Ir para conteúdo

Pablo Toledo

Membros
  • Total de itens

    16
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Bio

  • Ocupação
    Professor de Inglês

Outras informações

  1. Dêem uma olhada n modelo Spot da Black Diamond. www.bdel.com Comprei uma recentemente e é violenta. P.
  2. Fala pessoALL, Entao, resolvi encarar a Quechua mesmo e estou nada arrependido da minha opcao. O solado (vibram) tem otimo grip e a sapata ja moldou facil no meu pe. Nao esta pegando nada, logo esta muito confortavel. Ainda ha bastante numeracao desta sapata na Decathlon. Entao quem e desencanado de ter as 'the best of" das importadas, esa e uma otima opcao. Quanto as Nomades, realmente todos estao falando muito bem do modelo Urucum. Longe de mim desmerecer o produto, mas acho que ta salgado o preco dela. Por pouco mais da pra comprar uma "entry-level" da 5.10.
  3. Salve rapaziada! Seguinte. Sou iniciante na escalada esportiva e antes de ir pra pedra, vou ficar um bom tempo em ginásio. Estava com muitas dúvidas quanto a qual sapatilha comprar. Estive a beira de pegar uma 5.12 dos modelos mais simples (entry level) por R$289,00. Era uma sapata mais clássica e bastante confortável. Das nacionais, sem querer desmerecer o trabalho daqueles que se dedicam a promover a escalada e o montanhismo no Brasil, TODAS pegaram muito no calcanhar (na parte mais alta, perto do tendão). Achei um modelo da Quechua na Decathlon que é bastante confortável (mais do que qualquer uma nacional) e que tem a parte traseira mais baixa, além do shape ser assimétrico. O melhor foi o preço, pois de R$199,00 estava por R$101,00! Espero não me arrepender dessa compra. Abs P.
  4. Dá uma olhada na Decathlon. Lá eles vendem varetas pra vários modelos de barracas deles mesmo. Talvez alguma delas tenha as mesmas dimensões da sua. P.
  5. Salve pessoal, Uma ótima opção são as meias que a Decathlon têm com tecnologia Novadry para expelir a umidade e deixar os pés secos. As meias são muito boas mesmo. Seca bem rápido quando molhadas, tem tratamento anti-bacteriano e são muito macias. Ademais, os preços são interessantes. P.
  6. Caraca Batata, que fotos são estas!?!?!? Eu que tiro fotos, paguei um pau pras paisagens desse lugar do qual jamais ouvi falar antes. Voltando às barracas, acho que estamos fazendo um pequena confusão. A Zimba II tem varetas de alumínio e um único compartimento a ser montando (embora, como a maioria das barracas ela seja uma double wall). Existe sim uma outra Kailash (Smart II) que é montada com os bastões de caminhada, mas não é dessa que estou falando em minhas mensagens. Enfim, é provável que neste final de semana eu vá pras Agulhas Negras e acampe no Alsene. Vejamos como a Marmot se sairá. Abraço P.
  7. Olá Batata, Que a Marmot é uma marca de muito mais tradição e know-how que a Kailash, isso acho que ninguém tem dúvidas. Mas, por outro lado, acho que a síndrome de vira-lata dos brasileiros acaba que por desmerecer os produtos nacionais. Que tem gente aqui no fórum que fala mal dela, isso é normal. Em fóruns gringos tem até quem desça a porrada nas Bibler. Como eu frisei, EM TESE a Zimba II da Kailash não fica devendo nada às suas concorrentes(volto a destacar que ela tem mais resistência a água e usa um nylon mais forte do a maioria das concorrentes). A Marmot que compramos é um exemplo, pois usa nylon 68D190T). Além disso, A Kailash custa bem menos que as gringas, as quais no Brasil estão todas acima de mil reais. Logo, EM TESE, não faz sentido mesmo comprar uma barraca gringa se o uso for estritamente pro Brasil. Infelizmente não são todos os interessados que podem ir comprar um bom material no exterior ou então pedir para trazer. Acabamos comprando a Marmot por ela estar numa mega-liquidação (o custo de oportunidade era irresistível), além excepcional peso dela. Quanto a Manaslu, sem dúvida é um ótimo material, mas é complicado comprá-las, além de serem pesadas pra categoria que ocupam. Abraços
  8. Olá pessoal, Comprei uma Salomon Pro Trek 7 GTX. Usei pela primeira vez na Illha do Cardoso, num trekking de 24K na mata fechada. Gostei muito do grip dela, sem falar na respirabilidade e resistência à água. Sei que foi um teste leve ainda, mas acho que começamos bem. Michelschon, só um toque. Eu já trabalhei em loja de calçados. Na boa, empurra essa sua bota pro lojista resolver o problema. A obrigação é dele de ir atrás da Adidas ou do distribuidor (qualquer que seja). No limite, procon no cara! Abraço
  9. Bem pessoal, já que estes posts muito me ajudaram a comprar minha barraca, deixem-me dividir algumas constatações. Pelas pesquisas que fiz e, levando em conta as condições climáticas brasileiras, conclui que comprar uma barraca gringa não faz muito sentido. A não ser que se tenha muito planos pra viagens no exterior. Tomando a Kailash Zimba II como referência, notei que poucas são as barracas gringas da mesma categoria que aguentam tanta chuva como a Kailash. Notei também que a Zimba II é, via de regra, confeccionada com um nylon de maior resistência (Ripstop 70D210T), enquanto as gringas são Ripstop 68D. Sem falar que, assim como as gringas, a Kailash também tem as varetas em alumínio. Enfim, uma barraca gringa que seja superior a Zimba II vai estar custando bem mais caro também. Embora eu tenha feito esta pequena digressão sobre a Kailash, compramos uma Marmot Twinlight (2p) e, justiça seja feita, ela aguenta (em tese) menos chuva que a Kailash e usa nylon de menor resistência. O que pesou pro lado da Marmot foi o preço (demos sorte de a pegarmos numa mega-promoção) e a Twinlight é incrivelmente leve pra categoria (2,3kg). Pagamos quase que a mesma coisa que pagaríamos pela Kailash. Testamos a danada no feriado de 7 de Setembro na Ilha do Cardoso. Pegamos na primeira noite muito frio (8 grau) e uma chuva pesada que parecia não ter fim. Lhes afirmo que, dentre todas as barracas expostas à chuva, a nossa foi a única que não entrou água. Nos demais dia, muito calor e mais chuva...e nem sinal de condensação. Abraços P.
×
×
  • Criar Novo...