Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

rogerio.oliveira2

Membros
  • Total de itens

    12
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra

Sobre rogerio.oliveira2

  • Data de Nascimento 27-02-1978

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    São Luís do Maranhão e Lençóis (julho /2013)
    Tuneiras d'Oeste, Cianorte ( todo ano vou para lá, primos)
    Foz do Iguassu (julho/2013 , out/2014 e dez/215)
    Salvador (janeiro/2014)
    Califórnia (abril/2014)
    Piranhas-GO e Barra do Garça-MT (julho/2014)
    Maceió (jul/2014)
    Ouro Preto, Mariana, São João Del Rei e Tiradentes (janeiro/2015)
    Porto Seguro - BA (julho/2016)
  • Próximo Destino
    Quero conhecer muitos lugares ainda no Brasil e diferentes regiões e algum dia em minha vida conhecer alguns países na Europa - que é o berço da civilização ocidental.
  • Ocupação
    Professor Geografia / História
  • Meu Blog
  1. 20/11 a 22/11 de 2015 Para quem está no estado de São Paulo perto da região de Campinas ou até mesmo distante e quiser se aventurar para uma cidade também termal, assim como Poços de Caldas – São Lourenço é uma ótima opção e é fácil de se chegar apesar das estradas em Minas serem mais simples e com pouca sinalização, mas nada que faça você perder a cabeça e se desesperar! Além de postos de combustível ao longo do trajeto é possível também pedir informação dentro de algumas cidades que se passa! Total rodado = 315 km (ida) Pedágios = Somente 2 no estado de São Paulo – (rumo a Mogi-Mirim e Itapira) PREPARANDO O PERCURSO Quando lancei no google.maps Limeira-SP a São Lourenço-MG o programa me deu várias rotas e decidi ir pela do interior passando por Ouro Fino-MG, não sei se fiz bem, visto que a estrada nesse trajeto foi a pior parte devido aos inúmeros buracos no asfalto e acostamentos pequenos, entretanto quando sentia insegurança por não haver tantas placas ao longo da estrada, conseguia parar em algum posto e confirmar rota. Chegando em Pouso Alegre-MG foi o momento mais tenso, por que nesse interim resolvi pegar a rodovia Fernão Dias BR381 como o google havia me mostrado, como aquilo tinha se tornado um pouco complicado para mim, parei em uma concessionária e pedi informação para um moço, o qual de imediato me desaconselhou pegar tal rota pela distancia e me informou que seguindo reto entraria na estrada rumo à Santa Rita do Sapucaí, passando pelas cidades de Pedralva, Cristina e Carmo de Minas(rodovia MG-459 e 347 )e dirigindo mais alguns quilômetros estaria finalmente no meu destino. Vale mencionar que fiz o caminho como ensinado – a sinalização é péssima, apesar da estrada ser muito boa, mas devagar se vai longe, tanto é que cheguei na cidade e aproveitei muito. Dicas na cidade É uma cidade bem movimentada por turistas, existem várias lojas de doces e queijos assim como poços de Caldas, o mercadão municipal é pequeno comparado ao de Poços, mas vale a pena conferir! O calçadão principal da cidade onde se concentram hotéis mais caros, lojas de souvenir, bares e restaurante é muito legal. Um bom lugar para beber e comer algo e conversar muito. Na hora do almoço os preços são bem acessíveis, há muitas promoções nos restaurantes. Entretanto, a noite esses mesmos restaurantes cobram mais caro, pois muitos só oferecem lanches e pizzas no cardápio! Lembro-me que sai da rua dos turistas e adentrei mais na cidade, na parte dos moradores, ali você encontra outras lanchonetes tão boas quanto a rua principal, mas com preço muito mais justo! Isso a meu ver, se você quiser ficar só no circuito para turistas tudo bem! Passeio de Maria Fumaça Você pode andar ainda por outras ruas onde há lojas de artesanatos – assim que chegamos na pousada às 14:00, descansamos um pouco e nesse primeiro dia rodamos o centro da cidade. No segundo dia, logo após o café da manhã fomos para o famoso passeio de Maria fumaça entre as cidades de São Lourenço e Soledad de Minas – Em 2015 o passeio custava R$50,00 por pessoa e isso incluía a todos independente se era a pessoa fosse aposentada, estudante ou professor. Todos pagavam a mesma tarifa, no guichê da estação falavam que o ingresso custava na verdade R$100,00, mas já haviam dado o desconto para todos. *(na minha opinião: mentira!, apenas mais uma forma de tirar dinheiro de turista, já que os vagões iam lotados) O passeio vale a pena, muito divertido com violeiros cantando nos vagões e a parada que você faz até a outra estação você vê mais artesanato e comidas. Creio que o passeio dura cerca de 1 hora e meia. Indo para São Lourenço, não tem escapatória faça o passeio! Creio que o passeio só acontece aos sábados e domingos, procure no Google ou na cidade os horários de embarque! O parque termal da Nestlé O parque era municipal, mas houve uma concessão para que a Nestlé o explorasse. Ao meu ver, embora pagando o ingresso de R$7,00, vale a pena conhecer e passar umas horas ali. Tudo é muito bem conservado, com manutenção constante, banheiros limpos e há uma área no parque que você toma uma ducha bem gostosa, não há piscinas – somente uma duchão e em volta dele há cadeiras de piscinas e um restaurante. Minha namorada e eu tomamos um banho gostoso ali e ficamos um bom tempo, havíamos encontrado pessoas muito bacanas para conversar naquele local. Ah! Quando fizer o passeio no parque, vá então com um biquíni e/ou shorts mais leve por baixo das roupas para se molhar! Muitos fazem isso! E digo: vale a pena! Enfim, creio que 3 dias são suficientes para ficar na cidade – é um lugar que oferece lazer e tranquilidade para quem procura esse tipo de turismo! Um ótimo lugar para casais com filhos, namorados e idosos! Tem acessibilidade a deficientes físicos principalmente na área central! Há também pessoas que reservam um tempo para conhecer as cidades vizinhas de Caxambu e Lambari! Se tiver mais tempo em seu roteiro faça tais visitas. ***Para voltar você pode fazer o mesmo percurso da ida ou se preferir, pegue sentindo Lambari, Campanha e caia na Fernão Dias BR-381 e dirija até Atibaia-SP, chegando no entroncamento da Dom Pedro I SP-065, vá rumo a Campinas e lá rumo a Limeira pela Anhanguera BR-50.
