Ir para conteúdo

msouza97

Membros
  • Total de itens

    89
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    5

Tudo que msouza97 postou

  1. Na Plaza de armas de Cusco e nos arredores se tem muitas agências, a que eu fiz foi na Supertour Cusco.
  2. Que nada pô, muito tranquilo ir de van, só da um frio na barriga pois você sabe o que tem lá embaixo mas só que ele não fica beirando a pista toda hora e nem anda na maior velocidade do mundo. Vá pois você vai curtir muito.
  3. Boa tarde, ainda não tenho mas vou providenciar, falta arrumar algumas coisas e em breve eu atualizo aqui. Obrigado.
  4. Dia 26: Un Adiós muy agradecido Acordamos por volta das 8:00, arrumamos tudo o que tinha para arrumar, tomamos banho e fomos tomar café, como sempre o café estava simples porém muito bom. Paguei o hostel 43 bols pela diária e quando a Ka ficou pronta chamamos um táxi e fomos para o aeroporto de Santa Cruz pois nosso voo era às 11:55. Chegamos no aeroporto perto das 10:00, fizemos todo o trâmite das bagagens e fomos no Subway comer (do mesmo jeito que se iniciou terminou rs), comemos um lanche + refri + papas por 60 bols já que tínhamos que gastar o dinheiro que havia sobrado, barriga cheia era hora de passar pela aduana e carimbar o passaporte pela última vez antes da volta para o Brasil, ficamos esperando nosso voo e um pouco depois do horário marcado embarcamos e logo decolamos, perto das 17:00 no horário de Brasília chegamos e foi o momento de dar tchau para minha parceira de viagem que virou uma amiga pra vida, foi difícil mas era o que tinha que ser feito, demos aquele até logo e claro que na minha viagem de volta ao mundo eu vou dar um pulo no Maranhão pra visitar a Kata <3. (Me perdoa KA <3, Aeroporto de GRU, São Paulo - Brasil 2017). Saldo do dia: Diária do hostel – 43 Bols Táxi – 30 Bols Almoço* - 60 Bols Total = 133 Bols / 19,13 USD.
  5. Dia 25: A mais alta estação de Ski do Mundo e um poço de gratidão. Acordamos por volta das 7:00 e fomos tomar café com algumas coisas que tínhamos comprado, compramos um café com leite no hostel por 4 bols, tomamos o café da manhã e ficamos esperando o pessoal do tour passar, perto das 9:00 eles passaram e nos levaram para onde seria o passeio, no meio do caminho a van para em uma vendinha para que todos comprem água ou qualquer tipo de snack pois não tem nada no Chacaltaya. Chegamos no Chacaltaya perto das 10:00, não é muito longe de La Paz até lá e o caminho é aquilo que vamos acostumando durante toda a viagem (precipícios e rua de cascalho), como fomos fora de temporada e no fim do inverno ainda existia bastante neve na montanha o que deixou tudo ainda mais lindo do que é, todo o percurso entre subida e descida demora perto de 2 horas, a altitude nesse ponto da viagem não era mais problemas para nós pois fizemos uma boa aclimatação durante toda nossa viagem então subimos bem rápido e sem cansar. A vista de lá de cima é uma coisa incrível, por um momento não tirei nenhuma foto não falei nada só apreciei tudo o que estava vendo, a felicidade do pessoal ao redor, aquela cordilheira que eu só escutava falar nas aulas de geografia, toda aquela neve espalhada por diversas montanhas e simplesmente aquele foi um dos lugares em que eu senti uma energia muito boa misturada de uma enorme gratidão. Pouco antes de iniciarmos a decida começou a nevar, nevaar, vários floquinhos de neve caindo e a paisagem ficando cada vez mais linda, tivemos que apressar um pouco a descida pois não era mais seguro ficar ali pois a neve poderia cobrir todo o caminho de descida e ninguém quer ficar no meio da cordilheira dos andes com a temperatura negativa, não é mesmo? (Montanha Chacaltaya , La Paz - Bolívia 2017). (Montanha Chacaltaya , La Paz - Bolívia 2017). (Neve na Montanha Chacaltaya , La Paz - Bolívia 2017). (Montanha Chacaltaya , La Paz - Bolívia 2017). (A altitude máxima da Montanha Chacaltaya , La Paz - Bolívia 2017). (Montanha Chacaltaya , La Paz - Bolívia 2017). (Montanha Chacaltaya , La Paz - Bolívia 2017). (A gratidão na face do ser - Chacaltaya, La Paz - Bolívia 2017). (A estação de Ski mais alta do mundo hoje desativada por conta da escassez de neve, La Paz - Bolívia 2017). Terminamos a descida e nitidamente dá pra perceber que tudo estava muito mais branco do que quando subimos, se eu posso dar uma dica para quem for fazer esse passeio eu diria para que usarem um tênis de trekking pois tênis de caminhada escorrega muito na superfície em que se pisa no Chacaltaya, falo isso pois uma brasileira que estava com a gente passou um perrengue para descer pois o tênis estava escorregando muito, voltamos para a cidade e próximo das 13:00 já estávamos no centro de La Paz e era hora de rever nossa amiga (Katharina). Ela demorou uns 15 minutos para chegar e quando chegou foi aquela festa padrão de quando não se vê um bom amigo por dias ou anos rsrs, no nosso caso dias são como anos rsrs, fomos comer na mesma pizzaria do dia anterior e pedíamos uma pizza gigante que serve umas 4 pessoas muito bem e custou só 45 Bols cada, depois ficamos dando uma volta na cidade e conversando, voltamos para o hostel perto das 16:00 pois nós tínhamos que arrumar nossas coisas pois iríamos para o aeroporto