Ir para conteúdo

------

Membros
  • Total de itens

    259
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que ------ postou

  1. Comprar na hora na maioria dos casos vai custar 3x ou 4x mais caro que comprar antes. Cada país tem a sus própria empresa de trens e ônibus, então da um certo trabalho comprar todas as passagens avulsas, e dependendo quais cidades for visitar depois, pode ser melhor ir de avião... Mas Paris X Bruxelas x Amsterdam você faz de trem se tiver com pressa de chegar na outra cidade (www.thalys.com), se tiver tempo livre para gastar, dá para ir de ônibus, mas ai ao invés de 2 horas de trem, já vão ser 5 ou 6 horas de ônibus. De Amsterdam em diante, vai depender para qual cidade você for...
  2. Pessoalmente eu acho que Londres está com muito pouco tempo pelo tamanho da cidade e quantidade de coisas legais que tem para você ver e fazer lá, eu ficaria ao menos mais 1 dia lá. Eu também não quebraria a estadia em Paris em 2 partes, vai que você dá o azar de pegar 2 dias de chuva e frio seguidos na chegada e na volta? Ficando 4 dias seguidos, aumentam as chances de pegar ao menos 1 ou 2 dias de tempo bom... Eu voltaria a paris só na noite anterior ao dia da volta... PS. Não faça nada no desespero e sem pensar direito, mas já está beeeeem em cima da hora para você conseguir passagens baratas e hotéis bons a um preço aceitável, então eu agilizaria um pouco as coisas, para comprar as passagens e fazer as reservas de hotel logo, pois a cada dia que passa, mais caras serão as passagens e os hotéis.
  3. Se você tiver tempo e dinheiro suficiente, tudo é possível. Pelas minhas contas, só para a parte depois de Dublin você precisaria de uns 26 ou 27 dias e uns 2.200 Euros(R$ 9.000) entre hospedagem, alimentação, metrô, passeios, passagens entre as cidades lá na Europa, etc. Baladas não entram nesta conta. De Londres até Paris e depois até Amsterdam você faria tudo de trem, mas o restante dos locais seriam distantes demais entre si para ir por terra, você teria que fazer todo o restante de avião. PS. Onde está o Leste Europeu neste roteiro?
  4. Nos sábados fecham ainda mais cedo, as 17:00 horas e a maioria nem abre no domingo...
  5. Isto vai depender de quantos dias você ficará na Toscana e quais cidades/locais pretende visitar. Se forem só cidades "grandes" e bem conectadas por transporte publico, como Florença, Pisa, Siena, um carro mais atrapalha do que ajuda. Mas se forem um monte de pequenas cidades e vilas em poucos dias, alugar um carro pode ser a única opção viável para conseguir visitar ao menos uma parte destes locais.
  6. Algumas considerações: Bate-volta bom é aquele que você pode decidir lá na hora em qual dia exato vai faze-lo, usando trem regional ou ônibus, sem gastar uma pequena fortuna em passagens, e não programando ele com 30 dias de antecedência, ainda mais no inverno, quando faz frio, chove e pode nevar. Num bate-volta você geralmente quer ficar andando pela cidade, e não se enfiar o dia inteiro dentro de um museu, e ficar andando pela cidade num dia frio e chuvoso é terrível, na primeira meia hora você já vai estar querendo desistir. Se você comprar as passagens do bate-volta antecipadamente, você vai ter que torcer para que faça tempo bom, se chover, ou você encarra o frio e a chuva e tem um experiência ruim, ou desiste do bate-volta e perde o dinheiro das passagens já compradas. Já se deixar para decidir os bate-voltas lá na hora, se chover, você desiste do bate-volta e vai visitar alguma outra coisa em Munich mesmo, como por exemplo o BMW Museum ou o Deutsches Museum, o Palácio Residenz, etc... É esta flexilidade nos bate-voltas, e ficar um pouco mais de tempo em cada local que faz uma viagem no inverno ser legal ou não. Pois ficando 3 ou 4 dias em uma cidade maior, é bem improvável que você não pegue ao menos 1 dia sem chuva, e numa cidade maior você tem muito mais opções de coisas para fazer em locais abrigados naqueles dias de frio e chuva que com certeza você vai pegar ao menos uns 2 ou 3 deles.. Tudo isto para chegar no seguinte: O único bate-volta viável na Áustria saindo de Munich no inverno é Salzburg e talvez Innsbruck, pois você pode ir de trem regional usando o Bayern Ticket. Já a Suíça fica longe demais para um bate-volta, são umas 4 horas para ir e o mesmo para voltar, e você não pode usar o Bayern Ticket, tendo que pagar mais de 40 Euros em cada trecho caso compre a passagem lá na hora. Previsão do tempo: http://www.accuweather.com/pt/de/munich/80331/november-weather/178086?monyr=11/1/2016&lang=pt
  7. 2 - Pelo que eu lembro, na estação central tinha lockers automáticos e também uma loja física, uma sala com um guichê, onde eles pesam a sua mala e guardam ela nas prateleiras no fundo da sala ou no chão mesmo, se for algo volumoso. https://bratislava-slovakia.eu/places/luggage-lockers
  8. Perguntas: 1 - Em qual mês você pretende fazer esta viagem? Se for no inverno europeu, é furada. 2 - Você está levando em conta que as distâncias são enormes, que muitas vezes você gasta um dia inteiro para ir de uma cidade para outra? Que tem poucas opções de trem e ônibus e que os voos podem ser bem caros? isto pode deixar tudo meio corrido demais ou meio caro...
