Ir para conteúdo

Ane Lee

Membros
  • Total de itens

    10
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

5 Neutra

1 Seguidor

Sobre Ane Lee

  • Data de Nascimento 01-06-1985

Últimos Visitantes

554 visualizações
  1. Bom dia!!! Muito obrigada pelo relato de viajem, vai me ajudar muito. Pretendo ir em outubro para lá com dois amigos. Mas eu estava com dúvidas fortes sobre a necessidade de guia para fazer a trilha. Pelo que percebi, não parece ser tão necessário certo, visto que vcs fizeram sem um, e o custo de contratação de guia é uns 50% do valor de toda minha viajem rsrsrs. Agradeço todas as dicas, estou louca pra ir. Abraço Ane
  2. Puxa vida, estou curiosa agora hahaha. Enfim, estou escolhendo meu destino para outubro. Minha ideia a princípio era contratar uma agência para fazer algum circuíto...mas de acordo com seu relato, não parece o fim do mundo ir por conta. Meu único receio é que a princípio, irei sozinha. Isso sim me preocupa em termos de segurança, pois não terei nenhum apoio durante o percurso caso aconconteça algum imprevisto qualquer que sempre acontecem. Mas entendi que, falando de percurso, é suficientemente sinalizado para desconhecidos, certo?
  3. Você não irá se arrepender jamais!!! E tem um zilhão de lugares no Peru que ainda quero conhecer. Certamente voltarei logo.
  4. Bom dia Flávio! Que máximo!!!! Eu acredito que vocês consigam fazer sem sofrimento, a não ser que sejam muuuuito sedentários. Na semana que fui tinha um casal de senhores, ele com 65 e ela com 62 anos. Foram muitíssimo bem, claro que já eram acostumados a trekkings, mas mesmo assim. Boa viajem!!! abraço
  5. Acho um pouco arriscado, pois tem muita procura. Se bem que depende da data que você irá. Saem vários grupos no mesmo dia, então pode ser que dê certo, mas eu me sentiria mais segura comprando antes de ir. Uma coisa que você precisa mesmo comprar antes de qualquer forma, e o quanto antes) é a entrada para Waina Picchu, a de Machu já e inclusa. Abraço
  6. Olá Rayssa!!! Que ótimo!! Olha eu não calculei separadamente os gastos de Cusco, mas é mais em conta que Lima. Em 15 dias de viajem, juntando todos os gastos, foram 6.000 reais.
  7. Boa tarde Andreia! A agência se chama Salkantay Trekking, peça pra falar com o Yuri, ele é ótimo. O trekking que contratei foi de 5 dias, mas tem outras opções. O último dia é somente para Machu Picchu. A trilha da Rainbow peguei uma agência a parte, e comprei no dia que cheguei em Cusco mesmo, tem zilhões lá. No que mais precisar, só dar um toque. Boa viajem!
  8. Buenas amigos!!! Em Maio deste ano fiz minha primeira viajem ao Peru. Foram 14 dias divididos entre Lima e Cusco. Sou absolutamente apaixonada por Custo e toda história, cultura e as coisas antigas que se vê em cada passo dado. Foram 17 anos esperando para conhecer este lugar fantático e cheio de significado, e para fazer o trekking mais deslumbrante da vida (até agora rsrs). Lima, mais especificamente Miraflores, é linda e moderna. Cusco por sua vez, é um museo e antiquário gigantesco. (OBS: Não comprem lembranças em Lima como nós fizemos seguindo a indicação de amigos, Cusco é muito mais barata.) Saí do Brasil com uma amiga, da qual me separei nos útimos dias da viajem para realizar o trekking Salkantay. Trekking Salkantay foi uma experiência indescritível que tentarei descrever rsrsrs. Contratei uma agência de Cusco mesmo que acei na internet. Eu estava morrendo de medo de ser pura falcatrua, mas pesquisei muito sobre ela antes de contratar seus serviços. Recebi um ótimo suporte do meu agente de lá. Yuri foi muito solícito e disposto a tirar todas as minhas dúvidas e me deixar tranquila. Obviamente até chegar lá e constatar que se tratava de uma das melhores agências de lá eu ainda estava muito apreenciva. Quando iniciamos a busca por agência para fazer os passeios (pechinche muito e jamais contrate a primeira opção), levei um susto pois algumas que também ofereciam o trekking estavam cobrando metade do valor que eu iria pagar. Entretanto, após conhecer a minha agência, tudo se tornou mais compreencível, pois havia uma diferença gritante a começar pela estrutura. A maior parte das agências da cidade são bem pequenininhas, é quase como se onde há um banheiro disponível eles tiram o vaso e locam para transformar em agência rsrsrs. Antes de sair rumo a trilha, realizamos vários passeios em Cusco e também uma trilha de um dia, que para mim seria uma preparação para Salkantay. O Vale Sagrado é maravilhoso, em especial Ollantaytambo, pra onde certamente voltarei, e Pisac. A trilha que fizemos foi a Rainbow Mountain. Este foi o maior frio da minha vida. Valeu muito a pena e jamais vou me esquecer do meu medo da hipotermia e do chá de coca da salvação que acredite, um senhor vende lá no topo a 5.100 metros vestido tipicamente e com sandálhas nos pés. Socorroooo!!! Mas ainda tinha duas horas de caminhada de volta e eu não sabia mas estava só começando a congelar. Não tive problemas para subir fora um pouco de dor de cabeça. Fisicamente