Ir para conteúdo

any.alexandre

Membros
  • Total de itens

    6
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. relato Roteiro Bolívia-Chile-Argentina Junho 2016.

    3º dia, nosso último dia, e para mim última manhã, por que meu transfer me levaria as 10h da manhã para San Pedro do Atacama, todos voltariam para Uyuni menos eu , já começa a bater saudades da turma, nesse dia fomos visitar o famoso Geyser que fica há uma altura de 4.800 metros acima do nível do mar, uma estrada bem precária em um breu, só Jesus. Essa área é conhecida por possuir atividade vulcânicas, com umas fumaças gigantes vindo direto da terra, com um cheiro insuportável, esses vapores podem chegar até 50 metros, era de madrugada quando chegamos e o frio era insuportável, menos 13 graus, é sério mesmo, -13 graus!! [email protected]*&%¨$# aff, que frio!!! Nesse momento tirei umas fotos correndo, e em 5 min tinha meu corpo inteiro congelado, acho que foi a visita mais rápida do nosso grupo kkkk, saímos dali com o nascer do sol, lindooo escondidos nas montanhas... fomos diretos para o termas com águas calientes há 38 graus  era o primeiro banho depois de 2 dias kkkk, entrar na naquela agua quente foi perfeito, fora dela fazia um frio de menos 10 graus (acredito EU) fazia muito frio...todos resolveram entrar na água, menos Lucas por que tinha tomando banho no dia anterior hahaha, ficamos ali quase 1 hora, de verdade preferir não pensar muito em quantas pessoas já tinha entrado naquela água, e que muitos como eu não tomava banho sei lá quantos dia, tentei pensar em outra coisa e afinal desfrutei!!! Sai de lá que foi difícil, se secar, colocar todas as aquelas calças, meias, blusas, casacos e jaquetas, ufa... consegui! Na hora tbem pensei? Onde irei fazer isso novamente? Tenho que provar! O meu último passeio foi a laguna verde, linda por sinal, não saberia qual delas escolher para ser a minha preferida. Passeio perfeito! Já era quase 9 da manhã e partimos para a imigração da Bolívia, de lá seguiria a viagem para o Atacama. Bem pertinho a fronteira em 20 min chegamos ao local, aí foi aquele misto de tristeza e já saudades, da turma que passei 3 dias e da Bolívia que encheu os meus olhos de sonhos. Minha passada pela Bolívia foi perfeita até o momento de não encontrar o meu ticket de carimbo da imigração, aff eu estava com o carimbo no passaporte, mas um papel que eles me deram lá em Puerto Quijarro simplesmente sumiu!!! Abri minha mochila e nada, e o Boliviano já me olhando torto, perguntando por onde eu tinha entrado e que não podia perder o papel, e me dando uma bronca daquela, na verdade comecei a ficar preocupada, por que muitas vezes eles pedem para pagar uma multa, aí argumentei e expliquei que não encontrava, e o que poderia fazer?? Depois de toda a bronca me deram um papel para preencher e me falaram para nunca mais perder o papel, aff.. . uma observação. Bem país de terceiro mundo né (sei que já não usam mais esse termo), mas se eles tivessem um computador lá eles veriam que entrei no país e que tinha um carimbo no passaporte igual ao papel que eles tinham me dado há 5 dias. Mas como só havia uma casinha no meio do nada, e assim foi meu único estresse na Bolívia. Dica: Nunca perca a merda do papel da imigração please. Sobre minha passada na Bolívia, penso que os lugares a serem visitados são de tirar o fôlego, mas as pessoas parecem não estar preparada para o turismo, não existem infraestrutura de estradas e hotel, fiquei pensando se não era esse o charme de viajar por esses lugares. Vendo todos os lugares que vi, acredito que se eu tivesse muito dinheiro iria passar a mesma situação que outras que possui pouco, ou mudaria pouca coisa. Uma coisa eu digo, esteja preparado para muitas coisas na viagem, eu tive alguém cuidado de tudo nesse passeio, um Deus que criou todas as paisagens, e digo que nada de ruim aconteceu, foi perfeito nos detalhes, mas li relatos não tão bons, e muitos até com arrependimentos, ou passaram muito mal e tiveram que voltar, que foram roubados, enfim. Agradeço a White See por ter cumprido tudo o que prometeu e cuidou dos detalhes da viagem, ao Oscar (motorista) gente boa, coração grande e bem dedicado ao seu trabalho. Não coloquei detalhado os gastos com coisas pessoais, por que acho que é individual, comprei muita água, frutas e uso do banheiro. Outra coisa importante separe 200 Bol para as entradas dos passeios no Salar, 30 Bol para ilha de cactos gigantes, 20 Bol para a entrada de uma caverna, 150 Bol parque nacional da lagoa colorada, 6 Bol para os termais, fora as lembrancinhas que vendem nas vilas que passamos. No total gastei 750,00 reais mais 115,00 da passagem de Campo Grande Corumbá (Bolivia) Estarei escrevendo o roteiro do Chile, onde passei 4 dias e 3 noite. Lembrando que comentei o meu roteiro inicial? Pois é, acabei indo pro norte da Argentina, por um imprevisto natural (nevasca em Mendoza) acabei não indo pra Santiago dessa vez, mas digo que valeu muito a pena.