  9. Eu tenho um visto de turismo colombiano no meu passaporte antigo, e quase toda vez que eu passava na imigração o policial achava a página com o "maldito" carimbo da Colômbia, na maioria das vezes eles só davam uma boa olhada no visto e na data, mas algumas vezes me perguntaram o que eu tinha ido fazer na Colômbia, mesmo o carimbo tendo data de 3 anos atras, não foi só em Madri que perguntaram isto, se não me engano, perguntaram a respeito do visto colombiano também em Amsterdam e New York... Mas é como você falou, sempre tem que falar a verdade, pois se inventar algo, uma hora você se contradiz e ai já era... O que eu quis dizer é que tem alguns perfis de viajantes que são mais sujeitos aos policiais "encrencarem" ou serem casca grossa, não que você esteja fazendo algo errado, mas infelizmente o seu perfil é um destes, que sempre vai estar sujeito a receber mais perguntas. Pode ser que você pegue um policial de bom humor e ele não criei caso nenhum, mas também pode ser que pegue um que resolva implicar, mas por via de dúvidas, vá bem preparada, se o policial implicar, você tem toda documentação e as respostas na ponta da língua.
  10. http://www.melhoresdestinos.com.br/melhores-seguros-viagem.html
  11. Acredito que seria um tempo adequando, para fazer as coisas com calma, geralmente precisa-se de uns 4 dias em Berlin que é uma cidade maior, Praga é menor, em 3 dias você visitou praticamente tudo, Bruxelas divide opiniões, algumas pessoas gostam e ficam 2 dias, outras não gostam e não ficam nem meio dia, mas se for para lá, aproveite para fazer um bate-volta até Brugges e/ou Ghent, e para isto você precisa de uns 2 ou 3 dias. Não esqueça que o dia da chegada na Europa geralmente é um dia perdido, onde você não consegue fazer quase nada, o dia da volta também costuma ser um dia meio perdido na maioria dos casos, pois 4 horas antes do horário previsto do voo, você já tem que estar se mexendo para ir até o aeroporto, e dependendo da hora do seu voo, é outro dia praticamente inútil, isto já lhe custa 2 dias... Para ir de Berlin até Praga você leva umas 5 horas, s você se programar direito, pode pegar um trem/ônibus de manhã cedo ou no final da tarde e ainda conseguir salvar metade do dia, mas não conte com este dia de deslocamento para nada de importante. Bruxelas fica bem longe de Berlin e Praga, você teria que ir de avião, o que na melhor das hipóteses lhe custará meio dia de tempo perdido, mas eu deixaria um dia inteiro alocado para este deslocamento. Quanto gastar depende do que você escolher, Bruxelas costuma ser um pouquinho mais cara que Berlin e Praga, mas num perfil econômico, mas também não deixando de fazer nada legal só por que custa 10 Euros de ingresso, você gasta em torno de uns 60 a 70 Euros por dia em hospedagem, alimentação, metrô, passeios, etc. Estes 60 ou 70 Euros não contemplam baladas e nem as passagens entre as cidades, que entre Berlin e Praga deve lhe custar uns 30 Euros caso vá de trem e compre as passagens uns 30 ou 60 dias antes, se deixar para comprar em cima da hora, pode custar uns 60 Euros. Uma passagem de avião Berlin x Bruxelas ou Bruxelas x Praga deve-lhe custar uns 30 Euros comprando uns 60 dias antes. Bate-volta a Brugges uns 15 ou 20 Euros...
