TEM ÔNIBUS e a chance de não ter no feriado é grande. Se você conseguir chegar lá de ônibus, fique tranquila que camping tem bastante. PS. As informações do ônibus são de Set/2015.
  8. Henrique, vou me atrever mais uma vez a postar um comentário aqui no relato do Jorge. Acredito que diferente de trilhas que podem se fechar, sumir com o mato, esta por ser pela praia não deve ter muita diferença com o passar dos anos, o que pode ter acontecido é estar tudo um pouco mais urbanizado. Vamos ver se alguem tem novidades, pois eu fiz a travessia em 2006 ou 2007, faz tempo.
  9. Rodrigo, Vou fazer isso, já desisti uma vez por essa dificuldade do ônibus, agora vou encarar. Obrigado pela força Anselmo
  10. Estou indo para Chapada dos Veadeiros na semana do dia 23/09/2015, pretendo fazer a trilha das 7 quedas. Não consigo descobrir de jeito nenhum se tem como chegar de ônibus a São Jorge, já liguei para tudo quanto é lugar e cada um fala uma coisa. Alguem sabe algo sobre ônibus por lá, mas estou decidido a ir mesmo arriscando uma carona. Obrigado
  11. Oi Natalia, Acho que pode reservar R$ 12,00 para entrar no Ouro Grosso, pelo que vi no site do Petar conclui que o valor de entrada no parque é o mesmo para todos os núcleos. Estacionamento : Carro R$ 6,00 ônibus R$ 12,00
  12. Natalia, tudo que eu pesquisei é para quem vai usar Apiai como ponto de partida para o Petar (núcleo Santana), se você esta pensando em ir para Iporanga a coisa muda um pouco e os horários são outros. Quando li Iporanga na sua resposta, achei que poderia ser uma alternativa interessante para chegar ao núcleo Santana, que é onde eu pretendo ir, mas depois de pesquisar, ligar, achei mais complicado. Por Iporanga o roteiro de ônibus fica assim: São Paulo - Eldorado (empresa Intersul - Transporte) Eldorado - Iporanga (viação Moreira - (13)3871-1479) sai as 12:00 hs menos domingo e feriado Iporanga - Petar / Núcleo Santana ( viação princesa dos campos) sai as 7:00 (empresa garante que tem no 7/9) Camping já consegui alguns, agora guia nem vi, o que vc descobriu sobre guias ?
  13. Natalia, Eu também estou pensando em ir no 7 de setembro 2015 para o Petar e estou aqui garimpando informações. Antes de mais nada só gostaria de corrigir um pequeno detalhe na resposta do Guilherme Tosetto, o ônibus para Apiai sai do terminal BARRA FUNDA, para você que não é de São Paulo o acesso ao terminal Barra Funda é tão fácil quanto o acesso ao Tiete, vai de metro até a Estação Barra Funda. A empresa é a Transpen, tem 3 horários 7:30, 12:30, 19:30 (conforme o site da empresa) são 6:30 de viagem. De Apiai para o Petar as 15:00 hs tem um ônibus da Princesa dos Campos, o horário de volta é 7:00 da manhã esse é o ônibus que vai para Iporanga, no site da empresa ele não aparece pois se trata de um ônibus urbano R$ 5,00. Como esta um pouco complicado achar informações atualizadas aqui na net, acabei ligando para a rodoviaria de Apiai e para a empresa Princesa dos Campos, e ai surgiu um dilema, rsrs, na rodoviaria me informaram que esse ônibus não funciona domingo e feriado, na empresa falaram que domingo não tem mesmo, mas na segunda-feira feriado de 7 de setembro vai ter.
  14. R Machado, Recentemente fiz umas perguntas ao Samuel, mas acho que ele não esta mais acessando o "Mochileiros", então resolvi fazer uns testes em um pedaço de nylon, usei o Monopol PU25 da Viapol, os resultados aparentemente foram muito bons. Estou com dificuldade para achar na cor Bege, que seria ideal para minha barraca amarela, no teste usei o cinza mesmo e acredito que o melhor é aplicar a solução na parte interna do sobreteto, por dois motivos, a mistura deixou o tecido meio esbranquiçado, e passando na parte interna esse branco não aparece e também ficou um pouco, mas muito pouco, grudenta, o que poderia fazer com que sujeira aderisse no sobreteto caso a aplicação fosse na parte externa, parece que com o tempo esse grude desaparece, mas reforço que o grude não chega a ser preocupante, é insignificante. Ainda estou a procura do PU bege, para fazer a aplicação de verdade na minha barraca, sera que o branco tb mancha o tecido ?
