Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Francis Xiská

Membros
  • Total de itens

    10
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Egito; Cairo, Gizé, Alexandria, Luxor, Assuã.
    França: Paris
    Argentina: Bariloche, Villa La Angostura
    USA: Miami
    México: Cancún, Cozumel, Valladolid
  • Próximo Destino
    Torres del paine, El chaltén, El Calafate, Ushuaia e montevideo
  1. Francis Xiská

    Fotografia na Patagônia

    Guilherme_Br vou pra lá dia 23 de fevereiro!
  2. Lara, eu ainda não fui! embarco pra aventura dia 23 de fevereiro e já estou sonhando acordada com o dia do embarque!
  3. Iai galera mochileira, beleza? Vou começar este relato agradecendo à todos que disponibilizaram suas informações, dicas e relatos aqui no site. Isso ajuda e MUITO na hora de montarmos o roteiro e economizar. Seeeei que dá preguiça mas vale muito a pena! Pesquisem tudo o que puderem! No mais, muito grata por tudo! Este é o meu PRIMEIRO MOCHILÃO e está sendo construído ainda! Eu iria sozinha mas uma amiga minha (a mare) topou a aventura e decidimos cair neste mundão de Deus. O objetivo inicial da viagem é FAZER TRILHAS e sair fotografando tudo o que for permitido nesse período, então tentamos colocar mais tempo nos dias das trilhas, até por que a região da patagônia é bem imprevisível. Das trilhas; escolhi TORRES DEL PAINE [circuito “O” ou maçico paine] e trilhas em EL CHALTÉN. Por conta do deslocamento ser feito de avião, sobrou tempo e resolvemos esticar para Buenos Aires! Montevidéu já estava nos planos. Preferi deixar as trilhas de Ushuaia de fora. Questão pessoal. O planejamento se deu por 6 meses antes de bater o martelo e decidir botar o pé na estrada. A internet nessas horas ajuda demaaaais! (Quem estiver por lá nessas data, dá um alô pra nóis aêêêêê!!!!!!) Ao longo da viagem vou tentar atualizar vocês, se não der, farei assim que retornar ao Brasil. MOEDAS: As moedas que serão utilizadas: real, pesos argentinos e chilenos. Vou colocar os preços conforme realizamos os pagamentos. HOSTELS: Reservamos os hostels por que estamos indo em período que ainda é considerado alta temporada e confesso que bateu medinho de não achar um lugar pra dormir ou achar e pagar o olho da cara. A maioria reservei pelo booking e não precisei pagar antecipadamente, tanto que prefiro pagar em pesos até pra chorar um pouco os descontos. total de todos os hostels [exceto montevidéu]: R$570,00 [para cada uma] mas esse preço pode baixar. ROTEIRO E DIAS: Separamos 30 dias para tudo e eis a rota; 23 de fevereiro 2017: São Paulo -> Ushuaia 25 de fevereiro 2017: Ushuaia -> El calafate 17 de março 2017: El calafate -> Buenos aires 21 de março 2017: Buenos aires -> Montevideu 23 de março2017 Montevideu -> São paulo Depois de tanto ler os relatos aqui, analisar roteiros, jogar no google maps verificar empresas de ônibus, horários e tempo de deslocamento, optamos em comprar passagens aéreas. ãã2::'> A aerolíneas argentinas foi a mais barata, na opção “múltiplos trechos” por que sai mais em conta e você não precisa ficar perdendo tempo indo e voltando pro mesmo lugar. Já voei pela Aa e não tive problemas com eles e parece que o conceito da empresa vem mudando positivamente ao longo dos anos. *resolvemos fazer quase tudo de avião porque compensava no preço! [no início hahaha] todos esses trechos, ficariam 2.500 reais, se fosse para ir e voltar só de ushuaia, tava saindo em torno de 2 mil quando iniciei as pesquisas [olhando com 60, 51, 45 dias do embarque com as taxas inclusas]. MAAAAAS como todo boa viagem, surgem imprevistos [problemas] e não seria diferente comigo. Explico: Tenho um dispositivo de segurança cadastrado no celular (o tal do Itoken) e meu celular está sendo arrumado.... não pude comprar normalmente . Tentei descadastrar e habilitar outro número, fiz todos os procedimentos que pediram mas não deu nada certo. Enfim. Dores de cabeça a parte, passei com outro cartão e záz! Passagens em mãos. preço final: R$2.918,15 com as taxas inclusas. (Agora só esperar chegar o dia!)
  4. Francis Xiská