  12. Depende do que você queira fazer em cada local, mas para aproveitar as coisas com alguma calma e sem correria, o recomendável são uns 5 dias cada em Paris e Londres, uns 3 ou 4 em Barcelona. Bruxelas divide opiniões, alguns gostam e outros não, mas se for para lá, eu ficaria ao menos uns 2 ou 3 dias, 1 dia para Bruxelas e os demais para fazer um bate-volta até Brugges e/ou Ghent, que pessoalmente eu acho mais interessantes que Bruxelas. Do seu roteiro, Zurich é o local mais fora de mão, com as passagens mais caras, o custo de vida mais alto e os passeios legais mais caros. Então para fazer a pena o seu dinheiro indo até lá, eu ficaria uns 3 dias por lá, 1 dia para Zurich, 1 dia para um bate-volta até Lucerna e outro para um bate-volta até Berna... Paris, Bruxelas e Londres ficam próximas uma da outra, se você se organizar direito, consegue pegar um trem de manhã cedo ou no final do dia, de modo a não perder muito tempo útil. Mas Barcelona e Zurich ficam super longe. Se for de trem é um dia inteiro gasto para se chegar lá, mesmo indo de avião, você perde na melhor das hipóteses meio dia em cada deslocamento, isto se não acabar "estragando" o dia inteiro, caso você pegue um voo barat bem no meio do dia... Não esqueça que você tem outro dia praticamente perdido, pois você terá que voltar a Paris para pegar o voo de volta, o que vai lhe custar outro dia...
  13. ------

    Roma

    Isto vai de cada pessoa... Pessoalmente eu não ficaria em Roma até a última hora, pois imprevistos acontecem, os maquinistas dos trens fazem umas 3 ou 4 greves por ano, etc... E se você estiver lá longe em Roma, você estará em apuros para ir até Milão em cima da hora. Então eu iria no dia anterior, assim se tiver um imprevisto, ainda tenho o dia seguinte inteiro para resolver ele...
  14. Agora se vale a pena, faço a mesma observação do colega B_Weber, depende de que tipo de passeio você gosta...
  15. Olá, Primeira observação, é muito pouco tempo para tanto lugar, ainda mais no inverno, quando os dias são curtos, as 03:30 ou 04:00 da tarde já é escuro, chove um pouco mais, e eventualmente já pode ter neve na Alemanha, Áustria e Holanda, já tece anos com 5 cm de neve em Amsterdam e Munich no dia 25/11, mas também teve ano em que fez 20ºC no Natal. No inverno você tem que ficar um pouco mais de tempo em cada cidade, para que eles 2 dias seguidos de chuva que são comuns, não estraguem a sua estadia inteira, ficando uns 3 ou 4 dias em cada local, aumenta muito as chances de você pegar ao menos 1 dia sem chuva. Segunda observação, será que vale mesmo a pena comprar esta passagem chegando e voltando por Frankfurt? Leve em conta, que ao chegar em Frankurt, você terá que pegar um trem até Munich, já são mais no mínimo uns 60 Euros (R$ 250) de passagens, por as passagens para Munich no dia 12 estão meio caras, alem de serem mais umas 4 horas de viagem, ou seja, ou você encara 4 horas de trem depois de um voo noturno de 12 horas, ou você dorme em Frankfurt e vai no dia seguinte, o que custa um dia adicional. Para voltar de Paris ou Amsterdam até Frankfurt são umas 4 ou 5 horas de trem, e uns 40 Euros (R$ 160) em passagens, dependendo do horário que o seu voo saia de Frankfurt, voc~e vá teria que voltar a Frankfurt no dia anterior, para que consiga estar lá no aeroporto umas 3 horas antes do voo.. Resumindo, só de passagem para sair e voltar de Frankfurt você teria um gasto adicional de uns 400 a 500 Reais, sem contar o tempo perdido, e você já tem pouco tempo para muito local... Ou seja, avalie comprar uma passagem "Multiplos Destinos" chegando por Munich ou Viena e voltando por Paris, Londres, Amsterdam, seja lá quais que você escolher para manter no roteiro. Geralmente custa o mesmo, ou se for mais caro, você compensa não tendo que voltar a Frankfurt...
