Ir para conteúdo

Turistando.in (Juliana)

Colaboradores
  • Total de itens

    188
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    1

Tudo que Turistando.in (Juliana) postou

  1. NOSSO SEGUNDO DIA: LISBOA / BELÉM Nosso segundo dia iniciou-se no bairro do Chiado para comprarmos roupas de frio!!! rs O que tínhamos conosco não era suficiente. No indicaram entrar no Armazém do Chiado, no bairro do Chiado. Como não queríamos perder tempo, fomos logo cedo e encontramos o local ainda fechado. Zanzamos pela região achamos uma loja bonitinha, na rua debaixo com as escritas: "Roupas Low Cost". Rimos e fomos ver o que era. Parecia um brechó, mas de roupas novas. Talvez rejeitadas pela loja por apresentar algum defeito, ou ser da estação anterior, não sei dizer, mas encontramos jaquetas por 15 euros! (em Cascais comprei uma blusa por 20€ em um chines!!!!). Aproveitei também e comprei roupinhas de bebe! Jaquetas, blusas e calça jeans boas, de frio, por 3,5€! Sò não comprei mais porque era inicio de viagem (e eles não aceitavam cartão de crédito - rs) Aquecidos, retornamos ao hostel, deixamos as coisas por lá e partimos para o bairro de Belém! Precisávamos aproveitar o Lisboa Card e resolvemos fazer o nosso 2° dia de viagem o bairro de Belém, para poder aproveitá-lo. BELÉM Pegamos o mesmo trem de ontem, pois achamos que era o modo mais fácil (pois no dia anterior havíamos visto que o trem parava em Belém), mas atento!. Nem todos os trens param ali. Há trens que vão direto para Cascais ou que param em poucas estações. Por sorte, na estação seguinte, ele parou e disse: Quem segue para Belém, favor descer e pegar o próximo (ou algo do tipo). E digo: ainda bem que o maquinista disse e que eu prestei atenção (apesar da falta de costume com o português PT). Meu marido não prestou atenção e por alguns momentos, até eu fiquei na dúvida (mas descemos mesmo assim). Talvez o melhor fosse ter pego o bonde (chamado "elétrico"), mas de trem também deu certo. Só precisa saber qual pegar exatamente! rs Ao descermos na estação e ultrapassarmos a passarela, avistamos uma praça imensa, chamado Jardim Alfonso de Albuquerque. O atravessamos em saímos em frente ao Museu Nacional dos Coches. Como estava dentro do Lisboa Card, resolvemos entrar. O local vale muito a pena. Sao dois ambientes com as carroças utilizadas na época da realeza portuguesa. E o wi-fi é livre lá dentro. Ao sairmos, seguimos a rua principal sentido o Mosteiro dos Jerônimos e passamos em frente à Casa Pasteis de Belém. Estava LOTADA, assim com a entrada para o mosteiro! Como estávamos com fome, seguimos reto. Naquele pedaço há muitos restaurantes voltado ao turista, mas como era nosso primeiro dia em Portugal, coincidentemente, a data que, 4 anos atrás, decidimos nos mudar juntos para o nosso apto, resolvemos sair do "esquema mochileiro econômico" e exageramos "um pouco". Fomos comemorar nossos 4 anos de "casados" no Nunes Real Marisqueria, um restaurante de frutos do mar português que fica um pouco mais à frente do Mosteiro (a rua muda de nome, mas é a mesma, seguindo reto). Chegamos lá por volta do meio dia, ainda não estava cheio de gente. Pedimos um couvert com pães e manteigas, acrescido de uma porção deliciosa de presunto cru espanhol Pata Negra. Para beber, vinho branco para o Thiago, água para mim! Na sequência, chegaram as entradas: Vieiras , com um sabor bem delicado e uma textura bem macia; Ameijoas à Bolhão Pato, um prato bem português da região de Extremadura, finalista do concurso "As 7 maravilhas da cozinha portuguesa", também delicioso, mas com um sabor bem mais forte que a Vieira e a minha paixão à primeira vista, a Casquinha de Santola. Difícil dizer qual era a melhor, mas eu gamei, amei e me deliciei na casquinha de Santola. Simplesmente divina! Não que o restante não fosse. Eram! Mas temo em dizer que este prato foi o melhor fruto do mar que eu comi em minha vida! Não estou exagerando! (Alguém sabe onde tem este prato aqui em SP??? rs) Na sequência, pedimos uma seleção de frutos do mar portugueses. Apareceu um garçom com pães e molhos, e outro garçom colocando uns "instrumentos" no local do garfo e faca. Um olhou para o outro com cara de: "hein"? E de repente aparece um prato magnifico de frutos do mar, que nos fez arregalar os olhos!!!!! O prato continha lagosta, os 3 tipos de camarões (de Algarve, do Porto e de Setúbal), a gamba e as canilhas! De todas essas maravilhas, não tive coragem de provar exatamente as canilhas, um tipo de marisco, que fica dentro de uma concha. Tínhamos que retirar e a sensação que tive era que o bichinho estava cru e vivo (assim como a ostra)! O Thiago comeu, gostou, mas não abusou tanto! Ao terminarmos, fomos para a sobremesa. Eu fiquei com um Tarte de Limão merengada, uma torta de limão um pouco diferente. Havia uma camada de doce de limão