  2. 08/01 a 13/01 de 2015 Minha prima Regina, irmã Juliana e amiga Renata resolveram assim como eu se aventurar por um roteiro maravilhoso e extremamente cultural de Minas Gerais, a famosa estrada real, cidades do circuito histórico que foram importantes no período colonial (século XVII). Para quem estiver interessado nesse roteiro meus conselhos são: 1) Vá sem pestanejar, é uma viagem ao passado através de casarões, igrejas e monumentos que já fazem parte do patrimônio cultural da humanidade; 2) É um passeio para que gosta de apreciar o patrimônio histórico, mesmo não sendo católico não deixe de visitar as igrejas e olhar as imagens como arte; 3) Procure nessas cidades andar de tênis por a parte histórica as calçadas e ruas são todas de paralelepípedos, andar de chinelo, rasteirinhas ou sandália é um suplício para os pés; 4) Sempre tenha em mãos um roteiro impresso, você consegue traçar sua rota pelo Google.maps, no estado de São Paulo comece a viagem pela cidade mais longe, pois a ida sempre é mais gostosa, divertida e empolgante do que a volta. 4.1 - Então, dê prioridade a Ouro Preto, Mariana e depois desça para São João Del Rei e Tiradentes. De Campinas a Ouro Preto são 630 km cerca de 10 horas de viagem. Já de São João Del Rei a Campinas são apenas 457km cerca de 6 horas; 5) Pegando a rodovia Fernão Dias BR 381, sentido Belo Horizonte você pode reduzir seu tempo de viagem se entrar na rota por Carmópolis de Minas, Entre Rios de Minas, São Brás do Suaçuí e Ouro Branco. ***Como os hotéis em Ouro Preto estavam mais caros e muitos não disponibilizavam estacionamento, resolvi me hospedar em Ouro Branco, uma cidade estratégica para quem está naquela região e de lá fizemos os passeios de bate e volta. Se alguém não encontrar hotel bom em Mariana ou Ouro Preto, há hotéis bons em Ouro Branco, não tenha medo! É uma boa cidade, além de extremamente estratégica! Ouro Preto (bate volta de Ouro Branco) Dia 09/01 (sexta-feira) Sem palavras, maravilhosa a cidade! Andar pela parte histórica de carro é uma aventura a parte, as ruas de paralelepípedos são extremamente estreitas e as diversas subidas e descidas fazem que você trema no volante! Mas nada assustador, dirigindo com cuidado se vai longe! Essencialmente o que mais você visita são igrejas, todas do período colonial, com anjos barrocos, onde cada um tem uma expressão facial, os santos com cabelos humanos e mantos de veludo extremamente pesado que expressam dor e também majestade. O lugar que mais me emocionei e cai em lágrimas foi no museu de Tiradentes, lugar que outrora era um tribunal e onde ele foi sentenciado a morte de forca e esquartejamento. Andar por aqueles corredores onde objetos, cartas e documentos do século XVIII estão presentes é um prato cheio para quem aprecia a disciplina de História. A praça central onde está o monumento de Tiradentes é cercada por restaurantes, bares, lojinhas e um pouco mais distante podemos ver um estacionamento público, mas deve-se dar aquela gorjeta aos moços que ali trabalham olhando o carro, aliás são eles que muitas vezes ajeitam uma vaga para seu carro. Então se você estiver de carro e for para lá não há como escapar deles. Naquele lugar histórico você também encontrará mais adiante uma feirinha de objetos em pedra sabão, muitas imagens lá são feitas dessa pedra, perto dela observa-se também uma outra igreja onde muitos obras de aleijadinho estão em exposição. Uma coisa que você encontrará muito na parte histórica são guias turísticos vendendo passeios para minas históricas, feitas pelos escravos, para quem curte um passeio mais radical creio que deva ser interessante! Lendo relatos de outros turistas em sites vi que tais visitas a essas minas são cansativas, pois tudo é muito baixo e asfixiante! Entretanto, não posso falar com segurança de algo que não vivi! Tivemos a oportunidade de conversar com outros turistas hospedados lá, eles nos disseram que a vida noturna de Ouro Preto é muito agitada com barzinhos! Então devo na próxima vez ficar lá e conferir para poder dar mais dicas. Dicas de Mariana (bate volta de Ouro Branco) Dia 10/01 (sábado) Logo que aconteceu o acidente da mineradora Samarco em Mariana todos meus amigos me perguntaram sobre a cidade, como ela era e que pena que tal patrimônio fora destruído. Entretanto, não se atentaram que a inundação ocorrera em um pequeno distrito de Mariana, não propriamente na cidade! Lógico, que durante meses a cidade teve que se reestruturar para acomodar as vítimas da tragédia! Meses mais tarde, a cidade teve que se reinventar para receber turistas, pois não poderia deixar de perder mais uma fonte de renda. Pois bem, vamos a cidade – ela realmente é um encanto, a parte histórica deve ser explorada minunciosamente, lembro – me que minha irmã e eu subimos até o campanário da igreja São Pedro. A vista de lá é indescritível, você visualiza toda a cidade histórica com seus telhados e casas coloniais! A pracinha também é pitoresca, lá há sorveterias, restaurantes e bares – um bom lugar para se passar algumas horas. Na cidade também são encontradas algumas obras de Aleijadinho, como o chafariz desativado na parte mais alta da cidade, perto da igreja São Pedro. Quem vai a Mariana não pode deixar de visitar algumas igrejas e museus sacros – e por fim, por volta das 16:00, fomos fazer a visita na Mina de ouro da Passagem, uma das maiores do mundo aberta ao público. O passeio acontece através de um trole que percorre 315 metros de trilhos até chegar a 120 metros de profundidade. Ao longo da descida, observam-se grandes salões, túneis e lagos de águas cristalinas. O passeio é acompanhado por monitores que contam histórias e curiosidades da mina, aberta em 1719 e desativada em 1985. Creio que a cidade é um ótimo lugar para se hospedar! Infelizmente não posso dar dica de como é a vida noturna na cidade, creio que devo uma outra visita para aquele lugar para conferir e poder dar dicas! Dicas de Congonhas (bate volta de Ouro Branco) Dia 11/01 (domingo) Obras maravilhosas expostas ao ar livre, marca do período colonial e barroco. Para chegar até a igreja onde estão as estátuas e também a via sacra você deve subir a parte mais alta da cidade, as ruas até lá são um pouco estreitas, mas todas bem sinalizadas indicando: área histórica! Para esse passeio é necessário somente algumas horas, fizemos no domingo na parte da manhã e almoçamos num restaurante muito simples lá mesmo. A cidade em si não é de toda bela, mas o valor histórico que ela agrega a todos que amam cultura, arte e religião é algo indescritível. Vale mencionar também que nas imediações das obras de Aleijadinho, encontram-se lojas de mimos, há também um bar restaurante ali perto, tudo muito simples, mas delicioso e limpo. São João Del Rei 3 dias de hospedagem dia 12/01 a 14/01 de 2015 Saímos de Ouro Branco por volta das 11:30, pegamos a estrada por São Brás do Suaçuí e dirigimos por mais ou menos 2 horas, chegando na cidade por volta das 14:00. Procuramos nosso hotel, fizemos o check in descansamos um pouco e por volta das 17:00 fomos fazer um pouco da parte histórica de São João, ficamos naquela região até às 20:00, pois há deliciosos bares no largo do São Francisco! São João é uma boa cidade, mas você não terá grandes opções de passeios lá, a própria atendente do hotel nos disse que alguns passeios mais afastados da cidade em trilhas e matas não são aconselhados