  16. Fatos: - Carro não entra no centro de Zagreb, Split, Hvar e Dubrovnik, se você ficar hospedado na região central, vai ter que deixar o carro parado em algum estacionamento, pagando o equivalente a uns 30 Euros por dia de diária. - A travessia de ferry até Hvar é umas 5 ou 6 vezes mais cara para um automóvel do que para um pedestre. Para um carro custo uns 40 Euros e para um pedestre uns 7 Euros. - A taxa de retorno por devolver o carro em Dubrovnik é de uns 150 a 200 Euros dependendo da locadora. Mas se você voltar dirigindo, você vai ter um gasto de 80 a 100 Euros com gasolina, pedágios, etc alem de lhe tomar um dia inteiro... Seguir de carro pelo litoral croata é viável, muita gente faz, só que se você estiver viajando sozinho, os custos do carro acabam pesando. Se estiver em 3 ou 4 pessoas, já começa a empatar com o custo dos ônibus. É um roteiro viável, mas vai depender de quantos dias você tem disponível para ele, e da época do ano em que fizer ele. Se você quer baladas bem animadas, tem que ser em Julho e Agosto, pois junho ainda não é tão movimentado, e setembro já começa a esvaziar... Eu fiz algo bem parecido este ano, cheguei por Zagreb, de lá fui de trem até Split, mas dá para ir de ônibus também, pulei Plitvice por que já tinha estado lá em outra ocasião. De Split peguei um barco até Hvar, e de Hvar peguei um barco direto até Dubrovnik. E para terminar, peguei um voo de Dubrovnik direto para Munich.
  17. Pegasus é uma low-cost, então tem que ter cuidado nas regras da tarifa, para não ser surpreendido lá no aeroporto com alguma taxa de check-in de 70 Euros... Aegean é uma grande empresa tradicional grega, ambas são bem conhecidas.
  18. O Jardim do Belvedere do Schloss Schönbrunn são abertos, ao menos eram da última vez que eu estive lá a uns 2 anos atras, mas tem portão que é fechado a certa hora da noite. Comida típica em Viena é o Wiener schnitzel e a Sachertorte, não lembro de nenhum bairro mais boêmio, até por que o centro Turistico de Viena é relativamente compacto, então tudo meio que se concentra no centro. Eu lembro que eu almocei um dia nas proximidades da Catedral e outro dia perto do Hofburg, mas exatamente em qual restaurante, não vou lembrar. Eu tenho o costume de ir olhado os preços nos cardápios nos restaurantes enquanto vou passeando pela cidade, se acho algum local que me agrade, eu gravo o endereço no celular e depois tento voltar lá na hora que der fome...
  19. Se você não se importar em passar 20 horas dentro de um busão, dá para ir de ônibus. Mas sinceramente, com os voos custando a partir de 25 Euros, não tem muito sentido em ir de ônibus, que provavelmente vai custar mais do que estas passagens low-cost promocionais que você consegue caso compre as passagens uns 30 ou 60 dias antes.
  20. http://www.accuweather.com/pt/es/barcelona/307297/october-weather/307297?monyr=10/1/2016 Sol ainda tem, mas já é frio demais para pegar praia e entrar na água, bem como as férias dos europeus e americanos(que são a maioria dos turistas por lá) já terminaram nesta época, todo mundo já voltou para casa, para trabalhar ou estudar, ou seja, é bem mais vazio do que no verão. Mas como Barcelona é uma cidade grande, sempre vai ter algum local animado, mesmo no inverno.
  21. Blablacar é um site/aplicativo de compartilhamento de caronas, funciona assim: Alguém precisa ir de Munich até Salzburg de carro, entra no site e oferece uma carona, se alguém se interessar, o site coloca as pessoas em contato para elas combinarem o horário e dividem o custo da gasolina. Mas tem garantia zero, primeiro por que depende de você achar alguém que esteja oferecendo uma carona no dia e hora que você precisa para o local exato que você quer ir. E em segundo lugar, ninguém garante que a carona não vai furar na última hora, por que a pessoa mudou de planos e não vai mais viajar, ou então, você ficar lá tomando um chá de cadeira, por que o fulano resolveu ir só no final da tarde, sendo que o combinado era de manhã cedo... Resumindo, funciona para quem tem todo tempo do mundo disponível, o que não costuma ser o caso do pessoal daqui do site, funciona com alguém que não se importe em perder o dia inteiro em função de uma carona que pode furar ou atrasar. Se você tem pouco tempo e um roteiro meio cronometrado, sem tempo a perder como a maioria dos turistas que vão para ficar poucos dias na Europa, o melhor é usar transportes tradicionais, trem de preferência, que quase nunca atrasam e costuma sair e chegar na hora marcada faça chuva, sol ou neve. ônibus e carro você já está sujeito ao transito, acidentes, congestionamentos e atrasos frequentes no inverno devido as condições ruins na estrada.
