Ir para conteúdo

thelittle

Colaboradores
  • Total de itens

    170
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

3 Neutra

Outras informações

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. mas tu sabe que tem "n" venezuelanos e asiaticos morando lá.... eu mesmo já fiquei nos fundos da casa de uma venezuelana a primeira vez que fui, provavelmente eles nao devem ser ilegais, deve ter um jeito sim de conseguir o visto permanente, se nao for casando com uma local talvez trazendo capital para abrir um negocio, ou mesmo comprando um imovel já se ganha este visto. Não é meu objetivo de vida, longe disso, mas se fosse com certeza iria atrás para ver quais são as exigencias. Lembro que a ultima vez que fui a aruba ganhei uns planfetos lá no centro sobre um condominio fechado de casas para veraneio. O panfleto era em ingles, provavelmente dirigido para os turistas.
  2. Ô andré, tu gosta de aruba hein??????? vira e mexe tú tá metido lá....acho melhor comprar uma casa logo e liberar a chave aí pra galera qdo nao tiver usando......rsrsrsrsrsr abraços
  3. thelittle

    Esqui no Chile

    O Rodrigo está certo, não precisa sair correndo comprando tudo até pq vc nao sabe se vai gostar do esporte. Eu comecei esquiando de oculos escuros mesmo. O problema é que eles embaçam com muita facilidade, sobretudo quanto mais frio for. Depois que comprei um google melhorou uns 1000% porque alem de ele estar longe do rosto e nao embaçar nunca, aumenta o campo de visão, é muito bom mesmo. Sobre o transfer, não tem dificuldade, na saída da area de desembarque já compre ali mesmo um taxi particular, a utlima vez que fui paguei 60 reais pelo trecho aeroporto-las condes, um carrão que coube minha família mais malas e skis, achei muito bom e cômodo, sem contar que vc já paga no aeroporto então não tem stress de motorista fazer corrida maior sem necessidade, risco de receber dinheiro falso, essas coisas. Protetor solar na neve é obrigatorio....mesmo usando o fator 50 vc ainda vai torrar o nariz. o meu sempre fica vermelho, se bem que eu passo o dia inteiro na neve, normalmente só páro quando fecha a estação. Outra dica: levar uma garrafa de agua e ir colocando neve dentro porque dá uma sede danada, e em valle nevado não tem bebedor nos lifts. Apesar que nossa amiga vai ficar no proprio hotel de valle entao quanto a isso não tem galho.
  4. thelittle

    Santiago

    Carolina, isto mesmo, o padrão chileno é dois pinos redondo apenas. se vc tiver algum eletronico com pino chato, leve um adaptador, um benjamin resolve. Boa viagem!
  5. thelittle