  2. relato Roteiro Bolívia-Chile-Argentina Junho 2016.

    2º dia, acordamos uma 6h e tomamos o nosso café correndo, por que preferimos ficar mais 30 min na cama, kkk Lucas de manhã é mais preguiçoso, Oscar já estava com as nossas coisas o carro e pronto para o nosso segundo dia, o almoço é sempre feito no dia, pegamos nossas coisas e partimos, esse dia é o mais longo de todos, fomos em cavernas, ilhas do cactos gigantes, várias lagoas, passamos por vulcão ainda ativo, exército de pedras, falando assim parece normal, mas as paisagens são de tirar o folego, certamente se está lendo esse relato, tem vontade ou está preparando o seu roteiro. É de suspirar!! Nosso almoço foi a beira da lagoa, junto aos flamingos. Coisa linda de se ver, perfeição de Deus. A viagem funciona assim, você fica 1h andando de carro e 30 min apreciando a paisagem, sobe no carro, desce do carro, sobe no carro, desce do carro, haja perna, . A noite dormimos em um hotel perto da lagoa colorado, fazia muito frio, o céu cheio de estrelas, e a gente no meio do nada ... conhecemos mais uma turma que estava no mesmo hotel, e já juntamos as mesas, todos juntos. Nesse hotel tinha agua para tomar banho, mas não era quente, eu dei minha vez do banho, o Lucas foi o único que resolveu tomar banho, no final mereceu uma salva de palmas haha... A galera ganhou uma garrafa de vinho e jantamos, comida simples de entrada sopa e de prato principal macarronada, comida gostosa e fresquinha. Nesse dia senti mta dor de cabeça tomei um remédio e fui dormir, ou tentar dormir, essa noite foi horrível, fazia muito frio nesse hotel, e eu com o saco de dormir não consegui me mexer, me senti em uma lata de sardinha, angustiante dormir assim, qdo deu duas da manhã eu acordei, dormi, acordei as três, dormi de novo e as 4 me levantei, as 5 já íamos sair para o 3º dia, nesse hotel a cama era ruim, o travesseiro ruim, e não consegui descansar nadinha. Estou tentando dar uma resumida nesse relato, por que já está gigante
  3. relato Roteiro Bolívia-Chile-Argentina Junho 2016.

    1º dia, saímos da cidade de Uyuni as 10:30 da manhã, rumo ao maior deserto de sal do mundo, com uma extensão de 10 mil km quadrados, passamos no mercadinho para comprar água, bolacha e chocolates, conhecemos os nossos parceiros alemães, a primeira parada é nos cemitérios de trens, bacana até, brincamos muito lá mas não demorou muito tempo, nosso dia só estava começando. Nossa primeira noite foi em um hostel de sal, a cama, mesa, e piso eram de sal, estavam tão cansada nesse dia que não tirei foto do lugar e nem jantei, simplesmente dormi, hotel confortável, com uma lanche da tarde bem gostoso só que sem banho quente, como sabia que não teria banho quente nesse primeiro dia, fomos para um hotel os 4 e pegamos um quarto para tomar banho, no início o preço era 180 Bol depois de muito dialogo, ficou 60 Bol para os 4, 15 Bol para cada, tinha agua bem quente, e tomadas, ficamos umas horas lá, os meninos até deitaram um pouco. Como já havíamos tomando banho cedo, nesse dia foi tranquilo dormir sem.  No outro dia fiquei sabendo que o jantar tinha sido top, aff essa minha mania de preferir dormir do que comer hahaha. O dia 1º é lindo demais, conhecemos o deserto de sal, o monumento Dakar, restaurante de sal, o lugar onde ficam as bandeiras, vemos o pôr do sol no deserto é a coisa mais lindaaaa...
