Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Kelly Parreira

Membros
  • Total de itens

    8
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

10 Boa

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. É verdade, também sofri um pouco pra montar o roteiro haha... mas o que precisar eu te ajudo me adiciona no insta se quiser conversar kellyparreira_ . O vôo fechei com a Ethiopian Airlines, os trens pelo site da Egyptian Railways (é um site do próprio governo do Egito), e os ônibus fechei com a Go Bus. Aí no relato tem os links! Se precisar de mais informações me chame!
  2. O tour de Aswan para Abu Simbel custou em torno de 1.500,00 libras egípcias, + - R$350,00. Um tour privado, com um carro bom, em 3 pessoas - fechei pelo hotel e não em agências. Sobre as pirâmides, se você fechar o tour com os 3 é possível sim! Eu fiz no mesmo dia, fechei o tour com o hotel, por U$30,00 por pessoa. Se for por conta, aí é bom calcular mais um período, pq vc pode demorar pra achar as entradas e tal. Sobre o visto, quando você desembarcar no aeroporto, segue sentido controle de passaporte, e fica ligado nas cabines dos bancos no caminho. Tem placa nos bancos que vendem o visto.
  3. Eu fiz Egito + Turquia, se quiser me adiciona no insta kellyparreira_, podemos conversar por lá e te passo os roteiros. O Egito é bem desafiador mesmo, o que ajuda muito é sempre deixar o itinerário um pouco mais folgado, porque vai acontecer de algo sair fora do planejado, como é o exemplo das estações de trem. As coisas mais simples lá muitas vezes se tornam uma missão hahaha. Então coloque sempre uma folga entre as cidades, para ficar mais tranquilo. Com relação ao assédio, no começo foi bem desgastante, e o que funcionou pra mim foi ignorar mesmo. É difícil, porque naturalmente a gente sorri, tenta ser simpático e isso dá mais abertura para eles ficarem em cima. Fecha a cara e segue em frente!
  4. Também tive dificuldade para conseguir as informações. Pelo o que pude perceber, as pessoas vão para o Egito normalmente com pacote de agências e tal. Fora a passagem, gastei em torno de R$5.000,00 os 19 dias (considerando TUDO, de alimentação, transportes, tours à souveniers). Dá para fazer com bem menos, não fui num esquema tão low cost pq o Egito é um país barato... Me hospedei em hotéis, se for em hostels você economiza bem. Considera que neste valor tive alguns gastos altos: o passeio de balão em Luxor custou em torno de R$300,00, o cruzeiro no Rio Nilo em torno de R$1.200,00, e peguei um resort 4 estrelas na praia, que foi algo em torno de R$1000,00. Para todos esses gastos é possível encontrar opções mais baratas, inclusive algumas agências me ofereceram cruzeiros por U$160, e eu acabei pagando U$280 pela comodidade de fechar com o hotel.
  5. Lá eles falam árabe, e são bem ruins de inglês... principalmente no Cairo e em Alexandria. Aswan e Luxor a estrutura e comunicação para estrangeiros é um pouco melhor. Em Sharm el Sheikh como é 100% turístico é tranquilo.
