Ir para conteúdo

rafa_con

Membros
  • Total de itens

    63
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    6

rafa_con venceu a última vez em Julho 11

recebeu vários likes pelo conteúdo postado!

Reputação

73 Excelente

Links para Redes Sociais

4 Seguidores

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. @Mcfly1 eu sei que agora parece que vai demorar muito pra passar esses 3 anos mas te garanto que depois o tempo o vai voar que você nem vai ver. Até lá o que dá pra vc fazer, se vc tiver algum tipo de mesada ou seja jovem aprendiz em algum lugar, vai juntando seu dinheirinho desde agora. Vai te ajudar muito quando chegar a hora. Embora seja possível você fazer algum dinheiro viajando, deixe isso como último caso, tenta se garantir o máximo possível antes. Paralelo a isso vai pensando quanto tempo você quer ficar viajando, pensa no seu roteiro, por quais países você quer passar e em quais cidades você quer parar. Nessas cidades, quais os seus pontos de interesse? Quanto tempo você quer ficar ali? Qual a melhor época do ano para conhecer esse lugar? Vai fazendo esse esboço de roteiro pra ir se preparando.
  2. Respondendo o @LucaSantos eu uso AirBNB quando os hoteis da cidade são muito caros ou quando os hoteis 'mais em conta' tem notas muito baixas nos sites de reserva. Sobre Uber, eu na verdade nunca fui usuária táxi. Lembrando agora, acho que em toda minha vida eu usei em 4 situações de emergência que não tinham mais opções de transporte público disponíveis por horário ou por enchente (hahahaha) e tive que recorrer ao táxi. E claro que em todas as situações foram corridas extremamente caras. Na minha opinião, o Uber veio não para substituir o táxi mas para substituir o transporte público em algumas situações. Por exemplo, hoje na minha cidade o ônibus tá custando 4,70. Se eu e meu marido vamos ao shopping por exemplo, já daria pelo menos 9,40 de ônibus. De Uber dá 11 reais em um terço do tempo. Curioso, uma das minhas recentes experiências em AirBNB foi na Alemanha, em Berlim. Claro que sei que cada cidade é um caso, mas na minha experiência, quando fui buscar por um AirBNB em Berlim, achei que tinham poucas opções de hospedagem pela plataforma e menos ainda as opções mais 'centrais'. Dessas que tinham, algumas hospedagens eram extremamente caras por causa de decoração bonita/ moderna e uma localização privilegiada, o que na minha opinião, nem valeria pena porque qualquer hotel entregaria o mesmo num preço menor. As 2 que cogitei, ambas longe do centro mas perto de metrô, uma era um 'puxadinho' no quintal da casa principal e a que eu acabei me hospedando, era uma garagem da casa do cara que acabou sendo adaptada para uma súite com cozinha. Ou seja, nenhum dos casos me pareceu serem grandes empresarios ou coisa do tipo, era só uma galera querendo uma renda extra. Claro que eu também filtrei pelos preços mais em conta e por lugares inteiros (não o quarto dentro da casa). Mas acredito que essa seja a busca da maioria das pessoas também. E tinham sim comentários de pessoas que se hospedaram lá antes para ter uma ideia de como seria o local. Não quero generalizar, mas essa foi a minha experiência pontual.
  3. @Renato Santini Olá! Eu nunca fui pro Everest, nem sou alpinista nem nada (HAHAHA), mas gosto muito do assunto. Sou obcecada pelas histórias. Li bem recentemente os livros No Ar Rarefeito do Jon Krakauer e A Escalada do Anatoli Boukreeve que ambos falam sobre o acidente que ocorreu em 10 de Maio de 1996 que foi o dia que mais morreu gente no Everest na história, só que cada um no seu ponto de vista. As duas agências envolvidas que são citadas nos livros, a Adventure Consultants e a Mountain Madness cobravam até 65 mil dólares por cliente na época. Nos dois livros, eles citam que alguns clientes pagaram menos, cerca de 40 mil dólares, e ai vai uma série de variações de negociações. Ambas agências ainda existem, a Adventure Consultants hoje tá cobrando 69 mil dólares: https://www.adventureconsultants.com/expeditions/seven-summits/everest/ e a Mountain Madness 67 mil: https://mountainmadness.com/trips/mount-everest#overview Lendo os livros vc consegue ter bem uma noção o porque desses valores. Tem as permissões pagas ao Governo do Nepal que o cara cita no vídeo, tem toda uma questão de logística de material de todo lugar do mundo até o topo da montanha: barracas, comida, garrafas de oxigênio, o serviço de uma equipe de xerpas (as expedições geralmente tem mais xerpas do que clientes) que leva e trás o material desde o acampamento-base até os 4 acampamentos avançados, tem custo com médico que fica de plantão pra te atender, os guias que vão te levar pro cume, além de que a própria agência precisa ter seu lucro... Enfim, é muita coisa envolvida. Então sim, esse valor citado no vídeo de 50 mil dólares é até 'barato' se considerar que estamos em 2020 e o cara ainda é brasileiro, vai conversar com você na sua língua nativa, isso não tem preço. Aliás, recomendo muito a leitura desses livros porque se você estiver pensando nessa escalada, você aprende com os erros cometidos pelas pessoas ali e não repete. Claro que no vídeo o cara fala que obviamente você precisa escalar muitas montanhas antes do Everest para se preprarar e ai são mais valores 'adicionais', mas falando exclusivamente do Everest o valor citado de 50 mil dólares é bem realista.
  4. @Ronaldo N então, vida norturna não é comigo cara, não sou dessas então não sei dizer, desculpe