de La Paz pois tínhamos um voo às 20:50 para Santa Cruz de La Sierra o mesmo aeroporto que chegamos. (Eu, Katarine e Katharina a resolução não está tão boa mas o amor dessa fotos é o que vale <3, La Paz - Bolívia 2017). Tudo pronto era hora de ir para o aeroporto, pegamos um táxi por 70 bols devido ao trânsito da cidade, nosso voo atrasou um pouco e perto das 21:30 nós partimos para Santa Cruz, a viagem foi bem tranquila e quando terminamos de pegar as mochilas já era quase 23:00, negociamos um táxi por 60 bols até o nosso hostel (Casa Jamboo Hostel) estava um calor de 29 graus em Santa Cruz bem diferente do clima de La Paz. Chegamos no hostel quase à meia noite e fizemos check in (não foi possível absorver muita coisa do hostel porém é um hostel mais agitado do que todos os outros que pegamos), tomamos banho e deixamos as coisas quase prontas para o outro dia pois iríamos ficar muito pouco no hostel já que nosso voo para SP era perto das 12:00. Saldo do dia: Café da manhã – 4 Bols Diárias do hostel – 80 bols Almoço – 45 Bols Táxi La Paz – 35 Bols Táxi Santa Cruz – 30 Total = 194 Bols / 27,91 USD
  6. Dia 24: Um dia de andança pela Caótica La Paz. Acordamos às 9:00 e saímos para tomar café já que não havia incluso no hostel, tomamos o café no mercado Lanza em um lugar bem local por 5 bols cada, foi um pão com manteiga e um café com leite. Como o dia estava reservado para conhecermos melhor a cidade fomos andar pela Calle de las Brujas (diz a lenda que os artesanatos por lá são mais baratos), subimos e descemos algumas vezes até encontrar o melhor preço, gastei algo próximo a 60bols. Depois fomos dar uma volta pela Calle Sarganaga e fechamos o passeio do Chacaltaya por 90 bols com entrada inclusa mas não faríamos o Valle de La Luna pois iríamos ver a Katharina nossa amiga de Uyuni, San Pedro, Cusco e agora La Paz. Não é nada comum o pessoal fazer esse tipo de venda de apenas um dos pontos do Tour, então pesquisem em várias agências. Quando fomos comer já eram quase duas horas, fomos em uma pizzaria italiana (sim amamos pizzas) que fica na Sarganaga 345 Italian pizza eu acho que é o nome, saímos de lá quase 15:00 e a pizza é fantástica, gigante e custou 50 bols cada. * Em Lá paz assim como em Copa nós tínhamos mais dinheiro do que precisávamos para fazer tudo então decidimos nos dar algumas refeições melhores. Fomos andar no teleférico, tínhamos alguns boletos que os brasileiros do almoço nos deram em Copacabana mas é bem barato cada viagem, 1,50 bols cada. Fomos até o mirador da linha vermelha e ficamos lá fazendo algumas fotos e usando o wifi da estação que por sinal é muito bom. Esses teleféricos com certeza fazem a cidade andar melhor pois se tudo fosse terrestre acho que nada na cidade iria funcionar, perto das 17:00 retornamos para a cidade e fomos no mercado comprar alguma coisa para comer no dia seguinte no passeio do Chacaltaya já que não teríamos lanche. Compramos algumas coisas + água e deu menos de 20bols. (Estação de El Alto é a estação de teleférico mais alta do mundo, La Paz - Bolívia 2017). (A caótica La Paz vista de cima, La Paz - Bolívia 2017). (Estação de El Alto, La Paz - Bolívia 2017). (A caótica La Paz vista de cima com seus muito úteis teleféricos , La Paz - Bolívia 2017). (Novamente A Cordilheira dos Andes nos rodeando, La Paz - Bolívia 2017). Depois fomos procurar um lugar para jantar e acabamos comendo em um restaurante chamado Little Italy por 60 bols cada mas nesse jantar a Ka pagou a conta pois ela estava muito feliz que o celular dela tinha voltado a funcionar (não contei mas o telefone dela caiu na água em Pisac então ela ficou uma semana sem telefone), deixei ela pagar pois não queria cortar a vibe dela, depois voltamos para o hostel e já era perto das 21:30 (sim, nós ficamos mais de 12 horas na rua em La Paz uma cidade que não é muito bem vista quando falamos em questão de segurança, eu não tive problemas e não vi nada que me chamasse a atenção mas é claro que não dei brecha pro azar). Tomamos banho e fomos dormir pois o dia seguinte era dia de conhecer a estação de Ski mais alta do mundo e seria o lugar mais alto da viagem até então. Saldo do dia: Café da manhã – 5 Bols. Passeio para Chacaltaya + Entrada – 90 Bols. Lembranças – 60 Bols. Almoço – 50 Bols. Mercado – 20 Bols. Total = 225 Bols / 32,37 USD
  7. Dia 23: Navegando no lago mais alto do mundo e a bela Isla del Sol. Acordamos às 7:00 e começamos a arrumar nossas coisas pois iríamos para a Isla e deixaríamos nossas mochilas na agência em que compramos as passagens que é perto do porto e de onde pegaríamos o bus para La Paz. Às 7:30 fomos tomar café e às 8:00 já havíamos terminado, como eu precisava arrumar mais algumas coisas a Ka ficou se maquiando, terminei e esperei ela quando fomos ver já eram 8:15 e tínhamos que estar no barco esse horário, pedimos para que o dono do hostel chamasse um táxi e pagamos a diária 42bols cada (café da manhã estava incluso). O táxi chegou às 8:20 e já colocamos às mochilas dentro dele e pedimos para ele parar na oficina (é escritório) onde compramos as passagens, chegamos lá às 8:26 correndo, deixamos e saímos. Pegamos o táxi novamente e às 8:29 chegamos no porto e quase não embarcamos