Ir para conteúdo

Débora L Souza

Membros
  • Total de itens

    161
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

2 Neutra

Sobre Débora L Souza

  • Data de Nascimento 04-05-1991

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Brasil: Ibitipoca, Monte Verde, São Thomé das Letras, Chapada Diamantina, Itacaré, Gramado, Canela, Caxias do Sul, Tiradentes, Ouro Preto, Serra do Cipó, Rio Acima
    EUA: Orlando, Las Vegas, Grand Canyon, Horseshoe Bend, Yosemite, Mammoth Lakes
    Europa : Portugal, Alemanha
    Peru: Huaraz, Lima, Huacachina, Cusco, Machu Picchu
    Bolívia: La Paz, Uyuni, Copacabana
    Chile: San Pedro de Atacama, Santiago, Viña del Mar
  • Próximo Destino
    Passa Quatro, Visconde de Mauá Aiuruoca e Foz do Iguaçu
  • Meus Relatos de viagem
    Para mais fotos e info de viagens segue lá
    @oquetragonamala

    Relatos:
    Mochilão América do Sul Dez/2016: mochilao-de-20-dias-peru-bolivia-chile-muitos-perrengues-e-muita-historia-pra-contar-t140228.html
  • Ocupação
    Técnica em eletrônica
  1. Dia 10 - 19/12 - Chacaltaya, teleférico, Shopping, um pouco de choque de realidade e a (quase não) partida pra Uyuni! Para quem quiser ver mais fotos da viagem segue lá @oquetragonamala Acordamos cedo pra ir pro Chacaltaya e a van nos buscou no hotel. O trajeto até lá é longo, eles fizeram uma parada pra gente poder comprar alguma coisa pra levar mas a gente tinha levado, então nem descemos. Fizemos uma parada em uma laguna no caminho, uma paisagem incrível! O guia nos avisou que dali em diante a estrada era bem ruim. E era mesmo! Já tinha lido sobre essa estrada então já fui preparada, mas deu um certo nervosinho de ver o penhasco do lado da estrada mesmo estando preparada! Chegamos lá em cima e é realmente incrivel a vista de lá, mesmo com o tempo um pouco fechado estava muito bonito. De repente começou a nevar!! Como os meninos nunca tinham visto neve foi uma experiência incrível! Pagamos 15 bolivianos pra cada de entrada. No início eu e o Thiago não queríamos subir até o topo porque estávamos cansados demais e queríamos nos poupar pro Uyuni. Os meninos foram com o guia e a gente começou a subir bem devagar, bem devagar mesmo. Mas ai o frio apertou e descemos até uma casa abandonada que tem lá. Acho que essa casa era usada quando a estação de ski ainda existia. Esperamos por uns 40 minutos até o pessoal descer. Na volta o tour passa de novo no centro de La Paz pra ir ao Vale de la Luna, mas como não queríamos ir, pagamos os 23 dólares do passeio e eles nos deixaram pertinho do hotel por volta de 13:00. Tínhamos pensado em ir pra Miraflores mas conversei com Aletucs e ele disse pra gente ir no shopping pra dar uma olhada na parte mais rica da cidade e pra conhecer o teleférico. E foi isso que fizemos! Pegamos um táxi até a linha amarela e na linha amarela compramos os tickets pra linha amarela e verde só pra subir. Cada ticket custa 3 bolivianos. No total pra subir pagamos 12 bolivianos por casal. Descemos na estação iupawi e depois andamos um pouquinho até o Mega Center. O trajeto do teleférico em si já pode ser considerado um passeio. É muito legal ver a cidade lá de cima. E muito triste também. A desigualdade social fica bem evidente. O bairro que fica próximo ao shopping tem casas do tipo de revista! Nem parece o mesmo lugar que estávamos hospedados. Na época que fomos estava tendo racionamento de água, as pessoas estavam chegando a ficar 4 dias sem abastecimento de água. Na hora em que estávamos subindo, um caminhão pipa estava chegando em um bairro mais pobre e ver as pessoas correndo atrás dele e carregando baldes de água me fez repensar muita coisa da minha vida! Almoçamos no shopping e eu comi um hambúrguer que foi o melhor da viagem! O lugar chama Xpress, estava tendo a promoção do dia que era qualquer burguer do cardápio mais 6 coxinhas de frango mais um refri por 59 bolivianos! A comida dava pra dois mas o Thiago queria comer frango frito e pegou um combo no Pollo Copacabana por 25 bolivianos (vinha frango, refri e batatas). Agora vamos a parte que ele escreveu " e tá puto até hoje por não ter comido a porra do hambúrguer que tava bom pra carai! Ele só deu uma mordida do meu e tá arrependido até hoje de ter pego a porra do frango!! Frango come em casa carai!!!" Sacamos dinheiro no ATM pra terminar o tempo na Bolívia. Fomos no supermercado e compramos umas coisinhas pra levar pra Uyuni. A água de 2 litros nesse supermercado estava por 5,80 bolivianos. Eu comprei um secador porque o meu "estragou"(sim, ele não estragou de verdade mas eu só descobri depois e novamente o Thiago brigou comigo e novamente ele tinha razão). Comprei alguns pacotinhos de oreos (comemos muito oreo na viagem, deu pra perceber né) . No total deu 198 bolivianos. Pegamos um táxi pra voltar pro hotel por 40 bolivianos (20 por casal), não voltamos de teleférico por causa do horário do ônibus pra Uyuni. Sobre o ônibus pra Uyuni, eu tinha lido que era bom ligar antes pra confirmar o horário porque caso acontecesse de fecharem a estrada ou algo do tipo podia ter a saída antecipada. Então pedimos o recepcionista (que era super prestativo) pra ligar quando saímos de manhã mas falaram que ainda não sabiam e que era pra ligar mais tarde. Quando chegamos o outro recepcionista (mais sem vontade de ajudar) ligou mas não conseguiu falar. Resolvemos ir no horário marcado mesmo. Arrumamos nossas coisas e pagamos o hotel. 