e outra de um merengue gostoso, que tirava o super doce das tortas tradicionais de limão (o Thiago não curte muito mas adorou este doce) e um delicioso sorvete de framboesa com champanhe. O Thiago ficou com um doce de mil folhas, não me lembro exatamente qual era o recheio e um curioso e gostoso sorvete de cerveja Sagres ! Caso queriam ler com mais detalhes: http://osamigosdemochila.blogspot.com.br/2014/04/nunesrealmarisqueriaLisboa.html Retornamos sentido Mosteiro e, para a nossa sorte, não tinha mais fila. Assim com o museu dos Coches, o Mosteiro de São Jeronimo faz parte do Lisboa Card. Para quem nao tem, custa 7€ O local é impressionantemente lindo! Aconselho comprar por 1€ o mapa/guia explicativo na entrada. Facilita a compreensão de cada sala. Reza a lenda que o local fora construído no local onde existia a igrejinha Ermida do Restelo, local onde os navegadores e sua trupe passavam a noite anterior à viagem, rezando. Considerado o ponto mais alto da arquitetura manuelina (estilo que mescla elementos decorativos do tardo gótico com motivos do renascimento), o mosteiro é testemunho monumental da riqueza dos Descobrimentos portugueses. Foi construído, após à viagem de Vasco da Gama, com os primeiros lucros do comércio de especiarias. Tanto que, encontramos em seu interior, seu túmulo, ao lado do túmulo do poeta Luís Vaz de Camões. São dois andares. O primeiro andar, com o claustro e diversas salas, entre os quais o refeitório, um espaço bastante amplo com paredes decoradas em azulejos do século XVIII, a Sala Capitular, com a tumba do escritor Alexandre Herculano e ainda um espaço onde o poeta Fernando Pessoa está sepultado. No andar superior, é possível entrar na parte do coro da igreja e ter uma visão muito bonita de sua arquitetura, além da cruz com Cristo e do próprio coro. Saimos do Mosteiro em seu horàrio de fechamento! Acabamos ficando muito tempo na Marisqueria! rs (mais infos: http://www.mosteirojeronimos.pt/pt/index.php) De là, seguimos para o Monumento aos Descobridores, também conhecido como Padrão dos Descobrimentos. Jà estava entardecendo e vimos que nao conseguiriamos também chegar em tempo até a Torre de Belém! Não entramos, mas quem tem o Lisboa card tem 30% de descontos ou então, 3,00€. O monumento é em forma de uma caravela estilizada, com auto relevos que simbolizam o escudo de Portugal, a espada da Casa Real de Avis, D. Henrique, e as estátuas de heróis portugueses ligados aos Descobrimentos. Também se vê o poeta Camões. (mais: http://www.padraodosdescobrimentos.pt/) Seguindo reto pela margem do Tejo, chegamos à Torre de Belém (grátis com o Lisboa Card e 5€ sem). Outro grande monumento feito na época do descobrimento, com a arquitetura manuelina, apesar de ter influências islâmicas e orientais. Infelizmente chegamos tarde demais e nao pudemos entrar! (mais infos: http://www.torrebelem.pt/pt/index.php) Ao sair de lá, fomos caminhando sentido Mosteiro (a foto noturna está acima) pois querìamos aproveitar nossa ida à Belém para comermos o famoso pastel de Nata (hein?). Sim, voces leram corretamente: NATA! Bom, aqui no centro de SP abriu uma doceria portuguesa, o Matilde. Está sempre lotada e nunca tive tempo de perguntar ao vendedor porque não havia pastel de Belém ali! "Como assim não tem pastel de Belém em uma grande doceria portuguesa?", você poderia perguntar, assim como eu me perguntei! Havia pastel de nata e de São Bento, mas nada do pastel de Belém. Bom, fomos até a Casa do Pastel de Belém e fomos atendidos por dois senhores super simpáticos, que nos explicaram que apenas eles tem a receita original (guardada a 7 chaves), iniciada no Mosteiro dos Jerônimos, e que os outros locais fazem uma "imitação" do doce!! O doce foi registrado e somente eles podem vende-los com o nome de Pastel de Belém!!! O doce é, sem dúvida, maravilhoso! Deveríamos ter comido também antes de irmos embora de Portugal (e assim, conseguindo fazer uma clara distinção entre as "falsificações" - rs), mas é um doce muito saboroso e a combinação com canela a deixa ainda mais gostosa! O pastel custa 1,05 €! Meu post sobre o local: http://osamigosdemochila.blogspot.com.br/2014/04/casapasteisdebelem.html Voltamos ao hostel para nos aquecermos e procuramos algum local para comer. Escolhemos o Fumeiro de Santa Catarina, alguns passos do Hostel, no bairro da Alta, próximo à Praça Camões e ao Miradouro de Santa Catarina (com uma estátua do gigante Adamastor). Era noite de clássico na TV e o local estava vazio! O que foi bom para a gente! O local é pequeno e bem decorado, com luzes baixas (as fotos ficaram um pouco com "ruído" por causa disso. Não uso flash!) e bem propício a um clima romântico! Pedimos a eles um menu degustação e fomos atendidos pela brasileira Mariana. Foi ela quem escolheu o nosso menu. Começamos com um couvert de pão, queijo de