  4. relato Roteiro Bolívia-Chile-Argentina Junho 2016.

    Realmente fiquei bem melhor depois desse episódio , chegamos em Uyuni dia 14/06 às 4:30 da manhã, um frio, mas um frio... aff só de lembrar! Não me lembro o grau que fazia, mas era abaixo de zero. Nesse momento você começa a pensar o porquê está vivendo aquilo, se merece a pena, essas coisas... Todo mundo desce do ônibus e ficamos no meio do nada, as 4 da manhã, mas como o mundo é dos espertos, já tinha gente lá na parada esperando os compradores dos pacotes para o deserto de sal, nos abordou uma senhora, (Lucas e eu decidimos ficar juntos e procurar juntos a agência, (o casal não os vi sair do ônibus), a senhora se chamava Maria, da empresa White See Expedition, já nos abordou oferecendo um lugar para ficar que tinha calefação e poderia nos explicar o passeio e tal, o que pensar quando faz um frio da pega e a pessoa te diz calefação?? Falei com o Lucas e partimos para lá, na verdade só atravessamos a rua, por que sua agência fica na esquina da parada do ônibus. Maria nos explicou tudo sobre o tour e como seria, e o que ela oferecia, contou que já tinha dois alemães, olha como Deus é maravilhoso, de repente abre a porta o casal que conheci no ônibus, e ficamos unidos ali no calorzinho que fazia o lugar. Maria desde o momento nos tratou super bem e tirou todas as nossas dúvidas, eu já tinha em mente as agências que iria procurar e em minha cabeça até quase fechado o pacote com uma conceituada dos fóruns, e a agência da Maria nem tinha ouvido falar . Conversamos e pedi para nos levar ao restaurante do Nonis, muito conhecido no fórum mochileiro e abre as 4:30 bem estratégico né? O ônibus e o bar no mesmo horário  é de Deus. A maria sabia onde era o Nonis e nos levou até lá, só tenho elogios a esse lugar, super quentinho, com internet, tomadas, banheiro, café da manhã bacana e preço acessível. Peguei minha mala de rodinha e fomos para o bar, um friooo e umas ruas cheia de terras e eu empurrado minha malinha pela cidade silenciosa, gente do céu cometi um erro absurdo nesse dia, acredito que pelo mal da altura , deixei minha bolsa de ataque lá na agencia da Maria, e o Lucas também kkkk, eu esqueci e ele por que quis mesmo. Pensa numa pessoa que suava de medo? Todo o meu dinheiro, câmera fotográfica, só de pensar me chamo de burra. Chegamos no Bar cadê a mochila? Aff um friooo, e mais 4 quadras voltei p pegar minha mochila, já me odiando por isso. A Maria dizia que não tinha problema que cuidava, na hora levantei e fui. Sorte que estava la as minhas coisas e graças a Deus voltamos de carro, por que já estava congelando. Nesse momento não tínhamos decididos fechar ainda com eles, era 5h da manhã e as agências não estavam abertas, pesquisei sobre essa agência e não tinha nada de ruim e nada de bom falando dela, pensei, pensei e conversamos com a galera, na verdade nossa turma estava fechado já, dois alemães e nos 4. Te digo que esse tipo de viagem não depende só de uma agencia conceituada, de um motorista legal, e sim com quem você faz os passeios, tirando os dois alemães que não conhecíamos, nos 4 éramos “legais” até aquela 1h juntos. Eu fui ao banheiro e orei, pedi para Deus nos ajudar naquela decisão, que não queria sair dali com dúvidas e não queria fazer uma escolha errada. A 7h da manhã me volta Maria já com o caderninho de anotações, o preço que ela fez por 3 dias e 2 noites com 3 refeições por dia, mais saco de dormir e o transfer para o Atacama, 700 BOl, na minha planilha tinha a intenção de pagar até 850 Bol, então estava no preço. Conversamos por uns 30 minutos sobre a comida, sobre lugares pra ficar, onde dormiríamos se havia banho, se eram limpos, sobre o motorista, se ele bebia, porque muitos motoristas bebem durante os passeios e acabam tombando a 4X4. Na verdade a Maria nos tranquilizou sobre os passeios e Deus colocou no meu coração uma tranquilidade e a certeza que seria perfeito, e foi!! Recomendo a agência White See sem sombra de dúvidas, por que cumpriu tudo o que prometeu e o motorista Oscar super gente boa, tranquilo, respeitador, tirava fotos nossas e deixou a gente a vontade na viagem e nos passeios, o almoço era gostoso, tinha sempre uma fruta e coca cola. Comida bem servida, se alguém quisesse repetir também.
