Ir para conteúdo

anselmoportes

Membros
  • Total de itens

    200
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    2

anselmoportes venceu a última vez em Julho 7 2018

recebeu vários likes pelo conteúdo postado!

Reputação

168 Excelente

8 Seguidores

Sobre anselmoportes

  • Data de Nascimento 21-03-1979

Bio

  • Ocupação
    Publicitário

Outras informações

Últimos Visitantes

1.962 visualizações
  1. @Meigan Heber Franzmann Ah, sim. Não me atentei ao fato que vc já tinha saído.
  2. @Meigan Heber Franzmann Em 2018 fiz o caminho inverso: entrei na Argentina vindo de ferry pelo Uruguai e não carimbaram a minha entrada. Na hora de deixar a Argentina com destino ao Chile não deixaram eu embarcar no ônibus pq não tinha o carimbo de entrada. Sendo assim, não poderia sair do país. Perdi um dia tentando resolver a minha situação, mas consegui. Contei isso nesse relato: Boa viagem.
  3. @Belinha T. Caso considere ir até Praga, tem ônibus da Regio JET com destino à Cesky Krumlov. Custa CZK 390 e a viagem dura umas 3 horas.
  4. @Eduardo C Costa Em Janeiro de 2004 eu peguei um trem de Veneza para Zurique, na Suíça. Tinha cabine com cama e foi uma viagem muito confortável. Sem contar que o trem passa pelos Alpes Suíços o que te proporciona uma vista incrível. Só que como faz muito tempo não sei se ainda existe essa rota. Mas vale a pena pesquisar. Boa viagem!
  5. NEW YORK CITY - 1a PARTE 23º dia de viagem: Philadelphia -> New York City, 9 de Junho de 2019 (domingo) Trem pela 162 Northeast Regional - USD 44 Acordei 7h, arrumei minhas coisas, me despedi do Bharat e saí 7h15. Cheguei à estação 30th Street às 7h25. O trem saiu às 8h15 e 9h45 estava chegando em NY. A estação de Pennsylvania Station é enorme e tem de tudo lá: lojas, lanchonetes, restaurantes, etc. Comi um sanduíche de ovo com queijo e tomei um cappuccino (USD 10). Fui para o metrô e comprei o passe ilimitado válido por 1 semana (USD 33) ***Dica: Se você for ficar pelo menos uns 4 dias em NY (menos que isso acho que não vale a pena), aconselho muito a comprar este passe de metrô. Apesar de antigas, as linhas metroviárias te levam para praticamente todos os cantos da cidade e te faz economizar um bom tempo uma vez que o trânsito dela é infernal. Quem me hospedou lá foi um casal de amigos que eu havia hospedado pelo Couchsurfing quando morava em SP. Hj o Jesse e a Shannon moram em um incrível bairro na ilha de Manhattan chamado UPPER WEST SIDE. Apesar de não fazerem mais parte do CS, assim que ficaram sabendo que eu ia para NY fizeram questão de me receber. Quando cheguei à casa deles, fui recebido pela simpática Connie, mãe da Shannon que mora no andar de baixo. Meus amigos estavam na igreja, então deixei minha mochila e saí para conhecer o CENTRAL PARK, que ficava menos de uma quadra de lá. CENTRAL PARK Primeiro passei pelo JACQUELINE KENNEDY RESERVOIR, um lago situado bem no meio do parque. Em volta dele há uma pista onde várias pessoas caminham e corriam. Passei também pelo DELACORTE THEATER e a TURTLE POND. Conheci também o belo SHEAKESPEARE GARDEN e a SWEDISH COTTAGE. Segui caminhando até o STRAWBERRY FIELDS, onde há o memorial IMAGINE, para o John Lennon. Fazia muito calor e o céu estava aberto, então havia muitos turistas lá. Com muito esforço consegui tirar uma foto. IMAGINE Deixei o Central Park e peguei o metrô na 72th St. e voltei à Penn Station. De lá fui para o HUDSON PARK, onde se encontra o THE VESSEL: um prédio em forma de colméia com várias escadas que parecem uma obra do ESCHER. Tinha sido inaugurado em março daquele mesmo ano, então estava cheio de turistas. A entrada é gratuita, mas vc tem que pegar uma senha: peguei uma para entrar às 15h50 e era 13h30. THE VESSEL Logo ali atrás do The Vessel tem a HIGH LINE, que são trilhos de trem que foram desativados e transformaram num enorme passeio com alguns pequenos