  15. Samuel, Achei bem interessante essa sua idéia. Estou precisando dar uma impermeabilizada na minha barraca e essa parece ser a melhor solução. Alguns anos se passaram desde a sua sugestão de criar um impermeabilizante a partir de cola (PU), depois destes anos todos como esta a impermeabilização da sua barraca, houve efeitos colaterais nessa mistura de veda-calha e solvente ? Pesquisei em algumas lojas e ainda não achei um veda-calha incolor, quase todos são cinza, o sobre-teto da minha barraca é amarelo, sera que vai ficar cinza depois de aplicar essa mistura ? Grato, Anselmo
  16. Rafael, Muito bom seu relato. me serviu como guia para a visita a Pedra Azul que fiz na Páscoa de 2014 (20/04/2014 - domingo). Mas depois do seu relato algumas mudanças aconteceram, infelizmente para pior. O parque foi entregue na mão de "Condutores Ambientais" uma associação de guias, e nenhum funcionário do parque esta presente no mesmo. Aquele telefone ainda é do IEMA, mas não agendam mais, para agendar tem de ligar para o telefone dos condutores ambientais, um celular (27) 9 9739-8005, descobri depois que tem um e-mail ( [email protected] ), o passeio não é mais gratuito o valor é de R$ 10,00 para o passeio completo (piscinas e base) e R$ 7,00 (base), esse valor é válido quando existe um número mínimo de pessoas, caso não existam outras pessoas agendadas para o mesmo dia, o valor aumenta e você paga o valor de um grupo. Ainda são duas saídas diárias uma pela manhã 9:30 e outra a tarde acho que 13:30, mas o limite de 25 pessoas não existe mais, no dia que estive lá 50 pessoas subiram para as piscinas, e segundo relato de um dos guias ele já chegou a levar sozinho um grupo com 90 pessoas. Vou relatar alguns fatos que aconteceram na minha visita. Na primeira porteira existe uma cabine onde os condutores fazem a cobrança e vc assina termos de responsabilidade e compromisso, coisas de praxe, assumindo responsabilidade por acidentes, se comprometendo a ter um bom comportamento e seguir as regras, assumindo que não vai tirar fotos para fins comerciais, o de sempre, até ai tudo bem, mas um item me chamou a atenção, caso alguem do parque ou condutor faça fotos e se vc aparecer nas fotos eles estão autorizados a usar essas fotos para qualquer fim, ou seja vc não pode comercializar fotos feitas dentro do parque, mas o parque pode usar sua imagem da forma que quiser, se não assinar não entra. Nessa cabine fui informado que por causa da chuva do dia anterior talvez não desse para subir as piscinas, alegaram que as pedras molhadas ficam perigosas, escorregadias, imagina minha decepção. A proposta dos condutores é pagar somente o valor do passeio a base, paguei e deram o recibo de R$ 7,00 e caso desse para fazer o passeio completo, pagaria a diferença de R$ 3,00. A partir dessa cabine, teoricamente o caminho é a pé até a entrada do parque, teoricamente pq uma familia chegou de carro acompanhada de um guia. Deu 9:30 e nada dos guias decidirem se subiriamos as piscinas ou não, e enquanto isso ia chegando gente e mais gente, até que chegou esse guia no carro e acabaram decidindo subir as piscinas. Nisso já devia ser 10:30hs, e lá se foi uma multidão trilha acima, claro que houve um certo congestionamento e tanto a subida como a descida demoraram e quando retornamos a sede do parque já não dava mais tempo de fazer as trilhas da base. E todos se dirigiram a saída, nisso vejo um guia sair correndo na frente, ele foi para a cabine para cobrar (SEM recibo) R$ 3,00 de diferença, alegando que como subimos as piscinas o valor era de R$ 10,00, mas na realidade esse é o valor do passeio campleto, que inclui as trilhas da base, isto é cobraram por algo que não fizemos. Outra coisa, lembram do recibo que falei, os Condutores cobraram R$ 10,00 e deram um recibo de R$ 7,00, agora deixo no ar a pergunta, para onde vão os R$ 3,00 não contabilizados ? Conclusão, o passeio vale a pena, é bonito, e nada contra a cobrança de entrada no parque, mas é muito chato se sentir enganado, roubado, forçado a assinar clausulas ilegais (ceder a imagem).
