Ir para conteúdo

Unirio Jelinek

Membros
  • Total de itens

    36
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

8 Neutra

Bio

  • Ocupação
    Advogado

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. A Espanha é o principal destino turístico do mundo. Mas a imensa maioria dos pacotes turísticos, e mesmo de viajantes independentes, restringem seus roteiros apenas a Barcelona, Madrid e seus arredores, e a Andaluzia. Todavia, o país tem muito mais a oferecer: em todas as suas regiões existem exuberantes cidades medievais e castelos históricos, belezas naturais e mesmo um lindo litoral. Como já conhecíamos Madri e arredores, bem como a região de Barcelona, elaborei um roteiro diferente, que ia pelo norte da Espanha em direção à cadeia de montanhas dos Picos da Europa, por Vall
  2. Olha, já conheço a Noruega, mas como ficamos basicamente na linda Bergen, paramos num ótimo albergue, em quarto privativo para três pessoas, com custo bem menor que na Suíça. E tinha a vantagem dos albergues de poder preparar ocasionalmente a própria comida, na cozinha disponibilizada, que se torna um ponto de encontro. Isso praticamente não existe na Suíça, pois os lugares mais em conta que encontrei foram os hotéis Íbis. Quanto às tuas observações sobre a Suíça, as cidades citadas são bonitas, mas nada de excepcional em relação a outras semelhantes pela Europa. Para mim, os vilarejos tipi
  3. Um destino europeu muito badalado atualmente é a Croácia. Isso se deve principalmente à sua bela costa do Mar Adriático, para onde afluem milhões de europeus no verão, especialmente pelos baixos preços, em relação aos países da Europa central, eis que não adotaram ainda o Euro. Muitos brasileiros vão à Croácia, não tanto em busca das praias, mas de suas históricas cidades, e especialmente para conhecer um lugar excepcional: O Plitvice National Park. A maioria apenas passa por aquele belo país, a bordo dos navios de cruzeiros, que geralmente aportam apenas em Dubrovnic, pelo que dei
  4. Os roteiros turísticos para a Europa abrangem muitos países, inclusive alguns outrora pertencentes à União Soviética, e que foram aos poucos se abrindo para o turismo. Mas geralmente excluem um lindo país, ligado aos mais badalados destinos daquele continente: a SUIÇA. E isso não pela falta de beleza e atrações, mas porque lá tudo é extremamente caro. Provavelmente é o país mais caro do mundo, depois do Japão. Todavia, vou mostrar que é possível conhecer aquele belíssimo país de uma forma relativamente econômica. Primeiramente, todos as agências e revistas de turismo dizem q
  5. Jorge, As despesas dependem muito de cada um. O custo maior é justamente a parte aérea, que custou cerca US 2.400 para cada, incluindo a ida à China. Mas nós fizemos toda a parte interna da Tailândia de aviâo, custando cerca de US 400 para cada, e era possível fazer de ônibus, com custo bem inferior, mas exigiria tempo maior, e também aumentaria o cansaço, pelas viagens noturnas. No referente aos hotéis, nós pagamos entre US 30 e US 50 a diária de casal, na Tailândia, e em torno de 70 euros na Itália, todos eram muito bons. Existem opções bem mais baratas na Tailândia, geralmente
  6. Tendo programado uma viagem à Tailândia e à China, e como a melhor opção de vôos seria utilizar a TAM até Milão e depois a Qatar até Bangkok, decidimos fazer um stop em Milão, tanto na ida como na volta, não só para não passarmos duas noites seguidas em vôo, como também para nos habituar aos poucos à diferença de fuso horário. Assim, tendo dado um giro por Milão na ida, no retorno de Pequim programei ficarmos mais alguns dias, e busquei alguns lugares para conhecer. Como já conhecíamos os mais badalados, como Roma, Veneza, Florença, etc., decidimos conhecer Gênova, cidade onde nasceu Cri
  7. O que vou relatar pode decepcionar muitos que estejam de malas prontas para conhecer a China. Isso porque, com verá quem ler este relato, não achei nada de excepcional a viagem àquele país, que deixou muito a desejar em termos turísticos. Isso se deve possivelmente ao fato de eu já conhecer quase 50 países, alguns dos quais nas proximidades da China, com população e costumes semelhantes. Mas, de qualquer forma, aqui vai meu relato, que eventualmente poderá auxiliar a quem esteja indecido, ou mesmo quem já esteja decidido a ir àquele país. Juntamente com minha esposa, saímos de Bangk