parques. É um passeio que vale muito a pena! Vc passa entre vários prédios da cidade e pode contemplar também alguns grafites. HIGH LINE Deixei a High Line na altura do CHELSEA MARKET e fui pra lá. O mercado é fechado, mas bem grande. Havia muitos restaurantes com muitos tipos de comida: italiana, alemã, frutos do mar, coreana, chinesa, japonesa, francesa, etc. Estava muito cheio e praticamente todo lugar tinha fila. Tomei uma cerveja PALE ALE** (USD 6) num bar que não aceitava dinheiro, apenas cartão - primeira vez na minha vida que vi isso. Sai do mercado e caminhei até o MCKENNA'S PUB e tomei 2 Brooklyn Lager *** que estava na promoção “2 por 1” (USD 8,50). Troquei umas mensagens com o Jesse e ele estava no Central Park. Fui até lá para tentar encontrá-lo mas não consegui. Quando voltei pra casa o encontrei em frente da porta. Tinha acabado de voltar do parque. Conheci os 3 filhos deles: Sean de 3 anos, Luke de 5 e James de 7. A Shannon preparou um delicioso jantar: salmão, cuscuz, salada de vagem e abóbora. Os pais dela, Paul e Connie, também jantaram com a gente. Conversamos um pouco e subi para meu quarto para tomar banho. Desci de volta, fiquei conversando com eles até umas 21h quando voltei para meu quarto. Respondi umas mensagens e fui dormir 23h Distância percorrida no dia: 15km Dinheiro gasto no dia: USD 58 24º dia de viagem: New York City, 10 de Junho de 2019 (segunda-feira) Acordei 7h40, arrumei o quarto e fui para o supermercado. A região de Upper West Side é bem “chique” mas tem um supermercado que é relativamente barato: o Trader’s Joe. Comprei o café da manhã (leite, peito de peru, queijo, salame e pão), alguns chocolates (para dar de lembrança) e cerveja (USD 34). Voltei pra casa, tomei café e dei uma enrolada pq chovia muito. A chuva não passou então sai mesmo assim. Por volta das 9h45 passei em frente ao MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL e já tinha uma pequena fila. Como a chuva tinha dado uma trégua, resolvi caminhar até o DAKOTA BUILDING, edifício que morava o John Lennon e fica umas 3 quadras do museu. Fui lá, tirei umas fotos e voltei. A fila tinha triplicado de tamanho e esperei uns 15 minutos pra conseguir entrar. DAKOTA BUILDING Tinha comprado antecipadamente pela internet o NY CITY PASS (USD 133) e, além da entrada no museu, o passe dá direito de ver um filme no cinema 360º que é projetado no teto em forma de domo. ***DICA: Assim como fiz em Toronto e Chicago, resolvi comprar o city pass para NY. E mais uma vez achei que foi uma ótima escolha. O passe te dá acesso às seguintes atrações: Empire State Building, Museu de História Natural, The Metropolitan Museum of Art, Deck de observação do Top of the Rock OU Guggenheim Museum, Ferry boat para a Estátua da Liberdade e Ellis Island OU Circle Line Sightseeing Cruises, Memorial do 11 de Setembro & Museu OU Intrepid Sea, Air & Space Museum O filme que eu escolhi ver foi o DARK UNIVERSE, narrado pelo Neil DeGrasse Tyson e que mostra nossa galáxia e várias outras, até chegar ao “Universe Background”. O filme também fala da “Energia Escura” e “Matéria Escura”. Curti DEMAIS! Passei por todas as alas do museu, que estava completamente lotado. Na ala dos dinossauros havia tanta gente que estava difícil até para tirar foto. Fazia um tempo ruim lá fora (chovia muito) então muitos turistas tiraram o dia para fazer atividades “indoor”. MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL Fui deixar o museu 14h45 e caminhei até o SHAKE SHACK, lanchonete que fica na rua de trás. Pedi um Shack Burger, batata e refri (USD 12,50). Além de ser pequeno, achei o lanche bem meia boca. Não aconselho comer nessa rede de fast food não. Como ainda chovia muito, decidi ir ao METROPOLITAN MUSEUM OF ART que ficava quase que na mesma reta que o Museu de História Natural, mas do outro lado do Central Park. Vi no Google Maps que ali