Ir para conteúdo

GioSar

Colaboradores
  • Total de itens

    25
  • Registro em

  • Última visita

Sobre GioSar

  • Data de Nascimento 22-01-1973

Bio

  • Ocupação
    Funcionário Público (Nomeado)

Outras informações

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

Conquistas de GioSar

Novo Membro

Novo Membro (1/14)

0

Reputação

  1. Olá Maria. Belo relato, só falta as fotos pra gente se deliciar.
  2. Olá Marcelobborges. Grato pelas informações. Serão muito uteis para essa viagem. Quanto a Chapada dos Guimarães, depende do tempo que tivermos disponível, e como sou acompanhante, dependo do meu tio. Mas o interesse em conhecer é grande, se não der nessa, vou numa próxima só para esse destino. Qualquer duvida vou postando aqui, e quando retornar vou fazer um relato com fotos para postar aqui, para também poder ajuda outros mochileiros que queiram conhecer esse pedaço do Brasil.
  3. Olá. Venho pedir desculpas aqui, mas o que o Google Earth mostra é um lugar no meio do nada para Juruena - MT. Pesquisando mais a fundo, descobri que é bem mais ao norte. O caminho até o entroncamento da MT 235 com a MT 358 está certo, dai em diante eu errei, tem que seguir na MT 358 até Campo Novo dos Parecis, dai em diante é pela MT 170 até Juruena - MT, passando pelas cidades de Mundo Novo - MT, Brasnorte - MT, Juina - MT, Castanheira - MT e Juruena - MT, tudo pela MT 170. Como se vê pelas imagens do Google Earth, até Brasnorte, as imagens são de 2006 e tem asfalto em todo o trecho a partir de Cuiabá - MT. Não sei dai para frente, se puderem me ajudar, fico grato.
  4. Olá Marcelobborges. Pois é. De Cuiabá, não sei como se chega lá. No Google Earth e no Google Maps não tem opção, mas, traçando uma rota pelas estradas que vi no mapa do Google Earth tracei uma, mais ou menos assim (por isso a duvida). De Cuiabá - MT por Várzea Grande - MT seguindo pela BR 364 ou BR163 (tem os dois nomes na mesma rodovia) até Jangada - MT, depois de Jangada - MT no entroncamento seguir pela MT 246 até Barra dos Bugres - MT. Dai em diante pela MT 343 até Nova Olimpia - MT, depois pela MT 358 passando por Tangará da Serra - MT, Itanorte - MT até entroncamento com MT 235. (Até aqui, pelo que vi em fotos postadas no Google Earth esta tudo asfaltado). Pela MT 235 até Sapezal - MT (que por fotos de alguns rios parece que está asfaltado até o Rio Juruena) seguindo até uma fazenda (Fazenda Mazzuti) que fica do lado oposto do arroio em relação a cidade de Sapezal - MT. Da fazenda em diante, seguir sentido norte até chegar em Juruena - MT. Esta é minha duvida, ouvi dizer que a unica ligação de Juruena-MT para a Capital Cuiabá-MT é via MT 170. Como a imagem da região é de 2003 tenho muitas duvidas. Pois o único acesso a Juruena-Mt que encontrei foi por ai.
  5. Olá. Gostaria de informações de como fazer para chegar em Juruena - MT, a partir de Cuiabá - MT. Sou do RS e pretendo fazer uma viagem no final do ano para visitar parentes nessa cidade. Tenho um tio que tem um cunhado que mora lá, o empecilho é que ele não viaja de avião. Tracei um pequeno roteiro mas estou em duvida. Vamos de carro 4X4 e pelo roteiro dá uns 3000Km. Gostaria de informações de qual é o melhor caminho a partir de Cuiabá, se as estradas estão boas, asfalto ou terra, postos de combustível de quanto em quantos KM, Atoleiros, se dezembro chove muito ou é época boa para ir e poder aproveitar a natureza do lugar, pontos de interesse para ser visitado a partir de Cuiabá. Grato se puderem me ajudar. Abraços e boas mochiladas.
  6. FÉRIAS EM FAMÍLIA NO LITORAL NORTE GAÚCHO. (TRAMANDAÍ, IMBÉ E TORRES) Olá. Vendo relatos de muitas pessoas aqui, e que servem de pesquisa para outros, resolvi fazer meu relato. Não muito pelo tempo que foi ou pelo modo que foi, mas para poder ajudar um pouco sobre estes locais onde pasei, por ter poucos relatos sobre o Litoral Norte Gaúcho. Trabalho em uma prefeitura e minha esposa com engorda de suínos para uma empresa da região como integrado. Tinha-mos que adequar nossa viagem com o intervalo entre um alojamento de suinos e outro, sendo este intervalo de sete dias, dentro deste, o tempo para limpesa e desinfecção para o próximo alojamento, tempo de limpeza de três a quatro dias. Começamos a planejar a ida ao litoral, e como não podia deixar de passear na casa de um tio de minha esposa, o alojamento já estava garantido, sendo pago com produtos da colonia, queijo cachaça, licor, feijão, etc.