Ir para conteúdo

Gabrieltakahashi

Membros
  • Total de itens

    16
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

9 Neutra

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Dia 20 Mentira. Este dia ainda não acabou. Neste mesmo dia tínhamos o passeio para o Vale de La Luna. O vale de la Luna leva este nome devido as características da região serem parecidas com o da Lua. Esta região fica muito próxima da cidade de São Pedro de Atacama, e é possível fazer este passeio de bicicleta e se for esta opção, recomendo reservar o dia todo para este passeio. A grande vantagem de fazer de bicicleta é que você pode aproveitar todo o visual e características do local, além de ser muito prazeroso para quem está realizando. Dentro deste passeio temos 3 paradas. A primeira parada é para ver uma formação rochoso conhecida como 3 Marias, pois você consegue ver, com muita imaginação, o formato de 3 mulheres com as mãos unidas e ajoelhadas, como se elas estivessem rezando. Uma pena que uma delas foi deteriorada, a ponto de não existir mais, pois antigamente era possível chegar muito próximo e até toca-las, e isso acabou danificando todas elas. Depois desta parte partimos para uma caminhada rápida de 15 a 20 min para conhecer um pouco mais esta belíssima região. No caminho a van nos recolhe e vamos para a caverna de sal. Onde também é uma formação rochosa toda de sal. Depois que saímos desta área, saímos do parque para irmos a um local onde iremos apreciar o por do sol no meio do deserto e é nesta parte onde todo o passeio fica muito mais sensacional. Este por do sol é magnífico. Retornamos a cidade por volta das 19:00. Obs.: Sobre os R$ 60,00 que comento no post anterior, eu não me lembro se é para o parque do Arco Iris ou para o Vale de la Luna que é pago.
  2. Dia 20 Primeiro dia de passeio no Atacama e vamos para a Montanha do Arco iris. É um passeio de meio dia, começamos por volta das 8:00 e voltamos por volta das 14:00. A empresa de turismo foi nos buscar com um pouco de atraso, porém nada fora do normal. Este passeio nós fazemos duas paradas, uma em um parque onde explica um pouco sobre a antiga história do que aconteceu no Atacama e depois a parte do Arco iris. Levamos em torno de uma hora até chegar a entrada do parque. Nesta primeira parte é demonstrado algumas passagens Incas, como o motivo dos desenhos nas pedras, os locais de passagem, e as indicações dos caminhos. Na segunda parte chegamos a parte do Arco Iris, é preciso pagar uma taxa de entrada de R$ 60,00 (12.000 pesos chilenos). Ai começamos a ver o motivo do nome Arco Iris, que é pela diversidade de componentes na terra que faz com que as cores sejam diferentes. São pequenas "montanhas" com uma diversidade de cores muito bonitas. Ficamos caminhando por este parque em torno de 2 horas e depois voltamos para o Atacama. Minha esposa não achou muito interessante este passeio, mas eu gostei. Mas se está com pouco tempo para fazer, realmente não vale a pena. No restante deste dia, fechamos outro passeio, o Astronômico para o próximo dia por R$ 200,00 (40.000 pesos chilenos) com a Space.
  3. Dia 18 Arrumei minha mala, tomei meu café da manhã e fui para a rodoviária de Rancagua. De Rancagua para Santiago peguei um ônibus por R$ 10,00 e da rodoviária um outro ônibus para o aeroporto por R$ 8,50. E neste dia encontrei com minha esposa. Ela também comprou um chip de telefone na Claro e fomos para o hotel próximo do aeroporto. No hotel que ficamos tinha um transfer do aeroporto - hotel - aeroporto já incluído no preço do quarto, R$ 100,00 por noite, não me lembro o nome do hotel. Ficamos neste hotel pois no outro dia de manhã voamos para Atacama. Dia 19 Acordamos, tomamos nosso café da manhã no hotel que ficamos em Santiago por apenas uma noite e pegamos um transfer gratuito do hotel para o aeroporto. Um voo de 2 horas e chegamos ao aeroporto de Calama. Descendo no aeroporto de Calama fechamos um Transfer na hora que chegamos e pagamos R$ 180,00 (36.000 pesos chilenos) ida e volta para nós dois. Então são mais 2 horas de transfer e aqui já é possível começar a ver a mudança da paisagem. Eu que estava numa área, digamos verde, do Chile, estou indo direto pro deserto e é uma mudança bem interessante e bonita. Chegamos em São Pedro de Atacama, uma cidade bem pequena, com apenas duas ruas principais que claro são ao entorno de uma pequena e bonita igreja. A famosa rua Caracoles, onde todos falam ser a principal, é pelo simples fato de todas as agências de viagem estarem nela, mas na outra é onde está sitiado a praça principal, a frente da igreja e alguns comércios. Almoçamos num pequeno restaurante chamado La Pica del Indio, muito bom e com pratos enormes. Pedimos um para cada e sobrou metade de cada prato, mas depois fomos ver que o que pedimos era grande e que normalmente eles são realmente individuais. Neste mesmo dia visitamos cerca de 10 agências de turismo, ou até mais, para os passeios que queríamos realizar. E em todas as agências recebemos a triste mensagem que os passeios que mais queríamos fazer iria estar fechado durante o tempo que iriamos ficar no Atacama, que são os Geyser e Pedras Rojas. Tudo bem, neste dia fechamos com a agência Domeiko, uma agência bem simples e com um preço que achamos justo. Com eles fizemos Vale de La Luna, Vale do Arco Iris e Laguna Cejar, os três passeios ficaram no valor de R$ 440,00 (88.000 pesos chilenos) para nós dois. Recomendação, se for em mais de um casal e não se importarem com as explicações da região, aluguem um carro, todos os caminhos são muito bem indicados. Se ainda estiver com muito folego, é possível fazer vale de la luna de bicicleta e recomendo demais, alugar por 12 horas e fazer este passeio. Não vai pedalar por 12 horas seguidas, mas vai fazer este passeio com muita tranquilidade e aproveitando todo o vale. Bom voltando a minha viagem. Estou esquecendo de falar do hostel que ficamos no Atacama, o hostel se chama Pablito. Ótimo hostel, caro, mas ótimo. para 5 noites foram US$ 500,00. Neste dia jantamos numa padaria chamada Franchuteria, e minha esposa ficou apaixonada por um croissant de framboesa. Excelente comida.
