Ir para conteúdo

JoseAgripino_GO

Colaboradores
  • Total de itens

    30
  • Registro em

  • Última visita

Sobre JoseAgripino_GO

  • Data de Nascimento 17-04-1989

Bio

  • Ocupação
    sou trabalhador rural autônomo

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

Conquistas de JoseAgripino_GO

Novo Membro

Novo Membro (1/14)

  • Primeiro Post
  • Colaborador

Distintivos Recentes

3

Reputação

  1. Complicado que não aceite crianças, uma melhor forma seria um camping, em pirenopolis tem camping barato, talvez você encontre barraca com algum amigo para emprestar lhe, caso não tenha uma, é a melhor forma de ter uma liberdade a mais, eu sempre prefiro acampar do que ficar em pousada
  2. Obrigado, fiz outro no início de julho , só que agora com mais dois amigos. Pretendo fazer pra outros parques do estado ainda esse ano
  3. quem levar óleo, azeite, ou outra coisa, eu utilizo aquelas garrafas pet de " pitchula " , acho que são de 200 ml, pequenas e bem resistentes
  4. uso carvão pra fazer as refeições, mas vou começar a usar álcool , é mais em conta e mais fácil de levar, lembrando que eu faço cicloturismo, então coloco tudo no bagageiro, carvão não atrapalha pra carregar, então eu usava carvão. ... comida: utilizo vasilhame de margarina para levar arroz, é melhor do que saquinho, tempero eu levo sazon, ou algum tempero completo pequeno, ou levo em saquinho dentro do arroz, algum de casa. carnes defumadas ou carne seca, são as melhores, sardinha e mortadela tbm é uma mão na roda, apesar de ter muito conservante rsrs; No mais, utilize bebidas solúveis, leite em pó, cappuccino, café solúvel, suco já adoçado, etc.; Massas... macarrão instantâneo; leguminosas e frutas, preferível levar as mais rígidas, cenoura, batata doce, batata inglesa, beterraba, maçãs, etc.
  5. Minha viagem nesse fim de semana foi visitar o Parque Estadual da Serra dos Pirineus, que tem o pico mais alto com 1385 metros de altitude e na volta visitar as quedas do Rio Corumbá, o qual produz bastante eletricidade com suas 4 represas de captação até se unir ao Paranaíba na divisa de Minas Gerais. Sai de casa as 5 da manhã, com intenção de chegar á Cocalzinho antes do almoço, Sempre que podia dava uma paradinha pra comer algo que trouxe na bagagem, bolachas ou mexiricas, acompanhadas de muita água nas subidas... Cheguei na cidade de Corumbá de Goiás eram 9 da manhã. abasteci meus squeezes e fui tomar um tônico e comer algo que me desse mais energia. aproveitei pra usar o wifi do posto , encontrei uma equipe de jipeiros que também iam para o Parque dos Pirineus, na cidade de pedra dentro do Parque. Terminei meus afazeres na internet e retornei a viagem, com pouco tempo já estava passando em frente as quedas do Rio Corumbá também encontrei uma nascente aos pés da rodovia, onde troquei a água dos meus squeezes lugar lindo, mas não era meu destino neste dia, chegando em cocalzinho procurei saber sobre uma senhora, a qual me hospedaria através de um aplicativo, onde procurei por um anfitrião que tivesse algum local para ficar . como não consegui alguém pra me ajudar a decifrar o caminho correto até a fazenda dela , resolvi subir a serra dos Pirineus antes do meio dia, com um tempo muito nublado, subi até lá com um inicio de chuvisco e ventos fortes. mas não peguei chuva em nenhum ponto da viagem, todo lugar que eu passava , ou já tinha chovido ou ia chover depois. encontrei muitas pessoas perdidas tentando encontrar algumas cachoeiras da região do parque, eu também não sabia de nenhuma ali dentro. as placas também parece não ter ajudado eles, pois tinham passado várias vezes da entrada dessa tal cachoeira do Abáde. a primeira vista que achei deslumbrante ao subir na serra foi o morro do cabeludo, onde o pessoal fazz escaladas. o morro do cabeludo era muito distante pra chegar sem se molhar, então nem fui no paredão, resolvi ir ao pé da pico mais alto onde há uma capela, da Nossa Sra d'Abadia. Fiz uma oração de agradecimento por ter chegado até ali, em seguida subi ao cume do morro, onde há outra capela, a capela da Santíssima Trindade. o vento era muito , mas muito forte , pois havia chuva por todo canto, menos ali no cume. Esperei a chuva passar um pouco na cidade pra poder descer a serra e ir para a fazenda da minha anfitriã . encontrei muitos ciclistas descendo o morro também. O local é bem visitado por ciclistas de todo o estado de Goiás e do Distrito Federal. na saída do parque quase cai numa poça d'água, pois a bagagem estava muito pesada para desviar rápido ( depois dessa aprendi que não devo exceder a bagagem numa próxima viagem) .cheguei em Cocalzinho de Goiás, um tratorista conseguiu me ajudar a chegar no endereço