  6. Olá pessoal! Acabo de voltar de um mochilão de 3 semanas pelo Egito e vou postar o roteiro para ajudar os próximos viajantes, já que uma das grandes dificuldades que tive antes de ir foi a falta de informação de pessoas que já haviam se aventurado por conta por aquelas terras. O visto você compra dentro do aeroporto no momento da sua chegada, procure os bancos que vendem o selo do visto, o custo é de 25 dólares. Dentro do aeroporto aproveite para comprar um chip também, que será muito útil durante a sua estadia. Utilizei o da Orange e não tive problemas, o valor foi de 9 dólares. No total foram 19 dias, divididos da seguinte forma: 26 à 29/04 – Cairo 29 à 30/04 – Alexandria 01 à 03/05 – Aswan 04 à 06/05 – Cruzeiro de Aswan para Luxor 07/05 – Luxor 08 à 13/05 – Sharm El Sheikh Cairo O Cairo sofre com a falta de estrutura e organização se comparado à outros países subdesenvolvidos. A comunicação é bem complicada, poucos falam inglês, então esteja sempre com o tradutor em mãos. O padrão para tudo o que for fazer é bem simples, e está tudo bem. Também senti hostilidade dos egípcios, então fiquem atentos que eles vão te abordar o tempo todo, e será necessário negociar tudo o que for fazer. Uma dica de ouro é utilizar Uber, e evitar táxis, pois o Uber funciona bem e é em média ¼ do valor que os taxistas irão te cobrar. Me hospedei próximo à Praça Tahrir, no Capital Hotel. Estadia dentro do esperado, o hotel ok e bem localizado. Fica à 10 minutos do Museu do Cairo. Reserve pelo menos um período inteiro para o Museu, e se atente que para entrar será necessário comprar 3 tickets: a entrada, o ticket da câmera para poder fotografar, e o ticket da sala das múmias. Leve carteirinha de estudante se tiver. O valor do ingresso é em torno de 180 libras egípcias cada um. No outro dia é possível fechar um tour para as pirâmides, Museu do Memphis e o complexo de Saqqara. O tempo é extremamente seco, então levar um hidratante labial e um soro para o nariz ajuda muito. E muita água, claro! No terceiro dia fiz o bairro Copta. Utilizei Uber para me locomover nas distâncias maiores. Foi possível visitar as igrejas de São Jorge, São Sérgio e a Igreja Suspensa que são bem próximas. Pegue um Uber e vá em direção à Mesquita Muhammad Ali, e a Mesquita Al Hakim. Aproveite para visitar o Bazar El Khalili que fica ao lado da Mesquita. Alexandria Pegamos um trem na estação do Cairo, a viagem para Alexandria dura em torno de 4 horas. Outra dica de ouro: compre todas as passagens de trem antecipadas para evitar surpresas e possíveis tentativas de suborno nas bilheterias. Comprei direto pela companhia de trens: https://enr.gov.eg/ticketing/public/smartSearch.jsf. É possível comprar a partir de 15 dias antes da data da viagem. Isso vai te trazer muito mais tranqüilidade na hora de viajar. E se possível, viaje sempre na primeira classe (lembra do padrão simples, certo?). Ah! E chegue com antecedência, a estação é um pouco confusa, e as informações em inglês são bem precárias. Em Alexandria, 2 dias é o suficiente. Consegui visitar as Catacumbas de El Shoqafa, o forte de Qaitbay, e a Biblioteca de Alexandria. Me hospedei no hotel Alexander the Great. Padrão ok, e bem localizado (em torno de 20 minutos de caminhada para os 3 pontos principais). Aswan Saímos em um trem noturno de Alexandria para Aswan, a viagem é longa. Fui com o trem dos locais mesmo, e indicaria o sleep train que é direcionado aos turistas. A diferença de valor é alta, porém você irá viajar com muito mais segurança. No nosso vagão, só havia nós de estrangeiros, e 20 horas viajando com todos os olhares pra gente não foi uma situação muito confortável. Em Aswan me hospedei no Hapi Hotel, super indico. E fechamos um tour para visitar Abu Simbel. É imperdível! Cruzeiro Aswan - Luxor Fechei o cruzeiro no hotel do Cairo, paguei em torno de 280 dólares, mas o custo benefício é ótimo. Fiz o cruzeiro de 4 dias e 3 noites, com