perto passava um ônibus que cruzava o parque até o outro lado. Cheguei ao ponto bem na hora que o ônibus estava passando. O bilhete tem que ser comprado em uma máquina automática que fica no ponto. Pedi para o motorista esperar um pouco para eu comprar o bilhete, mas como chovia muito ele mandou eu entrar sem ter que pagar. Cheguei ao Metropolitan 15h30. O museu tem várias obras de arte, esculturas, vasos, estátuas, etc. Havia pinturas do Renoir e Cézanne. Gostei muito de uma chamada “Princese de Broglie”, de Jean Auguste Dominique Ingres. Outras que também me chamaram atenção foi “The Beeches” de Asher B. Durand e a “A Gorge in the Mountains” de Sanford R. Gifford. Fiquei lá até o museu fechar (17h15) e de lá fui para um pub chamado Carlow East, onde tomei 1 Fat Tire Brown Ale *** (USD 9) e 1 Whale’s Tale Pale Ale *** (USD 9). A chuva tinha parado um pouco então resolvi voltar pra casa caminhando, cruzando o Central Park. Me perdi um pouco nele, mas depois uns minutos consegui chegar até o outro lado. Cheguei em casa, tomei um banho e tomei uma cerveja conversando com o Jesse. Fui dormir 23h. Distância percorrida no dia: 16km Dinheiro gasto no dia: USD 64 25º dia de viagem: New York City, 11 de Junho de 2019 (terça-feira) Acordei 7h40, tomei café e saí 8h30. Peguei o metrô até a estação SOUTH FERRY onde sai o barco para a ESTÁTUA DA LIBERDADE. Caminhei até o BATTERY PARK onde ficam os quiosques de compra de ingresso. Como tinha o city pass, só precisei retirar o meu. Peguei o barco das 9h40. O tempo estava nublado mas começando a abrir. ESTÁTUA DA LIBERDADE Cheguei à ilha da estátua e peguei um áudio guia (tem em 12 línguas diferentes). O áudio guia falava sobre a história da Estátua da Liberdade, que foi um presente da França. Também falou do desafio de engenharia para construir uma estátua oca que suportasse o vento e chuva naquele local. A estátua é de cobre mas tem um “esqueleto” de ferro, projeto pelo Gustav Eiffel (o mesmo da Torre Eiffel). Na ilha há também um museu contando a história da estátua e um pequeno cinema mostra fotos e ilustrações da época que ela foi construída. Há também réplicas de partes da estátua (pé e rosto) que podem ser tocadas. VISTA PARA A ILHA DE MANHATTAN Peguei o barco de volta e no caminho parei na ELLIS ISLAND. Lá foi, por muito tempo, a entrada dos imigrantes que chegavam aos EUA. Há um grande museu dedicado à eles. Tem também um centro de pesquisas com registros de todos os imigrantes que passaram por lá. Fiquei só uns 20 min e voltei para NY. De volta ao Battery Park, comi um hot dog minúsculo (USD 4) e segui caminhando até o CHARGING BULL, ou TOURO DE WALL STREET. Havia centenas de turistas se acotovelando para tirar foto na estátua, então resolvi passar direto. Passei em uma loja de souvenirs e comprei umas lembrancinhas (USD 18,50). Comi outro hotdog (USD 2) e tomei uma coca (USD 4). Segui caminhando pela BROADWAY até a PONTE DO BROOKLYN. Mais uma vez, havia centenas de turistas na ponte. Cruzei a ponte até chegar na área conhecida como DUMBO - Down Under Manhattan Bridge Overpass. Passei pelo JANE'S CAROUSEL, que estava fechado e pelo TIME OUT MARKET, um pequeno mercado “descolado” com alguns restaurantes e lojas. PONTE DO BROOKLYN PONTE DE MANHATTAN Segui andando até o RANDOLPH’S BAR, que é um bar hipster e microcervejaria. Tomei 1 Orange You Lovely IPA *** (USD 10) e esperei dar 16h para começar o Happy Hour e as cervejas começarem a custar USD 7. Pedi uma Coffee Cream Ale *** (USD 7 + 1USD de gorjeta = USD 8). Essa foi, sem dúvida, a cerveja mais gostosa que eu provei em toda a minha viagem. E olha que não foram poucas, hein? Pedi outra (USD e comentei com o barman que tinha realmente gostado daquela cerveja. Ele fez questão de chamar o cervejeiro responsável que veio me agradecer. ***DICA 1: Atentem-se aos horários de Happy Hours dos bares de NY. Na