da minha anfitriã. quando cheguei fui bem recebido pelo casal aposentado Margaret ( Greta Browne ) e seu marido Guy Gray, a Margaret é brasileira , tem pai americano e mãe brasileira, morou muitos anos no EUA, onde encontrou seu marido Guy. Conversamos muito sobre viagens, sobre plantios orgânicos, pois eu trabalho no ramo de horticultura. Jantamos uma comida tipica americana, massa, com molho separado da massa, uma farofinha de carne de bode, que ela abateu do seu rebanho, um bom shot de cachaça com vinho, o qual eu conheço por " carçinado " , nome que os caipiras usam para esse tipo de bebida. Conversamos mais sobre outras coisas. até dar a hora de dormir. conheci o banheiro deles, o qual não existe fossa nem nenhum tipo de esgoto, é um banheiro ás cegas como ela diz, eles cobrem com cerragem e guardam em um local apropriado onde depois de um ano se transforma em adubo. Achei bem elaborado, eles estudaram sobre o assunto , tem vários livros sobre sobrevivência ecológica. dormi numa cabana que eles próprios fizeram de barro e palha, não é pau a pique, é um sistema americano do qual eles estudaram para construir, é uma casa de COB. ainda em fase de término, mas muito linda. Esperei eles ordenharem as cabras para depois um breakfast com café com leite de cabra e mingau de aveia com banana, castanha e uva passas, nosso café foi ótimo, depois fomos pra mais um papo onde o Guy me disse que ele atravessou um bom pedaço dos Estados Unidos quando ele era mais jovem, contou me sobre um pouco da história das indústrias americanas e um pouco sobre onde ele já viajou por lá. depois ele me mostrou uma ferramenta que eu só tinha visto em filmes e vídeos rsrsrs. Chamada de gadanha ou como ele a chama de scythe , me mostrou até um livro onde se aprende a fazer a ferramenta e como usá la em vários tipos de serviços. Demonstrou como se trabalha com ela depois fui tentar mas fiquei foi com medo de quebra-la . Pois uma foice normal é muito pesada comparada a essa foice que ele mandou forjar na Àustria e o cabo feito sob medida nos EUA, muito interessante a história dessa ferramenta também Depois nos despedimos com direito a uma visita deles a minha chácara um outro dia próximo. segui meu caminho e deixei meus anfitriões em sua humilde moradia ecológica. Pedalando até Cocalzinho me deparo com uma turma de ciclistas, uma média de 100 ciclistas de Brasília, prontos para subirem a serra dos Pirineus, alguns me procuraram de onde eu vinha e quanto tempo gastei, alguns acharam incentivador e gostaram da idéia. Dali fui para Salto do Corumbá passar o dia e almoçar. comi e não perdi tempo em ir ver a cachoeira , na parte inferior estavam fazendo tirolesa depois fui ver as quedas maiores do Rio Corumbá, onde entrei e vi o quão é ótimo um banho de cachoeira, principalmente pela força das águas saímos da cachoeira e fomos lanchar, eu me despedi do João e do Fernando, segui meu destino pedalando para casa. Cheguei em casa ás 8 da noite, um pouco cansado, mas com a alma renovada e pronto para uma nova programação. Esse foi o meu relato dentro de Goiás.
  6. em setembro tem pouca água nas cachoeiras. Algumas nem tem água nessa época no norte de Goiás. O clima fica mais seco e quente nessa época. Mas você pode experimentar outras atrações, como trekking pelo parque
  7. Realmente não época de chuva não é muito bom ir. Mas o fim da época de chuvas entre início de maio até meio de junho, são as melhores épocas . Pois em julho e agosto fica mais frio com muita neblina , atrapalhando muito para ver a paisagem. E nós outros meses tem menos água nas cachoeiras
  8. Estou indo pra lá hoje. Farei minha contribuição também nos locais que eu visitar. Valeu pelas suas contribuições
  9. Existem parques bons por aqui. Parque estadual serra dourada próximo a cidade de Goiás velho, Outro parque é o dos pirineus em Pirenopolis. Os dois parques são bons. Ainda pode se fazer um tour pelas cidades históricas. Se no caso vc quiser ir em um lugar bom dentro de Goiânia, esse lugar é o imenso memorial do cerrado. Vale a pena
  10. Ja acampei em vários lugares aí, olha tem cachoeiras por aí, que nem precisa pagar pra entrar. Só que é longe, mas vale a pena ir nas mais famosas. Pode fazer o bóia cross tbm. É ótimo. Vc ainda vai? Ou já foi pra piri?
  11. Sou de Goiás, sempre faço viagens por todo o estado, também viajo anualmente á Minas Gerais. mas dessa vez decidi conhecer o Nordeste Brasileiro, passando por 4 estados do Nordeste nessa viagem. Bahia, Sergipe, Alagoas e Pernambuco, nos acolhendo com várias paisagens , principalmente na Chapada da Diamantina na Bahia. Não esquecendo das praias lindas de Maceió-AL e de Ipojuca-PE
×
×
  • Criar Novo...