43 dólares pra cada casal. Fomos pro escritório da Todo Turismo a pé e chegando lá o cara disse que tinha más notícias! (pra variar novamente! ) Tinha um bloqueio na entrada de Uyuni e teríamos que andar até chegar lá. Ele disse que não podia dizer quanto teríamos que andar, porque não dava pra saber onde o bloqueio estaria quando a gente chegasse lá. Ele disse que podíamos cancelar a passagem e pegar o dinheiro de volta. Nós brigamos com eles por não saberem dizer o tanto que teríamos que andar, poderia ser 30 minutos ou poderiam ser horas! Mas se você ler na passagem está bem esclarecido que se algo impedir a viagem o empresa se isenta da culpa e pode devolver o dinheiro. Dadas as circunstâncias resolvemos ir. Embarcamos atrasados por causa da confusão e logo que saímos serviram o jantar. Arroz, frango e vegetais. A aparência estava ótima! Não comi porque estava com o estômago ruim. O ônibus é muito bom, a comida (segundo os meninos) estava boa, tem um banheiro que da pra usar, tem serviço de bordo o tempo todo, aquecedor, coberta e travesseiro. Valeu cada centavo investido! E assim partimos pro sonho de conhecer o Salar!! E mais uma vez não sabíamos o que estava por vir! Gastos do dia: Taxa no Chacaltaya: 30 bolivianos Passeio Chacaltaya: 23 dólares Teleférico: 12 bolivianos Almoço: 84 bolivianos Supermercado: 198 bolivianos Taxi: 20 bolivianos Hotel: 43 dólares
  2. Dia 9 - 18/12 - O dia em que deu (quase) tudo errado!!!! Para quem quiser ver mais fotos da viagem segue lá @oquetragonamala A viagem estava indo bem apesar do ônibus não ser muito bom e eu estar super apertada pra usar o banheiro. Pegamos a vista do nascer do sol em Puno e foi fantástico!! Quando de repente o ônibus parou no meio do nada na rodovia e o cara disse "Vocês dois de Copacabana ficam aqui!", na mesma hora perguntei pro cara que estava atrás de mim (ele parecia conhecer bem onde estávamos) se aquilo era Copacabana e ele disse que sim. Aí o cara do ônibus desceu com a gente e disse que em alguns minutos passaria um outro ônibus que levaria a gente pra fronteira e que um outro homem que estava lá ia acompanhar a gente. Não tínhamos muito o que fazer, então ficamos lá e o ônibus se foi e deixou a gente ali no meio do nada! Esse homem que ficou por lá com a gente fez umas ligações e disse que o ônibus ia demorar de 40 minutos a uma hora pra passar lá e que podíamos pegar um táxi se quiséssemos (por nossa conta é claro). Ele buscou um táxi e disse que era 15 soles, mas falamos que só tínhamos 10 (aqueles 10) e ele falo que tudo bem. Entramos no táxi e entrou um outro cara no banco do lado do motorista e fomos. Ficamos com medo nessa hora, o Thiago ficou distribuiu os dinheiros e o cartão nos bolsos (e ele normalmente não tem medo nessas horas) A fronteira não chegava nunca! Em uma parte do caminho o cara que tinha entrado pagou o motorista e desceu. Graças a Deus! Algum tempo depois chegou na fronteira, descemos e o motorista disse "20 soles", o Thiago falou que combinamos 10 e ele disse que era pra cada um! Falei pro Thiago não discutir, mas nem tínhamos dinheiro. Aí ele disse que ali do lado fazia câmbio. Trocamos uns dólares por 10 soles e o resto em bolivianos. A cotação foi 6,89 bolivianos por dólar e 3,30 soles por dólar. O taxista fdp foi embora e fomos pra imigração. Aí o cara da imigração me pede uma tal de tarjeta que eu recebi quando cheguei. Que tarjeta senhor!?!?!?!?!?!? Ele disse que no aeroporto algumas pessoas não pegam essa tarjeta mesmo, que isso tem acontecido muito ultimamente. Mas que podíamos ir num lugar lá do lado e imprimir. A moça cobraria um valor lá e poderíamos dar saída do país. Ele disse que se não quiséssemos podíamos pagar 20 soles cada pela reemissão da tarjeta ali mesmo (mais uma forma de pegar dinheiro dos turistas )! Fomos lá tentar imprimir e o pc não ligou. (sério mesmo gente?? que dia foi esse??) Então trocamos mais dinheiro no mesmo lugar e pagamos os 20 soles pra cada. Só preenchemos um papel e ele carimbou nosso passaporte e saímos. Os meninos foram de avião e não tiveram problemas com essa maldita tarjeta (que eles também não pegaram). PEGUEM A TARJETA GALERA! Entramos na Bolívia e fomos pra imigração. É tudo bem pertinho, não andamos quase nada! Pelo que eu entendi, quando se vai pra Copa de ônibus ele para ali e as pessoas fazem esse mesmo processo que fizemos. Antes da imigração tem a aduana, tinha um cara na porta e perguntamos se podíamos deixar nosso papel de aduana lá. Ele disse que o responsável do ônibus ia deixar lá. Aí falamos que não tínhamos ônibus e ele disse "como não?"