  4. Dia 14 Dia de ir para Santa Cruz, outra cidade que faz parte da rota dos vinhos. De Curico para Santa Cruz fui de ônibus que sai da rodoviária por R$ 9,00. Chegando em Santa Cruz. Não consegui fazer um check-in adiantado, pois a dona do Hostel não estava no local. Então fui no museu da cidade que possui o nome da região, museu de Concagua. A entrada do museu é de R$ 35,00 e você tem direito a 2 dois de visita. No museu consegui deixar minha mala e fiquei nele até dar o horário do check-in. O museu é enorme e possui muitas informações sobre o Chile e sua história. Diversos fatos históricos e de onde vem as tradições do local. Para mim foi muito interessante, mas não vale a visita na cidade apenas por causa do museu. Bom depois de um tempo, fui para o Hostel del Mimbre. Hostel mais caro que fiquei em toda minha viagem e não valeu nem um pouco ter ficado no local, R$ 220,00 por dois dias. É um ótimo hostel, mas não tem nada de mais. Bom chegando no hostel, deixei minhas coisas e fui dar uma volta na cidade. Tudo estava fechado e só depois fui perceber que era domingo e iria perder um dia sem fazer nada nesta cidade. Bom comi algo numa padaria e claro tomei vinho da região. Dia 15 Acordei cedo para dar uma volta na pequena e charmosa cidade de Santa Cruz, antes de procurar vinícolas para visitar. Ótima cidade para descansar e passar um tempo com a família ou se tiver disposto a gastar muito dinheiro com vinho, também é ótimo. Para visitar as vinícolas você pode alugar uma van ou taxi para ficar te levando em várias vinícolas durante o dia. Só o aluguel destes veículos fica em torno de R$ 200,00 o que pra mim achei totalmente inviável, então novamente não fiz nenhuma visita a nenhuma vinícola. Porém conheci uma pequena loja perto do hostel onde eles fazem degustação de 4 vinhos pela bagatela de R$ 100,00, porém é necessário ter no mínimo 4 pessoas e não consegui encontrar este número de pessoas. Este lugar foi muito bom, pois ele me indicou diversas pequenas vinícolas que não fazem importação de vinhos, e eu tive o prazer de degustar alguns destes vinhos, porém sozinho. Comprei a garrafa e bebi. =) Na parte da tarde, fui novamente ao museu terminar de fazer o tour e passar o tempo. No final do dia arrumei minhas coisas pois estava a caminho de outra cidade no dia seguinte. Dia 16 Tomei meu café da manhã e fui para a rodoviária, comprei minha passagem para a mesma hora com destino a Rancagua. Ônibus de R$ 15,00. Rancagua é uma cidade grande, já bem próxima de Santiago. Cidade Muito cheia de gente que também faz parte da rota do vinho que no caso para mim não foi nada proveitoso. Esta não é uma cidade nada turística, a dona do Hostel até ficou surpresa por eu estar no local e ficar por dois dias. Hostel no valor de R$ 100,00 para os dois dias. Este dia procurei conhecer a cidade. Aqui é possível visitar alguns mercadões, zoológico, vinícola e a cidade "grande". Minha primeira opção foi a vinícola porém ninguém conseguia me informar como chegar ao local ou muitos nem conheciam sobre a vinícola. Então acabei mudando meus planos e decidi ir ao zoológico. Porém só no outro dia. Este dia andei pela cidade, arrumei minhas cosias pois em dois dias iria encontrar com minha esposa em Santiago. Dia 17 De manhã aproveitei para fazer algumas compras para os outros dois dias e me preparei para a ida ao zoológico. Na rodoviárias, antes de embarcar no ônibus para o zoológico, perguntei sobre a vinícola e novamente ninguém nunca tinha escutado falar sobre ela. Bom deixei pra lá, meio desapontado, mas fui para o zoológico chamado de Safari. O ônibus para o zoo custa R$ 5,00, ida e volta, e a entrada do mesmo R$ 23,00. Não sei, mas depois que fui para a África do Sul, todo zoológico parece algo muito péssimo. Foi uma experiência terrível para mim. Posso dizer que é muito triste ver animais enormes presos em jaulas tão pequenas, alguns até tentaram me atacar, como o puma e um tigre, mas isso significa que eles não perderam os instintos ou que eles estavam morrendo de fome? Outro ponto que percebi é que quando passava algum funcionário do local, os animais seguiam eles, esperando algo em troca. Bom realmente percebi que este tipo de evento não é pra mim. Neste zoo, também possui uma área jurássica, e outra que simula um pequeno Safari. Bom fiquei em torno de 3 horas dentro dele e fui embora. Arrumei minhas coisas já esperando o próximo dia para encontrar com minha esposa.