    Esqui no Chile

    eu particularmente acho dispensável a 2a pele. Há anos eu esquio apenas com calça de neve, camiseta basica, qualquer blusa de lã e o casaco. quando está muito frio ou nevando uso uma calça de pijama por baixo da calça de neve e era isso. Para quem esta começando, acho melhor até alugar o que eles chamam de "enterito", um macacão para o frio que vc coloca apenas com roupa e intima e uma camiseta. Não precisa mais que isso, além do que com o movimento vc tende a ficar com bastante calor. Sem contar que 200 reais por uma 2a pele é pra lá de caro. por esse preço vc compra uma roupa de neve usada no chile.
  6. Oi Heka. Acho possivel a tese que por causa da procura aqui no sul seja mais relaxado a concessão do visto japonês, mas a impressão que tive nas tres vezes que visitei o consulado (a primeira para saber o que levar, na segunda para entregar os documentos e na terceira para retirar os passaportes) é que eles são extremamente organizados, tanto é que como citei no meu depoimento, para cada tipo de visto, uma documentação específica. Não acho que eles sejam chatos, afinal estão fazendo o trabalho deles, é só fazer o nosso direito e levar o que se pede. Sei lá, mas tu sabes que eu nunca tive visto recusado em país nenhum e olha que eu já conheço mais de 40 pelo mundo afora. Talvez o que me ajuda é que tenho uma vida estável no Brasil, família, casa própria, essas coisas e talvez por isso não encontre dificuldades para vistos, ou talvez eu tenho sorte mesmo. De qualquer forma eu dividi com vocês meu processo que para mim foi muito simples. Novamente desejo boa sorte a todos.
  7. Pessoal, deixa eu atualizar essa função de visto pro Japão já que solicitei o meu aqui em Porto Alegre/RS Em primeiro lugar NÃO precisa de entrevista nenhuma. Voce vai no consulado e solicita a documentação necessária para o visto. Neste quesito eles são corretíssimos, você deve se apresentar no consulado sabendo exatamente o que quer. Por exemplo se vai a turismo/trabalho/negocios/contrato de modelo/convite de alguem que mora lá? Cada uma destas situações exigem documentos diferentes. E eles entregam a lista de papéis necessários ali na hora conforme o seu objetivo. No meu caso foi simples: Qual o seu objetivo no Japão? turismo. Quem vai? eu, esposa e filha pequena. Quem vai pagar a viagem? eu mesmo. Da sua esposa quem paga a viagem? também eu. Quanto tempo quer permanecer no Japão? 8 dias. Pois não, aqui está a documentação necessária: - declaração IR minha - passaportes com valid. min 6 meses - passagens aéreas originais já pagas, no meu caso POA-NARITA-POA - reservas dos hoteis que vai ficar. Fiz tudo com cartao de credito no booking.com. Detalhe: se o visto nao fosse concedido eu tenho até um dia antes para cacelar as reservas - cópia autenticada da certidão de casamento - cópia autenticada da certidão de nascimento da minha filha - formulario padrão de solicitação do visto de turista. Este formulário é simples mas deve ser preenchido corretamente. Para mostrar organização preenchi o meu com maquina de escrever - formulário do roteiro de viagem no Japão. Ao contrario do que alguns falaram aqui no fórum, para mim não fez a menor diferença indo por operador turismo ou por conta propria como fiz. Eu estudei meu roteiro antes e coloquei tudo lá, os hoteis que vou ficar em cada cidade bem como o telefone deles. Como disse antes, é só fazer exatamente como eles pedem Não pedriam mais nada, extratos bancários, entrevista, nada. O prazo é dois dias uteis e eles ligam um dia antes para confirmar a concessão do visto ou não. Neste caso eles podem pedir mais documentos o que é dificil pois de saída eles já explicam direito exatamento o que precisam...pelo menos aqui em Porto Alegre. Detalhe: para o Japão existem dois vistos , de TURISMO e de TRANSITO. Os dois tem a mesma finalidade, entretanto o de TRANSITO permite estadias de até 15 dias e custa menos: R$ 14,00 por pessoa. O de turismo permite mais dias até a expiração dele, que como foi falado é de 90 dias e custa: R$ 60,00. Valores atualizados em fevereiro de 2011. Emfim, não é o bixo de 7 cabeças, é só ser organizado e saber o que quer. Boa sorte a todos.
  8. Onde vc leu isso? rsrsrsrsrsrs vc paga e leva, simples. Para quem vai pelo aeroporto eu pessoalmente despachei quase tudo pois comprei MUITA coisa. Comprei um sacolão e joguei tudo lá dentro, despachei e era isso.
  9. Glauber, mas não custa tentar, eu no lugar dele faria a mesma coisa. Lembrando que indo para estas ilhas voce nao precisa exagerar na mala, quando eu fui não despachei nada, levei aquelas malas de bordo com rodinhas e mais uma sacola, no desembarque me facilitou muito pois já havia lido que lá nao tem carrinho para bagagem. Só que por opção minha eu tive que comprar passagens lá, no caso do thiago, ele já tem as passagens. Eu tentaria contactar um funcionário da DAE antes de imigrar e explicar a situação, evitando as taxas e tudo o mais, mas acho difícil, pois em se tratando de venezuela, a gente sempre acaba pagando mais taxas do que o valor da passagem, e neste caso tenho quase certeza que nao tem como fazer isso se não for no balcão da cia, lá no check in. Mas repetindo, não custa tentar, e o thiago na volta vc nos conta como foi
  10. se vc conseguir evitar a imigração em maiquetia fazendo conexão direta com a DAE, beleza, nem vai precisar imigrar. Do contrario vc terá que imigrar conforme eu descrevi. Eu particularmente sempre comprei meus vôos CCS-AUA ou CUR direto lá, mas é arriscado. Bem melhor comprar antes como vc fez.