pois fomos os últimos a entrar no barco, queria ter um tempo para comemorar na frente do taxista que disse que a gente não iria conseguir, respeita a gente moço aqui é BR desistir jamais rsrs. O barco partiu exatamente às 8:30 então pessoal cuidado com atrasos em. (Copacabana vista do lago Titicaca, Copacabana - Bolívia 2017). (Quem tem habilidade tem né rsrs, Copacabana - Bolívia 2017). (Uma pequena isla com uma simpática árvore no caminho da Isla del Sol, Copacabana - Bolívia 2017). (La Cordilheira dos Andes, Copacabana - Bolívia 2017). (Isla de La Luna, Copacabana - Bolívia 2017). (Isla de La Luna, Copacabana - Bolívia 2017). (Isla de La Luna, Copacabana - Bolívia 2017). (Isla de La Luna, Copacabana - Bolívia 2017). Às 10:00 chegamos na Isla del Sol, no boleto que compramos há a oportunidade ir para a Isla de la Luna que é uma ilha que fica próximo mas com a velocidade que o barco vai termina ficando longe, como tínhamos tempo e não iriamos fazer muita coisa na Isla del Sol decidimos ir, o lugar é bonito mas não tem muito o que fazer então logo ficamos sem ter o que fazer por lá. Quando voltamos para a Isla do Sol foi nos oferecido um passeio com um guia local da Isla que custou 30 Bols (é opcional, acredito que vale bastante a pena saber um pouco da história do local pelo conhecimento de uma pessoa que nasceu, cresceu e vive por lá). O tour pela Isla demora cerca de 1:30’ e perto das 14:00 acabamos e fomos comer, comi uma omelete com arroz que deu 35 bols mais 5 bols da coca que a gente rachou com dois brasileiros que estavam procurando um lugar para comer no mesmo momento que a gente. Voltamos pro barco às 15;00 e às 16:20 já estávamos em Copacabana novamente, fomos a agência pegar nossas mochilas e voltamos para onde sairia o ônibus, o ônibus que nos levou era pequeno não era os que estávamos acostumados, às 17:20 partimos e nem lembro que horas chegamos em Laz Paz, só sei que estava um transito violento, pegamos um táxi que custou 25 Bols cada até o hostel e chegamos lá próximo das 22:00. Tomamos banho e fomos dormir pois o outro dia estaria reservado para conhecer La paz. * Nosso ônibus nos deixou bem de frente com um cemitério gigantesco (dá pra ver quando se anda pela linha roja dos teleféricos) e não na rodoviária de Laz Paz, então quando forem comprar suas passagens confirmem onde vocês vão parar e esse cemitério não era muito perto do nosso hostel por isso que o táxi custou bastante. * Eu troquei uma grana em Copacabana com a mulher da agência. * A Isla del Sol está rodeada pelo Lago Titicaca que é o maior lago suspenso do mundo com pontos superando os 3800 metros de altitude. Saldo do dia Diária do Hostel – 42 Bols Táxi – 6 Bols Guia da Isla – 30 Bols Almoço na Isla – 40 Bols Táxi em La Paz – 25 Bols Total = 143 Bols / 20,57 USD
  8. Dia 22: Um dia muito preguiçoso em Copacabana. Acordei perto das 6:00 mas logo voltei a dormir, acordei somente na fronteira onde tivemos que fazer todo o trâmite para mudar de país que infelizmente era a última vez em que fazíamos isso antes de voltar para o Brasil. Chegamos em Copacabana perto das 13:00 e já fomos o hostel, a Ka não estava se sentindo muito bem e estávamos cansados da viagem então decidimos pegar um táxi que custou 5 bols cada. · * Devemos pagar 1 nuevo sol (eles aceitam) ou 2 bolivianos para entrar em Copacabana, isso é cobrado na entrada da cidade e não na fronteira. Fizemos check in no hostel La del Sol e logo nos deitamos e dormimos muito até umas 17:00 quando criamos coragem para levantar e ir fechar o passeio para a Isla já para a manhã seguinte e comprar passagem para La paz, deu 60 bols cada incluindo ida e volta da Isla + passagem para La paz na volta do passeio da Isla. · * Existem dois tipos de passeios para essas Isla, o que você vai e volta só no outro dia e também existe o bate e volta, que foi o que escolhemos pois tínhamos poucos dias sobrando na nossa viagem. Geralmente as pessoas usam o passeio com estadia na Isla quando fazer a trilha desde a parte norte até a parte sul está liberada, porém não foi o nosso caso já que havia uma questão interna entre as Islas que impedia esse tipo de trajeto. Dizem que o pôr do sol na parte sul da Isla é muito lindo e por isso muita gente dorme lá para aproveitar um dos espetáculos que a mãe natureza dá. · * Também existem alguns meios para chegar até a Isla, barcos privados que provavelmente são mais caros e o barco da comunidade da Isla que é a opção mais barata e no nosso caso custou 30 bols (ida e volta). A diferença de velocidade entre as embarcações é clara mas nada que um mochileiro não possa esperar rsrsrs. Fim da parte explicativa e bora voltar para o relato rs, depois de tudo pronto fomos no porto ver como era e acabamos pegando um pôr do sol sensacional, novamente a mãe natureza mostrando toda sua beleza. Ficamos cerca de uma hora conversando sobre tudo o que já havíamos visto na viagem e observando a beleza que estávamos presenciando naquele momento. (Pôr do sol no porto de Copacabana, Copacabana - Bolívia 2017). Perto das 19:00 fomos comer algo e achamos um restaurante bem legal e de comida muito boa, deu uns 40 bols para cada o jantar mais a bebida. Chegamos na Bolívia com um pouco mais de dinheiro do que era espera (graças a Deus) pois decidimos não fazer o downhill por conta de tempo então optamos por comer melhor pelo resto da viagem. Comemos e voltamos pro hostel, chegando lá tomei um banho e já me deitei pois estava cansado (jet lag não existe só para quem vai de avião não rsrss). · * Nós ainda tínhamos uns 300 bols de Uyuni pois como conseguimos economizar no tour do Salar deixamos reservado pois sabíamos que seria necessário depois. Saldo do dia Entrada em Copa – 2 Bols Passeio para a Isla – 30 Bols Passagem para La Paz = 30 Bols Jantar – 40 Bols Total = 102 Bols / 14,69 Bols