(Brincadeira, mas agrado faz bem). Só faltava o meio de locomoção, entre onibus ou alugel de carro. Optamos pelo segundo, e ai vem a sorte que acompanha alguns, reservei com uma semana de antecedencia um Celta basico, sem direção hidraulica, nem ar condicionado (a viagem duraria em torno de três horas), na retirada o veículo não tinha sido devolvido ainda, nos ofereceram um Clasic completo pela mesma diaria do reservado, com diária de R$ 60,00 com 200 Km livres. Retirei na sexta a tarde para sair bem cedo no sabádo. O roteiro: Lajeado, Tramandaí, Torres, Tramandaí, Lajeado, tudo no Rio Grande do Sul, com aproximados 800 Km ao todo. Quem iria: Eu, minha esposa e nossa filha de sete anos. Saímos no dia 17/12/2011 as 5 horas da manhã, pegamos a BR 386 sentido Porto Alegre e já ao nascer do sol estavamos nos aproximando de Porto Alegre e fomos brindados com um lindo amanhecer, lindo e dando trabalho, pois o sol dava direto na cara, nem para-sol ajudava, dava reto em cima do capo. Lajeado a Porto Alegre são 110 Km e tem um pedágio em Fazenda Vila Nova de R$ 6,00 (ida e volta). Nascer do sol próximo a Porto Alegre - RS na BR 386. Pegamos a BR 290, mais conhecida como Freewey, de Porto Alegre até Osório com dois pedágios, um em Gravataí de R$ 4,00 (Ida e Volta) e outro em Santo Antonio da Patrulha a R$ 8,00 (só ida) e 100 Km de distância. Lindas paisagens, como a Laguna dos Barros e ao fundo o Parque Eólico de Osório. Laguna dos Barros vista a partir da Freewey. Parque Eólico de Osório visto a partir da Freewey. De Osório a Tramandaí pegamos a RS 030, sem pedágios, mas muitos radares e depois de dirigir mais uns 20 Km já estavamos na casa do tio para tomarmos aquele café da manhã. Durante o dia fomos conhecer mais a cidade de Tramandaí e a cidade visinha de Imbé, que é só atravesar a ponte. A noite combinamos que no domingo, dia 18 iriamos para Torres, meus tios diseram que mesmo morando tão perto nunca tinham ido a Torres, combinamos que eles iriam junto. Eu e meu tio no pier em Imbé - RS. Dia 18/12/11, após o café da manhã, saímos todos em um carro só. Seguimos direção a Osório para irmos pela BR 101 e ver as mudanças com a duplicação, rodovia muito boa, sem pedágios, perto de 110 Km até Torres. Passamos pelo túnel em Morro Alto. Túnel na BR 101 em Morro Alto - RS. Início do túnel com 3 Km de extensão, reduzindo em mais de 9 Km o trajeto. Dentro do túnel. Avistando a saída do túnel. Saída do túnel. Mais a frente paramos em uma Gruta a Beira de BR 101, no município de Dom Pedro de Alcântara. Rochedo onde está a gruta perto da BR 101 em Dom Pedro de Alcântara - RS. Eu na entrada da gruta. Gruta. Lagoa de Itapeva as margens da BR 101 perto da gruta. Chegamos em Torres, a cidade é linda, praia de veraneio desde o tempo de colegial, primeira praia que vi na vida em 1987 aos 14 anos. Colonão do interior sem muitos recursos dá nisso (meus pais ainda não foram pra praia, não sabem como é o mar, pretendo leva-los junto em 2012). Resolvemos levar nossa filha para conhecer esse paraiso, e ela adorou. Sobre a praia, as fotos falam por si. Almoçamos em Santa Catarina, estado vizinho, na cidade de Passo de Torres, achamos um biffe a quilo muito bom e barato (R$ 18,00 o Kg), logo na saída da ponte de concreto, um pouco acima de ponte pencil. Praia de Torres vista a partir dos molhes no Rio Mampituba. Rio Mampituba, do lado direito Torres - RS, do lado esquerdo Passo de Torres - SC. Ponte pênsil sobre o Rio Mampituba. Eu, minha filha, meu tio e minha tia na ponte pênsil. Em baixo da ponte pênsil no lado catarinense. Vista da Torre do Farol (Morro do Farol) em Torres - RS. Esposa e filha na praia de Torres, água limpa. Morro do Farol e suas antenas, com os parapentes. Calçada entre o mar e o Morro do Farol. Escada de acesso a grutinha no Morro do Farol. Eu e minha esposa na grutinha, com o Morro do Meio ao fundo. Eu contemplando o paredão perto da grutinha. Ajudando a descer. Subir é fácil. A caminho do Morro do Meio. Foto clássica com todos juntos, no posto de avistamento de baleias, no início do Morro do