! Nessa hora pensamos de novo que teríamos mais problemas!! Explicamos a situação pra ele achando que ele não nos deixaria passar mas ele deixou! (Obrigada Deus!) Fizemos a imigração e correu tudo bem! O pessoal da imigração na Bolívia é bem estressado e mal encarado mas não vi ninguém tendo problemas! O agente nem me perguntou nada! Só carimbou meu passaporte! Pegamos um táxi pra ir pro centrinho de Copa. São 8 km aproximadamente da imigração até lá. Pagamos 25 bolivianos. O que pegamos na verdade era uma mini-van que levava os locais, porque ali não é muito comum ter turistas sem ônibus. Mas perguntei o cara se ele podia levar só a gente (as vans vão lotadas! e estávamos mortos com mochilas enormes e pesadas) e ele topou. Acho que pra descer junto com os locais eram 2,50 bolivianos. Chegamos em Copacabana e compramos a passagem pra La Paz no bus turístico da TransTiticaca por 5 dólares pra cada. Lá eles tem uma sala pra deixar as mochilas. Dica: tente deixar sua mochila mais perto da porta num lugar mais estratégico pra ficar escondida mas fácil de pegar depois que a sala encher de outras mochilas. Nós deixamos as nossas quando ainda estava bem vazio e colocamos lá no fundo, atrás de um monte de bolsa pra tentar dar uma escondida nelas, e foi um sufoco pra pegar elas na hora de sair, quando tinham umas mil mochilas lá! Subimos o Cerro Calvário e valeu muito a pena mesmo estando exausta!! É bem cansativo subir, acredito que até se não estivesse tão cansada seria. Mas a vista lá de cima é surreal! O Titicaca é enorme! Você não consegue ver o fim! Parece até que é o mar! Descemos e almoçamos num restaurante bem bonitinho. Acho que chamava Jardim de Copacabana. O menu era 20 bolivianos e aí negociamos pra 35 pra dois sem a entrada porque íamos pegar o bus e não queríamos comer muito. Pedimos uma jarra de limonada por 17 bolivianos. A conta ficou em 52 bolivianos. Aproveitamos uma tomada do restaurante pra carregar o telefone! Pegamos o bus de 13:30 e fomos pra La Paz. Se antes eu comentei sobre a segurança dos ônibus da Cruz del Sur, na Bolívia esqueça qualquer questão de segurança. Tinha um menininho solto lá na frente, parecia ser parente do motorista, e ele ficava andando pra lá e pra cá e ficou sentado no painel do ônibus! Em um ponto o ônibus tem que atravessar o Titicaca de balsa e nós atravessamos em um barquinho e pagamos 2 bolivianos pra cada. A travessia de pessoas é bem mais rápida que a dos carros, então ficamos lá um bom tempo esperando o ônibus. Tem várias barraquinhas com comidas e outras coisinhas do outro lado. Comprei um lencinho por 2 bolivianos. Chegamos umas 18:00 na rodoviária de La Paz. Pegamos um táxi por 15 bolivianos. Era perto, bem perto mesmo, e dava pra ir a pé mas eu tava muito cansada, agora eu devo R$7,50 pro Thiago porque ele queria ir a pé e brigou comigo. Ele tinha razão porque não deu nem 2 minutos de corrida(acho que não deu nem 1!). Ficamos no Hotel Avenida. Pegamos um quarto pra 4 pessoas e pagamos 86 dólares pra duas diárias. Ou seja, um total de 43 pra cada casal (21,50 a diária). Os meninos já estavam lá e não tinham conseguido mandar a roupa pra lavar (eles tinham levado nossa roupa suja). Eles fecharam o Chacaltaya por 23 dólares o casal. Era domingo e as agências estavam quase todas fechadas então não deu pra pechinchar muito. O passeio incluía o Chacaltaya e o Vale de la Luna, mas nós queriamos fazer só o Chacaltaya mesmo. Tomamos um banho e fomos comer alguma coisa. Fomos a pé até o English Pub, porque já tinha gastado minha cota de táxi do dia (Sorry Thiago). Comi um hambúrguer, era bem grande mas não estava tão bom quanto eu esperava, o pão estava seco e a carne bem passada demais, mas não posso dizer que estava ruim. Mas lá tinha Carlsberg então tudo bem (foi o Thiago que escreveu essa parte!! Ele ama essa cerveja) . A conta ficou em 306 bolivianos pra nós 4. Pedimos 2 refris, 2 cervejas, um suco, 3 hambúrgueres e um Steak. Esse valor é alto pro padrão Bolívia, mas se for pensar em reais pra comer aqui não foi caro. O ambiente é bem legal e posso dizer que valeu a pena. A garçonete chamou um táxi pra gente e pagamos 30 bolivianos até o hotel. Chegando lá lavei umas roupas que secavam rápido na pia (tinha um aviso no quarto que falava que não podia mas fingi que não vi ). Sobre o Hotel, é bem localizado pra quem está chegando de ônibus e pra quem como a gente ia pegar o ônibus no outro dia pra Uyuni pela TodoTurismo, porque da pra ir a pé pra lá. Mas não fica numa parte muito bonita da cidade não. As camas são boas, tinha café da manhã incluso razoável, chuveiro bom e a internet era ok. Gastos do dia: Taxi até a fronteira: 20 soles Tarjetas: 40 soles Taxi até Copacabana: 25 bolivianos Passagens para La Paz: 10 dólares Almoço: 52 bolivianos Travessia do Titicaca: 4 bolivianos Lencinho: 2 bolivianos Taxi rodoviária: 15 bolivianos English Pub: 153 bolivianos Taxi pro Hotel: 15 bolivianos