  9. Dia 21: Um dia em uma Cusco totalmente vazia. Acordei às 7:30 e logo fui levar algumas roupas para lavar pois seria minha última oportunidade, 2 kg deram 10 soles por necessidade de pegar no mesmo dia se não iria ser 5. Voltei pro hostel e fui tomar café com algumas coisas que tinha sobrado de huaraz (não estraguem os alimentos que comprarem em), tomamos café, arrumamos nossas mochilas e já fizemos o check out do hostel, deixamos as mochilas lá e como tínhamos o dia livre pois só iríamos para Copacabana de noite fomos conhecer um pouco mais da cidade e foi um péssimo dia pois estava tudo fechado por conta do censo que estava ocorrendo e a cidade só voltaria ao normal depois das 19:00. Compramos nossas passagens direto para Copacabana já que não iríamos parar Puno e saiu por 80 soles cada em um bus semi-cama. Andamos muito pela cidade que estava vazia e voltamos para o hostel onde ficamos até umas 16:30 depois fomos para a Plaza de armas e ficamos esperando abrir as lojas, tem um mercadinho ao redor da Plaza que vende alguns snacks, eu comprei uma coca de cereja para provar (muito doce e eu enjoei muito rápido). Ficamos tirando algumas fotos da Plaza para passar o tempo tive a oportunidade de vez a lua de um jeito bem maneiro. (Plaza de Armas de Cusco - Cusco, Peru 2017). (Plaza de Armas de Cusco - Cusco, Peru 2017). (Plaza de Armas de Cusco - Cusco, Peru 2017). (Plaza de Armas de Cusco - Cusco, Peru 2017). (Sei lá seria um eclipse? - Plaza de Armas de Cusco - Cusco, Peru 2017). (Um pequeno Cristo que fica na parte de cima de cusco, - Plaza de Armas de Cusco - Cusco, Peru 2017). (Plaza de Armas de Cusco - Cusco, Peru 2017). Depois os lugares para comer abriram e nós comemos no bembos um fast food local que é bom, eu peguei um combo duplo por 25 soles e não tinha refri só chichamorada e foi a primeira vez que tomei, o gosto que pude apurar é que parece um pouco vinho quente das festas juninas aqui Brasil mas beeeeem de longe rsrs. Já eram 20:30 quando pegamos um taxi por 10 soles e fomos para o terminal e lá esperamos até às 22:00 quando embarcaríamos para Copacabana, embarcamos e às 22:30 o ônibus partiu, logo que partiu eu dormi. Saldo do dia: Passagem para Copa - 80 soles Lanche no Bembos - 25 soles Total = 105 soles / 32,30 USD
  10. Dia 20: Um susto muito louco na hidrelétrica e a volta para Cusco. Acordei às 8:30 e fui tomar café da manhã que já estava incluso no hostel, arrumamos nossas coisas e fizemos check out e fomos para a Plaza de Águas Calientes fazer algumas fotos e comprar algo pra comer na hidroelétrica. Compramos um sanduba natural grande por 13 soles e uma Inka média por 3. Iniciamos nossa caminhada e demoramos cerca 2:20 até a hidroelétrica pois voltamos fazendo várias fotos, o bom que dessa vez a Ka voltou comigo. Chegamos na hidrelétrica às 13:50 e ficamos esperando nossa van que tinha horário de saída previsto entre 14:30 e 15:00, o problema era que nenhum agente que fica ali no pátio onde às vans ficam tinham nossos nomes e não sabíamos com quem iríamos, já bateu aquele medo de ficar pra trás e ter de pagar um taxi maluco até Cusco. Eu pedi o telefone de uma policial para ligar na agência e checar com quem iríamos (não era só a gente que estava nessa situação), dentro de alguns minutos nos pediram pra subir na van e poucos minutos depois pediram para descermos kkk nesse momento era rir para não chorar, novamente peguei um cel emprestado de um agente para falar com nossa agência, nesse tramite todo eu já estava puto pois já estávamos 40 minutos atrasados, por fim fomos encaixados em uma van e fomos embora. E que viagem sinistra em eu achei que eu ia parar por ali mesmo pois o motorista era kamikaze, o irmãozinho fazia cada curva na velocidade da luz kkkkk, teve uma hora que o vidro condensou e ficou todo embaçado e eu não sei como aquele cara estava enxergando , demorou perto de 6 horas até Cusco, nunca senti tanto frio na barriga como nesse dia. Chegamos às 21:40 e já fomos logo no MC Donalds comer um doble big mc que custou 20 soles cada, depois fomos para o hostel o mesmo no qual estávamos antes e logo que cheguei já tomei um banho e fui dormir, a gente decidiu ficar mais um dia em Cusco já que não daria para percorrer toda a Isla por conta do conflito entre os povos de lá (não era nada agressivo não ok?). Saldo do dia: Lanche + Inka = 16 soles Doble Big Mac = 20 soles Hostel La Casita = 18 soles Total = 44 soles / 16,61 USD
  11. Obrigado pelo feedback, então eu entrei sem guia e ninguém perguntou nada rsrsrs e a câmera que eu usei foi um cânon (o modelo ta lá no primeiro cap).