    Fotografia na Patagônia

    Francis, só uma dúvida. Aquele 1,5kg do tripé causa um problema temporário... já a frustração de perder uma foto, será eterna. Como pretende lidar com a frustração de não conseguir fazer uma boa foto pela falta de tripé? (PAUSA, VOLTO NESSE ASSUNTO ABAIXO) Na verdade não tem trocas repentinas de temperatura... em campo a lente condensa porque ocorrem coisas como tudo esta molhado dentro da barraca (sua respiração / transpiração esta fazendo isso), porque o orvalho esta molhando tudo, da grama a rocha... É como o carro com vidro molhado pela manha. Na verdade o balanço de branco é a menor das menores preocupações, basta fotografar em RAW. Mas a dica é muito válida para quem fotografa em celular, câmeras básicas, ou é teimoso em usar JPG. O ideal é ficar no ponto, claro! Mas, minha experiência pessoal na frente do LightRoom diz que uma foto sub exposta pode ficar muito boa se comparado a uma foto super exposta.(estourada). Quando o sol bate em um lugar com céu claro e você inclui um lugar com sombra na composição você tem que escolher entre sub exposição e super exposição. (Imagens clássicas como nascer do sol nas torres com o lago abaixo ainda na sombra são exemplo). Minha experiência, sub exposição da melhor resultado, estourou, vc não recupera nuvens, detalhes, etc. Clarear no computador é bem mais fácil que escurecer. (DESPAUSA, VOLTANDO NO ASSUNTO) Você, acostumada a eventos, usando flash, bem.... Na paisagem não tem flash. Se quiser uma foto sem sombras, partes subexpostas parte estouradas, tem que fotografar na hora mágica. Hora mágica é 15 minutos antes e depois do nascer do sol. O melhor resultado que encontro é geralmente 15 antes do nascer do sol e 15 depois do por do sol. É uma ótima luz, mas..... TEM QUE TER TRIPÉ. By the way, o artigo que você citou, é muito bom, mas parece ser realmente focado na realidade do hemisfério norte. Explico. Lá, é comum você sair de casa, e no seu próprio quintal bater fotos a -20C e entrar de volta para dentro de casa a +20C. Quando você vai para a patagônia e vai fotografar natureza, essas condições não existem..... lá fora nem é tão frio assim, e muito menos o hostel não é tão quentinho assim também, e ainda pior sua barraca esta longe de ser quentinha.... oi rlcq! desde já: muito grata por todas as informações e relatos! [tem ajudado bastante a montar meu roteiro e diminuir os grilos das cabeça com isso ãã2::'> ] então! eu faria essa viagem sozinha e pensar em completar o maciço paine com tudo nas costas.. hmmnn.. deu medo MAS agora cogito levar o tripé porque uma amiga resolveu que vai! então a distribuição de peso fica melhor Sei que as condições no hemisfério norte podem não se aplicar mas é interessante se informar a respeito. Mas é aquela coisa: por ser a primeira viagem nesse estilo, eu fico cagada de medo de dar alguma zebra com o equipamento. Caaaara imagina alguém que mora numa cidade que faz 40°C com frequência e ir encarar os ventos patagônicos? se eu não virar um picolé antes, volto e conto tudo o que aconteceu! hahaha O RAW deveria ser usado sempre (mas nem sempre é o que ocorre) e as vezes por descuido se acaba se fu.... depois na edição. Sobre o flash, hora mágica; eu comecei fotografar sem ele [pra fazer fotos de shows e ambientes noturnos e o uso do flash era proibido] e concordo com você que pra foto ficar perfeita, há a necessidade do tripé! (neste caso) Já tenho algumas "fotos programadas" na cabeça e será nas horas mágicas que serão feitas Pra quem quer escolher um ponto legal, ou saber as horas mágicas de cada local da cidade ou ponto que está, tem um app chamado TPE (the photographers ephemeris), pode ser baixado grátis do site http://photoephemeris.com/ vi também que tem um outro chamado "golden hour" mas nunca usei. agora é aquela expectativa grande né? hahahaha que venha o vento, o frio, perrengues e muitas fotos!
  5. Francis Xiská

    Fotografia na Patagônia

    iai galera belê? é verdade que a gente SONHA em tirar fotos sensacionais nestes locais mas esquece dos perrengues. estou me preparando pro primeiro mochilão e vou pra patagônia e decidi levar minha nikon e a gopro. Das lentes: escolhi a 24-70mm por que a ideia é fotografar a paisagem com qualidade e tenho a meia tele [70mm]. a idéia de levar um tripé eu já abandonei por que cada 100 gramas a menos, é importante! Já passei umas poucas e boas com troca repentina de temperatura no equipamento quando comecei a trabalhar neste ramo... trabalhava fotografando balada e o local tinha ar condicionado central... quando iá pra área externa, tinha que esperar a câmera voltar a temperatura normal. na primeira vez que passei por isso quase tive um troço, não sabia o que estava acontecendo! eu acrescentaria mais 2 coisas: tomar cuidado com exposição e balanço de branco; geralmente a máquina não "enxerga" corretamente a exposição e aí aquele clique liiiindo vai ficar subexposto.. e você passa raiva. A foto pode ficar mais "azulada" que o normal também! verifique antes e se puder, invista num filtro UV que já ajuda a corrigir esse problema e dá uma protegida na lente da camera. pra tentar não congelar o equipamento, deixe próximo ao corpo mas quem for fazer longas exposições... acho que a idéia de vestir a camera com EVA com o rlicq falou é uma boa, eu colocaria 1 sacola plástica também.. deixando só um buraco pra frente da lente. nunca testei mas fica a idéia aí né? sei lá se aguentaria um time lapse de uma noite toda.. mas pode ser que ajude. uma macete pra camera não dar "tilt" com o choque de temperatura e condensar na hora que voltar do passeio é colocar ela num saco plástico para que se descongele aos poucos. o processo leva em torno de 2 horas. achei um link que fala [em inglês] dessas dicas! https://www.bhphotovideo.com/explora/photography/tips-and-solutions/infographic-essential-tips-cold-weather-photography
  6. também to aguardando um relato dessa viagem! eu pretendo ir em feveiro e ficar quase 1 mês rodando por lá.. quero fazer as trilhas com calma e fotografar tudo o que puder! hahahaa ãã2::'>
×