  5. Dia 13 Chegada a cidade de Curicó por volta das 5 da manhã e acabei descobrindo que o ônibus não para na rodoviária da cidade eu teria que descer na estrada e ir andando até o local. Até que foi bom ter acontecido isso, pois por sorte meu hotel, neste caso hotel mesmo, era o mesmo preço que um Hostel, ficava próximo da estrada onde acabei ficando. Lugar chamado Punto Real com valor aproximado de R$ 100,00 por dois dias. *peguei numa promoção. Onde o ônibus para na rodoviária existem diversos taxis a espera de algum passageiro, mas eu não quis pegar e fui caminhando. Caminhei por quase 20 min para chegar ao hotel. Também tive a sorte de conseguir fazer um check-in adiantado, então já consegui deixar minhas coisas no quarto e fui descansar um pouco. A cidade de Curicó em si não tem quase nada para fazer, pelo menos não encontrei muita coisa. Mas para quem gosta de vinho aqui começa a Rota do vinho no Chile e este é o motivo de eu ter ido para esta cidade. Então este primeiro dia eu aproveitei para dar uma caminhada pela cidade, ver os tours de vinhos que existem pela região e quais eu consigo fazer por conta própria sem a necessidade de um prévio agendamento. Para minha surpresa eu descobri que só existe um tour de vinho que posso fazer sem agendar e sem a necessidade de um tour. Então foi meio triste começar minha rota do vinho sem ter vinícolas para visitar, além disso para se fazer estes tours dentro das vinícolas eu achei um preço extremamente caro e para mim não iria compensar. Para se ter uma ideia, um tour de 2h pela vinícola com degustação de 2 vinhos de média qualidade estava custando aproximadamente R$ 60,00, fora o transporte. Resumindo, minha programação para conhecer diversas vinícolas foi por água abaixo. Mas eu fiz a minha própria degustação. Comprei cerca de 1 garrafa por dia e "degustava". Se estiver em mais pessoas eu recomendo que cada um compre uma garrafa deste mesmo produtor e divirta-se com os amigos em algum local da região, pois os vinhos são muito baratos e de ótima qualidade. Só para se ter uma ideia a garrafa de vinho que é utilizado na degustação custa em torno de R$ 35,00. Obs.: Valores de mercado e de refeição não estou colocando, pois ai vai de cada pessoa. Dia 14 Dia da Vinícola, como eu sabia que não tinha muita coisa para se fazer e todos os lugares me indicavam o meu próximo destino para realizar os Tours de vinho pois era mais conhecida. Então aproveitei para descansar bastante, fiz um Brunch para mim mesmo. e me preparei para ir para a vinícola Miguel Torres. Para visitar a vinícola é possível ir de 3 jeitos, com tour, de taxi ou transporte público. Eu optei por taxi por ser muito próximo a cidade e menos trabalhosa, pois para ir de transporte público você deve ficar esperando na rodovia algum ônibus que passe na região e pedir para parar na vinícola. Eu gastei de taxi aproximadamente R$ 10,00 até o local. A grande vantagem de conhecer uma vinícola é trocar ideia com os funcionários do local, conhecer alguns características dos vinhos deste produtores e as peculiaridades do Terroir da região. A Miguel Torres é uma das vinícolas mais antigas da região, fundada por espanhóis. A mesma, possui vinhos de todos os tipos e bolsos. Uma das maiores curiosidades desta vinícola é que ela possui uma árvore que é utilizada para fazer rolhas e também uma pequena horta onde mostra a variedade das uvas que eles utilizam em seus vinhos. Fiz a degustação de 2 vinhos, um tinto e um branco com valor de R$ 50,00. Depois da degustação retornei de uber para a cidade e fui dar mais uma volta por ela. Tem um pequeno shopping e foi onde jantei e retornei para o hotel para arrumar minhas coisas.