  12. Dia 19: A primeira maravilha do mudo e um dia totalmente grato. Acordamos bem cedo umas 4:00 e fomos tomar café o café é servido cedo devido a galera que sobe Machu Picchu, tomei o café e estava muito bom, tão bom que passei o resto da viagem comparando os desayunos com esse (uma coisa que me deixou bastante marcado foi que esse café estava bem simples mas o simples fato de o dono do hostel ter levantado cedo, se disposto a preparar tudo isso para a gente e ainda pedir desculpas por ter atrasado 20 minutos me marcou de verdade), arrumei minhas coisas e parti para fazer a trilha até Machu Picchu, o caminho todo deu uma hora pois parei muitas vezes para admirar o local. Perto das 7:00 eu já estava em Machu Picchu, esperei a Ka que logo chegou, demos entrada no Sítio arqueológico de Machu Picchu, optamos por não ter um guia e foi a melhor coisa que fizemos, tivemos tempo para curtir o lugar como queríamos, baita de um lugar fantástico que me deixou emocionado mas não por toda a energia do local e tal e sim por conta de tudo o que tive que passar para chegar ali, foi como colocar a última peça do quebra-cabeça mesmo sabendo que ainda faltava alguns outros lugares para se conhecer. (Machu Picchu, Peru 2017). (Uma simpática Llama, Machu Picchu, Peru 2017). (Machu Picchu, Peru 2017). (Machu Picchu, Peru 2017). (Machu Picchu, Peru 2017). (Machu Picchu, Peru 2017). (Machu Picchu, Peru 2017). (Machu Picchu, Peru 2017). (Machu Picchu, Peru 2017). (A Ponte Inca, Machu Picchu, Peru 2017). (Machu Picchu, Peru 2017). (Machu Picchu, Peru 2017). (Machu Picchu, Peru 2017). (Machu Picchu, Peru 2017). Ficamos cerca de quatro horas e meia dentro do sítio (deu tempo de ver tudo, tudo mesmo), saímos para comer e achamos que já tínhamos visto tudo o que nos interessava, iniciamos a decida e demorou uma hora assim como na subida (a Ka me acompanhou na descida), galera é melhor poupar o joelho e descer com calma do que descer rápido e lascar o joelho. * Uma dica que eu daria para quem for para MP é que não se preocupe pois o tempo abre e fecha frequentemente, hora estava fechado e hora estava bem aberto (acho que dá pra perceber nas fotos). Chegamos em Águas Calientes às 13:00 aproveitamos e tomamos um banho e depois fomos descansar, acordei só às 18:30 e já saímos para jantar, pegamos um restaurante legal perto do Hostel Inka Trail (fica na rua que a linha do trem passa), custou 15 soles uma hamburguesa bem servida com batata e um copo de coca, depois voltamos para o hostel e fomos descansar pois o dia tinha sido puxado. Saldo do dia: Jantar – 15 soles Total = 15 soles / 4,61 USD.
  13. Dia 18: Um lindo e longo caminho até Águas Calientes. Acordei às 5:30 para arrumar as coisas que faltavam e tomar um banho antes de ir para Águas Calientes, que é a cidade base para quem vai subir até a cidade de Machu Picchu para Machu Picchu. Às 6:15 eu já estava pronto e desci para a Plaza de armas onde fica a agência, nesse dia eu estaria sozinho até o fim do dia pois a Ka foi de trem, cheguei na Plaza no horário combinado (6:40) e fiquei esperando, quem disse que apareceu alguém chamando meu nome , já comecei a pensar que tinha dado merda e que eu teria que ir de van até Ollantaytambo e depois ir caminhando até águas Calientes com um italiano que estava no hostel e eu não sabia se daria ou não mas era a única possibilidade (no fim das contas não dava pois era longe demais e ele abortou). Depois de um tempo esperando passou um rapaz e disse para eu esperar pois geralmente as vans saem às 7:40, eeeeee que beleza mais um dia acordei cedo de otário hahaha, 7:30 a moça me levou até a van e agora era hora de ir para a hidrelétrica de Santa Teresa e de lá mais duas horas de caminhada até Águas Calientes. A maior parte do caminho fui dormindo, acordei próximo ao meio dia e logo quando acordei vi um carro capotado e pensei: Ê beleza, a mão já começou a suar frio kkkk e logo depois trocamos a estrada de asfalto por uma de cascalho. O caminho é meio que padrão pois tem precipício de um lado e rocha do outro (nada que eu já não tivesse visto), paramos pro almoço às 13:10 onde teríamos o almoço que estava muito bom e incluso (pelo menos no lugar que paramos o preço era 10 soles igual na agência), não comi muito pois a caminhada era longa e eu não queria fazer isso com a barriga muito cheia, às 13:40 partimos novamente rumo à hidrelétrica de Santa Teresa onde é o início da caminhada. (Trilha pela linha do trem rumo a Águas Calientes, Peru 2017). (Trilha pela linha do trem rumo a Águas Calientes, Peru 2017). (Trilha pela linha do trem rumo a Águas Calientes, Peru 2017). (Trilha pela linha do trem rumo a Águas Calientes, Peru 2017). (Trilha pela linha do trem rumo a Águas Calientes, Peru 2017). Chegamos às 14:30 na hidrelétrica e de lá parti até Águas Calientes, a trilha é bem de boa e nada de altitude nesse ponto, dá pra fazer em duas horas mas reserve um tempo pra curtir o lugar, no final da trilha há um aviso sobre a passagem proibida para pedestres e te indica o caminho correto (acredito que vocês leram o relato do @rodrigovix , que é um dos mais famosos por aqui), cheguei em Águas Calientes todo suado e foi fácil achar meu hostel (tem uma dia no fim do texto), cheguei morto e já fui tomar uma ducha gelada para dar uma relaxada no corpo, depois fui jantar com a Ka e a Sol, uma Argentina gente boa que estava no mesmo quarto que nós e que falava português. Comemos uma pizza e deu 12 soles cada (galera a gente comeu bastante besteira na viagem pois muitas das vezes não conseguimos encontrar os restaurantes mais baratos, eu não tenho problemas com comida, diz minha mãe que eu como até pedra kkkk). Fomos ao mercado e compramos uma água 2,5l 5 soles e Oreo 6 pacotes por 6 soles e um suco 5 soles, (um ponto que vale ser lembrado é que existem dois tipos de água por esses países: a purificada e a mineral, não é igual no Brasil que todas geralmente são mineral e a mineral é mais cara). Voltamos ao hostel para buscar a identidade da Ka para que ela comprasse o ticket para subir de bus, depois voltamos definitivamente para o hostel e fomos dormir pois no outro dia iríamos acordar bem cedo. Dica de como se localizar sem net: ·* Para quem não tiver internet fica uma dica, o google maps se você abrir o mapa da cidade para onde vai e dar zoom nas ruas ele salva o local para você, é tranquilo você só precisa deixar o app aberto em segundo plano e pronto, por fim ele irá usar seu GPS para te mostrar onde você está em relação ao mapa. Saldo do dia: Hostel Casa Paz (2 dias) – 51 soles Janta – 12 soles Lanches para MP – 10,50 soles Total = 73,50 soles / 22,61 USD.