  5. relato Roteiro Bolívia-Chile-Argentina Junho 2016.

    As 17:30 tinha que estar no aeroporto, para ir a Sucre, voltei para o Hostel arrumei as coisas e fui para o aeroporto, de táxi sem negociar ficaria em 80 Bol, e no final saiu por 60, o aeroporto Viru Viru fica bem longe da onde estava. Comprei uma passagem para Sucre por 42 dólares, achei um bom preço mas tem uma passagem de 30 dólares, mas nesse dia meu cartão de crédito não passou, de ônibus esse mesmo trajeto iria durar 10h de estradas, achei melhor pagar o valor. A cidade de Sucre é linda, pena que não consegui conhecer nadinha, do aeroporto até a cidade mais de 40 min em taxi. Nesse momento da chegada no aeroporto fui atrás de mais alguém para dividir o taxi, isso é muito comum, conversei com uma turma, com um rapaz e nada, pensei lascou, terei que pagar 120 Bol sozinha , entrei dentro do taxi e surge um senhora sozinha procurando alguém para compartir o taxi (na hora agradeci a Deus ) vou contar uma coisa, Deus foi tão perfeito e detalhista nessa viagem, cuidou de mim e realizou os pedidos e desejos mais bobos da viagem, tinha momento que eu só pensava e algo, Deus ia lá e fazia acontecer, só quem tem muita intimidade com Ele vai entender, outros podem pensar que é sorte, chamem como quiser eu chamo isso de viver com Jesus!! A senhora perguntou se tinha algum problema e compartir o táxi, de forma alguma respondi!! Adoro conhecer pessoas que moram na cidade, a senhora foi me contando a vida inteira dela conversamos durante 1 hora, esse aeroporto é bem afastado da cidade de Sucre, umas estradas em caracol, Sucre tem uma população de mais ou menos 300 mil habitantes, é a capital constitucional da Bolívia, está em uma altitude de 2.800 metros (você começa a sentir o efeito da altura (soroche) e foi incluída no patrimônio mundial da Unesco, acredito que vale ficar um ou dois dias na cidade, como o meu objetivo era Salar o deserto de Sal segui minha viagem até a rodoviária, paguei 60 Bol pelo taxi e a senhora mais 60Bol, perfeito! Na rodoviária comprei o ônibus direto para Uyuni, paguei 70Bol empresa 6 de Octubre, paguei para ir no banheiro (isso aqui é comum) comprei água, chocolate Para Ti (muito famoso la), paguei a taxa de uso do terminal 2,5 Bol, também comum essa taxa (obrigatório) e fui esperar meu ônibus que saia as 20h, eu sempre tenho em mente que estou sozinha, mas nem sempre é bom estar sozinha. Já na fila para entrada do ônibus puxei assunto com um casal, como sou fluente em espanhol isso facilitou a minha vida, comentei algo bem bobo da demora para abrir o ônibus e que fazia muito frio (tentem conversar com as pessoas sobre qualquer coisa) esse detalhe definiu todos os dias na Bolívia) nos apresentamos, um espanhol e uma boliviana namorados (Ivana e Santiago), conversamos sobre a viagem e sobre os próximos dias no deserto de sal. Eu estava no segundo andar do ônibus e eles no primeiro. Até ai ok, ao menos já conheço alguém que vai fazer o mesmo passeio que eu . Por isso digo que Deus foi perfeito e colocou só pessoas 10 ao meu lado. Te tantos lugares no ônibus eis que me senta um brasileiro, começamos a falar em espanhol e no final descobrimos que éramos da terra do tupiniquim, Lucas é o seu nome, viajando sozinho também, de Santos- SP. Falamos sobre a viagem e a ansiedade dela, tínhamos 8h de viagem até chegar a cidade, Uyuni se encontra perto da borda da Cordilheira dos Andes em uma altitude de mais de 3.600 acima do nível do marv . Acredito que tenha sido o dia que passei bem mal, acordei com muita falta de ar, como se estivesse buscando o ar, sentia um frio e depois um calor de suar a roupa, acredito que nesse dia já fazia -5 graus. O Lucas todo o tempo preocupado, os mochileiros sempre se ajudam, tomei agua e tentei dormir, mas continuava a sentir uma dor de cabeça, tomei um AS infantil, li um relato que ele ajuda na altitude por afinar o sangue e auxiliar na oxigenação, não sei se isso é verdade, mas digo que me ajudou um pouco. Sou uma pessoa que custa tomar remédio, mas algo que me aliviou mesmo foi ter vomitado no pacote de batatas fritas , coitado do Lucas só me olhando hahaha. Deve ter pensando e essa agora, e ainda no meu lado. Kkk