a turistas devido a assaltos. Tirandentes (bate e volta de São João Del Rei) 13/01 (terça-feira) A cidade é um encanto, fomos na parte da manhã, tiramos muitas fotos as paisagens da cidade são lindas, há muitas lojas de doces cristalizados, barzinhos e restaurantes, assim como pousadas. A cidade é pequena e muito calma tudo lá também respira a História, fato esse que a coloca entre as cidades históricas de Minas e também na Rota Real, isto é passava como percurso para escoação de ouro até o porto do Rio de Janeiro ou Parati. O que nos veio de surpresa foi o fato de no mesmo dia sairmos de Tiradentes, pois estávamos já cansados da tranquilidade da cidade e partirmos para outra cidade, nada histórica, mas sim que vive de artesanato, isso a 22km do hotel onde estávamos hospedados, a cidade é de Resende Costa. Se tiver a oportunidade faça tal passeio, creio que meio dia em Tiradentes e meio em Resende Costa é suficiente para explorar tais lugares. Volta 13/01 (quarta-feira) *** Terminado nossas diárias do hotel em São João Del Rei partimos rumo a nossa cidade, minha prima para Hortolândia e eu para Iracemápolis –SP. O caminho de volta foi muito tranquilo, seguindo rumo a estrada Fernão Dias – BR 381, caindo na Dom Pedro I- SP 065 no trecho da cidade de Atibaia. Enfim, o mais difícil já fora feito! (volta em torno de 480km cada um para sua cidade de origem – 6 horas de viagem)
  3. De 08/jan a 15/jan de 2014 Um roteiro muito bom para quem gosta de praia, agitação, culinária baiana tudo isso agregado a História do início do Brasil, pois bem: O Brasil nasce na Bahia e se você escolher qualquer rota de praia nesse estado, você se deparará com a miscigenação cultural latente de nosso país que nasceu entre os índios, portugueses e negros. Sobre Religião Somando à miscigenação, não despreze também o sincretismo religioso presente nesse local, quando voltei de viagem contei para meus amigos e alunos, que a Bahia e principalmente Salvador é o lugar onde você encontra lojas de artigos religiosos onde Orixás, pajelança, santos católicos e músicas evangélicas convivem lado a lado, aquilo de começo me causou estranheza, mas por outro lado achei divertido tal fato, visto que nos estados do sudeste e até sul do país seria algo muito improvável de acontecer! Portanto, quem pretende ir a Salvador esteja de mente aberta para a cultura local, mesmo que discordando, apenas respeite e com certeza será muito bem vindo naquela terra de gente acolhedora. Sobre Comida Um dos pontos fortes também se destaca pela comida, para quem tem estômago fraco procure comer lanches mais leves – o tempero baiano é algo mágico: dendê, acarajé, vatapá, coentro e pimenta são encontrados em cada esquina daquela cidade. É uma cidade que cheira comida! Percorrendo a História Sobre a parte histórica sou muito suspeito em falar algo, visto além de geografia também sou professor de História – andar pelas ruas do pelourinho é algo incrível, olhar a arquitetura do período colonial através dos casarões, casebre e imensas igrejas e e voltar ao tempo em que éramos apenas a colônia mais próspera de Portugal. Também me lembrei do cantor Michael Jackson quando veio ao Brasil e fez um clip musical naquelas ruas! Aliás, há muitas fotos do cantor falecido pelas ruas do pelourinho no período que ele lançou aquele pedaço de Salvador ao mundo através da musica: They don’t care about us! Visitem o elevador Lacerda e o mercado municipal, senão fizerem isso certamente dirão que você não conheceu a cidade. O mercadão é mais voltado para artesanato do que a comidas típicas – apesar de existir alguns restaurantes lá pelo que me lembro. O som de berimbau é constante naquela parte histórica, as apresentações de capoeira permeiam aquele lugar – prato cheio para o turista que ama ver coisas diferentes do seu dia a dia! Sobre hospedagem: Minha prima Regina e eu nos hospedamos no bairro Rio Vermelho, ficamos num hotel até que razoável pelo custo benefício. Apesar de irmos de avião e não alugarmos carro na cidade, andamos muito bem de ônibus – tal bairro é a ligação entre a parte velha da cidade que lhe propõem a história e o centrão com o lado mais novo e afastado da cidade onde os hotéis e praias são muito melhores! O bairro é um ótimo lugar para se conseguir hospedagem, se voltar algum dia certamente escolheria esse lugar por ser tão fácil de se locomover nada fica tão longe! Sobre Taxis: Quando fomos, não havia essa historia de Ubber, então pesquisamos bastante antes de entrar em qualquer taxi, chegamos até mesmo pechinchar e dito e feito os taxistas abaixaram preços em até R$10,00 – tem alguns que ligam o taxímetro outros não! O valor das corridas lá era bem alto para turistas que queriam economizar! Lembro-me que uma corrida do Aeroporto ao Bairro da Barra saia por R$100,00, para Rio Vermelho R$70,00. Lembro-me que pagamos R$50,00. Isto porque minha prima pegou um taxi não conveniado da cooperativa do aeroporto. Sobre Praias Achei a praia da Barra uma furada – desculpe me pela sinceridade! Mas além de pequena a mesma tinha um cheiro forte de urina – o que valeu foi a foto e dizer que você um dia conheceu a famosa praia. Invista seu tempo em praias mais longe do centro, como: Itapuã, Sesc, Flamengo, Stella Maris – quanto mais longe da muvuca mais limpo e menos vendedores de fitinhas do Senhor do Bonfim para te importunar – e eles importunam muito, são extremamente inconvenientes, chegando a amedrontar de tanto cobrar para que os turistas comprem as tais fitinhas! Quando os virem, lembre-se: sorria, agradeça e fuja! Passeio de Escuna Passeio imperdível – embarcando no porto eles te levam de escuna por algumas praias paradisíacas como a dos Frades, lá além da água ser morninha a paisagem compensa tudo – você também almoça na ilha de Itamaracá. As escunas te levam para restaurantes pré-definidos assim como lugares específicos das ilhas. Na época pagamos R$ 70,00, por pessoa, incluindo o transfer de taxi Hotel- porto ida e volta. Ah! Não posso deixar de mencionar que na escuna além de música, o guia nos contava a história da fundação de Salvador, ilhas ao redor e como cortesia havia frutas para comermos. Bebidas eram cobradas a parte. PASSEIO PRAIA DO FORTE Na época pagamos cerca de R$80,00, por pessoa, com Van nos pegando no hotel e guia nos contando detalhes daquela região – é um passeio que vale a pena ser feito, já que você está em Salvador e quer ver algo além da cidade. Você visita o projeto de tartarugas Tamar e come na praia. Por ser um passeio de bate e volta, infelizmente não dá para aproveitar muita coisa, tudo é muito rápido – em janeiro os restaurantes estão lotados, assim como as barracas das praias então tudo é demorado, lembro-me que consegui dar um mergulho! (se não me falha a memória, creio que levamos cerca de 2 horas para chegar na praia do forte ou seja 80km – atentando se ao fato de que a Van passa em vários hotéis para pegar os passageiros) Enfim, vá para Salvador – curta aquela região e tudo o que ela tem para oferecer! Faça vários passeios que seu bolso te permitir – incluindo a igreja do Senhor do Bonfim, as obras da irmã Dulce entre outros! Jamais compare Salvador com nenhuma outra cidade! Vi turistas fazendo isso com outras cidades nordestinas, como resultado acabaram se decepcionando! Ora bolas, cada lugar é uma cultura, arquitetura, praia e jeito diferente. Ou seja: curta Salvador!