  17. Jorge, Peço desculpas por ter postado no seu relato a minha experiência, em resposta ao questionamento do Alex. Não imaginei que seria inapropriado. Desculpas, Anselmo PS. Alex estou a disposição no meu e-mail, caso você considere apropriado.
  18. Alex, Essa opção de camping é a melhor mesmo, pois é quase certo que ao fim de cada dia de caminhada vc esteja em alguma cidadezinha ou vila, então achar camping não é problema. Eu fiz uma opção mais radical e resolvi levar uma rede, pensando em dormir nos coqueirais, mas no final acabei dormindo mesmo em pequenas pousadas, exatamente por terminar o dia nas cidades, mas não era carnaval nem alta temporada então as pousadas estavam vazias e baratas. A rede só usei uma noite, e me dei mal, foi a única noite que choveu, eu até levei um plástico para uma situação dessas, mas por falta de experiência a coisa não deu muito certo e passei praticamente a noite toda acordado tentando não me molhar. De resto a preocupação maior é a travessia dos rios, sugiro pesquisar antes o horário das marés e adequar seu ritmo a maré, eu tinha anotado o horário das marés e consegui atravessar todos os rios a pé, sem usar barco, mas existe o risco de se molhar todo, tive muito cuidado de procurar um ponto de travessia primeiro sem a mochila. Outro ponto a ser considerado mas que ninguem comenta é o vento, eu escolhi fazer Porto Seguro - Prado e dei sorte, pois peguei vento a favor, ou seja vento vindo pelas costas o tempo todo, caminhar contra o vento teria sido muito chato, ainda mais jogando areia. Mas foi por pura sorte mesmo, eu nem tinha me tocado desse detalhe, só percebi quando já estava caminhando, é provável que a direção do vento mude dependendo da epoca do ano.
  19. Alex, não sei se leu meu comentário logo acima, em 2006/2007 essa preocupação e boatos de assaltos já existia, em 2007 eu fui sozinho com um certo receio, mas não vi perigo nenhum, na realidade não encontrei praticamente ninguem. Se afastando um pouco das cidades as praias ficam desertas, então se decidir acampar, sugiro ou procurar um camping, ou acampar longe da cidade, onde a possibilidade de alguem te ver acampando é menor.
  20. Olá, São Joaquim, Urubici, no RS, alguem esta indo para lá, quero conhecer a Serra do Rio do Rastro, Morro da Igreja, e Serra do Corvo Branco, neste feriado de 07/06/2012. [email protected]
  21. Olá Luciane, Fiquei com algumas dúvidas, Esse preço de R$ 270,00 foi por pessoa ? Nos R$ 20,00 do equimento de camping esta incluido, barraca, sleeping, isolante, fogareiro, panela ? Foi tranquilo carregar toda a comida pra 6 dias de caminhada, mais equipamento de camping, e cozinha ( panela, fogareiro, combustível ) ? Você falou que os carregadores levavam a merda, vocês tiveram de carregar esses "pacotes" por 6 dias ? Até, Anselmo
  22. Ana, Por onde começar, que dúvida cruel, partindo de Uyuni é fácil fazer um passeio que te deixe em San Pedro, praticamente todas as agências oferecem essa opção de transfer para San Pedro de Atacama, mas isso vai te criar uma dificuldade, retornar para a Bolivia é possível, mas não tão simples. Caso decida fazer isso, uma dica importante, não jogue fora o ticket de entrada no parque, que você comprou na Bolivia, pois na volta a Bolivia vai precisar de atravessar novamente o parque e vão te pedir o ingresso, que tem validade de alguns dias, não lembro quantos dias. Quando estive no Atacama não me preocupei em pesquisar se as agências tinham tour para Uyuni, mas tenho quase certeza que eles existem, neste caso minha sugestão é iniciar por San Pedro do Atacama, não vai ser a opção mais barata, mas é a mais lógica e rápida e acredito mais fácil, só tem de checar antes as agências que tem saída de San Pedro para Uyuini.