  6. Dia 12 Meu último dia em Pucon e decidi ir ao parque nacional Huerquehue. Para chegar a este parque também fui de transporte público que sai da rodoviária de Pucon, no valor de ida e volta por R$ 18,00 com duração de aproximadamente 1h30m por trecho. Só vale a pena ir de ônibus para este parque se pegar o primeiro, que sai as 8h da manhã, pois o próximo só deixa a rodoviária as 13h. O ônibus te deixa na frente do parque e avisa que só possuem dois ônibus de volta, um as 14:30 e outro as 17:00. Então se você perder esses dois, não tem como voltar sem ser carona, a pé ou dormir por lá. No meu caso eu tinha que voltar pois ainda tinha que comprar passagem de volta para o mesmo dia e ver algum hostel para a próxima cidade, pois iria chegar de madrugada. Bom vamos ao que interessa, é preciso pagar uma entrada de R$ 13,00 e o guarda florestal te explica todos os caminhos e te mostra o mapa e por onde você deve seguir. Existem diversos trekkings dentro deste parque, porém neste dia estava aberto um pequeno caminho de aproximadamente 5 horas de ida e volta. Os outros estavam fechados devido a quantidade de neve. Antes que eu me esqueça, mais um dia de chuva fina e frio. Logo no começo do parque você consegue encontrar um grande lago. Onde possui banheiros, lugares para fazer pic nic e uma diversidade em fauna e flora. Fiquei neste lago por volta de 15min e voltei ao caminho para a trilha mais famosa do local e a única aberta, trilha "Los Lagos". No caminho desta trilha é possível ir pela estrada principal ou por uma pequena trilha de 30 min. Claro que peguei a trilha, porém não tem nada de mais nesta trilha. Mas é um ótimo aquecimento para o que está por vir. Bom no começo da trilha você percorre um caminho onde parece que está dentro de uma fazenda, com algumas casas, a ponta do lago que você encontra no começo, alguns lugares para acampar e pequenos rios. No decorrer, o percurso começa a ficar bem arborizado e a trilha continua visível, porém é necessário prestar muita atenção no caminho a seguir. Eu acabei me perdendo um pouco, tanto para ir quanto para voltar, mas tudo tranquilo. Mas tenho que admitir, se sentir perdido no meio do mato é algo meio assustador. hehehe Na trilha, você passa por duas cachoeiras muito bonitas e a medida que você vai subindo a paisagem vai se abrindo e para a minha surpresa a paisagem começou a mudar. Começou um caminho com pouca neve e no decorrer do caminho, eu peguei muita neve. Muita neve mesmo, de ter lugares onde minha perna inteira ficou para dentro da neve. Lugares onde tive que caminhar com neve até o joelho por um certo período de tempo, então se prepare para isso, pois eu não estava preparado e estava morrendo de frio. Você passa por mais 4 lagos até o fim da trilha e recomendo demais. A trilha em si é muito bonita e eu tive o prazer de pegar o parque vazio, nevando e com muita neve. Como só tinha eu e mais umas 3 pessoas que fomos até estes últimos lagos, parecia que você que estava descobrindo o lugar. Uma sensação indescritível. A natureza é magnífica. Bom retornei, congelando, as 17:00 e quando cheguei já comprei a passagem para Curico, meu próximo destino, para o mesmo dia.
  7. Dia 10 Após o dia da escalada, e muito cansado. Tirei o dia para ir nas águas termais. Fui num lugar chamado termas Geométricas. Lugar sensacional, porém um pouco distante. Se tratam de 3 horas de ida e 3 horas de volta, então também optei por ir de Tour, porém é possível ir de carro, de transporte público acredito que se torna um pouco inviável a partir de Pucon. Neste tour eu gastei R$ 150,00, com a entrada para as Termas, só a entrada é R$ 100,00. O lugar é sensacional de bom. Muito bem estruturado, com as temperatura da água variando de 36C até 48C, possui uma cafeteria e lugares para se trocar. É fornecido toalha e armários para guardar suas roupas. No final de todos os banhos termais, tem uma pequena cachoeira para banhos a temperatura ambiente. Até tentei entrar, mas estava extremamente gelado e em alguns locais possuem alguns chuveiros com águas a temperatura ambiente também. Foi ótimo para relaxar após um grande dia de esforço. Dia 11 Neste dia fui conhecer dois lugares bem famosos em Pucon, Ojos de Caburga e Playa Negra. Porém neste dia foi o dia que descobri que minha blusa não é impermeável. A caminho de Ojos de Caburga, estava um dia ensolarado, mas depois de 5 minutos dentro do ônibus. Começou um temporal e eu não tinha mais onde me esconder. Então a caminho de Ojos de caburga eu peguei um ônibus na rodoviária, no valor de R$ 3,50. Depois de aproximadamente 1 hora desci na parte principal de Ojos de Caburga. É cobrado uma taxa de entrada, pois este lugar é dentro de uma propriedade privada, então os proprietários acabam cobrando um valor de R$ 5,00. Com um tempo agradável, acredito que o lugar vale a pena conhecer, porém com a chuva que eu peguei, eu fiquei cerca de 10 min e fui embora. Quando sai da propriedade a chuva deu uma trégua e eu resolvi ir caminhando de Ojos de Caburga até a Playa Negra. Grande erro, pois no meio do caminho, a chuva voltou e na estrada não tinha nem um local para me abrigar. Bom foram 6kms caminhando debaixo da chuva até a Playa Negra. Chegando ao local de desejo, não se via nada por causa da chuva.. Mas foi muito bom para conhecer, pois parece ser um lugar bem amplo e ótimo local para se passar um dia ensolarado e com algumas trilhas ao redor do caminho. Agora era esperar o Ônibus de volta para Pucon. Este ônibus passa de 30 em 30 min. R$ 4,00.