esteva bem preparada então foi bem tranquilo. Agora a volta, Senhor que tristeza. Após o primeiro desnível comecei a sentir muita náusea. E assim foram as duas longas horas de volta. Sentia que meus ossos congelavam e a pior náusea que já tive durou ainda durante as tres horas de viajem de van para Cusco. Dica: vá extremamente bem agasalhado e leve uma garrafa térmica com chá para beber durante a caminhada e ir se esquentando por dentro. Muito ansiosa para o início do trekking, mas até o primeiro café da manhã anterior ao início da caminhada. Que desespero me deu quando sentei com meu grupo e só ouvi inglês na mesa e eu não consegui entender nem mesmo um yes. Ai meu Deus, 5 dias de tortura nãoooo. Me senti a criatura mais burra da terra com meu inglês iniciante. Mas assim que iniciamos a caminhada descobri que algumas das outras 7 pessoas falavam espanhol e alemão nos quais me viro muito melhor. Ao longo dos dias descobri que o ouvido se acostuma e que sou ótima com linguagem de sinais rsrsrs. Não me senti mais tão ignorante já que, capenga que fosse, tomei consciência de que eu falava mais 3 línguas uai! A comunicação era hilária, as frases iniciavam em inglês e terminavam em alemão ou espanhol. Da mesma forma meus parceiros, pois cada um treinava o idioma que gostaria de aperfeiçoar. Esta trilha não foi um desafio físico pra mim apesar dos seus 75km realizados em 4 dias, sendo que o quinto dia ficou somente para visitação de Machu Picchu. Quanto ao serviços prestado pela agência, estavam surpreendentemente além do que eu imaginava, em todos os quesitos. Cada grupo tem no máximo 8 pessoas e juntamente conosco vão um cargueiro, um cozinheiro e ajudante de cozinha e o guia. Nos acampamentos vários grupos da mesma agência se encontram, pois os acampamentos são em lugares já determinados e fixos. O primeiro e segundo dia são os mais frios, por esta razão na primeira noite dormimos em um tipo de iglu com cúpula de vidro para apreciação da paisagem que cerca o acampamente, o que torna a noite inesquecível. Nos demais dias dormimos em barracas. Ao longo do caminho temos todo tipo de clima e paisagem. E algo muito inacreditável é que no meio do nada de uma trilha tem alguém vendendo chocolates, bebidas, frutas, gorros e afins. O terceiro dia é ótimo por conta da tarde que passamos mergulhados em águas termais revigorantes e com acesso a Cusqueñas geladas, amém! Meu querido guia amigo Edwin “de los 7 hijos” é um ser destes que não se encontra facilmente. Como ele foi meu maior ponto de contato por conta da língua irmã, passamos muitas horas conversando sobre tudo. Ele sanou muitas das minhas dúvidas em relação aos mitos, cultura, religiosidade a respeito dos Incas. Não somente ele, nosso “chocolatito”, mas todos os guias são certificados e por isso muito bem preparados, e obviamente são hijos de Inca, tiene sangre Inca uhuullll Daleeee! Edwin marcou minha vida assim como meus outros colegas, cada um a sua maneira, mas todos estão marcados em minha memória e coração por terem vivido e compartilhado estes dias ao meu lado (nossa, como fui romântica agora que orgulho). E chegamos ao auge: O que falar sobre Machu Picchu. É o alvo maior da viajem, o desejo mais antigo. A sensação de pisar naquela cidade é indescritível. Saber que é um lugar que possui a história de uma civilização que não existe mais, enraizada em cada pedra, é muito emocionante. Os Incas tem uma cultura riquíssima que ainda hoje impressiona qualquer pessoa que se depare com a região, e as edificações daquela época. Todos os refúgios, os caminhos, os templos e até mesmo os cemitérios são fascinantes. Esses caras realmente usavam o cérebro!! Tive o prazer (de quase morte rsrs) de ver Machu de cima pois subi a Montanha de Wayna Picchu. A subida é punck baby. Só Deus sabe como aqueles seres subiam esta montanha sem os cabos de aço e outros artifícios de segurança que estão lá hoje. A sensação que se tem lá de cima é do tipo: uhulll cheguei no topo do mundoooo! Rsrsrsr Dá pra se ter uma noção melhor do desenho do Condor inclusive. Em resumo, sou grata a Deus pela minha vida, pela minha razão e por me fazer disposta e curiosa o suficiente para viver esta e muitas outras experiências que já estão na lista. Enfim, o resto você terá que ir lá pra saber, HA HA. Para mim o Peru não seria tão grandioso sem esta experiência na Salkantay, e sim pretendo voltar logo ao Peru para fazer outra trilha Dicas: -A equipe que nos acompanha tem seu salário fixo, muito baixo por sinal, então leve uma grana extra pra dar uma gorgeta, eles merecem muito. -Se você nunca usou uma patente, terás uma experiência diferente eu diria rsrs. Caso já tenha usado, existem moitas lindas com paisagens fenomenais, as melhores que você terá cagando. -Quer fazer esta trilha, então prepare-se fisicamente e será uma experiência sem sofrimentos. -Não tem companhia para viajem? Vá assim mesmo, pois você vai conhecer muitas pessoas desde que esteja disposto e aberto ao desconhecido.
×
×
  • Criar Novo...