Ir para conteúdo

alessandro_sp

Membros
  • Total de itens

    23
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Bio

  • Ocupação
    Publicidade
  1. Maravilha, Augusto, agradeço pelos links. Já ajuda bastante. É triste, mas temos que pensar que na conjuntura atual, serviços de internet vem e vão sem muito drama, e com isso nossos esforços para montar relatos (ou qualquer outro material que dependa de mais de um local para hospedagem) podem ir pra cucuia fácil, fácil. Acho que talvez uma boa opção seja ter na manga uma versão em PDF já com as imagens inclusas... Pelo menos você sempre vai ter um relato íntegro com vc. E já que está refazendo, pode ser uma opção interessante, mas precisa ver quanto trabalho vai dar. Boa sorte...
  2. Opa, mal aê pela "Pá de Ouro"... Estava comentando em outro forum que participo sobre esta travessia, justamente por causa do Rio Claro e seu visual fantástico. Ia recomendar o site do Augusto no Multiply com este relato, o qual já li e reli inúmeras vezes, mas tive a má notícia de que o Multiply acabou... Com isso o relato ficou sem as fotos, o que tira infelizmente boa parte da graça (seria quase o mesmo que ver as fotos sem o relato). Augusto, alguma chance de reeditar este relato?
  3. Fala, Augusto! Fiz essa travessia com um grupo em meados de maio/2011. Seu relato (e do Sandro) foram muito úteis para mim, pois tive uma idéia do tempo entre as referências. Já deixo aqui meu agradecimento :'> O que não bateu muito, pra mim, foi o tempo entre o Massena e o Macieiras (onde devemos ter levado mais de 3 horas, porém como estávamos em grupo a caminhada naturalmente era mais lenta). Não conseguimos evitar o segundo charco (após o Massena) totalmente, e um dos integrantes atolou até a coxa. Só conseguiu sair comigo puxando, e mesmo assim o cara deve ter arejado toda
  4. Acho que vc me confundiu com o Ogum pq eu coloquei um comentário para ele no final do meu post Eles tentaram te impedir de entrar sem guia? Cara, que esquisito! Eu visito aquela região no mínimo anualmente desde 1997 e nunca me obrigaram a contratar um guia. Sempre bastou eu esclarecer que já conhecia o local e me liberaram, inclusive como responsável por alguns grupos de amigos que nunca tinham ido lá. Fui uma vez com uns 20 fotógrafos, e outras 3 pedalando com uma galera, em todas como responsável pelos grupos. Claro que pedalando a gente ficava só pela estrada principal até o começo d
  5. Divanei, gostei do seu relato... Só uma dica... Não vá imprimir a autorização em impressora jato de tinta porque se molhar, um abraço... Imprime em laser ou tira uma xerox, que aguentam um eventual aguaceiro. Parece dica besta mas salva de um perrengue, explicar pros guardas que aquele borrão todo enfunhanhado é a autorização De resto o parque é fantástico. Sobre a burocracia, não vejo com maus olhos, porque o controle é muito melhor do que a proibição e do que a completa ausência de fiscalização. Acredito que o parque esteja no caminho para se tornar mais amigável aos visitantes.
  6. Tente entrar em contato com eles e solicitar o envio da nota pelo correio. Com certeza foi uma falha, mas se podemos fazer a nossa parte para corrigir, porque não? Minha bota eu comprei diretamente na loja, então recebi a nota em mãos. Algum tempo depois da confusão toda que relatei, comprei com eles uma pochete, a qual eles não tinham em estoque na cor escolhida por mim (embora constasse no estoque - esse é um dos problemas de misturar estoque de loja física com loja virtual). Eles me contataram prontamente via telefone, e se prontificaram a estornar a quantia, o que ocorreu logo a segui