ovelha, azeitonas temperadas e manteiga também temperada (esta manteiga estava deliciosa! Pedimos bis). Para beber, ele preparou para o Thiago um aperitivo feito com vinho do Porto branco e tônica. Eu apenas provei, como sempre e fiquei na água mesmo! Mal tínhamos acabado o couvert (com o bis - rs), chegou a entradinha: Uma deliciosa empanada com bacon defumado! (Adoro bacon, mas evito em abundância por achá-lo gorduroso. A sensação que tive era que eles apenas defumaram a parte da carne, deixando de lado a parte gordurosa). Para acompanhar, uma saladinha mista de rúcula, rabanete e, para equilibrar o amargo dos dois primeiros, tomatinho cereja e rosbife defumado. Não curto muito rosbife, mas este estava diferente dos rosbifes que já comi! Aprovado! Para beber, eu continuei na água. O Thiago foi de vinho tinto 3 Castas com Syrah, Cabernet Sauvignon e Touriga Nacional. Provei e gostei! Simples mas gostoso! Como prato principal, vieram mais dois pratos deliciosos: um vinagrete com batata bolinha, cebola roxa e polvo defumado (uma combinação muito boa! Não me lembro se foi a primeira vez que comemos polvo, mas adoramos) e um prato de Favas com farinheira (a farinheira é um enchido criado pelos judeus portugueses durante a época da inquisição, como forma de simularem o consumo de carne de porco) e calabresa. Um prato quente e forte que, provavelmente, não deve estar no cardápio nos dias quentes! Como sobremesa, comemos um bolo de amêndoas com raspas de limão e hortelã e um doce cremoso de ovos. Os preços aqui também são convidativos. Com 20€ um casal come muito bem, e com direito a vinho! Meu post sobre o Fumeiro: http://osamigosdemochila.blogspot.com.br/2014/04/FumeirodeSantaCatarina.html
  2. NOSSO PRIMEIRO DIA: LISBOA Como disse acima, ficamos no hostel Sunset Destination, um dos hostels da rede Destination (http://destinationhostels.com/). Como reservamos muito em cima da hora, nao encontramos um quarto privativo e ficamos em um coletivo (e muito tranquilo) por 18€ pessoa. Hà mais economicos na cidade, mas queriamos um que fosse bem localizado e que fosse recomendados por viajantes (fizemos a analise pelo Tripadvisor) e novamente acertamos a escolha. Chegamos bem antes do check in e fomos muito bem recepcionados ao chegar. Estavam lá o Eric e a Madalena. Mais tarde estava o simpático Miguel, mas foi o Eric que nos recepcionou e que nos mostrou as áreas comuns do hostel, a parte de fora com a piscina, o bar, a hortinha coletinha e depois, nosso quarto e os banheiros. Foi ele também que alojou as nossas coisas em um quartinho trancado no qual eles deixam as coisas do pessoal. Toda a ala de quartos é fechada com cartão magnético e apenas os visitantes tem acesso. Assim como os quartos. Para a área comum, na ala oposta aos quartos, tem uma sala de estar, uma cozinha, uma sala de "jantar" e um terraço imenso com espaço para bar, sauna, hortinha coletiva e piscina com vista sobre o rio Tejo!!! Neste espaço eles fazem festas e BBQ, mas como esta ala é oposta aos quartos, o barulho é zero para quem quer apenas dormir! Um coisa boa: eles fazem o jantar ali por 9€, para quem nao quer se aventurar na cozinha ou sair para comer fora. A localização deste hostel, em relação ao centro, também é muito boa. Seguindo a margem do rio Tejo, com alguns passos em linha reta se chega à praça do Comércio, com o Arco Triunfal da rua Augusta (falarei sobre isso mais adiante); No meu blog, segue mais informações: http://turistando.in/index.php/2014/04/10/hostel-em-lisboa-fotos-e-precos/ Para conhecer Belém, pode se pegar o trem ou um bonde (chamado de elétrico) e em pouco tempo, também de trem, se chega a Cascais e foi para là que nos dirigimos. CASCAIS Seguimos em direção a Cascais, uma vilinha portuguesa na costa do mar mediterrâneo. De Cais de Sodré, foi só descer até a estação e pegar o trem que ia para lá! A ideia, na cidadela, era caminharmos tranquilamente pela sua costa, respirar um bom ar e descansarmos da longa viagem! Mas tivemos um imprevisto: Apesar de ser início de primavera e de ter feito tempo bom uma semana antes de nossa viagem, chegamos com um tempo bastante frio. E caminhar por Cascais foi realmente difícil. Nossa ideia era conhecer a Boca do Inferno, mas esse plano falhou. Ficamos pelo centrinho mesmo, mas para nos proteger do frio, fomos almoçar no aconchegante Cafe Galeria House of Wonders, no centro de Cascais, bem próximo à estação de trem. Ao chegarmos, avistamos uma senhora alta, magra e loira atrás do balcão, era a holandesa Anna! Ela nos perguntou se queríamos ficar ali mesmo, ou no terraço. Estava frio, mas fomos dar uma olhada. O espaço tinha algumas mesinhas feitas com pallets, alguns balcões e cobertores! Tinha ali um grupo corajoso, mas nós decidimos descer! Se pelo menos o céu estivesse azul!!!!!!! Ela disse que a vista do por