  3. Dia 8 - 17/12 - Machu Picchu!!! Para quem quiser ver mais fotos da viagem segue lá @oquetragonamala Acordamos às 4:00 para o tão esperado dia de subir Machu Picchu! Tinha café no hostel mas era bem ruim então nem comemos nada. Chegamos na fila para pegar o ônibus as 5:10 e já estava lotado!! Compramos a subida e a descida do ônibus por 24 dólares pra cada. Existe a possibilidade de economizar um pouco aqui e fazer a trilha mas preferimos fazer de ônibus porque já íamos fazer a trilha pra subir a Huayna. Existe também a possibilidade de comprar só um trecho (ida ou volta) e fazer o outro pela trilha o que também já ajuda na economia. Tirei uma foto da tabela de preços pra dar uma ajudinha pra vocês. As passagens podem ser compradas com antecedência ou no próprio dia da subida, compramos no dia porque no dia que chegamos já estava fechado e foi super de boa. Enquanto um comprou as passagens os outros guardaram lugar na fila. É sempre bom guardar lugar na fila porque é por ordem de chegada e ela enche absurdamente rápido! (Não sei como os preços estão agora, essa foto foi tirada em dezembro do ano passado) Pegamos o ônibus e não entendi se sempre funciona assim mas ele não andou quase nada com a gente e parou em uma pontezinha onde tivemos que descer e trocar de ônibus. Quando chegamos lá em cima fomos ao banheiro, só tem banheiro ali na entrada e você não pode sair mais de duas vezes de lá de dentro, então aproveite para usar nesse momento, o valor pra usar é de 1 sol e não estranhe mas os banheiros feminino e masculino são praticamente juntos. Finalmente entramos no parque e fomos seguindo as plaquinhas pra Huayna Picchu, nós compramos a entrada entre 7:00 e 8:00. O problema é que pra ver o sol nascer a gente deveria ter ido pelo outro caminho mas nem nos tocamos disso!! Perdemos o nascer do sol!! E depois vi uma foto de um menino que estava lá nesse dia e foi lindo! Motivo pra voltar depois!! Chegamos na entrada da Huayna antes das 7:00 e já tinha uma filinha mas não ficamos lá, afinal pra que fila se todos vão entrar né!? Sentamos em um espaço ao lado da entrada onde tem uns bancos e fomos comer finalmente! Comemos os biscoitos que tínhamos comprado na noite anterior e umas barrinhas que levamos do Brasil. A entrada abre as 7:00 e rapidinho a fila se desfaz, na entrada você precisa preencher seus dados e a hora que começou a subir. É importante saber que se você comprou a entrada das 7:00 as 8:00 não chegue depois das 8:00 porque você não vai entrar! Gastamos 2:30 entre a subida, aproveitar o topo e a descida. A subida não é fácil, é toda feita de escadas, então se você tiver alguma dificuldade melhor não tentar, afinal uma hora direto subindo escadas não é fácil. A descida também não é fácil, força bastante o joelho! Mas se valeu a pena? Com certeza! Faria de novo sem sombra de dúvidas! A vista lá de cima é muito bonita! Mas vai muito de gosto, meus amigos por exemplo acharam que não valeu o esforço. Depois de sair da Huayna você tem que sair do parque e entrar de novo pra poder ter a vista das fotos clássicas. (Nessa saída carimbamos o passaporte!) Lembrando que só pode sair e entrar duas vezes. Eu queria ter feito o tour guiado, mas como meus amigos não queriam não quis ser a chata! Mas super aconselho que seja guiado porque sem guia eu me senti um pouco perdida lá dentro, sem saber o significado das coisas e a história por trás daquilo tudo. Motivo pra voltar 2! Conclusão da visita a Machu Picchu é que é um passeio bem cansativo, vá preparado e disposto a andar e subir e descer escadas como nunca antes na vida! Mas é um lugar incrível, mágico, místico, surpreendente, fascinante!! E muitos outros adjetivos que não cabem pra descrever esse lugar! Quero voltar novamente, fazer a trilha Inca e explorar mais!!!! Fomos embora as 13:00 porque a Stela não tava se sentindo bem. Almoçamos em um menu de 15 soles com bebida. Comi sopa de tomate de entrada e macarrão com alho e estava muito bom mas não sei o nome do restaurante. A Stela passou muito mal, nem conseguiu comer, então fomos esperar nosso trem na estação. Pegamos o trem das 16:43. Chegamos em Cusco quase na hora do nosso ônibus pra Copacabana sair. Quase na hora mesmo! Quase não deu tempo de voltar no Hostel! Dentro da estação onde desembarcamos em Cusco (fica um pouco longe do centro) tinham vários taxistas e estavam cobrando 35 soles, não aceitamos e saímos. Lá fora tinham muitos também e pediram 30 mas o Thiago disse "Pago 20!" e saiu sem dar ideia pra nenhum deles! Até que um falou que aceitava, aí outro e mais outro. Por isso sempre falo pra não aceitar os valores de primeira! Sempre negocie! Afinal ali já estava tarde e eles já estavam encerrando o turno, voltar pra casa sem ninguém é pior que receber menos né! Fomos com o primeiro que falou que aceitava os 20. Chegando no hostel e perguntamos quanto ele cobrava pra esperar a gente pegar as malas, jogar uma água no corpo e levar a gente no