  6. Primeiramente gostaria de agradecer a ajuda do Fórum Mochileiros de onde eu tirar as dicas e pude me divertir com os relatos da galera, de tantos relatos teve um que dei muitas risadas e me fez viajar nessa aventura, quem quiser procurar o nome é Guia Politicamente Incorreto, no ano de 2013, mas digo que as dicas ainda são atuais, quero agradecer a galera do facebook onde possui uma página destinadas ao roteiro Bolívia-Chile e Peru. Contando um pouco da minha viagem sozinha, que não era a primeira, mas sempre deixar uma sensação de única. Primeiro porque viajar sozinha? Não sei! Mas te digo uma coisa, é a melhor sensação que existe, é como se eu saísse do meu Eu e incorporasse uma outra pessoa, nos despimos de qualquer tipo de preconceito e medo e nos tornamos mais fortes a cada momento da viagem, sempre utilizo as viagens solas para pensar na vida e estudar o meu próprio comportamento diante das situações, por que em uma viagem sozinha tudo pode acontecer. Te digo uma coisa, se você tem medo de viajar sozinha (o) já é hora de perder. Meu nome é Any e tenho 29 anos, vivi em alguns países e em outros só de passagem, adoro viajar e levo isso como filosofia de vida. Mas te conto um pouco do meu roteiro inicial, por que a final não foi o que ocorreu de fato, por que imprevistos acontecem e as vezes são bem-vindos. A princípio meu roteiro era, Santa Cruz de la Sierra (Bolívia), Uyuni, San Pedro do Atacama (Chile), Santiago, Mendoza (Argentina) e por último Buenos Aires, minha viagem iria durar 18 dias. Fiz todos os cálculos e gastos com passagem de ônibus, essa viagem fiz tudo de ônibus, utilizei somente um trajeto de avião que irei comentar mais baixo, meu plano era gastar R$ 3.500,00 + gastos com roupas, seguro de viagem (viajo sempre com seguro). Fiz o trajeto que muitos mochileiros fazem para ir para Bolívia, entrada por Corumbá, no dia 11 de junho de 2016 peguei o ônibus das 23:59 passagem R$ 115,00 horário tranquilo, 6 h de viagem mais ou menos, nesse momento cai a fixa que você está indo para o tão sonhado mochilão, só quero ressaltar que sou uma mochileira com mala de rodinha, me sinto mais confortável em levar uma mala pequena assim, e uma mochila de ataque com muitos cadeados haha, vi uma galera relatando a compra de mochilas de muitos litros e tal, mas de verdade esse detalhe é o de menos na minha viagem. Cheguei em Corumbá sobre as 6 h da manhã do dia 12/06 como já sabia que teria que pagar um taxi até a imigração fiquei de olho em quem descia do ônibus e procurando alguém para rachar 50 magos, olhei pro lado e encontro dois meninos com mochilas nas costas, ai pensei: Certezas que estão indo pra Bolívia, eu simpática fui puxar assunto e tentar tirar alguma informação, um Brasileiro e um Italiano, que estavam indo para o mesmo lugar que eu mas não quiseram dividir o taxi (pensa numa pessoa que ficou de cara?) haha, beleza peguei minha mala de rodinha e fui procurar outra pessoa, encontrei Isabel uma boliviana que estava indo pra fronteira, nos unimos e fomos juntas (você sempre vai encontrar alguém na mesma situação que você), como era um lindo domingo tivemos que esperar até as 8 da manhã para a bendita fronteira (lado brasileiro) abrir para dar saída ao país, depois de mais uma hora na fila, partimos para o lado boliviano 2h e meia no sol esperando o bendito carimbo de entrada no país, (pensa em uma imigração desorganizada), quando olho na minha frente ali estavam os dois meninos da rodoviária (Gui e Gabriele), fiquei na minha e nem dei moral mais, (na verdade fiquei chateada) mas estávamos