grande maioria deles há descontos em cervejas e outras bebidas, geralmente entre 16h/17h até umas 20h/21h. ***DICA 2: Não deixem de experimentar essa COFFEE CREAM ALE. Vale muito, mas MUITO a pena! ***DICA 3: É possível abrir contas (tab, em inglês) na maioria dos bares. Vc deixa seu cartão de crédito de garantia e vai marcando. No final vc pode escolher em pagar no cartão ou no dinheiro. É possível debitar as gorjetas no cartão. Eles passam o valor total e no final vc escolhe a porcentagem (geralmente de 10, 15 ou 20%) que quer dar de gorjeta. COFFEE CREAM ALE Deixei o bar por volta das 18h e voltei para casa para jantar com o Jesse e sua família. Brinquei um pouco com os filhos dele na sala e jantamos. Brinquei mais um pouco com eles e saí. Fui até o outro lado do Central Park, na 5a Avenida. Ela estava bloqueada para carros e acontecia um desfile. Uma fanfarra marchava pela avenida tocando alguns clássicos como a “Dancing Queen” do Abba e a “Don’t stop me now” do Queen. Terminaram a apresentação dentro da CHURCH OF HEAVENLY REST que é linda. Os museus da região estavam com entrada gratuita (das 18h as 21h). Até pensei em entrar no GUGGENHEIM MUSEUM mas já era 20h15 então achei melhor não. CHURCH OF HEAVENLY REST FANFARRA Peguei o metro para o 230 FIFTH AVE ROOFTOP BAR, um bar no topo de um prédio com uma vista bem legal para o Empire State Building. A entrada é gratuita e tomei 1 pint de Blue Moon (USD 10). Tirei umas fotos e fui embora. Caminhei até a Penn Station e peguei o metrô de volta pra casa. Cheguei umas 22h30, tomei banho e fui dormir. Distância percorrida no dia: 15,5km Dinheiro gasto no dia: USD 65 FIM DA 1a PARTE
  6. @gabrielle loureiro Em 2011 fui pra Las Vegas e fiquei no Jockey Club Hotel. Fiquei com mais 2 amigos e o apartamento tinha 2 quartos, uma cozinha bem equipada e uma sala de TV. A localização dele é excelente: na Strip, ao lado do Bellagio. Boa viagem.
  7. Verdade. Estava em Nossa Senhora de Copacabana na Bolívia e no dia que ia seguir viagem para o Peru aconteceu uma manifestação que bloqueou a estrada. Tivemos que atravessar a fronteira de barco, pelo lago Titicaca. O barco nos deixou perto da margem e tivemos sair com a água até os joelhos e ir caminhando por um pasto até chegar à fronteira e dar entrada em nossos passaportes. Tipo, nada que atrapalhasse muito nosso roteiro. Mas perdemos umas boas horas fazendo esse "desvio". Mas acho que dá pra ir sim, na boa. Boa viagem!
  8. @Viviane F Moraes Tá muito bom seu roteiro! Parabéns! Só acho que vai ser muuuuuuito corrido e creio que não vai dar tempo pra ver tudo, mas vale tentar. Coloque essas atrações no Google Maps e faça a ordem de visita por proximidade, para não perder tempo com deslocamentos. De qualquer maneira, eu aconselho vc comprar um BILHETE ÚNICO assim que chegar em SP. Com ele vc irá economizar uma boa grana com transporte público na cidade. Como já foi mencionado, TOME CUIDADO em algumas áreas da cidade. Não fique dando sopa principalmente com o celular. Se tiver que atender ou fazer alguma ligação, ou simplesmente checar alguma mensagem, certifique-se que está num lugar seguro. Boa viagem!
  9. @Thiago Augusto Zati : Acho que Paris tá meio fora desse seu roteiro... Mas se vc quiser MUITO conhecer a capital francesa, eu pergunto: vc já comprou as passagens de ida e volta? Pq acho que vale a pena pegar uma que chegue por Paris e volte por Istanbul. Vc ganharia mais tempo em Istanbul se não tiver que voltar para Paris e pegar seu voo de volta. Tb aconselho ficar mais tempo em Cracóvia. Além de Auschwitz (que te tomará 1 dia inteiro), tem as minas de sal em Wieliczka que vale muito a pena conhecer. Pesquise bem os trechos mais longos que vc está planejando fazer de ônibus. Veja se não compensa pagar um pouco mais e ir de avião.
