Ir para conteúdo

Diúlit

Membros
  • Total de itens

    31
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    1

Diúlit venceu a última vez em Setembro 13 2017

recebeu vários likes pelo conteúdo postado!

Reputação

18 Boa

2 Seguidores

Sobre Diúlit

  • Data de Nascimento 06-07-1995

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Oi, gente! Vocês sabem que Londres não é lá muito barata, né? Estive lá em maio e separei 13 dicas para economizar na Terra da Rainha, no meu blog, o Petri Viajante: http://www.petriviajante.com/p/x-dicas-para-economizar-em-londres.html Para quem quiser conhecer mais, também temos Instagram: https://www.instagram.com/petriviajante/
  2. Eu fiz mais de cinco rotas de ônibus e todas as passagens me custaram bem menos do que as passagens de ônibus ou trem, deixei claro que foi na época. Obviamente isso não significa que todas as pessoas vão encontrar os mesmos preços que eu, e nem que elas precisem escolher o mesmo meio de transporte. Só significa que acho sensato ponderar todos os meios, de acordo com a disposição, o tempo e o orçamento de cada um. Eu falei da minha experiência. Eu consegui dormir no ônibus, eu não cheguei cansada, nem suada e nem fedendo. Eu não acho que perdi tempo e eu realmente acho que as paisagens pela janela foram legais pra mim. Eu, sabe? Deixei bem claro o "eu" no relato da minha experiência, que não foi mais do que isso, aliás: o relato da minha experiência. Não foi um achismo, nem uma tentativa de pintar as viagens de ônibus como a melhor escolha para qualquer pessoa, em qualquer ocasião. Novamente, é óbvio que se uma pessoa tem problemas com viagens de ônibus, ou não quer perder muitas horas, ela não precisa escolher isso.
  3. Boa pergunta, estou indo para um mochilão de 28 dias, e essa é uma dúvida minha também! Pois é! Eu passei um mês na Europa em maio e lembro que li algo sobre as políticas estarem mais rígidas e que pra evitar pagar um absurdo pra despachar na hora de embarque (caso tivesse o azar de não poder levar o mochilão na cabine), era preciso já comprar esse serviço antes, e ele custava 20 euros. Eu não quis arriscar a sorte e arriscar pagar taxa na hora do embarque, e só esses 20 euros da taxa pra despachar já saíam bem mais caros do que as passagens de ônibus na época. Como eu não me importo de ir de ônibus, achei ótimo (viajei só de noite e economizei em hospedagem hehe). Além disso, vi várias paisagens e cidades mais de perto do que eu veria se fosse de avião. Mas agora eu preciso escrever uma reportagem sobre esse assunto e tô perdida no meio de tanta informação incerta
  4. Eu não achei nenhum post recente aqui no mochileiros e tenho achado as notícias sobre o assunto um pouco confusas. Alguém poderia me explicar - ou linkar aqui algum tópico do fórum - como está agora a política para despachar bagagem nas companhias low cost da Europa? É obrigatório despachar malas que não se enquadram nas medidas específicas para a bagagem permitida na cabine? Qual o valor que pagamos pra despachar? As companhias estão de fato fazendo vista grossa sobre isso, ou as pessoas continuam levando malas enormes "na sorte"?
  5. @LittleBackpack Oi! Que bom que gostou! Posso passar sim. Tu teria um e-mail pra eu te mandar?
  6. Ano passado, passei 8 dias no Rio de Janeiro com menos de mil reais. Em viagem de 4 dias ao Uruguai, acho que não cheguei a gastar 700. Nesse ano, passei 15 dias estudando inglês em Dublin e outros 15 viajando pela Europa: um mês inteirinho onde eu gastei pouco mais de 8 mil. Esses são alguns exemplos de como eu me desdobro pra reduzir custos, e já ajudei muitos amigos assim. Eu sou jornalista e sonho em trabalhar com turismo e ajudar mais pessoas também, por isso tenho um blog chamado Petri Viajante, e nesse post eu ensinei 17 das dicas que eu sigo pra economizar antes e durante uma viagem: http://www.petriviajante.com/p/comeco-esse-texto-no-melhor-estilo.html 🌍 Se eu puder ajudar respondendo algo, é só me perguntar aqui ou nos comentários do blog Obrigadasss!