  5. @Ronaldo Ewerton Eu achei a Turquia um país relativamente barato e tem voos diretos aqui do BR, de vez em quando rola umas promoções bem boas de passagens. De repente você pode escolher mais alguns países ali do sudeste europeu pra juntar na trip (que geralmente se gasta menos), tipo Bulgária, Macedonia e Albânia (não conheço mas se fala muito bem das praias da Albania e é um país mais barato pra viajar).
  6. @GabrielN oi Gabriel, sim, é super possível você entrar com o ESTA nos EUA com passaporte português. Eu entrei com o italiano. A aplicação é bem fácil pelo site: https://esta.cbp.dhs.gov/. Faz um tempo que não renovo o meu pq não tenho mais intenção de voltar aos EUA, mas da última vez, tinha que responder um questionário simples com seus dados pessoais e documentos seguidos de perguntas com respostas de 'sim' ou 'não' (que vc tem q colocar tudo 'não'). A taxa era bem barata, pelo que me lembro, coisa de 12 dólares e o visto é válido por 2 anos, depois é só fazer a aplicação de novo no mesmo esquema. Na hora de passar lá na imigração, as duas vezes que fui nem precisei mostrar o papel impresso do ESTA, já tinha tudo no sistema deles... (mas é sempre bom levar né). Daí eles me perguntaram coisas banais tipo quantidade de dias que eu ia ficar, o que eu ia fazer lá, o que eu fazia no Brasil... foi bem tranquilo embora eu estivesse viajando sozinha as duas vezes. Tenho certeza que tem mais gente aqui no fórum que deve ter usado e pode falar sobre, mas no geral, você pode sim usar o ESTA sem problemas.
  7. @poiuy verdade, não pensei por esse lado, no próximo vou tentar guardar os valores na moeda do local pra não ficar desatualizado... obrigada.
  8. @filiperocha Filipe, ano passado eu fiz Berlim, Praga e Budapeste com pouco menos de 13mil em casal em 16 dias. Meu relato com os gastos detalhados está no post abaixo. Claro que no ano passado o Euro estava mais barato mas no geral eu diria ser possível se você não sair muito desse percurso. Croácia fica meio fora de mão.
  9. Entre agosto e setembro, se a coisa melhorar (o que é pouco provável) eu tenho um roteiro em mente que seria ir do Jalapão até o Piauí, passando pela Chapada das Mesas e Lençois Maranhenses... Só que esse roteiro só se concretiza nessa época do ano, se não der agora em 2020 será em 2021. Minha segunda tentativa de viajar em 2020 seria nas férias coletivas de fim/ começo de ano. Nesse caso, tenho duas coisas em mente: Rio Grande do Sul ou Espírito Santo (não conheço nenhum dos dois estados) que são mais próximos e relativamente mais baratos pra quem sai de SP.
  10. @jeangar achei seguro sim, o único medo que senti em determinado momento era de entrar em algum lugar que não pudesse, tipo propriedade privada, algo do tipo (e ser presa haha)
  11. @poiuy @francafig @luizh91 Obrigada pela participação pessoal. Então, tudo leva a crer que viagens (mesmo as nacionais) em 2020 não será possível, mesmo com algumas companhias aéreas inncentivando a programação para o segundo semestre. No entanto, acho que a propaganda está dando certo, eu notei um aumento para passagens no segundo semestre o que poderia indicar uma maior procura no período. Por exemplo, as passagens que eu estava sondando para Agosto teve um salto de 1400 para 2400 reais, os mesmos trechos para duas pessoas. Pela tendência, acho que em 2021 o valor pode aumentar ainda mais =/
  12. Olá, Tenho notado que algo recorrente agora nos tópicos do Mochileiros é "tá tudo muito incerto, não pra saber o que vai acontecer depois do Covid-19" e coisas parecidas. Na prática, eu queria saber como estão os planejamentos de viagens de vocês. Só para gente ter uma noção geral das atitudes que o pessoal tá tomando, se tem mais gente otimista ou pessimista, etc... - Vocês estão comprando passagens ou hospedagens para o futuro ou não estão comprando nada até que alguma coisa seja definida pelas autoridades? - Se estão planejando algo, seria para quando? Quantos meses a frente? Nacional ou Internacional? - Vi que a Latam, por exemplo, tá fazendo propagandas constantes de 'planeje suas férias pro segundo semestre' será que é válido planejar algo ainda para este ano? - Vocês acham que pelo menos viagens nacionais serão liberadas ainda em 2020? Eu tava planejando pra esse ano tirar férias em Agosto e fazer um roteiro pelo Brasil mesmo (TO, MA e PI) mas antes de eu comprar qualquer coisa a pandemia estourou. Agora já começo a achar férias em 2020 algo muito MUITO distante, se eu chegar no litoral de SP no fim do ano me parece lucro.
  13. Já que esse tópico subiu, vou aproveitar e perguntar opinião dos mais experientes... Eu já fui duas vezes aos EUA via passaporte europeu + ESTA. Gostaria de fazer alguma viagem para lá com o meu marido algum dia mas ele não possui nenhum vínculo com o Brasil, não tem trabalho registrado, não tem nada no nome dele... Eu meio que não tenho esperanças de conseguir viajar com ele pra lá porque acho que ele não consegue visto. Estou sendo muito pessimista? Devo tentar? Confesso que não animo arriscar a grana pra conseguir visto com o dólar a 5 reais.
  14. @Guilherme Mesquita então, na verdade antes de ir ao Egito eu fui a Turquia e aos Emirados, Egito não foi meu primeiro país árabe. Mas foi a primeira viagem internacional do meu marido. Tenho muita curiosidade de ir a Índia mas tenho receio dessas situações, porque como vc disse, seria peregrinação e não lazer.
×
×
  • Criar Novo...