do sol aqui é magnífica!!!!! No andar de baixo estava, claro, muito mais quente! Havia um casal em uma mesa ao lado da nossa e outros na mesa atrás, mas que estavam já de saída. Meu marido quis provar a cerveja da região, a Sagres. Eu, "gravidinha", pedi um suco mix de frutas. Não me lembro exatamente tudo o que tinha, mas basicamente era um suco de laranja, beterraba, cenoura e maçã! Iniciamos com uma sopa (a "sopa do dia") com alguns pães integrais. No momento deduzi que havia alguma especiaria que eu conhecia e feijão. Não me lembro exatamente do que era a sopa, mas tinha um pouco de feijão e zattar! Ficou uma combinação maravilhosa! Assim que acabou nossa sopinha, pedimos pequenas porções dos pratos bonitos que estavam expostos no balcão de vidro. Havia Moussaka, Babaganouch, Homus, Kibbe Sírio, Tabuleh e Fatushe (uma salada de beterraba e pimentões). Estava tudo muito gostoso. O Moussaka daquela forma para mim foi uma surpresa! Enquanto fazíamos a nossa refeição, chegavam outras pessoas. O que mais me impressionou foi ver a Anna conversando com todos como se fossem amigos de tempos (e eram na verdade, turistas como nós). E' marcante como aquele espaço é importante para ela e como ela se dedica! Ao terminar nossa refeição, foi a vez da sobremesa! Um pratinho com fatias de maçã com canela, um purê de maçã, uma fatia de brownie de chocolate com pedaços de framboesa (ma-ra-vi-lho-so) e um cupcake com recheio de brigadeiro (sim, você leu corretamente: brigadeiro! Os doces são feitos por uma brasileira)! Eu confesso, já estava de barriga cheia, mas o brownie e o cupcake são paradas obrigatórias para chocólatras grávidas como eu! Para terminar a nossa refeição, o Thiago pediu um café e eu escolhi um chá! Na verdade eu escolhi uma tisana! Por sorte, eu sabia um pouco o que era tisana, pois vejo essa diferença na língua italiana (té e tisana)! Não sei explicar ao certo, acho que depende do processo, mas sei que de chá temos o mate, o preto, o verde e etc. E tisana são de ervas como camomila, erva cidreira e etc. Escolhi de Tília! Que nunca havia bebido! Boa, por sinal! E olha como veio! Muito chic, não?!? Nao sei quanto deu a conta, mas tirei foto do cardápio rs No meu blog, segue mais informações: http://turistando.in/index.php/2014/04/14/houseofwonders/ Por conta do frio e do cansaço, caminhamos pelo centro e fomos embora. Jantamos no hostel mesmo. Não quisemos passar frio na nossa 1 noite. Na estação de trem, embaixo do Hostel, há um supermercado da rede Pingo Doce e ali ele comprou presunto cru, queijo, vinho, suco, macarrão, molho e sobremesa. Tudo isso por menos de 10€! Cozinhamos no próprio hostel. Não sabíamos que eles também preparavam comidas!
  3. Como sempre, em agradecimento aos mochileiros que, com suas dicas, me ajudaram a montar o meu roteiro, venho aqui descrever o meu! Todos os meus post de viagem insiro em meu site: http://www.turistando.in. Se quiserem, vejam a pàgina com os links que escrevi sobre Portugal (gastronomia, hosteis e o que fazer): http://turistando.in/index.php/category/portugal/ Eu, Juliana, fui para lá com meu marido, Thiago, comemorar nossa 1° gravidez. Havia acabado de completar o 3° mês de uma gestação bastante tranquila e, por causa disso, encaramos esse nosso "último" mochilão antes de nosso pequenino mochileiro chegar. Foram 13 dias nas cidades de Lisboa, Cascais, Sintra, Braga, Guimaraes, Coimbra e Porto, divididos da seguinte forma: 1° dia - terça feira: chegada em Lisboa por volta das 9h, final da manhã e tarde em Cascais. Noite em Lisboa (hospedagem no hostel Sunset Destination) 2° dia - quarta feira: dia e noite em Lisboa (hospedagem no hostel Sunset Destination) 3° dia - quinta feira: dia e noite em Lisboa (hospedagem no hostel Sunset Destination) 4° dia - sexta feira: dia e noite em Lisboa (hospedagem no hostel Lisbon Destination) 5° dia - sábado feira: dia e noite em Coimbra (hospedagem no hostel Dream on Coimbra) 6° dia - domingo feira: dia e noite em Braga (hospedagem no hostel Pop Braga Hostel) 7° dia - segunda feira: dia e noite em Guimarães (hospedagem no hostel My hostel) 8° dia - terça feira: dia e noite em Porto (hospedagem no hotel Porto Estoril) 9° dia - quarta feira:dia e noite em Porto (hospedagem no hotel Porto Estoril) 10° dia - quinta feira: dia e noite em Sintra (hospedagem no hostel Almaa Hostel) 11° dia - sexta feira: dia em Sintra e noite em Lisboa (hospedagem no hostel Patio Alfama Destination) 12° dia - sábado feira: dia e noite em Lisboa (hospedagem no hostel Patio Alfama Destination) 13° dia - domingo feira: dia e noite em Lisboa (hospedagem no hostel Patio Alfama Destination) 14° dia - segunda feira: embarque Brasil às 6h55 da madrugada Bom, não vou negar que a passagem pelo norte foi um tanto corrida, até porque tivemos alguns contratempos (chuva e mudança de