  7. Oi, Rogerio! A postagem do blog é referente a um programa de intercâmbio de trabalho de apenas três meses.
  8. "O Disney College Program, programa de intercâmbio e trabalho na Disney, sempre foi um sonho para mim. Descobri o programa em 2010, quando hospedamos uma intercambista americana que tinha trabalhado por lá. Ela me contou que todos os anos a Disney contratava jovens do mundo inteiro para trabalhar nos parques e que os principais pré-requisitos eram falar bem inglês e estar na faculdade! A ideia de ir trabalhar na Disney nunca mais saiu da cabeça. Os anos passaram e, finalmente, resolvi pesquisar mais sobre o processo e me inscrever para o trabalho dos sonhos na Disney!" O programa tem duração de três meses e possui remuneração. Os selecionados ainda desfrutam de um mês de férias pelos Estados Unidos! Que tal tentar participar no processo seletivo de 2018? Tá tudo explicadinho no Petri Viajante: http://www.petriviajante.com/2018/03/como-trabalhar-na-disney.html
  9. Quando falei de pessoas gentis, não me referi a pessoas ligadas diretamente ao turismo, embora o bom tratamento dessas pessoas também me deixe feliz. Me referi a pessoas aleatórias, em lugares as vezes bem distantes de centros turísticos e que trataram a mim - ou a conhecidos- de uma forma que foi sim verdadeiramente gentil, e em algumas situações, extremamente bondosas. Além disso, embora concorde que as vezes as pessoas tratem os turistas bem por essas questões que tu citou, eu acredito que existam sim pessoas que te tratam bem porque são boas, e não porque tem um interesse por trás disso. Mesmo as pessoas que trabalham no turismo. As vezes elas são só legais mesmo. São inúmeros casos e inúmeras pessoas, e a existência de um tipo não torna impossível a existência de outro.
  10. Vou ajudar a ressuscitar esse tópico! Em Junho voltei de uma viagem e comentei com um amigo como estava me sentindo mal por ter que voltar para a cidade onde moro depois de ter visto tantos lugares bonitos, pessoas gentis, um modo de vida totalmente diferente. Aí ele me disse uma coisa que nunca vou me esquecer: A raiva e a tristeza por voltar são os combustíveis que nos levam a ir de novo (ou até tentar ir de vez e nem voltar). A gente só precisa dar um jeitinho de canalizar esses sentimentos para esta mudança, em vez de deixar que eles nos abatam.
  11. Vou dar uma olhada no Here We Go, mapas são sempre muuuito úteis! Quanto ao Decolar o cuidado necessário é pesquisar bastante mesmo, tanto nele, quanto no Google Flights, quanto em tudo o mais que for possível ewhuirowhr eu sempre reservo muito tempo pra pesquisar as passagens, e nas últimas vezes o Decolar me saiu muito mais econômico que as outras opções e deu tudo certinho. E embora nem sempre eu encontre nas companhias aéreas os mesmos preços que em encontro em outros meios, é super verdade que o melhor é sempre comprar por elas mesmo, por conta das possíveis assistências que se possa ter até o dia da viagem. Como disse, já tive um problema com o Decolar e a assistência deles foi completamente inútil, quando com a companhia teria sido tudo mais simples. Hoje, antes de emitir o bilhete, eu reviso cada informação mil vezes HIUEUIRHWER Mas mesmo assim, muito obrigada pelo toque de pesquisar e comparar as taxas sempre, acho que esse é o passo mais importante pra economizar.