terminal de ônibus, e ele cobrou mais 10 soles. No hostel perguntamos quanto era o banho e falaram que era 10 soles mas negociamos (de novo!) e fechamos os dois banhos por 14 soles. Nunca tomei um banho e me arrumei tão rápido na vida! A viagem até Copa era longa e eu não queria ir do jeito que eu estava depois de andar em MP o dia todo!! Chegamos lá no terminal as 21:20 e o cara disse que nosso ônibus tinha trocado porque íamos direto pra Copacabana e ele sairia as 22:15. Mas as 22:00 ele me chamou, trocou meus assentos e colocou a gente num ônibus que estava indo pra La Paz e disse que iriam deixar a gente lá em Copacabana. No terminal precisamos pagar uma taxa de 1,30 soles por pessoa. Tinham 2 loja que faziam câmbio no terminal. A cotação do dólar era muito ruim 3,10. Fomos comprar algo pra comer e o pacotinho pequeno de oreo estava 1 sol, mas só tínhamos uma nota de 10 soles e 60 centavos. Não queríamos gastar os 10 soles pra se caso precisasse de algo até chegar na Bolívia (e precisou!) Falamos com a moça da loja não tínhamos dinheiro mais, que só tínhamos dólar e 60 centavos de sol ai ela vendeu um pacotinho de oreo por 60 centavos. Queríamos mais, mas não aceitavam dólar. Fomos tentar trocar 2 dólares pra comprar mais alguns pacotinhos. Mas não aceitaram notas pequenas no câmbio, teve uma pessoa que fingiu que eu nem existia! A outra casa falou que tinha encerrado. Uma mulher disse que pagava 2,50 soles em cada dólar!!!! Falei que não, e fomos só com um oreo mesmo. Que nem comemos. O ônibus era velho, bem sujo e o banheiro não tinha condições de usar. Mas as poltronas eram tipo bus cama, com 3 fileiras só (2 poltronas juntas e outra sozinha), então era mais espaçoso e bom pra dormir. Dormi quase a noite toda! Nem imaginava a encrenca que estávamos nos metendo! Gastos do dia: Ônibus: 48 dólares Banheiro: 1 sol Almoço: 30 soles Taxi: 20 soles Oreo: 0,60 soles Taxa na rodoviária: 2,60 soles
  4. Oiiiiii!!! Super sumi! Desculpa a demora! Mas eu não sei o valor exato não porque comprei todas juntos, mas lembro que valia a pena exatamente por essas horas todas de ônibus! Vou tentar escrever um pouco mais essa semana!!!! Sorryyyyyy
  5. Oiii!! Ja ta quase no dia da sua viagem e eu dei uma super sumida aqui ne! To fazendo o planejamento de uma outra (longa!) viagem mas vou tentar escrever um pouco por aqui esses dias. Mas não vai ser muito pq eu viajo na semana que vem ja Espero que as próximas infos ajudem vocês e que façam uma ótima viagem! Obrigada pelo feedback e desculpa a demora!
  6. Dia 7 - 16/12 - A caminho de Machu Picchu conhecendo o Vale Sagrado dos Incas! Para quem quiser ver mais fotos da viagem segue lá @oquetragonamala Acordamos cedo e fomos pra Plaza de Armas pra começar o passeio do Vale Sagrado. O horário de saída do passeio é as 08:30 em frente a agencia. Fomos em um micro ônibus e a primeira parada foi numa feirinha bem pega turista, aproveitei só pra usar. banheiro porque sabia que não teria outro tão cedo. Paguei 1 sol pra usar o banheiro e nesse valor está incluso" um pedaço de papel. Depois fomos para Pisac, lá compramos os boletos turísticos por 70 soles cada. Dica importante: LEVE SOLES PRA COMPRAR SEU BOLETO TURÍSTICO! Tem como trocar dinheiro lá, mas as pessoas são espertas e é obvio que eles cobram sua alma pela troca! É possível comprar esse boleto em Cusco, mas nos esquecemos que precisávamos comprar. E não levamos soles, então tomamos uma facada na troca do dinheiro. Sobre o boleto turístico, existem vários tipos, para quem fica mais tempo e pra quem fica menos.O boleto turístico integral, por exemplo, vale por 10 dias para várias atrações e custa 130 soles. O boleto parcial, que foi o que compramos, vale por 2 dias para Chinchero, Moray, Ollantaytambo e Pisac e sai por 70 soles. Esse parcial tem que ser comprado no dia do passeio porque é carimbado com a data! Ficamos em Pisac uma hora e meia e depois fomos almoçar em Urubamba. Não compramos o passeio com a refeição (tinha opção sem refeição e duas opções com almoço em restaurantes diferentes). Primeiro o ônibus parou no restaurantes mais caro e mesmo quem não tivesse comprado com a refeição podia descer e pagar a parte. Depois fomos pro restaurante mais barato e funcionava do mesmo jeito. Nesse mais barato o menu era 25 soles pelo Buffet (comida a vontade). Negociamos no restaurante e comemos por 15 soles (desde que não contássemos pra ninguém!). Compramos dois refris e ficou 35 soles pra cada casal. A comida não era muito boa mas estávamos com fome então foi ótimo. Depois fomos pra Ollantaytambo, chegamos lá por volta de 15:30. O guia mandou quem fosse ficar por lá descer com as malas e tinha uma barraquinha que guardava as malas e cobrava uma propina. Pagamos 1 sol. Esse valor não é fixo, então vale negociar também. O guia explicou sobre a história de Ollanta, e eu gostei muito dessa parte, a história toda é realmente incrível!! Ollanta é um lugar lindo com uma energia surpreendente! Ollanta