horário), mas deu tudo certo. Contando com o avião, as hospedagens, os trens, os ônibus dentro de casa cidade, alimentação e lembrancinhas gastamos juntos aproximadamente 2.000 euros, sendo que, deste valor, 1000€ foi a passagem e dividimos em 10x. Retirando os restaurantes e os souvenirs, tivemos um gasto de € 1700,00. Partimos na segunda feira, dia 24 de março às 15h55, do aeroporto de Guarulhos, com um voo da Iberia. Escolhemos o mês de março por ser mais barato que o mês de abril. A ideia seria partir no final de semana, para ganharmos mais dias lá fora, mas acreditem se quiser, o voo no domingo custava o mesmo que o da segunda, mas quando procuramos os valores para o retorno, vimos que seria muito mais barato se partíssemos na segunda do que no domingo (pelo site da Iberia é possível visualizar o calendário do mês com os valores por dia. Desta forma facilita achar os melhores valores). O voo da Iberia não é direto. Fizemos uma conexão em Madri (um aeroporto imenso. Leia um pouco sobre ele aqui: http://turistando.in/index.php/2014/04/08/voando-iberia-e-conhecendo-o-aeroporto/) e chegamos por volta das 9 da manhã da terça feira no aeroporto de Lisboa. O tempo de espera no aeroporto é terrível (e ainda por cima fazia frio!). Além da Ibéria, a AirEuropa faz o trajeto (mas o site deles não é fácil de pesquisar) e a TAM. Todos com conexão em Madrid. Apenas a TAP faz voo direto, mas bem mais caro. CHEGANDO EM LISBOA O bom, e muito bom, é que há uma estação de metro no aeroporto de Lisboa (invejinha boa!) que o liga ao centro da cidade. Ônibus e taxis também podem ser boas opções. O valor do taxi inicia com € 3,20 e até o centro deve dar uns 15 euros. Mas se você quer economizar, é possível fazer a ligação com o metro (Pagamos 1,40€ o bilhete que vale por 1 hora, mas confirme os valores: http://www.metrolisboa.pt/informacao/viajar-no-metro/). Decidimos comprar o Lisbon Card no aeroporto. Ele vale por 3 dias e te dá o direito de utilizar todos os meios de transportes e entrar gratuitamente em alguns museus (veja infos aqui: http://www.askmelisboa.com/). O cartão não é barato, custou 39€, mas se você decide entrar nos museus (pelo menos em 3), vale bastante a pena. Voltando ao metro, do aeroporto chegamos diretamente ao hostel que ìamos nos hospedar. E' só entrar na linha vermelha e procurar a estação mais próxima de teu destino (veja o mapa abaixo). Como ficamos no Sunset Hostel - Cais de Sodré, descemos na estação Alameda e trocamos para a linha verde, sentido Cais do Sodré. Muito fácil! Aliás, é de invejar mesmo que a linha vermelha, que vai até o aeroporto, passe por todas as outras linhas de metro (as de cor cinza, são linhas de trem, ou comboio, como eles chamam)!
  4. Obrigada gui.monteiro! Foi o melhor elogio que recebi! E fico contente! Oi Bianca! Obrigada!!!! Eu não fiz a Toscana campestre. Como eu morava em Genova, pegava o trem e passava um fim de semana em alguma cidadezinha histórica e ficava sempre hospedada em albergues ou B&B. Até porque, eu não trabalhei no perìodo que ali fiquei (6 meses) e não poderia gastar muito. Mas saiba que, na Toscana, quanto mais distante da "civilização" você for ficar, mais caro serà! O que pode baratear, nessa parte campestre, sao os camping, pois a maioria sao, principalmente, Agriturismo (algo como hotel fazenda). E não são baratos! Eu fiquei em camping e achei interessante. Eu fiquei em Bangalows (que é o trailler mas sem o carro) e também em estruturas de barracas altas (com fechadura e tudo). Ambos com cama (no caso do Bangalow, tinha até banheiro e cozinha). Nao sei se eles tem "chalés"! Em relaçao à distancias, meus alunos escolhiam uma cidade entre àquelas que eles queriam conhecer e alugavam um carro. Um aluno ficou em Pistoia (ou Empoli, não me lembro ao certo)! Fez ali a cidade base e fez a Toscana de carro! Creio que as estradas sejam otimas. Circulei apenas nas estradas do Sul e se là (que è considerada a regiao mais pobre da Itàlia) è boa, imagino que no norte, ainda mais Toscana, seja melhor tao boa quanto! Quanto à Roma, ou a outras cidades turìsticas, eu indico de olhos fechados (exceto Milao). Acho sim que voce deveria fazer Roma, assim como Venezia (além de Firenze, que voce farà)! Sei que sao clichés, mas sao lindas demais! Se tiver mais dùvidas, me pergunte. Mas como sempre digo: por aqui eu nao recebo notificacao de mensagem. Em meu blog, sim (http://osamigosdemochila.blogspot.com.br/) Abraços
  5. Olà Douglas Eh possìvel sim! Eu diria inclusive que é melhor, pois em cada esquina se encontra algo diferente, além de fugir do transito infernal de Roma! Claro que, o ideal é iniciar cada trecho que criei a partir de alguma estaçao do metro, para poder "garantir" os 4 dias! Qualquer dùvida, me escreva no blog (http://osamigosdemochila.blogspot.com.br/). Recebo notificacao via email!