  22. Budapeste, Viena, Praga e Berlin é um roteiro "clássico", não é tão caro, as cidades não são tão distantes assim uma da outa, mas não tem quase nada "leste europeu" em nenhuma delas, na verdade os nativos destas cidades até ficam meio ofendido se você chamar eles de "leste europeu"! O "leste Europeu" fica mais para o leste... Ou seja, estas cidades seriam um bom roteiro, o problema é que teria que ser tudo muito bem organizado para caber em 15 dias, pois Budapeste, Viena e Praga precisam uns 3 dias cada, Berlin precisa de uns 4 dias para você visitar o principal com alguma calma. Em teoria seriam 13 dias para estas cidades, com 2 dias de folga, mas não esqueça que o dia da chegada e o da volta geralmente são dias perdidos, onde você não consegue fazer muita coisa, então os seus 15 dias na verdade são 13 dias, no limite recomendável para não ficar corrido. Você teria que organizar muito bem os deslocamentos entre as cidades para que não pegue um horário de trem/ônibus ruim, bem no meio do dia, que lhe acabe estragando um dia inteiro só em função de ir de uma cidade para a outra.
  23. ------

    Munique

    É tudo muito bem sinalizado, organizado e meio intuitivo, então fica fácil se localizar lá, você só tem que saber qual a estação ou qual o ponto de tram mais próximo do local que você quer ir, o resto é fácil. E qualquer coisa, se você se perder, é só pedir para qualquer um na rua como chegar na Haupbahnhof e começar tudo de novo.
  24. Como em qualquer lugar do mundo, nas redes grandes de supermercados os preços sempre são menores e você tem mais variedade de produtos, mas muitas vezes eles podem ficar um pouco afastados de onde você esteja, obrigando você a gastar uns 5 Euros de metrô para ir e voltar do supermercado, e economizar uns 3 Euros nas suas compras diárias, ou seja você gasta mais no metrô do que a economia que vai conseguir indo num lugar distante. Então, a menos que você queira fazer uma compra grande, é melhor usar os supermercados que estejam próximos do seu hotel ou dos locais que você já vá visitar normalmente, sejam eles supermercados de grandes redes ou pequenos supermercados independente. Mas as maiores de supermercados em Viena são a SPAR e BILLA. Não espere encontrar hipermercados enormes no centro, muitas vezes os supermercados destas grandes redes são bem pequenos e discretos, se não procurar, as você nem percebe eles. O ticket individual de metrô/tram/bondinho/ônibus custa 2.20 Euros. O preço das atrações varia muito, e são muitas delas, os preços vão desde 4 Euros até 20 Euros, podendo passar dos 200 Euros na ópera caso queira um assento bom, então não adianta eu falar os preços aqui, você teria que listar os locais que quer visitar. Alias, todas as atrações turísticas tem página na internet, onde você pode consultar os horários de funcionamento e os preços atualizados dos ingressos, e de eventuais "combos" de várias atrações, que deixem o preço final menor. O que exatamente você queria saber a respeito de restaurantes? Viena tem literalmente várias centenas de restaurantes, para todos os gostos e bolsos, os preços variam de 12 a 200 Euros por refeição, dependendo do local e do que você escolher para comer.
  25. 4 - Ahn????? Onde você viu isto? Republica Tcheca e Praga fazem parte do Espaço/tratado Schengen, uma vez tendo entrado no Espaço Schengen você não precisa de outro visto para ir a Praga. 5 - Os horários que aparecem nos sites das companhias aéreas sempre são no fuso horário local das cidades. 6 - Nunca tenha somente uma opção de pagamento, pois quem tem somente uma forma de pagamento não tem nenhuma, pois pode ter certeza que na hora que você mais precisar, ela vai lhe deixar na mão. Você até pode concentrar os gastos numa forma, mas sempre tenha ao menos 1 outro opção de pagamento. O VTM é como se fosse um cartão de crédito pré-pago, você usa ele como CARTÃO DE CRÉDITO, mas ao invés do valor vir na sua fatura no final do mês, o valor da compra é debitado do saldo pré-carregado do cartão. Você pode fazer saques em qualquer caixa automático usando o VTM, cartão de crédito ou mesmo o seu cartão de débito Visa/Mastercard da sua conta corrente brasileira. VTM e Cartão de Crédito clássico tem as maiores taxas e Débito as menores. No cartão de crédito tradicional e débito você está sujeito a flutuação diária do câmbio que pode fazer o valor final subir ou descer, já no VTM, você "fecha" uma taxa de câmbio no momento em que carrega ele, e depois não muda mais. O que usar depende de cada pessoa, dinheiro em espécie é arriscado você perder ou ser furtado, cartão tem taxas adicionais, então vai de cada pessoa decidir como vai levar. Pessoalmente eu recomendo levar até uns 400 ou 500 Euros em espécie, para as despesas de primeira hora, e o restante, pode ser num VTM, cartão de crédito ou débito. Só não esqueça de desbloquear os cartões para uso no exterior antes de viajar.
×
×
  • Criar Novo...