  4. Férias de fim de ano sempre são boas, mas melhor ainda é você colocar o pé na estrada e explorar uma cidade que ainda não teve a oportunidade de conhecer. Sendo assim, minha namorada e eu três meses antes (setembro/2016) começamos nossa pesquisa a vários lugares pelo Brasil que fosse possível fazer de carro e também não fosse tão longe, já que passaríamos somente a semana do dia 24/12 a 30/12. Portanto, não era viável que gastássemos um ou dois dias somente de estrada como fizemos quando fomos a Porto Seguro – BA em julho/2016. Roteiro na mão, cidade escolhida: Caldas Novas e Pirenópolis com direito a conhecer a cidade de Goiás num bate volta de quase 3 horas de duração e 190 km de Pirenópolis onde ficamos hospedados. Pois bem, vou falar do trajeto que é o assunto mais importante nesse momento. Limeira – Caldas Novas Já em Limeira pegar a rodovia Anhanguera BR -050 e dirigir até Araguari –MG, lá a rodovia muda de nome, de Anhanguera para Chico Xavier, mas continua sendo BR- 050. Chegando em Araguari, achei que as coisas ficaram um pouco chatinha de se entender, mas nada que uma parada num posto de gasolina não resolva e um frentista bem informado não me indicasse o caminho correto para chegar em Caldas. Depois de Araguari –MG a pista foi simples, mas tudo muito bem sinalizado, bem conservado, com acostamentos e sem nenhum pedágio a vista. Ficar atento somente com os radares porque há muitos, tanto em Minas Gerais quanto em Goiás. (alguns de 80km, 60km e 40km) Saímos de Limeira às 04:00 estávamos na porta do Hotel Flat Residence às 14:30 – vale mencionar que fizemos várias paradas ao longo da viagem em postos para ir ao banheiro, comer algo e abastecer . IDA (24/12/16) Modelo do Carro: Corsa Classic 2013 TOTAL RODADO = 653 KM VALOR PEDÁGIOS = R$ 69,70 COMBUSTÍVEL = R$ 217,00 ETANOL ( bem rodado até mesmo dentro da cidade por 3 dias) DICAS NA CIDADE Parques há inúmeros, vale a pena você pesquisar em sua casa e ligar se for o caso, assim como eu fiz dias antes da viagem. Há parques que oferecem promoções bem legais, outros não. O que também se percebe é que ingressos comprados na portaria são geralmente mais caros então deixe para comprar na cidade em quiosques, agências – digo isso porque fiz e notei vários pontos de vendas para diversos parques no centro da cidade. (Os parques também contam com piscina de águas frias, já que quente e morna muitas vezes é insuportável no calor do centro-oeste.) A noite da cidade no fim de ano é uma delícia, feirinhas, sorveterias e supermercados abertos até muito tarde, não sei dizer se isso acontece fora do período de férias. A comida goiana é um sabor a parte, já que tudo tem acompanhamento de mandioca ou uma saladinha. Quanto a hotéis, melhor reservar antes, eu o fiz pelo booking.com, mas há outras opções também e para os que gostam de tudo na hora, há pessoas que oferecem promoções de diárias de hotel no centro da cidade, são os panfleteiros. DE CALDAS RUMO A PIRENÓPOLIS Também muito tranquilo, fui rumo a Goiânia e da capital rumo a Anápolis – houve momentos que dirigi por estradas simples – até Piracanjuba, depois da cidade você passa por Professor Jamil e pega a BR-153 (rodovia Transbrasiliana) e nisso dirigi numa estrada dupla até Anápolis sem percalço algum. (lembre-se dos radares, há muitos ao longo da estrada) até Pirenópolis peguei somente 2 pedágios. Um na altura de Prof. Jamil e outro em Goianápolis, somando em R$7,70. Passando Anápolis, redobre a atenção à sinalização você volta a dirigir por estradas mais simples, com alguns buracos e trechos sem acostamentos, mas nada que seja difícil, já que o movimento não é tão intenso quanto nas cidades maiores. Fique tranquilo de Anápolis a Pirenópolis e pertinho cerca de 65 km. (sai às 10:00, cheguei às 15:30) TOTAL RODADO = 288 KM PEDÁGIOS = R$ 7,70 COMBUSTÍVEL = R$ 65,00 (voltei a abastecer o carro só quanto fiz o bate volta para Goiás velho – a km do carro rendeu bastante) DICAS NA CIDADE Pousadas existem inúmeras, as ruas são um convite a voltar ao passado na cidade que foi um dos polos de exploração de ciclo do ouro no Brasil naquela região. Restaurante, bares e sorveterias para todos os bolsos. A noite é um encanto, há várias lojinhas de lembrancinhas e também para quem gosta de brincos, anéis e acessórios em prata e pedras preciosas o lugar é ideal para fazer tais compras, já que a cidade conta com muitas lojas nesse ramo. Quanto a cachoeiras existem inúmeras, escolhemos no caso a cachoeira das Araras que dista 23 km da cidade e tem infraestrutura para turista e não necessita se fazer trilha para chegar nela. Mas se você é do perfil aventureiro e prefere trilhas e cachoeiras mais perigosas há também outras opções na cidade. Estando na cidade, consulte a recepção da pousada eles saberão te indicar a melhor, foi o que aconteceu comigo. Dá para ir de carro em todas, se você contratar uma agência lá para te levar vai pagar mais caro. Sobre a Cavalhada – essa cidade é famosa por esse evento épico, tendo