  14. Dia 17: O Vale Sagrado dos Incas Acordamos às 5:30 aproveitei e tomei um banho, não tomei café pois é uma coisa que é bem rara na minha vida pois não sinto fome pela manhã. Às 6:15 saímos do hostel e fomos para a agência de onde sairíamos, às 6:45 a moça passou para nos pegar e nos levou até aonde estava a van. Partimos rumo ao vale sagrado e nossa primeira parada foi me fugiu da memória o nome do lugar agora, lá tivemos uma apresentação de como são fabricados mantas, gorros e etc de uma maneira artesanal, às coisas lá são bem caras, é bem pega turista. Depois fomos para Chinchero onde é possível comprar o boleto turístico de 70 soles (parcial) para aqueles que não compraram em Cusco podem ficar tranquilos pois essa parada sempre ocorre então é de boa para comprar. (Chinchero, Vale Sagrado dos Incas - Cusco, Peru - 2017). Visitamos o lugar e o guia explica como foram formadas aquelas rochas gigantescas e explica toda a formação do lugar. Nossa próxima parada era Moray um lugar fantástico onde foi nos explicados como eram projetadas às estruturas do local e o como funcionavam. (Moray, Vale Sagrado dos Incas - Cusco, Peru - 2017). (Moray, Vale Sagrado dos Incas - Cusco, Peru - 2017). (Moray, Vale Sagrado dos Incas - Cusco, Peru - 2017). (Moray, Vale Sagrado dos Incas - Cusco, Peru - 2017). Um fato curioso é que o guia disse que a corrupção é muito forte em Lima para onde o dinheiro vai e por isso alguns locais não tem obras de reconstrução como é necessário, geralmente a gente ficava uns 40 minutos em cada lugar e o guia ia explicando sobre o local. Depois nós fomos para as Salineras de Maras um lugar foda que graças a região é capaz de produzir sal com grande facilidade, não coloque suas mãos nas águas das Salineras se não sua mão vai ficar cheia de sal. (Salineras de Maras, Vale Sagrado dos Incas - Cusco, Peru - 2017). (Salineras de Maras, Vale Sagrado dos Incas - Cusco, Peru - 2017). (Salineras de Maras, Vale Sagrado dos Incas - Cusco, Peru - 2017). Depois de Maras nós fomos para Urubamba onde seria o nosso almoço, chegamos e tínhamos cerca de uma hora para comer, uma coisa que eu aprendi é: Sempre usem a opção de almoço incluso a não ser que você leve lanche ou algo pra comer pois a comida é uma facada, 45 soles o buffet sem refri e nós pagamos 20 soles na agência. Depois fomos para Ollanytaytambo e para você ter noção de como é bonito suba todas as centenas de degraus que existem até a parte de cima onde dá para ver tudo, ficamos quase uma hora por lá e depois era hora da nossa última parada (Pisac) e ficava um pouco distante de onde estávamos, há cerca de 1:30 mas o caminho compensa. (Ollantaytambo, Vale Sagrado dos Incas - Cusco, Peru - 2017). Chegamos e fomos explorar o local o guia mostrou algumas curiosidades e nos disse que uma parte do sítio em breve irá cair e isso é provavelmente no próximo terremoto. (Pisac, Vale Sagrado dos Incas - Cusco, Peru - 2017). (Pisac [essa parte é a que pode cair], Vale Sagrado dos Incas - Cusco, Peru - 2017). (Pisac, Vale Sagrado dos Incas - Cusco, Peru - 2017). Voltamos para a cidade e por volta das 19:00 chegamos em Cusco, no tour fizemos amizade com 2 brasileiros que acabaram jantando conosco fomos cada um para seu hostel e iríamos nos encontrar na praça de armas às 21:00 O micro-ônibus acabou nos deixando muito longe e demoramos para chegar nos hostel tanto que só deu tempo de falar com a família pagar o hostel e voltar para encontrar o pessoal. Fomos comer uma pizza em um lugar na parte de cima da Plaza e o cara disse que uma média servia duas pessoas, aham serve sim! Só se for dois camundongos mas a parte boa de comer em grupo é que dá pra rachar a conta e deu 24 soles cada, terminamos de comer e ninguém estava satisfeito, então fomos no MC comer algum lanche e eu peguei um da promoção 5,90 mais um cono grande por 2,50. Conversamos um pouco e foi cada um para seu hostel era o momento de se despedir dos amigos recentes, porém a Katharina nós veríamos em Lá Paz (ela esteve nos 3 países com a gente e foi aquele típico caso de quando a energia bate sabe?). *Galera, em questão aos passeios eu vou evitar contar sobre a história do lugar para que quando vocês cheguem lá seja tudo novo para você e para que vocês possam saber mais detalhadamente sobre. Saldo do dia Boleto turístico – 70 soles. Hostel – 38 Soles. Entrada das Salineras (essa não está inclusa no banheiro turístico) – 10 Soles. Jantar – 24+5,90+2,50 = 32,40 Soles Saldo do dia = 150,40 Soles – 46,27 USD.