  7. Meu problema foi mais com o representante da marca do que com a marca em si (já que os gringos sempre me atenderam bem por e-mail e a Arco e Flecha também nunca deixou a desejar). O modelo que usei não chegou a passar por situações com charcos, mas me lembro que laceou BASTANTE a ponto de me deixar desconfortável (não tinha estabilidade pois o pé ficava muito solto dentro da bota). Estou usando atualmente uma Quechua Forclaz que comprei numa queima de estoque da Decathlon pela miséria de 100 paus. Muito melhor, se soubesse quão boa essa bota era tinha comprado os 2 pares número 46 que havi
  8. Depois da minha epopéia com a Hi-tec (vejam aqui: http://www.mochileiros.com/viewtopic.php?t=20253) fiquei algum tempo sem botas específicas para caminhada. Aí um amigo me deu um toque que tinha visto na Decathlon alguma coisa da Quechua na minha numeração (46 BR). Sábado passado fui até lá e realmente tinha calçados da Quechua começando em 70 reais. O que achei em tamanho apropriado foi a Forclaz 500, e pela bagatela de 100 reais!!!! Era a única bota em 46 por lá (mas tem mais um par, se tiver algum pé grande por aqui fora eu, pode ir na loja do Morumbi que vai muito provavelmente encont
  9. Serve sim, Samuel!!! Dá pra entalar os dedos do pé agora
  10. http://www.vibramfivefingers.com/ Alguém já viu??? Que treco curioso Será que serve para escalar?
  11. Lâmina (fundamental) Serra (fundamental) Tesoura (muito útil) Alicate (útil) Lupa (útil) Saca-rolhas e abridor de garrafas não acho importantes pra acampamento (especialmente o saca-rolhas) se você estiver a pé. Se for camping, e estiver de carro e portanto podendo levar garrafas e afins, aí pode valer à pena. Mas nesse caso você também poderia levar as ferramentas apropriadas...
  12. FINAL DA HISTÓRIA: Usei a bota em Itatiaia sem maiores problemas. Tolerou bem charcos e poças, a tração me pareceu adequada, porém o couro me pareceu ter laceado mais que o desejável. Eis que, já de volta a São Paulo, o gancho simplesmente caiu novamente, enquanto eu estava sentado trabalhando!!! Contatei a Arco e Flecha, solicitando a devolução do dinheiro. Mencionei o código do consumidor, e o fato de se tratar de reincidência. A loja, em um dado momento, preferiu encaminhar minha queixa ao fabricante. Embora eu esteja a par de que poderia exigir meus direitos tanto da loja q
  13. Vocês não estariam apreciando um cigarrinho de erva de cultivo restrito não, né? [] Brincadeira, legal seu relato!
  14. Nilton, o tipo de conserto que eles fizeram seria impossível de fazer com cola. Não sei o porque do cheiro, e concordo com o que você falou: tudo o que já mandei consertar até hoje, e que foi feito na base da cola, estragou pouco tempo depois. Mas como falei, a peça que deu problema é metálica. A bota nem saiu da caixa e eu já estava puxando os ganchos pra testar, e quando amarrei (já tô testando ela, na hora em que recebi já tirei meus sapatos e calcei as danadas) tensionei os cadarços sem dó, como faria preparando-me para descer alguma trilha íngreme. Este modelo que comprei é (em te
  15. UPDATE - 5/abril/2006id="red">id="size4"> Recebi hoje aqui no trabalho um pacote do Sedex, pouco menos de 2 semanas após deixar a bota pra conserto na Arco e Flecha. A bota foi devolvida aparentemente em ordem, na caixa original em que a deixei, e o defeito foi aparentemente resolvido. Ao abrir a caixa, senti um forte cheiro de cola, o que estranhei, pois o gancho que se soltou não é colado, e sim semelhante a um rebite, sendo fixado por meios mecânicos e não por meios químicos. Agora vou colocá-la em teste, pois devo estar viajando para Itatiaia brevemente, e quero saber se
×
×
  • Criar Novo...