Meio. Arrebentação no penhasco do Morro do Meio. Em cima do Morro do Meio com vista para o Morro do Farol. Caminhando no Morro do Meio e a esquerda vista da Ilha dos Lobos. Contemplando. Furna no Morro do Meio. Furnas do Diamante no Morro do Meio. Praia da Guarita e Morro do Sul. Caminhando na trilha da Reserva do Morro do Meio. Morro do Farol e os parapentes. No final do dia voltamos a Tramandaí pela Estrada do Mar, sem pedágios, mas muitos pardais, e ainda em Torres avistamos o Castelinho, pena que esteja abandonado, é muito lindo. Castelinho na Estrada do Mar, perto de Torres - RS. No dia 19/12/11, meus tios foram trabalhar e nós aproveitamos Tramandaí mesmo, fomos caminhar na praia e ajuntar conchinhas (programinha básico para pais com filhos pequenos), tomar banho de mar, caminhar no centro e fazer compras, visitar o pier e o farol da Petrobrás e o Parque Eólico de Tramandaí. Almoço básico na casa dos tios a base de frutos do mar e peixes. Calçadão de Tramandaí - RS. Pier em Tramandaí - RS. Brincando no mar em Tramandaí - RS. Barcos da Petrobras ancorados em Tramandaí - RS. Farol da Petrobras. Parque Eólico de Tramandaí - RS. A tardinha, pelas dezenove horas, retorno para casa. Com chegada 22 horas, isso por que paramos no caminho para comprar vasos e melância, os abacaxis compramos em Tramandaí, muito doces por sinal. Espero que possa ajudar com o relato, ou encantar com as imagens a quem quiser conhecer o Litoral Gaúcho. Abraço. (Estou a disposição para ajudar no que puder quem tiver interesse em conhecer o Litoral Norte Gaúcho).
  7. Olá. Também sou fã deste site e procuro aqui informações para os passeios. O último foi a Aparados da Serra. Lugar schow de bola. Muito lindo. Estive ali quando da viagem da formatura da 8ª serie, isso lá em 88. Sempre queria voltar e não podia por algum motivo. Desta feita tirei o fim de semana de folga, juntei esposa, filha de 7 anos e afilhada de 14 anos e fomos. Pegamos muita chuva mas mesmo assim valeu. Segue duas fotos do lugar. Muitos manacas da serra floridos nos paredões. Galera observando os desfiladeiros. Grande abraço e boas trips.
  8. Olá. Botando mais lenha na fogueira. Segundo o site Bentevibrasil, a Cascata das Andorinhas no Rio Perdiz, que despenca no Quenion Itaimbézinho, tem 700 metros de queda, Já estive lá em 1988 e pretendo voltar agora em 2011, e pelo que vi, o ranking deve estar errado, pois a queda tem mais que 400 metros. Grande abraço.
  9. Olá 7811. Tudo bem. Seja bem vindo ao Mochileiros. Poste mais fotos para matar a curiosidade do pessoal (especialmente eu) destes lugares facinantes por onde você andou. Abração.
  10. Olá Deia. Belo relato o seu. Quanto mais eu leio sobre os INCAS, mais me anceia para tambem um dia poder viajar e curtir esses locais lindos, ainda mais depois de ler um relato assim. Abraço e boas mochiladas por aí.
  11. Olá Danibrasil. Tudo bem? Belo relato o seu. Morro no RS, Região do Vale do Taquari e conheco este pedacinho do paraiso, vou a estes lugares da Serra Gaúcha pelo menos uma vez ao ano com a familia. Pena não ter paciencia para fazer tambem um relato assim. Ainda escrevo um para divulgar mais as belezas daqui, para que mais pessoas se encantem com essa terra, pequeno pedaço de Brasil.
  12. GioSar

    Cidade del Este

    Ola. Tudo Bem. Gostaria de algumas informações. - Qual os dias de maior e menor movimento em Cidad Del Leste? - Quais os dias e horario de funcionamento das lojas, ou nunca fecham? Grato pelas informações.
  13. é isso ai... Cascata ou cachoeira?.. e se fossemos deixar de lado essa discução e abrissemos um ranking de Quedas d'água, que englobaria todas, cascatas e cachoeiras, ai sim teremos um ranking, mesmo não sendo oficial. Se nos unirmos, um dia montaremos um ranking com o conhecimento de cada um aqui do mochileiros, como já dizia meu avô "uma andorinha sozinha não faz verão".
  14. Olá. Também pretendo conhecer este lugar lindo com minha esposa e filha de 6a. Só para informação de quem pretende viajar ao local, por informações que disponho, as quedas só são visiveis no periodo da seca (de novembro a março), dependendo muito das chuvas nas demais epocas. Nos outros meses o rio esconde essa maravilha. Abraço a todos e boas mochiladas.
×
×
  • Criar Novo...