foi o lugar que eu mais gostei! Depois do tour pelas ruínas fomos pra praça esperar o horário do trem. É um lugar bem bonitinho! Tomamos um chocolate quente por 5 soles e usamos o Wi-Fi. Trocamos dinheiro na cotação de 3,30. Não trocamos numa casa de cambio, mas a maioria dos mercadinhos, lojas e restaurantes lá trocam dinheiro, o que é bom pra negociar mais. As passagens de trem saindo de Ollanta para Águas Calientes são mais baratas que de Cusco, então muita gente compra essa passagem de trem e vai até Ollanta com o passeio do vale sagrado. O pessoal das agencias já está acostumado com isso, então é só avisar que vai ficar lá antes de sair de Cusco. E na minha opinião é uma forma de aproveitar melhor a viagem pra Águas Calientes. Tinha a opção de trem perto das 16:00, mas como queríamos conhecer bem Ollanta pegamos um que era por volta de 19:00. Uma coisa que esqueci de falar é que se compra a passagem pela internet mas as passagens tem que ser retiradas em um ponto fisico. Quando se efetua a compra tem as opções de lugares para retirada. Nós retiramos no aeroporto e foi super rápido. Fomos para a estação e embarcamos pra Águas Calientes! Quando estava quase chegando o trem estragou e tivemos que andar pela linha a noite e no frio! (quando você acha que nada mais vai acontecer!) Chegamos às 20:40. Fomos pro hostel e o Thiago foi dormir pra ver se melhorava pra subir a Huayna no outro dia. Nosso hostel foi o Hostal Amaru Backpackers, a diária em um quarto pra nós quatro com banheiro privado foi 50 dólares (25 por casal). Tinha café da manhã que começava bem cedo mas não gostamos. O quarto era muito bom! Eu e os meninos fomos procurar um lugar pra comer e negociamos um menu por 10 soles mais uma coca grande que dividimos e ficou 4 sol pra cada. Compramos mais 10 comprimidos de Sorojchi Pills por 25 soles (12,50 pra cada casal) e água e biscoitinhos pra levar pra Machu Picchu por 26 soles (13,00 pra cada casal). Fomos dormir pra acordar cedo e tentar ver o sol nascer em Machu Picchu! Gastos do dia: Banheiro: 1 sol Boleto Turistico: 70 soles cada Almoço: 35 soles Propina (malas): 1 sol Chocolate quente: 5 soles Jantar: 14 soles Sorojche Pills: 12,50 soles Lanches para MP: 13 soles
  7. Chamonix e Alpes - Perguntas e Respostas

    Oi pessoal! Estou programando uma viagem a Chamonix e to querendo saber se eu conseguiria subir o Le Brevente e ir ao Mer de Glace na época que eu vou. Eu vi algumas informações no site e não entendi direito. Minhas datas são de 06/10 a 08/10. Obrigada!
  8. Huaraz é mais alto mesmo. Bom, quando eu programo o roteiro eu penso mais na logística de transporte, onde vou estar e pra onde é mais fácil de ir desse lugar. Tento sempre deixar deslocamentos menores possível. Eu fui em Huaraz primeiro e ainda sim senti os efeitos da altitude em Cusco , então isso depende muito. Mas se vc tiver um tempo bom lá, faça outros passeios a mais do que eu fiz antes da Laguna 69, acho que ajudaria.
  9. Qual aplicativo utilizado. Parabéns pelo relato. Maria Emília Obrigada Esse é um filtro do Snapchat.
  10. Oi! Não sabia te responder sobre a parte de acampar então entrei em contato com Scheler e ele me explicou que é possível acampar sim. Sobre fazer sem o guia ele disse que pode fazer, mas como vc viu no relato o parque é longe de Huaraz, então vc teria que tentar arrumar um transporte pra ir pra lá e segundo ele esse transporte sairia mais caro que a guiada. A trilha é bem demarcada, então vc poderia fazer sem guia, mas realmente a parte de chegar no começo da trilha seria mais complicado. Sobre o tempo que eu demorei, saímos do hostel as 5:20 e chegamos no começo da trilha as 9:40 (fizemos algumas paradas) demorei mais ou menos 3:30 horas pra subir, ficamos lá uns 40 minutos e demoramos quase 3 horas pra descer. Eu fiquei tão exausta que não lembrei de olhar o horário que chegamos de volta no começo da trilha, mas acho que foi por volta de 17:00 e chegamos em Huaraz novamente as 19:30.
  11. Os passeios como agendou? Agência? onde entrou o tal do Scheler?rsrs Oi! A tarjeta de entrada no Peru vc pega no aeroporto. Como tem algumas pessoas que entram com identidade, eles dão um papel falando que vc entrou por ali, o dia que entrou e tal. Mas como eu fui com passaporte, a pessoa só carimbou ele e não me deu nada. Se vc for sair pelo aeroporto eles não costumam pedir esse papel (não pediram pros meus amigos que saíram do Peru pelo aeroporto) mas como eu sai por via terrestre tive problema com isso. Você pega esse papel quando passa pelo controle (imigração) do aeroporto. Não tem como não passar por eles pra sair do aeroporto. É onde eles conferem seus documentos, carimbam passaporte e tal. Os passeios de Huaraz eu fechei com o Scheler pelo facebook. Ele tem o hotel e uma agencia. Mas se vc tiver tempo pra fechar lá é melhor, sai mais barato, mas eu só tinha dois dias lá. Eu fechei com o Scheler mas no fim nem fui com a agencia dele, ele passou a gente pra outra agencia.