  11. Então Marcelo, por este site que vc postou a gente percebe o que os outros já falaram. No meu caso que quero cohecer um pouco do interior do Japão, só a passagem de ida e volta Tokyo - Hiroshima já paga uma semana de JRpass. E ainda posso viajar no shinkansen, o trem bala. portanto vale mais a pena comprar o passe do que comprar trecho a trecho.
  12. Olá pessoal. Sou do RS e eventualmente me aventuro pela Argentina de carro. Eu tenho duas dicas para dar a voces para fugir das propinas nos estados de Entre rios, Corrientes e Missiones, os tres estados argentinos que fazem fronteira com nosso país e portanto concentram os policiais carabineros corruptos: 1- Só dirijo nestes estados de noite após as 22 horas. Isto porque depois desta hora os postos estão abandonados, luzes desligadas e eles nem aí com o movimento das estradas. Esta é a melhor dica, e quem me deu foi justamente um camioneiro brasileiro. 2- Se mesmo assim algum carabinero estiver atacando na estrada neste horário, o que é raro, a historia é sempre a mesma: Normalmente eles pedem teus documentos e levam embora, seja para dentro da casa/quartel na beira de estrada ou na viatura, o que é mais comum. O que deve ser feito? NADA, isso mesmo, não faça nada, fique na sua, dentro do carro se possivel leia um livro, converse, caminhe pela estrada mas não vá atras de seus documentos em hipotese nenhuma, pois isso é exatamente o que eles querem; que vc reconheça que está errado e pague a propina. A consequencia é que eles é que começam a ficar nervosos pois enquanto vc estiver ali parado eles não poderão "morder" outro motorista para não ter testemunha. É batata, podem observar, quando vc está parado eles nao atacam mais ninguem. Vc fica da sua e espera que eles vem até vc, aí tem que ser irredutivel. Normalmente demora uns 30 min ou mais, aí vc mantenha o pé no caso de excesso de velocidade, peça para ver o radar, no caso de pedir algum acessório eu mostro a relação que eu tenho do consulado sobre as exigencias argentinas, enfim, tem que ser CDF e manter o carro absolutamente em condições, extintor em dia, lampadas, triangulo extra, seguro carta verde, pneus em dia.
  13. Carol, em tese essa janela de duas horas é suficiente. Entretanto segundo o meu relato e de varias pessoas aqui, nao fique dando bobeira, avião pousado e porta aberta, vá a imigração imediatamente. Se o seu vôo for conexão, aí é mais simples ainda, nem vai precisar carimbar passaporte pois nao vai sair da area internacional do aeroporto. Mas se vc comprou vôo separado, vc vai ter que pegar suas malas nas mãos (LÁ NAO TEM CARRINHO PARA BAGAGENS), imigrar, trocar uns 50 dolares por bolivares no cambio negro, fazer o check in NO ANDAR DE BAIXO, pagar alguma taxa no balcão da empresa para CUR (SEMPRE TEM UMA TAXA EXTRA), pagar outra taxa - a do aeroporto - em outro guichê e aí sim embarcar.
  14. Olá Colega!!!!! Que legal encontrar um companheiro !!!! Então, vamos lá: 1- essa ideia de comprar um barco no caribe é excelente. conheci algumas pessoas que fizeram isso, os barcos lá tem preços muito atrativos assim como em Miami. Sobretudo se vc comprar um ex charter, dá uma olhada no site http://www.yachtworld.com Comprando um veleiro fora do Brasil vc evita pagar estes impostos brasileiros absurdos. E se vc trazer ao Brasil pode ainda ficar até 6 meses com ele aqui sem precisar nacionalizar, eu sou do RS e aqui mesmo tem um sujeito que importou um veleiro e quando chega perto desses 6 meses, vai ate o uruguay, deixa ele lá por um tempo e depois traz novamente para mais 6 meses.... 2- depois de velejar no Caribe e seguir para a polinesia via canal do panamá é o que a maioria dos velejadores fazem. Era a minha ideia inicial tambem, quando ainda planejava esta viagem 3- eu fui uma vez a los roques, fiquei 2 dias lá no paraíso. Na frente da unica cidade em Gran Roque existiam varios veleiros apoitados. Conversei com um ingles e um frances. Estavam aguardando condições favoraveis para aruba e curaçao, porem sem incluir venezuela e colombia que são perigosos. Nao conheço os iates clubes de curaçao e bonaire, só estive em curaçao uma vez em uma escala de um cruzeiro que fiz, e era apenas 8 horas para conhecer um pouco da ilha, entao nao me informei disso. Bonaire nunca fui. Se eu fosse vc nem perderia meu tempo com a venezuela, o que conheci do país a unica coisa que valeu a pena foi roques, de resto evite. 4- eu ainda planejo fazer um charter no caribe tambem, alugar um veleiro de 30-36 pés por uma semana. Mas ainda nao pintou oportunidade, meus filhos sao pequenos e minha esposa sente insegura com eles, qdo forem um pouco maiores com certeza farei isso. Boa sorte e mantenha contato!!!!
  15. Ô Mauro, sobre a bebida, vai a dica: Algumas cias maritimas nao permitem que se traga bebida a bordo comprada nos portos. O que eu fazia? Levei de casa uma garrafa termica vazia e quando descia do navio trazia ela cheia normalmente com rum. Mas pode ser vinho, refri, qq coisa. Como normalmente são oferecidos sucos e agua a bordo, eu misturava suco no rum, enchia de gelo até a boca e violá: está feito o drink. nunca nenhum dos guardas do check in pediu para verificar o interior da garrafa, eu fui num cruzeiro pela Celebrity no Caribe.
×
×
  • Criar Novo...