  6. Por nada! Fico contente! Se precisar de alguma ajuda urgente, entre no meu blog e escreva por là. Assim eu consigo visualizar tua mensagem mais rapidamente! Abraços,
  7. Valeu Marcos Estou montando o meu roteiro para Portugal, mas em breve dou continuidade! Mas se precisar de ajuda urgente, entre no meu blog, là eu recebo notificação quando alguém me manda mensagem!!!!
  8. Cannaregio Nao sei se comentei aqui no Mochileiros, mas é normal (e interessante) se perder nas ruas labirínticas de Veneza. Mesmo com mapa e um bom senso de direção, você terá a ideia de estar longe, quando, na verdade, você estava andando em círculos. De todos os bairros de Veneza, este foi o que mais gostei. E' um pedaço tranquilo e ao mesmo tempo cheio de coisas bacanas para se ver e fazer. Vou listar abaixo alguma das opçoes: Legenda no mapa: 1: Ponte delle Guglie; 2: ponte dei Tre Archi; 3: Ghetto; 4: Campo dei Mori; 5: Chiesa Madonna dell’Orto; 6: Fondamenta dell’Abbazia; 7: Rio del Trapolin in fondamenta Moro; 8: Rio e campo Madallena; 9: Ponte Chiodo sul rio San Felice; 10: Fondamente Nuove; 11: Scuola San Marco e Campo santi Giovanni e Paolo (Zanipolo); 12: Santa Maria dei Miracoli; 13: Corte del Milion No blog escrevi com detalhe cada local, inserindo os preços que encontrei na internet. * O Sestiere de Cannaregio: http://www.turistando.in/venezia-cannaregio/ De importante, temos: Pontes: Ponte delle Guglie; Ponte dei Tre Archi; Igrejas: Chiesa Madonna dell’Orto; "bairros": Ghetto Judaico; Campo dei Mori; Museus ou locais com obras de arte: Scuola San Marco e Campo santi Giovanni e Paolo (Zanipolo)
  9. Por nada, fsao2000! Olha, iniciei um novo post sobre Venezia (http://www.mochileiros.com/veneza-o-que-ver-e-quantos-dias-ficar-t92165.html), mas tenho mais detalhes no blog (http://osamigosdemochila.blogspot.com.br). Dê uma passadinha por là, e se precisar, pergunte!
  10. Que bom, bella!!!!! Espero que tua lua de mel tenha sido inesquecível!
  11. Os bairros (sestiere) di Veneza CANNAREGIO Cannaregio é o primeiro sestiere para quem chega a Veneza de ônibus (pelo Piazzale Roma) ou de trem (pela estação terminal de Santa Lucia); É também o sestiere mais próximo para quem quer dar um pulo em Murano ou Burano (esta última, minha favorita entre as duas). E' um bairro antigo, com o ghetto judaico, o campo dos mouros e muitas igrejas (a principal e mais importante é a Madona dell'Ortoo, com várias obras do mestre Tintoretto). E' possível encontrar hotéis a preços interessantes! SANTA CROCE e SAN POLO Esses dois "sestieri" acabam sendo passagem obrigatória para todo turista, pois é o caminho mais fácil para ir até a Piazza San Marco (passando, claro pela Ponte de Rialto). Nele se encontra a Escola de San Rocco, com obras importantes de Tiziano e Tintoretto. DORSODURO (e a ilha de Giudeca) Nem todos passam por aqui, apenas quem se perde feio, quem fica mais de um dia na ilha ou quem tem como objetivo conhecer o Galeria dell'Accademia delle belle Arte. De importante, além da Accademia, tem a Scuola Grande dei Carmini (com um conjunto de pinturas de Tiepolo), a Coleção Peggy Guggenheim e a Basílica de Santa Maria della Salute, localizada na Punta della Dogana (Ponta da Alfândega). SAN MARCO (e a ilha de San Giorgio Maggiore) E' o destino final de todo turista, pois abriga a imensa Piazza di San Marco com o campanile e a basílica homônima e permite uma linda visão da Ilha de San Giorgio (com as gondolas encapadas em azul). Para acrescentar, é neste sestiere que encontramos a Ponte dos Suspiros e o Palazzo Ducale. Nos próximos posts, falarei sobre cada um dos bairros.