  12. Machu Picchu - Perguntas e Respostas

    Normalmente os hostels já estão acostumados com o pessoal deixar a mochila. No meu caso nem cobraram nada pelo serviço. Quando eu fiz eu comprei o trem de mais tarde pq queria aproveitar Ollanta. Mas eles já sabem que tem gnt que faz isso então ja chegam lá num horário pras pessoas com esse trem das 16:00. Na minha van tinha um casal com esse trem desse horário, a unica diferença foi que eles não fizeram o passeio guiado por Ollanta, o guia deixou eles la e falou pra eles conhecerem sozinhos e mostrou onde era a estação de trem. Deu tempo deles andarem ainda por Ollanta um pouco antes do horário do trem. Que eu saiba todos os passeios saem no mesmo horário de cusco, saem de manhã, mas como fazem as paradas chegam em Ollanta mais tarde, quando eu fiz chegamos la por volta das 15:30. Se vc quiser te indico a agencia q eu fiz. Não era das melhores mas saiu por 22 reais por pessoa. E eles ainda trocaram alguns soles pra gnt na cotação de 1 pra 1. Só te lembrando que você vai precisar comprar o boleto turístico por 70 soles pra fazer esse passeio. Entendi. Muito obrigado pelas informações e se indicar a agência também me ajuda bastante! Desculpa a demora! Custei achar o recibo pra ver o nome da agencia. Chama Chaski Peru trek. Tai o recibo. Bom que tem até o horário de saída de Cusco. 8:30! Deu 88 Soles pq compramos pra 4 pessoas.
  13. Dia 6 - 15/12 Cusco! Para quem quiser ver mais fotos da viagem segue lá @oquetragonamala Acordamos cedo e fomos pro aeroporto porque o voo dos meninos era mais cedo e íamos tentar adiantar o nosso. Conseguimos adiantar mas pagamos 30 dólares pra cada passagem Mas foi bom pra chegar mais cedo em Cusco. No fim o voo atrasou, o tempo não estava muito bom, e chegamos umas 10:30. Quando chegamos estava chovendo e fazendo bastante frio. Tinham vários taxistas e cobravam na faixa de 35 - 40 soles até a plaza de armas. Negociamos e fechamos por 25 soles até o hostel, mas o filho da p** do taxista deixou a gente na plaza e disse que o hostel era perto e que tinha que deixar a gente ali porque não podia virar na rua. Mas o hostel era bem longe! E dava tranquilamente pra ele chegar la de carro! Andamos horrores (o que na altitude não é nada fácil) e enfim achamos o hostel. Nosso hostel foi o Ukukus Hostel e custou 22 dólares a diária em quarto de casal com banheiro privado. Gostamos do hostel, eles guardaram nossas mochilas pra irmos pra Machu Picchu sem cobrança e deixaram a gente tomar banho antes de sair no dia que chegamos de Machu Picchu e fomos pra Copacabana. Andar por Cusco é uma experiência muito da hora, mas a todo tempo tem pessoas te ofercendo coisas (trocar dinheiro, lembrancinha, comida, passeio, massagem) que se torna um pouco chato. Não é possível andar 3 metros sem que alguém te aborde oferencendo alguma coisa! Mas, tirando isso, é um lugar incrível!! Reservamos quarto de casal mas não tinha disponível e colocaram a gnt em um quarto compartilhado só pra gente. Eu e Thiago em um quarto que era pra umas 6 pessoas e Rafael e Stela em outro. Tomamos um banho e fomos almoçar e andar pra conhecer a cidade. Achamos um restaurante que não tinha nome na Plaza de Armas, negociamos e conseguimos o menu por 15 soles pra cada com limonada. Pedimos mais 2 refris por 5 soles cada e a conta ficou 70 soles, 35 por casal. A comida não era muito boa então nem fiz muita questão de saber o nome do restaurante não (sorry). Mas na Plaza de Armas tem muitas opções! inclusive um MCdonalds! Passamos numa farmácia e compramos mais 10 Soroche Phills por 19 soles e dividimos com os meninos (compramos agua também, mas não lembro o valor). Os meninos foram no templo Quochincha, mas não entramos porque era 15 soles a entrada e não nos interessava muito. Marcamos um lugar pra encontrar e fomos andar por Cusco, mas a chuva apertou e paramos em uma farmácia pra ver se diminuía um pouco. Na hora que sentei senti muita dor de cabeça e comprei um paracetamol, 10 comprimidos por 6 soles. Mesmo ja estando há um tempo na altitude ainda sentimos bastante os efeitos do Soroche. De repente o céu abriu (abriu mesmo! com um solzão!) e fomos pra Plaza de Armas, tiramos algumas fotos com céu mais aberto e fez muita diferença . Aletucs tinha me falado de um doce chamado chocotejas que vendia no cacau museu. Tentei achar mas não consegui, vi uma loja de doces que vendia e comprei duas por 6 soles. Achei muito bom! Depois achei a loja certa e comprei mais uma chocoteja e um bombom de oreo por 5,5 soles. E era muito melhor que a outra que eu tinha comprado! Encontramos os meninos e fomos pro mercado San Pedro. Um lugar estranho mas bem legal. Lá se vende de tudo! Comida, roupas, toucas, luvas, artesanato, tudo!! E é outro lugar cheio de cachorros! Não é um lugar muito higiênico, não arrisquei comer nada por lá, mas mesmo assim a visita é super valida! Dá pra comprar lembrancinhas pra família toda! (ou não! hahaha) Fomos na Plaza de Armas fechar o pacote do passeio do Vale Sagrado e a passagem pra Copacabana. Fechamos na agência Chaski Peru Trek por 22 soles pra cada, mas o cara deixou pagar em reais no câmbio de 1 pra 1 Fechamos o ônibus pra Copacabana também por 80 soles. Ainda trocamos um dinheiro nesse mesmo lugar, 1 dólar para 3,39 