  23. Olá Ana, Vou responder direto, vão sobrar lugares e faltar dias, em outras palavras, mesmo que seja na maior correria 28 dias não vai dar pra fazer tudo isso. No final de 2011 estive na Bolivia, Chile (deserto do Atacama), Peru e Venezuela Como já comentaram aqui, sul da Argentina em julho vai ser complicado, frio, neve, dias curtos e longas distâncias, sugiro retirar do seu roteiro. Em La Paz você vai precisar sim de 4 dias, ou até mais, já que pretende fazer 3 passeios, Uyuni 3 dias e com transfer para San Pedro de Atacama que tb precisa de 3 a 4 dias, Copacabana e Isla del Sol 1 dia é pouco, na realidade o que vale a pena é Isla del sol, e o passeio é de 1 dia, mas se quiser ficar em Copacabana vai precisar de mais 1 dia Cuzco, Machu Picchu, se for fazer a trilha 4 dias é pouco, senão 4 dias até da, mas tem de correr. Você esqueceu de contar os dias de deslocamento, as distâncias são grandes, as estradas ruins, e sempre tem imprevistos, pode não ter tour no dia que vc quer, não encontrar passagem, a menos que você saia do Brasil com tudo agendado, tudo muito bem organizado. Se você tiver alguma pergunta pode me fazer. Anselmo
  24. Olá, estive na Venezuela ( Gran Sabana, Monte Roraima, salto Angel e Los Roques) no final de 2011, e vou tomar a liberdade de fazer algumas observações ao relato da Livia. Salto Angel, a Livia foi muito gentil ao falar das cobertas "não que sejam sujas, só não são cheirosinhas", eu senti um certo nojo de deitar naquelas redes, a alergia da Livia não foi sem motivo, são bem sujas sim, muitos estrangeiros deitam nas redes calçando botas, e sujam tudo. Minha sugestão é se vc tiver um saco de dormir pequeno leve e use, mas cuidado com o peso, o voo pra Salto Angel também tem limite de peso, 10Kg, mas vc não vai precisar de muita roupa lá, então vale a pena levar seu saco de dormir ou um cobertor. Nadar no lago, esse parece ser um problema comum, meu grupo também quase não nadou, depois de uma quase rebelião, fomos até o lago da cachoeira, que fica a uns 10 minutos do mirante, e nadamos, mas isso acontece porque a logistica do passeio é péssima, o ideal seria chegar na cachoeira na parte da manhã, até as fotos ficariam melhores, pois pela manhã o sol bate na cachoeira, mas devido aos horários de voos de volta a Ciudad Bolivar, fica complicado fazer a cachoeira na parte da manhã, então o que voce tem de fazer é EXIGIR do seu guia uma saída cedo no dia da cachoeira. Existe também a opção de sobrevoo na cachoeira, se voc~e quiser fazer esse sobrevoo e esta viajando com um grupo de pelo menos 4 pessoas, agende seu sobrevoo, no parque, e não na agencia, a agência cobra uns BF 850,00 e no aeroporto do parque sai por BF 600,00, por pessoa.
  25. Olá Jorge, EStou lendo suas dicas para a caminhada de Porto Seguro a Prado, pois estou indo para lá. Mas não sei se é o meu computador, ou esta mesmo faltando o trecho final, o que peguei acaba abruptamente logo depois do Rio Cahy. Se você tiver o relato completo e puder me enviar por e-mail, agradeceria. Uma outra pergunta, aquele primeiro Rio que pegou uma carona a R$1,00, caso aquele barco não tivesse surgido como faria para atravessar. Outra dúvida, ouvi muito falar de assalto, acha que a situação esta perigosa por aqueles lados, estou indo sozinho. Grato, Anselmo PS. meu e-mail é: [email protected]
×
×
  • Criar Novo...