até arena construída pelo governo para a encenação. Segundo informação precisa do dono da pousada que fiquei que participa dela anualmente, a mesma ocorre 40 dias após a Páscoa. Portanto, não há uma data e mês fixo. Se quiser vê-la olhe o calendário e/ou ligue para uma pousada ou prefeitura. BATE VOLTA PIRENÓPOLIS A GOIÁS (Cidade de Goiás ou Goiás Velho) 380 km IDA E VOLTA 190 KM entre as duas cidades. Já que estava em Goiás e não deixaria essa oportunidade escapar pelos meus dedos somente por preguiça de dirigir, já que até o momento tinha dirigido 940 km. Então resolvemos ir rumo à primeira capital de Goiás nos idos de 1700 e cidade da escritora Cora Coralina. Valeu a pena, mas o cansaço foi grande já que além dos muitos quilômetros percorridos a estrada GO 070 é uma aventura a parte. Saindo de Pirenópolis pela GO – 388 e pegando a BR -153 sentido Jaraguá, você entrará num trecho onde o que marca a entrada dessa estrada é uma grande barraca que vende Abacaxi, (isso passando o Postão da cidade de Jaranápolis) Você verá a barraca e entrará, não fique assustado, não há asfalto por um trecho de 2 km – só terra, à medida que percorre essa estrada encontrará trechos totalmente asfaltados, com acostamento, faixas e sinalização. Mas, haverá momentos que verá somente terra de chão batido, pinguelas (ponte muito estreita) e bois cruzando seu caminho do nada. (essa gastura se dará até a cidade de Itaguari – depois desse trecho o caminho é asfaltado por completo) Não há pedágios nesses trechos percorridos! Aliás fui informado que essa estrada este em construção há anos, o mais incrível que vi que há trechos em manutenção com homens trabalhando. (essa estrada faz a chegada a Goiás Velho demorar, mas se você percorrer outro caminho tornará a viagem ainda mais longa) (sai às 09:00, cheguei às 12:00) (sai às 16:00, cheguei às 19:00) DICAS NA CIDADE A cidade é essencialmente histórica, as ruas, casebres, igrejas e prefeitura. Há museus para visitar e também a casa da escritora Cora Coralina que fica ao lado do Rio Vermelho que corta a cidade. Na estrada rumo a cidade trecho Itaberaí GO-156 verá inúmeras vendinhas onde comercializam –se panelas de barro, alumínio, polvilho entre outras coisas. Não aguentei e comprei 2 panelas de barros grandes e até o momento cozinhei muito nelas. Uma turista de Brasília que encontramos lá nos disse que na cidade existem também inúmeras cachoeiras, assim como em Pirenópolis, só que um pouco mais longe. De Pirenópolis - SP a Limeira – SP Retorno dia 30/12 Dirigi por 13 horas seguidas, com paradas para abastecimento do carro e também comilanças em postos. Peguei um trecho muito mais simples, saí direto de Pirenópolis até Anápolis e peguei a BR-153 sentido Sul, Goiânia – São Paulo. Fui por essa rodovia até Itumbiara e cruzei a ponte chegando em Uberlândia – MG, passando por Monte Alegre de Minas e Xapetuba. Estando em Uberlândia peguei a BR -050 e dirigi até chegar novamente em Limeira. (sai às 10:00 e cheguei às 23:30) Foi bem cansativo a viagem tanto a ida quanto a volta, mas se me perguntar se eu faria de novo, te responderia: SIM!!! Glórias a Deus tudo transcorreu da melhor forma possível, conheci lugares lindos, comi muita comida gostosa, conheci gente bacana e minha namorada se divertiu muito! TOTAL RODADOS = 955 km TOTAL EM PEDÁGIOS = R$ 79,90 (3 em GO, 2 em MG e 7 em SP)
  5. Pode ir tranquila! só cuidado mesmo com as inúmeras curvas na estrada de Minas e alguns pontos sem acostamentos da BR-101 para frente de Teixeiras de Freitas-BA. Do mais, faça a revisão de seu carro, calibre os pneus, imprima alguns mapas pelo Google.maps para te ajudar. Fiz em julho/2016 o roteiro Hortolândia-SP a Porto Seguro-BA e amei!!! ao longo do caminho encontrará postos de gasolina e tirará suas dúvidas que surgem ao longo do caminho! Boa Viagem
  6. Bem pessoal Estou planejando em ir para Caxias do Sul-RS nesse final de 2016 com minha namorada de carro, entretanto não estou encontrando informações o suficiente em relação em qual melhor região da cidade se hospedar. Preciso saber se é uma cidade fácil para se locomover e visitar as cidades circunvizinhas, se há vida noturna, no caso bares e restaurantes abertos durante o período de Natal até o ano novo. Estamos indo para Caxias porque infelizmente os preços para Canela e Gramado estão nas alturas! então planejo me hospedar na cidade e fazer bate-voltas para Bento Gonçalves, Farroupilha, Gramado e Canela se possível. Será que dá? Desde já grato!
  7. Creio que vc fará do Rio até Porto em 18 horas ou um pouco mais, vc mencionou o fato de ir com esposa e filhos, melhor é dirigir devagar e com cautela, lembrando-se das paradas para esticar os joelhos, tomar um café,...nos postos de combustível! Ainda penso que Porto Seguro é o melhor lugar para se hospedar! de lá vc pode visitar Coroa Vermelha, Santa Cruz da Cabrália, Arraial e Trancoso, mas gosto é gosto! a infraestrutura de Porto é melhor! exitem ótimos hotéis lá! Abraço e boa viagem!