  12. Alguns anos atrás, fiz para uma aluna minha, um guia do que ver e fazer na Itália. Não era necessariamente um relato, mas um breve manual de sobrevivência. (risos) Recentemente, resolvi abrir aquele arquivo e inserir o conteúdo em meu blog, o http://www.turistando.in. Aqui vou tentar mesclar este guia com um relato da lembrança de minha viagem. Quem quiser ver detalhadamente o roteiro, com preços de entrada e fotos e outros roteiros pela Italia, pode seguir em meu blog (http://www.turistando.in/roteiros/europa/pontos-turisticos-na-italia/) e là me fazer perguntas. Aqui tentarei montar um relato. Bom, antes de mais nada, Veneza é uma ilha da região do Veneto, no nordeste italiano, ligada pela Ponte da Liberdade (Ponte della Libertà). Por ser uma cidade cara, muita gente decide ficar na cidade de Mestre (ou Marghera) e chegar até a ilha de trem (a estação de Veneza se chama Santa Lucia) ou de ônibus (pelo terminal no Piazzale Roma) E' uma ótima solução, que pode trazer alguns problemas (você ficará limitado ao horário dos ônibus ou trens) e pode sofrer um grande prejuízo de tempo e dinheiro caso vá em época de greve (sciopero em italiano. Algo muito comum por lá.) Aliás, o problema de greve também atinge quem decide ficar na ilha de Giudeca, onde hà alguns hostels. Nao sei se existe um meio de transporte mais barato, mas quem decide ficar em Giudeca, fica limitado a usar todos os dias o tragheto (18€ por dia - ver preços atualizados no meu blog)!) Para quem decidir ficar na ilha, aconselho procurar algum hotel em Cannaregio. Além de ser um bairro lindo e cheio de història, é o bairro mais pròximo da estacao de trem e te farà sofrer menos para carregar a mala (dê preferência à mochilas!) Quem ainda nao viu Veneza, aconselho fortemente abrir um mapa (melhor ainda o Gmaps no modo Earth) e ver como ela é constituída, pois é uma ilha dividida entre o Canal Grande e vários pequenos canais. Existem várias pontes que ligam os pequenos canais e algumas imensas (e famosas) pontes que ligam blocos da ilha separados pelo Canal Grande. Como meios de transportes, podemos contar com barcos (vaporettos ou traghetos) que circulam pelo Canal Grande ou pelas gôndolas. No entanto, para o turista, tudo isso é caríssimo! O modo mais econômico e mais interessante, claro, é caminhar. A cidade não é feita para pessoas cadeirantes (que deverão obrigatoriamente circular pela cidade nos vaporettos). E por ter diversas pontes, se tua ideia é economizar, esqueça a mala! Mochila, como sempre, é o ideal. Para quem deseja dar um pulinho nas ilhotas próximas à Veneza, como Murano, Burano e Torcello, precisarà comprar um passe diàrio (aquele de 18 euros). Você deve validà-lo assim que entrar no primeiro traghetto e guardà-lo com você. Ele não vale por 24 hs, mas por um dia inteiro, das 00h01 atè 23h59. Por isso, não vale muito a pena comprà-lo a tarde ou no fim do dia.
  13. (.....) Olà Breni Primeiramente, obrigada pelo elogio e desculpe a demora. Este forum nao me avisa quando tem perguntas em meu post (se vc tivesse me perguntado via blog, eu receberia imediatamente) Em segundo lugar, desativei este post pois escrevi no local errado. Entre em http://roma-em-4-dias-e-possivel-t83738.html. Respondendo a tua pergunta 4 dias em Roma, algaremos um carro no ultimo dia de Roma, vale apena alugar um ap, vi que é metade do preço e muito bem localizado ( próximo ao metro Cavour), este local é bom? 4 dias é suficiente para ver os pontos turisticos principais. Sempre aconselho locais proximos do metro. A estacao Cavour està em uma parte boa da cidade, proxima da Termini e da Roma antiga. Nao se esqueça de pegar a "Salita dei Borgias" para visitar a igreja San Pietro in Vincoli e ver o Moises de Michelangelo!!!!! 2 dias em Florença, na saída passada em PISA, depois em Lucca Pisa e Lucca voces conseguirao fazer em meia jornada. 2 dias em Veneza, onde ficar, estaremos de carro, Mestre? Eu semre aconselho procurar locais em conta dentro da propria ilha. O bairro de Cannareggio està perto da estacao Santa Lucia e nao é tao caro. Se a diferença de valor for grande, procure ficar perto da estacao de trem de mestre ou algum hotel em Marghera que ofereça transfer. O bom de estar de carro é que, se tiver greve (o que mais ocorre), voces nao precisarao pagar absurdos para os barcotaxis, mas è melhor ir para Venezia de trem (nao da para entrar na ilha de carro. Voce terà que estacionà-lo na Piazza Roma!) 1 dia em Fussen, quero muito ir no castelo, passada em Cortina? Vale a pena? Nao conheço nenhuma das duas cidades, mas Cortina deve ser linda no inverno!!!! E cara!!!!! 1 dia em Zurique fiquei tbem um dia. Eh suficiente 1 dia em Lucerna fiquei tbem um dia. Eh suficiente. E a cidade è liiiiinda 2 dias em Lauterbrunne, talvez fosse melhor em Interlaken? qual a diferença? 1 dia em Berna, na saída conhecer Montreaux, Lausanne e Chamonix. vale a pena? Na Suiça conheci apenas as duas primeiras que vc citou e Genebra. Nao posso te indicar mais coisa 2 dias em Milão, devolveremos o carro no dia que chegar em Milão Se vc nao curte museus, 2 dias em Milao é demais. Pense na ideia de dar uma paradinha em Como no caminho Suiça - Milao O que vc achou? Preciso de dicassssssssssssssssssssss. Achei um bom roteiro. Porém, nao sei se eu subiria até Zurique..... Nao é melhor 2 dias em Lucerna?