  10. Eu fiz isso. Mas eu tinha 25 anos à época e, ainda assim, quase morri. Depois, lá em cima inventei de subir o Wayna Picchu e, mais uma vez, pensei que não iria sobreviver. Não sei se foi o acúmulo de cansaço de dias viajando ou se foi a altitude, mas o fato é que é MUITO puxado. Pra voltar eu tive que pegar o ônibus até Águas Calientes. Fiz uns banhos de águas termais na cidade que me salvaram! Dia seguinte conseguia andar normalmente.
  11. @Denis Fernando Em 2017 fui para o Uruguai, Argentina e Chile. Além de levar dinheiro em espécie, tb usei meu cartão: um Ourocard International VISA. Não tive problemas com ele, foi aceito em todos lugares que passei, inclusive em caixas eletrônicos para sacar dinheiro. Mas tem aquele problema já mencionado: vc paga 6% de IOF e uma taxa bem salgada (não lembro quanto agora) para usá-lo para sacar moeda local. Não sei se esses novos bancos (tipo o NUBANK) possuem um produto mais atrativo. Vale a pena pesquisar. De qualquer forma eu aconselho sempre ter um cartão para emergência. Boa viagem!
  12. PHILADELPHIA 21º dia de viagem: Washington D.C -> Philadelphia, 7 de Junho de 2019 (sexta-feira) Ônibus pela Megabus - USD 25 Cheguei em Philly por volta das 11h40. Fui caminhando até o apto de Bharat, couchsurfer que iria me hospedar. O prédio que ele mora ficava numa das principais avenidas do centro e bem próximo dos principais pontos turísticos. Deixei minha mochila lá e saí para conhecer a cidade. Passei pela PREFEITURA DA FILADÉLFIA e em frente está o DILWORTH PARK FOUNTAIN, onde haviam várias crianças brincando na água que jorrava da fonte. Estava bem quente e até eu fiquei tentado em me refrescar, mas achei melhor não. Comprei uma coca laranja com baunilha (USD 2,50) e comi um resto de salgadinho que tinha comprado em Washington D.C. DILWORTH PARK FOUNTAIN Caminhei até o READING MARKET TERMINAL, um mercado com muitas opções de comida: chinesa, tailandesa, local (com o famoso “cheesesteak”), lanches, frutos do mar, etc. Havia também muitas frutas e verduras. Ao fundo do mercado há um pub como várias cervejas. Mas como tinha acabado de comer eu só olhei um pouco e fui embora. READING MARKET TERMINAL Passei numa loja de souvenirs e comprei umas lembrancinhas e uns chocolates (USD 5,50). Fui até o LIBERTY BELL e encarei uma fila de uns 15 minutos para passar pelo raio-x e detectores de metal. O Sino da Liberdade é um dos símbolos da cultura americana e ele tem uma rachadura que já tentaram remendar mas ela voltou, então resolveram deixar daquele jeito mesmo. LIBERTY BELL Depois fui até o IRISH MEMORIAL, que tem uma estátua em homenagem à imigração irlandesa. Alí perto está o PIER WATERFRONT, que tem uma roda gigante, um rinque de patinação e algumas barracas de parque de diversão. Comprei uma água (USD 1) e voltei para o centro da cidade. IRISH MEMORIAL PIER WATERFRONT Passei no TOURIST INFORMATION CENTER e peguei um mapa da cidade. Parei no FIELD HOUSE, um sports bar ao lado do Reading Market. Tomei uma New Belgium Flat Tire Amber Ale *** (USD 6,30), uma Sweetwater 420 APA*** (USD 6,30) e uma Stone IPA** (USD 6,30). Por volta das 18h30 voltei para o apto. Tomei um banho e sai novamente para comer alguma coisa. Achei um restaurante coreano e comi um dosot bibimpap (USD 11). Na volta passei num supermercado e comprei 6 cervejas long neck (4 brown ale e 2 red ale - USD 14). Voltei ao apto e fiquei tomando as cervejas conversando com o Bharat até umas 23h30, quando fui dormir. Distância percorrida no dia: 15km Dinheiro gasto no dia: USD 52 22º dia de viagem: Philadelphia, 8 de Junho de 2019 (sábado) Acordei 8h30 e já saí. Como eu ia ficar só 2 noites na cidade resolvi não comprar nada para o café da manhã e comer na rua. Passei numa rede de restaurantes chamada WAWA e comi um sanduíche de carne e queijo com ovos mexidos e tomei um vanilla coffee (US 7). Fui até o LOVE PARK, onde tem o famoso letreiro “LOVE”. Como ainda era meio cedo, havia