  8. Olá pessoal! Espero sinceramente contribuir muito com esse relato, pois darei dicas de rotas e também passeios na cidade! Quem está pensando em ir para a cidade fronteiriça de Foz de Iguaçu com Ciudad Del Leste no Paraguai e Puerto Iguassú na Argentina, digo algo muito certeiro, Vá e não hesite! Sim, é possível ir de carro e isso te dará mais oportunidades para flexibilizar seus horários e hospedagens ao longo do caminho. Minha hospedagem se deu em 24/12/15 a 28/12/15, fomos eu e minha namorada – saímos de nossa cidade no dia anterior 23/12 bem cedo, por volta das 05:00, minha intenção no mesmo dia era chegar em Cascavel-PR pernoitar e continuar o restante da viagem no dia seguinte. Nota: Se vc tem mais preguiça de dirigir e quiser curtir mais o caminho sem longas horas de direção aconselho que saia dessa região que estamos com 2 dias de antecedência. Mas, vale saber que é possível sim fazer com 1 dia de antecedência. IDA / ROTEIRO 1) Quando você faz a pesquisa pelo Google.maps ele provavelmente traçará uma rota muito mais longa passando por Rio Claro, tal rota passará pelas cidades de Itirapina, Brotas, Jaú e Espirito Santo do Rio Turvo mais adiante, só que tal rota possui muitos pedágios e isso acaba encarecendo mais o roteiro! 2) Escolhi então a rota de Piracicaba, tal rota a SP-191 te levará às cidades de Águas de São Pedro, São Pedro, Santa Maria da Serra, São Manoel, Pratânia já na SP-251 e SP-255, vc entrará mais adiante na BR-374, a famosa rodovia Castelo Branco. Nota: Acredite em mim, esse trecho que indiquei é muito bom e isento de pedágios, a estrada apresenta acostamentos e bom asfaltos com alguns radares de 60 a 80 km/h em alguns trechos. 3) Já na entrada da BR 374 vc observará as placas rumo a Sta Cruz do Rio Pardo e Ourinhos, tais cidades servem de referencial de que vc está indo bem rsrsr – Dica: já na altura de Sta Cruz do Rio Pardo não deixe de parar no posto de combustível do Graal, estação-Kafé! Vale muito ser visto, ele é um museu em plena rodovia, isso fará com que vc gaste uns 30 a 40 minutos no local! 4) Avistando a cidade de Ourinhos não entre! Continue dirigindo rumo até Assis, pois chegando lá vc avistará placas para o sentido Mato Grosso do Sul e Londrina-PR, na dúvida sempre siga as placas rumo a Londrina, pegue sentido à Londrina pela SP-333, ao longo do caminho ainda no estado de São Paulo vc verá placas de Tarumã e Florínia – passou a última cidade mencionada, vc cruzará uma enorme ponte entrando assim no Paraná. Nota: Infelizmente, esse estado tem muitos pedágios e a estrutura das estradas não são tão boas como poderiam ser pelo preço que cobram! Aliás, os pedágios de lá são mais caros do que os de São Paulo, pasmem!!! 5) Já no Paraná, seguimos paro o sentido de Londrina, Cambé, Rolândia e acabamos almoçando em Arapongas isso já era 12:30, ficamos uns 30 minutos num restaurante beira de estrada. Aliás no Paraná vc verá muitos, com preços muito acessíveis. Continuamos nossa rota rumo a Maringá, passando por dentro de Sarandi. Nota: Não entre em Maringá, haverá placas te indicando Campo Mourão, é por essa rota que vc deve seguir! Até Campo Mourão. Para quem dirige isso é um ‘esticadão’ de estrada com alguns pedágios para variar rsrsrs 6) Não entre em Campo Mourão, sua meta assim como a foi a minha é observar as placas com sentido a Cascavel – dirigi tanto naquele dia que fiz várias paradas em postos ao longo do caminho para esticarmos as pernas, tomarmos um café e irmos ao banheiro – tudo as vezes dá a impressão de um longa e cansativa reta. 7) Minha meta era dormir em Cascavel, procurar uma pousada por lá, mas minha mente já não conseguia assimilar informações, meu corpo estava exaurido de dirigir por horas a fio (15 horas). Por isso, paramos numa cidadezinha charmosa e hospitaleira chamada Corbélia! Vale a pena conhecer esse lugar! Achamos de imediato um hotel bem barato, nos hospedamos no centro da cidade. Chegamos lá às 17:30. ** Na manhã seguinte, saímos do hotel às 09:00 e rumamos a Cascavel e de lá sentido: Foz do Iguaçu. A estrada é bem sinalizada, fique despreocupado e conta com postos de combustível ao longo do caminho, aliás por todo o trajeto mencionado anteriormente vc contará com postos, acostamentos, boa malha asfáltica, e em alguns trechos a terceira facha para ultrapassagem. Nota: Só não faça loucuras no transito! Deixe sempre os caminhões te ultrapassarem, além de serem em grandes quantidades por todo os percursos fazem ultrapassagens muitas vezes perigosas! Ahhh, muitos trechos estavam em obras para duplicação depois de Cascavel, então redobre o cuidado! 9) Chegamos em Foz 12:30, o interessante que logo na entrada da cidade para a área central, vc verá inúmeros panfleteiros distribuindo cartões de hotéis! Vale a dica para quem quiser encontrar algo lá na hora sem agendamento de hotel pela internet! Fica tranquilo, dá certo! Já em Foz do Iguaçu! A)Estando na cidade, vc se locomoverá facilmente, pois há placas para todos os lugares turísticos. B)Vá para Argentina de carro é super tranquilo, lá além do Dutty-Free, há cassinos e o centrinho de Puerto com suas feirinhas de azeitonas, alfajores e vinhos. C) Não tente ir para o Paraguai de carro, vá de ônibus! O transporte coletivo naquela região é ótimo! Se quiser ir para a Argentina também há ônibus circular! Dirigir em Ciudad é um caos! D) O passeio às cataratas do lado brasileiro é incrível, lindo – um show a parte! Infelizmente não fiz o passeio das cataratas do lado argentino, mas muitos me disseram que é lindo! Retorno / Rotas 1) Essa vc vai rir, tudo o que vc fez para ir, será seu caminho de volta, por isso preste atenção ao longo da ida, pois o mesmo trajeto será sua volta! Com certeza, vc dirigirá até Maringá ou Londrina e pousará em uma daquelas cidades, depois um abraço vc estará no estado de São Paulo novamente! KM RODADOS IDA = 1054 KM / VOLTA = 1054 TOTAL GASTO COM COMBUSTÍVEL = R$ 503,00 PEDÁGIOS EM SÃO PAULO – IDA E VOLTA = R$ 49,20 NO PARANÁ – IDA E VOLTA = R$ 179.50 TOTAL: 228,50 só em pedágios * O total do combustível e pedágios foi dividido entre mim e minha namorada, creio que valeu a pena, pois na mesma época uma passagem de avião estava custando cerca de R$ 900,00 cada. ÚLTIMA NOTA: A viagem foi bem cansativa, mas faria tudo novamente de carro. Isto porque vc tem a oportunidade de observar as diferentes paisagens que vão sendo desenhadas durante o trajeto, a cortesia e gentileza da maioria do povo paranaense! O avião é confortável, amo viajar de avião, mas ele te priva de vivenciar as experiências mencionadas nesse relato!