  14. Oi Carlos Desculpe nao ter te respondido antes! Mas o site nao me envia notificaçoes de msgs (pelo meu blog eu recebo!) Olha, voce consegue perfeitamente fazer o Canon de caminhonete! Tem gente que faz de onibus urbano! Eu peguei uma excursao por causa da falta de tempo, mas com carro pròprio é bem melhor! Teu roteiro està bom! Eu so nao sei se eu subiria até Lima para depois descer até o Chile! rs Acho que faria como muitos fazem, de Puno iria sentido Bolivia\Chile Ou faria a doidura de Cuzco-Lima e depois desceria fazendo Ica (como a AnaC fez), Ollanta, Canons, Puno, Titicaca e por ai vai....
  15. Peninha... mas depois conte um pouco do teu relato aqui e se puder, insira fotos! estou curiosa pela parte que eu nao conheci! bjs
  16. Que belo ter noticias tuas dai!!!!! Eu realmente vi poucos guias em Quenqo.... a maioria estava em Sacsayhuaman mesmo! Vc jà foi para Pisac????? Boa viagem!!!!!
  17. Oi Cris.... Vou tentar aqui entender o teu roteiro... 29 set - chegada à noite (voce poderia comprar um pacote para um passeio noturno pela cidade. Existem varios pacotes que oferecem o Roma noturna e Iluninada. Para economizar, voces podem fazer por conta, mas a vantagem que eu vejo em pacotes é a praticidade. Voces chegarao cansados de viagem e se dormirem assim que chegarem, além de perderem a 1° noite na cidade, voces poderao ficar "fusados") 30 set (o Roma Pass vale por exatos 3 dias; o dia 3 out vce tem pouco tempo, entao vale a pena começar a usa-lo hj. Voce poderia fazer aquele meu roteiro Roma barroca 01 out (Se vc preferiu fazer o Roma Barroca ontem, faça hj o Roma Antiga, entrando no Coliseu e o Foro Romano. Caso ainda tenham tempo, peguem o metro até Flaminio e faça a Piazza del Popolo e terminem o dia na galeria Borghese) 02 out - San Pietro (Eu nao sei quanto tempo demora a udienza papale, mas voces podem tentar fazer aqui o Vaticano, o museu e o Castel Sant'Angelo) 03 out (aqui voces podem fazer o que faltou) Voce jà viu o meu blog? http://osamigosdemochila.blogspot.com.br/search/label/Roma Vou ver se consigo dar uma adiantada nesta semana. Mas se tiver mais duvidas, me pergunte aqui, ou là (por là eu recebo notificacao via email a cada msg. Aqui eu preciso me lembrar de acessar!!!!)!
  18. Oi Prividal Que bom que voce gostou do relato. Estou bem atarefada, mas pretendo dar continuacao. Eu ia fazer exatamente isso que voce pretende. Ia descer de carro sentido Curitiba, mas nao iria entrar na cidade. Meu objetivo era conhecer Lapa. Desta cidade, ia seguir sentido Missoes e entrar no Uurguai por Rivera. Infelizmente nao deu certo. Meu roteiro nao foi via POA. Foi via BsAs de aviao. Bsas - Colonia de balsa Colonia - MVD de bus MVD - Punta de bus Punta - POA de bus noturno e por fim POA - SP de aviao! Ainda nao fiz uma tabela de valores, mas gastamos em torno de R$ 3000,00. Fomos em època de dolar alto (1 dolar = 2.45), compramos as passagens em cima da hora e gastamos muito com vinhos e restaurantes. Poderia ter sido bem mais economico
  19. Ana Nao sei te dizer se a ferinha que eu vi è a mesma que vc ouviu falar. De repente, de 3° e 5° é mais completa, nao sei! Mas se voce gosta de artesanatos, comece a pesquisar sobre Chinchero, que pelo o que eu li, ocorre apenas aos domingos (http://www.tripadvisor.com.br/ShowUserReviews-g319822-d2351209-r143423664-Chinchero-Chinchero_Cusco_Region.html).
  20. Bom, se precisar de mais ajuda, sò gritar! E eu acho que até là eu ainda te convenço a ver o vale do Colca..... e eu acho que vc vai depois me agradecer hehehehehe
  21. Esse horario do trem é bom pois voce poderà curtir MP até o final..... Depois que o pessoalq ue precisa voltar direto para Cusco vai embora, o parque fica super vazio!
  22. Qual o horario do trem de MP para Ollanta? Eu dormi duas noites em AC e com isso cheguei super cedo em Ollanta! Quanto ao tempo, vai dar sim! Eu nao fui para Maras.... fiquei com muita vontade, mas o unico taxi disponivel no dia que estavamos là (era feriado) nos pediu um valor alto demais e nao tinha ninguém no momento que quisesse fazer o mesmo percurso que nòs! Ahhhh... um detalhe em MP. Eh proibido levar comida, mas todos levam! Tem inclusive "porcos" que deixam rastros no parque! Fui tao certinha que nao levei e tivemos que comer do lado de fora. O restaurante tem um buffet completo a vontade por um valor fixo em dolar. Acho (mas pode estar falhando minha memoria - rs) que pagamos 36 dolares por pessoa!!!!!!! Tbem tinha lanches, mas em conta, mas tbem por um valor absurdo!
×
×
  • Criar Novo...