  12. Pois é, agora fiquei mais tranquila quanto a essa situação de trânsito. No começo achei que pudesse ter algum motivo pra desconfiança, já que teria comprado o trecho pra Ams separado da ida até Londres. Mas sendo assim, tá tudo mais tranquilo, então. Afora isso, todos os meus motivos pra estar lá são bem simples de serem explicados e vou ter os comprovantes de tudo. Andei olhando os possíveis voos e há vários que dariam um bom espaço entre a chegada e o novo embarque. Como tenho duas conexões antes de chegar a londres, vou escolher um com um tempo maior entre os voos, já que vai saber tudo o que pode acontecer em tanto tempo de viagem. hahaha Achei bacana a notícia da abolição do landing card. Nunca parei para ler mais sobre o real objetivo dele, mas assim, superficialmente, sempre achei meio redundante, já que nele precisa constar informações que vão ser repetidas para os oficiais. Também não sei se, a título de registro, eles eram tão importantes assim, o que acontecia com esses cards depois. Quanto aos preços, o ônibus ainda tava saindo com uma diferença bem grande da passagem de avião, mas depois que reavaliei o tempo disponível, preferi o avião mesmo. Não vou ficar muito tempo em Amsterdam, então todo o tempo que puder economizar vai ser lucro. Muito obrigada pelas dicas, Adriano! Me ajudaram muito e agora me sinto mais tranquila e preparada.
  13. Oi, Renata! Já dei uma fuçada nos aeroportos onde vou fazer conexões mais espaçadas e aproveitar pra tomar banho. Acho que vai ser bom não só pra me sentir mais limpa, mas também pra dar uma relaxada no corpo. Me aninhar nos bancos é tranquilo, mas no fim - caso não mude o roteiro - vou optar por avião mesmo. Viagens longas agravam um pouco minha ansiedade, e talvez passar tantas horas em um ônibus não me façam muito bem depois de tantas horas de voo. Quanto à exaustão, vai ser só um esforço nesse começo de viagem mesmo, porque depois desses primeiros dias mais corridinhos em Amsterdam (ou Londres, caso deixe Ams para outra oportunidade), vou aquietar um pouco por causa do curso hahahaha Agora também tô mais tranquila quanto à imigração. Nunca fui para a Europa antes e, num primeiro momento, fiquei meio assustada com a possibilidade de estar numa situação "atípica", de não ser tão comum pessoas chegarem lá só pra sair de novo (com exceção das conexões das pessoas que compram as passagens inteiras direto pro destino delas). Mas tu tem razão, apesar de sempre ser necessário ter cuidado com a imigração, eu não preciso ter tanto medo assim, já que vou ter comprovantes pra absolutamente toda a viagem, desde passagens e reservas até a carta da escola do curso e tudo o mais. Muito obrigada pelas dicas e pelos vídeos, fiquei boba vendo o segundo! Também tenho curiosidade de fazer viagens de trem ou ferry e vendo ele fiquei mais tentada ainda! hhahahaha
  14. Nani, esse é o preço mais que ideal! Dei uma olhada na mochila e achei ótima, super atende exatamente o que eu tenho pensado. Muito obrigada pela indicação, pessoal!
  15. Eu tô, ao mesmo tempo, tão nervosa e tão empolgada com essa viagem que, pra falar a verdade, eu nem sequer tinha pensado na possibilidade de ficar exausta! hahah Mas a tua ideia de pegar o voo direto para Amsterdam é muito boa, ainda mais que o investimento dos euros a mais não vão extrapolar tanto meu orçamento, já que as passagens até Londres saíram por bem menos que o esperado. Pegando o voo no mesmo aeroporto em que desembarco torna o processo de imigração mais tranquilo, não? Já que assim eu não vou sair para a cidade e no landing card que preciso preencher eu posso colocar "in transit to amsterdam" na parte onde eu teria que informar o endereço da minha hospedagem. Outra dúvida: caso o guarda da imigração pergunte o motivo pelo qual tô entrando em Londres apenas para ir a Amsterdam, é ok eu explicar que esse era o meio mais barato, visto que antes de voltar ao Brasil passarei alguns dias em Londres? Já que essa é a verdade... Ou é improvável que ele pergunte esse tipo de coisa, já que é apenas uma espécie de conexão?
×
×
  • Criar Novo...