  8. Dia 9 Único dia com previsão de sol para os próximos 7 dias e única chance para eu conseguir fazer a subida do vulcão Villarica. Acordamos as 5:00 da manhã para partir as 6:00. Este passeio eu fechei junto com o Hostel, pois o preço é semelhante aos que as outras agências estavam cobrando e a vantagem é que vai apenas o pessoal do Hostel. Todos os equipamentos estão no valor que foi pago de R$ 375,00. Calça, blusa, luva, capacete, bota, mochila, mascara, grampons e o machado para gelo. Acabamos utilizando todos neste dia. Tivemos muita sorte neste dia pois o céu estava limpo. Tudo perfeito para realizar este tipo de aventura. Da saída do hostel até a base do vulcão demoramos em torno de 1 hora e é possível admirar o nascer do sol a caminho do vulcão. Na chegada ao local, eu fiquei admirado com a quantidade de neve que estávamos entrando e como o carro estava conseguindo passar por ele, até que uma hora o carro não saia mais do lugar e tivemos que descer. Todo o lugar era lindo, tudo espetacular e eu me impressionei ainda mais com a natureza. Realmente é perfeita e ainda tem gente que não quer preservar. Últimos preparativos antes de começar a subir e lá vamos nós para o início do trekking. Até a primeira parada eu pensei, nossa isso aqui é muito fácil, vou tirar de letra. Escutei que eram aproximadamente 3 horas para subir e já estávamos quase uma hora caminhando. Vai ser moleza. Até este ponto já tinham chamado minha atenção umas 3x por ficar parando para tirar foto. Oras eu nunca fiz isso, quero tirar foto. Bom então parei de tirar tanto foto e comecei a apreciar muito mais o ambiente, escutar o vento, sentir o cheiro da neve, ver todo ambiente branco e todo aquele sentimento de prazer, excitação e gratidão ao mesmo tempo. Lá vamos nós, voltamos a caminhar e se foram 2h, 3h e nada do pico chegar. Começamos a reparar que o grupo se separou, e algumas pessoas até foram voltando. Começando a pensar, esse negócio de subir em 3 horas é enganação, isso é impossível. Ai uma vez ou outra, passava um grupo subindo muito rápido. E eu me perguntava como eles conseguiam subir tão rápido. Olha eu não estava cansado mas não conseguiria subir no ritmo deles. A partir deste ponto, estávamos andando com a neve praticamente no joelho, ficando cada vez mais pesado andar pela neve, muito desgastante, nosso grupo ficando menor e mais lento, estávamos fazendo mais pequenas paradas, o que para mim parecia que era mais difícil quando parava e tínhamos que retomar. 4 horas se passaram e o esforço ia aumentando, porém a paisagem ia compensando. Eu pensando comigo mesmo, este lugar é lindo. Todo esse branco é ao mesmo tempo amedrontador e traz tanta paz. 5 horas caminhando e sempre subindo, meu joelho começou a doer, o frio aumentar e já começamos a sentir o cheiro forte de enxofre. Também começamos a ficar preocupados, pois o tempo começou a mudar muito rápido e os guias nos avisaram que talvez não fosse possível subir pois estava começando a ventar muito. Tivemos que parar e colocar os grampons, pois não estávamos mais com neve e sim com gelo. Continuamos subindo e chegamos num ponto onde deixamos nossas mochilas, colocamos nossas mascaras pois estava começando a ficar muito forte o cheiro e nos preparamos para mais 15 min de subida. Chegando nesse ponto, parece que toda energia volta, pois está tão próximo de alcançar este objetivo. Continuamos subir e a partir daqui não conto mais como foi, espero deixar esta tão inesquecível sensação para quando você realizar este trekking. Só um Spoiler, eu vi lava. Ficamos 15 - 20 min. e descemos. Em torno de 1h, descemos e já estávamos nos preparando para voltar. Tirando toda a roupa, guardando na mochila, e pronto para o regresso. Chegando no hostel, devolvemos todo o material e uma caixa de cerveja nos esperava para brindarmos este dia especial. Junto com os guias estávamos conversando sobre como foi o dia e como o dia foi ótimo. Tivemos muita sorte que o dia foi ótimo para realizar esta aventura.