  8. Antes de iniciar meu relato, quero esclarecer que sou muito experiente em viagens, conhecendo cerca de 50 países, sempre em viagens independentes pelo mundo inteiro, realizadas sempre se forma econômica, buscando previamente na internet todas as informações possíveis, tanto sobre os países, como lugares para conhecer, roteiros, transporte, hospedagem, etc. No caso da Tailândia, já tinha também a experiência anterior de meus dois filhos, que já a haviam conhecido também de forma independente. Por isso, juntamente com minha esposa, fizemos o que muitos recomendam: não iniciar pelo caos d
  9. Olha cara, mantenho minha opinião sobre a catedral. Não sei vc conhece muitas outras pelo mundo, mas eu conheço incontáveis, e depois de conhecer a de Florença, ou a de S. Pedro em Roma, e mais ainda, as catedrais russas, sem pagar aquela exorbitância, não poderia achar interessante a Montreal. Quanto ao mirante, descemos em frente ao cemitério (que é interessante), onde nos indicaram para descer, e além de cansados, o tempo estava se armando para chuva, tanto que efetivamente voltamos com chuva para o centro. Mas valeu a dica para outras pessoas.
  10. Para quem gosta de natureza e lindas paisagens, certamente pensará algum dia em ir à Noruega. Parece difícil, mas não é. É como ir a qualquer outro país da Europa, podendo-se partir quase de qualquer um deles, de avião, pois de trem ou ônibus fica um tanto longe de muitos. No meu caso, foi simples: comprei passagem da KLM diretamente do Brasil para Bergen, com um stop de 3 dias em Amsterdam, por pouco mais que só a esta cidade, e o retorno fiz por outro país, o último de meu roteiro. Bergen é a maior atração do país, e de onde saem, ou para onde vão a partir de Oslo, todos os pass
  11. Em março de 2007 comprei bilhetes em oferta para Lisboa da BRA, que logo quebrou. Nessa oportunidade, como não tinha previsão de viajar, comprei a passagem para onde não conhecia, para ver depois o roteiro que faria. Passei então a pesquisar, e descobri a RYANAIR, de vôos low cost, e fiz um roteiro utilizando apenas seus vôos, muitos quase de graça, passando por muitos países europeus. Saímos ao final de abril, e após ir de Dublin (Irlanda) à Cracóvia ( Polônia), e de lá para Hahn, um aeroporto pequeno a 120 km. de Frankfurt, pegamos um vôo para ESTOCOLMO, pagando praticamente
  12. WJSuellen, fico satisfeito em você ter gostado. Eu já estava pensando em fazer um relato sobre Estocolmo, que é tão bela que estive lá em 2007 e voltei em 2009 para ver de novo, levando dessa vez minha filha. Vou ver se envio esta semana. Depois, pretendo enviar ainda um relativo à Noruega, onde estive na mesma viagem.
  13. Muitas pessoas viajam para a Europa visitando apenas a capital, e pensam ter conhecido o país. Em muitos casos efetivamente existe pouco a conhecer fora da cidade maior, como na Suécia, pois quando fui a Estocolmo – que considero a cidade mais bonita do mundo depois de Praga – busquei na Internet informações sobre outros lugares a conhecer na Suécia e não encontrei nada de interessante. Mas existem casos em que a capital não é o lugar mais interessante. E um desses lugares é a Bélgica. Chegamos a Bruxelas em setembro de 2009, vindos de Praga, através de um vôo relativamente barato da W
  14. Karla, Praga, assim como as outras cidades do relato são efetivamente muito bonitas, e ninguém discorda disso. Eles têm um cuidado extremo com a cidade, o que faz parte de sua cultura, pois mesmo as cidades pequenas por onde passei de ônibus eram assim. Então se tiver oportunidade de ir, certamente você vai adorar. Vá juntando aos pouco, que voce consegue, pois lá as coisas não são muito caras, e as passagens são financiadas. Pode-se ir para lá de qualquer das grandes cidades européias, aproveitando alguma oferta de vôo para estas, em baixa estação (maio, junho, setembro, outubro). Quanto
  15. Como no primeiro relato não tive tempo para incluir fotos, e algumas pessoas o pediram, estou complementando o texto, com a inclusão de algumas fotos, com identificação dos lugares de cada uma, para que os companheiros mochileiros possam ter uma idéia melhor das belezas das Montanhas Rochosas canadenses. Começamos pelo Johnson Lake, visitado logo na chegada. Após esse belo lago e outros do relato anterior, chegamos a Banff. Vejam a graça da cidade e as montanhas ao redor: Conhecida a cidade, no dia seguinte seguimos para uma de suas maiores atrações, o Lake Louise, que
×
×
  • Criar Novo...