  15. Dia 16: Um manhã preocupante em Lima e enfim a capital do império Inca. Chegamos em Lima às 6:40 porém nosso voo era só às 2:40 então ficamos alguns minutos usando o WiFi do terminal (que é ótimo), foi ai que recebemos a mensagem de um grupo que as passagens compradas pela Avianca no site peruano só serve para peruanos e residentes do Peru e que teríamos que pagar uma taxa de 170 dólares em espécie, nessa altura da viagem se eu pagasse toda essa grana em espécie eu ia ficar na pendura total. * Dica em galera se forem comprar passagens pela Avianca, utilizem o site o BR e não o site do Peru. Nós pagamos 38 dólares na passagem até Cusco, quando comprei deu uns 135 reais e o ônibus estava uns 160 reais o bus cama que era o que eu gostaria de viajar. Começamos a procurar passagem pela Peruvian Airlines e uma passagem para aquele dia estava 95 dólares, ir de ônibus estava fora de cogitação pois tínhamos passeio no dia seguinte e não poderíamos deixar de fazer. (Galera levem uma grana extra ou um cartão de crédito para emergências pois talvez seja necessário). Decidimos que ficar ali esperando a sorte bater na nossa porta não iria resolver muita coisa então fomos para o aeroporto, deu 10 soles cada e é meio longe de onde estávamos, chegamos lá e já fomos perguntar para a moça da Avianca quanto teríamos que pagar e ela disse que pelo preço da passagem teríamos de pagar cerca de 91 dólares e também havia a chance de não ter de pagar nada (dá pra pagar com cartão). Era hora de aguardar o check in e rezar para que uma exceção acontecesse, ficamos sentados esperando esse momento que parecia não chegar nunca. Check in time e lá fomos nós, ao chegarmos no guichê a moça disse que nosso voo havia sido cancelado e que teríamos que ir em um voo da Latam que iria partir mais cedo, até ai não nos cobraram nada, fomos na Latam fizemos todos os procedimentos de check in e assim que despachamos as malas e pegamos os tickets de embarque demos graças a Deus por não ter pago nada e fomos comer pois já era quase uma da tarde. Como forma de comemorar comemos um double big mac por apenas 19 soles (o combo). De barriga cheia fomos embarcar e as 13:40 o avião partiu rumo a Cusco, chegamos em Cusco às 15:00 pegamos nossas malas e partimos para a parte de fora do aeroporto para procurar um táxi, pegamos um táxi por 15 soles para os dois (tem que negociar pois nos foi oferecido 25 soles pela mesma corrida). Chegamos no hostel antes das 16:00 estava chovendo, o taxista havia dito que estava chovendo todas as tarde em Cusco mas que depois parava. Guardamos as coisas no hostel e meia hora depois já fomos comprar os ingressos para MP e agendar o tour do vale sagrado. Não tinha nenhuma fila na hora da compra do ingresso então gastamos menos de 10 minutos, fechamos o passeio para o vale sagrado onde estava incluso todos os lugares do boleto parcial e mais as salineiras de Maras, a agência da vez foi a super tour Cusco. Foi 70 reais do vale + almoço (compre com almoço incluso pois o almoço lá custa no min 40 soles), 70 reais da van até a hidroelétrica + almoço. Depois de fechar todos os passeios fomos cambiar 100 dólares e pegamos uma cotação de 3,24 soles por cada dólar, depois fomos procurar um lugar para comer e encontramos um perto do hostel com pizza e um suco por 17 soles para cada e lá tivemos nossa janta. Voltamos pro hostel e mal ficamos lá já voltamos para a praça e fomos encontrar a Katharina a menina que havia feito o Salar conosco, foi muito bom poder ver ela novamente, por fim ela acabou fechando o passeio do Vale sagrado conosco. Depois fomos colocar o papo em dia em restaurante pois ela estava com fome e também elas queriam beber um pisco sour. Ficamos de papo até umas 22:15 e depois foi cada um para o seu hostel. Saldo do dia Táxi até o aeroporto – 10 soles Almoço no aeroporto – 19 soles Táxi até o hostel – 7,50 soles Ingresso de MP – 152 soles Passeio + Van – 140 soles Jantar – 17 soles Total = 345,50 soles – 106,30 USD
  16. Assim depende do lugar que você for pois se for uma trilha muito grande vai precisar carregar a criança, tirando as trilhas não vejo nenhum outro empecilho para uma criança nessa trip não. Qualquer dúvida que tiver manda aqui que te ajudo.
  17. Dia 15: Laguna 69, uma beleza única, um esforço fora do normal. Acordamos 4 horas para nos arrumar pois o passeio era às 5 porém não sabíamos que o horário havia mudado para menos 3 horas menos que o Brasil. Fizemos o que tínhamos que fazer, tomamos café e fomos esperar até que deu 6 horas e nada de alguma alma viva aparecer (não sabíamos da mudança de horário ainda), já estávamos preocupados achando que tínhamos sidos deixados para traz, chamamos o rapaz do hostel e ele disse que a van já estava vindo e em menos de 10 minutos ela chegou (só depois que nos demos conta em relação ao horário). Era hora de ir para a laguna, já estávamos no caminho quando o guia foi informado de que faltava gente e lá vai ele buscar o povo, todos dentro do carro era hora de irmos para tão esperada laguna 69, na metade do caminho nós paramos para um café da manhã (pago) e logo seguimos viagem. Eu estava meio mal ainda do dia anterior e não tinha muito apetite então comi apenas uva. Chegamos no parque onde se paga 10 soles para entrar e logo em seguida avistamos o lago Llangauco e ali nós pudemos perceber que esse dia seria foda, lá tivemos poucos minutos para fazer fotos pois teríamos que curtir a laguna 69 e demora em média cerca de 3 horas pra subir. (Laguna Llanganuco, Parque Nacional de Huascaran - Huaraz, Peru 2017). (Laguna Llanganuco, Parque Nacional de Huascaran - Huaraz, Peru 2017). (Laguna Llanganuco, Parque Nacional de Huascaran - Huaraz, Peru 2017). (Laguna Llanganuco, Parque Nacional de Huascaran - Huaraz, Peru 2017). (Laguna Llanganuco, Parque Nacional de Huascaran - Huaraz, Peru 2017). Começamos a caminhada e um ponto que deve ser dito é que o caminho é lindo do início ao fim mas a caminhada é longa, meu corpo que não estava tão bem sentiu isso já perto do final da caminhada, levei cerca de 2:40 para subir e 1:50 para descer e não tive nenhum problema com dor de cabeça nada de sintomas do Soroche, nós estávamos respeitando a altitude desde nossa chegada e o que me pegou foi o cansaço físico por não ter uma alimentação ok nos últimos dias (a @costakatarine não tinha uma vida muito ativa na área das atividades físicas e se saiu muito bem, melhor que eu). Quando você chega e avista um pontinho azul com uma cachoeira de degelo você se dá conta de que sua missão foi cumprida e que você conseguiu terminar um dos trekkings mais difíceis das américas. Todo o seu esforço cansaço vira fichinha e por um instante você não pensa em muita e só quer aproveitar aquele momento foda que está vivendo. (Caminho até a Laguna 69 - Parque Naciona de Huascaran, Huaraz - Peru 2017). (Caminho até a Laguna 69 - Parque Naciona de Huascaran, Huaraz - Peru 2017). (Caminho até a Laguna 69 - Parque Naciona de Huascaran, Huaraz - Peru 2017). (Caminho até a Laguna 69 - Parque Naciona de Huascaran, Huaraz - Peru 2017). (Laguna 69 - Parque Naciona de Huascaran, Huaraz - Peru 2017). (Laguna 69 - Parque Naciona de Huascaran, Huaraz - Peru 2017). (Laguna 69 - Parque Naciona de Huascaran, Huaraz - Peru 2017). (Laguna 69 - Parque Naciona de Huascaran, Huaraz - Peru 2017). (Laguna 69 - Parque Naciona de Huascaran, Huaraz - Peru 2017). (Laguna 69 - Parque Naciona de Huascaran, Huaraz - Peru 2017). (Laguna 69 - Parque Naciona de Huascaran, Huaraz - Peru 2017). Depois de uns 40 minutos apreciando local começamos a descida e descemos tranquilamente ainda extasiados pelo feito recém concluído e admirando o local. Fomos uns dos primeiros a chegar na van e ficamos esperando o restante do pessoal chegar para que pudéssemos voltar para Huaraz, acabei dormindo o caminho todo e acordei já em Huaraz. Na volta trocamos dinheiros em uma casa de câmbio 100 dólares/3,25 soles, depois passamos em uma pizzaria que a Ka queria ir e pedimos uma pizza de pepperoni com um suco de mix de frutas (com toda a certeza foi a melhor pizza que comemos em toma a viagem e o suco também estava fora do comum), eu não aguentei comer minha parte toda por conta do cansaço mas a Ka deu um jeito nisso rsrsrs. Voltamos para o hostel e fomos arrumar nossas coisas pois nosso ônibus para Lima iria sair às 23:00, nesse momento que perguntamos da hora e ai que ficamos sabendo que nosso cronograma estava mais adiantado que todo mundo . Eu estava muito cansado mas tão cansado que eu tinha problemas para raciocinar, tomei um banho e voltei ao normal (que banho salvador). Saímos do hostel às 22:30 e como o terminal da Z-Buss era bem próximo nós fomos andando e conversando, menos de 5 minutos nós já estávamos lá, no horário marcado o ônibus partiu e eu já entrei dormindo. Saldo do dia A Katarine pagou a pizza (Valeu KA ).
  18. Dia 14: Um dia de vários nadas por Huaraz. Acordei às 8:00 e logo fui tomar café (dessa vez você quem se servia pois geralmente já estava na mesa) tomei um café bem reforçado mas eu já não me sentia muito bem estava sentindo que ia dar um piriri. Depois de tomar café fizemos o check out pois teríamos de mudar de hostel, deixamos nossas malas no hostel apenas por um instante e fomos comprar algumas frutas pro passeio da laguna, incrível como as frutas são muito baratas por esses países, compramos uva, mexerica, banana e granadilha e tudo isso deu só 3,20 soles para cada. Voltamos pro hostel e fomos pegar nossas coisas para ir até o outro hostel, pegamos um táxi pois era uma caminhada de mais de 1km que queríamos evitar e deu só 2 soles cada. Chegamos e já fizemos check in, nessa hora eu percebi que tinha sumido 100 soles da minha doleira pqp a grana já não era alta nessa altura do campeonato e isso acontece, engoli no seco pois não ia adiantar ficar chorando (até hoje não sei se alguém pegou ou se perdi), pagamos a diária do hostel 17 soles e o passeio para a laguna 69 (30 soles soles). Deixamos nossas mochilas no quarto (nesse quarto eram 4 camas mas ficou apenas eu e Ka), depois fomos comprar nossas passagens para lima para o dia seguinte depois da laguna, nos que custou 50 soles pela Z-buss um bus cama 160°. O que me deixou com míseros 16 soles, tentamos encontrar uma casa de câmbio mas estava tudo fechado por ser domingo. Procuramos um lugar pra comer e dessa vez comemos em lugar bem afastado e local que a comida não estava tão boa mas custou 6 soles cada (não sei se era eu que já não estava tão bem ou talvez não estivesse boa mesmo). Voltamos pro hostel e eu já não me sentia tão bem e então fui deitar, acordei um pouco pior com início de febre mas a Ka já me deu uma dipirona e preparou um café com o que havíamos comprado, eu sei que ela fez um café muito bom e eu aproveitei e tomei chá de coca, ela foi um amor, parceria na viagem é isso. (Obrigado @costakatarine). Depois voltei pro quarto tomei um banho e deitei pois o próximo dia era dia da laguna 69 um dos passeios mais esperados e o mais difícil da viagem toda. Saldo do dia Frutas – 3,20 soles Táxi – 2 soles Diária do Hostel – 17 soles Passeio da Laguna – 30 soles Passagem para Lima – 50 soles Almoço – 6 soles Total = 108,20 Soles – 33,29 USD
×
×
  • Criar Novo...