  9. Dia 6, 7 e 8 No meu sexto dia, amanheceu um dia bem chuvoso, o inverno do sul do chile é chuvoso, então tirei o dia para ficar tranquilo na cidade. Comprei algumas lembrancinhas, depois dei mais uma volta pela cidade e comprei minha passagem de ônibus para o próximo dia com destino a Pucon. Meu plano era conhecer uma cidade entre Puerto Varas e Pucon chamada Valdivia, porém a hospedagem da cidade era caríssima e eu não estava com vontade de gastar quase R$ 100,00 num Hostel, então decidi ir direto para Pucon, a cidade das aventuras. Descobri também que a North Face de Puerto Varas faz algumas promoções de 50% em alguns finais de semana, que no caso eu perdi, mas vale a visita diária só para ver se em alguma promoção. Cidade com muitas lojas para frio e esportes ao ar livre, se for seu primeiro destino, deixe para comprar por lá. Um pouco mais barato e possui uma maior variedade de produtos. No final deste dia, um amigo da proprietária estava indo para a cidade, então acabamos fazendo um churrasco no Hostel. E como brasileiro, fiquei responsável por colocar fogo e assar a carne. Um churrasco de carne, frango e linguiça regado a vinho. Fizemos uma vaquinha, no chile eles chama de "vaca", e saiu muito barato e acredito que gastei nesta noite, R$ 25,00. No dia da minha primeira partida foi muito difícil, acho que tinha me acostumado aquele ambiente acolhedor e quase fiquei por mais alguns dias, mas como não sabia o que exatamente eu iria fazer nos próximos dias. Além disso, estava indo para um lugar novo, sem ninguém conhecido, sem lugar para ficar e na chuva. Bom Minha passagem era para o final da manhã, então tomei o café tranquilo, com uma baita ressaca, me preparei e rumo ao terminal de ônibus. 3 horas depois eu já estava em Pucon, chegando em Pucon, estava uma chuva terrível, então fui direto para o Hostel mais barato perto do centro, Willhouse. Valor médio de R$ 25,00. O lugar é bem rustico, achei tudo meio velho, não sei se é proposital ou não, mas não agradou meu gosto. O quarto não tinha locker, ou melhor tinha mas o meu estava quebrado e não tinha como colocar as malas. O proprietário falou para eu ficar numa cama onde fui descobrir no final do dia que já tinha uma pessoa dormindo. Então foi algo meio despreparado. Bom eu sempre costumo procurar um lugar que pelo menos seja limpo. Sabe aquela história de sou pobre mas sou limpinho? Então basicamente isso, e o lugar não era muito limpo. O banheiro era muito pequeno, não conseguia nem abrir totalmente a porta do banheiro e eu não vi nenhuma pessoa limpando o lugar. Mas o Hostel não é todo ruim, o proprietário é simpático e está disposto a te ajudar no que você precisar, tem uma placa com as gírias dos chilenos, que no caso ajuda um bocado e a cama era confortável. Este dia não consegui conhecer quase nada da cidade por causa da chuva, então fiquei no hostel vendo outros lugares para ficar e sai para comer uma empanada e tomar algumas cervejas. Amanheceu, arrumei minhas coisas e fui para outro Hostel. Fui para o Hostel chamada ChiliKiwi e para mim o melhor que passei durante os 56 dias de viagem. Hostel com banheiro amplos e em todos os lugares, com o pessoal muito bem organizado e prontos para te ajudar em qualquer situação. Desta mudança você tira a lição que independente da primeira escolha não ter sido muito boa, você sempre pode mudar e ajeitar para o seu gosto. Nada precisa ser para sempre, nem a vida é. Bom chega de filosofar, recomendo muito este Hostel, apesar de não ser o mais barato, pra mim valeu a pena. Também dei sorte que as pessoas que estavam como hóspedes eram ótimas pessoas. Única coisa que sinto muita falta é ter pegado o contato delas, acabei esquecendo. =( Valor pago pela diária foi de R$ 45,00 No primeiro dia do Hostel, eles te apresentam a cidade, os passeios e tudo o que você pode fazer sem ter gasto, ou ir de transporte público. Neste dia sai para andar pela cidade, pelas "praias" e fazer as compras. Preparação para o próximo dia, subida ao vulcão Villarica. Em Pucon tem o centro de informações e na época que eu fui estava com a promoção para os turistas. Onde você retirava este Voucher e algumas lojas estavam com 20% de desconto além das promoções que elas estavam fazendo. Acabei comprando um corta vento impermeável, pois descobri, mais tarde, que minha blusa não é impermeável.