  9. Como vc está mais próximo da Bahia que eu rsrsrrs - creio que 7 a 8 dias são suficientes! Morro do São Paulo é mais longe geograficamente, valeria a pena então esticar mais 3 dias e ir para Ilheús, pois é mais próximo de Porto Seguro! Ahh o combustível torna-se mais caro na Bahia, paguei R$3,59 o litro do álcool. Se hospede em Porto e de Porto faça os passeios para Arraial e Trancoso! vc descobrirá lá que tudo é mais fácil do que imaginamos! Estando na cidade converse bastante com os moradores eles dão dicas preciosas! abraços
  10. querido amigo, fiz o sul da Bahia esses dias - vai tranquilo e fica em paz em todo caso leia um pouco do meu relato, sei que há rotas que vc não utilizará, mas há trechos nos relatos que valem a pena serem lidos! www.mochileiros.com/de-hortolandia-sp-a ... 31667.html
  11. Olá pessoal! Espero sinceramente contribuir com esse relato pois darei grandes dicas!!! Quem está pensando ou já está de malas prontas para a inexplorada cidade de São Luís no Maranhão, saiba de algo: você vai gostar muito desde que tenha a mente aberta para conhecer e vivenciar experiências em lugares exóticos. (Fiz um bate volta para lençóis em Barreirinhas) Fiz essa viagem com minha prima e também companheira de viagem, Regina Carvalho em julho de 2013,fizemos nossa viagem particular sem agência, isso tornou a viagem mais econômica naquele momento, não sei dizer se por agência é mais caro apesar do conforto que a mesma pode oferecer. Enfim, procuramos voos baratos para o Nordeste e com o menos de escalas possíveis, pois saímos do aeroporto de Viracopos em Campinas e tal percurso geralmente tem muitas escalas e voos diretos são os olhos da cara! (Pense hoje com a alta do dólar influenciando o preço das passagens aéreas!), depois de comprada as passagens via internet procuramos um bom site de agendamento de hotel e fizemos nossa reserva para 7 dias. Saímos de Campinas no dia 01/07 bem cedo e a tarde já estávamos em São Luís. No mesmo dia saímos procurar algo para comer e na avenida que fiquei. (Avenida dos Holandeses, perto da lagoa da Jansen) Havia algumas boas opções de barzinhos! No saguão do hotel nos informamos com os funcionários e eles nos indicaram passeios pelas agências de turismo da cidade, fizemos a maioria – na época eu tinha receio de alugar um carro e fazer os mesmos passeios por conta, hoje creio que a situação seria diferente! Porque se de Van foi bom, consigo imaginar como seria de carro com mais flexibilidade de horários. DICAS 1) BATE VOLTA para BARREIRINHAS conhecendo os famosos lençóis maranhenses! Muito cansativooooo, mas vale a pena ser feito! Uma dica boa seria reservar alguns 3 dias em uma pousada em Barreirinhas e ir para lá de carro ou ônibus, visto que há transportes coletivos para lá. Fizemos o passeio por uma agência e na época pagamos R$140,00 cada, saímos às 04:30 do hotel e chegamos ao destino às 09:00 – com parada para café da manhã ao longo do trajeto – um restaurante simples que oferecia um bom cardápio por R$10,00 – Infelizmente não saberia dizer hoje 2016 o preço.  Saímos de Barreirinhas após ver o deslumbre dos lençóis com suas dunas e lagoas por volta das às 16:00. Recordo me que estávamos no hotel em São Luís às 20:30 – na volta também há um restaurante com um cardápio variado que tbm saia R$10,00 comendo a vontade. (Se for para São Luís, Nunca deixe de fazer esse passeio! É a cereja do bolo!) 2) São José do Ribamar e Raposa – um passeio gostoso feito em 1 dia – esse passeio merecia ter sido feito de carro, pois agência infelizmente ficou pouco tempo em São José, vimos somente a praça central, a igreja e arredores sem conhecer suas praias. No mesmo dia fomos levados até a cidade de Raposa, visitamos a rua das mulheres rendeiras, o artesanato lá é lindo, mas em termos de infraestrutura a rua é uma lástima, isto porque ela é muito estreita e suja. Nota-se que apesar de turístico o lugar, sua prefeitura não investe em turismo que também é uma das fonte de renda da cidade. O passeio terminaria com um passeio de barco por um rio cercado por igarapés que deságua no mar, chegando à praia vê-se as fronhas maranhenses, elas são formadas por dunas menores comparadas às de Barreirinhas. 3) Alcântara – essa cidade histórica merece muito ser visitada apesar do balanço do catamarã (barcos motorizados) ter me deixado muito nauseado, passeio feito em 1 dia – a agencia nos levou até o porto de São Luís onde pegamos tal transporte bem cedo e rumamos cerca de 2 horas até a histórica cidade. Lá as ruinas da antiga cidade, a base para lançamento de foguetes do Brasil, devido sua latitude, as ruelas da cidade com sua história e gente vendendo frutas e doces nos fascinaram. 4) Centro histórico de São Luís é uma volta ao passado, seus azulejos, as casas com eiras e beiras, as ruas com paralelepípedos as lojas de artesanatos com suas bolsas e chapéus feitos de fibras de buriti e também o mercadão (que no caso é pequeno, mas vale pela compra de doce de buriti) é encantador! Nota: infelizmente a prefeitura da cidade não tem feito um trabalho de conservação desse patrimônio que já foi tombado, relato também que cenas da novela das 18:00 ‘Lado a Lado’ foram gravadas lá, pela característica colonial que o centro histórico preserva. Outra novela gravada lá foi: A cor do Pecado, das 19:00 - mostrando a dança e cultura. COMIDAS 5) Estando no estado do Maranhão coma: Arroz com cuxá – uma erva da região que junto a camarão compõem tal prato. Também tome muito refrigerante Jesus! A marca é tão famosa por lá que a Coca-Cola comprou o nome e o distribui em larga escala pelo estado, o tal refrigerante é bem docinho e sua cor é rosa! Tomei muitooooooo PRAIAS 6) Não espere praias maravilhosas e águas cristalinas, São Luís é uma ilha e dentro dela passam vários rios que desaguam no mar tornando assim as águas escuras – mas mesmo assim permita-se curtir as praias de Calhau e Caolho com seus muitos quiosques! Lembro-me que no penúltimo dia fomos de circular para as tais praias e voltamos a pé até a avenida dos holandeses! Que canseira rsrsrsrs MÊS DE JUNHO E JULHO 7) Em junho e julho existem os arraiás espalhados pela cidade e também na lagoa da Jansen, a prefeitura investe pesado nos arraiás até para os turistas, lá vc vai se deliciar com várias quadrilhas que cantam e encantam com a história do Boi-Bumbá – um espetáculo a parte, que é apresentado a noite, creio que na sexta, sábado e domingo. Vale conferir a agenda cultural da cidade procurando pela internet. CLIMA Junho e julho são meses que chove muito por lá e as temperaturas dão uma boa caída, mas nada comparado às temperaturas da região sudeste ou sul! Voltei em 08/07 e pegamos algumas chuvas, mas nada que não desse trégua durante o dia! GEOGRAFIA / VEGETAÇÃO 9) Enfim permita-se conhecer um lugar tão lindo e pouco divulgado do nordeste, vc observará a mata de cocais com os buritis e outras espécies de palmeiras, os igarapés e mata de restinga. Você terá a chance de ver que o Maranhão tem características mais parecidas com a região norte, isto em sua cultura, jeito de falar e creio que também comida! Um lugar lindoooooo d+++++++