saída de Aswan na sexta-feira. O cruzeiro para em todos os templos importantes entre Aswan e Luxor, e é sistema all inclusive. Além da beleza do Rio Nilo em meio ao deserto, pudemos visitar os templos de Philae, Kom Ombo, Edfu, Karnak, Hatshepsut, Colossos de Memnon e o impressionante Vale dos Reis. Luxor Fiquei apenas uma noite em Luxor, já que os templos fiz durante o cruzeiro. Me hospedei no Nefertiti Hotel, simples mas acolhedor. Foi o suficiente para fazer um vôo de balão pelo Vale dos Reis, e vale muito a pena! O valor é de aproximadamente 70 dólares por pessoa. Sharm El Sheikh A única forma que encontrei de chegar em Sharm El Sheikh foi retornando ao Cairo. Fiz a viagem de trem, de Luxor ao Cairo. No Cairo peguei um ônibus para Sharm El Sheikh. Informações importantes: deixe algumas horas de folga entre este percurso. Os trens atrasam, e você pode demorar até localizar o ponto onde pegar o ônibus – que é na rua e não na estação rodoviária. Utilizei a companhia GO BUS (https://go-bus.com/en/) para esse trajeto Cairo – Sharm. As viagens de ônibus no Egito são bem complicadas. No trajeto de 6 horas, nosso ônibus foi parado 4 vezes. Se isso acontecer, haja naturalmente, entregue o passaporte. Em todas as vezes foi necessário descer e abrir as malas para revista também. É um procedimento hostil, mas padrão. Em Sharm é só alegria! É a única cidade que senti de fato, que havia estrutura turística. Fiquei hospedada no Sol y Mar Naama Bay. A estrutura é boa, é próximo à praia e também fica à 10 minutos do centro de Naama Bay (que é onde acontece a vida noturna da cidade). O custo benefício é bom, mas não se esqueça que você está no Egito e que o padrão de serviço vai deixar à desejar em alguns momentos. Em Sharm, um passeio recomendadíssimo é fazer o tour de barco e mergulhar pelos corais, não é a toa que o mar vermelho é um dos melhores pontos para mergulho do mundo! Se quiserem maiores informações, fico à disposição!
  7. Olá pessoal! Acabo de voltar de um mochilão de 3 semanas pelo Egito e vou postar o roteiro para ajudar os próximos viajantes, já que uma das grandes dificuldades que tive antes de ir foi a falta de informação de pessoas que já haviam se aventurado por conta por aquelas terras. O visto você compra dentro do aeroporto no momento da sua chegada, procure os bancos que vendem o selo do visto, o custo é de 25 dólares. Dentro do aeroporto aproveite para comprar um chip também, que será muito útil durante a sua estadia. Utilizei o da Orange e não tive problemas, o valor foi de 9 dólares. No total foram 19 dias, divididos da seguinte forma: 26 à 29/04 – Cairo 29 à 30/04 – Alexandria 01 à 03/05 – Aswan 04 à 06/05 – Cruzeiro de Aswan para Luxor 07/05 – Luxor 08 à 13/05 – Sharm El Sheikh Cairo O Cairo sofre com a falta de estrutura e organização se comparado à outros países subdesenvolvidos. A comunicação é bem complicada, poucos falam inglês, então esteja sempre com o tradutor em mãos. O padrão para tudo o que for fazer é bem simples, e está tudo bem. Também senti hostilidade dos egípcios, então fiquem atentos que eles vão te abordar o tempo todo, e será necessário negociar tudo o que for fazer. Uma dica de ouro é utilizar Uber, e evitar táxis, pois o Uber funciona bem e é em média ¼ do valor que os taxistas irão te cobrar. Me hospedei próximo à Praça Tahrir, no Capital Hotel. Estadia dentro do esperado, o hotel ok e bem localizado. Fica à 10 minutos do Museu do Cairo. Reserve pelo menos um período inteiro para o Museu, e se atente que para entrar será necessário comprar 3 tickets: a entrada, o ticket da câmera para pode fotografar, e o ticket da sala das múmias. Leve carteirinha de estudante se tiver. O valor do ingresso é em torno de 180 libras egípcias cada um. No outro dia é possível fechar um tour para as pirâmides, Museu do Memphis e o complexo de Saqqara. O tempo é extremamente seco, então levar um hidratante labial e um soro para o