  10. Dia 5 Dia escolhido para ir ao vulcão Osorno, o primeiro vulcão. Este dia eu estava muito ansioso, pois escolhi ir de transporte público e caminhando para o vulcão. Acordei por volta das 7:30 e fui tomar meu café da manhã no Hostel, arrumei minha mochila e fui para o ponto de ônibus ver qual ônibus eu teria que pegar para ir para a cidade mais próxima do vulcão, que no caso é Ensenada. O ônibus para Ensenada, custa R$ 7,00 só de ida. Aproximadamente 1h20m de viagem você desce no final desta cidade, que parece que são apenas algumas casas que ficam na beira da estrada e de frente para um Lago, onde escutei que era onde chegava a maioria das mercadorias para Puerto Varas alguns anos atrás. Porém hoje já está desativada. Comecei a caminhar, nesta pequena subida até a entrada para a estrada do Osorno, tem uma pequena Laguna chamada Laguna Verde. Possui este nome por causa da alta quantidade de algas que da o tom verde na água. Lugar gratuito para conhecer e muito bonito, vale a visita. No dia que eu fui, só tinha eu no lugar então estava uma paz incrível. Bom saindo do parque, comecei minha jornada para a subida. Depois da cidade Ensenada, até a base do vulcão são mais 10 kms de subida. Então se preparem. No começo da subida eu estava com o planejamento de fazer em 3h, e já reparei que iria fazer em 5h, pois é uma subida infernal. Porém durante a caminhada, consegui pegar duas caronas, uma até o primeiro mirante e depois uma segunda até a base do vulcão. O que estava planejando em fazer em 3h consegui fazer em 1h. Chegando no vulcão, que vista sensacional. Impressionante. Mesmo sem muita neve o lugar é sensacional. Como eu tinha horário para voltar, pois o último ônibus de volta da cidade de Ensenada para Puerto Varas sai as 5h da tarde me planejei para começar a descer por volta da 1:30h. Então eu tinha em torno de 2h para aproveitar o lugar. No vulcão, como ainda não estava pronto para esquiar, pela falta de neve, você pode fazer um trekking ou subir de teleférico. O teleférico possui dois níveis e eu escolhi subir até o segundo, Depois que eu comprei, descobri que o segundo nível só iria abrir depois das 13h, pois no topo da montanha os motores estavam congelados e estava aguardando derreter um pouco do gelo para ligar. Bom eu me desesperei e não sabia exatamente o que fazer no momento. Ai como já tinha pegado carona para ir falei, que se dane eu pego na volta, mas de algum jeito eu volto. fiquei esperando. e valeu muito a pena. No primeiro nível o céu estava totalmente aberto, com muito sol e uma vista incrível e nesta primeira parte é possível visitar uma cratera fechada deste vulcão. Incrível. Subindo para o segundo lugar, o tempo mudou e não era possível enxergar nada e o lugar estava extremamente frio, mas simplesmente mágico. Lugar único, no mesmo lugar você sente uma paz e um medo absurdo. Fiquei em cima por aproximadamente 30 min e o tempo não mudou então desci pois eu estava congelando. Neste segundo andar, eu conheci duas brasileiras que me deram carona de volta para Puerto Varas, Que sorte. Então foi ótimo. Uma dica, se estiver com tempo e muita blusa, vale a pena esperar, pois o tempo na montanha sempre está mudando, alguns minutos depois que eu desci, o tempo abriu. O valor do teleférico foi em torno de R$ 75,00. Bem caro. É possível subir a pé. Este foi um dia incrível.
  11. Dia 4 Mais um dia de chuva, então decidi conhecer uma pequena cidade chamada Frutillar. Uma cidade bem charmosa, porém sem muita coisas para fazer. Muitas casas no estilo Alemão, como toda a região, tem até um museu Alemão, mas não me interessei pelo lugar. Ah, fui de transporte público também e se não me engano foi num valor de R$ 12,00 ida e volta. Em Frutillar tem um Centro Florestal, como não tinha muito o que fazer na cidade, fui conhecer. 30 minutos depois, chegando no lugar, ele estava fechado e não tinha nenhuma pessoa na entrada, nem mesmo no caminho, para informar se iria abrir ou os dias que o local fica aberto. Andando novamente pela cidade, vi que em todos os locais se vende uma torta chamada Kunchen, fui provar. Depois do Kunchen, caminhei mais um pouco pela cidade e voltei para Puerto Varas para descansar. No dia seguinte eu iria para o vulcão Osorno.