  12. Olá Pessoal! Espero que eu possa ser útil para todos que procuram por essa informação! Viajei pela primeira vez na minha vida de carro ao sul do nordeste, especificamente em Porto Seguro, visitando Arraial d' Ajuda e também Trancoso, a viagem foi incrível e também econômica, viajei com minha namorada, irmã e prima em um Corsa Classic, 1.0 ano 2014. Devidamente alinhado e inspecionado 20 dias antes da partida, a mesma se deu em 04 de julho de 2016. Dicas de roteiro para quem procura conhecer 4 estados, passando por vilas e cidadezinhas interioranas: IDA e ROTAS: 1) Saindo de Hortolândia as 05:00, pegamos a rodovia Dom Pedro SP 065 até o trecho de Atibaia onde você entra na rodovia Fernão Dias BR- 308 e dirigimos até Belo Horizonte - a estrada é ótima,mão-dupla, tem radares de 80 a 60 km/h em vários trechos, vários postos de combustível e lugares para almoçar. e até tomar banho se for o caso de alguém precisar. 2) Chegando em BH minha namorada acionou um GPS pelo celular. A cidade para mim foi um pouco confusa, mas mesmo assim: acione o oplicativo para te indicar a cidade de Ipatinga ou João Monlevade, aliás saindo de BH haverá uma bifurcação onde vc verá 2 placas, uma te indicando de Sabará e outra João Monlevade, entre em João Monlevade - eu para variar mesmo com o GPS entrei na qual indicava Sabará rssrsr 3) Saindo de BH vc poderá dormir em João Monlevade, Nova Era ou São Gonçalo do Rio Abaixo - é chegar na cidade e garimpar uma pousada e/ou hotel como fizemos o tempo todo no percurso de ida e volta. Nota: as estradas depois de BH são de simples, com acostamento, muitos radares e muitas curvas perigosíssimas em julho escurece muito cedo então não tente viajar durante a noite, as 18:00 tudo se torna um breu de tão escuro. 4) Amanhecendo saímos da pousada em S.G. do Rio Abaixo às 08:30 e dirigimos até Nanuque, última cidade de Minas fronteira com Bahia, onde pernoitamos - até Nanuque passamos pelas cidades de Ipatinga, Governador Valadares e Teófilo Otoni. Chegamos em Nanuque às 19:00 5) Na manhã saímos de Nanuque às 08:30 e trafegamos por quase 7 horas até Porto Seguro - alguns trechos da BR- 101, passando por Teixeira de Freitas, Monte Pascoal, Itabela e Eunapólis, cidades baianas. NOTA: Em geral a BR-101 é ótima, apesar de não ser uma rodovia de duas mãos como a Dutra e a Dom Pedro. Entretanto, vale saber que em alguns trechos faltam acostamentos e há deterioração do asfalto aliando-se ao fato de que muitos caminhões só faltam engolirem os carros de tanto correrem e quererem ultrapassar uns aos outros! infelizmente isso foi visto em todos os trechos em muitas rodovias tanto na ida quanto na volta! Portanto, especialmente nessa BR,Cuidado!!!! AAhh... principalmente depois de Teixeira de Freitas-BA. Quanto a oferta de Postos de Combustível em todo os trajetos foram suficientes, mas sempre procure andar com o tanque cheio ou pelo menos pela metade! RETORNO e ROTAS 1) saímos de Porto às 09:00 e dirigimos até Vitória-ES, chegamos na capital capixaba às 21:00 - as estradas do Espírito Santo são muito boas, muito planas, com 3 faixas em alguns trechos e também pedágios que variam de R$ 4,00 a R$6,00 - passamos pelas cidades de São Mateus, Linhares e Aracruz, chegando na parte litorânea do estado pelo distrito de Coqueiral e cidade de Serra. 2) Ficamos 1 pernoite em Vitória e saímos da cidade às 13:00 sem direito a almoçar, pois fizemos um mini tour pelos pontos turísticos principais da cidade e convento em Vila Velha e o Hotel nos dava uma tolerância até às 14:00. (Para chegar na parte turística da cidade a noite e nos hospedarmos usamos o GPS) 3)Saímos de Vitória rumo ao interior novamente, dirigindo até a cidade de Bom Jesus do Itabapoana, já no RJ - cheguei na cidade por volta das 18:00 - sempre parando, confirmando informação! NOTA: (tinha em mãos um roteiro impresso que tinha feito em casa com 1 mês de antecedência.) 4) Saímos de B.Jesus às 9:00 e às 17:30 estava cruzando Volta Redonda, justo no horário de Pico, mas com ajuda de um GPS - para chegar em Volta Redonda, passamos pelas cidades de Além Paraíba-MG, Três Rios - RJ e Vassouras RJ Nota: Vários trechos das estradas do interior Rio de Janeiro estão em obras, estão fazendo bastante duplicações isso faz com que vc fique horas dirigindo. (mas vale a pena - lugares tranquilos para dirigir) - tive receio de dirigir por Campos, Niterói e Rio por isso escolhi o interior que é pouco conhecido e explorado. 5) Sei que foi loucura minha, pois poderia parar e pousar em Resende ou a primeira cidade paulista após sair do estado fluminense, mas depois que vi a BR-116 a famosa Dutra que é um tapete, dirigi até Hortolândia, chegando à 1:00 do dia 15/07 NOTA: faria tudo novamente, mas sairia com 3 dias antes de minhas diárias no Hotel e na volta também destinaria 3 dias com paradas mais longas, pois o corpo dói muito! * Tempo gasto na viagem 2 dias e meio bem dirigidos com paradas em postos durante o trajeto de ida e de volta ** 6 diárias em um hotel pré-agendado em Porto Seguro (existem vários sites que podem te oferecer bons hotéis e pousadas por preços acessíveis) de 06/07 a 12/07 TOTAL GASTO COM COMBUSTÍVEL: R$ 900,00 - rachamos em 4 TOTAL GASTO COM PEDÁGIOS: R$ 149,60 - tbm rachamos em 4 PARA IR POR MINAS GERAIS = 1623 KM PARA VOLTAR POR ESPÍRITO SANTO E INTERIOR DO RIO DE JANEIRO = 1684 Se valeu a pena, lógicoooooooo que sim! andar de avião é ótimo, mas de carro vc tem a oportunidade de ver e vivenciar coisas incríveis!
×
×
  • Criar Novo...