Ir para conteúdo

Viajante Inveterado

Colaboradores
  • Total de itens

    92
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

14 Boa

Bio

  • Ocupação
    Travel-writer, blogger

Outras informações

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. @Jah Albuquerque Fico muito feliz em saber que sua viagem deu certo!! Espero poder ajudar nas próximas também!! Aproveita pra um pulinho lá no blog e conheça nosso canal no YouTube com vídeos novos quase toda semana!! Muito obrigado por ter voltado aqui para agradecer, é isso que me motiva a continuar compartilhando as minhas viagens!!
  2. Fala, @wwagner!! Cara... que pergunta terrível de responder... kkkkk. Digo isso porque gosto muuuito das duas cidades. Eu morei 6 meses em Berlim, então tem uma questão emocional envolvida. Ambas possuem atrativos suficientes pra te ocupar por vários dias. Meu primeiro conselho seria: visite as duas. Caso não queira ou não tenha tempo, procure descobrir qual cidade possui mais a sua cara - por exemplo: Berlim tem museus importantíssimos, uma vida underground que vc só vê lá, e a história viva de um passado recente bastante turbulento, o icônico muro e etc... Munique é outra atmosfera, é a Bavá
  3. Olá, Francisco! Olha, digamos que eu não estava na melhor forma física... Mas foi uma aventura bem cansativa! Quanto ao Path of the Gods, não cheguei a fazer... Vamos aguardar até que algum viajante que tenha feito nos informe. Abraços.
  4. Fala, viajante! O mundo das viagens envolve muitas coisas boas – muitas, mesmo! Mas, infelizmente, tem gente que se aproveita do turismo para sacanear e levar vantagem de alguma forma. Existem centenas de golpes aplicados por aí e as histórias sempre vêm à tona. É o caso deste post! No último dia do meu segundo mochilão pela América do Sul, tomamos um táxi na esquina do Cerro Monserrate em Bogotá. Estavam comigo Marcelo e Carioca – dois amigos que viajam comigo todos os anos. Combinamos com o taxista o valor de COP 45.000 para que nos levasse ao hotel para pegarmos a bagagem e, em segu
  5. Fala, viajante!! A região de Santa Marta, definitivamente, me deixou com gostinho de quero mais. O Parque Tayrona e seus arredores têm muita coisa pra mostrar, mas o fim da viagem estava próximo e tínhamos que seguir para Bogotá. Bogotá e a Catedral de Sal Deixamos nosso hostel em Santa Marta e partimos de táxi (COP 12.000) até a estação rodoviária. Pagamos COP 60.000 (70.000 se for no cartão) pela passagem do semileito da Berlinave até a capital – com direito a wifi que teve um papel fundamental, fazendo as 18 horas de viagem passarem mais rápido. Pela manhã, fizemos a única p
  6. Fala, viajante! Enquanto estávamos em Santa Marta, aproveitamos dois dias e uma noite para conhecer o Parque Tayrona, uma das melhores surpresas da viagem. Quer saber por quê? Acompanhe o relato abaixo! Parque Nacional Tayrona: natureza e aventura no paraíso colombiano Cientes que deveríamos caminhar bastante nas próximas horas, começamos a organizar nossas tralhas para os próximos dois dias. Estávamos em Santa Marta, mais precisamente no bairro El Rodadero, no albergue Casa del Ritmo. Foi lá que deixamos a maior parte de nossas bagagens para explorar o Parque Nacional Tayrona mai
  7. Fala, viajante!! Depois de conhecermos a badalada Cartagena, seguimos pela costa colombiana para conhecer Santa Marta, um destino que guarda ótimas surpresas, mas que nem todo viajante se arrisca a desvendar. Praia e mergulho em Santa Marta Era uma manhã muito chuvosa em Cartagena mas, por sorte, a chuva chegou quando já estávamos prestes a deixar a cidade. Na recepção do albergue, esperávamos pela van que nos levaria até a cidade de Santa Marta, em uma viagem de 4 horas pela qual pagamos COP 46.000 cada um. O espaço era bem apertado, mas chegamos inteiros. A cidade de Santa Ma
  8. Fala, viajante!! Depois de visitarmos Cali, pegamos um voo para o destino mais concorrido da Colômbia: Cartagena das Índias. Acompanhe! Cartagena das Índias: um tesouro colombiano O dia amanhecia em Cali e, depois de acordarmos e tomarmos o café da manhã, pagamos COP 55.000 para irmos de táxi até o Aeropuerto Internacional Alfonso Bonilla Aragón. Aguardamos em uma longa fila para fazermos o check-in e, quando chegou a nossa vez, apresentamos as passagens compradas no dia anterior pelo site Despegar.com e tivemos uma surpresa… A atendente disse que nossa reserva estava cancelada. Eu
  9. Fala, viajante!! O assunto de hoje é Cali, a terceira maior cidade colombiana, muito famosa por um ritmo musical: a Salsa. Vamos fazer uma aula?! Aprendendo a bailar Salsa (Cali, Colômbia) Domir mais uma noite no ônibus não seria problema para quem já havia se adaptado a esse esquema. Embarcamos em Ipiales, com destino a Cali – a apenas 475 km de distância mas que, na prática, representam mais de 10 horas de viagem. A passagem no semileito da empresa Supertáxi havia custado COP 40.000 (o leito custava COP 60.000), o ônibus era bastante confortável e a noite foi tranquila. Difíc
  10. Fala, viajante!! No último post, saí de Otavalo um pouco triste, com aquele gostinho de quero mais. Mas a empolgação e ansiedade de estar prestes a conhecer Las Lajas foram suficientes para mudar meus sentimentos. Saiba tudo sobre esse santuário no post de hoje! Santuário Las Lajas (Ipiales, Colômbia) Ainda em Otavalo, tomamos um ônibus para Tulcán (por US$ 3,75) na Rodovia Panamericana – é importante deixar claro que não há ônibus entre o terminal de Otavalo e a cidade fronteiriça. Aproximadamente após de três horas e meia de viagem, desembarcamos no terminal de onde tomamos um
  11. Olá, Jamile! Durante minha passagem por esses países, não passei nenhum apuro. Tome os cuidados básicos e tenho certeza que vc terá dias incríveis!! Se precisar de alguma coisa, conte comigo. Obrigado pelos comentários e até mais!!
  12. Olá, Jamile! Durante minha passagem por esses países, não passei nenhum apuro. Tome os cuidados básicos e tenho certeza que vc terá dias incríveis!! Se precisar de alguma coisa, conte comigo. Obrigado pelos comentários e até mais!!
  13. Olá, partiutrip! Concordo, é muita tristeza em um ambiente só. Também visitei muitos memoriais, cemitérios e museus de guerra - principalmente na Alemanha e na Polônia -, onde o clima era "menos pior"... Mas, de qualquer forma, são lugares muito pesados.
  14. Fala, makiley! Sem dúvidas, um guia pode mudar completamente uma visita. E o mundo está cheio de bons guias - sorte nossa! Grande abraço.
×
×
  • Criar Novo...