  12. Dia 3 - Acordei por volta das 8 da manhã e fui tomar café da manhã no hostel, meu segundo no caso. Fui para o ponto de ônibus da cidade, onde tem um ônibus que vai para este lago no valor de aproximadamente R$ 12,00. Do centro da cidade até o lago leva em torno de 1h30m, pegando estrada asfaltada e de terra. Chegando no lago só tinha eu e mais uns gatos pingados. Achei ótimo. Pude conhecer o local com muita tranquilidade, e fiz alguns pequenos trekkings de 30min. Porém tive um problema por estar vazio, queria ter pegado um barco para a cidade próxima para passar o dia e voltar. Porém não tinha ninguém trabalhando no local. hahaha Para voltar você deve pegar o mesmo ônibus, porém ele só passa neste lago a cada 1h30m. Não sabia disso, mas não me importei. Então decidi esperar com um guarda florestal que fica no local, porém ele disse que ia demorar o ônibus e sugeriu para eu ir caminhando até um outro local que eu queria conhecer. Eram apenas 6kms, então decidi ir caminhando, e durante o caminho, você caminha ao lado do rio e é um espetáculo de paisagem. Porém depois de um tempo o rio começa a ficar meio distante e perde a graça caminhar nesta estrada de terra e uma vez ou outra passa um carro nesta estrada. Por volta de uma hora caminhando, comecei a ficar entediado e vendo que alguns carro estavam indo na direção que eu queria ir, tomei coragem e comecei a pedir carona. Fazer isso foi um grande avanço para mim, e acabei conseguindo uma carona com uma família muito simpática. E o melhor, eles estavam indo para o mesmo lugar que eu, mas para minha surpresa, 5 min de carro, chegamos ao local.. hahahah Mas isso foi ótimo para eu quebrar a vergonha e medo. Saltos de Petrohue é um parque onde é possível ver algumas quedas d'água e com uma paisagem mais bonita que a outra. Entrada do Parque R$ 20,00. Depois do parque, peguei um ônibus de volta para Puerto Varas por volta das 4 da tarde, chegando na cidade por volta das 5 horas em Puerto Varas, valor R$ 10,00. Fui novamente no mercado comprar minha janta, meu almoço do outro dia e mais vinho e cerveja R$ 50,00. Pronto para o próximo dia!
  13. Dia 2 - Chegada em Puerto Varas, quase de madrugada, comecei a procurar por algum Hostel. Fui conhecer 4 hostels antes de escolher o que eu fiquei por 5 dias. Fiquei no Hostel, Casa Vieja, mais caro do que eu tinha planejado, mas para mim foi ótimo. Como primeiro contato com o Hostel depois de muito tempo, preferi começar em um mais tranquilo. Paguei R$ 50,00 reais o dia com café da manhã. Pude fazer o check in adiantado e fui muito bem recebido pelos anfitriões. Este primeiro dia eu conheci a cidade de Puerto Varas, fazer compras no mercado e conversar por um bom tempo com as outras pessoas do Hostel. Quando eu cheguei tinha um argentino, uma portuguesa, o que ajudou muito, um italiano e uma sueca. Puerto Varas é uma cidade muito tranquila, muito segura e aconchegante. Sempre que lembro desta cidade, sinto o cheiro de lenha queimando. Bom planejei meus próximos dias, baseado na previsão do tempo. Próximos dias eram nublado, chuva, sol, chuva e chuva. Então descobri que o inverno é a época de chuvas do sul do Chile. Já tendo uma ideia do que vou fazer nos próximos dias fui procurar alguma agência de turismo para fazer os passeios e descobri que nenhum das agências está preparada para passeios para viajantes solos, ainda mais nesta época de chuva. Além disso, todos os tours eram muito caros e eu não estava afim de pagar tão caro para, logo no começo da minha viagem. Então pesquisei um pouco e conversei com o pessoal do Hostel que me indicaram em como fazer os passeios por conta própria. Fora algumas outras dicas de restaurantes e trekkings de um dia. O que não consegui fazer por causa do mal tempo. No final do dia, me preparei para o meu primeiro dia de passeio para o Lago de Todos Los Santos, fiz meu jantar e fui dormir. Gasto com supermercado R$ 40,00 - Vinho, jantar, água, almoço do dia seguinte e um lanche para o dia seguinte.
  14. Meu nome é Gabriel Takahashi e decidi viajar, pois não estava muito feliz com a vida que eu estava levando. Depois de um tempo relutando com este sentimento de infelicidade, resolvi que era hora de tomar um novo rumo. Decidi fazer Chile e Peru por serem países próximos do Brasil, então custo mais baixo, e ao mesmo tempo muito diferentes. Então precisei largar minha empresa e deixei minha esposa em SP para começar esta pequena aventura. Comprei minha passagem com 3 meses de antecedência e paguei em torno de R$ 1.500,00. Todos os valores que vou descrever no relato são valores aproximados ou bem próximos da realidade. Tenho muita vontade de realizar o trekking Torres del Paine no Sul do Chile, porém não consegui realizar este sonho neste momento, pois para realizar este trekking no inverno é necessário um guia, e como eu estava viajando sozinho eu teria que esperar na cidade até juntar um grupo ou fazer o trekking com um guia privativo. Este trekking privativo iria custar em torno de $ 1.000,00, ou seja, deixa para próxima. Como não foi possível conseguir começar em Puerto Natales, resolvi começar em Puerto Varas. Dia 01 No momento da compra do ticket, eles informam os "Andes", não me lembro o nome, são as plataformas onde o transporte vai estar. Porém eles não informam o local exato e sim um conjunto deles, porém todos ficam bem próximos, então é só ir perguntando e pronto. Ah, antes que eu me esqueça, eu levei dólar e troquei próximo a rodoviária. Não é o melhor lugar mas achei uma cotação boa. Neste dia gastei com alimentação em torno de 35 reais, almoço e janta.
  15. Jana, Estou indo para Púcon em Junho, vou ficar na região por quase 3 semanas. No final destas 2 semanas volto para te passar umas dicas. Abraço.
×
×
  • Criar Novo...