soles e 0,98 real para 1 sol. Pedi as passagens pela Tranzelia (uma dica do Aletcus) mas quando fui buscar o cara da agência tinha comprado pela Trans Salvador , não tinha tempo de discutir e tinha lido que essa era uma boa empresa então ficamos com as passagens. (Dá pra ir até a rodoviária e comprar as passagens direto com a empresa, mas como estávamos sem tempo comprei na agência.) Comemos uma pizza no Tratoria Adriano. Duas pizzas, uma jarra de limonada e duas cervejas por 78 soles, 39 soles por casal. Voltamos pro hostel e o Thiago passou muito mal. Muito mesmo! Não sabemos se o motivo foi a pizza, a cerveja ou a altitude (ou uma mistura disso tudo), mas ele vomitou a noite inteira! Gastos do dia: Adiantar as passagens pra Cusco: 60 dólares Taxi: 12,50 soles Almoço: 35 soles Soroche: 9,50 soles Paracetamol: 6 soles Chocolates: 11,50 soles Vale Sagrado : 44 reais Passagem Copacabana: 160 soles Pizza: 39 soles
  14. Primeiro quero pedir desculpa pela demora, estava viajando e quando voltei o trabalho estava num ritmo acelerado (ainda ta ). Mas vou tentar terminar o mais rápido possível! Dia 5 - 14/12 – Perrengue para sair de Ica e conhecer a capital do Peru! Para quem quiser ver mais fotos da viagem segue lá @oquetragonamala Acordamos às 4:30 pra tentar conseguir a passagem pra Lima as 6:00. A recepção do hostel chamou um táxi pra gente e ele cobrou 10 soles até a Cruz del Sur. Chegamos no terminal e compramos a passagem e na hora de pagar não aceitava cartão!!! Ficou 80 soles e tínhamos apenas 40 e mais alguns dólares e não aceitavam dólares também. Perguntamos pra todo mundo que estava no terminal se trocavam os dólares pra gente e ninguém queria trocar e não tinha nada perto que pudéssemos trocar. Nessa hora tentei manter a calma, mas foi difícil. Uma moça chegou e eu perguntei ela se podia trocar pra mim. Ela disse que o cunhado dela estava chegando e que ele trocava. Mas não coloquei muita fé no que ela falava e continuei perguntando todo mundo. Depois de muito tempo ela me chamou e disse "vocês estão muito desesperados, mas não sei se posso confiar em vocês."! Eu entendo essas pessoas, é complicado você aceitar dólar de uma pessoa que você não conhece, a chance de ser dinheiro falso é grande. Mas olhei pra ela com minha melhor cara de dó e pedi por favor!! Ela não resistiu é claro. Hehe Ela trocou 14 dólares por 40 soles e compramos a passagem. Pegamos o ônibus as 6:00 e eles serviram café da manhã, pão com queijo e um pedaço de bolo e para beber refri e café. Novamente o ônibus era muito bom, limpo, confortável, comida gostosa e segurança antes do embarque. Chegamos no terminal da Javier Prado umas 11:30 e fomos procurar um taxi. Os taxistas da porta tinham preços tabelados e não anotei quanto paguei e não consigo me lembrar. Chegamos no Hotel Paris Lima meio dia e fomos tomar banho e tentar falar com os meninos. O hotel é bem bacaninha. Pagamos 25 dólares, quarto de casal com banheiro privado. Combinamos de encontrar com os meninos no hotel depois do almoço e ir para Miraflores. Almoçamos num restaurante na praça San Martin um menu por 15 soles e uma pilsen por 12 soles. O restaurante chama Rockasbar, a comida estava bem gostosa e bem servida e ainda ganhamos sobremesa de cortesia. A conta deu 42 soles. Essa praça onde fica o restaurante é bem bonita e tem vários restaurantes legais pra todos os níveis de viagem. Fomos na Plaza de Armas mas estava fechada por causa de uma manifestação então fomos encontrar os meninos. Fomos pro hotel para eles tomarem um banho e pegamos um uber pra Miraflores. Quando o uber chegou, para nossa surpresa, era um táxi. Ficamos meio sem entender se tava certo mas a placa batia com a do app e fomos. Foram 14 soles e dividimos para 2 casais. Em Miraflores fomos para o Parque del Amor, queríamos ir ao shopping Larcomar mas estava fechado por causa de um incêndio que havia ocorrido. Fomos ver o pôr do sol no restaurante La Rosa Náutica, o restaurante é bem chique e caro, mas não é preciso entrar no restaurante para ver o pôr do sol, eles permitem que as pessoas fiquem em uma passarela de madeira na entrada do restaurante e o lugar rende fotos lindas, o restaurante fica no mar, coisa marlinda! Na volta passamos em um Dunkin' Donuts e compramos 6 donuts por 15 soles e dividimos por 2 casais. Uma breve pausa pra falar que eu e o Thiago, mais ele que eu, somos apaixonados por Dunkin' Donuts! Vocês vão ver isso mais pra frente. Pegamos um taxi até o hotel e ficou em 15 soles dividido para 2 casais. A noite fomos comer no restaurante Estadio. O restaurante é um pouco caro mas vale a pena. O ambiente é temático sobre futebol, inclusive tem uma estátua do Pelé! Pedimos 3 sanduíches, um lomo saltado, uma jarra de limonada e 2 cervejas, tudo muito bem servido. A conta ficou 38,53 dólares, 19 dólares pra cada casal. Voltamos a pé pro hotel e fomos dormir porque tínhamos um voo bem cedo no outro dia pra Cusco. Gastos do dia: Taxi: 10 soles Passagem pra Lima: 40 soles + 14 dólares Taxi: não lembro (Sorry ) Hotel: 25 dólares Almoço: 42 soles Uber : 7 soles Donuts: 7,50 soles Táxi: 7,50 soles Jantar: 19 dólares
  15. Oi! Nao sei exatamente qual foi o gasto total. Mas vc pode falar o que pretende fazer que eu tenho os valores dos passeios anotados.
×