poucos turistas no local. Um cara estava se oferecendo para tirar fotos mas depois ele pedia um dinheiro. Notei um casal de brasileiros e pedi para um deles tirar a foto pra mim. LOVE PARK Nesse pequeno parque também havia umas fontes e, novamente, algumas crianças brincavam nela. Passei pela CATEDRAL BASÍLICA DE SÃO PEDRO E SÃO PAULO, onde estava sendo realizada uma missa. A basílica é bem bonita e vale a pena conhecer. CATEDRAL BASÍLICA DE SÃO PEDRO E SÃO PAULO Segui caminhando até o PHILADELPHIA MUSEUM OF ART. Havia uma fila de uns 5 minutos para tirar foto na ROCKY STATUE. Assim como no Love Park, um cara se oferecia para tirar fotos e depois pedia dinheiro. Pedi para um pessoal que estava atrás de mim na fila para tirar a foto. ROCKY STATUE Subi as “ROCKY STAIRS” (são 72 degraus) e cheguei no museu. A entrada custava USD 20 e como já tinha visto a maioria dos artistas resolvi não entrar. ROCKY STAIRS Caminhei até a PENITENCIÁRIA DE EASTERN STATE, mas só a vi por fora. Até havia um tour (USD 16) para conhecer a penitenciária por dentro, mas resolvi não fazer. Passei pela PARKWAY CENTRAL LIBRARY, uma biblioteca que fica em um prédio muito bonito. Voltei caminhando até o Pier Waterfront e passei por vários pubs e restaurantes (todos lotados, uma vez que era sábado e fazia um dia quente e com sol). Parei num restaurante chamado THE GASLIGHT e tomei uma Yuengling Lager ** (USD 5), uma Yards Pale Ale*** (USD 7) e uma Lagunita’s Novel Pulp American IPA*** (USD 8). Depois parei no MAC’S TAVERN e tomei uma Founder Solid Gold Lager** (USD 5). Passei por um BEERGARDEN onde haviam umas pessoas jogando alguns jogos de mesa (ping-pong, sinuca, etc). Tomei uma Miller Lite* (USD 6) e fui almoçar no Reading Market. Comi um CHEESESTEAK TEXAS, fritas e coca (USD 20) num restaurante chamado Carmen’s. O lanche estava muito bom e a batata igualmente deliciosa. A senha para pegar os lanches eram cartas de baralho. Voltei para o apto e cheguei umas 19h. Estava muito cansado pois tinha andado o dia inteiro sob um sol muito quente. O Bharat não estava então cochilei até umas 20h. Tomei um banho e sai com o Bharat para comprar algo pra gente beber no apto. Comprei 3 long necks (USD 7) e ficamos tomando e conversando até umas 23h30 quando fui dormir. Distância percorrida no dia: 15,6 km Dinheiro gasto no dia: USD 65 23º dia de viagem: Philadelphia -> New York City, 9 de Junho de 2019 (domingo) Trem pela 162 Northeast Regional - USD 44 Acordei 7h, arrumei minhas coisas, me despedi do Bharat e saí 7h15. Cheguei à estação 30th Street às 7h25. O trem saiu às 8h15 e 9h45 estava chegando em NY. Próximo relato: NEW YORK CITY
  13. @Jhonnyk Próximo à Bogota, em Zipaquirá, se encontra a Catedral de Sal. Não deixe de visitá-la! Em Cartagena há uns passeios de barco que te levam para uns recifes. Lá te fornecem máscara e snorkel para nadar. Depois te levam para umas praias em umas ilhas próximas. Imperdível tb! Não sei quantos dias vc vai ter, mas se tiver tempo, aconselho a conhecer Medellin tb. Vale muito a pena! Boa viagem!
  14. @rodrigo.cogo O melhor lugar para conhecer gente é no hostel que vc vai ficar. Se tiver um bar, sala de jogos, etc, melhor ainda. Alguns hostels organizam eventos como "pub crawls" que sempre junta uma galera. Eu nunca participei (a maioria é pago) mas sempre via um monte de gente neles. Fica esperto que o transporte público de Londres costuma não funcionar no Natal, Boxing Day (dia que vc vai chegar lá) e ano novo. Dá uma pesquisada nisso para não ficar na mão. Fiz um pequeno guia de coisas pra fazer por lá. Talvez possa te ajudar. Boa viagem! guia_londres.pdf
  15. @fabio.barbero Esses sites podem te ajudar com os trajetos entre cidades: www.omio.com.br https://www.rome2rio.com Estive em Varsóvia e Cracóvia no ano passado. Fiz esses relatos que talvez possam ajudar: Boa viagem.
×
×
  • Criar Novo...