a duas horas e meia ali resolvemos conversar e comentei o quanto foram rudes, magoas passadas era a hora de ir para a rodoviária de Puerto Quijarro, outra coisa quem quiser trocar dinheiro acho que ali é o lugar, só troca em Santa Cruz se você realmente tiver certeza que está mais alto, paguei 1 real 1,95 Bol, como já tinha feitos os meus cálculos de quanto iria gastar na Bolívia troquei 800,00 reais e te digo que foi o melhor cambio em toda a Bolívia, Guilherme e Gabriele trocaram na estação por 1,90. Aí juntou Isabel, Gui e Gabriele e fomos para estação, rachamos um taxi 10 Bol para cada, chegando lá umas 11:40 e quase todos os ônibus já tinham saído, em Puerto Quijarro só sai ônibus de manhã ou de noite, como o ultimo ônibus que saia só tinha lugar para duas pessoas e estávamos em 4, resolvemos passar todo o dia naquele lugar maravilhoso (mentira) parece mais um lugar abandonado, comemos umas comidas mais ou menos e passamos a tarde toda jogando bozó, ganhado a maioria das vezes haha. Sobre o lugar digo uma coisa, cuidado onde come e com os seus pertences, acredito que não é um lugar para estar sozinha, eu graças a Deus encontrei as melhores pessoas no caminho. Compramos passagem para Santa Cruz no ônibus das 20h pagamos 110 Bol (55,00 reais mais ou menos) ônibus cama, eu como levei uma manta consegui dormir, mas fazia um frio que só por Deus, um detalhe: se quiser usar o banheiro nesse terminal tem que pagar 1 Bol, então guarda umas moedas para essas necessidades. Os meninos iriam para o Peru e Isabel iria para uma cidade de Santa Cruz e eu seguiria viagem, ali era o nosso ponto de despedida, quando chegamos em Santa Cruz dia 13/06, fui atrás da minha mala, já que vi relatos de pessoas que levavam as malas embora, quando fui procurar Isabel tinha evaporado, achei uma falta de respeito, procuramos ela e nada. Por fim pegamos nossas coisas e fomos atrás de ônibus para os meninos que iam para o Peru, a impressão do terminal de ônibus as 6 da manhã era assustadora, gente te olhando estranho, fomos atrás de informações, eu ficaria em Santa Cruz a manha toda, por que tinha comprado uma passagem de avião para Sucre as 17:30, precisa de um lugar para descansar e tomar um banho, achamos onde ficam os guichês de ônibus, e fui informada de um lugar perto da rodoviária, tipo muito perto, era so atravessar a quadra aff,(e eu paguei taxi 15 Bol) o momento triste da partida, foi como se fossemos amigos há algum tempo, pelo menos da minha parte haha, talvez não os verei mais, só pelo face.  Fiquei em um hostel chamado La Tia, uma chinesa ou japonesa sei lá. Me cobrou 60 Bol para ficar até as 16h, pedi desconto e quase me mandou tomar banho no banheiro público. Fiquei mesmo assim, um quarto individual com chuveiro com água quente, isso é bem importante perguntar, se tem água quente nos chuveiros. Haha Sobre Santa Cruz fiquei bem pouco tempo lá, a cidade é bonita, foi construída em círculos, se você tiver algum interesse é só procurar no mapa, achei curioso a sua construção. A cidade é organizada na desorganização, os taxis são uma loucura, sempre pergunte o preço da corrida antes de entrar, e tente se informar antes. Por que eles adoram enfiar a faca. Mas eu sou macaca velha nisso, paguei táxi do hotel a cidade por 15 Bol cada corrida. Tinha a intenção de andar de ônibus, mas quando vi os ônibus tudo lotado e caindo aos pedaços achei melhor pegar um taxi caindo aos pedaços só para mim. A cidade e suas buzinas, o dia todo, os carros se entendem entre eles e nenhum acidente acontece. Andei um pouco pelo centro da cidade, fui tomar um café e usar o wifi por aí, e como sempre faço, momento de observação do lugar que irei almoçar. Não é interessante pegar uma infecção alimentar no início da viagem ne? Almocei em um restaurante chamado Prèstto coffe-Pub bem gostosinha a comida, com entrada e prato principal e suco, 18 Bol.
×