nariz ajuda muito. E muita água, claro! No terceiro dia fiz o bairro Copta. Utilizei Uber para me locomover nas distâncias maiores. Foi possível visitar as igrejas de São Jorge, São Sérgio e a Igreja Suspensa que são bem próximas. Pegue um Uber e vá em direção à Mesquita Muhammad Ali, e a Mesquita Al Hakim. Aproveite para visitar o Bazar El Khalili que fica ao lado da Mesquita. Alexandria Pegamos um trem na estação do Cairo, a viagem para Alexandria dura em torno de 4 horas. Outra dica de ouro: compre todas as passagens de trem antecipadas para evitar surpresas e possíveis tentativas de suborno nas bilheterias. Comprei direto pela companhia de trens: https://enr.gov.eg/ticketing/public/smartSearch.jsf. É possível comprar a partir de 15 dias antes da data da viagem. Isso vai te trazer muito mais tranqüilidade na hora de viajar. E se possível, viaje sempre na primeira classe (lembra do padrão simples, certo?). Ah! E chegue com antecedência, a estação é um pouco confusa, e as informações em inglês são bem precárias. Em Alexandria, 2 dias é o suficiente. Consegui visitar as Catacumbas de El Shoqafa, o forte de Qaitbay, e a Biblioteca de Alexandria. Me hospedei no hotel Alexander the Great. Padrão ok, e bem localizado (em torno de 20 minutos de caminhada para os 3 pontos principais). Aswan Saímos em um trem noturno de Alexandria para Aswan, a viagem é longa. Fui com o trem dos locais mesmo, e indicaria o sleep train que é direcionado aos turistas. A diferença de valor é alta, porém você irá viajar com muito mais segurança. No nosso vagão, só havia nós de estrangeiros, e 20 horas viajando com todos os olhares pra gente não foi uma situação muito confortável. Em Aswan me hospedei no Hapi Hotel, super indico. E fechamos um tour para visitar Abu Simbel. É imperdível! Cruzeiro Aswan - Luxor Fechei o cruzeiro no hotel do Cairo, paguei em torno de 280 dólares, mas o custo benefício é ótimo. Fiz o cruzeiro de 4 dias e 3 noites, com saída de Aswan na sexta-feira. O cruzeiro para em todos os templos importantes entre Aswan e Luxor, e é sistema all inclusive. Além da beleza do Rio Nilo em meio ao deserto, pudemos visitar os templos de Philae, Kom Ombo, Edfu, Karnak, Hatshepsut, Colossos de Memnon e o impressionante Vale dos Reis. Luxor Fiquei apenas uma noite em Luxor, já que os templos fiz durante o cruzeiro. Me hospedei no Nefertiti Hotel, simples mas acolhedor. Foi o suficiente para fazer um vôo de balão pelo Vale dos Reis, e vale muito a pena! O valor é de aproximadamente 70 dólares por pessoa. Sharm El Sheikh A única forma que encontrei de chegar em Sharm El Sheikh foi retornando ao Cairo. Fiz a viagem de trem, de Luxor ao Cairo. No Cairo peguei um ônibus para Sharm El Sheikh. Informações importantes: deixe algumas horas de folga entre este percurso. Os trens atrasam, e você pode demorar até localizar o ponto onde pegar o ônibus – que é na rua e não na estação rodoviária. Utilizei a companhia GO BUS (https://go-bus.com/en/) para esse trajeto Cairo – Sharm. As viagens de ônibus no Egito são bem complicadas. No trajeto de 6 horas, nosso ônibus foi parado 4 vezes. Se isso acontecer, haja naturalmente, entregue o passaporte. Em todas as vezes foi necessário descer e abrir as malas para revista também. É um procedimento hostil, mas padrão. Em Sharm é só alegria! É a única cidade que senti de fato, que havia estrutura turística. Fiquei hospedada no Sol y Mar Naama Bay. A estrutura é boa, é próximo à praia e também fica à 10 minutos do centro de Naama Bay (que é onde acontece a vida noturna da cidade). O custo benefício é bom, mas não se esqueça que você está no Egito e que o padrão de serviço vai deixar à desejar em alguns momentos. Em Sharm, um passeio recomendadíssimo é fazer o tour de barco e mergulhar pelos corais, não é a toa que o mar vermelho é um dos melhores pontos para mergulho do mundo! Se quiserem maiores informações, fico à disposição!
×
×
  • Criar Novo...